1 cabeza 2022 (150 px × 50 px) (1)

Apoiadores de Alvaro Dias envolvidos em escândalos de corrupção

Na foto, da esquerda para a direita, os senadores Oriovisto Guimarães, Nelsinho Trad, Confúcio Moura, Cid Gomes, Romário e Jader Barbalho (Fotos: Arquivos/Google)

Desvios de verbas públicas, recebimento de propina, lavagem de dinheiro, fraudes e votação contra os interesses públicos… Conheça os apoiadores de Alvaro Dias

A última reunião da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado se tornou palco de declarações calorosas pela reeleição do senador paranaense Alvaro Dias (Podcemos). Da tribuna, parlamentares de diferentes partidos se uniram para pedir a volta do colega paranaense, que tem como principal oponente o ex-ministro Sergio Moro (União Brasil).

Passado o calor das palavras na comissão, um curioso foi pesquisar sobre a “biografia” e a atuação parlamentar dos apoiadores de ocasião do de Alvaro Dias, que está há mais de 27 anos como senador. O que ele encontrou foi de arrepiar os cabelos, os casos envolvem desde denúncias de desvios de verbas até recebimento de propina.

Entre os mais efusivos estava o senador Oriovisto Guimarães, paranaense e do mesmo partido de Alvaro. Oriovisto se notabilizou pelo posicionamento contrário ao impeachment de ministros do STF e também por votar contra, sob o argumento de inconstitucional, o projeto de Bolsonaro (PL) para redução do ICMS de energia elétrica e combustíveis, que baixou os preços aos consumidores.

O senador Nelsinho Trad, outro notório defensor de Alvaro, recentemente teve os bens bloqueados por suspeita de fraude quando era prefeito de Campo Grande (MS). Ele e outras pessoas e empresas respondem por improbidade administrativa em licitação para recapeamento e tapa-buracos. Os bloqueios chegam a R$ 655 milhões.

Leia também

Propinoduto

O senador Confúcio Moura (MDB) elogiou “tudo que Dias tem feito pelo Paraná”, mas esqueceu que está envolvido em esquema que desviou mais de R$ 57 milhões quando governador de Rondônia, em 2014. Em 2018, foi denunciado por suposta cobrança e recebimento de propina de empresa criada para emprestar dinheiro aos servidores do estado.

O senador Cid Gomes (PDT) também ocupou os microfones para defender a reeleição de Alvaro. Em 2020 ele virou alvo da Polícia Federla por suposto repasse de R$ 25 milhões da JBS. A suposta propina milionária teria ocorrido quando ele era governador do Ceará.

Até tu, Peixe?

O ex-jogador de futebol e senador Romário Faria (PL) teve bens bloqueados pela Justiça este ano a pedido da Band. A emissora pediu que retirasse os valores de honorários advocatícios de um processo que Romário moveu por conta de reportagem de 2018, em que era acusado de lavagem de dinheiro.

O senador Jader Barbalho também saiu em defesa de Alvaro Dias. Em 2007, ele foi denunciado pelo MP e acabou condenado em 2013, em denúncias de fraude na Sudam, a Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia.