1 cabeza 2022 (150 px × 50 px) (1)

Aumento no efetivo vai agilizar trâmite para ir até Puerto Iguazú, na Argentina

Quem foi até Puerto Iguazú esta semana deve ter percebido um período menor na fila de espera para ingressar na Argentina. O trâmite na imigração do país deverá agilizar ainda mais nos próximos dias, com o aumento no efetivo de servidores nos guichês da aduana. A informação foi confirmada pelo governador da província de Misiones, Oscar Herrera Ahuad, após reunião com o ministro de Migrações, Wado de Pedro e Florencia Carignano.

Além de um efetivo maior para agilizar as liberações de entrada, o ministro garantiu ainda melhorias na infraestrutura local, para reduzir as filas de veículos entre os dois países. As longas esperas, especialmente para quem transita no sentido Foz do Iguaçu (Brasil) para Argentina, tem motivado constantes reclamações de representantes do comércio e do turismo de Puerto Iguazú, Informou GDia

Herrera Ahuad informou, de acordo com a Rádio Cultura, que no encontro com Carignano solicitou que o governo nacional envie mais funcionários de aduana, instalação de mais guichês e de novas e modernas tecnologias. Ele também propôs eliminar a declaração de saúde “que atrasa a entrada no país”.

“A província de Misiones não está disposta a perder um único turista por causa das longas filas de carros na fronteira”, disse o governador, com recado endereçado ao Ministério do Interior da Argentina. Quem costuma transitar no trecho, já percebeu muitos brasileiros fazendo a volta e retornando ao se deparar com a fila de veículos logo após a Ponte Internacional Tancredo Neves.

“Trabalhamos em possíveis soluções para os passos internacionais de Misiones. O de maior conflito é o de Puerto Iguazú, onde concordamos em aumentar o número de recursos humanos nos próximos dias”, disse o governador.

Convergência

Durante a reunião, Herrera Ahuad relatou que as autoridades nacionais concordaram com a necessidade de “incorporar tecnologia e ter mais guichês, com um sistema de emergência para momentos complexos que ocorrem em datas particulares, quando o movimento de turistas para entrar no país é maior”.

O governador contou que, quando a movimentação turística é maior, chegam de 20 mil a 30 mil pessoas diariamente nas fronteiras do norte da província, como Puerto Iguazú e Posadas. “Quando todos esses dados são registrados, a página de Migrações entra em colapso, gerando atraso”, disse.

“O processo de acesso ao país na coleta de dados não dura mais que dois ou três minutos, o incômodo está antes, no depoimento que atrasa a movimentação e gera uma fila muito grande, quando o procedimento pode ser feito muito mais rápido”, acrescentou o governador.

Que completou: “Neste momento, essa declaração é desnecessária, porque não acho que todas as declarações que existem por dia sobre o acesso à Argentina serão revisadas. E se forem revistas, não estamos tendo os resultados de saber o que aconteceu com alguém que foi detectado com alguma irregularidade”.