Author

Coronavírus em Foz do Iguaçu, Destaques, Saúde,

Ocupação de leitos de UTI para Covid-19 em Foz do Iguaçu é superior a 87%, diz Vigilância Epidemiológica

A ocupação dos leitos destinados a pacientes com Covid-19, infecção provocada pelo novo Coronavírus, chegou a 87,5% neste domingo (05) em Foz do Iguaçu, no Oeste do Paraná.

De acordo com o Painel Coronavírus da Vigilância Epidemiológica, dos 40 leitos disponíveis, 35 estão em utilização – 21 dos 25 do Hospital Municipal Padre Germano Lauck e 14 dos 15 do Hospital Ministro Costa Cavalcanti.

Do total de internados na UTI, 26 pacientes são moradores de Foz do Iguaçu, dois das cidades de Medianeira, Cascavel, Matelândia e São Miguel do Iguaçu e um de Maripá.

Ao todo, a rede para Covid-19 de Foz do Iguaçu tem 52 pacientes internados – somados 17 dos leitos de enfermaria.

Deste total, 38 são residentes em Foz do Iguaçu e o restante ou estão em análise ou são moradores de outros municípios.

Coronavírus em Foz do Iguaçu, Destaques, Saúde,

31 mulheres e 29 homens testam positivo e Foz do Iguaçu chega a 1.234 casos confirmados de Coronavírus

A Vigilância Epidemiológica confirmou, neste domingo, 60 novos casos positivos de COVID-19 em Foz do Iguaçu, totalizando 1.234 casos da doença no município.

São 31 mulheres e 29 homens com idades entre 1 e 73 anos que estão com a infecção provocada pelo novo Coronavírus.

Três pessoas estão internadas e os demais permanecem em isolamento domiciliar por apresentarem sintomas leves da doença.

A Vigilância Epidemiológica monitora todos os casos confirmados, bem como os contatos próximos dos pacientes, a fim de evitar a disseminação da doença.

Dos 1.234 casos confirmados, 827 já estão recuperados, 355 estão em isolamento domiciliar, 39 pessoas estão internadas e o município também registrou 13 óbitos.

Destaques, Meio Ambiente, Paraná,

Pesca está liberada nas bacias do Paraná

A liberação passou a valer a partir desta sexta-feira (3) e inclui as bacias dos rios Ivaí, Piquiri, Cinzas, Tibagi, Pirapó, Laranjinha, São Francisco Falso e Verdadeiro, Jordão e todos seus afluentes diretos.

O Instituto Água e Terra liberou desde sexta-feira (3) a pesca em todo o território paranaense (Portaria nº 200/2020). As bacias dos rios Ivaí, Piquiri, Cinzas, Tibagi, Pirapó, Laranjinha, São Francisco Falso e Verdadeiro, Jordão, e todos seus afluentes diretos, não estão mais restritos.

A permissão se dá em razão das últimas chuvas que tornaram os rios navegáveis, possibilitando a dispersão dos cardumes.

A portaria ainda reforça que fica proibida a aglomeração de pessoas, sendo obrigatório o respeito ao distanciamento mínimo de 1,5 metro entre os cidadãos.

A Portaria nº 157/2020, que proibiu a pesca por aproximadamente um mês, teve como objetivo proteger as espécies de peixes. A crise hídrica prejudicou a vazão dos rios, na qual facilita a pesca furtiva, a predação e a extração de peixes jovens e adultos reprodutores.

Lagos e represas

A pesca nos ambientes lênticos, como lagos e represas, também seguem com a pesca permitida. “O único local que está proibido até metade do ano que vem é na real alagada da usina do baixo Iguaçu, região do Capanema”, afirma o engenheiro de Pesca e chefe regional do Instituto Água e Terra em Toledo, Taciano Maranhão.

Segundo ele, nesse local há uma resolução específica face a construção da UHE do Baixo Iguaçu. Faz parte do monitoramento do impacto ambiental da ictiofauna. Foi proibido por dois anos e vai ser liberada no próximo ano.

Fiscalização

Fiscais do Instituto Água e Terra e da Polícia Ambiental reforçam a fiscalização para garantir que não ocorram excessos, descumprimento do tamanho de captura das espécies e desrespeitos às normas ambientais no retorno da atividade pesqueira no Estado.

Para pescadores amadores é obrigatória a apresentação de autorização de pesca e, para os profissionais, a apresentação do Registro Geral de Pesca, e seus equipamentos de deverão ser identificados (redes e espinhéis).

Penalidades

Aos infratores serão aplicadas as penalidades e sanções previstas na Lei Federal nº 9.605/1998. Quem for flagrado pescando em desacordo com as determinações será enquadrado na lei de crimes ambientais.

A multa varia de R$ 700,00 por pescador e mais R$ 20,00 por quilo ou unidade de peixe pescado. Além disso, os materiais de pesca, como varas, redes e embarcações, poderão ser apreendidos pelos fiscais.

Educação, Paraná,

Renato Feder diz que disse não ao convite do presidente Jair Bolsonaro para o Ministério da Educação

“Recebi na noite da última quinta-feira uma ligação do presidente Jair Bolsonaro me convidando para ser ministro da Educação. Fiquei muito honrado com o convite, que coroa o bom trabalho feito por 90 mil profissionais da Educação do Paraná.

Agradeço ao presidente Jair Bolsonaro, por quem tenho grande apreço, mas declino do convite recebido. Sigo com o projeto no Paraná, desejo sorte ao presidente e uma boa gestão no Ministério da Educação”.

Do secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, em postagem neste domingo (05) no seu perfil do Twitter.

Paraná, Saúde,

7 a 1 para pandemia

“A vida é como um jogo de futebol, cada lance pode definir sua trajetória” –  Mikael Johnathan

Luiz Claudio Romanelli

Brasileiro gosta de futebol. Aliás, o futebol movimenta milhões nos estádios pelo mundo afora. Em época de pandemia, infelizmente, não ir aos gramados para torcer por seu time é uma realidade que o coronavírus nos impõe.

O brasileiro esperou décadas para assistir a uma Copa do Mundo no Brasil. Em 2014, foi a nossa vez. O que seria orgulho para todos, virou vergonha pior que o macaranaço em 1950. Em 8 de julho, a seleção canarinho sofreu a sua maior derrota em uma Copa: 7 X 1 contra a Alemanha.

Muitas jogadas e esquema de jogo errados, e um registro na história que vai marcar gerações. Mas, o que isso tem a ver com a pandemia? Para ser sincero, nada! Mas vale uma analogia com o que vivemos em 2014 e o que estamos vivendo agora.

No gramado, as pessoas podem até sair tristes pela derrota. Mas, infelizmente, em tempos de  pandemia do coronavírus, não será só a tristeza pelas jogadas erradas que ficam na lembrança dos brasileiros.

Faço essa comparação porque, lamentavelmente, o presidente Jair Bolsonaro tem insistido nos mesmos equívocos ou erros, escolhas, decisões e falta de seriedade no combate à pandemia.

Na semana que passou ficou nítido que a depender do atual presidente pouco importa se as pessoas ficarão desprotegidas e ao alcance mais fácil da “gripezinha”. Além de não ajudar na luta contra o vírus, ainda pode provocar uma derrota muito maior para milhares de brasileiros. Ao vetar 17 artigos da lei que determina a obrigatoriedade do uso de máscara de proteção em todo o País, Bolsonaro fez um verdadeiro gol contra, aumentando as chances de derrota na guerra para combater o avanço do coronavírus.

Governadores e prefeitos têm feito um esforço enorme para vencer a pandemia, mas o governo federal adota medidas distintas, sem nenhum critério científico e sem ouvir as autoridades sanitárias, baseado apenas em “achismos” ou alegando “perseguição política para derrubar o governo”.

É difícil acreditar que, enquanto líderes políticos de todo o mundo adotam as medidas de saneamento propostas pela OMS (Organização Mundial da Saúde), o Brasil com mais de 64 mil óbitos em decorrência do vírus, simplesmente segue na contramão.

Estamos vivendo uma crise sem precedentes. Algumas medidas duras, mas diante de triste de recorde, com o total em 212.326 casos da doença em 24 horas, entendemos a expressa necessidade delas.

Algumas medidas são fáceis de adotar, refiro-me ao uso da máscara de proteção facial. Estudos comprovam a eficácia para quem usa. Uma lei importante que tornaria a proteção facial um artigo de uso obrigatório em todo território nacional foi quase que totalmente vetada pelo presidente. A proposta da lei busca garantir o mínimo de segurança às pessoas ao frequentar espaços públicos e em atividades essenciais, durante o período em que durar a pandemia.

Felizmente, temos a lei estadual vigente, a lei 20.189/2020 que exige o uso da máscara em espaços e ambientes coletivos, sob pena de multa. E mais que isso! Temos uma população consciente da importância do uso do artefato como proteção para evitar o contágio ou contaminar outras pessoas.

Considerar que a frequência à igrejas, templos e estabelecimentos comerciais sem o uso da máscara de proteção não vai facilitar a transmissão do coronavírus é uma estultice sem tamanho.

Para exemplificar tamanha insensatez é só lembrar que no dia 22 de março, o presidente fez uma live e disse que no Brasil o coronavírus teria o mesmo número de mortos do vírus H1N1, ou seja 800 mortos. Já passamos de 64 mil, 125 vezes o previsto por sua excelência, e só estamos no início de julho.

Não somos contrários a abertura do comércio. Somos contrários a que pessoas utilizem esses espaços sem a devida proteção – e uma delas é máscara facial. O presidente não só vetou esse artigo, como também desconsiderou a necessidade de que empresas públicas ou privadas, estabelecimentos comerciais, templos e igrejas disponibilizem o álcool em gel 70% para seus clientes ou frequentadores.

Apenas a suspensão desses dois itens, por si só, já seria suficiente para provocar o aumento vertiginoso do contágio como, por sinal, tem acontecido nos últimos dias. Sobretudo no interior, onde o índice de aumento já é muito maior que nas capitais.

Espero que o Congresso Nacional reveja os vetos do presidente e promulgue a lei conforme aprovada no Senado e na Câmara dos Deputados.

Luiz Claudio Romanelli, advogado e especialista em gestão urbana, é deputado estadual e vice-presidente do PSB do Paraná

Curitiba, Destaques, Justiça,

SindiAbrabar entra com Mandado de Segurança contra a Prefeitura de Curitiba

Imagem anexada a representação do SindiAbrabar mostra aglomeração em feira livre de Curitiba, devidamente autorizada pela Prefeitura

O Sindicato das Empresas de Gastronomia, Entretenimento e Similares (SindiAbrabar) entrou com um Mandado de Segurança com pedido de Tutela de Urgência contra a Prefeitura de Curitiba. A representação tem como base os atos “ilegais” e “abusivos” praticados pelo prefeito Rafael Greca de Macedo e sua política ao setor durante a pandemia do Coronavírus.

De acordo com Gustavo Grassi, presidente do SindiAbrabar, o Mandado de Segurança foi motivado diante do tratamento desigual dado pela Prefeitura a restaurantes e lanchonetes, se comparados a feiras livres, lojas de conveniência de postos de gasolina e supermercados.

“Não existe justificativa para impedir os restaurantes de atender seus clientes em salão, oferecendo seus produtos para consumo no local, enquanto feiras livres, supermercados e e até lojas de conveniência de postos de gasolina, que são verdadeiros cubículos, não sofrem qualquer restrição”, justificou Grassi.

Os restaurantes, de acordo com o presidente do SindiAbrabar, têm muito mais condições de aplicar as normas sanitárias de prevenção, que determinam distanciamento entre mesas, higiene, com o fornecimento de álcool gel, marcações de distanciamento e disponibilização de pias para que os clientes lavem as mãos do que os demais estabelecimentos citados.

Da mesma forma, entende o Sindiabrabar que os restaurantes também são mais fáceis de serem fiscalizados quanto às normas. A categoria já extremamente abalada desde o início da pandemia, vem sendo sistematicamente discriminada, sem qualquer justificativa, o que não é admissível, completou Grassi.

Foto: Divulgação

Destaques, Foz do Iguaçu, Itaipu Binacional,

Profissionais de turismo agradecem ajuda providencial de live solidária na usina de Itaipu

Cerca de 600 guias de turismo, taxistas, motoristas e camareiras foram beneficiados pela ação, que arrecadou R$ 84 mil. “Ajuda bem-vinda na hora certa.”

São vários rostos e histórias que se entrelaçam. Profissionais do setor turístico, que antes podiam ajudar, hoje estão precisando de um empurrãozinho para conseguir sobreviver ao impacto econômico e social das medidas de combate e controle da covid-19. Esses homens e mulheres, cerca de 600 pessoas, entre guias de turismo, taxistas, motoristas e camareiras, de Foz do Iguaçu, foram beneficiadas pela live solidária na usina de Itaipu, transmitida pela internet no dia 10 de junho, e agradecem a “ajuda bem-vinda na hora certa”.

A live solidária com o cantor iguaçuense Gabriel Smaniotto arrecadou R$ 84 mil. Esse valor foi convertido em cartões-alimentação, cada um no valor de R$ 150. Eles foram distribuídos para pessoas que perderam renda durante a pandemia. Muitos estão totalmente parados, aguardando a retomada definitiva do turismo para voltar a trabalhar.

Os cartões, entregues entre quinta (2) e sexta-feira (3), podem ser usados em mais de 150 mercados espalhados em diversos bairros de Foz, um incentivo aos pequenos empresários, que também sofrem com o atual cenário econômico.

A iniciativa é do Programa Acelera Foz e contou com o apoio do Polo Iguassu, das administradoras de cartões Nutricard e Greencard, e da Liga Independente dos Guias de Turismo (Liguia). A ação teve a adesão de pessoas físicas e jurídicas. Muitas pessoas trabalharam de forma voluntária em toda a concepção do show, transmitido de forma online.

“Esse é o Brasil que, com certeza, todos queremos: uma sociedade unida. Um Brasil forte que mostra, em qualquer situação, especialmente nas mais difíceis, sua solidariedade e força para seguir em frente”, diz o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna.

Durante a entrega dos cartões, muitas pessoas fizeram questão de deixar gravados ou por escrito o agradecimento à iniciativa, que se soma à de muitas outras empresas, instituições e voluntários.

A usina de Itaipu, por exemplo, investiu diretamente mais de R$ 23 milhões no enfrentamento à pandemia na região Oeste. Dinheiro usado, entre outras iniciativas, na criação de uma ala exclusiva do Hospital Ministro Costa Cavalcanti, preparada com 15 leitos. Desse total, 10 de UTI e outros 12 de semi-intensivo estão disponíveis, gratuitamente, para atendimento à população.

Na reestruturação do hospital foram R$ 15 milhões. Já do auxílio eventual, ação voltada para instituições beneficentes, sem fins lucrativos, a soma chega a R$ 5,5 milhões. A iniciativa está em consonância com as diretrizes do governo federal

“Meu marido acabou de voltar da sede da Acifi [Associação Comercial e Empresarial de Foz do Iguaçu], onde os cartões foram entregues, e eu gostaria de agradecer a todos os envolvidos nesta ação. Vai nos ajudar muito. Obrigada”, disse Alessandra Conci, esposa de um guia de turismo. “Nunca nos imaginamos nessa situação. Sempre fomos nós a ajudar e hoje somos nós que estamos precisando. Deus abençoe a todos vocês”, disse outro beneficiado pela live.

Neide, guia de turismo, também registrou sua gratidão. “Queremos agradecer à Itaipu pela live solidária, com parceria do Polo Iguassu, pela ajuda que nos proporcionou nesse momento difícil que estamos vivendo, e também à Liguia. Muito obrigada.”

Outra profissional beneficiada foi na mesma linha: “Queremos agradecer por esse importante apoio justamente no momento que mais precisamos”. Para o guia Lourival Gomes Reis, o cartão chegou na hora certa. “Veio numa hora maravilhosa para mim. Acredito que, assim como para mim, para a maioria contemplada também. Obrigado do fundo do coração.”

Saturnino Dionísio, que perdeu 100% da renda, fala da importância dessa ajuda. “É muito importante para mim. Vai ajudar bastante. Meu forte abraço a todos os envolvidos.” Douglas Carvalho também agradeceu. “É providencial para esta época que estamos vivemos. Meu muito obrigado.”

Prestação de contas

Dos R$ 84 mil, entre doações de pessoas físicas e jurídicas, Itaipu colaborou diretamente com R$ 50 mil para a iniciativa da retomada do turismo. Já por meio de Picpay e depósito em conta, as doações somaram R$ 34.050. O Polo Iguassu entregou, de forma escalonada, para profissionais do setor turístico, mais de 560 cartões alimentação e 40 cestas básicas arrecadados durante a live. Das 40 cestas básicas, 20 foram doadas pelo Hotel Tarobá, dez pela Comercial Della Preve e outras dez do Empório dos Bolos.

Em dinheiro, fizeram doação para a live as empresas Cataratas S. A., Idisa Veículos, Cooperativa Lar, Cooperativa Frimesa, Posto Azteca, Sicoob Três Fronteiras, Complexo Dreamland, Churrascaria Rafain Show, Cooperativa Sicredi e Rede Costa Oeste de Comunicação.

Nutricard e Greencard abriram mão da cobrança do serviço. O apresentador Airton José, que comandou a apresentação da live, juntamente com a jornalista Izabeli Ferrari, também abriu mão do cachê. Ele começou sua carreira como guia e hoje é um dos mais respeitados radialistas do Brasil.

O Programa Acelera Foz tem a coordenação estratégica do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu (Codefoz), Itaipu Binacional, Parque Tecnológico Itaipu (PTI), Prefeitura de Foz, Sebrae, Programa Oeste em Desenvolvimento, Associação Comercial e Empresarial de Foz do Iguaçu (Acifi) e Conselho Municipal de Turismo (Comtur).

Clique AQUI para assistir o vídeo de agradecimento.

Cascavel, Saúde,

Cascavel contabiliza 60 mortes provocadas pelo Coronavírus

Cascavelenses confirmados com Covid-19 morrem em Assis e Francisco Beltrão

Duas mortes pelo novo coronavírus (Covid-19) foram confirmadas em Cascavel, durante a noite de sábado (4).

Segundo informações do Hospital Beneficente Moacir Micheletto em Assis Chateaubriand, Pedro Morais dos Santos de 92 anos confirmado com a Covid-19 morreu no início da noite na unidade hospitalar. O idoso foi transferido de Cascavel para Assis Chateaubriand, seguindo a regulação de leitos da macrorregião Oeste.

Ainda durante à noite de ontem, foi trazido a Cascavel e sepultado.

Além disso, em Francisco Beltrão, morreu o cascavelense Mario Bertuol – não teve a idade divulgada -, no Hospital Regional Walter Alberto Pecoits, também vítima da Covid-19. Segundo a unidade hospitalar, até o fim da manhã deste sábado (4) o corpo será transferido a Cascavel para sepultamento.

Hospital Universitário confirma mais uma morte por Covid-19

O Hospital Universitário do Oeste do Paraná (Huop), em Cascavel, registou mais um óbito em decorrência do novo coronavírus (covid-19)

A cascavelense, idosa de 86 anos, estava internada desde de terça-feira (30) e evoluiu a óbito na madrugada deste domingo (5). O exame que confirma a doença foi entregue pelo Laboratório Central do Paraná (Lacen).

Ala covid-19 HU

Na manhã deste domingo (5) o Hospital Universitário estava com 16 pacientes internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e outros 14 em leitos de enfermaria.

Do total de internamentos, 19 são considerados casos confirmados da doença, sete suspeitos e quatro já foram descartados.

Cascavel

Até sábado (4) Cascavel contabilizava 57 mortes em decorrência da Covid-19, porém até a manhã deste hoje, novas três mortes foram confirmadas. Uma em Assis Chateaubriand, outra em Francisco Beltrão e Cascavel. O município contabiliza 60 mortes em decorrência do vírus.

Já são 3.489 cascavelenses confirmados com a doença e 2.949 recuperados.

Fonte: Catve

Destaques, Geral, Paraná,

Evento mais grave da história da Copel mobiliza 2,7 mil eletricistas

Empresa mobilizou profissionais de todo Paraná. Desde início dos ventos, 1,8 milhão de unidades consumidoras foram alternadamente afetada – 38% do total atendidas pela Copel.

A Copel está enfrentando o pior evento climático de sua história em relação aos danos causados na rede de energia após o ciclone que atingiu o Paraná nesta semana. Desde as 10 horas de terça-feira (30), quando começaram os ventos fortes, 1,8 milhão de unidades consumidoras foram alternadamente afetadas – 38% do total de unidades consumidoras atendidas pela Copel.  

O pico de desligamentos aconteceu por volta de 17h20 de terça, com mais de 875 mil unidades consumidoras atingidas no Estado. As equipes da Copel atenderam com prioridade serviços públicos essenciais e seguiram buscando religar o maior número de consumidores ao longo da noite do mesmo dia e madrugada do dia seguinte. 

No começo da tarde de quarta-feira (1º), por volta das 13 horas, estavam abertos mais de 11,5 mil chamados de serviço em diferentes localidades. A média diária de serviços dos últimos três dias ficou em 5 mil. Em junho esse número fechou em 1,5 mil/dia.

A Copel chegou a ter mais de mil equipes – 777 delas de emergência – com 2,7 mil eletricistas próprios e terceirizados atendendo nas ruas. Profissionais do Interior foram deslocados para Curitiba, Região Metropolitana e Litoral para dar reforço nas áreas mais afetadas.  

O diretor-geral da Copel Distribuição, Maximiliano Orfali, enfatiza que toda a força de eletricistas da empresa está de alguma maneira envolvida, inclusive profissionais de outras áreas, além da operação e manutenção, como medição, automação e inspeção, entre pessoal próprio e terceirizado.

 “Foi realmente um caso excepcional, grave e histórico, e ainda assim os profissionais reconhecidamente qualificados da Copel atuaram de forma intensa para religar o mais rápido possível o maior número de consumidores”, afirma. 

Curitiba, RMC e litoral

Por conta do alto número de árvores e postes caídos, muitos trechos de redes estão exigindo reconstrução da estrutura. Desde o início do incidente, a Copel trocou 453 postes em diversas localidades do Paraná, e ainda restam 300 pendentes de troca (a média diária de troca de postes é 20).

Na Capital, a energia foi praticamente toda restabelecida. Restam apenas 1,5 mil desligamentos, o que corresponde a 0,2% do município. Nos últimos dias, o bairro do Uberaba foi um dos mais impactados, assim como boa parte da Cidade Industrial, Bacacheri, Fazendinha, Campo Comprido, Pinheirinho, Alto da Glória e Bom Retiro.

Curitiba e região receberam 66 equipes de eletricistas que foram remanejados do Norte e Noroeste do Paraná para reforçar o atendimento.

Na RMC alguns pontos estão demandando o trabalho de grandes equipes, como a Vila Macedo, em Piraquara. Ao todo, 35 postes foram ao chão com a tempestade. A Copel deslocou nove equipes, com 63 profissionais, para reconstruir os trechos.

O trecho sul da RMC foi o mais atingido. Nesta sexta-feira (03), Rio Negro segue com 1,3 mil desligamentos; Quitandinha com 4,5 mil; Campo do Tenente com 1,4 mil; Mandirituba com 3,5 mil e Tijucas do Sul com 2,5 mil. Em São José dos Pinhais, também uma das mais atingidas, os desligamentos diminuíram para 5,1 mil. 

No Litoral, Morretes e Antonina concentraram os maiores danos e Guaraqueçaba ainda está em situação crítica, com 3,5 mil unidades consumidoras sem energia.

Cultura, Destaques, Foz do Iguaçu,

Rappers de Foz do Iguaçu lançam nova música na plataforma digital Spotify. Veja como escutar!

O grupo Pokazideia, dos músicos Sika e Stenio The Rapper, juntou-se ao também músico Austero e ao produtor Faustino Beats, de Salvador-BA

Os fãs de rap em Foz do Iguaçu têm uma nova música para curtir e escutar quantas vezes quiser, nas plataformas digitais, informa Bruno Zanette, no Portal da Cidade.

O grupo autêntico de hip-hop experimental da cidade, Pokazideia, formado pelos rappers Sika e Stênio, lançou recentemente no Spotify a música chamada Exú, Jesus & Buda, com a participação especial do também músico Austero.

“O conceito da música vem para trazer um lado de espiritualidade para o momento crítico que estamos vivenciando no mundo. Uma forma de conversar com o nosso público, renovar nossos votos de esperança e sonhos. A proposta é de ser um conforto para as famílias, independente de religião. A faixa é amor e espiritualidade, por isso o nome”, explica o grupo, através de nota oficial.

A música foi gravada no Estúdio O Verbo, em Foz do Iguaçu e contou com a produção, mixagem e masterização do conceituado produtor Faustino Beats, de Salvador-BA. A distribuição digital é da Grave Crew e a arte do artista plástico de Foz do Iguaçu, Pedro Preve.

Você encontra a música Exú, Jesus & Buda no Spotify,   e para conhecer outros trabalhos do grupo Pokazideia que varia os ritmos e estilos, indo do hip-hop ao funk, e do Trap ao R&B, você ouve aqui. Eles também estão no YouTube e Deezer. Nas redes sociais como Instagram, Twitter e Facebook você pode seguir o @pkzoficial.