Author

Educação, Paraná,

Pesquisadores da UNILA produziram mais de 15 mil artigos e textos científicos em 10 anos

Dados estão em relatório elaborado para o aniversário da Universidade e também mostram que foram 3.825 registros na produção técnica e 883 na  produção artística

As universidades e a produção científica e tecnológica que delas advém estão diretamente relacionadas ao desenvolvimento de um país. Os conhecimentos adquiridos em pesquisas científicas podem ser compartilhados com a sociedade por meio de artigos científicos, livros, formação de bases de dados e de acervos, desenvolvimento de produtos e processos, entre outras tantas e diversas formas.

A UNILA completou 10 anos de atividades em 2020. Durante esse tempo, seus docentes e pesquisadores publicaram mais de 15 mil textos em periódicos especializados, jornais e revistas, anais de congressos, e também produziram livros, no todo ou em parte. A produção técnica chegou a 3.825 registros, incluindo o desenvolvimento de produtos tecnológicos, de processos ou de técnicas; e, ainda, trabalhos técnicos, como materiais didáticos e pareceres. A produção artística, como apresentações musicais, teatro, cinema, entre outras formas, totalizou 883 trabalhos.

“A UNILA é uma universidade jovem, com docentes jovens, porém comprometidos com a missão de ensino e pesquisa, fato que se reflete nessa expressiva produção”, comenta a docente, pesquisadora e pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação, Danúbia Frasson Furtado. Os dados de produção fazem parte de um relatório elaborado pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PRPPG), a partir de dados extraídos da Plataforma Lattes, que reúne bases de dados de currículos, de grupos de pesquisa e de instituições, em um único sistema de informações. Para a extração dos dados, foi utilizado o software livre ScriptLattes. O relatório foi produzido no início de 2020 para o aniversário de 10 anos da UNILA. Veja o relatório completo em http://bit.ly/unila_pesquisa

“Sabemos que parte da produção presente no relatório refere-se ao período de transição dos docentes entre suas instituições de origem e a UNILA. Contudo, reflete o engajamento e a capacidade de produção científica dos docentes”, explica Danúbia Furtado.

Divulgar essa produção permite à sociedade conhecer o volume de trabalho que vem sendo desenvolvido desde que a UNILA iniciou suas atividades acadêmicas, em agosto de 2010. “Além disso, mostra que a UNILA, apesar de ser considerada uma universidade nova, apresenta números relevantes em alguns campos e vem contribuindo com a sociedade”, destaca a pró-reitora.

A produção científica da Universidade alcança uma ampla diversidade de temas e áreas: de foguetes à literatura; da economia e das ciências sociais à biodiversidade. E traz avanços humanos, científicos e tecnológicos que também podem ser sentidos local e regionalmente. Muitas pesquisas têm Foz do Iguaçu e região como área geográfica de estudos. Somente no Programa Agenda Tríplice, que tem por objeto o estudo e o provimento de soluções para temas prioritários da tríplice fronteira entre Brasil, Argentina e Paraguai, são 32 projetos em desenvolvimento e mais de 500 assuntos, de todas as áreas, mapeados para futuros trabalhos.

“A pesquisa, independentemente se básica ou aplicada, traz vários avanços para o país, para o estado, para a cidade e região onde ocorre. Na região trinacional não seria diferente. Há diversas pesquisas no âmbito da UNILA que visam, sobretudo, proporcionar desenvolvimento humano, científico e tecnológico. Sempre com um olhar local, regional e internacional”, reforça Danúbia Furtado.

A pandemia de Covid-19 deu visibilidade e protagonismo ao conhecimento produzido na Universidade, não somente na área de saúde, mais fortemente envolvida com o atendimento à comunidade local e regional, mas também a diferentes áreas de ensino e pesquisa. Exemplos dessa diversidade são os projetos de produção de álcool glicerinado e de confecção de máscaras a partir de impressoras 3D. Na área da saúde, o resultado do trabalho científico pode ser percebido no desenvolvimento de exames sorológicos para detecção de anticorpos para o coronavírus – já foram feitos mais de 5 mil exames – e na realização de exames RT-PCR, em parceria com o Hospital Municipal e a Prefeitura de Foz do Iguaçu – mais de 20 mil exames já foram realizados. “A pesquisa científica é fundamental, porque ela traz luz às perguntas que fazemos sobre diversos temas, e somente através dela é que conseguimos respostas e tomadas de decisões racionais. No ambiente acadêmico, é a pesquisa que sustenta o ensino. Sem ela, por exemplo, não conseguimos oferecer aulas práticas de disciplinas profissionalizantes”, comenta o professor Kelvinson Viana, coordenador do projeto de desenvolvimento de exames sorológicos.

O investimento em pesquisa é fundamental, tanto para a pesquisa básica, que tenta compreender ou melhorar a compreensão de fenômenos ou teorias, ampliando a base do conhecimento científico; como para a pesquisa aplicada, que atende a uma necessidade específica e permite desenvolver tecnologias, técnicas ou produtos. “A pesquisa básica, realizada majoritariamente na Universidade, é essencial, pois é por sua aplicação que se desenvolve a pesquisa aplicada”, comenta a pró-reitora. “É importante destacar que fazer pesquisa não é fácil e requer recurso humano e de infraestrutura, sendo que em ambos os casos é necessário aporte financeiro”, comenta Danúbia Furtado, lembrando que a produção científica é, também, um dos principais indicadores utilizados por agências de fomento nacionais e internacionais, na concessão de recursos.

A busca desses recursos é um desafio que se impõe cada vez mais, tanto para professores como para a instituição. “A PRPPG vem trabalhando para incentivar e estimular a pesquisa na Universidade, lançando diversos editais de fomento. Sabemos que temos muito a melhorar, mas seguimos trabalhando e com a certeza de que uma pesquisa de qualidade reflete diretamente em um ensino de qualidade.”

Destaques, Foz do Iguaçu, Política,

Assembleia Legislativa aprova utilidade pública do Núcleo Criança de Valor de Foz do Iguaçu

Por unanimidade, a Assembleia Legislativa aprovou nesta segunda-feira (28) um projeto de lei do deputado Hussein Bakri (PSD) que concede o título de utilidade pública estadual à entidade Núcleo Criança de Valor, de Foz do Iguaçu.

Desde 2003, a instituição oferece proteção básica a crianças e adolescentes de 6 a 14 anos em situação de vulnerabilidade social, estimulando a convivência, o fortalecimento de vínculos e o desenvolvimento da autonomia conforme a potencialidade de cada faixa etária.

A partir desse relevante trabalho prestado, 120 jovens atendidos no contraturno recebem aprendizagem adequada e formação humana e social. E agora, com a aprovação da proposta pelos deputados, a entidade terá acesso a recursos estaduais para melhorar o atendimento e receber mais jovens em suas instalações.

Economia, Paraná,

Empresa da região Oeste do Paraná anuncia intenção de disputar licitação de pedágio nas rodovias Estado

Programa Oeste em Desenvolvimento reúne presidência da FIEP e representantes de cooperativas e de entidades da sociedade civil para aprofundar modelo de empresa regional

Lideranças da região deram mais um passo rumo à formação de uma empresa do Oeste para disputar a licitação de rodovias pedagiadas no Paraná, na nova concessão que terá edital aberto nos próximos meses.  Em reunião do Programa Oeste em Desenvolvimento (POD), nesta segunda-feira, 28, foram definidas as próximas ações para a efetivação do consórcio.

Conduzido pelo presidente do POD, Danilo Vendruscolo, o debate on-line contou com a presença do presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP), Carlos Walter Martins Pedro; e do coordenador do Conselho Empresarial e de Infraestrutura do Paraná, Jefferson Nogaroli. Também participaram o especialista em infraestrutura e logística da FIEP, João Arthur, e dirigentes de cooperativas e de entidades.

A iniciativa do setor produtivo e da sociedade civil organizada da Região Oeste visa à participação no processo público de concessão das rodovias paranaenses para fazer baixar a tarifa cobrada. Como o empreendimento que está sendo constituído não objetivará lucro, o resultado financeiro das operações será investido na melhoria das estradas.

“O setor produtivo não suporta mais pagar tarifas altíssimas, que oneram os custos e reduzem a competitividade”, frisou Danilo. “O que estamos construindo é uma união entre cooperativas, indústrias e o comércio para nós, que somos do Oeste, assumirmos as rodovias para instituirmos preço justo dos pedágios e qualidade das vias”, expôs.

De acordo com o presidente do POD, a reunião avançou quanto à formatação do ente jurídico que será adotado para a disputa da concessão das rodovias, forma de funcionamento e de participação desse empreendimento coletivo. As lideranças do Oeste ainda aprofundaram a análise em torno das condições técnicas e financeiras para a atuação na licitação.  

União do setor produtivo

Na reunião, o presidente da FIEP destacou a importância da integração e da atuação conjunta entre representantes de diferentes segmentos econômicos na constituição de consórcios regionais. Essas iniciativas, segundo ele, são indispensáveis para aumentar a concorrência na concessão dos pedágios.

“Consórcios regionais, como é a proposta que o Oeste está desenvolvendo, são vitais para contrapor a participação de empreiteiras nacionais e grandes empresas internacionais”, ressaltou Carlos Walter Martins Pedro. Essa participação ampliada nas licitações “induz o preço das tarifas cobradas para baixo”, complementou.

Presidente da Coopavel e membro da Câmara Técnica de Infraestrutura e Logística do POD, Dilvo Grolli afirmou que a criação de uma empresa para competir pela administração dos lotes de pedágio atende a um clamor da sociedade. “O que estamos propondo representa uma quebra de paradigma, em que disputamos com grandes interesses a favor da sociedade paranaense”, pontuou.

Carta pública

No final de agosto, o POD divulgou uma carta pública em que defende a efetiva participação da iniciativa privada e da sociedade civil organizada na construção do novo modelo de pedágio e na disputa da concessão. O documento faz um histórico sobre o início das rodovias pedagiadas, em 1997, demonstrando seus problemas e o efeito danoso à economia do Oeste e do Paraná.  

A nota defende a criação de um consórcio do Oeste. “Podemos participar das licitações com empresas regionais, em todos os lotes das rodovias que serão pedagiadas”, destaca o texto. “Precisamos construir uma nova história, com integridade e com a participação dos paranaenses de nossa e de outras regiões, seguindo as leis de livre mercado, em que ninguém tem privilégios e todos têm oportunidades”, conclui o documento.

Destaques, Foz do Iguaçu, Política,

Eleitores com deficiência podem transferir de seção até quinta-feira, dia 1º de outubro. Veja como!

No momento da inscrição eleitoral o eleitor com deficiência ou mobilidade reduzida é alocado em seção especial. Essas seções ficam logo na entrada, no andar de baixo do local de votação e com rampas de acesso, se necessário.

Ocorre que alguns eleitores podem ter sofrido algum acidente ou moléstia que dificulte a sua mobilidade, depois ter feito o título. Por isso, a Justiça Eleitoral faz um alerta para esses eleitores que ainda não estão em seções especiais, para que informem suas necessidades e solicitem a transferência para uma seção especial até esta quinta-feira, dia 01 de outubro.

Para isto, basta mandar um e-mail para a Central de Atendimento ao Eleitor cae011@tre-pr.jus.br informando esta necessidade e anexar o requerimento preenchido e documentos pessoais: uma selfie segurando o RG, uma foto do RG frente e verso e informar um telefone para contato. Dúvidas, podem ser esclarecidas pelos telefones 3522-2855, 3522-3064 ou 3522-3142 (o requerimento encontra-se no site do TRE www.tre-pr.jus.br ou pode ser solicitado por e-mail.

A Justiça Eleitoral aproveita para informar que as urnas eletrônicas têm o alfabeto em braile e sistema de áudio, possibilitando que o eleitor use fone de ouvido, se for necessário. Neste período estão sendo feitas vistorias nos locais de votação e providenciado treinamento das equipes dos trabalhos eleitorais, dos voluntários que contribuem com seu trabalho para que o eleitor possa exercer o seu voto, de maneira respeitosa, igualitária e humanizada.

Em cada local haverá o voluntário, coordenador de acessibilidade, para orientar o eleitor que, no dia da eleição, poderá ser acompanhado por cão-guia e/ou pessoa de sua confiança, para exercer o direito de votar.

Curitiba, Política,

Eleições 2020: João Arruda prevê ampliar orçamento da educação e oferta do ensino integral em Curitiba

O candidato a prefeito de Curitiba, João Arruda (MDB), defendeu nesta segunda-feira, 28, que as melhorias e alterações na educação devem partir do diálogo direto com os professores da rede pública municipal. “Não se faz educação de qualidade de cima para baixo. É preciso criar melhores condições de trabalho aos professores e um plano de carreira decente”. 

Duas das propostas preveem a ampliação dos investimentos do setor de 26% para 30% das receitas e a oferta do ensino integral nas escolas municipais. João Arruda está em campanha através de vídeos gravados em casa e divulgados nas redes sociais, onde debate as propostas para cada setor ou segmento da cidade, além contato direto com os curitibanos nestas plataformas. 
“Estou vendo minhas mensagens no Instagram, muito legal, continuem mandando, eu que leio. Essa interação é muito positiva. É interessante também por que eu recebo muitas ideias e sugestões”, disse ao defender a educação como prioridade de governo.

Tecnologia

O candidato afirmou que o ensino à distância, adotado na última hora em função da pandemia do coronavírus, apesar de necessário, precisa ser melhor debatido, mesmo enquanto não voltam às aulas presenciais. 

“Isso nos ensina que é preciso aprender com os alunos e também com os professores. Construir uma educação digital de qualidade à partir da iniciativa dos professores. Conteúdo pedagógico digital. É preciso aprimorar instrumentos tecnológicos, capacitar os professores e dar a estrutura necessária para que eles possam garantir o ensino”, afirmou.

João Arruda também apontou que é necessário se preparar para o cenário pós-covid. “Nós teremos um desafio enorme à partir do ano que vem quando a pandemia acabar. Vai passar e precisamos melhorar a qualidade de ensino. Essa volta às aulas será muito importante para os alunos e pais também”, disse.

Confira as propostas de João Arruda para a educação disponíveis no plano de governo:

• Desenvolver e implantar um programa de modernização institucional da Secretaria Municipal de Educação de Curitiba, com a finalidade de ampliar a capacidade organizativa e de direção no cumprimento da missão institucional;
• Criar o Centro de Apoio e Inovação para professores e equipes escolares, que mobilize, capacite e apoie de forma sistemática a construção de propostas e soluções voltadas para a melhoria das aprendizagens;
• Intensificar o uso das tecnologias nos processos de gestão institucional;
• Aprimorar os processos de planejamento, monitoramento e avaliação;
• Modernizar o Observatório Municipal de Educação;
• Assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos;
• Valorizar a educação municipal como base fundamental para uma nova cidade, tornando Curitiba a cidade que prima pela qualidade, organização, inovação e criatividade;
• Destinar 30% do orçamento municipal à educação (passando dos 26% para 30%);
• Garantir quadros completos de profissionais em todas as unidades, seja por meio de concursos públicos ou pelo Processo Simplificado de Contratação (PSC);
• Respeitar os profissionais da Educação, garantindo a manutenção dos avanços conquistados, ampliando e qualificando programas voltados à participação cultural, atenção e atendimento à saúde física e mental;
• Aperfeiçoar a política de valorização contínua de carreiras da Educação;
• Instituir um colegiado de diretores que terá canal direto com o prefeito, para a gestão e deliberação das questões da Educação;
• Criar a agência regulatória de convênios para oferta de vagas;
• Melhorar o planejamento e a execução de obras de construção, ampliação, reforma e manutenção da infraestrutura física e digital das unidades educacionais, com finalidade de contribuir para a ampliação da cobertura e qualidade dos processos de ensino-aprendizagem e melhorar as condições de trabalho do corpo docente e demais profissionais;
• Ampliar o acesso à educação integral.

Geral, Paraná,

Romanelli destaca atuação do Congresso Nacional contra a venda da Repar

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) destacou nesta segunda-feira, 28, a decisão da Câmara dos Deputados e do Senado Federal na defesa das refinarias da Petrobras, entre elas a de Repar no Paraná. O Congresso Nacional, em documento enviado ao STF, se colocou contra a venda das refinarias pelo governo federal.

Romanelli diz que a venda da refinaria vai provocar desemprego, além de transferir um patrimônio dos brasileiros para a iniciativa privada. “Sou inteiramente contra a venda de uma refinaria que é lucrativa e que pertence ao povo do Paraná e do Brasil. A Repar é nossa e deve continuar nas mãos do povo brasileiro”, disse.

O deputado é contra também à venda da usina do xisto em São Mateus do Sul. Mais de sete mil trabalhadores podem perder seus empregos. Na Repar, na cidade de Araucária, são 3,4 mil empregos (772 diretos e 2,6 mil indiretos). E na usina do xisto são mil empregos diretos e outros três mil indiretos.

Reanálise

O documento encaminhado Supremo Tribunal Federal pelos deputados e senadores pede que os ministros avaliem a decisão e impeçam a negociação de oito refinarias da Petrobras. Os parlamentares defendem uma reanálise do programa de privatizações das unidades que ainda não chegou a ser discutido em nenhuma das Casas.

“As negociações já estão avançadas, mas é importante que o STF mantenha um posicionamento imediato, antes que a Petrobras conclua a venda”, apela Romanelli.

Os ministros Edson Fachin (relator do processo), Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio Mello votaram contrário à venda da Repar e de outras refinarias da Petrobras. Os deputados temem que as refinarias sejam vendidas, antes da decisão final do STF.

Unidades

A Petrobras adiantou que a venda das unidades de refinaria, a da Repar pode ocorrer na primeira fase e a Usina do Xisto, na segunda.

A Repar é responsável por 12% da produção nacional de produtos derivados do petróleo e a segunda maior refinaria da Petrobrás em volume produzido, atende além do Paraná, os estados de Santa Catarina, São Paulo e Mato Grosso do Sul, além de exportar através dos Portos de Paranaguá e São Francisco do Sul (SC).

A usina do xisto tem a capacidade de produzir seis mil barris por dia de materiais como óleo combustível, GLP, nafta e enxofre para fertilizantes, produtos para a pavimentação, cimento, asfalto, cerâmica e insumos agrícolas. A primeira unidade da usina entrou em funcionamento em 1972 e a segunda em 1991, e, por conta da importância da usina, a BR-476 que liga Curitiba a União da Vitória, passando por Araucária e São Mateus do Sul, foi batizada de Rodovia do Xisto.

Destaques, Educação,

Assembleia aprova projeto para autorizar o funcionamento de até 200 Colégios Cívico-Militares no Paraná

A Assembleia Legislativa aprovou na tarde desta segunda-feira (28), em 2ª e 3ª votações, o projeto de lei que autoriza e regulamenta o funcionamento de até 200 Colégios Cívico-Militares no Paraná.

Líder do Governo e Presidente da Comissão de Educação, o deputado Hussein Bakri (PSD) destaca que essas escolas serão uma opção ao modelo tradicional para os pais que desejarem matricular seus filhos e que, em caso de haver alta demanda, a ocupação das vagas será definida por sorteio.

A implantação dos Colégios Cívico-Militares será de escolha livre da comunidade escolar por meio de consulta pública; em municípios com mais de 10 mil habitantes e que tenham ao menos duas escolas estaduais na área urbana; e em colégios com vulnerabilidade social, baixos índices de fluxo e rendimento escolar, e que não ofertem ensino noturno.

Numa gestão compartilhada, as aulas continuarão sendo ministradas por professores da rede estadual, enquanto os militares serão responsáveis pelas áreas de infraestrutura, patrimônio, finanças, segurança, disciplina e atividades cívico-militares.

Haverá um Diretor-Geral e um Diretor-Auxiliar civis, além de um Diretor Cívico-Militar e de 2 a 4 monitores militares conforme o tamanho da escola.

Todos esses militares serão inativos e voluntários, sendo remunerados por meio de diárias criadas por lei em 2017.

O desempenho dos colégios será medido continuamente por meio de metas que serão traçadas, e os uniformes dos alunos serão adquiridos pela Secretaria da Educação.

Paraná, Política,

Anibelli Neto convoca população a participar das eleições de 2020

O deputado Anibelli Neto gravou um vídeo no qual faz uma convocação à população paranaense a participar das eleições apesar da pandemia de Covid-19.

Anibelli Neto, que assumiu a presidência do MDB paranaense com a decisão do ex-deputado João Arruda aceitar o desafio de participar da campanha em Curitiba, afirmou que apesar das dificuldades que neste momento enfrentamos em razão da pandemia, e independe das frustrações com o momento político, temos que participar do processo, escolhendo aqueles que possam nos representar com dignidade seu voto. Busquem a biografia dos candidatos, pesquisem sua vida pregressa e façam uma boa escolha, apelou.

Ao mesmo tempo, Anibelli Neto deseja que esta campanha, que começou no domingo, dia 27, seja limpa, transparente, e que a população entenda a importância do voto mesmo neste período de pandemia.

“Analisem os candidatos, suas propostas e ideias para os municípios, escolham os melhores para que, depois, nossos municípios, o Paraná e o Brasil possam se recuperar pós-pandemia”.

Como presidente do MDB paranaense, Anibelli Neto irá percorrer o Paraná em apoio aos candidatos do partido, aproveitando para levar aos eleitores o apelo para que participem até porque entende que devem ter a convicção de mostrar suas opiniões para que, na sequência, possam cobrar daqueles que elegeram.

Anibelli Neto fez questão de gravar o vídeo em Quitandinha, local em que encerrou sua campanha em 2018. Foi, segundo ele, uma campanha vitoriosa que o levou à Assembleia Legislativa, onde lidera a bancada do MDB e onde, como presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Assembleia Legislativa, tem pautado seu trabalho na apresentação de propostas que possam melhorar a agropecuária, a agricultura familiar, aqueles que, segundo ele, acreditam na agricultura, pecuária, como forma de sustentar sua família.

Destaques, Foz do Iguaçu, Geral,

Presidente do Paraguai confirma que data para reabertura da Ponte da Amizade será definida nesta semana

Em visita ao departamento de Guairá, nesta segunda-feira (28), o presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, informou que vai marcar esta semana, junto como presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, a data para a reabertura das áreas de fronteira.

Benítez disse que esteve conversando com o presidente Bolsonaro e nesta semana será definida a data de abertura das passagens de fronteira com o Brasil, como é o caso de Ciudad del Este, Salto del Guairá e Pedro Juan Caballero.

Ele pediu aos moradores das cidades fronteiriças que sejam responsáveis e ajudem a evitar a propagação do vírus na retomada.

O Presidente do Paraguai afirmou que as taxas de infecções e mortes por Covid-19 permanecem positivas em comparação com outros países da região. Disse também que as medidas adotadas pelo Governo e a consciência dos cidadãos desempenharam um papel fundamental para salvar vidas e recuperar a economia.

“Os países que não tomaram medidas drásticas no início, sentem os reflexos na vida e na economia. Com certeza cometemos erros, mas algo foi bem feito porque na economia e nas questões de saúde, estamos melhores que toda a região”, comentou o Presidente. 

Protocolo

Marito pediu que os protocolos de saúde sejam cumpridos para que a economia seja retomada e que as empresas continuem operando. Ele ressaltou que assim que todas as áreas forem retomadas, haverá números bem melhores do que os registrados atualmente.

“Tudo isso não depende do presidente, depende das pessoas que devem respeitar os protocolos para continuar avançando e para que o Paraguai continue sendo um exemplo”, comentou.

Por: Rádio Cultura

Paraná, Política,

Requião Filho questiona demora por esclarecimentos sobre pedágio no Paraná

Revisão em cálculos do que pode ter sido cobrado a mais, por algumas concessionárias que não duplicaram rodovias, segue sem conclusão

Há cerca de um ano, a Agepar deu início a um pente-fino nas tarifas de pedágio cobradas nas rodovias paranaenses.

O motivo seria um valor a mais pago a algumas concessionárias, desde o início dos contratos, para realização do que os engenheiros chamam de “degrau de pista dupla”.

Um termo técnico relacionado ao nivelamento de alguns trechos que deveriam ter sido duplicados, lembra em vídeo o deputado Requião Filho.

É a Taxa Interna de Retorno (TIR), que só poderia ter sido recebida pela empresa uma vez que as obras estivessem concluídas, o que não ocorreu.

E, mesmo assim, a taxa foi embutida no valor final da tarifa e continua sendo paga pelos usuários até hoje.

A previsão era de que o estudo da Agepar ficasse pronto em seis meses, mas como isso não ocorreu Requião Filho protocolou requerimento, via Lei de Acesso a Informação.

Assista abaixo pronunciamento do deputado sobre o tema: