Author

Destaques, Estadual, Geral, Meio Ambiente,

Maio teve mais chuva, mas Paraná mantém emergência hídrica

De acordo com o Sistema Meteorológico do Paraná, choveu dentro da média histórica ou acima em boa parte do Estado no mês passado. Seca ficou concentrada na região de Curitiba e no Litoral.

O mapa de chuvas do Paraná relativo a maio traz uma notícia animadora: a área de estiagem mais severa reduziu consideravelmente no mês passado, ficando concentrada na Região Metropolitana de Curitiba, Litoral e alguns pontos do Noroeste.

De acordo com o Simepar (Sistema Meteorológico do Paraná), choveu dentro da média histórica ou acima dela em boa parte do Estado. Regiões como o Oeste e Sudoeste conseguiram compensar em parte a seca que marcou o primeiro quadrimestre do ano.

Em Toledo, por exemplo, a precipitação acumulada foi de 223 milímetros, para uma média histórica de 176 mm. Foz do Iguaçu registrou 131 mm, 3 mm acima da meta. Já em Francisco Beltrão choveu 241 mm (média de 180 mm) e em Pato Branco 158 mm (média de 160 mm).

Guarapuava, na Região Central, também ficou dentro do esperado. Em maio a precipitação na cidade foi de 134 mm, exatamente o patamar esperado para o mês. “Comparado com os outros meses, o resultado foi satisfatório. O que anima também é que a primeira quinzena de junho deve ser chuvosa também”, afirmou o meteorologista do Simepar, Samuel Braun.

Ele, porém, faz uma ponderação importante: as precipitações de maio não foram suficientes para reestabelecer a ordem por completo no Paraná. “A seca é muito grave, então o problema só será resolvido no longo prazo, com o acúmulo de chuvas”, ressaltou.

Saiba mais em AEN.

Cultura, Destaques, Educação, Geral, Meio Ambiente, Notícias, Turismo,

River Games celebra “Dia Mundial do Meio Ambiente” com reflexões virtuais

Festival On Live reunirá artistas, ativistas ambientais e agentes públicos para refletir sobre quem queremos ser em tempos de pandemia

Por Bruno Soares

O estado de pandemia que a humanidade passou a vivenciar desde o avanço global do novo coronavírus no planeta Terra impõe uma reflexão comum a todos: “Quem queremos ser nessa nova realidade?”.

Consciente da importância fundamental de se considerar o Meio Ambiente para qualquer resposta possível à questão acima, a Associação de Desenvolvimento de Esportes Radicais e Ecologia (ADERE) de Foz do Iguaçu, em parceria com ativistas ambientais, empresários, artistas e agentes públicos, promove a partir desta quarta-feira (03) a Semana do Meio Ambiente On Live.

O evento terá três dias de duração e contará com a participação de 14 convidados, todos de relevância regional e nacional. As transmissões ao vivo serão reproduzidas pelas plataformas Facebook, Instagram e YouTube.

“A pandemia chegou para que o se humano tome mais consciência sobre seu papel na defesa e preservação do Meio Ambiente e coloque este tema no centro de qualquer discussão. A questão é: Estamos dispostos a pagar o preço necessário para garantirmos nossa sobrevivência neste planeta? O futuro começa agora”, provoca o gestor e ativista Raby Khalil, um dos fundadores da ADERE.

Parceiro na idealização do evento, o produtor Marcelo Penayo completa ao destacar o caráter informativo e educativo das lives. “Nossa intenção maior é celebrar a conscientização das pessoas sobre a importância de respeitarmos nosso lar comum. Vale destacar que este evento não é uma exclusividade nossa. Estamos reproduzindo em âmbito regional o que está sendo promovido pela Organização das Nações Unidas (ONU). Precisamos nos informar para agirmos de forma consciente”, defendeu.

Radicada em Foz do Iguaçu, Oeste do Paraná, a ADERE se conectou com autoridades políticas que integram ou já integraram a Frente Parlamentar Ambiental, da Câmara dos Deputados, em Brasília (DF). Para debater “O Lockdown Ambiental do Brasil”, live marcada às 10h desta quarta-feira, o festival reunirá para um bate papo os deputados federais Rodrigo Agostinho, Alessandro Molon, Nilto Tatto e o ex-deputado Ricardo Tripoli. O encontro virtual também contará com a presença do ex-ministro do Meio Ambiente e idealizador da Frente Parlamentar Ambientalista, Sarney Filho.

Ainda nesta quarta-feira, às 16h, o festival receberá o ambientalista Mario Mantovani para compartilhar histórias da Mata Atlântica brasileira. Diretor de Políticas Públicas da Fundação SOS Mata Atlântica, o ativista atua na ong desde 1991. Neste período se dedicou à aprovação de leis ambientais importantes, como a Lei da Mata Atlântica, de 2006, e a Lei das Águas, de 1997, que criou o Sistema Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente e Gerenciamento de Recursos Hídricos.

Já na quinta-feira, também a partir das 16h, o festival irá colocar em pauta as novas tendências apresentadas pelo Ministério do Turismo diante das transformações decorrentes do Covid-19. “Teremos uma importante resenha com personalidades do Turismo que irão analisar o novo momento do setor que coloca o turismo ambiental como alternativa econômica em tempos de crise sanitária”, explica Raby. A live terá participação de Gilmar Piolla, Secretário Municipal de Turismo, Indústria, Comércio e Projetos Estratégicos de Foz do Iguaçu; Fernanda Fedrigo, representante do Instituto Polo Iguassu; e Carmel Davis, diretora do Parque das Aves, atrativo turístico de Foz do Iguaçu.

Na sexta-feira, cinco de junho, data em que será celebrado o Dia Mundial do Meio Ambiente, o festival terá às 10h uma live voltada Histórias da Mata Atlântica. O Poder da Floresta e o Futuro Climático do Brasil será o tema da live seguinte, marcada às 18h. Phd especialista em Desenvolvimento Sustentável, Manejo de Áreas Protegidas e Ecoturismo, Ismael Nobre irá conversar com Mario Mantovani – Ambientalista e Diretor SOS Mata Atlântica e Maúde Nancy, advogada defensora da causa ambiental.

O encerramento da Semana do Meio Ambiente On Live está marcado para começar a partir das 20h, com um show realizado diretamente da sala de estar de Raissa Fayet, em Curitiba.
“Essa é nossa contribuição para impulsionarmos as transformações coletivas necessárias ao tempo em que vivemos. Estes encontros realizados de forma online e ao vivo, resultaram numa simbiose que intitulamos On Live. Desejemos ao público uma experiência que sirva como respiro neste contexto de forte stress físico e emocional. O Meio Ambiente precisa da atenção de todos”, finaliza Marcelo Penayo.

As transmissões das lives serão reproduzidas por meio dos perfis nas redes Facebook, Instagram. Nestas platatarmos o público deve pesquisar pelo usuário @rivergamesfest. Já no YouTube o canal é River Games Festival TV.

Destaques, Economia, Geral, Notícias, Turismo,

Oportunidade: Complexo Dreams Park Show abre 37 vagas de trabalho

O Dreams Park Show, em Foz do Iguaçu, contratará 37 colaboradores para atuar no “Dreams Motor Show”, sétimo atrativo do complexo previsto para ser inaugurado no início do segundo semestre.

O espaço terá 2,3 mil metros e contará com um bar e um restaurante temático, um museu com pelo menos 30 motocicletas customizadas e três espaços para eventos. Ao todo, terá capacidade para atender cerca de mil pessoas.

“As obras já estão em fase de acabamento. Agora, precisamos contratar a equipe responsável pelo funcionamento do atrativo”, explicou a gerente Comercial, Paula Haito.

As vagas estão divididas em recepcionistas, garçom e garçonete, bartender, caixa, estoquista, steward (limpeza e organização dos utensílios), auxiliar de cozinhar, bem como líderes de cozinha e atendimento.

Seleção

Para participar do processo, os candidatos precisam enviar currículo via e-mail para rh.grupodreamsfoz@gmail.com, até dia 20 de junho. É imprescindível informar no assunto do e-mail e no texto qual o cargo pretendido. A seleção será dividida em duas etapas: análise de currículos e entrevistas.

Segundo o departamento de Recursos Humanos do Complexo, todos os entrevistados devem apresentar a documentação no dia da entrevista.
37 vagas
6 vagas para recepcionista
8 vagas para garçom e garçonete
5 vagas para bartender
5 vagas para caixa
1 vaga para estoque
2 vagas para steward
8 vagas para auxiliar de cozinha
1 vaga para líder de cozinha
1 vaga para líder de atendimento

Loja franca

O Complexo Dreams Park Show também prevê a instalação de uma Loja Franca ainda em 2020. O espaço terá 1,2 mil metros quadrados e trabalhará com produtos de pesca, bebidas, cosméticos, perfumaria, além de eletrônicos, brinquedos, roupas e calçados. A empresa está buscando parceiros para atuar no local.

“A nossa proposta é contribuir para que Foz do Iguaçu seja também um destino para compras. Queremos que o nosso turista fique pelo menos mais um dia na cidade, sem a necessidade atravessar a fronteira”, afirmou.

De acordo com Paula, o projeto surgiu durante a pandemia do novo coronavírus. “Nós e os turistas estamos impedidos de cruzar as fronteiras. E, com isso, impossibilitados de fazer compras”, disse.

Seis atrativos

Atualmente, o Complexo Dreams Park Show conta com seis atrativos: Dreamland (Museu de Cera), Maravilhas do Mundo, Vale dos Dinossauros, Dreams Ice Bar (Bar de Gelo), Super Carros e Dino Adventure.

SERVIÇO
Para mais informações, acesse nossa página no Facebook.
O Complexo Dreams Park Show está localizado na Avenida das Cataratas, 8100.
Abilene Rodrigues (45) 99123-5461.

Destaques, Economia, Estadual, Geral, Meio Ambiente, Notícias, Turismo,

Estadualização garante a participação do Paraná em R$ 100 milhões nas Cataratas do Iguaçu

A estadualização da área onde estão as Cataratas do Iguaçu, dentro do Parque Nacional do Iguaçu, vai garantir ao Governo do Paraná a participação nos lucros da exploração turística do atrativo, na fronteira do Brasil com a Argentina. O montante é de aproximadamente R$ 100 milhões ao ano. A medida está prevista na Lei 20.222 sancionada pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD). Ato celebra a Semana e o Dia Mundial do Meio Ambiente (5 de junho).

Desde 1999 a União, administra o Parque. Em 2012, no entanto, o governo paranaense comprovou por documentação e registro de escritura pública do Cartório de Registro de Imóveis ser proprietário de uma área de quase 11 milhões de metros quadrados onde estão as Cataratas do Iguaçu. Em 2013, o ex-governador Beto Richa (PSDB) sancionou a lei 17.626 cedendo gratuitamente esta área ao ICMBio.
No ano passado, o deputado Luiz Fernando Guerra (PSL) apresentou o projeto 743/2019, que foi aprovado pela Assembleia Legislativa. A proposta, agora transformada em lei, autoriza o Poder Executivo a efetuar a concessão onerosa para exploração do uso público para visitação e turismo dos atrativos do Parque Iguaçu, onde se encontram as Cataratas.

A mudança alterou a redação da lei sancionada por Richa, estipulando que a concessão de uso se torne onerosa, ou seja, com recursos financeiros à serem repassados ao caixa do Estado. Desta forma, a União irá pagar pela exploração ou terceirização dos atrativos turísticos.

Segundo o Instituto de Terras, Cartografia e Geologia (ITCG), órgão da estrutura da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (SEDEST) o faturamento expressivo dessa Unidade de Conservação supera em mais de R$ 100 milhões ao ano. Em 2019, mais de dois milhões de turistas de todas as regiões do mundo visitaram o atrativo, estabelecendo o recorde histórico anual. 

Contexto
A licitação da atual concessionária, que explora o Parque Nacional do Iguaçu, se encerrará no ano de 2020. A lei fará com que os recursos financeiros sejam aplicados integralmente no Paraná. Isso poderá retornar ao cidadão em investimentos públicos e, inclusive, na manutenção do próprio Parque.

A Unidade de Conservação é administrada atualmente pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIo), autarquia federal vinculada ao Ministério do Meio Ambiente e concedida à iniciativa privada para exploração turística.
A concessão com prazo de 20 anos termina no ano de 2020 e está sob a responsabilidade da empresa Cataratas do Iguaçu S.A. que remunera mensalmente o ICMBio com 6% do faturamento. Do montante, nenhum centavo é repassado aos cofres públicos estaduais. Isso ocorre devido a lei de 2013, que referendou e autorizou a concessão de direito real de uso pelo ICMBio à título gratuito.


Patrimônio
O Parque Nacional do Iguaçu, abriga o maior remanescente da floresta Atlântica da região sul do Brasil, e também as Cataratas do Iguaçu, consagrada uma das sete maravilhas da natureza. É o segundo mais visitado do Brasil, depois do da Tijuca (RJ), onde está o Cristo Redentor. 

Ronildo Pimentel
Por GDia

Brasil, Internacional, Justiça,

Brasileiro é assassinado em penitenciária de Ciudad del Este, no Paraguai

Um brasileiro preso na Penitenciária Regional de Ciudad del Este, no Paraguai, foi assassinado durante uma briga entre colegas de cela na madrugada de segunda-feira (1).

A vítima foi identificada como Maicol Godoy Sedenezi, informa a imprensa local.

Os agentes penitenciários foram avisados da confusão por volta das 2h, quando encontraram Sedenezi ferido com quatro facadas no peito e três no abdômen.

Maicol Godoy Sedenezi estava preso por tráfico de drogas no Paraguai.

Ele foi levado com urgência para a ala de traumas do Hospital de Ciudad del Este, onde foi atendido, mas não não resistiu aos ferimentos.

A faca improvisada e utilizada para cometer o crime foi encontrada e entregue à criminalística da Polícia Nacional. Ainda não se sabe o motivo da briga e o autor das facadas.

Maicol Godoy Sedenezi estava preso no Paraguai por tráfico de drogas.

Brasil, Destaques, Geral, Internacional, Itaipu, Turismo,

Itaipu se prepara para a retomada gradativa do turismo no feriadão de Corpus Christi

Visita Panorâmica será o primeiro atrativo da usina a retornar, a partir do dia 11 de junho

A equipe do Complexo Turístico Itaipu (CTI) está se preparando para receber os visitantes da usina de Itaipu assegurando todas as condições sanitárias adequadas no enfrentamento ao novo coronavírus (Covid-19). Os passeios voltarão a funcionar gradualmente, começando pela Visita Panorâmica, o mais procurado pelos turistas.

Para o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, a reabertura do turismo é uma resposta concreta ao setor que tanto se ressente nesta crise. “Foz é um destino turístico. O segmento precisa de união e seguir em frente de forma bastante cuidadosa. E é o que estamos fazendo”.

O diretor superintendente do Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR), que faz a gestão do turismo na usina, general Eduardo Garrido, diz que “todos os cuidados estão sendo adotados pra receber o turista da melhor forma: com a segurança sanitária e a qualidade da experiência que se espera de um passeio inesquecível como esse”.

Live, a retomada simbólica
No aniversário de Foz do Iguaçu, 10 de junho, o artista iguaçuense Gabriel Smaniotto fará o show que marca a retomada do turismo da cidade, em uma live solidária que terá como cenário o Mirante Central da usina de Itaipu. Já no dia seguinte, 11, a partir das 9h, a operação turística na hidrelétrica será iniciada, respeitando o protocolo estabelecido por decreto municipal.

A Visita Panorâmica será feita de hora em hora, até as 16h. Os ônibus que transportam os turistas terão a capacidade reduzida pela metade, a fim de garantir o distanciamento de dois metros entre cada pessoa. Caso haja o esgotamento dos ingressos, serão organizadas saídas extras.

O segundo passeio a ser retomado é o Refúgio Biológico, a partir do dia 17, nos horários das 9h30 e 17h30, com disponibilidade de 10 vagas por horário. O Ecomuseu volta no dia 24, das 10h às 17h, com a Ciência na Esfera suspensa temporariamente. Já o Itaipu Iluminada tem previsão de início no dia 01 de julho, às 19h30 nas sextas e sábados. O circuito interno na usina, Itaipu Especial, ainda não tem previsão de retorno.

Capacitação
A equipe do CTI passa, nesta semana, por uma capacitação para assegurar o cumprimento de todas as medidas sanitárias para a segurança dos visitantes. Está sendo instalada uma barreira sanitária onde todos os colaboradores e visitantes devem passar antes de entrar no Complexo Turístico, com aferição de temperatura, tapete sanitizante e álcool em gel. Os turistas deverão ainda preencher um formulário para que possa ser feito o rastreio em caso de necessidade.

As equipes do CTI foram escalonadas para evitar aglomerações e o uso de máscaras e protetores faciais será obrigatório. O vídeo de apresentação da Itaipu, feito no início dos passeios, também teve o local alterado para aumentar a segurança: passou do auditório para o Mirante Central, área aberta. Em todos os espaços, como recepção, sanitários e nos ônibus, os visitantes terão à disposição álcool em gel para higienização das mãos.

A revista dos visitantes também sofreu modificações para evitar o contato entre as pessoas: foi instalada máquina de raio-x e portais detectores de metais para a verificação dos pertences. Para a compra dos ingressos, além da possibilidade de agendamento online pelo site do Turismo Itaipu, também foram instalados novos totens de autoatendimento.

Cataratas do Iguaçu. Foto: Alexandre Marchetti/Itaipu Binacional.
Turismo na usina de Itaipu. Fotos: SkyTakes/Árvore Filmes.

Brasil, Destaques, Estadual, Geral, Internacional, Itaipu, Turismo,

Kattamaram II volta a operar no dia 10 de junho. Moradores lindeiros ao Lago Itaipu tem desconto de 30%

A embarcação mais charmosa da região também volta à cena no dia do aniversário de Foz do Iguaçu e oferece aos moradores de municípios lindeiros ao lago de Itaipu desconto de 30% nas tarifas de todos os passeios. Para ter direito ao desconto basta apresentar um comprovante de residência atual.

Nesta nova fase, além de manter o carinho e a qualidade nos serviços oferecidos, atento às responsabilidades sociais e sanitárias, o Kattamaram II adota protocolos e condutas necessários à garantia da saúde e à segurança de todos: tripulação, colaboradores e passageiros.

Municípios lindeiros ao lago: Santa Helena, Itaipulândia, Diamante D’Oeste, Entre Rios do Oeste, Guaíra, Marechal Cândido Rondon, Medianeira, Mercedes, Missal, Pato Bragado, São José das Palmeiras, São Miguel do Iguaçu, Santa Terezinha de Itaipu e Terra Roxa. No Mato Grosso do Sul, Mundo Novo.

Desconto de 50% nas tarifas continua em vigor para moradores de Foz do Iguaçu.

Fotos: Marcos Labanca

Fonte: Assessoria

Destaques, Estadual, Itaipu, Meio Ambiente,

Operação concluída com sucesso: Itaipu recupera quase três metros do nível do Rio Paraná

Usina conclui meta de defluência diária com aumento de produção e economia de matéria-prima.

A usina hidrelétrica de Itaipu concluiu, na última sexta-feira (29), uma operação especial de defluência para aumentar o nível do Rio Paraná, a jusante da barragem. A operação, que teve o envolvimento de Eletrobras e ONS, no Brasil; e Ande, no Paraguai, elevou em quase três metros o nível do rio, permitindo a movimentação total de 170 barcaças paraguaias carregadas de soja, que estavam retidas devido à estiagem do Rio Paraná, e agora seguem para os portos argentinos e uruguaios.

Para atender à meta diária de defluência média de 8.500 m³/s de água, no período entre 18 e 29 de maio, além de aumentar a produção, foi necessário abrir o vertedouro da Itaipu em nove ocasiões. O vertimento, no entanto, ficou 19% abaixo do que havia sido previsto, economizando a matéria-prima da usina. Para se ter uma ideia, esta quantidade de água que não foi vertida ficará armazenada no reservatório e, quando for utilizada, poderá gerar energia suficiente para abastecer uma cidade do porte de Curitiba por três dias.

O vertimento menor teve dois motivos. Um deles foi o aumento da produção de energia, que subiu do patamar de 170 mil MWh diários na semana anterior à operação especial para 210 mil MWh no período da operação. No acumulado desses 12 dias, Itaipu produziu 2.484.407 MWh, sendo 82% destinado ao Brasil e 18% ao Paraguai. O outro motivo para menor vertimento foram as chuvas, especialmente entre os dias 22 e 24 de maio, na bacia do Rio Iguaçu, que contribuíram para elevar o nível do Rio Paraná e diminuir a necessidade de defluência por parte da usina.

“A operação especial terminou com saldo positivo baseado, principalmente, no controle e na avaliação diária realizados pelas equipes da operação de Itaipu, o que permitiu a otimização do volume vertido, da defluência e da produção de energia”, avaliou o superintendente de Operação, José Benedito da Mota Júnior. “A Itaipu cumpriu o que foi solicitado e ainda conseguiu economizar água, nossa matéria-prima”.

De acordo com José Benedito, a taxa de deplecionamento do reservatório também ficou 37% abaixo do que havia sido previsto nos estudos , levando o nível do reservatório a ficar, ao final da operação especial, 80 cm acima do que tinha sido inicialmente calculado. O motivo: a chegadas das chuvas tanto no reservatório quanto nos rios afluentes, que contribuem para a formação da vazão incremental, à montante da barragem.

Fotos: Rubens Fraulini / Itaipu Binacional

Brasil, Destaques, Economia, Estadual, Itaipu, Notícias, Política,

Com alta do Dólar, aumentou quase 7% repasses de Royalties da Itaipu para Foz do Iguaçu

A escalada do Dólar nos últimos dois meses, impulsionada pela pandemia do novo Coronavírus, fez aumentar em quase 7% os repasses de Royalties da Itaipu para a Prefeitura de Foz do Iguaçu.  

A afirmação tem como base os dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), no comparativo de janeiro a maio dos dois anos. Os recursos representam um reforço às Prefeituras, que viram as arrecadações municipais caírem perto de 60%.

De acordo com a Aneel, de janeiro a maio deste ano, a União repassou mais de R$ 45,3 milhões aos cofres do município, a título de royalties pela produção de energia elétrica na usina. No mesmo período do ano passado, o volume foi de pouco mais de R$ 37 milhões. Ao todo, 16 municípios localizados na orla do reservatório da Itaipu recebem o benefício – 15 no Paraná e um no Mato Grosso do Sul.

De acordo com o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro (PSD), o repasse dos royalties representa um alívio, principalmente com relação aos investimentos em obras. Os recursos devem ser investidos exclusivamente em ações e obras de infraestrutura. 

Como a queda de impostos municipais foi perto de 60%, segundo registrou na última semana o GDia, esta rubrica estava praticamente sem saldo devido a situação de emergência declarada pelo Prefeitura em função da pandemia do Coronavírus.

Panorama

A alta do dólar, especialmente nos últimos dois meses, ajudou ainda a amenizar a queda que haveria no repasse dos royalties. Com o aumento do percentual de 45% para 65% no último ano, os municípios já planejavam o que fazer com o dinheiro a mais que viria no início deste ano, até chegar a pandemia. 

O montante este ano até foi maior, “graças” a explosão do dólar, que passou de R$ 3,96 em maio de 2019 para R$ 5,83 na última referência usada para o repasse. É que a Itaipu paga em dólar para a Aneel, que repassa aos municípios em real, destaca reportagem de O Paraná.

Depois de ter uma parcela retida nos primeiros meses, a queda na produção de energia elétrica quase afetou o caixa. De janeiro a maio de 2019 os lindeiros receberam R$ 189,955 milhões. Neste ano, subiu para R$ 225,281 milhões, 18% a mais. 

A diferença é ótima mas, para se ter uma ideia, se o dólar tivesse se mantido, a queda seria de 20%. Essa queda, segundo a Itaipu, está ligada à redução na produção de energia, decorrente da queda da demanda causada pela pandemia do novo coronavírus.

Reforço orçamentário

O diretor de Gestão Orçamentária de Foz do Iguaçu, Darlei Finkler, ressalta que o aumento do dólar é um alívio para o orçamento nesse momento. “Faz com que a arrecadação dos royalties seja maior e traz, de certa forma, um pouco de conforto neste momento de queda de outras receitas”.

Foz do Iguaçu, que estima queda signicativa de R$ 20 milhões na arrecadação de maio, comemora repasses mensal. “O valor já estava dentro da programação, e, com a queda na arrecadação, é muito bem-vindo”, completou Finkler.

A vice-presidente do Conselho dos Municípios Lindeiros e prefeita de Mercedes, Cleci Loffi, também comemorou a regularização das cotas: “É um momento muito delicado para todas as prefeituras. A queda na arrecadação está mexendo com os municípios”, ressaltou ela.

Ronildo Pimentel
Por: GDia

Geral,

Escolas particulares sinalizam retorno às aulas neste mês

Escolas particulares podem retomar as atividades em junho. O sindicato que representa estas instituições fez o pedido à Secretaria de Saúde que inclui sugestões para o protocolo de medidas de proteção contra a Covid-19.

O Sindicato das Escolas Particulares (Sinepe/PR) fez sugestões à Secretaria Estadual de Saúde e em 17 Secretarias Municipais para a elaboração de um protocolo que permita o retorno às aulas. Segundo a presidente do Sinepe, Esther Cristina Pereira, o pedido inclui uma série de medidas para garantir a proteção de estudantes, professores e funcionários, e tem como foco o retorno gradual, começando por alunos que tenham pais trabalhando em áreas consideradas essenciais, como explica a presidente.

A presidente do Sinepe considerou ainda que, além de dar suporte às famílias em que os pais estão trabalhando, o retorno deve ajudar a diminuir o impacto psicológico que o isolamento causa nos alunos.

A solicitação prevê o retorno das atividades em cursos livres a partir de 08 de junho. A data de referência para a Educação Infantil é o dia 22 de junho e, para os anos iniciais do Ensino Fundamental, dia 29 de junho.

O pedido foi protocolado nas cidades de Curitiba, Candói, Carambeí, Cascavel, Foz do Iguaçu, Guarapuava, Guaratuba, Marechal Cândido Rondon, Pato Branco, Palmeira, Palotina, Pinhais, Pinhão, Piraquara, Ponta Grossa, Toledo e São José dos Pinhais.

Os Planos de Retomada das Aulas podem ser acessados na página sinepe.org.br

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, o pedido está sendo analisado pelo Centro de Operações de Emergência e ainda não há data para um posicionamento oficial.

O Sinepe também disponibilizou um questionário para saber como os pais avaliam o ensino remoto nestes dois meses e o que eles pensam sobre o retorno às atividades. A pesquisa está prevista para ser concluída no dia 12 de junho e vai traçar um panorama sobre como está a relação entre pais, escola e pandemia, como conta a presidente do sindicato.

Por: Rádio Cultura