Author

Busão Foz, Coronavírus, Destaques, Foz do Iguaçu, Saúde,

Foz do Iguaçu espera vacinar todos com mais 60 anos ainda em abril

A secretária de saúde, Rosa Jeronymo, disse nesta quarta-feira, 21, que a expectativa é vacinar contra a covid-19 todas as pessoas com 60 anos ou mais ainda neste mês de abril, mas para isso precisa receber mais doses que devem enviadas pelo Ministério da Saúde. Na última semana, segundo Rosa Jeronýmo, foram aplicadas 11 mil segundas doses.

Na próxima etapa, cumprida a vacinação dos idosos, serão vacinados outros grupos prioritários. “As estratégias da campanha de vacinação e o estabelecimento de grupos populacionais prioritários a serem vacinados são de definição do Ministério da Saúde. Segundo o que consta no Plano Estadual de vacinação, os próximos grupos serão as pessoas com comorbidades, trabalhadores da educação e continuar vacinando as equipes de segurança”, disse a secretária.

Sobre a compra de vacinas articulada pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP), Rosa Jeronymo reafirmou a adesão de Foz do Iguaçu ao consórcio da FNP e a previsão é da compra de 30 milhões de doses, “Foz aderiu ao consórcio da Frente Nacional de Prefeitos, o projeto de lei foi aprovado pela Câmara de Vereadores. Mais de 2.000 municípios aderiram e agora o consórcio está negociando com a Rússia, a compra de 30 milhões de doses”, disse.

Mais doses – “Está nas tratativas porque essa vacina precisa da liberação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), mas o Ministério da Saúde está acompanhando e dando apoio para que haja a liberação da Anvisa e na ajuda da importação e na logística de distribuição para os estados, após isso os Estados farão as entregas aos municípios”, completou.

Rosa adianta que com as doses do consórcio, metade dos 250 mil moradores de Foz do Iguaçu será imunizada até o mês de agosto. “Se conseguirmos fazer essa compra (do consórcio da FNP), eu acredito que até agosto a gente consiga vacinar metade da nossa população”.

As informações são de GDia

Destaques, Gilmar Cardoso, Paraná, Política,

‘Distritão Eleitoral’ pode ser novidade das próximas eleições, diz advogado

O presidente da Câmara já se mostrou favorável às medidas que propõe o fim da reeleição, aumento dos mandatos e eleições majoritárias (distritão)

A Câmara dos Deputados criou, esta semana, uma Comissão Especial para tratar da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Reforma Eleitoral 125-A, de 2011. A intenção, de acordo com o colunista e colaborador do Cabeza News, o advogado Gilmar Cardoso, é acelerar a tramitação e viabilizar a implementação de mudanças, já para as eleições de 2022.

A proposta inclui a discussão sobre o voto majoritário para os deputados, o chamado – Distritão Eleitoral -, explica Gilmar Cardoso. Também entra no debate para aprovação de eventuais mudanças o fim da reeleição para presidente da República, e o aumento do mandato para os cargos políticos de quatro para cinco anos. Se aprovada e promulgada até outubro a reforma já passa a vigorar para 2022.

“Os deputados querem usar PEC já aprovada na CCJ para avançar tramitação. Grupo tenta incluir adoção do ‘distritão’, o que pode diminuir representatividade dos partidos”, afirma o advogado. Para ser aprovada na Câmara a PEC precisa obter 308 votos e no Senado 49, ambas as votações em dois turnos.

– Advogado Gilmar Cardoso (Foto: Arquivo Pessoal)

O advogado esclarece que com o Distritão cada Estado, por exemplo, vira um distrito e as cadeiras que cada estado tem na Câmara Federal passariam a ser preenchidas pelos candidatos mais votados. No caso do Paraná, os 30 candidatos de todos os partidos, mais votados em geral seriam eleitos.

Com isso a proporcionalidade de cada partido passaria a ser desconsiderada. Atualmente pelo sistema proporcional, a definição recai de acordo com a votação total dos candidatos e dos partidos (legenda), onde os votos excedentes dos mais votados ajudam a eleger os com menos votos, descreve Gilmar Cardoso.

O advogado disse que as manifestações contrárias à iniciativa alegam que o Distritão poderia favorecer e privilegiar os candidatos que tem mais dinheiro e que prejudicaria os partidos menores, acabando com a identidade partidária e deixando a eleição personalista. No Senado o clima é de indiferença, pois esse sistema já é adotado para a escolha dos senadores por cada Estado.

Segundo Gilmar Cardoso, efetivamente com a adoção desse novo sistema no processo eleitoral onde assumem os mais votados, independente do desempenho do partido nas eleições, a modalidade irá enfraquecer os partidos políticos, avaliou. Por outro lado, o Distritão também interessa às pequenas legendas que hoje tem dificuldades para formar chapas e que disputam preferencialmente vagas no legislativo, com estruturas menores e menos dinheiro para financiar campanhas.

Atualmente cada sigla pode lançar candidatos em número equivalente a 150% das vagas de cada estado ou município; os partidos podem até lançar menos candidatos, mas se assim o fizerem ficam em desvantagem porque as legendas com mais candidatos, consequentemente, tem mais gente fazendo campanhas e pelo sistema eleitoral vigente mesmo quem tem poucos votos ainda ajuda o partido a conquistar cadeiras.

Coligações

Também é ventilada a volta das coligações, vedadas para eleições proporcionais pela mesma regra, de 2017, que estabeleceu a cláusula de desempenho. As coligações facilitavam partidos menores elegerem representantes porque todos os partidos da aliança somavam votos para a divisão das cadeiras em disputa.

As eleições municipais de 2020 foram as primeiras sem essa possibilidade e os partidos nanicos elegeram só 1,1% dos vereadores, ante 2,4% na eleição anterior. Efeito semelhante é esperado nas eleições para deputados estaduais e federais reforma numa casa e no meio da obra já está mudando, afirmou.

A comissão especial deverá analisar o modelo do distritão e outros temas que envolvem a alteração da Constituição. O presidente da Câmara delegou a negociação sobre a reforma eleitoral à deputada Renata Abreu (PODE-SP), que deverá ser a relatora da comissão especial. Para isso, a parlamentar precisará ter uma proposta aprovada por Câmara e Senado até outubro, data limite exigida pela Constituição. A ideia é conseguir alterar as normas já para o próximo pleito.

Segundo Gilmar Cardoso, a escolhida de Lira disse que a comissão tratará de “qualquer mudança constitucional”, inclusive o voto impresso, uma das principais bandeiras do presidente Jair Bolsonaro. Outra reivindicação prioritária dos parlamentares é debater o distritão e outros assuntos que devem ser discutidos pelo colegiado são a cláusula de barreiras, que limita o uso do fundo partidário para enxugar o número de legendas, pesquisas eleitorais e o financiamento de campanhas, concluiu o advogado.

Economia, Paraná,

Senar-PR abre inscrições para 38 cursos gratuitos de capacitação

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-PR) abriu inscrições para 38 cursos gratuitos de capacitação. Conforme o serviço, as aulas serão ofertadas em formato remoto entre 3 e 31 de março.

São oferecidas vagas limitadas em diferentes áreas de aprendizado, como cursos na área de gestão rural, informática, matemática e português. Veja todos os cursos abaixo.

De acordo com a entidade, os alunos podem assistir às aulas em diferentes formatos, como videoaulas ou textos interativos, e em qualquer horário e local. Para participar, é necessário ter um computador com acesso à internet.

Cursos
Veja abaixo os cursos oferecidos:

Agrinho – A integração do filme em ambientes digitais de aprendizagem
Agrinho – aprendizagem colaborativa e mapas conceituais
Agrinho – atuação dos educadores facilitando a autoria colaborativa de jogos pelos alunos
Agrinho – Complexidade, transdisciplinaridade e produção do conhecimento
Agrinho – escola digital e o educador 3.0
Agrinho – escola e tecnologias digitais na infância
Agrinho – Escola, educação e ética: Contributo para uma reflexão pedagógica
Agrinho – estilos de aprendizagem e as tecnologias
Agrinho – Geração móvel 2.0 – O “poder” do digital na criação de cenários sustentáveis de inovação pedagógica
Agrinho – Habilidades de RRI, metodologia de projetos de design e escolarização aberta
Agrinho – inovação na educação básica e tecnologias educacionais: aplicando os 4 Rs do REA
Agrinho – Instruir, mediar ou comunicar: contributo para uma reflexão sobre o ato de ensinar
Agrinho – interatividade e metodologia de projetos
Agrinho – mapas do conhecimento
Agrinho – novas linguagens, novos desafios: a internet no contexto escolar
Agrinho – portfólio como ferramenta metodológica e avaliativa
Agrinho – tecnologias digitais, linguagens e currículo
Gestão da propriedade rural – competência para o sucesso no trabalho
Gestão da propriedade rural – integração no trabalho
Gestão da propriedade rural – mercado de trabalho para jovens
Gestão da propriedade rural – princípios de qualidade e administração no trabalho
Inclusão digital – Excel intermediário
Inclusão digital – informática básica: o computador e os dispositivos de hardware e software
Inclusão digital – informática básica: Windows
Inclusão digital – primeiros passos na internet
Inclusão digital – primeiros passos no Excel
Inclusão digital – primeiros passos no Word
Inclusão digital – Word intermediário
Matemática para a vida – estatística
Matemática para a vida – geometria analítica e fórmulas
Matemática para a vida – matemática financeira
Matemática para a vida – medidas de áreas e volumes
Matemática para a vida – porcentagem
Matemática para a vida – regra de três
Português sem complicação – clareza de expressão
Português sem complicação – memorandos, relatórios, planilhas e gráficos
Português sem complicação – parágrafo, pontuação, concordância verbal e nominal
Programa Agrinho – Todos contra a dengue

As informações são de G1 Globo

Destaques, Meio Ambiente, Paraná,

Ibama exonera chefe que fiscalizou 100% da madeira que passou no Porto de Paranaguá

O Ibama do Paraná exonerou Antonio Fabricio Vieira da chefia da unidade técnica do órgão no Porto de Paranaguá, que fiscalizou 100% das cargas a serem exportadas pelo porto, em um total de 35.822 m3 de madeira nativa, comum valor de R$301,2 milhões.

A informação é da jornalista Ana Carolina Amaral, publicada nesta terça-feira(20), no blog Ambiência, do jornal Folha de S. Paulo. “A operação, segundo o blog apurou, deve gerar 30 autos de infração, por falta de documentação válida para todo o período de transporte da carga. A exportação de madeira nativa exige o Documento de Origem Florestal”.

“O blog teve acesso ao formulário da exoneração – que ainda não foi publicada no Diário Oficial. Ela foi assinada no último dia 19 pelo superintendente do Ibama no Paraná, Luiz Antonio Corrêa Lucchesi.

“O documento justifica a decisão como ‘necessidade de readequação da estrutura’. Fontes ligadas ao governo atribuem a ação a um pedido direto do ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente), que teria telefonado ao superintendente do estado. O ministro nega relação com a providência. ‘Nunca falei com o SUPES-PR sobre nenhum assunto’, respondeu Salles ao blog.”

“De acordo com ordens de fiscalização acessadas pelo blog, a unidade do Ibama no Porto de Paranaguá é parte de duas operações estratégicas do órgão: a fiscalização da madeira exportada e também o combate à pesca ilegal, por conta do período do defeso do camarão.”

“Ainda no relatório concluído em fevereiro, o então chefe da unidade informava contar com somente três servidores em atividade. Ele pediu a admissão de mais cinco analistas para lidar com a demanda do porto e a reestruturação do prédio da unidade.”

“’Informamos que a sede e único prédio da administração da Unidade Técnica (em melhores condições de habitabilidade) encontra-se interditada pela Defesa Civil de Paranaguá, devido à má conservação da mesma e risco aos transeuntes, carecendo de reforma imediata’, diz o relatório.”

As informações são de Correio do Litoral

Coronavírus, Destaques, Geral, Política,

Congresso do Paraguai aprova lei que destina recursos socioambientais à saúde durante pandemia

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (21) projeto de lei que destina os recursos de “Responsabilidade Social Empresarial Socioambiental”, e qualquer outro fundo social, para sua plena utilização na área da Saúde para o duração da pandemia covid-19.

Adianta a Agência IP que a proposta já passou pela Câmara dos Senadores. Com a aprovação pelos deputados, a matéria segue agora para o Poder Executivo para sua homologação ou rejeição.

A utilização total dos recursos socioambientais das binacionais Itaipu e Yacyretá gira em torno de US$ 150 milhões, segundo cálculos parciais dos parlamentares.

Projeto semelhante foi rejeitado na Câmara dos Deputados em 13 de abril e novo documento com o mesmo objetivo foi apresentado ao Senado dois dias depois.

Um grupo de deputados propôs uma modificação na qual o Poder Executivo pode autorizar empresas binacionais a usar esses recursos para a Saúde.

Já o projeto original afirma que esses fundos devem ser usados ​​em sua totalidade durante a declaração de emergência para a pandemia covid-19.

A votação final foi de 40 votos no projeto original, 39 na modificação e 1 abstenção dos 80 deputados que participaram da sessão desta quarta-feira.

Os recursos socioambientais devem ser utilizados para a compra de insumos, elementos de biossegurança e infraestrutura hospitalar.

Da mesma forma, o texto da Lei estabelece que o Poder Executivo deve notificar os diretores gerais e o conselho de administração de ambas as hidrelétricas, do lado paraguaio, a adequar seus regulamentos internos quanto à administração desses recursos.

Brasil, Destaques,

Dia do Descobrimento do Brasil

Hoje comemoramos o Dia do Descobrimento do Brasil, em 22 de abril de 1500. Nesta data as caravelas da esquadra portuguesa, comandada por Pedro Álvares Cabral, chegaram ao litoral sul do atual estado da Bahia, próximo a um morro batizado de Monte Pascoal.

No dia 24 de abril, dois dias após a chegada, ocorreu o primeiro contato dos indígenas brasileiros com os portugueses. De acordo com a Carta de Pero Vaz de Caminha, foi um encontro pacífico e de estranhamento, em função da grande diferença cultural entre os povos.

Destaques, Paraná, Política,

Guto Silva e Bakri discutem hoje a retomada da economia com prefeito e empresários de Foz do Iguaçu

O secretário chefe da Casa Civil, Guto Silva e o líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Hussein Bakri, estarão nesta quinta-feira (22) em Foz do Iguaçu para discutir, com o prefeito Chico Brasileiro e empresários, projetos e ações para a retomada da economia afetada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19). A tarde ambos se reúnem com prefeitos da região Oeste em São Miguel do Iguaçu.

A agenda de Guto Silva e Bakri começa às 10h, com uma reunião na Prefeitura de Foz do Iguaçu. Em seguida, às 11h, os dois são esperados para uma específica sobre a retomada econômica na Associação Comercial e Empresarial (Acifi). Às 13h se reúnem, em São Miguel do Iguaçu, com prefeitos do Oeste. Eles encerram o roteiro às 16h30, com uma visita às obras da Ponte da Integração Brasil-Paraguai.

Na reunião com o prefeito Chico Brasileiro, Guto e Bakri vão discutir a queda na arrecadação do poder público do Paraná, em função da pandemia. Na última segunda-feira (19), o secretário chefe da Casa Civil entregou, na Assembleia Legislativa, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2022.

A peça, que projeta a arrecadação do Governo do Estado no período, prevê um déficit de aproximadamente R$ 4 bilhões. De acordo com o Guto Silva, a LDO teve que ser ajustada por mais um ano em razão dos efeitos do coronavírus e do déficit causado pela queda de arrecadação do ICMS, a principal fonte de receita do Estado.

“Uma queda de R$ 2,7 bilhões. Se somarmos com o ano passado, R$ 3,7 bilhões, o Estado tem um déficit de arrecadação de mais de R$ 6 bilhões”, disse. Segundo o chefe da Casa Civil, graças a recursos captados em instituições financeiras será possível o Estado ampliar a capacidade de investimentos, de R$ 2,6 bilhões para R$ 4,5 bilhões.

As informações são de GDia

Coronavírus, Destaques, Paraná, Saúde,

Governo do Paraná ativa leitos de UTI em 12 municípios que nunca tiveram esse serviço na saúde pública

O Governo do Estado ativou, desde o início da pandemia, 124 leitos de UTI em municípios que nunca tiveram este tipo de apoio para internação. São municípios com população de 10 mil a 47 mil habitantes espalhados por todas as regiões do Paraná.

A estratégia contempla especialmente a política de gestão da regionalização da saúde, conforme diretrizes do Governo do Estado. O objetivo é que as pessoas possam contar com suporte médico/hospitalar mais perto das suas casas, especialmente no período da pandemia da Covid-19.

“É um esforço contínuo desde março de 2020 para levar assistência especializada, com equipamentos e profissionais, para as regiões do Estado, beneficiando todos os municípios, independente do porte, mas sempre de acordo com a necessidade de logística e com foco na regionalização dos serviços de saúde”, afirmou o secretário da Saúde do, Beto Preto.

Doze municípios tiveram estruturas abertas neste pouco mais de um ano da pandemia. O investimento destes leitos de UTI é feito com recursos do Governo do Estado e também do governo federal. O custeio mensal é de aproximadamente R$ 6 milhões.

“Neste período, e enquanto perdurar a pandemia, 12 municípios que nunca tiveram UTI receberam este benefício e estão podendo tratar os casos graves de Covid-19 sem precisar de deslocamento para cidades maiores. Sabemos da urgência que a infecção do coronavírus pode causar e por isso a implantação destes leitos exclusivos para o tratamento da doença”, disse o secretário.

Descentralização – Na macrorregião Leste, pela primeira vez foram ativados leitos UTI nos municípios de Laranjeiras do Sul (10 leitos no Instituto São José) e no município da Lapa, com seis leitos de Unidade de Terapia Intensiva no Hospital São Sebastião, autorizados na semana passada pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior.

Na macro Oeste, Assis Chateaubriand conta com 28 leitos de UTI no Hospital Moacir Miqueletto; Palotina, com 10 no Hospital Abrão Delazzari; Chopinzinho, com 10 no Instituto São Rafael; Nova Aurora, com 6 no Hospital Dr. Aurélio; Cerro Azul, com 3 no Hospital Bom Samaritano; e Missal, com 3 no Hospital e Maternidade Nossa Senhora de Fátima.

Já no Noroeste, os leitos de UTI inéditos foram implantados nos municípios de Colorado, com 20 no Hospital Santa Clara; Goioerê, com 10 na Santa Casa, e em Astorga, com 3 no Hospital Cristo Rei.

Outros 15 leitos de UTI também foram abertos pela primeira vez no Hospital Regional do Norte Pioneiro, em Santo Antônio da Platina.

“A decisão de implantação e ativação dos leitos de UTI Covid pela Sesa leva em conta as necessidades regionais, considerando o cenário diário da pandemia”, explicou o diretor de Gestão em Saúde da Sesa, Vinícius Filipak.

As estruturas montadas têm equipamentos que foram cedidos pelo Estado, dentre respiradores e monitores, além de doações que chegaram ao Paraná e foram entregues às instituições, ou ainda que foram adquiridos pelo próprio prestador de serviços.

Balanço – Nesta quarta-feira (21) o Paraná conta com 1.834 leitos de UTI e 2.769 leitos de enfermaria para adultos. A rede exclusiva também tem 22 UTIs e 34 enfermarias pediátricas. São 63 municípios integrados nessa estratégia de atendimento. Mais de 70 mil atendimentos já foram realizados.

As informações são de Agência de Notícias do Paraná

Destaques, Geral, Paraná,

​Corpo de Bombeiros do Paraná recebe simulador para treinamentos virtuais

O Corpo de Bombeiros do Paraná é o primeiro da América Latina a contar com o Simulador FLAIM, de origem australiana, equipamento que permite intercalar treinamentos de campo com simulações virtuais durante a formação e aprimoramento da tropa. Entre outras vantagens, o aparelho possibilita reproduzir ações em diversos ambientes simulados, com a troca instantânea de cenários e o exercício de diferentes situações possíveis de serem encontradas na realidade operacional.

O material foi entregue ao Corpo de Bombeiros nesta terça-feira (20) pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior em ato simbólico no Palácio Iguaçu. O investimento do Governo do Estado é de R$ 707 mil.

“Os bombeiros do Paraná historicamente estão à frente do seu tempo. Uma instituição moderna, inovadora, que vai poder aprimorar os treinamentos com o uso de um simulador de realidade virtual. Isso significa uma formação mais aprimorada e um serviço ainda melhor que será entregue à sociedade”, disse Ratinho Junior.

O governador lembrou que a ação dos bombeiros paranaenses nos últimos dois anos extrapolou os limites do Paraná, incluindo operações em outros estados, como o apoio nos resgates das vítimas da tragédia de Brumadinho, em Minas Gerais, e combate aos incêndios na Amazônia e no Pantanal. “É um dos melhores, se não for o melhor Corpo de Bombeiros do País”, destacou.

Com o uso do aparelho a experiência durante o treinamento é potencializada, explicou o coronel Gerson Gross, comandante-geral do Corpo de Bombeiros. Segundo ele, o mundo virtual replica exatamente os equipamentos utilizados pela corporação, como esguicho e mangueira, entre outros. “Até o calor do corpo vai mudando conforme o soldado chega mais próximo do fogo por causa de uma vestimenta que aquece”, disse.

O comandante destacou que o simulador complementa os materiais já à disposição do Laboratório de Combate a Incêndios da Escola Superior de Bombeiros, em Curitiba. A intenção, contudo, é promover caravanas pelo Interior do Estado com a introdução de treinamentos regionalizados, atingindo toda corporação de 3.200 profissionais.

“Podemos treinar em vários cenários sem ter o incêndio real. É algo muito importante para acompanhar o comportamento do bombeiro”, afirmou o coronel.

Chefe do Centro de Ensino e Instrução do Corpo de Bombeiros, o major Eduardo Slomp ressaltou que além da versatilidade tecnológica e da praticidade, o simulador possibilita realizar exercícios que dependeriam de altas demandas logísticas e financeiras de maneira instantânea e com considerável rotatividade de alunos. “É um equipamento inovador. Vai auxiliar e muito nossos bombeiros a aperfeiçoar a técnica de combate a incêndio”, comentou.

Presenças – Participaram da cerimônia o vice-governador Darci Piana; o secretário-chefe da Casa Civil, Guto Silva; o coronel Manoel Vasco de Figueiredo Junior, chefe do Estado-Maior do Corpo de Bombeiros Militar do Paraná; e o chefe do Estado-Maior da Polícia Militar do Paraná, coronel Vanderley Rothenburg.

Fotos: Jonathan Campos/AEN

As informações são de Agência de Notícias do Paraná

Paraná, Turismo,

Cursos para gestores de projetos em turismo estão com inscrições abertas

Estão abertas as inscrições para os cursos de Gestão de Projetos e Gestão para Resultados Municipais, promovidos pela Paraná Turismo em parceria com a Escola de Gestão do Paraná. Nessa parceria haverá turmas específicas, exclusivas para gestores, técnicos, gerentes e especialistas de áreas relacionadas ao turismo, com foco na implementação de projetos e melhoria de processos de prestação de serviços públicos.

Ao final dos cursos, na modalidade a distância, os concluintes devem ter em mãos as ferramentas fundamentais para fazer a diferença na área do turismo com os recursos disponíveis para vencer os desafios impostos pelo trabalho de gestão. O objetivo é o fortalecimento das regiões turísticas do Paraná.

De acordo com Alessandra de Paula Xavier, assessora técnica da Paraná Turismo, além desses dois cursos, outros também serão ofertados até o final do ano, com temas como Governança para Resultados, Parcerias Público-Privadas, Gestão de Contratos, Design Thinking e Liderança Estratégica, todos gratuitos.

Ela explicou quais serão os conteúdos de ambas as qualificações. “Sobre o curso de Gestão de Projetos, vai ser trabalhada a importância dessa gestão, a origem e priorização de projetos, o planejamento, execução, monitoramento e avaliação, enfim toda a vida útil desse projeto dentro de uma gestão municipal do turismo”, disse a assessora técnica.

Ela explicou ainda o foco do curso de Gestão para Resultados Municipais. “Busca-se mostrar os desafios da gestão municipal para o alcance de resultados efetivos, trabalhando-se com o alinhamento da estrutura da gestão, monitoramento e avaliação, e também com as fronteiras da gestão municipal para que o gestor tenha em mãos ferramentas para fazer a diferença no município como um todo”, frisou.

A diretora-técnica da Paraná Turismo, Isabella Tioqueta, ressaltou que a abertura dos cursos vem no sentido de fortalecer o trabalho dos gestores municipais de turismo.

“É visto que há uma necessidade de conhecimento, fortalecimento de ações e de um entendimento do que é o turismo, das suas potencialidades, da aplicação em projetos e ações que possam agregar no desenvolvimento econômico e na geração de emprego e renda através desse setor, que a gente percebe que tem um potencial muito grande em nosso estado”, destacou Isabella.

As inscrições para os dois primeiros cursos vão até o dia 30 de abril e o início das turmas está previsto para o dia 3 de maio. Para se inscrever acesse AQUI.

Os cursos estão listados no site da Escola de Gestão, juntamente com outros das demais secretarias do Estado, e especificados como turmas exclusivas.

As informações são de Agência de Notícias do Notícias