1 cabeza 2022 (150 px × 50 px) (1)

Cabeza News de quarta, 23

Fundo eleitoral
O TSE divulgou relatório sobre os recursos do Fundo Eleitoral repassados a 34 dos 35 partidos nas eleições do ano passado. De acordo com o levantamento, o MDB ficou com a maior fatia do bolo – de R$ 1,7 bilhão, o partido do ex-presidente Michel Temer recebeu R$ 230 milhões. O PT ficou com a segunda maior fatia – R$ 212,2 milhões, seguido do PSDB, com R$ 185,8 milhões. Acima da casa dos cem milhões estão o PP (R$ 131 milhões), PSB (R$ 118,7 milhões), PR (R$ 113,1 milhões) e PSD, com R$ 112 milhões.

Fora
Da lista de partidos regularizados no país, apenas o Novo não participou da partilha dos valores, por uma decisão interna da legenda.

Contexto
O Congresso Nacional aprovou em 2017 o Fundo Eleitoral. A do ano passado, foi a primeira eleição com o repasse do recurso.

2019 para frente
Ainda segundo o TSE, a partir deste ano, além de contar com segunda bancada da Câmara na próxima legislatura, o PSL terá ainda a maior fatia do Fundo Partidário. São cerca de R$ 110 milhões. O valor é 17 vezes mais do que o recebido pela legenda em 2017 – R$ 6,2 milhões.

Fundo zero
De todos os partidos regularizados, ficarão sem a verba do Fundo Partidário, por não terem atingido o número mínimo de cadeiras na CSâmara, Rede, Patriota, PHS, DC, PCdoB, PCB, PCO, PMB, PMN, PPL, PRP, PRTB, PSTU e PTC.

Auditoria
O governador Ratinho Junior determinou a contratação de uma auditoria externa, por meio de pregão eletrônico, para avaliar as folhas de pagamento dos servidores ativos do Poder Executivo e inativos da Paranaprevidência, de todos os Poderes. O anúncio foi feito ontem (22), no Palácio Iguaçu, pouco antes da reunião de trabalho com o secretariado.

Imprensa …
Ainda no ar, apesar dos planos do presidente Jair Bolsonaro de encerrar sua programação, a TV Brasil iniciou segunda (21), a transmissão da Contracapa. A série conta a história de uma redação de jornal empenhada em uma investigação explosiva que atinge um poderoso deputado com planos de ser governador do estado.

… e corrupção!
O seriado mostra a pressão de políticos contra a imprensa, a relação conturbada com o Ministério Público e, é claro, corrupção, muita corrupção. O palco da trama é Curitiba, a capital da Lava Jato, informa Guilherme Voitch, na Veja. Contracapa é uma produção da paranaense GP7 Cinema.

Em Davos
O discurso do presidente Jair Bolsonaro, abrindo o Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, ganhou diferentes versões na imprensa falada e escrita. Muitos veículos de comunicação abordaram a fragilidade das palavras do presidente, ou afirmaram que Bolsonaro não decepcionou.

Ronildo Pimentel
Editor