1 cabeza 2022 (150 px × 50 px) (1)

Capitania Fluvial do Rio Paraná recebe nova lancha de operação blindada

A Capitania Fluvial do Rio Paraná (CFRP) recebeu uma nova e moderna lancha de operação Fluvial (LOF), que será empregada nos patrulhamentos fluviais em Foz do Iguaçu e região e em apoio a outras forças de segurança da fronteira durante operações especiais.

A embarcação, batizada de São Félix do Araguaia, foi apresentada durante uma cerimônia, na tarde de quinta-feira (11), No Iate Clube Lago de Itaipu (ICLI). O evento contou com a presença de autoridades civis e militares da cidade.

De acordo com a Marinha, a LOF foi projetada especialmente para manobras em águas interiores (rios e lagos) e diferencia-se pela elevada agilidade neste tipo de ambiente. Com capacidade para transportar até 20 pessoas, a lancha possui proteção balística e é dotada de grande resistência estrutural, equilíbrio e estabilidade estática. Informou GDia

“A embarcação atuará em Inspeções Navais e Patrulhamento Naval no lago de Itaipu, região de fronteira com Paraguai, considerado ponto estratégico para a segurança nacional”, explicou a comunicação social da CFRP.

Fruto de diversas etapas de pesquisa e construída no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro (AMRJ), a LOF é um produto típico da Base Industrial de Defesa (BID), onde já é possível a fabricação em linha, em benefício do emprego ampliado em outros pontos do país, contribuindo para o desenvolvimento sucessivo da Marinha do Brasil e da Defesa Nacional.

A São Félix do Araguaia é a segunda lancha personalizada feita no país recebida nos últimos quatro anos pela CFRP. Em 2018 as equipes foram contempladas com a embarcação 888 raptor Poraquê, projetada para enfrentar o crime organizado nas regiões de fronteira suporta até mesmo tiros de fuzil.

Com radar, câmera termal, a Poraquê também é blindada e pode alcançar a velocidade de 70 quilômetros por hora. Esta embarcação foi feita para operar em áreas com pedras, abarrancar em margens com terra, e porta um fuzil 762. Além disso, o material usado suporta tiros de armas com grosso calibre, como fuzil. Sem correr risco de afundar. Tem a capacidade para quatro militares.

Todos os equipamentos modernos da Marinha contribuem em grandes ações como a Operação Ágata, realizada todos os anos em Foz e região, com o objetivo de apreender embarcações clandestinas, contrabando, descaminho, drogas, armas, munições e outros ilícitos. O investimento em tecnologia garante maior segurança aos militares e eficiência no combate a criminalidade de fronteira.

Recrutas

No início deste mês de agosto a Capitania Fluvial recebeu 79 marinheiros recrutas, de diferentes regiões, que passaram a compor a segunda turma de 2022. Os jovens, que passarão por um período de formação, com duração de 90 dias, são contemplados com um curso ministrado pelo Núcleo de Formação de Reservistas Navais da capitania.

No período, os jovens aprenderão sobre preceitos militares como hierarquia e disciplina, civismo, e tradições navais. Eles também poderão conhecer mais sobre os equipamentos empregados em diversas missões, incluindo as lanchas especializadas. A estratégia garante a formação de bons militares, prontos para servir o país.

Sobre a Capitania

Fundada há 81 anos, a Capitania Fluvial do Rio Paraná é responsável pela segurança marítima de 144 municípios. A CFRP possui ainda sob sua subordinação, a Delegacia Fluvial de Guaíra (DelGuaíra), que auxilia em operações e na fiscalização de mais de 54 mil embarcações.

A principal função da Capitania é garantir a tranquilidade da navegação nos rios Paraná e Iguaçu e Lago de Itaipu, além de fiscalizar o cumprimento das normas exigidas para evitar acidentes, tanto em pequenas embarcações de pesca como em navios de turismo e balsas. Ao todo, são cerca de cem militares atuando diariamente no cumprimento das normas de navegação. O atual comandante da unidade é o capitão de fragata Edésio de Assis Junior.