Browsing Category

Brasil

Brasil, Internacional, Justiça,

Brasileiro é assassinado em penitenciária de Ciudad del Este, no Paraguai

Um brasileiro preso na Penitenciária Regional de Ciudad del Este, no Paraguai, foi assassinado durante uma briga entre colegas de cela na madrugada de segunda-feira (1).

A vítima foi identificada como Maicol Godoy Sedenezi, informa a imprensa local.

Os agentes penitenciários foram avisados da confusão por volta das 2h, quando encontraram Sedenezi ferido com quatro facadas no peito e três no abdômen.

Maicol Godoy Sedenezi estava preso por tráfico de drogas no Paraguai.

Ele foi levado com urgência para a ala de traumas do Hospital de Ciudad del Este, onde foi atendido, mas não não resistiu aos ferimentos.

A faca improvisada e utilizada para cometer o crime foi encontrada e entregue à criminalística da Polícia Nacional. Ainda não se sabe o motivo da briga e o autor das facadas.

Maicol Godoy Sedenezi estava preso no Paraguai por tráfico de drogas.

Brasil, Destaques, Geral, Internacional, Itaipu, Turismo,

Itaipu se prepara para a retomada gradativa do turismo no feriadão de Corpus Christi

Visita Panorâmica será o primeiro atrativo da usina a retornar, a partir do dia 11 de junho

A equipe do Complexo Turístico Itaipu (CTI) está se preparando para receber os visitantes da usina de Itaipu assegurando todas as condições sanitárias adequadas no enfrentamento ao novo coronavírus (Covid-19). Os passeios voltarão a funcionar gradualmente, começando pela Visita Panorâmica, o mais procurado pelos turistas.

Para o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, a reabertura do turismo é uma resposta concreta ao setor que tanto se ressente nesta crise. “Foz é um destino turístico. O segmento precisa de união e seguir em frente de forma bastante cuidadosa. E é o que estamos fazendo”.

O diretor superintendente do Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR), que faz a gestão do turismo na usina, general Eduardo Garrido, diz que “todos os cuidados estão sendo adotados pra receber o turista da melhor forma: com a segurança sanitária e a qualidade da experiência que se espera de um passeio inesquecível como esse”.

Live, a retomada simbólica
No aniversário de Foz do Iguaçu, 10 de junho, o artista iguaçuense Gabriel Smaniotto fará o show que marca a retomada do turismo da cidade, em uma live solidária que terá como cenário o Mirante Central da usina de Itaipu. Já no dia seguinte, 11, a partir das 9h, a operação turística na hidrelétrica será iniciada, respeitando o protocolo estabelecido por decreto municipal.

A Visita Panorâmica será feita de hora em hora, até as 16h. Os ônibus que transportam os turistas terão a capacidade reduzida pela metade, a fim de garantir o distanciamento de dois metros entre cada pessoa. Caso haja o esgotamento dos ingressos, serão organizadas saídas extras.

O segundo passeio a ser retomado é o Refúgio Biológico, a partir do dia 17, nos horários das 9h30 e 17h30, com disponibilidade de 10 vagas por horário. O Ecomuseu volta no dia 24, das 10h às 17h, com a Ciência na Esfera suspensa temporariamente. Já o Itaipu Iluminada tem previsão de início no dia 01 de julho, às 19h30 nas sextas e sábados. O circuito interno na usina, Itaipu Especial, ainda não tem previsão de retorno.

Capacitação
A equipe do CTI passa, nesta semana, por uma capacitação para assegurar o cumprimento de todas as medidas sanitárias para a segurança dos visitantes. Está sendo instalada uma barreira sanitária onde todos os colaboradores e visitantes devem passar antes de entrar no Complexo Turístico, com aferição de temperatura, tapete sanitizante e álcool em gel. Os turistas deverão ainda preencher um formulário para que possa ser feito o rastreio em caso de necessidade.

As equipes do CTI foram escalonadas para evitar aglomerações e o uso de máscaras e protetores faciais será obrigatório. O vídeo de apresentação da Itaipu, feito no início dos passeios, também teve o local alterado para aumentar a segurança: passou do auditório para o Mirante Central, área aberta. Em todos os espaços, como recepção, sanitários e nos ônibus, os visitantes terão à disposição álcool em gel para higienização das mãos.

A revista dos visitantes também sofreu modificações para evitar o contato entre as pessoas: foi instalada máquina de raio-x e portais detectores de metais para a verificação dos pertences. Para a compra dos ingressos, além da possibilidade de agendamento online pelo site do Turismo Itaipu, também foram instalados novos totens de autoatendimento.

Cataratas do Iguaçu. Foto: Alexandre Marchetti/Itaipu Binacional.
Turismo na usina de Itaipu. Fotos: SkyTakes/Árvore Filmes.

Brasil, Destaques, Estadual, Geral, Internacional, Itaipu, Turismo,

Kattamaram II volta a operar no dia 10 de junho. Moradores lindeiros ao Lago Itaipu tem desconto de 30%

A embarcação mais charmosa da região também volta à cena no dia do aniversário de Foz do Iguaçu e oferece aos moradores de municípios lindeiros ao lago de Itaipu desconto de 30% nas tarifas de todos os passeios. Para ter direito ao desconto basta apresentar um comprovante de residência atual.

Nesta nova fase, além de manter o carinho e a qualidade nos serviços oferecidos, atento às responsabilidades sociais e sanitárias, o Kattamaram II adota protocolos e condutas necessários à garantia da saúde e à segurança de todos: tripulação, colaboradores e passageiros.

Municípios lindeiros ao lago: Santa Helena, Itaipulândia, Diamante D’Oeste, Entre Rios do Oeste, Guaíra, Marechal Cândido Rondon, Medianeira, Mercedes, Missal, Pato Bragado, São José das Palmeiras, São Miguel do Iguaçu, Santa Terezinha de Itaipu e Terra Roxa. No Mato Grosso do Sul, Mundo Novo.

Desconto de 50% nas tarifas continua em vigor para moradores de Foz do Iguaçu.

Fotos: Marcos Labanca

Fonte: Assessoria

Brasil, Destaques, Economia, Estadual, Itaipu, Notícias, Política,

Com alta do Dólar, aumentou quase 7% repasses de Royalties da Itaipu para Foz do Iguaçu

A escalada do Dólar nos últimos dois meses, impulsionada pela pandemia do novo Coronavírus, fez aumentar em quase 7% os repasses de Royalties da Itaipu para a Prefeitura de Foz do Iguaçu.  

A afirmação tem como base os dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), no comparativo de janeiro a maio dos dois anos. Os recursos representam um reforço às Prefeituras, que viram as arrecadações municipais caírem perto de 60%.

De acordo com a Aneel, de janeiro a maio deste ano, a União repassou mais de R$ 45,3 milhões aos cofres do município, a título de royalties pela produção de energia elétrica na usina. No mesmo período do ano passado, o volume foi de pouco mais de R$ 37 milhões. Ao todo, 16 municípios localizados na orla do reservatório da Itaipu recebem o benefício – 15 no Paraná e um no Mato Grosso do Sul.

De acordo com o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro (PSD), o repasse dos royalties representa um alívio, principalmente com relação aos investimentos em obras. Os recursos devem ser investidos exclusivamente em ações e obras de infraestrutura. 

Como a queda de impostos municipais foi perto de 60%, segundo registrou na última semana o GDia, esta rubrica estava praticamente sem saldo devido a situação de emergência declarada pelo Prefeitura em função da pandemia do Coronavírus.

Panorama

A alta do dólar, especialmente nos últimos dois meses, ajudou ainda a amenizar a queda que haveria no repasse dos royalties. Com o aumento do percentual de 45% para 65% no último ano, os municípios já planejavam o que fazer com o dinheiro a mais que viria no início deste ano, até chegar a pandemia. 

O montante este ano até foi maior, “graças” a explosão do dólar, que passou de R$ 3,96 em maio de 2019 para R$ 5,83 na última referência usada para o repasse. É que a Itaipu paga em dólar para a Aneel, que repassa aos municípios em real, destaca reportagem de O Paraná.

Depois de ter uma parcela retida nos primeiros meses, a queda na produção de energia elétrica quase afetou o caixa. De janeiro a maio de 2019 os lindeiros receberam R$ 189,955 milhões. Neste ano, subiu para R$ 225,281 milhões, 18% a mais. 

A diferença é ótima mas, para se ter uma ideia, se o dólar tivesse se mantido, a queda seria de 20%. Essa queda, segundo a Itaipu, está ligada à redução na produção de energia, decorrente da queda da demanda causada pela pandemia do novo coronavírus.

Reforço orçamentário

O diretor de Gestão Orçamentária de Foz do Iguaçu, Darlei Finkler, ressalta que o aumento do dólar é um alívio para o orçamento nesse momento. “Faz com que a arrecadação dos royalties seja maior e traz, de certa forma, um pouco de conforto neste momento de queda de outras receitas”.

Foz do Iguaçu, que estima queda signicativa de R$ 20 milhões na arrecadação de maio, comemora repasses mensal. “O valor já estava dentro da programação, e, com a queda na arrecadação, é muito bem-vindo”, completou Finkler.

A vice-presidente do Conselho dos Municípios Lindeiros e prefeita de Mercedes, Cleci Loffi, também comemorou a regularização das cotas: “É um momento muito delicado para todas as prefeituras. A queda na arrecadação está mexendo com os municípios”, ressaltou ela.

Ronildo Pimentel
Por: GDia

Brasil, Destaques, Educação, Geral, Meio Ambiente, Turismo,

Estamos na Semana Mundial do Meio Ambiente! Live vai destacar duas espécies da Mata Atlântica

Bora conhecer duas grandes espécies da Mata Atlântica? 💚 É amanhã, às 17 horas, diretamente de Foz do Iguaçu. ⏰

Tanto a onça-pintada como a harpia possuem papéis importantíssimos para o equilíbrio da floresta. Esses animais carregam a bandeira da conservação das demais espécies.

▶️ Instagram: https://www.instagram.com/p/CA52kZ2JbPI/
▶️ Facebook: https://bit.ly/3doOc4J
▶️ Twitter: https://bit.ly/36R98it

Brasil, Destaques, Economia, Estadual, Notícias,

Artigo: Contra o mercado ilegal

Renê Garcia Junior, na Gazeta do Povo

Apesar dos esforços das forças de segurança que atuam no local, as fronteiras do nosso estado sofrem com os criminosos que as atravessam diuturnamente, despejando no Paraná inúmeros produtos ilegais e drogas. No caso do cigarro, item mais contrabandeado, a operação montada pela ilegalidade é pensada nos mínimos detalhes. Não podia ser diferente, pois estamos falando de um “negócio” que movimenta R$ 12 bilhões.

Anualmente, 63,4 bilhões de cigarros do crime inundam o país. Segundo o Ibope, 57% do tabaco consumido no Brasil é contrabandeado, o que representa seis em cada dez cigarros vendidos. A maioria deles (94%) vem do Paraguai. Para mostrar em detalhes como esse esquema de contrabando (que envolve os dois países) funciona, o programa Fantástico, da Rede Globo, exibiu recentemente uma grande reportagem.

A trajetória dos cigarros que entram ilegalmente no país parte das poderosas indústrias paraguaias, que pagam um dos impostos mais baixos do mundo para comercializar seus produtos; passa nas mãos dos atravessadores, que se embrenham em estradas e rios para desovar sua carga; e chega às mãos do crime organizado, que financia a compra de armas e o tráfico de drogas. Aqui, o produto do crime cai nas graças do consumidor, por pagar menos que o legal. Há, portanto, uma concorrência desleal com as mercadorias lícitas, uma vez que estas mercadorias têm a incidência de 71% de imposto no Brasil.

O Paraná bateu recorde de movimentação de cigarro ilegal. Segundo o Ibope, o contrabando respondeu por 77% de todos os cigarros que circularam no estado em 2019. O mercado ilegal movimentou cerca de R$ 1,3 bilhão. O levantamento mostrou que das dez marcas mais vendidas no Paraná, sete são contrabandeadas e, juntas, respondem por 71% do mercado. A campeã de vendas é a ilegal Classic, que lidera com 28% de participação. Para se ter uma ideia, se todas as vendas ilegais fossem convertidas em legais, o estado arrecadaria em ICMS o total estimado de R$ 624 milhões, os quais poderiam ser revertidos em saúde, segurança e educação, por exemplo.

O impacto do contrabando de cigarros é profundo, pois com ele ocorre, na esfera tributária, a deterioração do comércio formal, principalmente o varejista. Hoje, o crime organizado atua em várias frentes na venda de produtos e de forma muito agressiva. Portanto, precisamos fazer a lição de casa. Identificar a geografia do crime e fazer a fiscalização conjunta ou compartilhada em todo o processo com os estados, a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal e o Ministério Público. O comércio ilegal extermina o comércio bom.

Renê Garcia Júnior é secretário da Fazenda do estado do Paraná.

Brasil, Cultura, Destaques, Geral, Meio Ambiente, Notícias, Turismo,

Resgate: Conheça um pouco da antiga usina do rio São João, dentro do Parque Nacional do Iguaçu. Veja fotos!

Dos arquivos do Google Imagens catalogados pelo jornalista Adelino de Souza e suas memórias narradas em um grupo de colegas da imprensa de Foz do Iguaçu e região.

“Essa foto (acima) é divina da região do Parque (Nacional do Iguaçu). Antiga usina no rio São João, um pouco antes da Polícia Florestal”.

“Tomei muitos banhos ali com (Juvêncio) Mazzarollo (em memória), Roberto Lange, Marcelo, Zé Beto Maciel. Lugar abandonado que precisa ser resgatado para visita à comunidade”.

“Os jornalistas novos nem sabem disso, mas ainda existe. Está no mesmo lugar, mas ninguém explora. Osso tinha de ser um lugar da comunidade iguaçuense, sem ingresso, entrada livre”.

Itaipu propõe ao ICMBio reativar a Usina São João

“Eu diria que ali serve até para cena de filme. Eu e os amigos saíamos do laguinho do outro lado da rua, atravessava e descia o rio até chegar as cachoeiras e a velha usina”.

“Lembro até hoje que para cortar caminho, descia pelo cano e chegava antes dos colegas para tomar banho de cachoeira. Minha adolescência rural permitia superioridade aos metropolitanos, meninos de prédio, seus urbanos”.

“Lembro de uma vez que subimos pelo rio a partir da usina. Uma aventura. Na época namorava a Silvana (Canal). Ela furou a canela em uma pedra. O Mazarollo estava na cachoeira e saltou lá de cima para ajudar quando viu o sangue se misturar com a água”.

“Velhos tempos, belos dias”

“Seremos omissos se não resgatarmos essa bela historia. E hoje teremos Itaipu e Unila como parceiros, sem gastar praticamente nada. Vejam que belo prédio. Tive o privilégio de ver neste ângulo e depois descer no Iguaçu”.

Abaixo registro da história da Usina São João de Foz do Iguaçu com belas imagens de William Brisida e produção de Raíso Boing

Brasil, Destaques, Economia, Internacional, Notícias, Saúde,

Longa espera. Fiscalização paraguaia trava fluxo de caminhões e sindicato de Foz do Iguaçu e região teme greve

A fiscalização imposta pela Marinha paraguaia aos caminhões que retornam ao Brasil com o objetivo de coibir crimes como tráfico de pessoas, drogas e armas tem feito caminhoneiros brasileiros ficarem até oito dias do outro lado da fronteira até serem liberados para retornar ao Brasil.

O pente-fino acontece logo após a aduana do lado paraguaio da Ponte da Amizade, destaca O Paraná.

O Sindifoz (Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas de Foz do Iguaçu e região) acompanha a situação e tenta, por meio de diálogo com o país vizinho, amenizar o problema.

“(…) o maior rigor é na hora em que eles saem do país vizinho e voltam para o Brasil. Isso causa um transtorno aos caminhoneiros que, em alguns casos, ficaram oito dias retidos”, explica o presidente Celso Antonio Gallegario.

O Sindifoz e outras entidades do setor tentam uma negociação com o Codena e o Ministério dos Transportes Paraguaio para mudar a situação, pois temem uma greve da categoria.

Leia mais no O Paraná

Brasil, Destaques, Economia, Geral, Notícias,

Receita Federal paga nesta sexta-feira as restituições do 1º lote do IRPF 2020. Veja se você está contemplado

Estão sendo depositados R$ 2 bilhões para 901.077 contribuintes

A Receita Federal paga nesta sexta-feira (29) as restituições do primeiro lote do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) 2020. Estão sendo depositados R$ 2 bilhões para 901.077 contribuintes. O primeiro lote contempla contribuintes com prioridade legal, sendo 133.171 idosos acima de 80 anos, 710.275 contribuintes entre 60 e 79 anos e 57.631 com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave.

Neste ano, o cronograma de restituições foi antecipado para maio e a quantidade de lotes reduzidos de sete para cinco. A antecipação é uma iniciativa da Receita Federal para mitigar os efeitos econômicos da pandemia de covid-19. O último lote tem pagamento previsto para 30 de setembro. No ano passado, as restituições começaram no dia 17 de junho e se estenderam até 16 de dezembro.

Outra mudança feita pela Receita Federal foi no dia em que a restituição é depositada na conta do contribuinte. Normalmente o crédito bancário ocorria no dia 15 de cada mês. Neste ano, o pagamento da restituição será realizado no último dia útil do mês.

Como consultar

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deverá acessar a página da Receita na internet. Na consulta à página da Receita, serviço e-CAC, é possível acessar o extrato da declaração e ver se há inconsistências de dados. Nesta hipótese, o contribuinte pode avaliar as inconsistências e fazer a autorregularização, mediante entrega de declaração retificadora.

A Receita disponibiliza também um aplicativo para tablets e smartphones que facilita a consulta às declarações do IRPF e situação cadastral no CPF. Com o aplicativo é possível consultar, diretamente nas bases de dados da Receita Federal, informações sobre liberação das restituições do Imposto de Renda e a situação cadastral.

A restituição fica disponível no banco durante um ano. Caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá contatar pessoalmente qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para a Central de Atendimento da Receita por meio do telefone 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.

Por: Agência Brasil

Brasil, Destaques, Geral, Notícias, Política,

Empresários do Paraná fazem outdoors em apoio a Moro e STF contra fake news

Presidente de associação de bares diz que a intenção é apoiar o combate a mensagens odiosas nas redes sociais

Empresários do Paraná estão distribuindo folders e usando outdoors em apoio ao ex-ministro Sergio Moro e ao STF, no combate às fake news. O presidente da Abrabar (Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas), Fabio Aguayo, diz que a intenção é apoiar o combate a mensagens odiosas nas redes sociais, inclusive contra estabelecimentos comerciais.

do Painel, da Folha de S.Paulo