Browsing Category

Coronavírus

Coronavírus, Geral, Saúde,

Com mais de 14 mil segundas doses neste sábado (24), vacinados chegam a 1.816.473 no Paraguai

As autoridades sanitárias do Paraguai dedicaram o sábado, (24) para reforçar a vacinação de segunda dose contra o covid-19, chegando a 14.026 vacinados – país tem agora 1.816.473 doses apicadas.

Em todas as vacinas do país, as segundas doses são aplicadas em quem recebeu a vacina AstraZeneca entre os dias 24 e 30 de abril. Como aqueles que receberam as vacinas Moderna, Sinopharm e Covaxin há quatro semanas.

O único local que continua com a aplicação das primeiras doses é o Autódromo “Rubén Dumot” (ex Aratiri), onde pessoas com mais de 20 anos podem ser imunizadas 24 horas por dia. Até as 12h deste sábado, 3.605 pessoas foram vacinadas.

Continue lendo na Agencia de Información Paraguaya

Coronavírus, Destaques, Paraná, Saúde,

Paraná vai receber 649.420 doses de vacinas contra Covid-19 nesta semana

O Paraná deve receber nos próximos dias mais 649.420 doses de vacinas contra a Covid-19. O envio da nova remessa foi confirmado pelo Ministério da Saúde neste domingo (25). O lote inclui cerca de 130 mil doses para a primeira aplicação, o que deve garantir o avanço da campanha de imunização por idade no estado. As demais são destinadas a grupos prioritários imunizados no primeiro semestre.

O lote será composto por 361.250 doses do imunizante Covishield, da AstraZeneca; 170.000 da CoronaVac, do Instituto Butantan/Sinovac; e 118.170 doses da Comirnaty, produzida pela Pfizer/BioNTech. O governo federal ainda vai confirmar a data da distribuição.

Das vacinas Covishield, 63.000 chegam por meio do consórcio Covax Facility, enquanto as outras 298.250, serão enviadas diretamente pelo Ministério da Saúde, todas destinadas à segunda dose. As 170 mil doses da Coronavac serão destinadas para primeira e segunda aplicação. Já das 118.170 Comirnaty, que completam o lote, 44.891 são para primeira dose e o restante para segunda.

Assim que chegarem ao Estado, os imunizantes serão recebidos e separados pela Secretaria de Estado da Saúde, no Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), em Curitiba, para serem distribuídos rapidamente entre as 22 Regionais de Saúde.

O objetivo da Secretaria é aplicar pelo menos a primeira dose em 80% da população com mais de 18 anos no Paraná até o final de agosto. O restante da população adulta será imunizado até o final de setembro.

VACINÔMETRO – O Paraná já tem mais de 2 milhões de paranaenses com o esquema vacinal completo, ou seja, que receberam as duas doses das vacinas ou a dose única da vacina contra o coronavírus.

De acordo com o Vacinômetro do Sistema único de Saúde (SUS), até a manhã deste domingo foram administradas 7.527.239 doses no Estado, sendo 5.496.811 primeiras doses e 2.030.428 doses únicas ou segundas doses.

Com informações de Agência de Notícias do Paraná

Coronavírus, Destaques, Paraná, Saúde,

Mais de dois milhões de paranaenses já estão completamente imunizados no contra a Covid-19

O Paraná ultrapassou neste sábado (24) a marca de 2 milhões de paranaenses com o esquema vacinal completo, ou seja, que receberam as duas doses das vacinas (CoronaVac/Butantan, Pfizer/BioNTech e AstraZeneca/Fiocruz) ou a dose única (Janssen/Johnson & Johnson) contra a Covid-19. O novo registro, de 2.014.393 pessoas completamente imunizadas, foi lançado nesta manhã no Vacinômetro do Sistema Único de Saúde (SUS), vinculado ao Ministério da Saúde.

O número representa 17,49% de toda a população paranaense, estimada em 11,5 milhões pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e 23,05% quando considerada apenas a parcela dos vacináveis, habitantes com 18 anos ou mais, formada por 8.736.014 pessoas.

De acordo com o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, com o aumento de pessoas imunizadas o Estado passa a criar um escudo imunológico coletivo da população. “A força de reprodução do vírus é contida, já que ele começa a encontrar organismos protegidos”, afirma.

Se o esquema vacinal não for concluído, segundo Beto Preto, aquele organismo continua livre para ser infectado pelo vírus Sars-Cov-2. “Temos uma infecção de transmissão comunitária franca e livre e, por isso, fatalmente quem não tomar a vacina será um campo fértil para ser atingido pelo vírus”, acrescenta.

Desde o início da Campanha de Vacinação no Estado, até agora, foram imunizados 5.738.553 paranaenses com uma dose ou com a dose única, atingindo 65,68% da população adulta. No total, 7.462.274 doses já foram administradas no Paraná. São 5.447.881 primeiras doses, 1.723.721 segundas doses e 290.672 doses únicas.

No momento, três em cada quatro cidades paranaenses vacinam a população geral na faixa dos 30 anos, reforçando a isonomia entre municípios promovida pela Secretaria estadual desde o início do plano de imunização. “Toda semana, com muita agilidade, distribuímos todos os imunizantes recebidos pelo Estado aos municípios, que por sua vez, têm feito um grande trabalho na vacinação da população”, destaca Beto Preto.

O Paraná é o quinto estado brasileiro que proporcionalmente mais vacinou sua população adulta contra a Covid-19 com pelo menos uma dose ou a dose única. A meta estabelecida pela Secretaria do Paraná é vacinar 80% dos cidadãos com pelo menos uma dose até o final de agosto, e atingir os 100% até setembro.

Municípios – Considerando a proporção da população vacinada com as duas doses das vacinas contra a Covid-19, conforme o Ranking da Vacinação da Secretaria de Estado da Saúde, Miraselva lidera com 26,15% da população imunizada completamente. Em seguida, aparecerem Pontal do Paraná (25,85%), Barra do Jacaré (25,52%), Terra Roxa (25,13%), São Manoel do Paraná (24,98%), Nova Laranjeiras (24,83%) e Floraí (23,96%).

Em relação aos municípios com o maior percentual de população vacinada com a dose única, no caso da Janssen, Porto Vitória aparece no topo do Ranking com 9,85% de cobertura. Na sequência estão Itaperuçu (8,82%), Siqueira Campos (8,71%), Sertanópolis (8,17%) e Manoel Ribas (7,07%).

Em números absolutos, os municípios que mais vacinaram com ambas as doses ou a dose única das vacinas contra a Covid-19 são Curitiba (1.313.801), Londrina (374.940), Maringá (366.675), Cascavel (225.454), Ponta Grossa (192.760), Foz do Iguaçu (175.094), São José dos Pinhais (167.557) e Colombo (129.701).

As informações são de Agência de Notícias do Paraná

Coronavírus, Geral, Saúde,

Paraguai “deixou de ficar no vermelho” e logo a máscara deixaria de ser obrigatória ao ar livre

Graças à queda vertiginosa dos casos de COVID-19, esta semana o país deixou de “estar no vermelho”, conforme confirma o Dr. Guillermo Sequera, diretor de Vigilância Sanitária. Ele garantiu que se a tendência continuar a cair e outros indicadores positivos continuarem a ser vistos, em pouco mais de um mês poderá começar a falar sobre a liberação do uso de máscaras outdoor.

“Nosso país a partir desta semana deixou de estar no vermelho. Estávamos com mais de 150 casos por 100.000 habitantes, como taxa de incidência. Hoje estamos em 120, ainda estamos no laranja e ainda está alto. Quando estamos no verde, com menos de 40 casos por 100.000 habitantes, podemos pensar nesses tipos de cenários ”, disse o Dr. Sequera sobre a possibilidade de os cidadãos ficarem sem máscaras ao ar livre.

Ele ressaltou que a queda é vertiginosa e se essa tendência continuar e os números continuarem diminuindo, em pouco mais de um mês poderíamos começar a falar sobre a possibilidade de os paraguaios tirarem as máscaras em espaços ao ar livre.

Ele acrescentou que outro fator que ajudará nessa decisão, além do avanço na aplicação das vacinas, será o percentual de positivos por número total de amostras. Ele indicou que agora ainda é alto, mas porque o número de exames diários caiu consideravelmente.

“Estamos vendo medidas que facilitam o acesso ao teste, que algumas atividades econômicas exigem o teste para movimentar a economia e assim também movimentaremos aquele indicador que é importante”, considerou em contato com a ABC.

Nesse contexto, ele também aproveitou para falar sobre a importância dos casos. Ele ressaltou que no relatório epidemiológico de hoje falará sobre como em vários países houve uma “explosão de casos” na população não vacinada. “A vacina faz uma grande diferença”, enfatizou.

Quanto à variante delta, disse que são “questão de dias” até que seja confirmado o primeiro caso em território nacional, tendo em conta que já existem vários países da região que detectaram esta variante. Ele indicou que o país está preparado para receber esta notícia, mas espera que não.

“Se passar um mês de circulação comunitária no Brasil e se houver explosão de casos em São Paulo, provavelmente será o padrão nos outros países”, considerou.

Haverá outros dias destinados a adolescentes

Nos demais cargos, hoje a imunização de adolescentes entre 17 e 18 anos, com patologias de base, será exclusiva. Enquanto o fim de semana mais uma vez só poderá ir quem precisar de suas segundas doses.

O Dr. Castro comentou que em vários postos de vacinação há médicos destacados voluntariamente para emitir atestados médicos a crianças com doenças de base que não puderam realizar o procedimento com seus pediatras ou especialistas.

Da mesma forma, disse que hoje vão comunicar na conferência de imprensa quais as vacinas transferidas e para onde devem ir as pessoas que receberam a primeira dose nesses locais.

Ele garantiu que são muito poucos e os que foram imunizados nos demais, têm que ir para o mesmo centro onde receberam o primeiro imunológico quando o segundo componente lhes corresponder.

As informações são de ABC Color

Busão Foz, Coronavírus, Coronavírus em Foz do Iguaçu, Destaques, Foz do Iguaçu, Saúde,

Foz do Iguaçu tem semana com menor número de casos de covid em 2021

Registros de óbito nas últimas cinco semanas caiu à medida que avançou a vacinação contra a covid-19

O avanço na vacinação tem refletido forte na redução dos principais indicadores da covid-19 em Foz do Iguaçu. O município fechou esta semana com o menor número de novos casos de 2021. Entre sábado (17) e sexta-feira (23), foram contabilizados 210 testes positivados da doença – média de 30 diários.

A análise tem como critério os boletins diários da Vigilância Epidemiológica. Desde o início da pandemia, em março do ano passado, o município registrou 41.669 infectados pela covid-19. Deste total, 40.400 pessoas já estão recuperadas – mais de 96,9% do total de infectados.

No acumulado do mês, Foz do Iguaçu contabilizou 1.066 novos casos da doença – média de 46,35 por dia. Em junho, a Vigilância Epidemiológica registrou 3.354 testes positivados de covid-19 – média de 111,8 novos casos diários. No comparativo entre um mês e outro, julho registra uma queda de aproximadamente 68% dos casos.

Óbitos

O número de óbitos por consequência da covid-19 também vem apresentando queda bastante representativa à medida que a vacinação contra a doença avança. Nesta última semana, de sábado até esta sexta, foram oito mortes por complicações da doença. No acumulado do mês são 39 registros – média de 1,69 óbitos por dia.

Em junho, Foz do Iguaçu registrou 133 óbitos por conta do coronavírus – média de 4,43 por dia. Desde o início da pandemia, o município contabilizou 1.068 mortes por complicações da doença, com uma taxa de letalidade de 2,56% sobre o total de infectados.

A secretária municipal de Saúde, Rosa Maria Jerônymo, comentou a queda nos casos de óbitos com a aceleração da vacinação contra a covid-19. “Gente, olha que bacana poder ver a vacinação avançando e o número de óbitos caindo”, ressaltou, ao postar um quadro sobre a evolução dos casos em suas redes sociais.

“Esse gráfico representa o avanço da cobertura vacinal e a redução do número de óbitos por Covid-19”. A imagem veiculada pela secretária, mostra a curva representada por uma linha azul, da primeira dose, e a linha verde com a cobertura de segunda dose de vacina, com as colunas mostrando o número de óbitos.

“A partir de 44% da cobertura vacinal de 1ª dose se observa a queda gradativa no número de óbitos desde o dia 13/06”, ressaltou Rosa Jerônymo. Que completou: “Representando uma queda de 78% no número de óbitos nas últimas cinco semanas. #vacinasalvavidas”.

A secretária, no entanto, reforçou que é essencial manter os cuidados para manter os números da covid baixos e aguardar um avanço ainda maior da vacinação, especialmente da segunda dose. “Ainda não é momento para baixarmos a guarda. Precisamos manter aqueles cuidados que repetimos desde o início da pandemia: uso de máscaras, distanciamento social e higienização das mãos”, destacou.

UTIs e Enfermaria

A ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e de Enfermaria da rede de atenção aos pacientes com covid-19 em Foz do Iguaçu também tem apresentado queda com o avanço da vacinação. Nesta sexta-feira, das 70 UTIs do Hospital Padre Germano Lauck, único que atende pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e é referência regional, 52 estavam em utilização (74% do total).

No Hospital Ministro Costa Cavalcanti, das 40 camas especiais disponíveis, 10 estavam em utilização (25% do total). A ocupação das 110 UTIs disponíveis em ambos os hospitais está em 56% – 62 internados. Dos 77 leitos de Enfermaria dos dois hospitais, 36 estão em utilização – 47% do total.

Busão Foz, Coronavírus, Coronavírus em Foz do Iguaçu, Destaques, Foz do Iguaçu, Saúde,

Foz do Iguaçu registra 12 novos casos de Coronavírus, neste sábado

A Vigilância Epidemiológica de Foz do Iguaçu confirma na data de hoje, 24/07/2021, 12 casos de covid-19. No total, são 41.681 casos da doença no município desde o início da pandemia. Destes, 40.424 pessoas já estão recuperadas.

Dos 12 novos casos, 5 são mulheres e 7 homens com idades entre 19 e 69 anos. Todos estão em isolamento domiciliar.

Do total de casos ativos, 97 pessoas estão em isolamento domiciliar, com sinais e sintomas leves, e 90 estão internadas.

Óbitos

Foz do Iguaçu registrou 2 óbitos em consequência da covid-19. As vítimas são 2 mulheres de 76 e 79 anos. No total, são 1.070 mortes pela doença no município desde o início da pandemia.

Coronavírus, Coronavírus no Paraná, Destaques, Paraná, Saúde,

Mais de 5,5 milhões de paranaenses já foram vacinados contra a Covid-19

Entre os municípios que mais vacinaram com D1 e DU, Foz do Iguaçu tem um total de 141.286

Com 5,5 milhões de pessoas que receberam pelo menos uma dose da vacina contra a Covid-19, o Paraná chega a 64,86% da população adulta que já iniciou a imunização. O novo marco foi alcançado nesta sexta-feira (23), quando o Estado chegou a 5.656.768 primeiras doses e doses únicas (DU) aplicadas.

No total, 7.350.271 doses já foram administradas no Paraná. São 5.369.295 primeiras doses (73% do total), 1.693.503 segundas doses (23%) e 287.473 doses únicas (3,9%). 22,72% da população está completamente imunizada, considerando a soma das segundas doses com doses únicas. Os dados são do Vacinômetro do Sistema Único de Saúde (SUS), vinculado ao Ministério da Saúde.

“O Paraná é o quinto estado que mais imunizou no País. A agilidade logística do Estado em distribuir os imunizantes para os municípios e ações de incentivo como a campanha De Domingo a Domingo, além do esforço ininterrupto das prefeituras, são alguns dos motivos para o sucesso da vacinação com as doses já disponibilizadas”, afirmou o secretário estadual de Saúde, Beto Preto.

Atualmente, três em cada quatro cidades paranaenses estão vacinando a população geral na faixa dos 30 anos, reforçando a isonomia entre municípios promovida pela Secretaria estadual desde o início do plano de imunização. As exceções ficam por conta de regiões que receberam mais doses por se tratarem de grupos prioritários – como populações quilombola e indígena e, mais recentemente, cidades que fazem fronteira com outros países.

“Com exceção de casos excepcionais, de cidades em que boa parte da população foi atendida dentro das prioridades elencadas pelo Ministério da Saúde, há uma uniformização na aplicação dos imunizantes, com a maioria dos municípios vacinando a mesma faixa etária. É o que sempre buscamos desde o início: equilíbrio e agilidade para os paranaenses”, completou o secretário.

GRUPOS VACINADOS – Considerando as pessoas que receberam uma dose (D1 ou DU), o Paraná é terceiro entre os estados que mais vacinaram a população em geral: o Estado administrou 2.151.319 doses na população de 18 a 59 anos, atrás apenas de São Paulo (10.258.294) e Rio de Janeiro (2.376.375).

O grupo é o que mais recebeu doses no total. Na sequência, os grupos prioritários mais vacinados são as pessoas com comorbidades (561.824), as pessoas de 60 a 64 anos (518.300), os trabalhadores da saúde (448.849) e as pessoas de 65 a 69 anos (428.831).

MUNICÍPIOS – Entre os municípios que mais vacinaram com D1 e DU, em números absolutos, Curitiba lidera com 977.471 aplicações. Na sequência, estão Londrina (273.828), Maringá (265.133), Cascavel (169.810), Ponta Grossa (149.384), Foz do Iguaçu (141.286), São José dos Pinhais (130.192), Colombo (102.030), Paranaguá (91.629) e Guarapuava (78.204).

Já considerando a proporção da população vacinada entre os municípios, Pontal do Paraná lidera a aplicação da primeira dose, com 73,59% da população contemplada. A cidade é seguida por Maringá (72,13%), Guaraqueçaba (69,03%), Santa Cecília do Pavão (68,73%) e Barra do Jacaré (66,74%). Considerando as doses únicas, se destacam Porto Vitória (9,08%), Itaperuçu (8,82%), Sertanópolis (8,17%), Siqueira Campos (7,98%) e Manoel Ribas (7,07%).

Já com relação à segunda dose, lideram a vacinação Miraselva (26,15%), Pontal do Paraná (25,8%), Barra do Jacaré (25,27%), Terra Roxa (24,62%) e Nova Laranjeiras (24,38%). Os dados são do Ranking de Vacinação criado pela Secretaria de Estado da Saúde.

As informações são de Agência de Notícias do Paraná.

Coronavírus, Coronavírus no Paraná, Destaques, Paraná, Saúde,

41,6% das cidades do Paraná não registram mortes por Covid-19 há 2 semanas, apontam dados

Levantamento feito pelo G1 com base nos dados da Sesa indicam que 116 dos 399 municípios não registram óbitos pela doença desde 7 de julho. Setenta cidades não tiveram mortes nos últimos 30 dias.

41,6% das cidades do Paraná não registram mortes por Covid-19 há duas semanas, segundo um levantamento feito pelo G1 com base nos dados da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). No total, 116 dos 399 municípios não têm óbitos provocados pela doença desde 7 de julho.

O levantamento leva em consideração o último boletim divulgado pela Sesa, na quarta-feira (21). Segundo a secretaria, o estado registra o total de 33.804 mortes e 1,3 milhão de casos.

O Paraná registra queda de 24% na média móvel de mortes, de acordo com o levantamento do consórcio de veículos de imprensa, com dados da Sesa, publicado às 20h de quarta.

Geralmente, os levantamentos da Sesa trazem mortes que aconteceram em dias ou meses anteriores. Sendo assim, os dados podem sofrer alterações nas próximas semanas.

Das 116 cidades que não registraram mortes nas últimas duas semanas, 70 estão sem óbitos por Covid-19 há um mês.

Geralmente, os levantamentos da Sesa trazem mortes que aconteceram em dias ou meses anteriores. Sendo assim, os dados podem sofrer alterações nas próximas semanas.

Das 116 cidades que não registraram mortes nas últimas duas semanas, 70 estão sem óbitos por Covid-19 há um mês.

Veja mais em G1 Globo.

Colunistas, Coronavírus, Destaques, Paraná, Romanelli, Saúde,

Mais de 7 milhões de doses aplicadas mostram eficiência do sistema de saúde do Paraná, diz Romanelli

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) destacou nesta quinta-feira, 21, a presteza da Secretaria Estadual de Saúde na entrega das vacinas às cidades e a eficiência das equipes municipais de saúde do na imunização da população contra a covid-19. Desde o início da vacinação, o Paraná já aplicou 7,1 milhões de doses e 63,2% dos adultos receberam ao menos uma das vacinas. A população completamente imunizada está em 21,3%.

“Sempre que chega uma vacina, vai para o braço da população no menor tempo possível. É um sistema muito eficiente que temos no Paraná. Todos estão trabalhando de forma ágil e responsável”, avalia Romanelli. “Sentimos o fato de as vacinas terem demorado tanto para chegar ao Brasil, por ineficiência do governo federal. Isso teria poupado milhares de vidas”.

Romanelli destacou ainda as várias medidas tomadas pelas prefeituras para dar agilidade e rapidez na vacinação dos paranaenses. “Teve mutirão, busca ativa, plantões, drive-thrus, vacina noturna e nos finais de semanas. As equipes municipais de saúde estão de parabéns por todas as estruturas e estratégias que estão agilizando a vacinação em todas as cidades do Paraná”.

O deputado acredita que o cronograma estabelecido pelo Estado para vacinar todos os adultos nos próximos dois meses tem toda a condição de acontecer. “Esperamos que o Ministério da Saúde cumpra os compromissos de enviar as vacinas. Se todos os lotes chegarem a tempo, a imunização vai acontecer porque o Paraná está muito organizado”, informa o deputado.

Promessa – Em visita a Foz do Iguaçu, na terça-feira, 20, o ministro da Saúde Marcelo Queiroga disse que a população adulta brasileira deve receber pelo menos uma dose, ou dose única, até o final de setembro. Segundo ele, a estimativa é de que 50% da população esteja imunizada com as duas doses até lá.

Cascavel, Coronavírus, Destaques, Saúde,

Covid-19 em Cascavel: 282 doses de vacina são descartadas após erro de armazenamento, diz prefeitura

Segundo a prefeitura, 47 frascos da vacina da Pfizer ficaram fora da geladeira. Programa Nacional de Imunização analisou os imunizantes e constatou que não podem ser mais aplicados.

A Secretaria de Saúde de Cascavel, no oeste do Paraná, informou, nesta quinta-feira (22), que recebeu a orientação do Programa Nacional de Imunização (PNI) e descartou 47 frascos da vacina contra a Covid-19 após haver falha no armazenamento do imunizante.

Conforme o secretário de Saúde, Miroslau Bailak, os imunizantes da Pfizer renderiam 282 doses da vacina, mas não puderam ser aplicados na população por causa do erro.

O município não recebeu nenhum posicionamento do Ministério da Saúde sobre haver algum tipo de reposição das doses descartadas.

A prefeitura informou que o município dará início a um processo interno para apuração da responsabilização do erro.

O caso
Bailak informou que as doses foram recebidas no dia 18 de junho e foram encontradas, fora da geladeira, no dia 21 do mesmo mês, na sede da Central de Imunização do Município.

Seguindo o protocolo imunobiológico, à época do caso, a 10ª Regional de Saúde foi informada sobre a suspeita da intercorrência.

Na sequência, encaminhou a situação ao Programa Nacional de Imunização para decidir o que seria feito com as doses.

Descarte

De acordo com a secretaria de Saúde, as vacinas fazem parte do grupo de materiais infectantes. Por isso, após o seu vencimento ou inutilização, são descartadas em caixas de materiais perfurocortantes.

Posteriormente, as vacinas são armazenadas em bombonas para lixo infectante até o recolhimento pela empresa especializada.

Vacinação em Cascavel

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, até terça-feira (20), mais de 154.999 pessoas foram imunizadas contra a Covid-19, em Cascavel. Desse total, 50.913 receberam a segunda dose.

Até esta quarta-feira, Cascavel registrou 41.070 casos confirmados do novo coronavírus e 886 mortes pela Covid-19. A cidade conta com 273 casos ativos da doença.

Veja mais em G1 Globo.