Browsing Category

Cultura

Brasil, Cultura, Destaques, Educação, Itaipu,

Festa de Itaipu para as crianças será no “dia seguinte”, no Gramadão da Vila A

Será um final de semana cheio para a criançada. No sábado (12), as atividades serão na Praça da Paz e, no domingo (13), o encontro acontece no Gramadão

Vai dar ainda mais vontade de ser criança em Foz do Iguaçu, este ano. No dia delas, 12 de outubro (sábado), tem a programação do Cirandar, na Praça da Paz; e, no dia seguinte, a Itaipu Binacional e o Parque Tecnológico Itaipu garantem a continuação da festa da criançada com a programação especial “Venha ser criança no Gramadão”. Tanto na praça como no Gramadão da Vila A, a diversão é garantida e de graça.

Além de apresentações culturais, de hora em hora (das 15h às 18h), a programação no Gramadão inclui oficinas de pintura facial, pipa e cometinha. Ah, e também brincadeiras em aparelhos de circo, como malabares, tecido acrobático, slackline (a famosa corda bamba) e diabolô.

Sem contar as brincadeiras com bolha de sabão, cama de gato, pintura livre e dama gigante. Um espaço sensorial será destinado apenas às crianças de 1 a 3 anos. A contação de histórias traz o espetáculo “Tramar”, uma encenação teatral das histórias da escritora Ruth Rocha, executada pelos artistas da Cia Agregados.

O encerramento começa às 18h30 com show do grupo iguaçuense Maracatu Alvorada Nova, que desde 2013 trabalha com maracatu de baque virado. Haverá um cortejo por todo o Gramadão e as pessoas serão convidadas a experimentar esta expressão cultural brasileira.

Às 19h, o circo Trupe Luz da Lua apresenta o espetáculo “Todo dia é dia de Alegria”, com palhaços, malabares, música ao vivo, monociclos, acrobacias e tecido acrobático.

O diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, convida todos a participarem da festa. “O maior prazer dos pais é ver os filhos brincando alegres e com segurança, e isso não vai faltar no Gramadão”, garantiu. Localizado ao lado do Centro Executivo da usina, na Vila A, o Gramadão “cada vez mais se firma como um local das famílias, não só daquelas que vivem nos bairros próximos, mas de toda a cidade”, afirmou o diretor, lembrando que é ali que a Itaipu promove festas populares, como a de Natal, já confirmada para este ano.

Projeto Cirandar

Na Praça da Paz, no sábado (12), o projeto Cirandar chega pela primeira vez a Foz do Iguaçu, com apoio da Secretaria Municipal de Turismo, Indústria, Comércio e Projetos Estratégicos de Foz do Iguaçu e correalização da Fundação Cultural. A programação do Cirandar traz apresentações folclóricas brasileiras e de países da América Latina, cortejo de maracatu, com a participação das comunidades árabe, chinesa e japonesa, além de artistas locais, em evento aberto à comunidade, das 13h às 19h.

A expansão do Cirandar para o interior do Paraná começa a se confirmar exatamente com a chegada do evento a Foz do Iguaçu. “A intenção é criar uma cultura de informação da arte, do resgate dos valores tradicionais com circulação em todo estado”, afirma a produtora cultural Beth Capponi, idealizadora do projeto.

A edição 2019 do Festival Infantil Cirandar é uma realização do Ministério da Cidadania por meio da Secretaria Especial da Cultura e Comunicação, com patrocínio da Sanepar.

Foto: Alexandre Marchetti

Cultura, Destaques, Economia, Geral, Política,

Câmara aprova projeto que beneficia os pequenos agricultores de Foz do Iguaçu

Alteração da lei do Alvará Rural segue para sanção do prefeito

Os vereadores de Foz do Iguaçu aprovaram na sessão desta terça-feira (8), alterações na lei que trata do Alvará Rural (PL 115/2019) facilitando a instalação de empresas nas áreas agrícolas.

Pequenos agricultores terão direito ao benefício, desde que cumpram alguns requisitos: utilizar mão-de-obra familiar, realizar processo de industrialização na área rural, usando 30% de matéria prima proveniente da própria produção agropecuária.

Quem aderir ao programa de iniciativa da prefeitura terá a concessão de licença de funcionamento e localização de forma diferenciada.

O estabelecimento também deve atender às normas da vigilância sanitária. O projeto aprovado em 1ª e 2ª discussões segue para sanção do prefeito Chico Brasileiro.

Moradia popular

Um projeto lido em sessão extraordinária desta terça-feira (8) para início de tramitação libera para o Instituto de Habitação de Foz do Iguaçu – FOZHABITA uma área de 40,4 mil metros quadrados na região do Morumbi para construção de moradias.

As casas populares vão atender 90 famílias que estejam residindo em área de risco, incluindo as que residem na Vila da Batalha.

O plano está sendo implantado em atendimento ao Projeto Reinventando Foz que prevê a revitalização e recuperação das margens de três rios urbanos, dentre eles o Boicy. O projeto seguiu para análise das comissões reunidas da Casa de Leis.

Dengue volta a preocupar e CCZ comparece à Câmara

Na primeira sessão ordinária do mês de outubro, realizada na semana passada, foi aprovado requerimento da vereadora Anice Gazzaoui (sem partido) para a Câmara de Foz do Iguaçu abrir espaço para equipe do Centro de Controle de Zoonoses expor a situação da dengue na cidade. Em atendimento ao requerimento, nesta terça-feira (8) compareceu ao Legislativo o Coordenador do Comitê da Dengue, Jean Rios, que prestou informações sobre a questão.

Uma das preocupações da vereadora é o problema da falta do produto químico usado na pulverização. “O veneno usado no fumacê está em falta no Brasil e no mundo. O Brasil conseguiu comprar um lote, que foi destinado pelo Ministério da Saúde para a região do Ceará” explicou. Anice defende definição de estratégias para enfrentamento da situação evitando assim uma epidemia e mantendo a garantia de suporte da saúde em caso de necessidade.

Jean Rios fez uma explanação sobre a situação de Foz do Iguaçu no combate à doença. “Ao longo dos anos temos tido várias epidemias de dengue. Segundo um estudo da Fiocruz, cada paciente hospitalar com dengue custa 465 dólares. Em 2019, mais de 9 mil pessoas foram notificadas e 2.600 confirmadas em Foz. Durante o ano que passou foram 232 pontos monitorados.

A equipe atua de forma sistemática e em várias frentes. “Verificamos 186 terrenos baldios, descarte irregular, boca de lobo com tampa quebrada, 103 denúncias de infestação de mosquitos, 98 imóveis abandonados ou em situação de risco; e intensificação das vistorias ambientais nas áreas de maior risco”, afirmou Jean Rios.

Cultura, Educação, Estadual, Política,

Unioeste quer implantar curso de Psicologia no campus de Foz do Iguaçu

O projeto foi apresentado à vereadora Inês Weizemann durante uma visita onde ela conheceu as demandas e os trabalhos desenvolvidos pela Unioeste em Foz do Iguaçu, a convite do então Diretor Geral, prof. Dr. Fernando José Martins.

No fim de setembro, a vereadora teve a oportunidade de participar de uma reunião com o Diretor Geral, a assessora de projetos Luciana Aparecida Fabriz, a secretária acadêmica Fabiana Nunes do Amarante Griggio, e com o diretor do Hospital Municipal Padre Germano Lauck, Sergio Moacir Fabriz. Após a reunião foi feita uma visita ao Campus durante a qual Inês conheceu a infraestrutura, o funcionamento e os projetos desenvolvidos na Universidade.

Demandas

A Vereadora foi informada das demandas da Instituição e principalmente da necessidade de investimentos em infraestrutura. De acordo com o levantamento apresentado durante o encontro o custo das obras na estrutura física chega a R$ 1 milhão.

Lembrando que o orçamento anual do campus de Foz do Iguaçu para este ano ficou em R$ 775.319,57, que correspondem a 7,12% do orçamento total da Unioeste. Como o previsto atingia a cifra de R$ 1,5 milhão, a direção precisou se readequar para garantir a manutenção do Campus, onde são oferecidos 13 cursos de graduação para 1.870 estudantes.

Além disso, há mais 343 alunos matriculados em programas de pós-graduação Stricto Sensu (mestrados e doutorados) e 26 alunos em programas de pós-graduação lato sensu (especialização), num total de 2.239‬ alunos, a maioria do Paraná.

Toda essa estrutura funciona com o trabalho de 213 professores dos quais 14 são especialistas, 73 são mestres, 115 doutores, e 11 possuem pós-doutorado. Além disto o campus de Foz conta com o apoio técnicos de 88 agentes universitários.
Psicologia

Além do investimento na infraestrutura, a direção do Campus de Foz está buscando apoio junto às autoridades competentes, para garantir a implantação de um curso de psicologia aqui na fronteira. O objetivo é ampliar o número de cursos da área da saúde na instituição que atualmente conta apenas com a graduação em enfermagem.

Uma servidora de carreira que é psicóloga e trabalha no Campus de Foz do Iguaçu vem desenvolvendo um projeto de extensão voltado para a comunidade que recebe atendimento psicológico gratuito na instituição.

Além disso, psicólogos formados que fazem especialização na Unioeste aqui em Foz também auxiliam no atendimento de 110 pessoas por semana. De acordo com a direção da Instituição, como já há esse espaço voltado para a psicologia, o processo de implantação da graduação poderia ser mais rápido.

A vereadora Inês Weizemann analisou os projetos e já repassou o documento, no qual a Instituição apresentou as demandas, para o deputado estadual Hussein Bakri. “Acredito que com o apoio do Estado esses pedidos poderão ser atendidos e torço para que em breve, o campus da Unioeste aqui em Foz possa oferecer mais um curso, desta vez o de psicologia, garantindo ainda mais a formação de profissionais qualificados para atuar na saúde”, afirmou.

À Comunidade
Entre outros serviços voltados para a população a Unioeste também oferece acompanhamento para 150 pessoas que participam da Universidade Aberta a Terceira Idade; atendimento para 55 famílias por meio da Padaria Social, que funciona desde 2017; e a realização de testes de Acuidade Visual nas escolas do município.

De outubro de 2006 até dezembro do ano passado, mais de 8 mil estudantes já fizeram os testes nas escolas municipais de Foz. (Gabinete da vereadora Inês Weizemann)

Brasil, Cultura, Educação, Geral,

Festival Infantil Cirandar 2019 será realizado em Curitiba e Foz do Iguaçu

Educação e cultura formam a base de toda a sociedade. Para preservá-las, é necessário incentivar a busca pelo conhecimento desde cedo nas crianças, e de uma forma lúdica, para que aprendam com diversão, guardando ótimas lembranças sobre a importância do saber. Com esse pensamento, foi criado, em 2012, o Festival Infantil Cirandar, um evento cultural e recreativo destinado às crianças e a toda população paranaense.

Realizada em parceria com a comunidade artística, produtores, iniciativa privada e iniciativa pública, a edição 2019 do evento terá duas etapas, em Curitiba e em Foz do Iguaçu. Em destaque, uma programação de altíssima qualidade para entreter as crianças e todas as famílias, um espetáculo que reúne tópicos do folclore infantil com roupagens atuais por meio de cirandas de roda, contação de histórias, circo, teatro, música, dança e performance.

Na capital, o festival será realizado no dia 5 de outubro, no Colégio Estadual Professora Maria Balbina Costa Dias, no bairro Tarumã, com shows das bandas Denorex 80, Charme Chulo, Arnica (formada por músicos dos grupos Trombone de Frutas e Bananeira Bras Band), Pacific Jazz, além da Banda Cirandar, com Raissa Fayet, Iria Braga, Du Gomide e Denis Mariano. Haverá ainda atividades da Casa Labirinto e práticas de yoga e meditação, oficina de literatura e máscaras de papelão.

Em Foz, o evento acontece no dia 12 de outubro, na Praça da Paz, com apresentações folclóricas brasileiras e de países da América Latina com a participação das comunidades árabe, chinesa e japonesa.

O projeto desenvolve ações gratuitas e voltadas a crianças em situação de vulnerabilidade social através de parcerias firmadas com secretarias de Educação para escolas da rede pública. A expansão do Cirandar para o interior do Paraná começa a se confirmar com a chegada do evento em Foz do Iguaçu.

Uma das metas do projeto é a descentralização da cultura, entregando às populações locais um produto de ótima qualidade e impacto positivo em todas as suas esferas.

“Através das atividades realizadas, buscamos aproximar o público – as crianças e toda a comunidade – de um conteúdo fadado ao esquecimento, tornando-o mais palatável, atualizado e numa linguagem acessível, preservando nossas raízes. A intenção é criar uma cultura de informação da arte, do resgate dos valores tradicionais”, afirma Beth Capponi, organizadora do Cirandar.

A característica social do Cirandar é reforçada ainda mais em 2019 com a escolha da Escola Maria Balbina como sede do evento. Há dois anos, o prédio administrativo da instituição foi totalmente destruído por um
incêndio, causando a perda de materiais e recursos. A escola se reergueu em 2018 e continua seu processo de recuperação, que recebe agora o apoio do Festival Infantil Cirandar.

História do Cirandar
A primeira edição do Festival Infantil Cirandar foi realizada em 2012, no Grande Auditório do Teatro Guaíra, em uma ação voluntária de produtores, artistas e empresários. A partir de 2013, o evento passou a ser realizado no Parque Barigui para um público de mais de 20 mil pessoas, fazendo parte das festividades do Dia da Criança organizadas pela Prefeitura Municipal de Curitiba.

Em 2014, em conjunto com o projeto Evoluir Sustentável de São Paulo, o Cirandar passou a ter oficinas de arte e sustentabilidade, realizadas em paralelo com a programação cultural que acontece no palco. Sempre realizado de forma independente, a partir de 2018, o projeto recebeu a chancela de dois mecanismos de incentivo: Lei Rouanet e Lei de Incentivo à Cultura de Curitiba.

A edição 2019 do Festival Infantil Cirandar é realizada com apoio da Secretaria Especial da Cultura – Ministério da Cidadania e patrocínio da Sanepar. Em Curitiba, o evento tem correalização da Bell’Art Produções Artísticas LTDA. Em Foz, o festival tem apoio da Secretaria de Turismo, Indústria, Comércio e Projetos Estratégicos de Foz do Iguaçu, através da Diretoria de Assuntos Internacionais, além da correalização da Fundação Cultural de Foz do Iguaçu.

Serviço:
Em Foz do Iguaçu
Data: 12 de outubro
Local: Praça da Paz (centro da cidade)
Horário: das 13h às 19h.
Atrações: Cirandas de roda, maracatu, circo, música, dança e performances; apresentações folclóricas brasileiras e de países da América Latina; yoga, espaço lounge com brincadeiras; participação das comunidades árabe, chinesa e japonesa.

Cultura, Destaques, Educação, Estadual, Política,

Prazo de inscrição para ingressar em colégios da Polícia Militar termina nesta quarta-feira (9)

As inscrições para ingressar nos Colégios da Polícia Militar de Curitiba, Londrina, Maringá, Cornélio Procópio e Foz do Iguaçu podem ser feitas até as 18h desta quarta-feira (9). São 780 vagas oferecidas nos cinco colégios estaduais, destaca o G1 PR .

As vagas são para alunos do 6º ano do ensino fundamental e para os do 1º ano do ensino médio. Parte das vagas é para filhos de policiais e bombeiros militares.

As inscrições devem ser feitas exclusivamente pelos sites dos colégios (veja abaixo). A taxa para participar do processo seletivo é de R$ 95.

Para a isenção da taxa o candidato deve estar ativo no Cadastro Único para Programa Sociais (CadÚnico), do Governo Federal.

As provas serão realizadas nos dias 10 de novembro (ensino médio) e 24 de novembro (ensino fundamental).

Inscrições

Curitiba
6º ano (ensino fundamental): 120 vagas (tarde)
1º ano (ensino médio): 90 vagas (noite)
Inscrições pelo site https://cpmpr.processoclassificatorio.com.br/

Londrina
6º ano (ensino fundamental): 90 vagas (tarde)
1º ano (ensino médio): 60 vagas (manhã)
Inscrições pelo site https://cpmlondrina.processoclassificatorio.com.br/

Maringá
6º ano ensino fundamental: 120 vagas (tarde)
1º ano do ensino médio: 30 vagas (manhã)
Inscrições pelo site https://cpmmaringa.processoclassificatorio.com.br/

Cornélio Procópio
6º ano (ensino fundamental): 60 vagas (tarde)
1º ano (ensino médio): 60 vagas (manhã)
Inscrições pelo site https://cpmcornelioprocopio.processoclassificatorio.com.br/

Foz do Iguaçu
6º ano ensino fundamental: 90 vagas (tarde)
1º ano do ensino médio: 60 vagas (manhã)
Inscrições pelo site https://cpmfozdoiguacu.processoclassificatorio.com.br/

Brasil, Cultura, Educação, Internacional,

Marque na agenda: lançamento do livro Missão Haiti – 7 Lições de Liderança será dia 15, em Foz

O local escolhido para a noite de autógrafos é o Restaurante Empório com Arte, um dos lugares mais charmosos da fronteira

No dia 15 de outubro, terça-feira da semana que vem, haverá o lançamento do livro “Missão Haiti – 7 Lições de Liderança”, seguido de noite de autógrafos com o autor, o coronel Ricardo Bezerra. Será às 19h, no Restaurante Empório com Arte, um dos lugares mais charmosos de Foz do Iguaçu, localizado na Avenida das Cataratas, 569.

Ricardo Bezerra é atualmente assessor do diretor-geral brasileiro da Itaipu, general Joaquim Silva e Luna. Foz do Iguaçu, onde mora e trabalha há sete meses, é a terceira cidade onde Ricardo lança seu livro. A obra já foi lançada em Brasília (DF), com casa lotada, e Sapucaia do Sul (RS), no Batalhão de Infantaria Motorizado.

Em 256 páginas, “Missão Haiti – 7 Lições de Liderança” mostra, de forma inédita, como foi o trabalho de paz das Forças Armadas brasileiras no país caribenho. O livro aborda o sofrimento do povo haitiano, a ação dos brasileiros e as decisões que um comandante precisa tomar para manter a tropa unida e focada.

O relato vai desde a preparação inicial para assumir o comando da tropa de paz, antes de embarcar, até a conquista dos resultados positivos. As sete lições embutem dezenas de outros ensinamentos, com pitadas de histórias das tropas brasileiras num ambiente em que coragem, bom senso e amor ao próximo eram essenciais.

O livro é recheado de personagens fascinantes que viveram a experiência de servir num país praticamente destroçado, onde ainda falta tudo por fazer.

Arte de liderar

A partir de sua experiência, coronel Ricardo detalha as lições de forma fácil de compreender. A cada lição, o livro traz exemplos práticos da experiência de sete meses no Haiti. Uma é básica: o líder não nasce pronto: é resultado de aprendizagem, de preparo, de autocrítica. Ele também nos ensina que liderar está longe de ser tarefa fácil.

“Muitas vezes, é preciso ir contra o que quer a maioria. Às vezes, dá certo; outras, não. Mas, eis outra lição: um líder também erra. Reconhecer o erro e consertá-lo da forma certa também são segredos da boa liderança”, revela Ricardo.

Segundo o autor, lançar o livro na cidade onde atualmente mora e trabalha é um grande privilégio. “Há pouco mais de sete meses na cidade, já me sinto um iguaçuense. Fui muito bem acolhido aqui e estou realmente em casa em Foz, onde fiz inúmeros amigos e pretendo ficar por muito tempo.”

O convite está feito. Para quem não puder ir, o livro pode ser encontrado nas principais livrarias físicas e nos melhores sites de venda da internet.

Brasil, Cultura, Destaques, Estadual, Internacional, Itaipu, Meio Ambiente, Turismo,

Jogos de Aventura e Natureza em Foz do Iguaçu. Veja fotos e a classificação final

A aventura junto a natureza foi bem animada neste domingo (06), nas finais da Canoagem Slalon, da Vela e do Skate. Cerca de 200 amantes desses esportes participaram da 3ª etapa dos Jogos de Aventura e Natureza em Foz do Iguaçu. A edição recebeu atletas de várias regiões do Paraná e até mesmo jovens talentos do Paraguai.

Para o coordenador geral dessa festa do esporte, Tiago Campos, a avaliação do evento foi mais que positiva. Desde a abertura, no Gramadão da Vila A, há uma semana, a participação da comunidade tem superado as expectativas e o apoio das federações garantido o sucesso dos jogos.

“As oficinas realizadas durante toda a semana levaram esporte para pelo menos 20 mil pessoas da região oeste, a maioria criança. Neste fim de semana, aqui em Foz, tivemos a participação de atletas dos países vizinhos e de outros estados. A credibilidade dos Jogos de Aventura e Natureza está crescendo a cada etapa”, expõe.

Canoagem Slalon
No Canal da Piracema, da Itaipu, as águas bravas foram desafiadas por quase 100 canoístas. Entre eles atletas olímpicos como Ana Sátila e Pepe (Pedro Gonçalves), que inclusive deram um show e conquistaram os primeiros lugares, a Ana levou a melhor em duas categorias K1 e C1 e o Pepe ficou no topo do pódio na K1.

Quem também saiu com sorrisão largo das corredeiras de Itaipu foi o canoísta Felipe Borges, primeiro lugar na C1. Para o Felipe a conquista representa o reconhecimento de um esforço de mais de 10 anos de trabalho.

“Treino muito, busco o tempo todo melhorar meus tempos, e em contrapartida tenho a felicidade de conquistar meu espaço, de poder treinar no melhor centro de treinamento do Brasil, de receber o apoio da família, dos amigos e ainda a importante ajuda para bancar esse sonho através do bolsa atleta”, comenta.

As disputas também valeram para o Campeonato Brasileiro de Canoagem.

“Com a parceria do Governo do Estado conseguimos duas excelentes competições, semana passada na Canoagem Velocidade e agora o Campeonato Brasileiro de Canoagem Slalom dentro do cronograma dos Jogos de Aventura e Natureza, para nós a parceria foi de fundamental importância, realizamos dois belos eventos com uma excelente estrutura. É uma parceria que inicia e com certeza irá crescer mais ainda”, fala João Tomasini Schwertner, presidente da Confederação Brasileira de Canoagem.

Pódio
AQUI para ver a tabela completa
Campeonato Brasileiro – AQUI para ver a final

Vela
Essa foi a competição com o maior número de participantes. Um recorde marcado com a presença de 65 barcos velejando pelas águas do lago de Itaipu ao mesmo tempo.

Os competidores são alunos de projetos sociais como: Velejar é Preciso, de Foz do Iguaçu, Escoteiros do Mar, de Antonina, e Rumo Certo, de Guaratuba. Todos fazem parte da Federação de Iatismo do Paraná.

As provas foram divididas entre as Classes Optimist, Laser 4,7 e Laser Radial, todos correram a mesa raia, mas com percursos diferentes. A secretária da Federação de Iatismo, Lígia Kraemer comemorou o sucesso da 3ª etapa dos Jogos de Aventura e Natureza.

“Nunca tínhamos tido tantos atletas competindo num evento aqui no Paraná. Estamos muito felizes com o resultado dos Jogos em Foz do Iguaçu”.

A Camila Wagner trouxe o filhão Milton, de 14 anos, o garoto treina há aproximadamente oito meses, eles vivem em Morretes, mas os treinos são Antonina.

Na barragem para a fronteira trouxeram muito espaço para o aprendizado. “Essa foi uma ótima oportunidade para o Milton se conhecer e aprender com as diversidades”, disse a mãe.

Pódio
Classe Optimist Feminino
1º Vitória Antunes Veiga – Foz do Iguaçu
2º Julia Maria Haddad – Foz do Iguaçu
3º Gabriela Antunes Veiga – Foz do Iguaçu

Classe Laiser 4,7 Feminino
1º Ana Laura Maihak – Foz do Iguaçu
2º Sabrina Lelli – Foz do Iguaçu
3º Vitória Eduarda Pugsley – Antonina

Classe Radial – Masculino
1º André Godoy – Foz do Iguaçu
2º João Pedro Alves – Foz do Iguaçu
3º Gustavo de Paula Santos – Antonina

Classe Laser 4,7
1º Luis Henrique Silva – Foz do Iguaçu
2º Jean Carlos Iarucheski – Foz do Iguaçu
3º Sebastian Neri – Assunção, Paraguai

Classe Optimist Geral
1º Eloi Shaffer – Foz do Iguaçu
2º Vitória Veiga – Foz do Iguaçu
3º João Vitor da Silva – Foz do Iguaçu

Skate
Com o tempo firme as atividades da terceira etapa dos Jogos de Aventura e Natureza puderam ser realizadas na Praça Almirante Tamandaré, no centro de Foz do Iguaçu.

Na pista, os 34 participantes aproveitaram para mostrar a habilidade com manobras arriscadas e bem radicais. As provas aconteceram em três categorias: Iniciantes, Feminina e Amador.

O Evandro Novaes, de 23 anos, que anda de skate desde os sete, veio de Cascavel para conquistar o primeiro lugar na modalidade Amador, a mais disputada deste domingo na terra das Cataratas.

“Os Jogos de Aventura e Natureza são muito importantes, servem de incentivo. Apesar do skate ser uma modalidade olímpica agora, ainda existe muito preconceito com quem pratica este esporte. Mas aos poucos eu acredito que as pessoas vão entender que é um esporte como qualquer outro e que merece respeito. Participar dos jogos me ajudou a aprender, a conhecer o novo, e ainda deu a oportunidade de viver momentos de diversão com os velhos e novos amigos”, comentou ele feliz da vida.

Pódio
Categoria Amador
1º Evandro Rodriguez – Cascavel
2º Renan Godoi – Paraguai
3º Victor Henrique – Foz do Iguaçu

Categoria Feminino
1º Luz Daihana Ramirez Salinas – Utagua, Paraguai
2º Erika Jannet – Assunção, Paraguai
3º Ana Beatriz dos Reis Santos – Foz do Iguaçu

Categoria Iniciante
1º Mateus Rafael de Assis – Foz do Iguaçu
2º Victor Gregorio – Foz do Iguaçu
3º Carlos Gabriel de Souza – Foz do Iguaçu

Fotos: Abel e Fábio Canhete

Brasil, Cultura, Destaques, Educação, Meio Ambiente, Turismo,

Último final de semana para moradores de Foz do Iguaçu visitarem o Parque das Aves gratuitamente

Nos dias 5 e 6 de outubro os moradores de Foz do Iguaçu ainda podem visitar o atrativo sem custo

Este é o último final de semana para os moradores de Foz do Iguaçu visitarem o Parque das Aves com entrada gratuita. Essa ação faz parte das festividades que estão acontecendo nos últimos três finais de semana, para celebrar os 25 anos de existência do Parque, comemorado no dia 7 de outubro.

Segundo Carmel Croucamp, diretora geral do Parque das Aves, o objetivo de abrir as portas do atrativo para a população de Foz é proporcionar à comunidade dias divertidos com a família e amigos, além de aprender mais sobre o trabalho de conservação da Mata Atlântica que o Parque das Aves desenvolve.

“Este é um momento de confraternizar e celebrar o trabalho que o Parque das Aves vem desenvolvendo ao longo de décadas. Tem sido muito gratificante reencontrar aqui amigos de longa data e funcionários que ajudaram a construir nossa história”, diz Carmel.

Há 25 anos, o Parque das Aves abria as portas para receber visitantes. Desde o início o atrativo trabalhou com resgate e abrigo de aves que sofreram com tráfico e maus tratos. Hoje o Parque das Aves foca seus esforços na conservação de espécies da Mata Atlântica, principalmente as 120 espécies e subespécies de aves em risco de extinção, tendo se tornado o maior parque de aves da América Latina.

Atualmente, o Parque das Aves é referência nacional no turismo ambiental. Regionalmente, o Parque gera 250 empregos diretos, fortalecendo a indústria de turismo de Foz e se consolidando como o atrativo mais visitado da cidade depois das Cataratas do Iguaçu.

Um mês de festas
Nos últimos três finais de semana, o Parque abriu gratuitamente suas portas para a comunidade de Foz, que veio conhecer de perto o trabalho de conservação realizado com aves da Mata Atlântica.

Carmel acrescenta que em 25 anos de história o Parque sempre foi muito bem recepcionado por vizinhos e moradores, então nada mais adequado que essa comemoração aconteça em conjunto.

“Esse legado é de Foz do Iguaçu. Queremos agradecer a comunidade por nos apoiar incondicionalmente todos esses anos”.

Sua foto no Parque
Cada imagem registrada revela um momento, por isso, o Parque quer a ajuda da comunidade para contar a história do Parque e os convida para ilustrarem com suas fotos os melhores momentos dessa história.

Os moradores de Foz do Iguaçu que enviarem fotos tiradas no atrativo para o email edu@parquedasaves.com.br ou compartilharem com a hashtag #25anosParquedasAves no Instagram ou no Facebook concorrerão a um par de ingressos* para o tour de bastidores Backstage Experience. Serão sorteados um total de quatro pares.

Parada obrigatória
O Parque está com novidades. Depois de passear pela trilha, que tal conhecer a loja de souvenirs? O calendário de mesa 2020 já está disponível, além de postais lindos com ilustrações de aves que habitam o Parque.

Se bater aquela fome depois da caminhada de 1,5 km de trilha, dá para fazer uma parada na lanchonete Tropicana, no meio da trilha, ou no restaurante Recanto dos Flamingos, ao final do passeio. As opções vão desde lanches frescos e muito saborosos, até refeições completas. Além disso, para afastar o calor, o visitante pode se refrescar com água de coco, picolés de sabores da região, caldo de cana e chopp artesanal local.

Sobre a comemoração do aniversário do Parque:
Local: Parque das Aves
Quando: Entrada gratuita no final de semana dos dias 5 e 6/10 para moradores de Foz do Iguaçu mediante apresentação de comprovante de endereço e documento de identificação com foto. Válido apenas para as datas acima em 2019. O Parque é aberto todos os dias, das 8h30 às 17h.

Campanha: No Facebook e Instagram, compartilhe sua foto com a hashtag #25anosParquedasAves

Sorteio: Ao compartilhar fotos antigas usando a hashtag, o morador de Foz do Iguaçu concorre a um par de ingressos para o Backstage Experience. As imagens podem ser enviadas também pelo e-mail edu@parquedasaves.com.br

Sobre o Parque das Aves
Com 25 anos de atuação e 250 colaboradores, o Parque das Aves é a única instituição do mundo focada na conservação de aves da Mata Atlântica. Possui 16 hectares de mata restaurada, 1.500 aves de 150 espécies diferentes, com três viveiros de imersão e um borboletário.

O objetivo do Parque das Aves é atuar investindo significativamente para criar um impacto positivo para as aves da Mata Atlântica, principalmente as 120 espécies e subespécies em risco de extinção.

O Parque das Aves recebe 830 mil visitantes por ano, sendo o atrativo mais visitado de Foz do Iguaçu depois das Cataratas.

*Ingressos válidos de terça a domingo, às 7h30, 10h30, 14h ou 16h, conforme disponibilidade de vagas. O agendamento do passeio deve ser feito com no mínimo uma semana de antecedência, pelo email xp@parquedasaves.com.br. Os ingressos devem ser utilizados até 31/12/2019. Promoção válida apenas para moradores de Foz do Iguaçu, mediante comprovante de residência e documento. A promoção apenas cobre os custos do passeio, e outros custos (deslocamento, alimentação, etc.) são por conta do contemplado.

Brasil, Cultura, Destaques, Economia, Internacional, Turismo,

Segmento do turismo vai sentir impacto sem o Horário de Verão. No Paraguai começa domingo, 6

Setores de gastronomia e hospedagem geraram em média 30% mais empregos durante o último período do Horário de Verão

O segmento de turismo e lazer será o principal afetado sem o horário especial do verão 2019/2020. A avaliação é da Confederação Nacional do Turismo (CNTur) e entidades filiadas, lamentando que este ano não será adotado o tradicional Horário de Verão. No Paraguai, horário diferenciado começa no domingo, 06.

A medida terá reflexos negativos, afirma a Federação das Empresas de Hospedagem, Gastronomia, Entretenimento e Similares (Feturismo). O estado dispõe duas costas – as cidades litorâneas que dependem essencialmente da alta temporada e a Oeste, na orla do Lago Itaipu, onde está Foz do Iguaçu, segunda destino do Brasil que mais recebe turistas estrangeiros.

“A nossa reclamação começou desde a ventilação do assunto e que culminou com o anuncio, no dia 05 de abril, como uma das primeiras medidas do governo Jair Bolsonaro”, disse Fábio Aguayo, vice-presidente de Relações Governamentais e Institucionais da Feturismo,

Mesmo assim, afirma Aguayo, “não perdemos a esperança e ainda acreditamos que haverá uma reviravolta no assunto durante o mandato do governo atual”, disse. A experiência deste ano vai ditar os próximos anos. “Por isso acreditamos no retorno do Horário de Verão”, ressaltou.

O dirigente da entidade lembra que, enquanto o Brasil dá as costas, o Paraguai adota a partir de domingo (06), o Horário de Verão, como estratégia para movimentar a economia. “Eles são espertos ou nós somos ingênuos?”, pergunta. Aguayo lembra que eles ainda tem Itaipu e sobre energia elétrica. “E ainda nos vendem o excedente”, disse.

Contexto
O Horário de Verão no Brasil começou no governo de Getúlio Vargas, em 1931 e foi adotado em períodos alternados. O atual período, encerrado este ano, ocorreu de 1985 até 2018. A prática de adiantar o relógio em uma hora, é um grande incentivo ao turismo do país e principalmente ao turismo interno.

A medida impacta nos negócios de milhares de brasileiros, especialmente nas cidades turísticas e litorâneas. “E olha que temos uma longa orla no Brasil, sem falar que os brasileiros e turistas internacionais aproveitavam uma hora a mais de luz solar para se dedicar ao lazer, esportes, saúde e claro ao seu tradicional happy hour em nossos ambientes”, lembra Aguayo.

“E o melhor de tudo é na sensação de bem-estar e segurança no entorno dos estabelecimentos de nosso setor e do comércio, com muita gente circulando, olhando as vitrines/cardápios”, afirma. Em função desta conjuntura, o setor afirma que o turismo perderá muito nestes quatro meses sem o Horário de Verão.

Incentivo
O setor de gastronomia e entretenimento era um dos mais privilegiados com a grande procura de clientes e turistas. “Para se ter uma ideia, no período, chegamos a promover 30% a mais na geração de empregos, sem falar na arrecadação de tributos ao erário, com produtos comercializados, especialmente bebidas que tem alta tributação de IPI e ICMS”, afirma Aguayo.

O setor, segundo a Feturismo, acredita que foi um erro a extinção, por decisão do presidente Bolsonaro. “Qualquer esforço de geração de empregos e renda, de fomentar a economia, é salutar e no horário de verão tinha essa magia, sem falar que existia um esforço de conscientização e uma onda de incentivo na pratica de exercícios físicos”.

Em 2017, para se ter uma ideia, a economia gerada com o horário de verão chegou a R$ 160 milhões. “Não podemos desprezar este valor, porque faz uma grande diferença na economia”, avalia. Enquanto outros segmentos estão penando, afirma Aguayo, o turismo tenta descolar da situação da crise.

“É um setor que tem campo para expansão e a melhora no turismo internacional, acaba fomentando o turismo interno e regional”, completou. Ele lembra que tanto o governo federal como estadual, colocaram como prioridade na agenda o turismo e sua importância para economia.

Foto: Arquivo/Google

Cultura, Destaques, Educação, Geral, Política,

Em Foz do Iguaçu, Saúde e Unioeste lançam protocolo para cuidar de vítimas de ideação e tentativa de suicídio

A Prefeitura de Foz do Iguaçu, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMSA), e a Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) lançam neste sábado (05), o primeiro Protocolo de Atendimento a Vítimas de Ideação e Tentativa de Suicídio para o sistema público e privado de saúde. A solenidade acontecerá às 9 horas, no auditório da Unioeste, e contará com a presença do vice-prefeito e secretário municipal de saúde, Nilton Bobato.

O evento também contará com uma palestra ministrada pelo médico e pós-doutor em culturas infantis e juvenis, Dr. Hugo Monteiro Ferreira. Ele também é professor da Universidade Federal de Pernambuco e especialista em neuropsicologia.

Protocolo
O protocolo foi desenvolvido através de um convênio entre a SMSA e a Unioeste e foi construído conjuntamente com as equipes das Diretorias de Assistência Especializada, Atenção Básica, Urgência e Emergência, Vigilância Sanitária e Epidemiológica, Samu, Hospital Municipal Padre Germano Lauck, Assistência Social e a coordenação do curso de Enfermagem da Unioeste.

O objetivo do documento é aperfeiçoar o atendimento da rede à pacientes com ideação de suicídio e vítimas de autoextermínio. O protocolo estabelece o fluxograma que contribuirá para garantir os encaminhamentos adequados dos pacientes na rede pública. A política é fundamental para prevenção do suicídio.

Dados
De acordo com dados epidemiológicos do suicídio, mais de 800 mil pessoas tiram a própria vida por ano no mundo, sendo a segunda maior causa de mortes em jovens entre 15 a 29 anos. No Brasil, são onze mil óbitos por ano. Conforme pesquisas, cerca de 90% das vítimas possuíam algum tipo de transtorno mental.

Em Foz do Iguaçu, foram notificadas 166 tentativas de suicídios e quatro óbitos em 2019. O maior índice nos últimos dez anos aconteceu em 2012, quando ocorreram 16 mortes.

A rede pública de saúde atua de portas abertas para o atendimento da ideação e tentativa de suicídio nas UBS, Caps e nas UPAS. Atualmente, o atendimento no HM é feito via regulação do Samu.