Browsing Category

Destaques

Destaques, Educação, Foz do Iguaçu, Paraná,

Foz do Iguaçu acerta em priorizar a educação no Orçamento Participativo, diz um dos criadores do programa

Nova versão do OP, na maiorias das cidades, tem como destaque os investimentos na educação, o que contribui com o desenvolvimento de outras políticas públicas

A Prefeitura de Foz do Iguaçu acerta para definir quais ações e projetos são essenciais, através do Orçamento Participativo (OP), para o desenvolvimento de todas as regiões da cidade, diz o sociólogo Felix Sanchez, 63 anos, um dos criadores do programa e coordenador do programa por duas vezes em São Paulo (1989-1992 e 2001-2004).

“É um caminho super certo que vai acabar contribuindo muito no estabelecimento de uma relação de maior qualidade, inclusive no desenvolvimento de outras políticas, de assistência, de atendimento à população de vulnerabilidade. Essa âncora na escola é muito importante, porque é um mecanismo de chegar nas periferias das cidades, de um jeito mais efetivo”, disse Feliz Sanchez, autor do livro “Orçamento Participativo, Teoria e Prática”.

Em 2021, a segunda edição do OP projeta R$ 50 milhões em investimentos nas cinco grandes regiões de Foz do Iguaçu. A escolha majoritária para obras em educação, acredita Felix Sanchez, é uma tendência daquilo que chama de “orçamento participativo criança”, uma experiência que está sendo levada em todos os continentes do mundo como uma política pública participativa e inovadora.

Nesta entrevista, o sociólogo fala mais da experiência que começou em Porto Alegre, replicada em São Paulo e outras mil cidades brasileiras a partir dos anos de 2000. Felix Sanchez tem 63 anos, é professor universitário, e atuou ainda no governo paraguaio entre 2008-2012.

Quando foi criado o orçamento participativo?

O Orçamento Participativo foi criado na década de 80 e sua primeira experiência foi em 1989 na prefeitura de Porto Alegre. Essa foi a primeira grande experiência que mostrou ser uma inovação na gestão das cidades. É tão potente que hoje está espalhada nos cincos continentes do mundo em cidades e capitais importantes.

Dessas experiências em Porto Alegre e em São Paulo, algumas se tornaram políticas públicas ou não?

Foram todas muito importantes. Em primeiro lugar, na gestão territorial da cidade. Em que sentido? No sentido que o OP tem funcionado como um mecanismo importante de governança propícia. De um lado a participação das comunidades e dos moradores. Para conseguir apontar, controlar, fiscalizar e gerir uma melhor administração dos serviços públicos e dos recursos aplicados para atendimentos das ações dos governos locais.

Nesse aspecto, a boa experiência que recorre às políticas públicas nas cidades se desdobra no aspecto da gestão dos serviços públicos aplicados em setores residenciais, como saúde e educação. Também na gestão dos territórios porque atende justamente uma administração mais racional das regiões em que se divide a cidade, e aí esse elemento que permite diminuir as desigualdades sociais por meio da participação ativa dos cidadãos.

Nesse sentido, poderia apontar por vários caminhos a contribuição das experiências das políticas públicas. Mas o interessante é ver que, por exemplo, hoje temos OP em Nova Iorque (EUA), em Londres (Inglaterra), só para dar exemplos.

Como está o OP em outras cidades e fora do Brasil?

Esta é uma política que deu certo, porque hoje está sendo praticamente consagrada a um processo que vem desde 1989 até o dia de hoje. É uma experiência que teve mais sucesso no ponto de vista de gestão das cidades, encorajou o desenvolvimento de um novo olhar mais sensível aos problemas mais tocantes, mais urgentes das populações. Por conta disso acabou se legitimando e ganhando uma grande autoridade de um ponto de vista das experiências.

O senhor falou de Nova Iorque e Londres, quais outras cidades?

É uma lista enorme. Vamos começar pelo Brasil, depois de Porto Alegre, isso pula para outros países da América Latina, desde a Ciudad del México, em Guatemala, em El Salvador. Na América do Sul, tem experiências muito importantes no Equador, na Colômbia, no Chile, na Argentina, no Paraguai e na capital Asunción já passou por uma experiência do OP.

Na América do Norte, foi o caso de Nova Iorque e várias cidades dos EUA, que também é um continente quase igual ao Brasil. Depois Paris, que é uma das experiências também muito importante que estão sendo desenvolvidas, além de várias outras cidades da França, em Londres, na Bélgica, na África, Moçambique. Vários países africanos têm OP, na Ásia, a Índia também tem várias cidades. Então, digamos que o orçamento participativo é um processo que está em ascensão no mundo.

O senhor falou a respeito de OP Criança. Como é esse modelo?

A primeira grande experiência foi feita em São Paulo quando coordenava o OP na prefeitura. Na verdade, comecei a implantar e a partir de 2002. Estabeleci uma discussão através do Observatório Internacional de Democracia Participativa que participei da sua criação e fiz parte do seu conselho diretor com experiência na Espanha, em Barcelona.

O pessoal da prefeitura de Barcelona somou uma discussão muito interessante, inclusive um debate que trouxemos para cá, que é justamente sobre mecanismos para melhorar a qualidade do ensino pelo estímulo da participação comunidade de educação que são os pais, os professores trabalhadores e os próprios estudantes. A partir disso começamos a desenvolver, em 2003, mais intensamente em 2004, um OP para crianças. Esse processo, inclusive, alicerçou a candidatura de São Paulo já em 2004 no torneio mundial de cultura em Nova Iorque e simultaneamente em Seul, na Coreia do Sul.

Levamos o prêmio de experiência mais importante nesse torneio mundial de cultura. Recebi o prêmio pessoalmente, pela área de ajuda humanitária. A premiação foi feita em 2004 e reconheceu o OP em geral, mas também o OP Criança, como um mecanismo de inovação muito importante de participação e esse processo continuou se espalhando.

Estava esquecendo de mencionar Lisboa (Portugal), que é uma cidade que abraçou a proposta e hoje em dia o OP entre os países de língua portuguesa, certamente é uma das experiências mais importantes, porque combina, na verdade, uma preocupação com o problema da educação justamente na educação na infância, mas dentro de uma concepção também mais larga, mais ampla, porque o processo educacional é entendido mais contemporaneamente, que envolve todas cidades.

O processo da educação que tem o apoio da escola na formação da criança, do jovem, depois do adulto, até o idoso, é muito importante. E o OP, nessa perspectiva de uma educação integral, que abrange todas as etapas das vidas dos seres humanos, é compreendido como um elemento que contribui com a melhoria da qualidade de vida das pessoas, isso em todos os países e em todos os lugares.

Foz do Iguaçu está na segunda edição do OP. Na primeira, as escolhas foram nas áreas de infraestrutura, mas nessa foi colocado até um limitador, por exemplo R$ 10 milhões na região sul, R$ 9 milhões foi para educação. Na região Leste foi colocado um limitador de R$ 6 milhões. Então, a própria comunidade, os professores estão se organizando em relação a usar a verba ou prever o recursos para educação. Nessa avaliação, o senhor considera que Foz do Iguaçu está no caminho certo?

Super certo e acho que é uma orientação que vai acabar contribuindo muito no estabelecimento de uma relação de maior qualidade, inclusive no desenvolvimento de outras políticas, de assistência, de atendimento à população de vulnerabilidade e por causa disso, essa âncora na escola é muito importante. Porque é um mecanismo de chegar nas periferias das cidades, de um jeito mais efetivo, mais tranquilo, porque tem uma vida cotidiana importante, é um serviço essencial.

O senhor falou também sobre o OP em cidades do Paraguai, além de Asunción, tem mais alguma cidade? Como está o OP lá?

O OP é uma experiência que acabou sendo interrompida. Em Asunción, houve uma mudança e o Partido Colorado retomou a prefeitura e interrompeu. Por outro lado, tem Encarnación, que fica ao sul do Paraguai. O candidato a prefeito Luiz Yd, que é candidato à reeleição, deve assumir o OP como uma orientação. Já recebi o contato do pessoal da equipe da campanha de governo. Eles estão muito interessados em implantar.

Também em Ciudad del Este estão querendo implantar?

Miguel Pietro está com 60% (nas pesquisas). É possível que implante e vai ser muito importante a experiência do OP. Acho que na articulação até com Foz do Iguaçu, que é uma cidade-gêmea, seria muito legal e importante para eles.

Qual sua formação?

Sou sociólogo, agora aposentado. Minha formação, sou professor, doutor, fui professor titular na PUC de São Paulo, na universidade federal de São Paulo. E trabalhei no governo (Fernando) Lugo, coordenando e atuando como assessor da Presidência da República e de participação na gestão.

Curitiba, Destaques, Paraná,

Entidade de turismo quer suspensão da verba de “socorro” ao transporte coletivo de Curitiba

Com a economia quase na normalidade os passageiros voltaram não justificando mais aporte público às empresas de ônibus

A Federação das Empresas de Hospedagem, Gastronomia, Entretenimento, Lazer e Similares do Paraná (FETURISMO), filiada a CNTur (Confederação Nacional de Turismo), solicitou ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-PR) a suspensão de pagamento do “socorro financeiro” ao transporte público de Curitiba. Em alerta encaminhado na sexta-feira (24), informa que o projeto deve ir a votação esta semana na Câmara de Vereadores.

A FETURISMO e entidades filiadas também pedem ao TCE uma investigação sobre a legalidade desse aporte de verba pública para acudir as empresas de ônibus que operam o serviço na capital. A mensagem, encaminhada ao prefeito Rafael Greca e à Câmara de Vereadores de Curitiba, chamava atenção para o regime de urgência da matéria, aprovado diante de muita chiadeira.

A federação pede e reforça ao TCE que determine a suspensão do pagamento, mesmo que aprovado pelos vereadores. A queda nos indicadores da covid-19 em Curitiba, onde boa parte da população já esta vacinada, fez com que quase todos os setores da economia estejam funcionando próximo ao período pré-pandemia, autorizados por decretos da prefeitura.

Normalidade

A flexibilização das medidas restritivas fez com que a circulação de pessoas aumentasse, inclusive no transporte público, informa o ofício. Tanto é que a própria prefeitura autorizou que os ônibus voltassem a circular com 100% da capacidade (em espaçamento entre passageiros incompatível com critérios adotados em outros logradouros e atividades comerciais, reflete a petição).

Diante disto, afirmam as entidades, não é justificável às empresas de ônibus alegarem dificuldades financeiras por causa de redução de passageiros, nem pedir novo socorro à prefeitura (outros dois já foram concedidos em 2020, com aprovação dos vereadores, numa soma total de R$ 288 milhões), retirando verba pública do atendimento à covid para este fim.

Contraponto

A Urbs, empresa que administra o transporte em Curitiba, alega diferente. Ela diz que a média era de 1,2 milhão de usuários/dia antes da pandemia. Com o agravamento do contágio pelo coronavírus, a média chegou a cair para 160 mil usuários/dia e, no início deste mês de setembro, ainda não tinha se recuperado, ficando em 438,9 mil usuários/dia.

Na mensagem a FETURISMO pede, além de medida cautelar suspendendo o pagamento, que o TCE investigue a utilização do dinheiro público para privilegiar poucas empresas de transporte, quando muitas outras do setor de gastronomia e turismo passaram por dificuldades muito maiores que o transporte coletivo.

Destaques, Foz do Iguaçu, Paraná, Saúde,

Saúde abre 800 vagas para vacinação contra a Covid em pessoas com 18 anos ou mais

Estas são as ultimas doses destinadas à população adulta; vacinação acontecerá nesta quarta-feira (29) em oito unidades de saúde

A Secretaria Municipal da Saúde abriu nesta terça-feira (28), o agendamento on-line para a vacinação contra a Covid-19 em pessoas com 18 anos ou mais.

Serão disponibilizadas 800 vagas para esta quarta-feira (29) em oito unidades de saúde: Três Lagoas, Lagoa Dourada, Portal da Foz, Jardim São Paulo II, Sol de Maio, Vila Yolanda, Vila C Nova e Porto Belo. O agendamento pode ser feito pelo site: https://vacinacao.pmfi.pr.gov.br/.

De acordo com a secretária de saúde, Rosa Maria Jerônymo, essas devem ser as últimas doses destinadas à população adulta, tendo em vista que o município já atingiu 105,5% de cobertura com a primeira dose, com 202.007 pessoas vacinadas. Com a segunda dose ou dose única, o município tem 59,5% de cobertura.

“Aquelas pessoas com mais de 18 anos que ainda não receberam a primeira dose devem fazer o agendamento e buscar a UBS para garantir a vacinação. Não sabemos ainda se receberemos novas doses para este público, já que ultrapassamos a estimativa”, explicou.

Os próximos lotes de vacinas devem ser destinados aos adolescentes de 12 a 17 anos (com ou sem comorbidades) e a dose de reforço em idosos e imunossuprimdos.

Vacinação

Nesta quarta-feira (29) equipes da Atenção Básica farão uma força-tarefa para vacinar cerca de 800 trabalhadores do frigorífico Lar, em Matelândia. São funcionários que trabalham no município vizinho, mas residem em Foz do Iguaçu e ainda não receberam a primeira dose.

Adolescentes

Amanhã também acontecerá a vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos com deficiência permanente ou comorbidades em seis unidades de saúde. O agendamento ainda está disponível no site da prefeitura.

Os jovens com comorbidades devem apresentar os documentos pessoais e uma declaração preenchida pelo médico (o modelo está disponível no site da vacinação), ou um atestado que possa ser validado pela equipe da unidade de saúde, contendo as informações necessárias para a confirmação da comorbidade.

Dose de Reforço

Idosos com mais de 70 anos e imunossuprimidos ainda podem procurar as cinco unidades de referência para receber a terceira dose, ou dose de reforço. São elas: Morumbi 2, AKLP, Vila Yolanda, Três Bandeiras e Padre Monti. Não há necessidade de fazer o agendamento.

As doses serão aplicadas em idosos que já completaram o esquema vacinal há pelo menos seis meses e nos imunossuprimidos que tomaram a segunda dose ou dose única há pelo menos 28 dias. Para receber a terceira dose, é necessário portar os documentos pessoais e o comprovante de vacinação.

Cascavel, Coronavírus, Destaques, Saúde,

Cascavel amplia vacinação contra a Covid para adolescentes com comorbidades com 12 anos ou mais nesta terça-feira (28)

Imunização do grupo, que estava prevista para acontecer na quinta-feira (30), foi antecipada, segundo a prefeitura

A Prefeitura de Cascavel, no oeste do Paraná, decidiu antecipar a imunização contra a Covid-19 de todos os adolescentes com comorbidades da cidade. Segundo a administração municipal, pessoas de 12 a 17 anos com comorbidades podem se vacinar nesta terça-feira (28).

Inicialmente, o grupo estava previsto para receber a primeira dose da vacina na quinta-feira (30). Na segunda-feira (26), foram vacinados os adolescentes com comorbidades com mais de 15 anos.

Para receber a vacina, é preciso que o adolescente vá até um ponto de vacinação com uma declaração médica que comprove a comorbidade acompanhado de um responsável legal. É preciso apresentar também CPF, documento com foto e comprovante de residência.

Segundo a prefeitura, a imunização acontece em todas as unidades de saúde do município, exceto as unidades dos bairros Floresta, Nova Cidade e Santa Cruz.

Veja mais em G1 Globo

Destaques, Economia, Itaipu Binacional,

Ponte da Integração Brasil-Paraguai deve ficar pronta em setembro de 2022

Já foram investidos aproximadamente R$ 162 milhões no projeto, de um total previsto de R$ 323 milhões. Recursos são da margem brasileira de Itaipu

O consórcio responsável pela construção da Ponte da Integração Brasil-Paraguai, entre Foz do Iguaçu (PR) e Presidente Franco (Alto Paraná), já concluiu mais de dois terços da obra e a expectativa é que a nova ligação entre os dois países seja entregue em setembro de 2022, daqui a um ano. As obras começaram em agosto de 2019.

A nova estrutura está em construção sobre o Rio Paraná, próximo da confluência com o Rio Iguaçu e da fronteira com a Argentina. A iniciativa é do governo federal, com gestão do governo do Estado, por meio do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR), e recursos da margem brasileira da Itaipu Binacional.

Conforme o último boletim técnico divulgado pelo consórcio, e publicado no portal do DER/PR, a construção alcançou 70% de execução neste mês de setembro. No boletim de agosto, a execução era de 67%. Os investimentos na obra já são de aproximadamente R$ 162 milhões, de um total calculado em R$ 323 milhões.

O documento informa que, neste mês de setembro, na margem brasileira, foi feito o posicionamento no vão central da ponte da terceira de um total de 37 aduelas metálicas (estrutura que formará a base da pista). De acordo com a nota técnica, “essa movimentação aconteceu através de um conjunto de treliças denominado ‘dispositivo de lançamento’, projetado e construído exclusivamente para posicionar as aduelas metálicas no vão central”.

Também em setembro, foi feita a pré-montagem de outras duas aduelas metálicas, no canteiro de obras, e finalizada a instalação de “tubos forma” no mastro principal brasileiro, que deverá atingir 188 metros de altura (da fundação ao topo da torre) até o final do mês.

Na margem paraguaia, o consórcio informou que foram tensionados os primeiros estais (cabos) verticais e iniciadas as pré-montagens de duas aduelas metálicas. “No mastro principal, as execuções da Câmara de Estais tiveram um avanço significativo, com o início do posicionamento das fôrmas metálicas internas perdidas e a concretagem de parte das paredes da estrutura”, complementa o documento.

Como será

A Ponte da Integração Brasil-Paraguai terá 760 metros de comprimento e vão-livre de 470 metros. Serão duas pistas simples com 3,6 metros de largura, acostamento de 3 metros e calçada de 1,70 metro nas laterais. A nova ponte permitirá que veículos pesados provenientes do Paraguai e da Argentina deixem de transitar pelo centro de Foz do Iguaçu, além de desafogar a Ponte Internacional da Amizade, hoje principal ligação entre Brasil e Paraguai.

Perimetral Leste

As obras da Perimetral Leste, rodovia de 15 quilômetros que vai conectar a nova ponte internacional à BR-277, continuam em andamento, conforme o boletim técnico divulgado pelo consórcio. Já foram executados 4,11% da obra, com investimento de aproximadamente R$ 4,2 milhões, recursos da margem brasileira de Itaipu.

No último dia 17, algumas melhorias incorporadas ao projeto da Perimetral foram apresentadas pela Itaipu, Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) e Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) em reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu (Codefoz).

A atualização no projeto foi necessária para permitir desapropriações e a inclusão de obras não previstas, como a construção de dois novos viadutos (no cruzamento da Perimetral com as avenidas Felipe Wandscheer e República Argentina) e ampliações das duas aduanas para controlar o fluxo de pedestres e carros de passeio.

Com as mudanças, a expectativa é que a Perimetral seja concluída em meados de 2023, com custo total de R$ 336 milhões. As mudanças ainda precisam ser aprovadas pelo Conselho de Administração da Itaipu.

Obras de Itaipu

A nova ponte internacional e a Perimetral Leste fazem parte do rol de obras financiadas pela Itaipu Binacional e anunciadas nos últimos dois anos. Entre elas, a reforma e a ampliação do terminal e da pista de pouso e decolagem do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu, a duplicação da BR-469 (Rodovia das Cataratas) e melhorias na infraestrutura de transmissão de energia. Os investimentos na região somam mais de R$ 2,5 bilhões.

“Faz parte da missão da empresa contribuir para o desenvolvimento do Brasil e Paraguai, com projetos que beneficiem a população em geral e fiquem como legado para as futuras gerações”, afirmou o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general João Francisco Ferreira.

Brasil, Destaques, Foz do Iguaçu,

Prefeito Chico Brasileiro acompanha ato de abertura da fronteira entre Foz do Iguaçu e Argentina

Solenidade ocorreu na tarde desta segunda em Puerto Iguazú

O prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro, participou do ato de abertura da Ponte da Fraternidade, que liga o Brasil à Argentina, na tarde desta segunda-feira (27). A solenidade em Puerto Iguazu, que faz fronteira com Foz, contou com a presença do ministro de Estado do Interior argentino, Wado de Pedro.

“Hoje, 27 de setembro, comemoramos o Dia Mundial de Turismo com uma grande festa. A abertura desta ponte era esperada há muito tempo, pois apesar de estarmos em países diferentes, na fronteira vivemos como um só povo”, comentou o prefeito.

A fronteira com a Argentina estava fechada há mais de um ano e meio. “Este foi um passo de extrema importância para que o turismo, a nossa indústria sem chaminé, ganhe ainda mais impulso neste momento de retomada, gerando emprego e renda para a nossa região”, disse Brasileiro.

O livre trânsito terrestre está permitido desde que as pessoas cumpram os protocolos estabelecidos pelo governo argentino, como a apresentação de comprovante de imunização contra a Covid-19 completa e teste RT-PCR negativo, realizado até 72 horas antes da entrada.

“Esta é uma região vocacionada para o turismo, e abrir a ponte neste momento com a segurança sanitária garantida é uma grande vitória tanto para os argentinos como para os brasileiros que nos visitam”, comentou Wado de Pedro.

A participação da Prefeitura de Foz do Iguaçu no ato foi uma construção diplomática articulada pelo Alejandro Massucco, Cônsul da Argentina em Foz do Iguaçu. “Temos boas relações com Foz e todas as suas autoridades, e neste momento tão importante, a presença de autoridades brasileiras fortalece ainda mais a integração dos povos”, ressaltou.

Presenças:

Também participaram do ato o vice-prefeito de Foz, delegado Francisco Sampaio; o secretário municipal de Turismo, Paulo Angeli; o secretário municipal de Segurança Pública, Reginaldo José da Silva; e o diretor de Assuntos Internacionais, Jihad Abu Ali.

Destaques, Educação, Foz do Iguaçu, Paraná,

Vestibular de verão 2022 UDC um dos maiores centro universitários e faculdades da região

As inscrições para o Vestibular de Verão UDC, com prova no dia 23 de outubro, estão abertas!

Cada vez mais é preciso dar um passo firme para o futuro e escolher a profissão. Na UDC são mais de 60 opções de cursos e várias formas de ingresso.

São 4 opções de ingresso nesse universo de inovação e muito conhecimento. A instituição está de portas abertas a quem tiver interesse em conhecer mais de perto toda a estrutura, os cursos e oportunidades que a UDC oferece.

As inscrições para o Vestibular de Verão UDC, com prova no dia 23 de outubro, estão abertas!

Para se tornar um estudante universitário, é possível também usar a nota do Enem e ainda ganhar descontos nas mensalidades. Começar uma segunda graduação ou transferir a graduação de outra instituição para UDC.

Quero ser udc, como fazer?

Inscreva-se no Vestibular de Verão 2022. Basta acessar o site www.udc.edu.br, entrar no botão vestibular e seguir as instruções. A inscrição é GRATUITA.

Enem – a pontuação mínima exigida para utilizar a nota do Enem é de 450, sem ter zerado na redação. É preciso apresentar na Secretaria o Índice de Rendimento Oficial do ENEM impresso (disponível na página do Enem). Importante: a nota da Média Geral do ENEM promove descontos proporcionais na mensalidade!

Segunda graduação – apresentar à Secretaria cópia do diploma autenticada e o histórico da graduação anterior.

Transferência externa – apresentar histórico escolar da Instituição de origem e o programa das disciplinas já cursadas para análise de dispensa pelo Coordenador do Curso.

UDC é grande

A UDC tem a disposição de seus estudantes mais de 120 laboratórios

Para entender bem de um assunto, é preciso ver, tocar, sentir e praticar.

Por isso, a UDC tem a disposição de seus estudantes mais de 120 laboratórios super equipados com as tecnologias mais novas e inovadoras que atendem a todos os nossos cursos.

Salas de aula

Quem é estudante sabe que a sala de aula é sua segunda casa!

A UDC sabe disso e oferece salas de aula equipadas e confortáveis, pois acredita que, além de uma boa metodologia de ensino, o ambiente precisa ser estimulador e completo.

Parcerias Internacionais

A UDC coloca o aluno em contato com estudantes e professores de universidades reconhecidas mundialmente através de parcerias internacionais.

É para sair da faculdade conhecendo diferentes culturas e na frente dos concorrentes no mercado de trabalho.

Venha nos conhecer mais de perto e fique ligado em todas as oportunidades que a UDC tem para você!

Destaques, Economia, Educação, Paraná,

Governador sanciona lei que vai destinar cerca de R$ 480 milhões para a Educação

O governador Carlos Massa Ratinho Junior sancionou na última sexta-feira (24) a Lei nº 20.716 que autoriza o Estado a financiar até US$ 90,56 milhões (cerca de R$ 480 milhões na cotação atual) junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Os recursos são para implantar o Programa Educação para o Futuro, que prevê uma série de ações para modernizar ainda mais a educação pública do Paraná.

Com uma contrapartida do próprio Estado, o programa tem quatro componentes principais: aprimorar a proposta pedagógica e uso de tecnologias educacionais; expandir e fortalecer a Educação Profissional; construir cinco colégios modelo e promover pelo menos 150 reformas e ampliações em unidades existentes; e melhorar a gestão da Secretaria.
A contratação da operação de crédito passou pela tramitação na Secretaria de Estado da Fazenda, análise da Procuradoria-Geral do Estado (PGE) e foi autorizada pela Assembleia Legislativa.

Os termos da proposta seguirão regulamentação estabelecida pelas autoridades monetárias encarregadas pela política econômica e financeira da União, conforme normas propostas pelo BID. Na sequência, o projeto será encaminhado para votação no Senado Federal, que autoriza a concessão de garantia pela União, para então ser assinado efetivamente.

A previsão é de que todos os trâmites sejam concluídos até o fim do ano para que o programa seja implantado já no início de 2022 na rede estadual de ensino.

De acordo com o governador Carlos Massa Ratinho Junior, o programa tem o objetivo de construir uma proposta pedagógica para o Ensino Médio, elevando a frequência escolar e reduzindo o abandono. Também tem a finalidade de expandir o uso de ferramentas e tecnologias educacionais a serviço do processo de ensino-aprendizagem.

“Educação é prioridade do Estado. Queremos superar os obstáculos impostos na aprendizagem dos estudantes, e, por meio dessa iniciativa, o Paraná vai avançar nessa área”, disse. Ratinho Junior destacou, ainda, que parte do recurso será destinado para fortalecer a Educação Profissional. “Dobraremos o número de vagas ofertadas no ensino profissionalizante da rede estadual, contribuindo para a qualificação profissional desses alunos”, afirmou.

Os investimentos, segundo o secretário de Estado da Educação e do Esporte (Seed), Renato Feder, também visam a reforma e ampliação de escolas já existentes, construindo unidades escolares de referência, com foco na expansão da Educação Profissional. “Com esse aporte financeiro, passaremos por uma transformação no setor. Vamos oferecer preparação e atualização para um ensino moderno, que realmente prepare os jovens paranaenses para o futuro”, disse.

As informações são de AEN

Destaques, Economia, Educação, Foz do Iguaçu, Itaipu Binacional,

Capacita Foz já beneficia 1.250 profissionais de Foz do Iguaçu

Programa também está com inscrições abertas para mais quatro capacitações, com 75 vagas cada uma. Iniciativa é da Itaipu Binacional, em parceria com o Polo Iguassu

O programa Capacita Foz, promovido pela Itaipu Binacional em parceria com o Instituto Polo Internacional Iguassu, já está com 11 cursos em andamento, que – juntos – somam cerca de 750 alunos. Outros quatro cursos começam nesta semana, com 500 alunos já aprovados, elevando o total para 1.250 participantes. O programa também está com inscrições abertas para mais quatro capacitações, com 75 vagas cada uma.

Os cursos têm duração de três meses e os alunos recebem, neste período, uma bolsa de estudos de R$ 550 (frequência mínima de 80%). No total, o Capacita Foz pretende atender a 2.250 profissionais de Foz do Iguaçu ligados direta ou indiretamente ao turismo, principal atividade econômica do município.

Os editais são lançados todas as segundas e quartas-feiras no site do Polo Iguassu (poloiguassu.org/capacitafoz). No mesmo endereço eletrônico, o interessado tem acesso a todas as informações e ao formulário de pré-inscrição, para concorrer a uma das vagas abertas. O critério de seleção considera a ordem de preenchimento da ficha.

De acordo com o Polo Iguassu, os interessados devem atender alguns requisitos, como não possuir vínculo empregatício nem estar recebendo benefício previdenciário ou assistencial, com exceção do Bolsa Família e Auxílio Emergencial, ou possuir renda familiar acima de três salários-mínimos.

Cursos

Os 11 cursos que já estão em andamento são: Qualidade no atendimento ao cliente, Guias de turismo (2), Técnicas para Garçom, Técnicas para Camareira de Meios de Hospedagem, Técnicas em Recepção de Meios de Hospedagem, Comunicação Assertiva Aplicada a Vendas, Motoristas de Turismo, Organização e Planejamento do Receptivo Turístico, Gestão de Pequenos Negócios e Eventos.

Nesta semana, começam as capacitações para Produtor Cultural, Marketing Digital Pessoal, Auxiliar de Cozinha e Gestão de Pequenos Negócios.

Os programas foram preparados a partir dos resultados de pesquisa de demanda realizada pelo Polo Iguassu e de conversas com empresários, instituições e parceiros para entender a realidade de cada segmento a ser contemplado.

Inscrições abertas

Até esta sexta-feira (1º de outubro), estão abertas as inscrições para o curso Recepcionista/atendente com Foco em escritório e também o curso de Português para Imigrantes.

Sobre o programa

Lançado em agosto, o Capacita Foz dá sequência ao projeto Capacita Guias, que qualificou, com aulas remotas, 225 guias de turismo da cidade, no ano passado. O programa teve como objetivo contribuir com os trabalhadores do turismo mais afetados pela crise da covid-19.

O diretor-geral brasileiro de Itaipu, general João Francisco Ferreira, afirma que a recuperação do setor é essencial para a retomada da economia da cidade e região. “O turismo foi duramente castigado pela pandemia. Com muito trabalho, e campanhas como o Vem pra Foz!, conseguimos posicionar Foz do Iguaçu como destino seguro para o turista e agora estamos preparando a cidade para um salto de qualidade no atendimento e nos serviços ofertados”, observa.

Coordenador do Capacita Foz, Lee Chih Li comemora os números. “Alcançamos quase 70% de nossa meta de ajudar 2.250 pessoas”, diz, referindo-se aos 1.250 alunos inscritos e os cerca de 300 que irão se inscrever nesta semana. “Isso nos anima muito, vendo que as pessoas estão conhecendo o projeto e se preocupando em se capacitarem para a retomada ao mercado de trabalho.”

Ainda segundo ele, “o Capacita Foz já realizou o pagamento das primeiras bolsas de estudo para os alunos da turma de Qualidade no Atendimento ao Cliente, que iniciaram as aulas em 23 de agosto, o que demonstra a seriedade e comprometimento de toda a equipe com os participantes e o projeto”.

Ainda está prevista uma segunda fase do Capacita Foz, com a criação de uma plataforma integrada de capacitações, divulgação e oferta de serviços desses profissionais. Numa terceira etapa, a vitrine on-line servirá como um canal de contato entre empresas e profissionais autônomos.

Parcerias

Para atender o público tão diversificado do projeto, o Capacita Foz está em contato com diversas instituições do turismo e comércio da cidade. Essas instituições são parceiras e vão ministrar algumas aulas durante as capacitações. Dentre elas estão: Itaipu Binacional, Senac Foz do Iguaçu, Sebrae, Uniamérica, Sest/Senat, ICMBio, Complexo Turístico Itaipu, Unila, Visit Iguassu, Secretaria de Turismo, Ministério do Turismo, Comtur, Fundo Iguaçu, Adetur, Movie Cars, Ceaec, Grupo Dreams, Parque das Aves, Blue Park, Marco das Três Fronteiras, Centro Cultural Beneficente Islâmico de Foz do Iguaçu (CCBI) e FozTrans.

Destaques, Economia, Foz do Iguaçu,

Foz poderá sediar a maior competição off-road das Américas

O deputado Vermelho surpreendeu as lideranças turísticas ao anunciar que em 2022 Foz do Iguaçu poderá sediar a largada do Rally dos Sertões, a maior competição off-road das Américas e uma das maiores do Planeta.

O deputado já conversou com os organizadores do evento que mostraram interesse em comemorar os 30 anos da competição partindo de Foz do Iguaçu com chegada em Belém do Pará.

“Nesta segunda-feira (27) agendamos uma reunião com o governador Ratinho Junior e os promotores do evento para aprofundar os detalhes. Se tudo der certo, uma equipe virá até nossa cidade para desenvolver o projeto”, disse Vermelho.

Neste ano de 2021, o Rally dos Sertões confirmou seu protagonismo com uma prova gigantesca com mais de 300 competidores entre carros, motos, quadriciclos e UTVs. “Milhares de pessoas virão a Foz assistir a largada e se hospedar em nossa rede hoteleira, desfrutar da nossa gastronomia e conhecer nossas atrações turísticas”, frisa o deputado.

Vermelho explicou que essa competição chega a envolver mais de 2 mil pessoas entre pilotos, organizadores e mecânicos. Na última edição participaram competidores de 116 cidades do Brasil e do exterior. O custo de inscrições varia de R$ 6 mil a R$ 18 mil.