Browsing Category

Destaques

Destaques, Paraná,

DER abre única proposta e define licitação do ferry-boat

Empresa que opera travessia da Ilha de Valadares foi a única que participou da fase final da licitação e poderá explorar a travessia na baía de Guaratuba pelos próximos 10 anos

A empresa Três Mosqueteiros, de Foz do Iguaçu, foi a única empresa habilitada para apresentar proposta de tarifa, na etapa final da licitação do ferry-boat em Guaratuba, hoje às 16h na sede do DER-PR (Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná), em Curitiba.

A outra concorrente, a F Andreis, que opera a travessia na baía de Guaratuba há quase 25 anos, foi desclassificada em dezembro passado, na fase de documentação. Ela recorreu e não teve o recursos acatado pela comissão de licitação do DER. O envelope da sua proposta de tarifa para a travessia da baía de Guaratuba, que teve de ser entregue junto com o envelope da documentação, no dia 1º de dezembro, foi devolvido sem ter sido aberto.

O envelope da Três Mosqueteiros, guardado desde dezembro pelo DER finalmente aberto e a proposta de tarifa básica (veículo de passeio) lida em voz alta: R$ 8,90. Hoje é de R$ 7,40. O valor máximo era de R$ 9,15.

A declaração da vencedora ainda precisa ser formalizada pela comissão e pela direção do DER, dentro de 5 dias. Se não houver nenhuma decisão judicial contrária, a empresa iguaçuense, que também opera a travessa de balsa na Ilha de Valadares, em Paranaguá, vai operar o ferry-boat de Guaratuba pelos próximos 10 anos, num concessão avaliada em aproximadamente R$ 134 milhões. A atual concessão vence no próximo dia 7 de abril.

Além da nova tarifa, o serviço terá de ter melhorias. A empresa terá de revitalizar todo o pavimento e a sinalização da área concessionada, reformar e adequar os quatro conjuntos de atracadouros, e implantar ciclovias. Também serão revitalizadas as edificações da concessão, incluindo as bilheterias, lanchonete e instalações do Serviço de Atendimento ao Usuário.

No caso da venda de bilhetes, por exemplo, podem ser propostas alternativas para a compra via internet ou aplicativo para celular, com o objetivo de reduzir as filas de espera nas bilheterias. Ela pode propor a exploração comercial, com abertura de lojas ou colocação de publicidade nos terminais, acessos ou áreas de serviço e lazer.

Também deverá ser disponibilizada barreira flutuante para contenção na eventualidade de vazamento de óleo, com aproximadamente 130 boias, ou quantas forem necessárias para atender toda a extensão da área.

Caso a concessionária opte por utilizar os três ferry-boats de propriedade do DER/PR, deverá instalar em cada embarcação um mecanismo metálico antiqueda, que trave as rodas dos veículos, evitando o deslocamento durante a travessia.

Isenção

Ficam isentos do pagamento de tarifa os veículos emplacados e pertencentes a proprietários que residem no município de Guaratuba, para uma viagem de ida e volta, uma vez ao dia, conforme estabelecido na lei estadual número 15.749/07.

Também terão trânsito livre nas embarcações veículos oficiais do Batalhão de Polícia Rodoviária, do Corpo de Bombeiros e ambulâncias a serviço, das forças militares em instrução ou manobra, e do Governo do Paraná.

Descontos

A concessionária também poderá oferecer descontos e promoções na tarifa, visando aumentar o número de usuários do ferry-boat durante períodos, dias e horários com baixa demanda, bem como estender benefícios semelhantes para usuários frequentes da travessia, como moradores e comerciantes que habitam outros municípios do Litoral. A iniciativa é de responsabilidade da empresa, com aprovação do DER/PR.

Por: Correio do Litoral

Destaques, Economia, Foz do Iguaçu,

Parceria entre Prefeitura e Sebrae já beneficiou 7.500 empresas de Foz do Iguaçu

Programas desenvolvidos em conjunto ajudaram as empresas e o município na retomada da economia, depois da paralisação provocada pela covid-19

Em um ano e meio da parceria entre a Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu e o Sebrae Paraná, no Programa Foz Desenvolve, mais de 7.500 empresas da cidade foram atendidas em demandas como emissão de licenças de funcionamento e regularização. Neste mesmo período, mais de 2.200 empresários obtiveram empréstimo a juro zero – ação fundamental para garantir a continuidade das atividades em virtude das consequências da pandemia de coronavírus.

Os resultados da parceria foram apresentados em encontro nesta quinta-feira, 14, no escritório do Sebrae, em Foz do Iguaçu. O objetivo do Foz Desenvolve é a melhoria do ambiente econômico do município, com o foco em ações que beneficiam diretamente empresários, e aprimoramento nos processos internos da administração municipal para assegurar maior agilidade e segurança.

Entre as ações desenvolvidas pela Prefeitura em conjunto com o Sebrae estão o DestravaFoz, que deu maior celeridade aos procedimentos de emissão de licenças de funcionamento empresarial, tornando o município referência para o Estado. As atividades de baixo risco, por exemplo, agora têm licenças de funcionamento emitidas em menos de um dia.

Já o programa Resgate Empresarial faz a identificação das empresas que possuem dificuldade para exercer suas atividades e necessitam de regularização, oferecendo apoio de profissionais capacitados para auxiliar o processo.

A criação da Central do Empreendedor, que entrou em funcionamento em novembro do ano passado, foi outro resultado. Em um único espaço, estão reunidos todos os serviços relacionados à abertura e regularização de empresas, visando facilitar e fomentar a atividade empreendedora.

O Foz Juro Zero também integra a parceria e foi fundamental para a retomada econômica da cidade, com a liberação de mais de R$ 12 milhões em linhas de crédito com juro zero para profissionais autônomos e liberais, trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEIs) e microempresários (MEs).

“Os resultados são muito significativos para a classe empreendedora e geradora de emprego. Essa parceria deve continuar nos próximos anos, a fim de promover ainda mais melhorias e desenvolvimento para a cidade”, afirma o vice-prefeito Francisco Sampaio.

Para Augusto Stein, gerente do Sebrae Paraná, “Foz do Iguaçu se destaca como uma vitrine de ótimos programas para o Estado e para o País, oferecendo aos empreendedores condições de apoio para seu fortalecimento, graças à atuação da Prefeitura”. “As inúmeras visitas de outros municípios para conhecer os trabalhos de Foz do Iguaçu demonstram que a cidade é uma referência”, complementa Stein.

“Foz do Iguaçu tem condições de atingir patamares ainda melhores nas ações empresariais e vai precisar do apoio da sociedade e servidores para melhorar ainda mais o ambiente de negócios. Esta integração é a fórmula que vai gerar mais oportunidade para os empreendedores locais”, afirma a secretária municipal da Fazenda Salete Horst.

Processos internos

O Foz Desenvolve também viabilizou melhorias nos processos da Prefeitura. Um exemplo é o programa de Compras Públicas, que vem gerando economia nas aquisições da administração municipal, além da preparação da equipe de compradores e de empresas com a intenção de aproveitar esse mercado como fornecedores. Com essa finalidade, foi intensificada a ação do Escritório de Compras, que auxilia na disseminação das oportunidades de aquisições municipais e na busca de fornecedores locais para se tornarem fornecedores.

Outras ações realizadas entre Prefeitura e Sebrae foram a adequação da legislação do Distrito Industrial e apoio aos industriais, consultorias, orientações, preparações empresariais, regularização dos espaços públicos para exploração comercial, Logística Reversa, programas de Inovação e Tecnologia, entre outras.

A Prefeitura e o Sebrae Paraná estão definindo ações futuras da parceria, que deverá ter continuidade com maior ênfase no desenvolvimento de Foz do Iguaçu.

Participaram do encontro o vice-prefeito de Foz, Francisco Sampaio; a secretária municipal da Fazenda, Salete Horst; secretário do Desenvolvimento Comercial, Industrial e Agropecuário, João Pereira dos Santos; o secretário de Transparência e Governança, José Elias Castro Gomes; o gerente regional do Sebrae Paraná, Augusto Stein; e o consultor do Sebrae de políticas públicas de Foz do Iguaçu, Marcelo Padilha; além de outros técnicos do Sebrae e Prefeitura.

Destaques, Itaipu Binacional, Paraná,

Itaipu vai realizar obras no Paraná

Como o governo do Estado não tem capacidade para tanto, Itaipu firmou convênios com o governo estadual, com anuência do governo federal, para a realização de obras nos contornos de Guaíra e Cascavel e a revitalização da Ponte Ayrton Senna, em Guaíra. Os documentos, assinados no final de 2020, oficializam investimento de R$ 193.576.403,50 nos municípios do Oeste nos próximos anos, sendo assim distribuídos: contorno de Guaíra: R$ 65.845.507,26; ponte de Guaíra: R$ 26.171.923,85; e contorno e acesso de Cascavel: R$ 101.558.972,39.

Segundo o diretor-geral brasileiro de Itaipu Binacional, Joaquim Luna e Silva, as obras e a boa relação institucional entre a Itaipu e o Estado do Paraná seguem uma diretriz do governo federal. “A Itaipu Binacional está transformando cada megawatt-hora produzido em legado para a população paranaense. Além disso, neste momento em que são necessárias ações para a retomada do crescimento econômico, estamos comprometidos com a geração de novas oportunidades de emprego e renda”, destacou.

Esses três novos contratos fazem parte do pacote de R$ 1,4 bilhão viabilizado pela binacional em obras no Paraná. Entre elas estão a Ponte da Integração Brasil – Paraguai, a ampliação da pista do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu e a duplicação da Rodovia das Cataratas; a implementação da Estrada Boiadeira, entre Porto Camargo e Umuarama; além de parques, casas, e reformas em estruturas de segurança pública.

“A Itaipu Binacional tem auxiliado o Governo na implementação do projeto de transformar o Paraná em um hub logístico na América do Sul. Com esses investimentos, que têm contrapartida técnica ou financeira do Estado, estamos tirando do papel demandas represadas da região Oeste e que serão fundamentais para o nosso desenvolvimento”, afirmou o governador Ratinho Junior.

Guaíra

Uma das obras é o Contorno de Guaíra, que terá 4,6 quilômetros de extensão. Ele vai da BR-163 (acesso ao Mato Grosso do Sul), logo na primeira saída da ponte, à BR-272 (ligação com Umuarama). É uma antiga reivindicação de Guaíra, que enfrenta problemas no trânsito e dificuldades de manutenção da Rua Oswaldo Cruz e da Avenida Almirante Tamandaré (trechos municipalizados da BR-163), que recebem o fluxo intenso de caminhões.

Outro convênio com Guaíra é da modernização da Ponte Ayrton Senna, que liga o município e o Paraná ao Mato Grosso do Sul. A intervenção completa envolve restauração (patologias, sinalização e dispositivos de segurança) do trecho de 3,6 quilômetros da ponte sobre o Rio Paraná, recuperação asfáltica de 1,1 quilômetro de acessos entre o fim do perímetro urbano de Guaíra e o início da ponte e substituição da iluminação (serão 134 novos postes fotovoltaicos autônomos).

Cascavel

A obra em Cascavel tem extensão de 19,07 quilômetros. A primeira obra é a duplicação integral do trecho de 14,28 quilômetros do Contorno Oeste, conectando a BR-277 (ligação com Foz do Iguaçu) à BR-163 (acesso à Toledo e ao Sudoeste). A segunda é a construção de um acesso até a Avenida Brasil, de 4,7 quilômetros, na altura do bairro Santo Inácio. (AEN).

Por: Fábio Campana

Destaques, Paraná, Saúde,

Governo vai usar frota aérea para agilizar transporte da vacina no Paraná

Três aviões e um helicóptero serão incorporados à frota de caminhões para agilizar o transporte do imunizante para as 22 Regionais de Saúde do Estado, repetindo a estratégia usada na testagem da população. Juntas, as aeronaves têm capacidade para transportar em torno de 3 mil quilos por viagem.

O Governo do Estado apresentou nesta sexta-feira (15) parte da estrutura logística que será usada na distribuição das vacinas contra a Covid-19 no Paraná. Três aviões e um helicóptero serão incorporados à frota de caminhões para agilizar o transporte do imunizante para as 22 Regionais de Saúde, atingindo todo o Estado. A intenção é garantir a aplicação da vacina nos paranaenses o mais rapidamente possível. O evento com a participação de técnicos da Saúde e da Casa Militar ocorreu no Aeroporto do Bacacheri, em Curitiba.

De acordo com a Casa Militar, um novo avião, em fase final de aquisição pelo Governo, será integrado ao sistema de imunização em até 30 dias. E, se necessário, a frota que atende a Segurança Pública também pode ser utilizada.

“Vamos usar a experiência adquirida no transporte de órgãos para transplante, em que o Paraná é referência, e também nos testes para a Covid. Só no ano passado foram 500 horas/voo, garantindo agilidade e rapidez”, destacou o chefe da Casa Militar, tenente-coronel Welby Pereira Sales.

Ele ressaltou que o transporte para o Interior será feito por meio de rotas aéreas, atendendo mais de uma Regional da Saúde por viagem. O planejamento é para que as aeronaves sejam usadas em deslocamentos maiores.

Com o ingresso das aeronaves, o tempo de deslocamento para que todos os municípios sejam abastecidos é estimado em 48 a 72 horas. “O helicóptero, por exemplo, pode ser utilizado para chegar em locais de difícil acesso”, disse. “Será um serviço de excelência, com a vacina chegando o mais rapidamente possível para a população”, acrescentou o chefe da Casa Militar.

Economia

Sales reforçou que o novo avião, um King Air, foi comprado pelo Estado com os recursos economizados com a devolução do jatinho alugado que em outras gestões atendia ao governador. A medida foi determinada pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior e integrou a reforma administrativa que tornou o Estado mais enxuto.

“E a frota do Governo não vai aumentar, já que com a chegada desta aeronave, duas outras antigas, do tipo Caravan de 1985, serão leiloadas”, explicou.

Vacinação

O processo de vacinação no Paraná vai seguir o Plano Nacional de Imunização (PNI) elaborado pelo Governo Federal. O Ministério da Saúde espera começar na próxima semana as imunizações dos grupos considerados de risco. A estimativa é que o Estado receba 100 mil dos 2 milhões de doses do imunizante desenvolvido pela Universidade de Oxford e pelo Laboratório AstraZeneca. As vacinas serão importadas do Instituto Serum, um dos centros da AstraZeneca para a produção da vacina na Índia, pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Além disso, destacou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, a expectativa é por outras 300 mil doses do imunizante Coronavac, do laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo. A diretoria colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) vai se reunir no domingo (17) para discutir os pedidos de autorização para uso emergencial dos imunizantes.

De acordo com o secretário, o grupo prioritário estadual é formado por cerca de 272 mil profissionais da linha de frente do combate à Covid-19, índios acima de 18 anos mapeados em comunidades isoladas de 30 municípios do Paraná e idosos que vivem em asilos e casas de repouso. “Será um processo que deve durar o ano todo, de forma escalonada conforme forem chegando as vacinas. Mas a ideia é conseguir imunizar o grupo de risco em até 90 dias e quatro milhões de paranaenses até o fim de maio”, afirmou Beto Preto.

Transporte terrestre

Além das aeronaves, o Governo do Estado conta com quatro caminhões com baús refrigerados, todos monitorados por satélite, para distribuição das vacinas. Cada veículo tem capacidade de transportar aproximadamente 228 mil frascos do imunizante.

Com a incorporação da frota aérea, o planejamento prevê utilizar os caminhões para viagens mais curtas, com o deslocamento para cidades próximas de Curitiba. Os principais centros de distribuição dos materiais funcionam na capital.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, esses veículos costumam transportar por mês de 600 mil a 1 milhão de doses de vacinas para outras doenças.

Outros nove caminhões estão à disposição para o carregamento da chamada carga seca, formada por luvas, seringas, agulhas, máscaras, aventais e outros itens. Cinco são da Secretaria da Saúde e quatro da Defesa Civil do Paraná. Cada veículo consegue transportar 18 toneladas de material.

O deslocamento deste material para as 22 Regionais de Saúde começou nesta sexta-feira (15). “A ordem do governador Ratinho Junior é para imunizar o Paraná por inteiro, todos os 399 municípios. A vacina será distribuída de maneira igualitária, atendendo a todos os paranaenses”, reforçou o secretário. 

Apenas entre agulhas e seringas, o Estado conta atualmente com 11 milhões de unidades em estoque, quantidade que vai saltar para 27 milhões nos próximos dias com a compra de mais 16 milhões, em fase final de aquisição pela Secretaria de Estado da Saúde.

Centro de distribuição

Os materiais para a campanha de vacinação contra a Covid-19 estão centrados em dois pontos principais de Curitiba: o Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), para vacinas e carga seca, e o Ginásio de Esportes do Tarumã, apenas para carga seca.

Desses locais saem todos os produtos que vão garantir o processo de imunização contra o coronavírus em todos os 399 municípios paranaenses. São ao todo 1.850 salas de vacinação.

A estrutura paranaense conta ainda com 21 câmaras frias já adquiridas e outras 180 em processo de aquisição. Mais 31 câmaras frias para armazenamento serão compradas em parceria com o governo federal. O Estado dispõe também de freezers para produção de gelo, equipamentos de ar-condicionado, contêineres refrigerados de 40 pés para armazenamento de 100 mil doses de vacinas, caminhões refrigerados para distribuição de imunizantes e a perspectiva de implantação de câmaras modulares para armazenamento de frios nas Regionais de Saúde.

Destaques, Foz do Iguaçu, Itaipu Binacional,

Em fase de implementação, semáfaros inteligentes em bairro de Foz do Iguaçu recebem ajustes

Durante essa quinta-feira, dia 14, as equipes do PTI-BR e Foztrans realizaram vistoria e ajustes nos semáforos

Nesta semana, os primeiros equipamentos de inteligência artificial instalados na Vila A começaram a funcionar, em um período de testes.

O perímetro da Vila A envolvendo as avenidas Silvio Américo Sasdelli, Garibaldi, Tancredo Neves e a BR-277 passou a contar com tecnologias de cidades inteligentes: semáforos e pontos de iluminação pública inteligentes, câmeras de reconhecimento facial e câmeras de identificação de veículos.

Desde segunda-feira, dia 11, as equipes técnicas do Foztrans, do Parque Tecnológico Itaipu (PTI) e da empresa contratada trabalham conjuntamente para ajustar as configurações desses equipamentos.

Na tarde de hoje, 14, foram reparados alguns problemas técnicos que prejudicaram o funcionamento adequado do semáforo entre as avenidas Araucária e Paraná nos períodos de maior tráfego de veículos.

A previsão é que na próxima semana todos estes equipamentos estejam funcionando normalmente, permitindo que a população da região perceba melhor os seus benefícios.

“Nesta primeira semana de operação estão ocorrendo ajustes e testes de configuração. Os problemas identificados estão sendo reportados à empresa fornecedora da tecnologia que está trabalhando para corrigi-los. O princípio do semáforo inteligente é liberar o fluxo de veículos onde justamente há o maior tráfego. Estamos trabalhando para oferecer a melhor solução para nossos cidadãos”, explicou o diretor superintendente do Parque Tecnológico, general Eduardo Garrido.

Destaques, Foz do Iguaçu, Itaipu Binacional,

Obras do Mercado Municipal de Foz do Iguaçu entram na fase final

Expectativa é que trabalhos sejam concluídos em maio. Investimento é de R$ 14,5 milhões, com recursos da margem brasileira da Itaipu Binacional.

A construção do Mercado Municipal de Foz do Iguaçu, na Vila A, já está com 65% das obras concluídas e entrou na fase final de execução. A entrega da terceira e última etapa dos trabalhos está prevista para maio. O investimento é de R$ 14,5 milhões, com projeto do Parque Tecnológico Itaipu (PTI) e recursos da Itaipu Binacional.

Na manhã desta quinta-feira (14), um guindaste com capacidade para cem toneladas foi usado para posicionar três aparelhos de ar condicionado sobre o teto da estrutura. Cada peça tem entre 600 e 800 quilos. A operação exigiu o fechamento de um dos sentidos da Avenida Araucária e contou com apoio do Foztrans.

“Aqui o problema maior não é o peso, mas a distância onde o equipamento será instalado”, explicou o engenheiro Rogério Vicente, da Divisão de Infraestrutura e Manutenção (ODMI.CD) de Itaipu. Da rua ao ponto onde o aparelho foi posicionado, no teto do mercado, são 48 metros. “Por isso, o guindaste precisa ter um braço longo e contrapeso.”

Outros cinco equipamentos menores, que também compõem o sistema de refrigeração do prédio, já tinham sido instalados, totalizando oito unidades. Os mais potentes chegam a ter capacidade de 200 mil BTUs.

De acordo com Vicente, os trabalhos mais pesados da construção do Mercado Municipal já foram finalizados. Na parte externa, faltam a conclusão de dois estacionamentos (as bases estão prontas), a instalação de paver (que depende de condições climáticas favoráveis), algumas escadas e rampas de acesso.

Internamente, os boxes foram instalados, assim como torres de ar condicionado, banheiros, anexo de área administrativa, escritório, instalação de dutos, entre outros serviços. Ainda será feito o cabeamento elétrico, concluída a instalação de cerâmica, algumas divisórias, portas-rolo nos boxes, luminárias e outros equipamentos. “Basicamente, é a fase de acabamento”, explicou.

Cronograma

As obras do mercado começaram em 2018, em um antigo galpão da extinta Cobal, e foram divididas em três fases. A primeira contemplou troca do telhado e reforço na estrutura de todo o prédio; na fase seguinte, a empresa contratada não conseguiu terminar o serviço e foi necessária uma nova licitação, o que gerou atraso no cronograma. A terceira e última fase, com duração prevista de dez meses, será concluída dentro do prazo, apesar dos problemas gerados pela pandemia de covid-19, como falta de materiais.

O Mercado Municipal terá 3.750 metros quadrados e 70 boxes moduláveis, que devem receber diferentes tipos de comércio, como hortifrutigranjeiros, açougue, peixaria, laticínios e frios, empório, bebidas, mercearia, quiosques e restaurante. O modelo de concessão dos espaços, para as pessoas interessadas em ter um boxe no mercado, está em fase de elaboração pelo Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) e será divulgado nos próximos meses.

A expectativa é que o empreendimento atraia moradores de Foz do Iguaçu e visitantes. Um novo circuito turístico está sendo desenvolvido pela Itaipu, ligando o novo mercado à usina, passando por pontos históricos que remetem à época da construção de Itaipu. A gestão dos passeios será feita também pelo PTI, responsável pelo Complexo Turístico Itaipu (CTI).

Mais empregos

Além da contratação de pessoal para a construção do Mercado da Vila A, a expectativa é que o empreendimento, quando aberto ao público, gere cerca de 500 empregos diretos e indiretos. A iniciativa se soma a outros investimentos feitos na região com recursos de Itaipu, que, juntos, representam um aporte de R$ 2,4 bilhões e mais de 2,5 mil empregos.

Os projetos incluem desde construção de ciclovias e pistas de caminhadas até a execução de obras estruturantes, como a Ponte da Integração Brasil-Paraguai, a ampliação do Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), a duplicação da BR-469 (a Rodovia das Cataratas), a ampliação da pista do Aeroporto Internacional do Iguaçu e novos contratos para a modernização do setor elétrico brasileiro.

O diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, observa que a maioria dos investimentos já estava prevista antes da pandemia e foi fundamental para a recuperação econômica da região nesse período delicado. “São obras que abrem vagas de trabalho, melhoram a infraestrutura de toda a região e dão mais qualidade de vida para a nossa gente.”

Fotos: Rubens Fraulini

Destaques, Foz do Iguaçu, Itaipu Binacional,

Itaipu, prefeitura e Governo do Estado iniciam planejamento para Natal 2021: “Memorável”

Objetivo é que a população se aproprie do natal para consolidá-lo como atração turística no fim do ano em Foz.

A Itaipu já iniciou o planejamento para a realização do Natal de 2021. Representantes da Binacional realizaram a primeira reunião com a prefeitura de Foz na semana passada e nesta semana outra reunião foi realizada envolvendo o trade turístico e o governo do estado. O Secretário Estadual de Desenvolvimento Sustentável de Turismo, Márcio Nunes, participou da reunião. A ideia é consolidar o Natal de Foz como atração turística no fim do ano.

De acordo com o Secretário de Turismo de Foz, Paulo Angeli, o projeto também conta com o apoio da iniciativa privada. “A iniciativa privada já está se movimentando, a prefeitura demonstrou interesse neste natal, a Itaipu já demonstrou interesse, então através da Secretaria de Turismo, da Fundação Cultural, nós vamos criar um projeto que realmente faça a diferença” afirmou.

Angeli salienta também que o objetivo é incluir a população no projeto. Queremos fazer um natal memorável, o objetivo é que seja a cada ano mais lindo possível, para que a população se aproprie dele e consequentemente chame demanda turística” ponderou. O projeto contempla a participação massiva da sociedade, envolvendo, inclusive, escolas e alunos.

O Natal de Foz deverá se basear no que é realizado em Gramado e Canela, que está entre os eventos mais tradicionais do país. Representantes da Itaipu Binacional estão no Rio Grande do Sul nesta semana realizando reuniões para definir o projeto que será implantado em Foz do Iguaçu.

Estado vai aportar recursos

De acordo com o Secretário Marcio Nunes, o estado deverá aportar recursos para a realização do natal em Foz, além de investir na divulgação do evento. “O estado dará a contribuição financeira, o estado não tem como desenvolver o programa, isso deve ficar por conta da sociedade iguaçuense. O Governo do Estado vai estar participando com recursos financeiros e através da mídia” informou.

Por: Rádio Cultura

Chico Brasileiro, Destaques, Saúde,

Chico Brasileiro detalha início da vacinação em Foz do Iguaçu. Assista!

O prefeito Chico Brasileiro detalhou nesta sexta-feira, 15, como será o início da vacinação contra o coronavírus em Foz do Iguaçu. A cidade, no primeiro momento, deve receber na semana que vem três mil doses do imunizante da Secretaria Estadual de Saúde e o grupo, entre os prioritários, que vai receber as primeiras vacinas será os profissionais de saúde da linha de frente no atendimento aos pacientes com a covid-19.

“O ministro de Saúde (Eduardo Pazuello) nos informou que a primeira remessa seria da Astrazeneca, essa seria a primeira fase, e em seguida receberíamos uma grande quantidade de doses da Coronavac”, disse Chico Brasileiro em entrevista à imprensa.

A prefeitura, segundo Chico Brasileiro, vai receber as vacinas em dose dupla. “Os trabalhadores da saúde no geral terão prioridades, porém a prioridade da prioridade, que são aqueles que receberão as doses iniciais, são os que estão trabalhando com a covid-19”, reiterou.

Rede

O prefeito adiantou que as vacinas serão aplicadas diretamente no hospital municipal Padre Germano Lauck, hospital Costa Cavalcanti, hospital da Unimed, Upas e Samu. “Em seguida, a vacina será aplicada nos outros profissionais de saúde quando chegar a segunda remessa. Mas temos também os idosos, começando pela faixa de 75 anos, depois vai reduzindo essas faixas, mas a prioridade será os idosos hospedados em clínicas, abrigos, asilos e em situação de vulnerabilidade”.

“Foz do Iguaçu está preparada para começar a aplicação da vacina. Outros grupos de pessoas que têm doenças e outras comorbidades serão definidos na próxima fase, de acordo com o número de vacinas que vão chegar no Brasil, de outras marcas, que o Ministério da Saúde está negociando”.

Chico Brasileiro afirmou que a logística está preparada, que a vacinação vai começar, mas que é necessário manter os cuidados para evitar o contágio e a transmissão. “Vamos continuar nos protegendo porque a pandemia não acabou, vai ser importante que todos participem e no devido momento, todos serão imunizados para que nossa cidade possa estar protegida contra a covid-19”, completou.

Destaques, Foz do Iguaçu, Geral,

Tecnologia: Startup iguaçuense vai representar o Brasil em evento de inovação global, no Japão

Fiber Fio está desenvolvendo embalagem biodegradável com polímero alternativo e participa de projeto de aceleração com multinacionais.

Foi durante uma despretensiosa conversa de corredor que as acadêmicas do curso de Engenharia Química, da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), Isadora Saraiva Zamataro, Mariana Siqueira e Gabriele Bueno decidiram que o ambiente universitário seria ideal para testar ideias e inovar. Dispostas a criar algo diferenciado, as acadêmicas perceberam que poderiam unir química com meio ambiente, solucionando um dos maiores desafios do mundo atual: o uso excessivo de plástico e a dificuldade de degradação do material.

“Queríamos um projeto para iniciação científica e estávamos nos aprofundando na questão do plástico. Submetemos essa ideia de aproveitamento do material para impressoras 3D, inicialmente. Nossos professores nos motivaram, dizendo que podíamos pensar em algo a longo prazo. Pensamos, então, em criar um material polimérico que fosse mais sustentável e assim nasceu a startup Fiber Bio”, relata Mariana.

As universitárias pesquisaram, fizeram testes, validaram a ideia e se inscreveram no Sinapse de Inovação, um programa de incentivo ao empreendedorismo inovador, promovido pelo Governo do Estado do Paraná por meio da Fundação Araucária, com operação da Fundação Certi e apoio do Sebrae/PR e Sistema Fiep. Selecionadas, receberam aporte financeiro e direcionaram quase que a totalidade do valor para a pesquisa.

“No Sinapse, também recebemos consultorias do Sebrae/PR e vimos que tínhamos um potencial de grande alcance que não era aproveitado. Na formatação do nosso modelo de negócio, descobrimos que a nossa startup não terá apenas um produto, mas uma solução que carrega propósito e uma causa importante para o planeta”, detalha a empreendedora.

Para impulsionar o projeto, as acadêmicas decidiram mudar a estratégia dos pitches, as apresentações do negócio para potenciais investidores ou apoiadores. Não por acaso se inscreveram no Programa Startups Connected, da Câmara Brasil-Alemanha de São Paulo e também foram selecionadas, o que viabilizou a aceleração durante três meses para cocriação de uma solução com a Voith Paper e Klabin.

“Agora, a aceleração de duas multinacionais diretamente ligadas ao que elas estão se propondo fazer permite que as empresas invistam seus capitais tecnológicos e humanos para aprimorar o que já foi feito até aqui, podendo tornar o produto realidade”, indica o consultor do Sebrae/PR, Osvaldo Brotto.

De Foz do Iguaçu para o mundo

Com a bandeira da sustentabilidade fortalecida em cada etapa de desenvolvimento da Fiber Bio, Mariana, Gabriele e Isadora ganharam visibilidade mundial. Por isso, ainda em 2020, a startup foi uma das sete selecionadas para representar o Brasil no Innovation Leaders Summit 2021, evento que será realizado em Tóquio, no Japão e reunirá startups de vários países para um processo intenso de aceleração, mentorias e networking.

“A história da Fiber Bio começa ainda em 2018, com três meninas que queriam criar um projeto para iniciação científica. Em 2019, abrimos a empresa e em 2020 começamos a ganhar visibilidade e recursos para crescer. Tínhamos uma série de planos que foram apagados pela pandemia. Nos sentimos perdidas, mas o Sebrae/PR nos instigou a pensar fora da caixa e aproveitar o tempo para formatar o nosso negócio não mais como um trabalho acadêmico, mas como uma solução de mercado. Estamos animadas com o que está por vir”, finaliza Mariana Siqueira.

Por conta da pandemia, os prazos de aceleração com Voith Paper e Klabin foram prorrogados e o evento programado para ocorrer no Japão será realizado em ambiente totalmente online. Até o momento, o polímero sustentável e alternativo da Fiber Bio continua em etapa de pesquisas, validações e testes. A previsão é que, com o apoio das multinacionais envolvidas, a inovação passe a ser testada ainda em 2021. Para saber mais sobre o projeto.

Por: O Iguassu

Destaques, Foz do Iguaçu, Itaipu Binacional,

Oportunidade: Consórcio da Perimetral Leste de Foz do Iguaçu abre vagas para laboratoristas

Estão sendo contratados encarregado de laboratório, laboratorista e auxiliar de laboratório. Obra é promovida com recursos da margem brasileira da Itaipu Binacional, cujos investimentos estão gerando 2,5 mil vagas na construção civil

O Consórcio JL – Planaterra – Iguatemi, responsável pelas obras da Perimetral Leste de Foz do Iguaçu (PR), que receberá investimentos de R$ 140 milhões da margem brasileira da Itaipu Binacional, está com vagas abertas para encarregado de laboratório, laboratorista e auxiliar de laboratório. É preciso ter experiência com solos, concreto e CBUQ (concreto betuminoso usinado a quente).

Os currículos apenas para essas três vagas devem ser encaminhados para o e-mail roger.andre@construtorajl.com. Todas as demais contratações para a obra serão feitas pelo sistema nacional de vagas na página Trabalha Brasil e também serão divulgadas. No pico da construção, a expectativa do consórcio é gerar de 400 a 500 vagas diretas.

A construção da Perimetral Leste deve começar em março. O novo acesso, com 15 quilômetros, fará a ligação entre a Ponte da Integração Brasil-Paraguai, entre Foz do Iguaçu e Presidente Franco, e a rodovia BR-277.

A obra ajudará a desviar o trânsito de cargas pesadas da área central e turística da cidade. A perimetral está prevista para ser entregue em meados de 2022.

Obras de Itaipu geram 2,5 mil empregos

No total, a Itaipu direcionou aportes de R$ 2,4 bilhões para obras como a Perimetral Leste, a Ponte da Integração, a construção do Mercado Municipal de Foz, entre outras, além de novos contratos para modernização do setor elétrico brasileiro. Juntas, essas iniciativas somam mais de 2,5 mil empregos.

Para o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, a abertura dessas frentes de trabalho se baseia no tripé “propósito, planejamento e perseverança”. “Emprego mata a fome e devolve dignidade”, afirma.