Browsing Category

Destaques

Destaques, Foz do Iguaçu, Geral,

Polícia Civil investiga quadrilha ligada ao “golpe da entrega errada” em Foz do Iguaçu

A Polícia Civil está investigando uma quadrilha suspeita de aplicar o “golpe da entrega errada” em Foz do Iguaçu.

O esquema foi descoberto após a apuração de boletins de ocorrência registrados na 6ª Subdivisão Policial. Segundo o levantamento, pelo menos seis pessoas já foram vítimas do crime. 

O golpe não é novo, mas vem chamando a atenção das forças de segurança na fronteira pela ousadia dos criminosos. O crime segue um script bastante conhecido por especialistas, no qual os fraudadores realizam compras de itens de valor pela internet utilizando dados cadastrais de clientes “legítimos” e pagam com cartões de crédito clonados.

O grande detalhe deste esquema é o endereço de entrega. Segundo a polícia, neste tipo de fraude o produto comprado pelos golpistas chega a ser entregue na casa da própria vítima, que teve os dados pessoais roubados.  

Sem saber de nada, a pessoa acaba recebendo a encomenda. Posteriormente, a suposta empresa onde o item foi comprado entra em contato e afirma que houve um engano na entrega e que um funcionário será enviado à casa da vítima para retirar o produto e repassá-lo ao legítimo comprador. 

A forma como os estelionatários conseguem roubar os dados para realizar as compras está sendo apurada pelos investigadores. O objetivo, a princípio, é alertar a população para que fique atenta a entregas suspeitas. Em geral, os itens preferidos pelos criminosos são eletrodomésticos de alto valor. 

“Essa pessoa que chega para retirar o produto não representa a empresa onde o bem foi comprado, nem a vítima. É um terceiro, um estelionatário que fez o cadastro falso, adquiriu o produto de forma fraudulenta e está obtendo vantagem recebendo essa mercadoria”, explicou a delegada Araci Carmem Costa Vargas. 

Depois de descobrir a forma como a quadrilha atua a orientação da delegada é para que as pessoas acionem a polícia ao desconfiarem que foram vítimas do golpe. “Nossa orientação é para que as vítimas, quando receberem esse tipo de entrega, segure a mercadoria junto com a nota fiscal e entre em contato com a loja responsável pela venda para verificar o que de fato aconteceu. Na dúvida, procure a Polícia Civil”, alertou. 

Cuidado com a internet 

A internet facilita muito a vida, especialmente em tempos de isolamento social. Entretanto, é preciso ter cuidado para não cair em armadilhas e ter os dados roubados. Alguns criminosos utilizam técnicas muito avançadas para obter informações sigilosas, mas um pouco de atenção pode dificultar a atuação deles. 

Muitas quadrilhas usam a técnica do e-mail falso. Nela os criminosos enviam fotos, boletos falsos de cobrança e até mesmo correntes de ajuda. Junto ao anexo é disponibilizado um link que a vítima deve acessar. Ao clicar neste endereço é instalado um arquivo Trojan (popular Cavalo de Tróia) no computador da pessoa.  

Esses “Trojans” são capazes de capturar senhas, números de cartões e até mesmo alterar o endereço de destino do provedor de Internet, programando o discador para se conectar em outro provedor não solicitado.

Por meio desses “vírus”, criminosos tem acesso a todos os dados pessoais das vítimas, que são usados para cometer diversos tipos de fraudes, como o golpe da entrega errada, roubos bancários e protesto falso de títulos. 

Por: GDia

Coronavírus em Foz do Iguaçu, Destaques, Saúde,

Foz do Iguaçu registra 88 casos de Coronavírus em 24 horas. São 41 mulheres e 47 homens infectados

A Vigilância Epidemiológica de Foz do Iguaçu confirma na data de hoje, 09/07/2020, 88 novos casos positivos de COVID-19, totalizando 1.586 casos da doença no município.

São 41 mulheres e 47 homens com idades entre 1 e 84 anos.

Dos novos casos, 4 estão internados e os demais em isolamento domiciliar.

A Vigilância Epidemiológica monitora todos os casos confirmados, bem como os contatos próximos dos pacientes, a fim de evitar a disseminação da doença.

Dos 1.586 casos confirmados, 1.011 já estão recuperados, 516 estão em isolamento domiciliar, 44 pessoas estão internadas e o município também registrou 15 óbitos.

Destaques, Foz do Iguaçu, Itaipu Binacional,

Auxílio de Itaipu garante sustento de associação de catadores de Entre Rios do Oeste por seis meses

A Associação de Entre Rios do Oeste é uma das vinculadas ao Programa Coleta Solidária, da Itaipu.

Os profissionais da Associação Entrerriense de Catadores (Asec), de Entre Rios do Oeste, receberam na semana passada, cestas básicas e materiais de higiene e limpeza comprados com parte do fundo de auxílio eventual concedido pela Itaipu para ajudar as entidades a enfrentarem a pandemia da covid-19. O valor será vital para manter a entidade e os catadores pelos próximos seis meses. A Asec é uma das associações vinculadas à Itaipu por meio do programa Coleta Solidária e que receberá auxílio neste tempo de pandemia.

“Os recursos do auxílio eventual da Itaipu são uma importante ajuda para garantir um mínimo de condições para as entidades que prestam um inestimável trabalho socioambiental na região. Com esta ajuda, Itaipu faz sua parte para que a Associação passe pela crise enquanto não for possível retomar as suas atividades”, afirmou coordenador do Grupo de Trabalho Estratégico da Covid-19 da Itaipu

O valor será usado para a compra de máscaras de proteção, cestas básicas, kits de material de higiene pessoal e produtos de limpeza, materiais de primeiro socorro, além de outros produtos destinados aos catadores, às suas famílias e à própria entidade. Quatro containers para os resíduos também foram comprados com parte do valor.

A Asec foi fundada em novembro de 2010, com o objetivo de realizar a coleta do material reciclado do município, trazendo impacto social, econômico e ambiental. Atualmente, seis catadores trabalham na associação e a venda do material reciclado corresponde a toda a renda destes profissionais. Nos últimos meses, foram coletadas 18 toneladas de materiais reciclados em Entre Rios do Oeste.

Auxílio eventual

A margem brasileira da Itaipu destinou R$ 5,5 milhões do fundo de auxílio eventual para ajudar entidades humanitárias que perderam renda em consequência da pandemia da covid-19, na região Oeste do Paraná. Inicialmente, o recurso era de US$ 250 mil, (cerca de R$ 1,3 milhão), mas a empresa aumentou o auxílio para os R$ 5,5milhões que vão atender no total 76 instituições.

Ao todo, a usina já investiu R$ 23 milhões no combate à doença. O valor inclui a reestruturação do Hospital Ministro Costa Cavalcanti, mantido pela usina, com recursos de R$ 15 milhões, e um convênio de R$ 4 milhões, em parceria com o governo do Estado, para contratação de bolsistas da área de saúde em todo o território do Paraná, entre outras medidas. Todas as ações seguem as diretrizes do governo federal para ajudar os mais vulneráveis.

Crédito: Gabriela Fernanda Sandri/ prefeitura de Entre Rios do Oeste

Destaques, Foz do Iguaçu, Turismo,

Pós-Covid: Foz do Iguaçu vai buscar reposicionamento em relação ao turista doméstico na retomada

Foz do Iguaçu vai buscar o reposicionamento em relação ao mercado brasileiro na retomada da atividade turística após a crise sanitária devido ao novo Coronavírus.

O aquecimento do setor econômico será fundamental para a recuperação de postos de trabalho. Antes da pandemia, o destino turístico já se mantinha entre os três mais visitados por turistas internacionais no Brasil.

No entanto, o turismo doméstico ainda pode melhorar, afirmam representantes do trade turístico entrevistados pela jornalista Fabíola Sinimbú, para reportagem especial do Portal EBC (Agência Brasil). O Brasil, em especial Foz do Iguaçu, vive um período atípico devido as fronteiras fechadas, o que favorece as viagens internas no país.

A intenção é explorar o turismo de natureza, lazer, eventos corporativos e de compras para atrair este filão do mercado. A atividade turística em Foz do Iguaçu permanece fechada devido um decreto estadual. A Secretaria Municipal de Turismo calcula que o mês de julho tenha taxa de ocupação de apenas 8%, mesmo com o fim normativa, prevista para o dia 15. 

O setor aposta em uma boa temporada de turismo nacional para dezembro. A retomada integral, com a força do turismo internacional, somente em 2021. 

“Nós temos consciência de que as atividades não podem ser retomadas, mesmo com o cumprimento de todos os protocolos de responsabilidade sanitária que a gente implantou”, explicou o secretário de Turismo, Gilma Piolla. Ele lembra que Foz do Iguaçu foi um dos primeiros destinos a implantar as medidas, “mas a gente acredita que o momento certo de retomada é na curva descendente da pandemia”, disse.

Regional

As regiões turísticas do Paraná também estão apostando na retomada do turismo regional, mas o setor pede ajuda. Os planos para a volta das atividades foram debatidos na manhã de terça-feira (7), na audiência pública virtual “Efeitos da pandemia no setor do turismo e possíveis ações emergenciais”, da Comissão de Turismo da Assembleia Legislativa.

O evento, convocado pelo presidente da comissão, deputado Soldado Fruet, começou com a apresentação das ações planejadas pela Paraná Turismo. Segundo o presidente Jacob Mehl, a autarquia vem trabalhando para a retomada do setor em conjunto com entidades de classe, Sebrae e Secretaria de Estado da Saúde.

Por: GDia

Destaques, Economia, Paraná,

Governo do Paraná volta atrás e libera serviço de delivery para restaurantes em shoppings centers

Resolução é válida para 141 cidades que estão incluídas no decreto que impõem uma quarentena mais restritiva

A Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) baixou nesta quinta-feira (09), a resolução 875/2020 modificando o decreto 4.942 de 30 de junho, com medidas rígidas no enfrentamento da emergência em saúde pública decorrente do Coronavírus (Covid-19). A mudança permite aos restaurantes e lanchonetes em shoppings centers, centros e galerias comerciais, atuar com delivery (entrega de produtos em domicílio).

No início da semana, os fiscais da Prefeitura de Curitiba fecharam quatro shoppings centers da capital, após denúncia de que no interior dos estabelecimentos haviam empresas atuando, contrariando decretos estadual e municipal. As sanções com multas de até R$ 4 mil, que tiveram como alvo os shoppings Pátio Batel, Crystal, Mueller e ParkShoppingBarigui, provocaram a revolta de entidades representativas.

A nova medida representa um alento para o setor de gastronomia. Ela 141 cidades que estão incluídas no decreto que impõem uma quarentena mais restritiva no Paraná.  “Gostaríamos de agradecer a sensibilidade do secretário Beto Preto e do governador Ratinho Junior, por dar esta isonomia aos estabelecimentos dentro dos shoppings”, disse Fábio Aguayo, presidente da Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar).

O sistema de delivery não é o ideal e não vai salvar as contas, afirma. “Mas, pelo menos, vai dar uma chance do empresário girar seu caixa e também não ter o desperdício de alimentos”, disse Aguayo. A Abrabar, junto com o Sindicato dos Lojistas do Comércio Estabelecidos em Shopping Centers de Curitiba (SindiShopping), fez manifesto conjunto contra o fechamento dos estabelecimentos. 

Atuação conjunta

O presidente destacou o trabalho conjunto com o SindiShoppings e sua presidente, Carolina Assis, no sentido de pedir a revisão do decreto estadual. “Temos que trabalhar juntos, não só o nosso setor de gastronomia e de rua, mas também dentro dos shoppings centers, com os sindicatos lojistas”, disse Aguayo. 

“O momento agora é da gente sensibilizar o poder público e o quanto antes terminar esta quarentena e para ela não ser renovada para 21 dias”.  Este é o desejo de todos os empresários, “que possam trabalhar em paz, pelo menos para salvar os empregos, as empresas e a sanidade mental de todos nós”. 

Aguayo lembra que muitos dos colegas, infelizmente, estão partindo por não aguentar a pressão. No início do mês três empresários do setor morreram durante a pandemia.

Contexto

Os restaurantes e lanchonetes abrangidos na Resolução ficam autorizados a atender apenas por meio de entrega de produtos em domicílio (delivery). Somente estão autorizados a adentrar nestes estabelecimentos os funcionários ou responsáveis pelo serviço de entrega dos alimentos. Ficam vedadas as demais modalidades de comercialização de alimentos, como a retirada expressa sem desembarque (drive thru) e a retirada em balcão (take away).

Coronavírus em Foz do Iguaçu, Destaques, Saúde,

Idosa de 66 anos é a 15ª vítima da Covid-19 em Foz do Iguaçu

Idosa de 66 anos estava internada no Hospital Municipal desde o dia 1º de julho

O município de Foz do Iguaçu lamenta informar o 15º óbito de paciente vítima da Covid-19, ocorrido nesta quinta-feira (09). A idosa, de 66 anos, estava internada no Hospital Municipal Padre Germano Lauck desde o dia 1º de julho.

A paciente, com resultado positivo para o novo coronavírus, buscou atendimento no hospital por indicação médica, apresentando tosse seca, dor epigástrica, dispnéia e ausência de apetite. A idosa foi admitida na enfermaria da ala Covid e transferida para a UTI no dia 5 de julho, onde fez uso de ventilação mecânica.

A paciente, que era tabagista e tinha histórico de doença autoimune, não resistiu as complicações ocasionadas pelo novo coronavírus, evoluindo com quadro de pneumonia, infecção respiratória e parada cardiorrespiratória, vindo a falecer no início da tarde desta quinta-feira.

O hospital seguiu todo o protocolo de manejo do corpo, conforme determina as autoridades em saúde. Os velórios e funerais de pacientes confirmados/suspeitos da Covid-19 não são recomendados devido à aglomeração de pessoas em ambientes fechados. Nesse caso, o risco de transmissão também está associado ao contato entre familiares e amigos.

O Governo Municipal e o Hospital Padre Germano Lauck se solidarizam com familiares e amigos e prestam condolências neste momento de profunda tristeza.

Destaques, Justiça,

Covid- 19: Tribunal de Contas apura ilegalidades em contratos de 102 municípios do Paraná

Investigação aponta desde compra de produtos com sobrepreço, até contratações não relacionada a covid-19

No segundo balanço realizado desde o início da pandemia, a comissão especial criada pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) para analisar gastos de prefeituras com a Covid-19, em conjunto com o acompanhamento realizado pelo Ministério Público de Contas (MPC-PR), identificou aproximadamente 120 indícios de ilegalidades e irregularidades em 233 processos avaliados. As entidades estão agora sendo notificadas para que promovam a correção dos processos, sob pena de diversas sanções aos ordenadores de despesas e demais envolvidos.

O trabalho vem apontando desde compra de produtos na área da saúde com sobrepreço até contratações que não têm relação com o combate ao coronavírus e utilizam indevidamente a legislação específica para esta finalidade. A comissão do TCE-PR já identificou, entre outras irregularidades, a falta de justificativa dos quantitativos adquiridos, o pagamento de materiais com preço superior ao do mercado, a aquisição de bens e serviços não vinculados com o combate à Covid-19 e a continuação de processos licitatórios de forma presencial, ignorando as ferramentas tecnológicas disponíveis para a realização do pregão eletrônico.

Outra preocupação recorrente da comissão tem sido a contratação de serviços médicos intermediados por empresas, com a identificação de casos nos quais os municípios ficam sem qualquer tipo de controle sobre a prestação do serviço e a produtividade. “Os municípios precisam equilibrar a urgência que o momento exige com um mínimo de planejamento, especialmente agora em que enfrentam queda na arrecadação”, afirma o coordenador-geral de Fiscalização do TCE-PR, Rafael Ayres,

Serviços médicos

Um dos processos avaliados pela comissão do Tribunal de Contas aponta ausência de critérios de fiscalização e controle na execução dos serviços de um contrato em vigor no Município de Flórida (Norte do Estado). Pelas informações prestadas pela própria administração municipal, teria havido apenas um atendimento na localidade destinada à prestação dos serviços específicos atinentes ao contrato, que já vigorava há mais de um mês.

Apontou-se ainda que a contratação não foi precedida da adequada pesquisa de preços, ante a consulta de potenciais fornecedores que aparentemente pertenciam ao mesmo grupo societário, o que resultou em uma contratação de profissionais a um custo correspondente a três vezes a remuneração paga aos médicos efetivos do município.

Máscaras

Em outra análise, os técnicos do Tribunal verificaram processo da Prefeitura de Santo Antônio do Sudoeste para a aquisição de máscaras descartáveis. O processo, que resultou na contratação da empresa do irmão de um vereador, reuniu indícios de que foram ignorados os requisitos de habilitação jurídica (empresa de ramo distinto para máscaras cirúrgicas) e técnica (emissão pela própria Câmara Municipal), além de um sobrepreço de 100% se comparado com outro município e 37% se comparado com outra aquisição do próprio município.

Destaques, Economia, Paraná,

Governo do Estado deve reavaliar nesta sexta-feira (10) se mantém ‘quarentena’ no PR, diz Ratinho Jr.

O governador Ratinho Júnior (PSD) afirmou hoje que o governo do Estado deve reavaliar, amanhã, o decreto que determinou o fechamento do comércio e serviços essenciais de 141 municípios de 8 regiões do Paraná por 14 dias. Segundo ele, o prazo inicial do decreto termina na próxima terça-feira, e até lá, a Secretaria de Estado da Saúde deve decidir se prorroga a quarentena mais rigorosa, ou não.

“Ela pode (ser prorrogada) se a Secretaria da Saúde entender. Amanhã devemos fazer a avaliação. Terça-feira termina o prazo do decreto atual”, explicou ele em entrevista à RPC. “O que define se continua ou não é a incidência de pessoas infectadas, número de leitos de UTI”, afirmou o governador. “O decreto tem surtido efeito, o isolamento social ajuda sim a diminuir a proliferação do vírus”, disse Ratinho Jr, afirmando que com as novas medidas, o índice de isolamento social, que estava em cerca de 38% antes, chegou a mais de 40%, sendo que o ideal seria acima de 50%. “Por enquanto, o isolamento é o grande remédio que nós temos. Isso difícil, é duro, mas enquanto não tiver uma vacina que resolva o problema do vírus vamos ter que conviver com o isolamento”, defendeu.

O governador afirmou ainda que a volta às aulas não deve acontecer tão cedo. “Acho muito difícil isso acontecer antes de setembro”, disse.

O boletim de ontem da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), apontou que o Paraná tem 880 mortes e 35.324 casos confirmados de Covid-19, com 43 novas mortes pela doença e 1.386 casos a mais de Covid-19 nas últimas 24 horas.

Ratinho Jr defendeu, também, a proposta do governo de congelar os salários dos servidores públicos estaduais até dezembro de 2021. “A lei federal já nos obriga a não dar nenhum tipo de reajuste para os servidores. Foi uma lei aprovada pelo Congresso para os estados terem ajuda federal”, alegou. “Não tem dinheiro”, argumentou o governador.

Por: Política em Debate

Destaques, Foz do Iguaçu, Meio Ambiente,

Plantel de pacas do Refúgio Biológico da Itaipu ganha novo integrante

Nascimento demonstra que os animais estão bem adaptados e com bom potencial reprodutivo. Atualmente, são oito exemplares de paca no Refúgio, seis machos e duas fêmeas.

A lontrinha resgatada no litoral que chegou ao Refúgio Biológico Bela Vista da Itaipu Binacional, no final de junho, não é a única fofura conquistando a equipe do local. No dia 20 de maio, nasceu no RBV uma paca macho (Cuniculus paca), filhote de um casal de moradores da unidade. O animal ainda não tem nome. Os pais escolheram como abrigo uma toca feita de manilha forrada com palha – e a mãe está sempre de olho na cria.

Segundo o médico veterinário Zalmir Cubas, “esse nascimento é importante, pois demonstra que os animais estão bem adaptados e com um bom potencial reprodutivo”. Atualmente, são oito exemplares de paca no Refúgio, seis machos e duas fêmeas. O primeiro nascimento foi de uma fêmea, em setembro de 2018.

A criação de pacas no Refúgio teve início em 2016, com a transferência de alguns animais de um criadouro em Curitiba. Atualmente, a espécie está listada no plano de coleção da Itaipu, ou seja, é uma espécie prioritária para a reprodução e conservação. Os filhotes gerados poderão ser utilizados em programas de repovoamento em áreas protegidas do reservatório ou em unidades de conservação.

Considerada o segundo maior roedor do Brasil, perdendo apenas para a capivara, a paca é uma espécie comum em todo o território nacional. São animais robustos, medindo de 62 a 70 cm de comprimento e pesando de 6 a 13 kg. Apresenta listas longitudinais no corpo e cauda. Os dentes crescem continuamente, por isso o animal precisa roer para desgastá-los. São animais de hábito noturno e que cavam tocas para se protegerem de predadores naturais.

A IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais) e o ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) classificam a paca como estando em condição menos preocupante de conservação. Porém, no Estado do Paraná, o bicho está em situação de vulnerabilidade, com suas populações em declínio, principalmente em razão da caça ilegal e da perda de habitat.

A gestação da paca é de aproximadamente 115 dias e os filhotes são precoces, ou seja, nascem com pelagem parecida com a de adulto e com os olhos abertos. Como são mais lentos nas primeiras semanas de vida e podem ser facilmente predados, têm por hábito ficarem na toca esperando pelo retorno da mãe para amamentá-los.

Pacas comem sementes, frutos, talos e folhas. No Refúgio Biológico recebem uma dieta composta de verduras, tubérculos, frutas e ração para roedores.

O Zoológico Roberto Ribas Lange da Itaipu Binacional conserva uma população de 370 animais silvestres de 65 espécies de Mata Atlântica. O trabalho desenvolvido integra o programa 239 “Gestão Ambiental”, ação 4180, “Conservação da Biodiversidade – Fauna” da Divisão de Áreas Protegidas da Itaipu (MARP.CD), que tem por objetivo contribuir para a conservação da biodiversidade faunística na Bacia do Rio Paraná e garantir os serviços ecossistêmicos na área de abrangência do reservatório.

Fotos: Zalmir Cubas e Rubens Fraulini/Itaipu Binacional

Destaques, Foz do Iguaçu, Justiça,

Consórcio do transporte coletivo de Foz do Iguaçu multado por levar passageiros acima do permitido

O Consórcio Sorriso insiste em aplicar o decreto estadual que permite passageiros em pé, com até 60% da capacidade máxima do veículos.

O Foztrans entende que deve ser cumprido o decreto municipal, onde o número de passageiros deve ser igual ao de assentos, anotou a Rádio Cultura.

Desde as 7h desta quinta-feira (9) o Foztrans fiscaliza linhas do transporte coletivo onde os ônibus circulam com um número maior de passageiros que o permitido.

Os fiscais com o apoio da Guarda Municipal montaram uma blitz em frente a Praça da Bíblia, onde constaram o limite de passageiros acima do permitido pelo decreto municipal, nas linhas do 1° de Maio e Morumbi.

O superintendente do Foztrans, Fernando Maraninche, informou que uma das linhas estava com 8 e a outra com 16 passageiros além do permitido. Foram lavradas multas contra as empresas.

Continue lendo na Rádio Cultura