Browsing Category

Economia

Brasil, Curitiba, Destaques, Economia, Política,

Grupo Malucelli ganha aval para construir no Paraná um dos maiores aeroportos de carga do Brasil

Com 3.680 metros de pista, área total de 3,6 milhões de m2 e R$ 402 milhões de investimentos, o Aeroporto de Carga e Jatos Executivos J Malucelli, a ser construído no município de Balsa Nova, região Metropolitana de Curitiba, 50 quilômetros da capital, será um dos maiores do Brasil, com capacidade para receber aeronaves de grande porte, tipo classe F (A380).

O projeto, informa Pedro Ribeiro no Paraná Portal, foi aprovado pela Secretaria Nacional de Aviação Civil e a portaria número 491 do Ministério dos Transportes já foi publicada no Diário Oficial da União (DOU).

O novo aeroporto será edificado para cobrir deficiências no transporte de cargas aéreas, já que o Aeroporto Afonso Pena, localizado em São José dos Pinhais, também região metropolitana de Curitiba é, hoje, limitado para pouso e decolagem de grandes aeronaves, explica o empresário paranaense Joel Malucelli, que o idealizou e construirá o novo completo aeroviário.

O atual aeroporto de Curitiba, o mais moderno e eficiente do Brasil em transporte de passageiros, precisa construir uma pista maior para aterrissagem e decolagem de grandes aeronaves de carga. Para a construção da terceira pista, teria que desapropriar mais de 200 casas, o que gera um custo muito alto de investimento. “Nossa intenção, no futuro, é transformar o Aeroporto de Carga J Malucelli em aeroporto comercial de passageiros, já que a região onde será edificado conta com uma população estimada de 700 mil habitantes”, prevê Malucelli (foto).

CAPTAÇÃO DE RECURSOS
Embora afastado do grupo J Malucelli há 10 anos, Joel Malucelli vem desenvolvendo vários projetos, principalmente no ramo imobiliário, e o aeroporto comercial estava nos seus planos há vários anos. “Hoje só dependemos da aprovação do projeto pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente para darmos início à captação de recursos e de parceiros no exterior, através de fundos de investimentos, grandes empresas internacionais de logística aérea e bancos brasileiros de investimentos”, explica o empresário.

Segundo Malucelli, o município de Balsa Nova foi o escolhido para a realização do empreendimento por estar localizado próximo a Ponta Grossa (50 km) e Curitiba (50 km) dois grandes centros industriais que precisam de infraestrutura e logística para o transporte de seus produtos aos grandes centros do país e exterior, hoje feitos através de rodovias, principalmente ao Porto de Paranaguá.

Além do potencial industrial, principalmente do agronegócio, que campeia os campos gerais, em especial Ponta Grossa, o empresário também aposta na aproximação – raio de 200 km – com três estados, peto de 200 municípios e 70 grandes empresas.

INFRAESTRUTURA DO AEROPORTO
O projeto do novo aeroporto está sendo desenvolvido pelo escritório de arquitetura PJJ Malucelli, com experiência nacional e internacional neste tipo de empreendimento, inclusive com as ampliações e reformas dos aeroportos de Curitiba e Guarulhos. Participa também do projeto, através de consultoria, a empresa CTA sediada em Curitiba.

O aeroporto contará com 39 mil m2 de área construída de edificações, entre modernos complexos de armazenagem, hangar e terminal de passageiros. A pista terá 3.680 metros de cumprimento por 63 m de largura. Também contará com via de acesso de 8 km que fará a interligação com as rodovias 376 – Rodovia do Café e BR-277.

Brasil, Destaques, Economia, Estadual, Política,

Paraná é modelo ao Brasil, diz Romanelli

“O Show Rural tem sido um verdadeiro portal para que o produtor tenha acesso às inovações aplicadas nas mais diversas atividades do campo e um grande difusor das inovações e das novas tecnologias”

Maior evento das Américas e um dos maiores do mundo quando o assunto é tecnologia voltada ao homem do campo, o Show Rural 2020, marcado para 3 a 7 de fevereiro próximo, voltará a mostrar a pujança do agronegócio e a atrair a atenção do Brasil e de países vizinhos.

Já em sua 32ª edição e com previsão de R$ 2 bilhões em comercialização, o Show Rural será a maior vitrine de 2020 do principal pilar da economia paranaense. O Governo do Estado e a Assembleia Legislativa se instalam no período em Cascavel para atender atender as demandas do agronegócio, setor que cresce mais do que qualquer outro.

Nesta entrevista, o deputado Luiz Cláudio Romanelli, vice-presidente do PSB do Paraná, fala sobre esse megaevento organizado pela Coopavel e analisa como o Paraná se insere no cenário agro não só brasileiro, mas mundial.

Como o senhor vê iniciativas como essa, que começou há mais de três décadas e hoje é conhecida no mundo todo?
O Show Rural tem sido um verdadeiro portal para que o produtor tenha acesso às inovações aplicadas nas mais diversas atividades do campo e um grande difusor das inovações e das novas tecnologias. Traz o que há de mais moderno para se obter maior produtividade e, o melhor, com menor custo para as atividades do setor.

O Show Rural destaca toda a tecnologia de ponta da agricultura de precisão e do chamado Agro 4.0, onde o mundo digital tem auxiliado a transformar a vida do homem do campo, que nada mais é do que um empreendedor arrojado, que enfrenta as mais diversas demandas e sempre mantém a produção nos melhores patamares.

O Show Rural é o que se pode definir como uma bússola para indicar o caminho a ser trilhado pelo agricultor?
A cada edição, o Show Rural tem sido uma vitrine maior a apontar a direção a ser seguida pelo produtor, seja na área de grãos, seja na de máquinas e implementos. Não deixa nenhum setor de fora, e trata de todos os avanços nas diversas cadeias produtivas, contemplando todas as necessidades do campo.

Dessa maneira, contribui para que consigamos alimentar mais pessoas, com a mesma área de plantio e sem afetar o meio ambiente, fator que gera uma preocupação mundial. Isso sem falar na estrutura física do Show Rural, que ano a ano tem se adequado ainda mais para acomodar os milhares de visitantes. Em 2020 não será diferente.

Na sua opinião, como manter o crescimento no agronegócio do Paraná e do Brasil?
O agronegócio já tem uma força gigante. No Paraná, por exemplo, ele respondeu por 77% de todas as exportações feitas ao longo do ano passado. E para continuar crescendo, o agronegócio precisa contar com investimentos em pesquisas e tecnologia, incluindo o avanço dos estudos que visam o melhoramento genético em grãos e animais. Isso garante os melhores resultados, aliados à tecnologia de ponta e inovações tecnológicas que contribuem para uma produtividade que aumenta a cada ano.

Além disso, o produtor precisa continuar investindo na sua atividade, especialmente em gestão, para obter todas as informações que o ajudem nas decisões e permitam um melhor controle do negócio e menores riscos. Na ponta final, quem acaba se beneficiando com todos os investimentos do produtor rural, que é o elo inicial da cadeia, é o consumidor, que tem em sua mesa alimentos saudáveis, de extrema qualidade e a preços acessíveis.

Como deve ser a condução do agro paranaense dentro da abertura econômica promovida pelo governo federal?
O Paraná precisa se manter na liderança da produção agropecuária brasileira, como o segundo maior produtor de grãos do País e primeiro em se tratando de produção animal.

Para tanto, precisa estar atento e preparado para aproveitar os acordos internacionais do Brasil, firmados com a União Europeia, Mercosul e com o Canadá, só para citar alguns exemplos, e também permanecer de fora da briga comercial entre os Estados Unidos e a China.

Até porque, em se tratando da produção de proteína animal, o Paraná precisa aproveitar a situação surgida na Ásia e que acabou impactando o mercado mundial de carne desde que houve a manifestação da peste suína africana na China. A doença está afetando o plantel de suínos do maior produtor e maior consumidor mundial dessa proteína animal.

Esse setor tem sido um destaque no Paraná….
A suinocultura destaca-se pelo fato de que hoje o Paraná conseguiu se tornar uma Zona Livre de Peste Suína Clássica, a exemplo de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul, resultado de uma defesa agropecuária bem estruturada e de um serviço médico veterinário oficial de extrema qualidade.

Isso garante um elevado status sanitário em nosso plantel de animais, fato que influenciará no aumento das nossas exportações de carnes. Ainda nessa cadeia produtiva, é importante observar os investimentos no Oeste paranaense para instalação em Toledo, de uma grande usina de produção de biogás que ajudará a resolver o problema dos dejetos e permitirá o surgimento de uma nova matriz energética com o biometano, produto altamente atraente.

Quais as condições que o senhor aponta para o Estado avançar mais no agronegócio?
O Paraná tem todos as condições e os personagens necessários para continuar avançando no cenário do agronegócio brasileiro e se destacando cada vez mais: tem gente que trabalha com seriedade, honestidade e muito profissionalismo; tem solo fértil, água boa e uma logística bem estruturada, o que inclui o Porto de Paranaguá para vários tipos de exportações, e o de Antonina, em se tratando de carga refrigerada, o que inclui a carne produzida no estado.

E homens que atuam no agronegócio com muita competência, à frente das propriedades rurais, cooperativas e agroindústrias instaladas no estado, além de autoridades e agentes públicos e políticos que cooperam entre si para garantir um ambiente saudável aos negócios do campo. Ou seja, temos tudo para continuar apostando no setor do agro para nos mantermos no caminho do desenvolvimento.

Qual o papel do agente político quando se trata de demandas do agronegócio?
O campo está interligado à cidade, e essa integração resulta em empregos e renda nas duas áreas, urbana e rural, especialmente nas regiões onde estão instaladas as agroindústrias, que transformam a matéria prima produzida no campo, seja grãos ou proteína animal, especialmente através da criação de aves, suínos e bovinos.

Mas para que isso ocorra, é preciso que o agronegócio tenha todo o respaldo do agente político, em conjunto com o gestor público. Nesse sentido, precisamos entender a importância do setor produtivo para a economia de um município, estado ou nação.

É necessário agirmos para deixar que o processo de produção do meio rural flua tranquilamente para que possa atingir os resultados positivos que gera nos meios social e econômico, pois é sinônimo de riqueza para a população do campo e da cidade.

Como os agentes públicos e de que forma podem apoiar o setor?
Sabemos que a força do agronegócio reflete diretamente na economia de cidades e regiões onde o setor é forte, como é o caso do estado do Paraná, seja na região Oeste, onde se concentra a maior parte da produção, ou no Norte, no Sul ou na Região Central.

O nosso papel como homem público é estar atento às leis, regulamentos e instruções normativas que permitam o crescimento do setor produtivo e não impeçam o desenvolvimento econômico e social, a partir de uma política orientativa, ao invés de apenas punitiva do ponto de vista legal.

Nesse contexto o Paraná tem dado um belo exemplo ao Brasil, pois aqui o agronegócio tem nos agentes públicos e no parlamento estadual o apoio necessário para que o produtor de alimentos tenha o ambiente ideal para suas atividades, nas mais diversas cadeias produtivas.

E é graças a esse ambiente colaborativo que conseguimos avançar, tanto no aumento da produção, quanto na economia do estado e no fortalecimento do setor produtivo, em todos os elos da cadeia.

Destaques
“O nosso papel como homem público é estar atento às leis, regulamentos e instruções normativas que permitam o crescimento do setor produtivo e não impeçam o desenvolvimento econômico e social, a partir de uma política orientativa, ao invés de apenas punitiva”

“O Paraná tem todos as condições e os personagens necessários para continuar avançando no cenário do agronegócio brasileiro e se destacando cada vez mais: tem gente que trabalha com seriedade, honestidade e muito profissionalismo”

“O agronegócio já tem uma força gigante. No Paraná, por exemplo, ele respondeu por 77% de todas as exportações feitas ao longo do ano passado. E para continuar crescendo, o agronegócio precisa contar com investimentos em pesquisas e tecnologia”

“O Paraná precisa se manter na liderança da produção agropecuária brasileira, como o segundo maior produtor de grãos do País e primeiro em se tratando de produção animal”

Brasil, Destaques, Economia, Meio Ambiente, Turismo,

Horário de funcionamento do Parque Nacional do Iguaçu volta ao normal nesta segunda, 27

O horário de funcionamento do Parque Nacional do Iguaçu volta ao normal nesta segunda-feira (27), com abertura do portão de acesso das 9h às 17h.

A informação foi confirmada pela concessionária que administra o lado brasileiro do atrativo turístico, no trecho onde estão as Cataratas do Iguaçu.

O horário da alta temporada começou no dia 21 de dezembro, com uma hora a mais do horário normal.

No dia 30 de dezembro de 2019, o Parque Nacional do Iguaçu bateu o recorde anual com mais de 2 milhões de visitantes, lembrou o G1 PR.

Foto: Nilton Rolin

Brasil, Destaques, Economia, Internacional, Turismo,

Fundador da CVC Brasil destaca as melhorias no Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu

O empresário Guilherme Paulus, fundador da mega operadora de viagens CVC Brasil e um dos ícones do turismo nacional e internacional, destacou esta semana as melhorias que estão sendo realizadas no Aeroporto Internacional Cataratas de Foz do Iguaçu.

De acordo com Paulus, “a Embratur tem feito um trabalho espetacular para divulgação do Brasil no exterior”. Em função, o Brasil, que recebe 6 milhões de estrangeiros ao ano, deve “crescer em 1 milhão de turistas este ano”.

“Nossa estrutura de aeroportos melhorou muito. É o caso de Fortaleza, Foz do Iguaçu, Salvador, Florianópolis, entre outros”, disse o fundador da CVC Brasil, em entrevista ao publisher Walter Santos, na Revista Nordeste.

O terminal aeroportuário iguaçuense, que em 2019 recebeu mais de 2,2 milhões de passageiros, tem recebido recebido obras de melhoria e ampliação, com recursos da Itaipu Binacional e da Infraero.

Atualmente, Aeroporto de Foz do Iguaçu mantém rotas diretas para Lima (Peru), Santiago (Chile) e Santa Cruz de La Sierra na Bolívia, com conexões para outras regiões da Bolívia, Peru e Chile.

Na avaliação de Paulus, o número de turistas estrangeiros não “aumenta aumenta tanto pela pouca oferta de aéreas para o Brasil”, disse.

“E não há como comparar com destinos tão consolidados no mundo como a França, Espanha e Portugal, a Europa é muito forte no turismo, o turismo interno em Portugal é muito forte também, a Alemanha cresceu muito, Berlim é um destino campeão”, completou.

Guilhermer Paulus fala mais sobre a realidade do turismo no mundo, Brasil e no Nordeste.

AQUI para ler a íntegra da entrevista

Destaques, Economia, Política,

Chico Brasileiro garante mão dupla em marginais da BR-277 em Foz do Iguaçu. Assista o vídeo!

O prefeito Chico Brasileiro (PSD) garantiu, nessa sexta-feira (24), que as vias que margeiam a BR-277, no principal acesso rodoviário de Foz do Iguaçu, terão trânsito nos dois sentidos.

“Nós queremos reafirmar com a população o compromisso de manter as marginais em via dupla”, afirmou em vídeo nas redes sociais. As obras da Avenida Sérgio Gasparetto estão em fase de conclusão, informa Ronildo Pimentel, no GDia.

“Os politiqueiros estão jogando informações destorcidas nas cabeças das pessoas, querendo criar confusão. Nós não queremos confusão, estamos trabalhando pelo bem da cidade”, disparou Brasileiro, ao lado do prefeito em exercício, Nilton Bobato, do secretário Cesar Furlan (Obras) e do superintendente do Foztrans, Fernando Maraninchi.

Assista o vídeo abaixo

A reação do prefeito, que está de férias até terça-feira (28), é uma resposta à polêmica que se espalhou pelas redes sociais de que as vias terão mão única após concluídas. “Essa obra aqui, da [Avenida Sérgio] Gasparetto, assim como da [Avenida] Olímpio Rafagnin, foi um projeto feito em 2015, pego pela Operação Pecúlio, pelos desmandos que essa gente fez em nossa cidade”, disse.

Brasileiro lembrou que o projeto previa mão única nas duas vias. “Mas nós não aceitamos a mão única. Queremos reafirmar isso, e o que estamos vendo agora é os mesmos politiqueiros, que estavam ao lado do antigo prefeito, agora fazendo manifestação dizendo que vai ser mão única.”

Pecúlio
As obras nas marginais, como citou o prefeito, foram iniciadas em 2015, durante a gestão do ex-prefeito Reni Pereira. Ambas foram paralisadas em 2016 pela Operação Pecúlio, da Polícia Federal, que investiga suspeitas de superfaturamento nos contratos.

A Avenida Sérgio Gasparetto foi retomada em 2018, após um Termo de Ajuste de Conduta (TAC), articulado pelo Ministério Público Federal (MPF), entre a prefeitura e a empreiteira. O investimento previsto é de R$ 8,7 milhões por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), com recursos da Caixa Econômica Federal.

A retomada das obras da Avenida Olímpio Rafagnin depende de acertos jurídicos. A prefeitura irá licitar o restante dos trabalhos, uma vez que 43% já foram concluídos. “Não serão mão única. Esse é um compromisso nosso, é um compromisso de todos nós. As vias continuarão em mão dupla”, reafirmou Brasileiro.

Politicagem
Ele voltou a citar os “politiqueiros” que estariam por trás das polêmicas para que “ocupem seus lugares” e “procurem o que fazer”. “Nós estamos trabalhando pelo bem de Foz do Iguaçu e não vamos permitir que essa politicagem jogue informações distorcidas”, frisou.

O prefeito esclareceu que as placas colocadas na via foram alvo de “pessoas de má fé” que retiraram a cobertura das mesmas. “Essas placas são obrigatórias do contrato. Nós não iremos pintar as ruas, isso está absolutamente fora de cogitação, vocês não vão ver ruas pintadas com mão única, isso está descartado”.

Sem multas
Chico Brasileiro aproveitou a presença do superintendente do Foztrans para esclarecer outra polêmica, relacionada a multas de trânsito que “não existe”, segundo ele. “Estão espalhando, dizendo que está tendo multa de trânsito para quem passou aqui em uma via contrária das placas. Isso é inverdade, não existe nenhuma multa para as pessoas”, ressaltou.

“Qualquer viatura que for vista aqui, neste local, está orientando (os motoristas), não tem nenhuma autuação”, reforçou Fernando Maraninchi. “Portanto, esse é o esclarecimento que queremos dar à população de Foz do Iguaçu. Continuam mão dupla a Sérgio Gasparetto e a Olimpio Rafagnin, da forma com que aqui nos comprometemos com a nossa população”, concluiu.

Foto: Reprodução

Cultura, Destaques, Economia, Geral, Turismo,

Promoção do Dreamland para morador de Foz do Iguaçu termina na sexta, 31

Até lá, iguaçuenses podem aproveitar atrações com preços reduzidos

O desconto especial para moradores de Foz do Iguaçu oferecido pelo complexo Dreamland encerra dia 31.

Até lá, os iguaçuenses podem aproveitar as atrações com preços reduzidos.

Para conhecer o Museu de Cera, Maravilhas do Mundo ou Vale dos Dinossauros, o iguaçuense paga R$ 15 por atrativo.

Já para aproveitar os drinks artesanais e viver uma experiência gelada, a -15ºC, no maior bar de gelo do Brasil, o Dreams ice bar, o ingresso custará R$ 30.

A promoção tem como objetivo atender aos iguaçuenses que querem viver um dia de turista no parque temático.

Principalmente àqueles que ficaram sem aproveitar a promoção lançada em dezembro que oferecia entrada gratuita.

Para ganhar o desconto

Para receber o benefício, o turista deve apresentar um comprovante de residência oficial e físico no nome do visitante (se for maior de 18 anos) é um documento com foto.

Caso seja menor de 18 anos o documento deverá ser no nome dos pais, com apresentação de documento que confirme o parentesco.

Titulo de eleitor será aceito desde que impresso.

Carteira de trabalho será aceito apenas junto ao titulo de eleitor.

Cultura, Curitiba, Destaques, Economia, Internacional, Turismo,

Super Bowl ao vivo em bares de Curitiba; Abrabar quer incentivar mais promoções

Abrabar quer incentivar mais promoções com transmissão ao vivo de espetáculos esportivos em bares e restaurantes

A final da National Football League (NFL), o famoso Super Bowl, terá transmissão ao vivo com eventos paralelos em pelo menos 30 bares e restaurantes de Curitiba. Durante a decisão de uma das ligas mais populares dos Estados Unidos, no domingo (02 de fevereiro), os estabelecimentos terão promoções especiais com vinhos, drinks e cervejas artesanais a preço fixo.

A Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar) quer incentivar mais promoções em eventos esportivos de grande massa. “O Super Bowl é assistido por milhões nos Estados Unidos e aqui no Brasil tem muitos fãs e nós, como torcedores, temos que incentivar e dar espaço às transmissões”, diz o presidente Fábio Aguayo.

No ano passado, lembra Aguayo, os jogos com os times brasileiros na Copa Libertadores e da seleção na Copa América, garantiram movimento extra aos bares. “A Abrabar quer cada vez mais transmissões esportivas, dando oportunidade de confraternização entre amigos e movimentando nosso setor”.

As promoções programadas pelos bares e restaurantes de Curitiba vão garantir a animação em uma das transmissões mais esperadas do ano. A participa que vai apontar o campeão da temporada da NFL promete animar não só os torcedores dos Estados Unidos, também os brasileiros que adoram o esporte e torcem pelos finalistas.

Esporte conhecido
O esporte, também praticado no Brasil, cada vez ganha mais adeptos, inclusive na capital do Paraná com o Coritiba Crocodiles, fundado em 2008. O complexo gastronômico Souq é um dos locais que confirmou a transmissão do evento ao vivo, a partir das 20h30. A partida será exibida em todas as TV’s e no telão da casa.

O SOUQ preparou promoções especiais em gastronomia e bebidas para o dia, válidas a partir das 17h até o final da partida. Para comidas, todas as operações da casa (com comidas típicas de vários países do mundo) garantem ao menos uma opção do menu com valores entre R$ 12 e R$ 15. Para bebidas (selecionadas) os valores ficarão fixados em R$ 10: chopp de 500 ml ou vinho/drink em taça.

Sobre o Super Bowl
Essa é a 54ª edição do Super Bowl. O jogo será disputado no Hard Rock Stadium, em Miami Gardens, Flórida, entre o Kansas City Chiefs (campeão da AFC) e o San Francisco 49ers (campeão da NFC).

A Pepsi, patrocinadora do show do intervalo do Super Bowl, anunciou que o espetáculo do ano (momento muito aguardado pelos telespectadores) será comandado por duas latino americanas: Jennifer Lopez e Shakira.

Fotos: Arquivo/Google

Destaques, Economia, Estadual, Política,

Foz do Iguaçu deve receber mais de R$ 17 milhões em ICMS. Veja quanto cada município vai receber

O Governo do Estado deverá transferir R$ 8 bilhões aos municípios paranaenses neste ano. O montante é relativo à cota parte das cidades sobre a arrecadação total de ICMS. Foz do Iguaçu deverá receber mais de R$ 17 milhões.

Neste mês os municípios já receberam cerca de R$ 554 milhões. Nesta semana, a Secretaria de Estado da Fazenda fez o terceiro repasse do ano aos 399 municípios do Estado.

O valor depositado nos cofres das prefeituras na terça-feira (21) foi de R$ 276,9 milhões, incluindo os 20% do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

A previsão para 2020 é que as prefeituras disponham de um total de R$ 8 bilhões distribuídos pelos 12 meses, sempre em depósitos semanais, todas as terças-feiras. No ano passado, as administrações municipais dispuseram de R$ 7,7 bilhões e em 2018 de 7,5 bilhões.

Foz do Iguaçu

Para Foz do Iguaçu, o total de repasse líquido de ICMS é de R$ 17.390.510,82, acumulados até 23 de janeiro de 2020.
Repasse Bruto: R$ 12.656.449,53
Repasse Líquido: R$ 10.125.159,64
Fundo de Exportação: R$ 139.305,36
Royalties Petróleo: R$ 2.586,72
IPVA: R$ 47.123.459,10

1 – ICMS – valor referente a cota-parte do ICMS aplicada sobre o Índice de Participação do Município. Valor Líquido já deduzidos 20,00% para o FUNDEB – Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização aos Profissionais da Educação, e eventuais valores dados como garantia.
2 – Fundo de Exportação – cota parte do imposto (ICMS) sobre produtos industrializados de Estados exportadores. Valor divulgado corresponde ao valor líquido, já descontados FUNDEB e PASEP.
3 – Royalties Petróleo – cota parte dos royalties – compensação financeira pela produção de petróleo. Lei 7.990/89.
4 – IPVA – Repasse correspondente aos veículos licenciados no Município (50%) sem a dedução do FUNDEB. Não se fundamenta no Índice do FPM.

CÁLCULO – Como previsto nas Transferências Constitucionais, toda semana o Governo do Estado repassa a parcela das receitas estaduais que cabe aos municípios. Dentre essas receitas, a mais importante é a do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), cujo valor destinado aos municípios corresponde a 25% do valor arrecadado pelo Estado. O repasse é efetuado com base no Índice de Participação dos Municípios (IPM), calculado pela Secretaria da Fazenda.

A composição desses 25% do ICMS distribuídos aos municípios é formada por 75% do Valor Adicionado Fiscal (VAF); 8% pela produção agropecuária; 6% pelo número de habitantes da zona rural do município em relação à população rural do Estado; 2% pelo número de propriedades rurais cadastradas; 2%, como fator de distribuição igualitária; 2% pelo fator área; e, por fim, 5% pelo fator ambiental, ou seja, aos municípios que tenham parte de seu território integrando unidades de conservação ambiental ou tenham mananciais de abastecimento público.

AQUI para consultar os valores dos repasses

Destaques, Economia, Política,

Em Foz, pagamento em parcela única do IPTU 2020 terá desconto de 10%

Já está disponível no site da prefeitura de Foz do Iguaçu, a consulta do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). Os contribuintes poderão pagar o tributo em parcela única com desconto de 10% ou em até 9 parcelas. A cota única e a primeira parcela do imposto serão entregues pelos Correios a partir de fevereiro, as demais parcelas deverão ser impressas no site da prefeitura (clicando AQUI). 

“Conforme prevê a legislação, publicamos ontem (22) no Diário Oficial do Município, o edital do IPTU 2020. Os contribuintes podem pagar o imposto de uma vez só com o desconto de 10%. Já os que preferirem pela opção parcelada podem dividir o valor em até nove vezes. Vale ressaltar também que aquelas pessoas que quitaram o IPTU  à vista nos anos anteriores,  terão o direito ao desconto progressivo”, explicou o secretário da fazenda Ney Patrício.

Pagamento

O pagamento poderá ser realizado nas Casas Lotéricas para valores até R$ 2.000,00 , nos guichês da Caixa Econômica Federal para valores até R$10.000,00 e nos demais bancos credenciados somente pagamento via meio eletrônico para qualquer valor, conforme determinação do BACEN – Banco Central do Brasil.

Parcelamento automático

A opção pelo parcelamento se da pelo pagamento da primeira parcela, que poderá ser feito em até 9 vezes, desde que o valor de cada parcela não seja inferior a uma Unidade Fiscal de Foz do Iguaçu (UFFI), que é de R$ 87,08.  

Desconto progressivo

Os contribuintes que efetuaram o recolhimento integral da parcela única do IPTU nos exercícios anteriores serão beneficiados com a bonificação de desconto progressivo previsto pela legislação municipal. O desconto varia de 2,5% – para um ano – até 15% para até – seis anos consecutivos.

Investimentos

A expectativa em 2020 é arrecadar cerca de R$ 80 milhões. Os recursos serão investidos em diversas obras de pavimentação, drenagem, construções e reformas de escolas, além da implantação de áreas de lazer conforme solicitado pela população durante as edições do Orçamento Participativo em 2019.

Curitiba, Destaques, Economia, Estadual, Geral, Justiça, Política,

Os 4 mil invisíveis nas demissões em Araucária

Artigo de Requião Filho

Poderia começar este texto em homenagem ao dia de Martin Luther King, comemorado na última segunda-feira, 20 de janeiro, e parafraseando-o: “O que me preocupa não é o grito dos maus, mas o silêncio dos bons”. Qualquer semelhança com o Paraná, não seria mera coincidência.

Afinal, por aqui, ultimamente, os bons falam, enquanto os maus, sorrateiramente, agem nas sombras. Com o anúncio do fechamento da Fábrica de Fertilizantes de Araucária, a FAFEN, a situação ficou ainda mais evidente. Serão 4 mil empregos diretos e indiretos exterminados, em poucos dias.

Não estamos falando de privatização, o que na visão de alguns poderia ser benéfico, mas sim do encerramento das atividades de uma indústria que poderia gerar imensos lucros para o país, se os dados não fossem mascarados. São 4 mil famílias à beira do desemprego e prestes a ser excluídas do mercado de consumo.

Na cidade que recebeu o nome do símbolo de nosso estado, a Araucária, parece também ser simbólica a existência do Governador, dos Senadores e de vários Deputados. Não se escuta um pronunciamento sequer, nem favorável e nem contrário. Mas o que poderíamos esperar?

Para os que foram eleitos e permanecem em silêncio, estas 4 mil pessoas são invisíveis, não há porque se importar com seus empregos, ou se amanhã já não terão como levar comida aos seus filhos ou se não poderão pagar suas contas. Para a turma dos palácios, vale apenas o Estado mínimo e a contenção de gastos.

O que eles não percebem, já que tal informação não deve chegar em suas redes sociais (e também não pode ser encontrada em seus próprios umbigos), é que o aumento do desemprego certamente se refletirá em mais gastos para o Estado, uma vez que os trabalhadores passarão a utilizar tão somente os postos de saúde, as escolas públicas, farmácias populares e todos os serviços públicos.

Quem pagará a conta, no final, será o Paraná e os paranaenses.

Acontece que, no momento em que estes quatro mil desempregados e suas famílias começarem a se valer de seus direitos sociais, estes que hoje não os enxergam e que nada fazem para manter a fábrica de fertilizantes ativa, começarão a sentir o peso de suas más escolhas e de sua omissão.

Talvez, tarde demais, comecem a enxergar a verdadeira crueldade cometida por eles, ao criar um país que não mantém seus trabalhadores dignamente.

Que os “maus”, àqueles mesmos que citei no começo do texto, tenham no mínimo a coragem de defender suas ideias publicamente. Que passem a gritar aos quatro ventos, para quem quiser ouvir, que não se importam com os pobres, com o desemprego, com a desigualdade social. Ou que, ao menos, criem consciência dessa maldade e passem a defender o que importa: emprego, saúde, segurança e educação.

A indiferença, o ficar em cima do muro, tem destino bíblico: “Conheço a tua obra, não é frio nem quente; quem dera fosse frio ou quente. Assim, porque é morno, te vomitarei da minha boca.” (Apocalipse 3:15,16)

Portanto, caros amigos, se confirmado o encerramento das atividades da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados – FAFEN, em Araucária, o custo social, sem dúvida, será imenso! Da mesma forma, o custo nas urnas deve ser ainda maior. Se os Deputados e Senadores do Paraná não querem olhar para estes funcionários ou que os trabalhadores permaneçam invisíveis, espero que tenham ao menos a coragem de assumir seu posicionamento, se pronunciem e digam que só se interessam pelos trabalhadores em época de eleição!

(*) Requião Filho é deputado estadual pelo MDB Paraná.

Foto: @bkzphoto – Igor Barrankievcz