Browsing Category

Itaipu

Brasil, Destaques, Itaipu, Saúde,

Hospital mantido pela Itaipu espera receber cerca de dois mil exames para covid-19, até quarta-feira (8)

Todos esses testes serão colocados à disposição da Vigilância Epidemiológica. O fluxo de atendimento será definido pelo Laboratório Central do Estado (Lacen)

O Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), mantido pela usina de Itaipu, em Foz do Iguaçu (PR), aguarda até quarta-feira (8) a chegada de 1,5 mil a 2 mil testes de Real Time – PCR, que indica diagnóstico da covid-19 em até duas horas. Todos esses testes serão colocados à disposição da Vigilância Epidemiológica para atendimento dos pacientes suspeitos. O fluxo será definido pelo Laboratório Central do Estado (Lacen). Além disso, poderá ser utilizado também para identificação da doença em pacientes internados no HMCC e no Hospital Municipal.

O Costa Cavalcanti, por meio de seu laboratório de Saúde Única, do Centro de Medicina Tropical, está habilitado a fazer os testes PCR desde a semana passada. Os exames ajudarão no mapeamento epidemiológico da doença e na tomada de decisões dos municípios da 9ª Regional de Saúde do Paraná para o enfrentamento da doença.

Atualmente, três testes estão sendo utilizados no Brasil: o PCR, imunológico e o teste rápido. Todos são capazes de diagnosticar a doença, mas diferem na coleta, na análise e também no tempo de resultado. O PCR é considerado o mais confiável. O HMCC tem capacidade para fazer até 480 exames desse tipo por dia. É um dos únicos do interior do Paraná credenciados para fazer essa testagem.

Até domingo (5), de acordo com o último boletim divulgado pela Vigilância Epidemiológica, Foz do Iguaçu contabilizava 25 casos da doença. Do total de 286 notificações, 215 foram descartadas. Atualmente, 46 casos estão sendo investigados. Duas pessoas estão internadas. A contagem dos casos do novo coronavírus começou em 29 de fevereiro, com o primeiro caso suspeito encaminhado para ser examinado. A primeira confirmação veio em 12 de março, mas só veio a público no dia 18 do mesmo mês.

Segundo o diretor-superintendente do HMCC, Fernando Cossa, o estoque dos 2 mil exames (outros 2 mil devem chegar em breve) deve atender a demanda dos municípios da 9ª Regional, para identificar os casos suspeitos. Se for necessário, mais kits serão adquiridos.

Para o diretor-geral brasileiro, general Joaquim Silva e Luna (foto acima), os exames comprados pelo HMCC vão dar mais tranquilidade para a população, pois estarão à disposição da Vigilância Epidemiológica.

“Estamos acompanhando atentamente os cenários internacional, nacional e locais da doença. Itaipu contribui e vai continuar contribuindo sempre para o desenvolvimento do Oeste do Paraná. Cuidar da saúde da nossa gente faz parte da nossa missão e é tão ou quanto mais importante que qualquer outra ação nesse momento tão sensível”, diz o general.

Preparado para enfrentar a crise da covid-19, o HMCC criou uma ala exclusiva para internamento de pacientes com a doença. São 27 leitos, 15 só na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 12 de semi-intensiva. O HMCC também administra um fundo emergencial encaminhado pela Itaipu de aproximadamente R$ 15 milhões voltados para a reestruturação da instituição e para ajudar Foz do Iguaçu e municípios vizinhos no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus.

A Fundação de Saúde Itaiguapy, que administra o HMCC, já adquiriu equipamentos de proteção individual, materiais e medicamentos, incluindo 35 aparelhos de ventilação mecânica, 50 monitores multiparamétricos e 40 camas hospitalares.

Para se antecipar à pandemia em Foz, o HMCC contratou aproximadamente 80 colaboradores e médicos plantonistas para atuar em setores específicos no tratamento à covid-19, além de uma infectologista e um coordenador de medicina interna dedicados exclusivamente ao combate à doença. Mais de 200 pessoas estão em treinamento, aptas para uma possível crise.

O HMCC está repassando para Foz e região equipamentos de proteção individual, máscaras cirúrgicas, luvas e monitores, entre outros. Também fez um convênio com um hotel para hospedagem de profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate à pandemia.

Com a reestruturação, o Hospital Costa Cavalcanti tem agora dois prontos atendimentos, um para pacientes sem sintomas respiratórios, que funciona no Centro Clínico, e o outro voltado para os casos de sintomas respiratórios, anexo ao HMCC.

A 9ª Regional abrange Foz, Itaipulândia, Matelândia, Medianeira, Missal, Ramilândia, Santa Terezinha de Itaipu, São Miguel do Iguaçu e Serranópolis do Iguaçu.

Brasil, Destaques, Internacional, Itaipu, Turismo,

Turismo de Itaipu se prepara para reabertura da visitação pós-quarentena. VEJA FOTOS!

Previsão é que isso ocorra depois da Semana Santa, mas atrativos só serão reabertos ao público depois de uma nova avaliação do cenário

A reabertura da visitação aos atrativos turísticos da usina de Itaipu está prevista para depois da Semana Santa, mas só depois de uma reavaliação da situação de pandemia do novo coronavírus. Enquanto isso, obras de melhorias estão sendo tocadas dia e noite, para que os visitantes sejam ainda mais bem atendidos e levem a melhor experiência de visita que poderiam vivenciar.

Os atrativos estão fechados para o público desde 18 de março, atendendo a recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), do Ministério da Saúde e aos decretos de isolamento social implementados pelo município de Foz do Iguaçu, onde está instalada a cidade-sede da usina. Em todo esse período, a usina não parou e tampouco as obras de melhorias do Complexo Turístico Itaipu.

Com os operários na lida, adotando os devidos cuidados para se proteger da contaminação do novo coronavírus, tudo está sendo preparado com carinho para a volta à normalidade, assim que a situação da pandemia da covid-19 estiver controlada.

O turismo é uma vocação natural de Foz do Iguaçu e um dos setores mais importantes para a gestão do diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna. Faz parte da missão ampliada da usina o incentivo ao desenvolvimento da economia da região, onde o turismo é o maior empregador.

Tanto dentro quanto fora da usina, o diretor-geral brasileiro determinou que o segmento recebesse atenção especial. “Os investimentos nas obras estruturantes e na melhoria da logística e da qualidade de atendimento dos serviços buscam colocar o Destino Iguaçu num novo patamar. Quando a crise passar, estaremos em condições de igualdade de concorrer com outros roteiros importantes”, afirma Silva e Luna.

E complementa: “Foz é uma cidade linda, que reúne as Cataratas do Iguaçu, a maior usina em produção de energia do mundo e tantas outras belezas naturais, além de boa hotelaria e gastronomia. O passo que estamos dando hoje é essencial para a Foz que queremos do futuro”, completa.

Externamente, a lista de obras financiadas pela Itaipu inclui desde a nova ponte entre Brasil e Paraguai e a Perimetral Leste até a ampliação da pista de pouso e decolagem do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu, passando pelo Mercado Municipal e, em breve, a duplicação da Rodovia das Cataratas, a BR-469, entre outras.

Internamente, todo o turismo será reestruturado. O cronograma começou este ano e deve ser concluído até 2022. O Mirante do Vertedouro, uma das principais atrações da usina, por exemplo, já está com cara nova. A primeira etapa, com a parte de terraplanagem, drenagem, pavimentação em paver e setorização dos jardins já está sendo executada. Tudo deve ser concluído até junho.

Já o pacote de projetos executivos e demais documentos para a segunda etapa, com o restante da estruturação prevista para o local, está em fase final de elaboração. A expectativa é que a licitação das obras seja lançada ainda no primeiro semestre, com andamento em setembro.

Em relação ao Mirante Central, que dá uma visão panorâmica da barragem, o pacote de projetos executivos e os demais documentos técnicos estão sendo elaborados. A previsão do início das obras é para novembro.

Já o Ecomuseu, que vai integrar também o Polo Astronômico, hoje dentro da usina, a 200 metros da entrada da Itaipu, passará por uma grande revitalização com adequações, melhorias e ampliações do espaço.

A ideia é promover a integração das iniciativas de turismo com a gestão ambiental da Itaipu e educação, incluindo a transferência das estruturas do Polo Astronômico para o Ecomuseu, o que deverá incrementar ainda mais as atividades turísticas do local. Essas obras devem começar em 2021.

O Centro de Recepção de Visitantes (CRV) também vem recebendo melhorias para a retomada das visitas. Os espaços administrativos e operacionais foram realocados e foi feita a revisão dos fluxos dos passeios, além de ajustes das escalas de trabalho e dos roteiros, tudo para reduzir as aglomerações.

Nesse período de suspensão das visitas e após a reabertura do turismo, o cuidado especial com os protocolos de saúde foi e permanecerá redobrado. A oferta de visitas técnicas continuará reduzida, para evitar circulação de grandes grupos na área industrial. A exibição do filme institucional continuará sendo feita em local aberto. A quantidade de kits de álcool em gel para colaboradores e turistas, em vários locais e nos ônibus, será aumentada, conforme a necessidade. O CTI também mantém um pronto atendimento em ambulatório para atendimento de visitantes.

Os meios de divulgação do Turismo Itaipu estão funcionando normalmente e disponíveis para atendimento e orientações.

Crédito das imagens: Complexo Turístico Itaipu

Brasil, Destaques, Itaipu, Saúde,

Engenheiro de Itaipu organiza produção caseira de máscaras contra a covid-19

Tácio Fonseca Demarchi e a esposa, Katiane Moreira Demarchi, já produziram mais de cem peças na linha de montagem improvisada na cozinha da casa

O engenheiro eletricista Tácio Fonseca Demarchi, da Divisão de Laboratório da Itaipu Binacional, e a esposa, Katiane Moreira Demarchi, aproveitaram a quarentena para exercer uma atividade cada vez mais importante em tempos de pandemia: a solidariedade.

Eles transformaram a cozinha da casa em uma pequena fábrica de máscaras de proteção para os profissionais que estão na linha de frente no combate ao coronavírus: enfermeiros, técnicos de saúde e médicos. Toda a produção é direcionada para o Hospital Municipal de Foz do Iguaçu.

A ideia surgiu quando a médica Wang Chih Hui, de Foz do Iguaçu, divulgou um pedido de informações sobre fornecedores de acetato e perguntou se alguém se voluntariava para a produção de máscaras. Foi então que o casal se interessou pela causa, entrou em contato com a médica e aceitou participar da iniciativa.

A inspiração veio de um projeto do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, que também incentiva a produção caseira de máscaras para a proteção dos profissionais de saúde.

Em Foz, a aquisição dos materiais foi viabilizada a partir de um pedido de doação publicado nas redes sociais. Muitas pessoas e empresas se interessaram pelo projeto e enviaram, na medida do possível, dinheiro e equipamentos.

As máscaras são compostas por materiais simples e de fácil manuseio: polietileno (espaguete de piscina), elástico de roupa, acetato e fita dupla face. Na primeira semana de quarentena, Tácio e Katiane produziram 120 peças para o hospital municipal. A próxima meta é a produção de mais 370 unidades.

O engenheiro salienta que as máscaras não têm o padrão da Anvisa e devem ser usadas juntamente com as máscaras cirúrgicas. Ou seja, trata-se de uma proteção adicional. Mas a peça caseira oferece uma importante barreira para proteger olhos, nariz e boca de respingos de secreção. Uma ajuda e tanto para os profissionais da saúde.

Tácio diz esperar que a pandemia passe logo, para que a vida volte ao normal, mas apoia as medidas de isolamento adotadas pelo município e pela Itaipu para proteger a saúde da população. “As medidas são necessárias e acredito que atingirão o seu objetivo de minimizar a propagação do vírus e reduzir a pressão no sistema de saúde pública”, afirmou.

Brasil, Destaques, Geral, Itaipu, Notícias, Política, Saúde,

Itaipu fará convênio de R$ 4 milhões com Estado para contratação de 733 bolsistas no combate à Covid-19

A contratação terá validade por quatro meses e beneficiará diretamente estudantes de saúde de universidades públicas

A usina de Itaipu, margem brasileira, vai firmar um termo de cooperação com o governo do Estado, na ordem de R$ 4 milhões, para a contratação direta de 733 bolsistas na área de saúde, em caráter emergencial. Os estudantes de enfermagem de universidades públicas atuarão no enfrentamento à covid-19. A contrapartida do governo estadual será no mesmo valor. A validade é por quatro meses, possivelmente a partir de abril.

Esse é mais um investimento que se soma a outros desembolsados pela Itaipu para conter a disseminação da covid-19. A empresa já havia liberado um fundo emergencial de R$ 15 milhões para ajudar os municípios da região no combate à propagação do novo coronavírus.

O Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), mantido pela usina de Itaipu, criou uma ala exclusiva com Unidade de Terapia Intensiva e Semi-Intensiva para internamento de pacientes com a doença. O laboratório do HMCC também foi credenciado a fazer testes rápidos (PRC) de covid-19. Mais de 4 mil kits foram adquiridos e estão a caminho.

“Essa é mais uma contribuição de Itaipu tanto no controle da doença quanto na abertura de frentes de trabalho para ajudar nossa população nesse momento tão dramático da economia”, diz o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna.

O governador Carlos Massa Ratinho Júnior declarou situação de emergência em todo o território paranaense. O termo de cooperação reúne a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e a Superintendência-Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior – (Seti) para a contratação de estudantes das áreas de saúde em fase final de formação. A contratação será feita por chamada pública, por meio da Fundação Araucária.

Os bolsistas serão contratados para orientar, monitorar e auxiliar no atendimento de pacientes que apresentarem sintomas da covid 19.

No pedido, o governador considera o papel de destaque da Itaipu Binacional de “incentivo ao desenvolvimento regional com o apoio a projetos em distintas áreas, constituindo-se como importante vetor de progresso sustentável e social”.

Como será a contratação

Por meio de chamada pública, a Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Estado do Paraná (FA) em parceria com a Seti e a Sesa vai contratar bolsistas de instituições estaduais de Ensino Superior (IEES) e da Universidade Federal do Paraná (UFPR). As atividades serão desenvolvidas em conjunto com as regionais de saúde da Sesa, que ficarão responsáveis pelo plano de trabalho.

Entre as atribuições dos estudantes estão a prestação de serviços de atendimento telefônico e por meios digitais, para tirar dúvidas e orientar a população sobre a doença relacionadas à prevenção, além de cuidados e combate à pandemia. Também prestarão atendimento nas rodovias com o monitoramento da entrada e da saída de pessoas na Agência de Defesa Agropecuária do Paraná, nas unidades de saúde, hospitais e outros estabelecimentos de saúde com esse mesmo escopo.

Parte desses bolsistas reforçará o atendimento no Laboratório Central do Estado, Lacen, e Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde, voltada ao apoio a demandas destas unidades.

Brasil, Destaques, Estadual, Itaipu, Notícias, Política, Saúde,

Itaipu Binacional ajuda a preparar Foz do Iguaçu e região para a fase pós-covid-19

A usina não para, nem dentro nem fora das barreiras. Obras de infraestrutura que vão mudar o futuro de Foz e região estão dentro do cronograma.

A pandemia do novo coronavírus impôs uma nova rotina à maioria dos trabalhadores, muitos dos quais têm que trabalhar no sistema home office. Mas quem não tem essa opção e precisa estar na linha de frente, como os operários que atuam nas obras financiadas por Itaipu e em serviços essenciais da usina, seguindo os devidos cuidados, estão preparando a empresa e Foz do Iguaçu para a fase pós-covid-19, que se espera que esteja próxima.

Não há atrasos nos trabalhos; ao contrário. O cronograma das obras está em ritmo normal e, em alguns casos, até adiantado. A lista é enorme e já redesenha um novo cenário de desenvolvimento econômico para a região.

São projetos que já saíram ou vão sair do papel e garantem, num primeiro momento, geração de empregos, o que é essencial para girar a economia e evitar um colapso geral; e, num segundo momento, ajudarão a criar uma nova Foz do Iguaçu, o que beneficiará diretamente todo o Paraná e países vizinhos.

Ampliação da pista de pouso e decolagem do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu. Foto: Sara Cheida/Itaipu Binacional.

“Cuidar da nossa gente”

“Faz parte da missão de Itaipu gerar energia com qualidade para o Brasil e o Paraguai, mas também cuidar da nossa gente. Por isso, vamos continuar mantendo investimentos em infraestrutura, para garantir o emprego e a segurança de centenas de brasileiros que dependem desse ganha-pão para sobreviver”, diz o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna.

Com os olhos voltados para o futuro, a usina de Itaipu fez um plano de contingenciamento já prevendo o pós-covid-19. Internamente, Itaipu sistematizou o home office, conforme preconizam os protocolos da Organização Mundial da Saúde e do Ministério da Saúde, além de decretos municipais de distanciamento social no período da crise. As atividades vitais da usina foram mantidas, seja por teletrabalho ou presencialmente, quando isso é essencial, especialmente para a geração de energia. Nesse caso, equipes atuam em sistema de escala.

General Joaquim Silva e Luna em entrevista no canteiro de obras da Ponte da Integração. Foto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional.

As obras

São cerca de R$ 700 milhões em investimentos da Itaipu em obras estruturantes. No caso da Ponte da Integração Brasil-Paraguai, a concretagem da primeira fase está pronta no lado brasileiro. A construção da Perimetral Leste, a artéria que sustentará uma nova organização da logística da cidade, também está sendo impulsionada e deve começar em setembro.

Duplicação da via de acesso ao Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu. Foto: Sara Cheida/Itaipu Binacional.

O cronograma do mercado público municipal, que sofreu atraso por problemas com a antiga empreiteira, agora segue o ritmo normal. Outras obras estão adiantadas: a segunda etapa da ciclovia da Avenida Tancredo Neves; o calçamento e a ciclovia do “Zerinho”, na região do Charrua; o prolongamento da Avenida Beira-Rio e a revitalização dos rios Almada e Boicy; e as reformas do aeroporto – prolongamento da pista, ampliação do pátio de manobras e duplicação do acesso entre a BR-469 e o terminal aéreo. As melhorias do turismo interno, que passam por uma repaginação, também já começaram.

A usina se prepara para iniciar as obras das futuras instalações da Delegacia da Mulher, da Delegacia do Turista, do Instituto de Identificação e da revitalização do Gramadão da Vila A, além das reformas no Hospital Costa Cavalcanti, que já estão em andamento. O hospital foi reestruturado com um ala exclusiva para casos de internamento de pacientes com o novo coronavírus.

Itaipu também prevê investir na duplicação da Rodovia das Cataratas (BR-469), uma reinvindicação de mais de 20 anos e que resolveria um dos grandes gargalos do acesso ao Parque Nacional do Iguaçu e ao Aeroporto Internacional, que recebem em tempos normais milhares de turistas. Essa é considerada uma das obras mais importantes para reconfigurar o status do turismo, vocação natural de Foz do Iguaçu.

Com esse rol de obras, diz Silva e Luna, “Itaipu oferece melhorias de atendimento social, gera centenas de empregos diretos e indiretos, impulsiona o desenvolvimento das estruturas logísticas e de circulação e, num ciclo virtuoso, dá condições para que as forças econômicas e o empresariado da cidade também invistam, criando ainda mais empregos e oportunidades para a sustentabilidade e o desenvolvimento da cidade e região por muito anos”.

Brasil, Destaques, Geral, Internacional, Itaipu, Saúde, Turismo,

Covid-19: Itaipu estende home office e mantém turismo fechado na usina até Semana Santa

Os protocolos recomendam distanciamento social. Por decreto municipal, escolas e comércio em geral estão fechados. A cidade-sede da usina faz fronteira com Paraguai e Argentina, que também estão fechadas

Depois de reavaliar o cenário atual da propagação do novo coronavírus, com base nos protocolos adotados até agora pelo Ministério da Saúde e Secretaria da Saúde, a diretoria da margem brasileira da Itaipu decidiu prorrogar o sistema de home office e manter suspensas as visitas de turismo na usina até a Semana Santa, 13. Uma nova avaliação será feita após esse período. A prorrogação foi decidida durante reunião da diretoria, nesta quarta-feira, 1º de abril.

Em Foz do Iguaçu existem 13 casos confirmados da covid-19, nenhum por contaminação comunitária, ou seja, dentro do próprio município. Por decreto municipal, escolas e comércio em geral estão fechados. A cidade-sede da usina faz fronteira com Paraguai e Argentina. As fronteiras estão fechadas.

A medida, ao mesmo tempo, preserva a tranquilidade do corpo funcional da empresa e a normalidade do funcionamento da geração de energia elétrica. Itaipu responde por 90% do consumo da eletricidade do Paraguai e mais de 10% da demanda do Brasil.

Itaipu não para. É essencial para garantir o desenvolvimento do Brasil e do Paraguai. Desde o início do ano, já gerou 22.325.491 megawatts-hora (MWh) ante 21.905.898 MWh no mesmo período de 2019. Essa quantidade seria suficiente para atender o consumo da cidade de São Paulo por nove meses e 23 dias; do Estado do Paraná por oito meses e 14 dias; do Brasil, por 17 dias; e do Paraguai, por 15 meses e nove dias.

Hoje, cerca de 80% dos empregados da margem esquerda estão em casa fazendo teletrabalho.

“Neste momento que requer atenção de todos, nossa usina tem sido, mais uma vez, essencial, para os sistemas elétricos do Brasil e do Paraguai. Vamos garantir a normalidade dos serviços sem prejuízos para a geração e a nossa gente”, diz o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna.

A empresa vem seguindo à risca a todas as recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS). Apenas quem não pode fazer o serviço em casa – como, por exemplo, profissionais das áreas de Operação e Manutenção, entre outros – permanece na usina.

Destaques, Educação, Estadual, Itaipu, Notícias, Política,

Novos tempos: 85% dos patrocínios concedidos em março por Itaipu beneficiam entidades de ensino

Dos cerca de R$ 1 milhão destinados no mês passado pela usina de Itaipu em patrocínios, R$ 870 mil beneficiaram entidades contempladas na modalidade seleção pública

A usina de Itaipu concedeu, em março, cerca de R$ 1 milhão em patrocínios para 16 projetos e eventos. Desse total, R$ 870 mil foram destinados a 13 ações de 62 entidades de ensino público para a execução de projetos voltados à educação, ou seja, 85% para instituições escolhidas na modalidade seleção pública e 15% por escolha direta.

A modalidade seleção pública foi adotada na gestão do atual diretor-geral brasileiro, Joaquim Silva e Luna, que cortou verbas de patrocínios e convênios sem aderência à missão da usina para redirecionar esses recursos a projetos de desenvolvimento regional.

“A seleção pública tem como público-alvo entidades privadas e públicas, sem fins lucrativos, que promovem ações socioambientais, educativas, esportivas, culturais e/ou tecnológicas em conjunto com entidades de ensino público da área de influência de Itaipu.

A modalidade considera a missão da usina de gerar energia elétrica de qualidade, com responsabilidade social e ambiental, impulsionando o desenvolvimento econômico, turístico e tecnológico, sustentável, no Brasil e no Paraguai”, diz o diretor geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna.

O patrocínio tem como foco fortalecer e valorizar a imagem corporativa da empresa. Todos os projetos e programas patrocinados pela usina de Itaipu devem, necessariamente, deixar legado para a população. Entre outras regras, a norma de patrocínio prevê que todos os eventos e iniciativas devem ser realizados na região da Associação dos Municípios do Oeste do Paraná, com exceção para “cases” de segurança energética e segurança hídrica.

No ano passado, uma equipe da Comunicação Social de Itaipu ajudou na capacitação dessas entidades para poderem pedir patrocínio. Representantes de escolas e demais instituições de ensino de vários cantos da região Oeste foram capacitadas.

Na lista de março foram beneficiados os municípios de Assis Chateaubriand, Cascavel, Foz do Iguaçu, Marechal Cândido Rondon, Maripá, Matelândia e São Miguel do Iguaçu.

Foram contempladas as ações Coro Juvenil do Colégio Wilson Joffre do Instituto Alfenas Siqueira Racing, com R$ 88 mil. Já o Jornal Escolar, da Associação de Pais, Mestres e Funcionários do Colégio Estadual Senador Teotônio Vilela, obteve R$ 20 mil.

O V Nipofest Cultural, da Associação Cultural e Esportiva de Cascavel, recebeu R$ 100 mil. O Programa Integrado de Educação Turística (PIET), do Instituto Polo Internacional Iguassu, foi contemplado com R$ 83 mil.

Já a ação Paulo Freire Tem: Família na Escola, da Associação de Pais, Mestres e Funcionários do Colégio Paulo Freire, recebeu R$ 71,8 mil. Para as Oficinas de Formação e da VI Conciarte – Feira de Conhecimentos e Arte do Colégio Estadual Pio XII, da Associação de Pais, Mestres e Funcionários do Colégio Estadual Pio XII, o recurso destinado foi de R$ 75,3 mil.

O programa Valorizando a Educação: Educando para Relações Humanas, da Associação de Pais, Mestres e Funcionários da Escola Municipal João da Costa Viana, levou R$ 80 mil. O Circuito Itaipu de Basquetebol, da Associação de Pais, Mestres e Funcionários do Colégio Estadual Frentino Sackser, ficou com R$ 59 mil.

Para a Badminton Transformando Vidas, da Escola Profissional Piamartina Instituto João XXIII, o patrocínio foi de R$ 53,6 mil. O curso de desenvolvimento de games, da Associação de Professores, Alunos e Funcionários do CEEBJA Professor Orides B Guerra, recebeu R$ 96,9 mil.

O Projeto Karatê na Escola, da Associação de Pais Mestres e Funcionários da Escola Estadual Papa João Paulo II, obteve R$ 36,6 mil. A Natação, Ordem e Progresso, do Instituto Desportos Aquáticos de Foz do Iguaçu, recebeu R$ 87,7 mil.

E a 1ª Mostra de Produtos das Agroindústrias da Agricultura Familiar da Região Oeste do Paraná, da Boreal Cooperativa da Agricultura Familiar, conseguiu R$ 20,5 mil.

Brasil, Destaques, Geral, Itaipu, Saúde,

Ala do Hospital Costa Cavalcanti para covid-19 recebe primeiro caso para internamento de Foz do Iguaçu

Paciente está entre os dez que foram diagnosticados pela Vigilância Epidemiológica

A ala exclusiva para atendimento a pacientes da covid-19 do Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), mantido pela usina de Itaipu, recebeu hoje, 30, o primeiro paciente com sintomas graves do novo coronavírus. Ele procurou atendimento no Hospital Unimed, mas precisou ser transferido para a UTI da ala respiratória (Covid-19) do HMCC. Ele integra o último boletim dos dez casos confirmados pela Vigilância Epidemiológica de Foz do Iguaçu. É um homem de 56 anos, que teve contato com caso confirmado em São Paulo. Ele procurou atendimento (Unimed) no dia 21 de março. Depois de coletado os exames, o paciente, aparentemente com sintomas leves, teria recebido orientações para fazer isolamento domiciliar.

O paciente foi recebido na ala exclusiva do Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), na mesma data em que a instituição foi habilitada pelo Laboratório Central do Estado (Lacen) a fazer testes (Real Time – PCR) para detecção da covid-19, com diagnóstico possível em até duas horas.

O HMCC conta com 27 leitos pra tratamento da doença, 15 deles na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Toda a estrutura foi montada por uma equipe composta por várias mãos, profissionais da enfermagem, manutenção, higienização e tecnologia da Informação, entre outros, que não mediram esforços nesses últimos dias para deixar tudo pronto para receber os pacientes.

Assessoria de Comunicação HMCC

Brasil, Destaques, Estadual, Itaipu, Saúde,

Boa notícia: Hospital Costa Cavalcanti já está habilitado para até 480 exames rápidos por dia para detectar covid-19

Mantido por Itaipu, hospital aguarda a chegada de mais kits. Os insumos já foram adquiridos

O Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), mantido pela usina de Itaipu, já está habilitado pelo Laboratório Central do Estado (Lacen) a fazer testes rápidos (Real Time – PCR) para detecção da covid-19, com diagnóstico em até duas horas.

A resposta da autorização do credenciamento chegou nesta segunda-feira, 30, por volta das 14h30, num momento bastante aguardado pelos organismos de saúde de Foz do Iguaçu e região.

Esses exames ajudarão no mapeamento epidemiológico da doença e na tomada de decisões dos municípios da 9ª Regional no enfrentamento da doença.

Já há no HMCC um estoque de 90 kits para exames rápidos, mas a expectativa é de receber nesta semana mais 1.500 dos 4 mil que foram adquiridos, o que depende do fornecedor internacional.

Todos os exames só serão feitos mediante encaminhamento da Vigilância Sanitária de Foz e região. Até esta segunda (30), dez casos da doença haviam sido confirmados em Foz do Iguaçu. Outros 112 continuam sendo investigados.

Todos os casos suspeitos de covid-19 dos municípios da 9ª Regional, que compreende, além de Foz, Itaipulândia, Matelândia, Medianeira, Missal, Ramilândia, Santa Terezinha de Itaipu, São Miguel do Iguaçu e Serranópolis do Iguaçu, poderão ser testados pelo HMCC, independentemente do local de entrada, seja por uma unidade de pronto atendimento ou por um hospital público, como o Hospital Municipal Germano Lauck.

Para os laboratórios de Análises Clínicas e, especialmente, de Saúde Única do Centro de Medicina Tropical, foram adquiridos equipamentos de automação e de reagentes para realizar exames diagnósticos, com destaque para o PCR para a covid-19.

Missão de Itaipu

Desde 26 de fevereiro de 2019, quando assumiu a usina de Itaipu, o diretor-geral brasileiro, general Joaquim Silva e Luna, direcionou mais de R$ 700 milhões obtidos com a economia e cortes de convênios e ações sem aderência à missão da usina, para obras estruturantes e demais iniciativas a favor do bem-estar da população da região. Dentro desta lista, só para o HMCC, que também atende pacientes dos SUS, foram destinados mais de R$ 60 milhões.

“Todos os investimentos têm como foco apoiar o desenvolvimento do Oeste do Paraná. Continuamos reforçando todas essas medidas. Agora, mais especificamente na área de saúde, por intermédio do HMCC e do Grupo de
Trabalho que monitora a evolução do vírus da região, além das ações de proteção dos empregados da usina”, explicou.

O diretor superintendente do Hospital Ministro Costa Cavalcanti, Fernando Cossa, conclama todos a colaborar. “O ideal é unir todas as instituições de saúde num mesmo esforço em comum para ganhar essa guerra”. E complementa: “Hoje um grande passo foi dado. Essa é uma conquista muito importante pra toda a região”.

Ala exclusiva para coronavírus

Atualmente, o hospital conta uma ala exclusiva para atendimento de pacientes de covid-19, com 27 leitos, 15 só na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 12 de semi-intensiva. O HMCC também gerencia um fundo emergencial de aproximadamente R$ 15 milhões voltados para a reestruturação da instituição e ajuda Foz do Iguaçu e municípios vizinhos no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus.

Com os testes rápidos (Real Time – PCR) da covid-19 é possível obter o diagnóstico, num primeiro momento, em até três horas. E, com a automação, o tempo pode ser reduzido para até duas horas.

Já se antecipando à crise causada pela covid-19, a Fundação Itaiguapy, que administra o HMCC, fez compras antecipadas de equipamentos de proteção pessoal, de materiais e medicamentos (cloroquina e azitromicina, entre outros), incluindo 35 aparelhos de ventilação mecânica, 50 monitores multiparamétricos e 40 camas hospitalares.

O HMCC contratou aproximadamente 80 colaboradores e médicos plantonistas para atuar em setores específicos no tratamento à covid-19, além de uma infectologista e um coordenador de medicina interna dedicados
exclusivamente ao combate à doença. Mais de 200 pessoas estão em treinamento, aptas para uma possível crise.

Plano de contingência

O hospital também colocou em vigor um plano de contingência. Foi criado um núcleo de inteligência covid-19, responsável pela elaboração e divulgação de boletins diários internos sobre tratamentos, treinamentos e simulações, em apoio ao HMCC e ao Hospital Municipal Germano Lauck.

O HMCC também abriu um pronto atendimento para queixas respiratórias e criou um bloco exclusivo para internações de pacientes com covid-19, seguindo rigorosamente as indicações técnicas dos melhores centros de referência.

Além disso, o HMCC cedeu para o município equipamentos de proteção individual, máscaras cirúrgicas, luvas e monitores, entre outros. Também fez um convênio com um hotel para hospedagem de profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate à pandemia. Com a reestruturação, o Centro Clínico tem agora dois prontos atendimentos, um para pacientes sem sintomas respiratórios e o outro voltado para os casos de sintomas respiratórios.

Melhores do Brasil

O Hospital Ministro Costa Cavalcanti aparece em décimo oitavo lugar numa lista das 41 melhores unidades hospitalares do Brasil. O ranking, que tem entre outros hospitais o Albert Einstein e o Sírio Libanês, primeiro e segundo lugares respectivamente, foi divulgado no site da revista Newsweek recentemente. O ranqueamento levou em consideração as recomendações de profissionais médicos, entrevistas com pacientes e
indicadores-chave de desempenho médico.

Hospital de qualidade

Das mais de seis mil unidades hospitalares existentes no Brasil, somente 342 têm a chancela de Acreditação Hospitalar. O Costa Cavalcanti está entre os 2,95% de instituições brasileiras (177) com Acreditação com Excelência (Nível III).

Destaques, Geral, Itaipu, Saúde,

Hospital mantido por Itaipu poderá fazer em breve testes rápidos da covid-19

Expectativa é que credenciamento saia o mais cedo possível para ajudar Foz e outros oito municípios da região no enfrentamento da doença.

Já nos próximos dias, o Centro de Medicina Tropical (CMT) do Hospital Ministro Costa Cavalcanti, mantido pela usina de Itaipu, deverá estar habilitado a fazer testes rápidos para detectar o novo coronavírus. O serviço estará disponível para toda a área de abrangência da 9ª Regional de Saúde, que compreende uma população de aproximadamente 400 mil pessoas. O teste rápido (PCR Real Time) permite diagnosticar ou descartar a covid-19 em menos de 24 horas. Foz do Iguaçu tem cinco casos confirmados da doença e outros 104 suspeitos.

O Centro de Medicina Tropical atende aos requisitos previstos em decreto assinado pelo governador Carlos Massa Ratinho Júnior para credenciamento no Sistema Nacional de Laboratórios de Saúde Pública, o que permitirá ter autorização para fazer os testes rápidos da covid-19. Toda a documentação para o credenciamento será enviada até esta sexta-feira, 27, ao Laboratório Central do Estado (Lacen).

A expectativa é que o credenciamento saia o mais rápido possível, para o hospital ajudar Foz do Iguaçu e outros oito municípios no enfrentamento da doença. Os outros municípios são Itaipulândia, Medianeira, Matelândia, Missal, Ramilândia, Santa Terezinha de Itaipu, São Miguel do Iguaçu e Serranópolis do Iguaçu.

“A partir desse serviço, o Centro de Medicina Tropical poderá ajudar os municípios na decisão de medidas com base num mapeamento epidemiológico real dos casos do novo coronavírus em Foz”, explica o responsável pelo CMT, Robson Delai. Ele lembra que houve mudanças nos protocolos de saúde de classificação do novo coronavírus. Agora, apenas em casos de internamento o exame para a covid-19 será liberado pela Vigilância Sanitária.

Covid-19 e dengue

O CMT é a única planta da América Latina adaptada para fazer exames em material genético tanto de humanos como de animais, dentro do conceito de saúde única. No combate à dengue, o serviço do centro tem isso imprescindível. Foz do Iguaçu tem cerca de 19 mil notificações e 3,7 mil casos confirmados da doença.

De acordo com o diretor-superintendente do HMCC, Fernando Cossa, a habilitação para o exame rápido do coronavírus facilitará o controle da doença na região.

O Hospital Ministro Costa Cavalcanti montou uma estrutura especial para o enfrentamento do novo coronavírus e também de apoio à prevenção e combate à dengue. O HMCC doou máscaras cirúrgicas descartáveis para o Hospital Municipal e também vai fornecer monitores multiparamétricos. Esses aparelhos médico-hospitalares servem para monitorar os sinais vitais dos pacientes. Eles possuem alarmes sonoros e visuais que alertam os profissionais para qualquer risco relacionado ao estado de saúde do paciente.

Com uma nova ala exclusiva para casos do novo coronavírus, o hospital também conta com estrutura para internamento de pacientes com dengue. O HMCC mantém atendimento médico 24 horas e realização de exames laboratoriais para esses casos. A unidade funciona no Centro Clínico, na Avenida Parati, 737, na Vila A.

O diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, reforça a preocupação da usina e suas fundações com a saúde da população. “Nossa missão, como muitos já sabem, vai além de gerar energia limpa e renovável e garantir o desenvolvimento do Brasil e Paraguai. Une fronteiras e trata do bem-estar da nossa gente.”

Fotos: Rubens Fraulini