Browsing Category

Itaipu

Brasil, Destaques, Economia, Internacional, Itaipu,

Ponte da Integração avança e estudo inicial para a outra ligação financiada por Itaipu é aprovado

A aprovação ocorreu nesta quarta-feira, 20, durante a segunda reunião da Comissão Mista Brasil-Paraguai, que trata sobre o tema

Foi dado o sinal verde ao estudo inicial que servirá de base para a licitação de contratação de uma consultoria dos projetos da ponte entre os municípios de Porto Murtinho, no Mato Grosso do Sul, e Carmelo Peralta, do outro lado da fronteira. Se tudo ocorrer dentro dos prazos previstos, a licitação para esse fim será lançada agora em dezembro.

O aval foi dado nesta quarta-feira, 20, durante a segunda reunião da Comissão Mista Brasil-Paraguai que trata sobre o tema. A aprovação ocorre em meio aos avanços das obras da Ponte da Integração Brasil- Paraguai, entre Foz do Iguaçu, no Paraná, e Presidente Franco, no país vizinho, iniciadas em agosto.

As duas pontes são financiadas com recursos da usina de Itaipu. A ligação de Foz está sendo bancada pela margem esquerda (brasileira), enquanto a ligação do MS é financiada pela margem direita (paraguaia).

A reunião binacional na usina de Itaipu, em Hernandárias, sede paraguaia da hidrelétrica, foi coordenada pela embaixadora Glória Amarilla (PY) e pelo conselheiro Olympio Faissol (BR). Do lado paraguaio, participaram integrantes do Ministério de Obras Públicas e Comunicação, Aduanas e Itaipu.

Já pelo lado brasileiro, estiveram presentes representantes do Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (Dnit), do governo do Estado do Mato Grosso do Sul e de Itaipu.

O diretor de Coordenação, Luiz Felipe Carbonel, representou a margem esquerda de Itaipu. A expectativa é que a nova ponte do MS esteja construída até meados de 2024 e a de Foz até 2023.

Segundo o diretor de Coordenação de Itaipu, assim como a obra entre Foz do Iguaçu e Presidente Franco está em um bom estágio, até mesmo surpreendente, a nova ligação que será construída no Mato Grosso do Sul também deverá ser feita num cronograma bastante enxuto. Carbonell e equipe fazem visitas constantes à obra.

Marco econômico

Financiadas com recursos de Itaipu, as duas pontes representam um marco no desenvolvimento do Paraná e do MS e dos respectivos departamentos paraguaios.

Para o Paraguai, assim como para o Brasil, essas duas ligações permitirão uma integração econômica maior entre os dois países-irmãos e uma conexão sem igual dentro da América Latina.

Os dois estados são grandes centros de exportação e, com as novas ligações, terão acesso direto a portos do Chile, no Oceano Pacífico, ampliando o potencial de negócios.

Ponte da Integração

No bairro Porto Meira, em Foz do Iguaçu, onde a Ponte da Integração Brasil-Paraguai está sendo erguida, as obras, iniciadas em agosto, estão em ritmo acelerado. Agora, a expectativa é viabilizar o início da construção no município vizinho de Presidente Franco, do outro lado da fronteira.

O governo paraguaio já autorizou a isenção do IVA dos insumos transportados de um lado para o outro do Rio Paraná para acelerar o início da obra. Todo o processo de desburocratização de entraves para a viabilidade da nova ligação, com o envolvimento de vários órgãos dos dois países, está sendo acompanhado de perto pela Diretoria de Coordenação de Itaipu.

Todas as tratativas estão sendo feitas no espírito de cooperação e da diplomacia que sempre esteve presente na relação entre os dois países. O próximo passo é a liberação do transporte das primeiras máquinas e equipamentos do Brasil ao Paraguai. A expectativa é que o transbordo seja liberado o mais breve possível.

A cada dia a construção da ponte ganha novos contornos. O trabalho de desmonte de rochas próximo à margem do rio Paraná já teve início. O local está sendo preparado para a construção de uma torre que terá 120 metros de altura e vai sustentar os cabos que serão estendidos no vão da estrutura. A estrutura está sendo construída com recursos de Itaipu e a gestão é do Governo do Estado.

Viabilidade

O diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, reforça que o investimento de Itaipu na Ponte da Integração “só foi possível porque todos os atores envolvidos, entre eles os próprios empregados de Itaipu, entenderam a magnitude dessa obra e abraçaram o projeto, que mudará completamente a economia da região”.

Somado aos demais aportes que a usina vem fazendo em obras estruturantes, o montante passa de R$ 600 milhões. Além da ponte, Itaipu está investindo em obras de ampliação do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu, modernização do Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), reestruturação do turismo de Itaipu e novo parque do Gramadão da Vila A, entre outras.

Fotos: Theofanes de Lira Pessoa Júnior e Ever Portillo

Destaques, Geral, Itaipu, Meio Ambiente, Política,

Prefeitura e Itaipu executam mutirão de limpeza em bairro de Foz do Iguaçu. Veja fotos!

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e a Itaipu Binacional têm atuado de forma conjunta em mutirões de limpeza na região da Vila C. O intuito da ação, além de manter o bairro limpo, é combater o mosquito da dengue e alertar à população para o descarte correto de resíduos.

As atividades tiveram início no mês de outubro e encerram na segunda quinzena de novembro. Até agora foram recolhidos 428 m3 de entulho ao redor do Refugio Biológico Bela Vista (RBV) e no entorno das linhas de transmissão de Furnas (Linhão).

O material depositado nesses locais tem origem desconhecida, e é composto, em sua maioria, por restos de vegetais, como troncos e galhos de árvores, lixo doméstico e resíduos de construção.

“Após uma série de denuncias dos moradores daquela região sobre o depósito de lixo ao lado do Refúgio, entramos em contato com a Itaipu e solicitamos essa parceria, que é extremamente importante, especialmente porque estamos travando uma luta contra o mosquito da dengue”, comentou Adriana Fuzetti Lopes, chefe de Divisão da Secretaria de Meio Ambiente.

De acordo com Jeferson Bofinger, da Divisão de Áreas Protegidas da Itaipu, o depósito e acúmulo de materiais próximos as linhas de transmissão podem servir também como focos de incêndios, prejudiciais ao funcionamento seguro do sistema de distribuição da energia produzida pela ITAIPU.

“Diante do interesse da ITAIPU em manter a segurança de operação das linhas de transmissão e a limpeza da cerca e imediações do RBV, realizamos uma parceria com a Secretaria de Meio Ambiente e iniciamos a remoção mecânica de entulho desses locais e enviamos o material recolhido ao aterro sanitário municipal para destinação final adequada”, explicou.

Como fazer o descarte?
Cabe à população realizar o descarte correto dos resíduos. O Aterro Municipal, localizado o bairro Porto Belo, recebe gratuitamente este tipo de material.

Caso não possua veiculo adequado para o transporte, o gerador deve contratar uma caçamba. O horário de funcionamento do Aterro é de segunda a sexta feira, das 8:00 as 18:00 hs.

Fiscalização
O município está intensificando as ações de combate a dengue, com isso ampliando o monitoramento e a fiscalização de áreas de “bota foras”, inclusive responsabilizando os proprietários de terrenos vazios com mato alto ou acúmulo de lixo, sendo feita autuação direta, não havendo notificação preliminar.

Nos casos de despejo irregular de resíduos, sendo pessoa física ou jurídica, a Secretaria de Meio Ambiente utiliza da Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/98), mais especificamente em seu Art. 54 que trata de Poluição.

A multa mínima para quem jogar entulhos em terrenos é de R$ 5 mil, além de poder responder criminalmente pelo fato, e providenciar a limpeza e recuperação da área quando couber.

Brasil, Destaques, Internacional, Itaipu, Turismo,

Nova Itaipu: turismo da usina passará por uma grande reestruturação

A partir de dezembro, a Itaipu deverá implementar uma série de melhorias para incrementar ainda mais o turismo da usina, o que trará benefícios para toda a região da fronteira do Brasil com o Paraguai e Argentina.

“Será um grande salto de qualidade para garantir maior visitação nos atrativos da maior hidrelétrica em geração de energia renovável e de práticas sustentáveis replicadas pelo mundo inteiro”, diz o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna.

O plano de trabalho prevê, entre outras obras, a reforma dos mirantes Central e do Vertedouro, adequação do Centro de Recepção de Visitantes, inserção de tecnologias para garantir uma melhor experiência da visitação e de acessibilidade, além do embelezamento dos atrativos em si.

A continuidade da parceria da Itaipu e do Parque Tecnológico Itaipu (PTI) para a gestão do Complexo Turístico já foi acertada. Em março de 2020, a Itaipu e o PTI vão renovar o acordo. Com isso, a ideia é colocar em andamento, o mais rápido possível, os projetos de revitalização. A concessão tem validade até 2023.

As obras serão feitas de forma gradativa, para causar o menor impacto possível para quem trabalha e visita a Itaipu. Já a partir de dezembro serão iniciadas as melhorias no Mirante do Vertedouro. O atrativo Itaipu Kattamaram será desativado, para a revisão da modalidade desse tipo de passeio.

O Complexo Turístico Itaipu (CTI) tem uma vasta experiência no modelo sustentável de operação do turismo. Em 2016, o CTI foi o vencedor na categoria Pesquisa, Tecnologia e Inovação do Prêmio de Excelência e Inovação do Turismo, concedido pela Organização Mundial do Turismo. O CTI também obteve a segunda colocação entre os dez Principais Pontos de Referência do 2016 Travellers’ Choice, do site Trip Advisor.

“Estamos fazendo vários estudos para tornar cada vez mais inovadora a experiência de visitar a Itaipu. Queremos que o visitante tenha a melhor memória afetiva da usina que pertence a dois povos irmãos”, diz o diretor administrativo financeiro do PTI, Flaviano da Costa Masnik.

Para mais informações sobre visitas no site da Itaipu

Brasil, Cultura, Destaques, Itaipu, Meio Ambiente, Turismo,

“Praia de Foz do Iguaçu”, Gramadão de Itaipu será um grande parque de lazer e atrativo turístico. Veja fotos!

Bastante frequentado, o local deverá se tornar um espaço ainda mais agradável para a população e também um ponto a mais de visitação para os turistas

Um dos espaços de lazer mais frequentados por moradores da Vila A e de boa parte de Foz do Iguaçu, o Gramadão de Itaipu, com 31 mil metros quadrados de área, vai passar pela maior revitalização de sua história desde o final dos anos 90, quando ali foi promovido o primeiro Natal de Foz e, logo em seguida, em 2000, foi construída uma nova infraestrutura com Concha Acústica e sanitários. O ponto de encontro estava consolidado.

A estimativa é de que a reforma comece no segundo semestre do ano que vem. A conclusão está prevista para 2021, num investimento estimado de R$ 2,6 milhões. A revitalização do Gramadão é um pedido da Assessoria de Comunicação Social da Itaipu e será desenvolvida pela Divisão de Planejamento de Infraestrutura, da Diretoria de Coordenação da empresa.

Esse é mais um presente da gestão do diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, para Foz do Iguaçu e região, que se soma a outras grandes obras, como a Ponte da Integração Brasil – Paraguai, as ampliações do aeroporto de Foz do Iguaçu, o Mercado Municipal – todas em andamento – e a modernização do Hospital Ministro Costa Cavalcanti.

São investimentos de mais de R$ 600 milhões, que deixam legado e geram riqueza e desenvolvimento em toda a área de influência da usina, numa cobertura de 55 municípios.

“Foz do Iguaçu tem uma vocação natural para o turismo e estamos trabalhando, em consonância com a missão da usina, em potencializá-lo, assim como garantir mais qualidade de vida para a nossa gente”, diz Silva e Luna. E acrescenta: “Nossa população merece o que é melhor e precisa exigir nada menos que isso dos dirigentes”.

Um verdadeiro parque
De mobiliário urbano até o ordenamento e adequação das barraquinhas de comidas, passando pela iluminação, embelezamento do local, arborização, sinalização, instalação de arquibancadas de concreto, criação de rampas e adaptação da Concha Acústica para diferentes tipos de espetáculos, o Gramadão terá uma cara totalmente nova. O parquinho para as crianças também receberá melhorias.

“A proposta de intervenção respeita as características positivas do Gramadão, como o espaço amplo, a topografia e a diversidade de usos, mas trazem melhorias importantes, como o maior sombreamento e mais lugares para sentar e curtir o espaço público”, explica o arquiteto Henrique Gazzola de Lima, da Divisão de Planejamento de Infraestrutura.

A gerente da mesma área, Janine Alicia Groenwold, explica que a intervenção não causará nenhum tipo de transtorno para a população e os comerciantes locais porque as obras serão feitas em etapas, gradativamente.

Espaço mais frequentado
O evento mais tradicional de Foz do Iguaçu historicamente sempre foi o Natal no Gramadão, com início em 1999, com a primeira festa natalina para a comunidade promovida pela Itaipu Binacional.

Em 2000, o Gramadão ganhou a Concha Acústica e, com apresentação de shows variados, ficou ainda mais preparado para uma grande festa.

Ano a ano
havia uma surpresa diferente para o público. Em 2005, a programação natalina passou a ser chamada de Natal Encantado. Em 2004, atingiu, num só dia, mais de 80 mil pessoas, o maior público já registrado em todos os Natais de Itaipu.

Fotos: Arquivo da Itaipu e Sara Cheida

Brasil, Destaques, Economia, Itaipu, Turismo,

Itaipu recebe 9,2 mil visitantes durante o feriadão da Proclamação da República

No último feriado prolongado antes das festas de fim de ano, movimento no Complexo Turístico Itaipu (CTI) foi dentro da expectativa

Os atrativos turísticos da Itaipu Binacional receberam 9.275 visitantes durante os três dias do feriado prolongado da Proclamação da República, entre sexta-feira (15) e domingo (17). Os dados se referem às visitações do lado brasileiro da usina, atendidas pelo Complexo Turístico Itaipu (CTI), e não contabilizam visitas institucionais ou da margem paraguaia.

No último feriadão antes das festas de fim de ano, o dia de maior movimento foi o sábado (16), quando a usina recebeu 3.849 turistas. Para atender a demanda, o Complexo Turístico Itaipu ampliou os horários e as vagas dos passeios. A visita mais procurada, a Itaipu Panorâmica – que leva os turistas para um passeio externo na usina – teve saídas a cada dez minutos. Entre sexta-feira (15) e domingo (17), 6.543 pessoas fizeram o passeio.

Também foi adicionado um horário extra ao Polo Astronômico, às 13h, e dobrada a quantidade de vagas para o Itaipu Iluminada – de 200 para 400. O atrativo, que ocorre às sextas-feiras e aos sábados e leva o turista ver a barragem iluminada de pertinho, segue até o final de novembro nas cores da campanha Novembro Azul, em alusão à prevenção do câncer de próstata.

A gestão do turismo é feita em parceria pelo Parque Tecnológico Itaipu e Comunicação Social de Itaipu. Mais informações podem ser obtidas AQUI.

Movimento

Além de Itaipu, outros atrativos da cidade receberam um grande movimento de turistas nesse feriadão. A Infraero, que administra o Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu, projetou um aumento de 20% no total de passageiros que passaram pelo terminal no feriado.

De sexta-feira (15) a domingo (17), mais de 35 mil pessoas foram ao Parque Nacional do Iguaçu para ver as Cataratas do Iguaçu. O Marco das 3 Fronteiras também registrou altos de índices de visitação e fechou o feriadão com 8.399 pessoas.

Enquanto isso, no Paraguai, a feira de descontos Black Friday congestionou o centro comercial de Ciudad del Este. Cinco mil estabelecimentos foram mobilizados pela Câmara de Comércio para participarem da ação promocional, entre quinta (14) e sexta-feira (15).

Para o diretor-geral brasileiro, general Joaquim Silva e Luna, o bom desempenho do turismo de Itaipu e da região é resultado dos investimentos feitos no setor, especialmente em termos de infraestrutura e qualidade. “A região tem vocação turística e a Itaipu contribui para fortalecer o setor. O turismo é uma atividade importante para a economia da região e geradora de emprego e renda”, afirmou Silva e Luna.

A construção da Ponte da Integração Brasil-Paraguai, da Perimetral Leste e os investimentos no Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu (ampliação da pista, do pátio de cargas e a duplicação do acesso) devem impulsionar ainda mais o turismo da região.

As obras, bancadas pela Itaipu e que deixam grande legado à sociedade, somam um aporte de quase R$ 600 milhões. Esse valor equivale à economia gerada pela política de reestruturação da gestão de Itaipu, na gestão de Silva e Luna, em oito meses e meio.

Brasil, Destaques, Geral, Itaipu, Turismo,

FERIADÃO: Itaipu amplia horários para receber mais de 9,4 mil turistas

Mesmo com um dia a menos do que o feriadão da Proclamação da República de 2018, quando o dia 15 caiu numa quinta-feira, a expectativa do turismo da Itaipu Binacional é de receber 9,4 mil turistas no feriado deste ano. Para melhor recepcionar os visitantes, o Complexo Turístico Itaipu(CTI) ampliou horários e vagas dos passeios.

A expectativa tem como base números do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Foz do Iguaçu e Região (Sindhotéis), que ainda no final de outubro informou que a cidade já estava com 100% dos leitos da rede hoteleira ocupados.

Em 2018, nos quatro dias do feriado, os atrativos da usina de Itaipu receberam mais de 15,5 mil visitantes – número 60% superior ao que o Complexo havia projetado, de 9,5 mil pessoas. Este ano o sábado deve ser o dia de maior fluxo nos passeios, quando são esperados 3,8 mil turistas.

Para melhor atendê-los,o CTI aumentou as saídas da Itaipu Panorâmica, passeio mais procurado pelos turistas, de 10 em 10 minutos. Também foi adicionado um horário extra ao Polo Astronômico, das 13h, e ampliadas as vagas do Itaipu Iluminada de 200 para 400 entradas por dia.

Os atrativos turísticos da usina de Itaipu são administrados pelo Parque Tecnológico Itaipu (PTI), em um modelo de turismo sustentável reconhecido pela Organização Mundial do Turismo (OMT).

Mais informações e reservas dos passeios podem ser feitas pelo site: https://www.turismoitaipu.com.br/

Destaques, Economia, Itaipu,

Nova Itaipu: com gestão reestruturada, usina centraliza funções e atividades

Mais preparada para enfrentar os desafios da boa governança preconizada pelos princípios da administração pública, mudanças são adotadas pela usina em respeito ao consumidor brasileiro

Para evitar sombreamentos com duplicidade de atividades e funções, a Itaipu Binacional está melhorando estruturas, processos e equipes, adequando a empresa a uma nova realidade. Com base em um estudo minucioso, a administração do diretor-geral brasileiro, general Joaquim Silva e Luna, realocou atividades, projetos, convênios e pessoal de cinco Assessorias subordinadas à Diretoria Geral.

“É a Itaipu se preparando cada vez mais para enfrentar os desafios da boa governança preconizada pelos princípios da administração pública: legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência”, avalia o general Joaquim Silva e Luna.

A secretária executiva da Diretoria Geral Brasileira, Rosimeri Fauth Ramadas Martins diz que “é importante frisar que nenhuma atividade foi descontinuada, apenas alguns projetos foram redimensionados e se fundiram, como o que ocorreu com as Assessorias de Responsabilidade Social, Energias Renováveis e Mobilidade Elétrica”.

As assessorias de Responsabilidade Social, Energias Renováveis e Mobilidade Elétrica tiveram atividades, projetos, convênios, relacionamentos internos e externos, produtos, entre outros, realocados para as áreas com maior aderência a essas atribuições. Para preservar a expertise e as ações já realizadas, o pessoal dessas assessorias foi transferido de área.

Outras duas áreas, Assessoria de Planejamento Empresarial e Assistência, por exemplo, receberam parte das atribuições e funções da Responsabilidade Social.

A realocação de pessoal permitiu a otimização da estrutura organizacional, com o reaproveitamento de pessoas em outras atividades e a supressão de cinco cargos de superintendência e dois cargos de divisão.

Até 2023
As mudanças levam em conta o cenário pré-2023, já que é preciso considerar que, nos próximos anos, haverá discussões binacionais para revisão permanente da estrutura organizacional de Itaipu, que vão avaliar aspectos técnicos de atribuições.

Por isso, a proposta é apenas de adequação, mas respeitando a estrutura existente e baseando-se na aderência de atribuições estabelecidas no Manual de Organização de Itaipu.

Responsabilidade Social
As mudanças na Responsabilidade Social envolvem 15 empregados de Itaipu. Parte das atribuições e ações ficou na Diretoria Geral, mas nas áreas de Planejamento Empresarial (trabalho de monitoramento e consolidação de informações de responsabilidade social) e Assistência (doação de bens, encerramento de convênios por decisão empresarial, governança corporativa e educação financeira, entre outros).

Já os principais programas e projetos da Responsabilidade Social ficaram com a Diretoria de Coordenação, a única que tem ação direta no território. Além disso, relatório especial da Comissão Mista Técnica Brasileiro-Paraguaia, de 1973, já previa ações ligadas à responsabilidade social por parte desta diretoria.

Entre os programas e projetos, estão o Programa de Proteção a Criança e Adolescentes – Gestão de Convênios, Atelier Cidadania, Jovens Atletas, Velejar é Preciso, Kimono Amigo, Basquete sem Fronteiras, Meninos do Lago, Xadrez para todos, Energia Solidária e Trilha Jovem.

Coube à Diretoria Administrativa parte das atribuições e projetos da Responsabilidade Social, entre os quais Campanha da Estrelinha, Banco de Projetos, Campanha da Gelatina, Campanha de Páscoa, Gincana da Integração, Comitê de Gênero, ONU Mulheres, Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente, Programa de Iniciação e Incentivo ao Trabalho (PIIT) e Programa de Educação Ambiental e Comitê de PCD.

Energias Renováveis
A Assessoria de Energias Renováveis também foi afetada pela otimização de estruturas, processos e equipes, com realocação de atividades, projetos, convênios e pessoal. Houve realocação de cinco empregados.

Todo o trabalho desenvolvido pela Assessoria de Energias Renováveis ficou agora sob responsabilidade de várias áreas da Diretoria de Coordenação, já que o modelo de gestão dessa diretoria inclui o fomento a energias renováveis, principalmente na temática segurança hídrica e desenvolvimento territorial.

Mobilidade Elétrica
As atividades, projetos e pessoal da Assessoria de Mobilidade Elétrica Sustentável passaram para a Diretoria de Coordenação, mais exatamente na Superintendência de Gestão Ambiental.

Os projetos estão inseridos no Modelo de Gestão da Diretoria de Coordenação, principalmente no eixo Desenvolvimento Tecnológico. A mudança realocou 12 empregados.

A Itaipu
Com 20 unidades geradoras e 14 mil MW de potência instalada, a Itaipu Binacional é líder mundial na geração de energia limpa e renovável, tendo produzido, desde 1984, mais de 2,6 bilhões de MWh.

Em 2016, a usina brasileira e paraguaia retomou o recorde mundial anual de geração de energia, com a marca de 103.098.366 MWh.

Em 2018, a hidrelétrica foi responsável pelo abastecimento de 15% de toda a energia consumida pelo Brasil e de 90% do Paraguai.

Destaques, Economia, Estadual, Itaipu,

Itaipu é a empresa com maior lucro líquido do Paraná, aponta ranking

A Itaipu Binacional foi a primeira colocada entre as 10 empresas do Paraná, com o maior lucro líquido. O ranking foi divulgado pelo Grupo Amanhã e realizado em parceria com a consultoria PricewaterhouseCoopers (PwC).

Em segunda colocação neste quesito, vem a Copel, seguida pela Sanepar, Coamo, Soifer, Fertipar, Cálamo, Electrolux, Renault e Gazin Holding.

O mesmo levantamento constatou que a Itaipu Binacional é quinta maior empresa do Paraná para apurar as maiores do Sul do País. No total, 186 companhias paranaenses obtiveram melhores resultados em vendas, lucro e patrimônio (que são os três componentes do Valor Ponderado de Grandeza – VPG, o principal indicador da lista).

A premiação foi realizada em Curitiba, com a presença do governador Carlos Massa Ratinho Junior. A diretora jurídica de Itaipu, Mariana Favoreto Thiele, representou a empresa na solenidade. Na sexta-feira (8), ela repassou o prêmio ao diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna.

Brasil, Destaques, Economia, Itaipu,

Seleção pública inédita de patrocínios da Itaipu recebe 79 projetos de educação

A quantidade de inscritos nessa modalidade é equivalente ao total dos patrocínios selecionados por escolha direta em 2019

Um total de 79 projetos de diversas instituições de educação de Foz do Iguaçu e região vai participar do primeiro edital de seleção pública para patrocínios da Itaipu. O número foi definido nesta terça-feira (12). O prazo final para a entrega dos materiais era até 8 de novembro.

Para Jorge Ricardo Áureo Ferreira, assessor especial da Diretoria Geral Brasileira de Itaipu, “a grande demanda por esse tipo de modalidade demonstra uma grande confiança da comunidade na proposta apresentada pela gestão do general Joaquim Silva e Luna”.

E complementa: “esse resultado mostra o acolhimento e entendimento da seriedade do processo e da grande capacidade de criatividade da nossa gente, que inscreveu projetos de grande relevância para preparar nossa juventude frente aos desafios da educação”.

Para essa modalidade será destinado o valor de R$ 1,4 milhão. A quantidade de inscritos na seleção pública é equivalente à dos patrocínios selecionados por escolha direta em 2019. Agora, os projetos inscritos passarão por uma avaliação técnica antes do anúncio do resultado final.

A seleção pública contempla ações socioambientais, educativas, esportivas, culturais e/ou tecnológicas de centros municipais de educação infantil, colégios e escolas públicas da educação básica (ensino infantil, fundamental e/ou médio) das redes estaduais e municipais. O valor máximo por ação nessa modalidade será de R$ 100 mil.

O resultado final será divulgado até o dia 17 de fevereiro de 2020. A celebração do termo de patrocínio seguirá o cronograma de execução dos projetos selecionados. As ações deverão ser iniciadas de 1º de março a 31 de dezembro de 2020. As prestações de contas deverão ser feitas até 90 dias depois da conclusão da ação.

A seleção pública inédita é uma iniciativa da gestão Silva e Luna, que redirecionou o uso de recursos de ações, atividades e obras sem legado à população para patrocínios, contratos e convênios com aderência à missão da empresa. O patrocínio atende basicamente ações e iniciativas dentro dos 55 municípios da área de abrangência da Itaipu.

Todo o processo foi feito pela Divisão de Gestão da Comunicação Social (CSGC.GB) com o apoio de várias aéreas da empresa. Para colocar esse projeto em ação, foram realizadas duas capacitações para orientar representantes de instituições de ensino sobre o processo inédito de seleção pública para patrocínios da Itaipu.

Cerca de 180 pessoas, vindas de 25 municípios, participaram dos dois encontros. O primeiro deles foi em 2 de outubro e o segundo em 30 de outubro.

A gerente da CSGC.GB, Teresa Raquel Angheben, avalia o resultado com um grande sucesso. “Foi um processo trabalhoso e gratificante. Esperamos receber projetos inovadores e criativos, que deixem um legado de benefícios para a nossa região, conforme orientação do nosso diretor Joaquim Silva e Luna”, afirmou.

Foto: Nilton Rolin

Brasil, Destaques, Economia, Itaipu,

Diretor-geral de Itaipu tem trabalho reconhecido por associações do Oeste do Paraná

Oeste em Desenvolvimento e Caciopar divulgaram carta conjunta em agradecimento ao general Silva e Luna pela reestruturação da gestão, iniciativa que permitiu investimentos em obras relevantes para toda a região

O Programa Oeste em Desenvolvimento (POD) e a Coordenadoria das Associações Comerciais e Empresariais do Oeste do Paraná (Caciopar) divulgaram, em conjunto, uma carta de agradecimento ao diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, pelos serviços prestados em benefício de toda a região.

O texto, entregue a Silva e Luna, leva a assinatura do presidente do POD, Danilo Vendruscolo, e do presidente da Caciopar, Alci Lúcio Rotta Júnior. A divulgação foi feita logo depois de uma palestra de Silva e Luna nas dependências da Associação Comercial e Industrial de Foz do Iguaçu (Acifi), nesta sexta-feira (8), onde ocorreu o 5º Congresso Caciopar e 6º Fórum do POD. Cerca de 250 empreendedores e autoridades de setores organizados participaram do evento.

O general agradeceu a carta e compartilhou o agradecimento feito pelas associações com todos os empregados e diretores de Itaipu. “Sem esse apoio irrestrito do nosso pessoal, nada disso poderia ser feito. Em cada centavo economizado e redirecionado, existe o trabalho da mão de cada um de nossos trabalhadores, que entenderam o momento em que o País vem passando e tem dado a sua contribuição”, disse.

Em oito meses frente ao cargo, Silva e Luna vem travando uma guerra ao desperdício do dinheiro público e conseguiu realocar recursos de aproximadamente R$ 600 milhões para obras estruturantes, como a Ponte da Integração Brasil-Paraguai, modernização do Hospital Ministro Costa Cavalcanti, ampliação do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu, entre outras.

Todas as obras estão em consonância com a missão ampliada de Itaipu que é gerar energia elétrica de qualidade, com responsabilidade social e ambiental, impulsionando o desenvolvimento econômico, turístico e tecnológico, sustentável, no Brasil e no Paraguai.

Só na Ponte da Integração Brasil-Paraguai, entre Foz do Iguaçu e Presidente Franco, o investimento previsto é de R$ 323 milhões. Já a Perimetral Leste receberá R$ 140 milhões. A modernização e ampliação do Hospital Ministro Costa Cavalcanti, um dos mais importantes do Sul do País, terá um aporte R$ 64 milhões. Para o Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu está prevista a ampliação da pista de cargas e a duplicação do acesso, além de obras que vão ampliar a pista de pouso e decolagem do terminal. O investimento é da ordem de R$ 70 milhões.

Itaipu trabalha de forma integrada com o governo do Paraná e com os 54 municípios do Oeste, em consonância com as diretrizes do governo federal, com base nos princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência (Limpe), como preveem os princípios da boa administração pública listados no artigo 37 da Constituição Federal.

Reconhecimento

A carta à Itaipu foi divulgada logo depois da apresentação do diretor no 5º Congresso da Caciopar e 6º Fórum do POD. No texto, as associações ressaltam que ao longo dos últimos anos, o POD e a Caciopar vêm travando “uma luta praticamente diária para unir a sociedade civil organizada e o poder público em torno dos projetos de desenvolvimento prioritários para a região Oeste do Paraná, sempre pautados pelos princípios do associativismo, do cooperativismo e do desenvolvimento regional”.

De acordo com as entidades, durante esta jornada, foram muitos os líderes com os quais as instituições debateram e cooperaram para que fosse possível avançar e tirar do papel tais projetos. “Em muitos casos, obtivemos importantes conquistas. Contudo, é fato que em nenhum momento foi possível observar uma atuação tão pródiga e efetiva de um líder público em prol do desenvolvimento regional como a vossa, que em pouco mais de oito meses já coleciona realizações e entregas de grande impacto para toda a região”, afirma o documento.

Em sua apresentação, Silva e Luna deu exemplos de medidas em benefício do Oeste Paranaense, a partir do melhor emprego dos recursos da binacional, reconhecidas pelo empresariado da região. São exemplos disso, a política de reestruturação da gestão da Itaipu Binacional, que gerou uma economia de mais de R$ 600 milhões, com direcionamento de recursos para investimentos em obras estruturantes.

O diretor explicou o processo de unificação do centro de comando, determinando o enxugamento do Escritório de Curitiba, com a transferência de cerca de 130 empregados para Foz. Como exemplo pessoal, o próprio general optou por morar em Foz do Iguaçu e sinalizou a todos os demais diretores e empregados que fizessem o mesmo. Ao relatar essa sua atitude, ele bastante aplaudido pelos participantes do evento.

Outro ponto importante foi o corte das ações e atividades patrocinadas que não tinham aderência à missão da usina, com prioridade aos patrocínios que deixem legado para a população. Silva e Luna também implementou uma nova política de transparência para a margem brasileira da usina, ampliando as informações na página da empresa na internet.

De olho no futuro pós-2023

Durante a palestra, que teve como tema Olhando para o futuro pós-2023, o diretor fez ainda uma síntese de Itaipu, seu papel e sua missão, assim como as formas com que a usina vem se preparando para possíveis cenários que se desenham a partir do pagamento da dívida de Itaipu com a revisão do Anexo C, do Tratado de Itaipu.
Em qualquer panorama, a ideia é tornar a empresa competitiva para atuar no mercado, com foco principal na garantia da soberania energética do Brasil e Paraguai, sócios do empreendimento.

Segundo o general, a contribuição de Itaipu para promover o desenvolvimento econômico do Oeste do Paraná só pode ser feito por intermédio das instituições e da integração de projetos e iniciativas. É cumprindo bem sua missão que Itaipu tem dado sua contrapartida para garantir mais riqueza à região, com cortes de gastos não essenciais sempre em respeito ao consumidor que paga pela conta de energia. “O desenvolvimento do Paraná é inevitável. Não há porque postergá-lo. E esse desafio está na mão de todos vocês aqui”, afirmou.

O diretor enfatizou que, desde os estudos iniciais, a usina é resultado de entendimentos diplomáticos, que permitiram resolver um conflito de fronteira na região de Sete Quedas. Também apresentou números da produção e utilização da energia de Itaipu no Brasil e no Paraguai – a usina atende 15% do consumo brasileiro e 90% do paraguaio. Segundo ele, sua gestão está focada em garantir que a usina continue gerando energia com qualidade e suprindo os dois países e que, ao mesmo tempo, esteja preparada para o futuro. A dívida da construção correspondente a 62% do orçamento.

O presidente da Caciopar, Alci Lúcio Rotta Júnior, disse que essa foi uma das palestras mais impactantes que ele já assistiu. “Agradeço pela aula de gestão. Gestos como o plano de austeridade nos enchem de esperança para continuarmos lutando por um país melhor”.

Opinião semelhante do presidente do POD, Danilo Vendruscolo. “Eu imaginava que conhecia o general, mas hoje confesso, estou muito emocionado com tantos ensinamentos”, disse. “Decidimos homenageá-lo por ser um exemplo, pelos gestos. Essa palestra que vimos hoje foi uma narrativa verdadeira da essência que um homem deve ter: integridade, amor ao próximo e à pátria”, completou.

Perspectivas para o Oeste

Antes da palestra de Itaipu, o congresso e o fórum, o POD apresentou os resultados e o Plano de Trabalho para 2020.

A abertura oficial ocorreu pela manhã, com as boas-vindas dos presidentes da Acifi, Faisal Mahmoud Ismail; da Caciopar, Alci Rotta Júnior; e do POD, Danilo Vendruscolo. A primeira palestra teve como tema Inovar é preciso! Como o empreendedor pode ser a chave nesse processo?, com o CEO e fundador da Softfocus, Alessandro Graczyk.

O congresso prosseguiu com o Pacto pela Inovação do Oeste do Paraná. Paralelamente à programação oficial do evento, o Parque Tecnológico de Itaipu apresentou exposição de inovações e novas tecnologias, com participação do PTI e empresas incubadas.