Browsing Category

Itaipu

Brasil, Destaques, Economia, Internacional, Itaipu, Meio Ambiente, Turismo,

Itaipu leva soluções integradas em energia, água e mudanças de clima em fórum internacional

O Fórum Político de Alto Nível é a plataforma central das Nações Unidas para dar seguimento à Agenda 2030. O evento abrange mais de 130 reuniões paralelas, 36 exposições e oito atividades especiais

A usina de Itaipu participa de uma agenda de três dias durante o Fórum Político de Alto Nível sobre Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU).

O diretor-geral brasileiro da empresa, general Joaquim Silva e Luna, e o diretor-geral paraguaio, José Alberto Alderete, levaram para o evento, nesta segunda-feira (15), propostas de soluções sustentáveis em água e energia que atuem de forma positiva sobre as mudanças climáticas.

Os dois diretores, acompanhados da diretora financeira paraguaia, Monica Perez, apresentaram aos parceiros informações de como a Itaipu vem atuando em prol do desenvolvimento sustentável da região.

O superintendente de gestão ambiental, Ariel Scheffer da Silva, participa como painelista técnico de um dos eventos paralelos. A agenda em Nova York inclui ainda uma reunião, nesta terça-feira (16), entre os diretores-gerais e o Subsecretário-Geral das Nações Unidas para o Desenvolvimento Econômico, Liu Zhenmin.

O programa do fórum começou no último dia 9 prossegue até sexta-feira, 19. O Fórum Político de Alto Nível é a plataforma central das Nações Unidas para dar seguimento à Agenda 2030.

O tema deste ano é “Capacitar pessoas e garantir inclusão e a igualdade”. Além das sessões oficiais, o evento abrange mais de 130 reuniões paralelas, 36 exposições e oito atividades especiais.

A programação da Itaipu, organizada em parceria com o Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais das Nações Unidas (Undesa), inclui a 3ª Reunião do Conselho Consultivo da parceria Soluções Sustentáveis em Água e Energia, o evento paralelo “Aumento das ações contra as mudanças climáticas através de soluções integradas de água e energia”, além de reuniões bilaterais com representantes de organismos internacionais e instituições ligadas à água e energia.

A reunião do Conselho Consultivo, com a participação de 25 líderes globais, ocorreu na sala de reuniões da Undesa. Após apresentação do progresso do plano de trabalho 2019, foram definidos planos futuros, direções e recomendações para a Rede Global de Soluções Sustentáveis em Água e Energia.

Lançada em dezembro de 2018, na COP 24, a Rede tem como parceiros organizações, governos e empresas que são referência em água e energia – entre eles, a Itaipu Binacional.

“A usina de Itaipu, que tem uma grande preocupação em tratar, de forma sustentável, de questões diretamente ligadas a sua atividade-fim, que é a produção de energia, preservando a água e sua gente do entorno, tem muito a contribuir para a agenda internacional”, diz o diretor Silva e Luna.

No evento “Aumento das ações contra as mudanças climáticas através de soluções integradas de água e energia: Cumprimento do Acordo de Paris e da Agenda 2030”, foram compartilhados conhecimento e experiência em abordagens integradas de água e energia em apoio à mitigação e adaptação às mudanças climáticas.

A Itaipu
Com 20 unidades geradoras e 14 mil MW de potência instalada, a Itaipu Binacional é líder mundial na geração de energia limpa e renovável, tendo produzido, desde 1984, mais de 2,6 bilhões de MWh.

Em 2016, a usina brasileira e paraguaia retomou o recorde mundial anual de geração de energia, com a marca de 103.098.366 MWh.

Em 2018, a hidrelétrica foi responsável pelo abastecimento de 15% de toda a energia consumida pelo Brasil e de 90% do Paraguai.

Foto: Arceli Pedroso de Oliveira/Itaipu Binacional

Brasil, Cultura, Destaques, Educação, Itaipu, Meio Ambiente, Turismo,

Contato com a natureza e os animais de Foz do Iguaçu: conheça o Refúgio Biológico Bela Vista

Daiane Fardin conheceu as curiosidades e histórias do local

O Refúgio Biológico Bela Vista, em Foz do Iguaçu, completa 35 anos neste mês de julho, e por isso, Daiane Fardin viajou até a região para comemorar este momento com os animaizíneos do local e também para conhecer as histórias e curiosidades que rondam por lá.

O refúgio foi criado em 1984, visando a preservação de plantas e animais depois da formação do Lago de Itaipu, e hoje, além de referência em conservação é também um destino turístico conhecido pelo contato com a natureza.

O passeio pelo local acontece por uma trilha de caminhada dentro da mata que integra o contato natural, a educação ambiental e a cultura de preservação do meio ambiente. Há também o contato com algumas espécies da fauna e flora local.

Assista o programa na página do Estúdio C

Foto: Estúdio C / RPC

Brasil, Cultura, Destaques, Educação, Internacional, Itaipu,

Exposição Itaipu Natureza tem preço promocional em seu último mês em cartaz

Os visitantes podem conhecer o espaço até 31 de julho. O valor do ingresso é de R$ 15 (meia entrada) para todas as pessoas

A Exposição Itaipu Natureza chega ao seu último mês em cartaz no Piso L2 do Cataratas JL Shopping. Até o dia 31 de julho, os visitantes poderão conhecer o atrativo turístico que traz informações sobre seis biomas brasileiros. E quem for visitar o espaço neste último mês paga preço promocional: o valor cai de R$ 30 para R$ 15 a todos visitantes.

Inaugurada em 10 de janeiro deste ano, a exposição recebeu 9.586 pessoas nos seis primeiros meses do ano. A atração, promovida pelo Parque Tecnológico Itaipu (PTI) em parceria com o Instituto Harpia, é a primeira do Turismo Itaipu fora do complexo turístico, que hoje conta com nove outros atrativos na usina hidrelétrica de Itaipu e redondezas.

A Exposição tem o objetivo de sensibilizar o público sobre a importância de conservar a biodiversidade dos biomas brasileiros (Amazônia, Mata Atlântica, Cerrado, Pampas, Pantanal e Caatinga) e apresentar a conectividade entre os seres humanos e a natureza.

Para isso, conta com uma coleção de animais taxidermizados do biólogo, dentista e diretor presidente do Instituto Harpia de Pesquisa em História Natural, João Galdino. Todos são oriundos de doações ou vítimas de caça ilegal, atropelamentos e envenenamentos.

Também são feitas atividades interativas a partir de recursos tecnológicos como projeção mapeada, imersão 360º e telas interativas, provocando uma imersão nos biomas por meio dos sentidos (visão, tato, olfato e audição).
Instituições de ensino fundamental, médio e superior interessadas podem levar seus alunos para visitar a exposição nos períodos da manhã e da tarde, em visitas guiadas. Para agendar a visita, os professores devem ligar diretamente para o Turismo Itaipu no telefone (45) 3576-7000.

Serviço

Exposição Itaipu Natureza
Término: 31 de julho.
Horários: de segunda a sábado, das 10h às 22h; domingos e feriados, das 14h às 20h.
Local: Cataratas JL Shopping – Piso L2 – Loja L203 – Av. Costa e Silva, 185 – Foz do Iguaçu – PR
Ingressos: R$ 15 (meia entrada) para todos visitantes.
Classificação: Livre
Mais informações: (45) 3576-7000

Foto: Kiko Sierich

Brasil, Destaques, Economia, Internacional, Itaipu, Turismo,

Turismo de Itaipu tem semestre histórico e deve fechar o ano com novo recorde

Mais de 444 mil turistas visitaram os atrativos da binacional nos seis primeiros meses do ano – 3,1% acima do mesmo período de 2018

Os atrativos turísticos da Itaipu receberam 444.518 visitantes nos primeiros seis meses de 2019, fazendo deste primeiro semestre o melhor de todos os tempos para o turismo da usina. A visitação ficou 3,1% acima do mesmo período de 2018, ano em que Itaipu bateu recorde de visitação com 1.024.549 pessoas. A expectativa é de novo recorde para 2019.

“Esperamos terminar o ano com mais um recorde na Itaipu. Estamos investindo nos atrativos da usina e nas ações estruturantes da região, porque o desenvolvimento turístico regional integra a nossa missão”, destacou o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna. Com as campanhas e melhorias planejadas para o turismo, espera-se superar a marca de 2 milhões de visitantes em um único ano até 2023.

Os números do primeiro semestre consideram as modalidades de visitação turística e institucional provenientes das duas margens, brasileira e paraguaia, de Itaipu. Os destaques do aumento da visitação foram o Ecomuseu (38,8% superior a 2018), a Itaipu Iluminada (acréscimo de 11,7%) e a Itaipu Especial (aumento de 10,7%), todos atrativos atendidos pelo Complexo Turístico Itaipu (CTI) da Margem Esquerda.

Outros atrativos que contribuíram para a alta da visitação foram o Itaipu Panorâmica, que teve acréscimo de 4%, ou 7.190 visitantes a mais que 2018; e a Itaipu Natureza, com visitação de 9.586 pessoas – este atrativo não constava nas opções do ano passado. No geral, o CTI/ME registrou um aumento de 10,1% na visitação, comparando-se o primeiro semestre de 2018 e o de 2019.

Junho movimentado

O mês de junho, último mês do primeiro semestre, foi bastante movimentado no turismo da Itaipu. Passaram pelos atrativos da binacional 70.405 visitantes, a maioria (62,4%) entrando pela margem brasileira. O número é 31,4% superior a junho de 2018. Junho foi o segundo mês de melhor visitação no primeiro semestre, perdendo para janeiro, que recebeu 128.840 visitantes.

Foto: Alexandre Marchetti

Brasil, Destaques, Internacional, Itaipu,

Posse do novo diretor superintendente do PTI será nesta segunda-feira, 08

O novo diretor superintendente do Parque Tecnológico Itaipu (PTI), general Eduardo Castanheira Garrido Alves, toma posse na manhã desta segunda-feira, 08, às 9h. A cerimônia acontece no Espaço Milton Santos no 3º andar do Edifício das Águas do PTI, dentro das instalações da usina.

Participam da solenidade o diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, general Joaquim Silva e Luna, e toda a diretoria da Itaipu e do PTI. Também foram convidados para o evento superintendentes de áreas da usina relacionadas ao PTI e outros parceiros da instituição.

O general Garrido substitui Flaviano da Costa Masnik, diretor administrativo-financeiro do PTI que ocupou interinamente o cargo desde maio deste ano. Com a vinda de Garrido, fica completa a equipe da diretoria do PTI, que inclui o diretor técnico Rafael José Deitos. Tanto Flaviano como Deitos são funcionários de carreira da Itaipu.

Com bastante experiência na área de gestão financeira, o general Garrido ingressou na carreira militar em 1975. Passou por diversos cargos importantes. Desde março de 2017 atuava no Ministério da Defesa como assessor especial. Deixou a função a convite do general Silva e Luna para comandar o PTI.

Histórico

O general Eduardo Castanheira Garrido Alves ingressou no exército em 1975 pela Escola Preparatória de Cadetes do Exército, em Campinas, São Paulo. Possui bacharel em Ciências Militares pela Academia Militar das Agulhas Negras (1978-1981) e especialização em Educação Física pela Escola de Educação Física do Exército Rio de Janeiro (1989-1990).

Mestrado em Aplicações Militares pela Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais (1991), Doutorado em Aplicações, Planejamento e Estudos Militares pela Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (1994-1996) e MBA em Planejamento, Orçamento e Gestão Pública pela Fundação Getúlio Vargas (2010).

Foi gestor dos setores de Alimentação, Materiais, Licitações e Financeiro do 1º Grupo de Artilharia Antiaérea, entre 1982 e 1985. Em 1986, gerenciou os setores de Alimentação, Materiais, Licitações e Financeiro do Depósito Regional de Material de Intendência da 1ª Região Militar. Comandou a 1ª Companhia Depósito de Material de Intendência da 1ª Região Militar, em 1987.

Participou da implantação da Aviação do Exército pelo 1º Batalhão de Aviação do Exército e da Base de Aviação do Exército. Entre 1992 e 1994, foi instrutor da Academia Militar das Agulhas Negras.

Comandou o 11º Depósito de Suprimento entre 2006 e 2007. De 2008 a 2011 foi chefe da Seção de Planejamento e Execução do Orçamento do Exército na 6ª Subchefia do Estado-Maior do Exército.

Em março de 2012 foi promovido ao generalato e assumiu a chefia da Assessoria Especial de Orçamento e Finanças do Exército Brasileiro. Em 2015, assumiu a 6ª Subchefia do Estado-Maior do Exército.

Desde março de 2017 atuava no Ministério da Defesa, a qual deixa o cargo de Assessor Especial do Ministro da Defesa para assumir a diretoria do Parque Tecnológico Itaipu.

Brasil, Destaques, Economia, Estadual, Internacional, Itaipu,

Investimentos de Itaipu em convênios na região Oeste do Estado superam R$ 500 milhões

São cerca de 180 convênios beneficiados, em áreas como meio ambiente, saúde e educação. Valor equivale aos royalties que a empresa paga aos municípios lindeiros

A política de reestruturação de gastos e custos da Itaipu Binacional, adotada na gestão do diretor-geral brasileiro, Joaquim Silva e Luna, manteve os investimentos considerados fundamentais na região. São cerca de 180 projetos que, juntos, somam mais de R$ 500 milhões. O valor equivale ao total de royalties que a empresa paga anualmente aos municípios lindeiros ao Lago de Itaipu.

AQUI para ver mais fotos sobre o tema

“Isso demonstra que não estamos economizando investimentos, e sim melhorando a qualidade dos nossos gastos”, disse o general, citando “uma série de obras, iniciativas e projetos estruturantes que têm relevância para a região do entorno da usina”.

Para manter o apoio, Silva e Luna determinou um rigoroso processo de análise de todos os convênios que estavam em andamento. Só foi permitida a continuidade de projetos com aderência à missão institucional de Itaipu. Convênios sem relação com a missão da empresa foram rescindidos ou não foram renovados; outros passaram por revisão, com valor menor.

“Os cortes e a reestruturação dos gastos têm como premissa a garantia da manutenção dos investimentos realizados pela Itaipu na região”, reforçou Silva e Luna. “Ao cortar excessos, podemos direcionar os recursos aos projetos que verdadeiramente geram legado e resultados expressivos à população e ao meio ambiente.”

A reorganização dos gastos permitiu ampliar os investimentos para obras de infraestrutura, como a construção da nova ponte sobre o Rio Paraná, entre Foz do Iguaçu (Brasil) e Presidente Franco (Paraguai), e a reforma e ampliação do Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), o mais importante da região. Somente o hospital vai receber investimentos de R$ 64,7 milhões de Itaipu.

Outro investimento importante de Itaipu é no Aeroporto Internacional das Cataratas, que receberá R$ 15,5 milhões para obras de duplicação da pista de acesso e ampliação do pátio de manobra das aeronaves. Acordo assinado no final de junho com a Infraero também prevê transformar o espaço no primeiro aeroporto sustentável do País, dotado de sistemas como geração de energia fotovoltaica, gestão de resíduos sólidos e abastecimento de veículos elétricos.

Públicos e objetivos específicos
Os convênios com apoio de Itaipu alcançam público e objetivo específicos, contemplando áreas como o desenvolvimento social, econômico, turístico, tecnológico e sustentável. Uma preocupação central é garantir a qualidade da água do reservatório, principal matéria-prima para produção de energia.

O Programa Gestão por Bacia Hidrográfica, por exemplo, busca esse objetivo a partir do planejamento das ações de recuperação ambiental, uso da terra, conservação e manejo dos solos, com ações para favorecer a infiltração da água da chuva, prevenção da erosão e redução do lançamento de sedimentos nos rios.

O programa atua em 55 municípios do Oeste do Paraná, além de Mundo Novo (MS), com o envolvimento de órgãos de governo e comunidade. As ações de recuperação das matas ciliares e de educação ambiental contribuem para a manutenção da biodiversidade das microbacias e conectividade dos ecossistemas, garantindo segurança hídrica e sustentabilidade na produção de energia.

Outra iniciativa importante é o programa Coleta Solidária, que beneficia 790 agentes ambientais (catadores de recicláveis) dos 55 municípios da região. A empresa apoia a organização e a estruturação de toda a cadeia de coleta e processamento de resíduos, incluindo investimentos em infraestrutura.

Trata-se de uma ação que protege o ambiente, reduz o lançamento de lixo no reservatório, contribui para a conscientização ambiental, humaniza o trabalho e oferece uma nova oportunidade de renda para o trabalhador.

Criança e adolescente
Na área de responsabilidade social, um bom exemplo é o Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente (PPCA), desenvolvido por Itaipu em parceria com entidades de Foz do Iguaçu. Em 2019, o programa atende diretamente 3 mil crianças e adolescentes da rede pública de ensino em projetos ligados a esporte, educação, capacitação, formação profissionais e combate ao uso de entorpecentes.

Para participar do programa, os alunos devem estar matriculados na rede de ensino e ter frequência escolar. Também são feitos acompanhamentos de desempenho escolar e suporte social às famílias dos beneficiários.
Em 2019, ganhou impulso dentro do PPCA o projeto Meninos do Lago, voltado para alunos de 5 a 16 anos de idade. O número de vagas saltou de 100 para 600 e as aulas passaram a ser feitas também em centros de convivência da cidade; até o ano passado, estavam restritas ao Canal Itaipu.
A iniciativa é desenvolvida pelo Instituto Meninos do Lago (Imel) com apoio da Itaipu, da Federação Paranaense de Canoagem e da prefeitura de Foz do Iguaçu. Atletas paraolímpicos também serão beneficiados no futuro. A intenção é abrir o projeto para as crianças com deficiência, promovendo a inclusão pelo esporte.

Caminho profissional
Muitos jovens beneficiados pelos projetos sociais de Itaipu encontraram no esporte o caminho para a vida profissional. Edson André Cestari Monteiro é um exemplo. Ele começou no atletismo com 12 anos de idade e, aos 16, foi integrado ao projeto Jovens Atletas – Campeões do Futuro. Em 2014, venceu o Campeonato Brasileiro Interclubes, na categoria lançamento de dardo.

Fora das pistas, Edson era um estudante aplicado e hoje é profissional na área de nutrição esportiva. “Essa bagagem que eu recebi no atletismo formou o profissional que sou hoje. Porque eu já entrei na faculdade [de Nutrição] sabendo em qual área eu queria atuar”, diz.

Edson recorda que o projeto sempre exigiu bons resultados na escola e frequência nos treinamentos. “O projeto nos ensinou disciplina e que as coisas mais importantes têm que ser trabalhadas ao longo do tempo para serem conquistadas”, afirma. “Por isso, hoje, quem passou por esse projeto, com certeza é uma pessoa mais responsável, é uma pessoa que tem uma visão com um horizonte um pouco mais além do que o senso comum.”

Canoagem tem projeção internacional

A canoagem é a modalidade apoiada por Itaipu que vem conquistando mais resultados e projeção. A história começou em 2009, quando a empresa idealizou e implantou o projeto Meninos do Lago, com uma pista de treinos dentro do complexo hidrelétrico – o Canal Itaipu. A meta era atender jovens moradores de uma vila carente, próxima da usina.

Desde então, o projeto cresceu e consolidou Itaipu como a principal escola de canoagem slalom do País. Atletas revelados pelo Meninos do Lago alcançaram resultados expressivos, incluindo vários campeonatos brasileiros. Conquistas internacionais também apareceram, como o título pan-americano de Felipe Borges da Silva, no México, em 2014.

Ana Sátila, hoje com 22 anos, é a atleta que foi mais longe na categoria. Ela participa do projeto desde 2012 e, no ano passado, conquistou o Campeonato Mundial de Canoagem Slalom; no ano anterior, foi vice-campeã.

Ana também ganhou títulos pan-americanos e participou de duas Olimpíadas: na primeira, em Londres, era a atleta mais jovem da delegação brasileira; ela voltou a competir nos Jogos do Rio de Janeiro, em 2016.

“O projeto Meninos do Lago teve e ainda tem uma grande importância e influência na minha formação como atleta, proporcionando uma base inicial fundamental para o crescimento esportivo, resultando em conquistas expressivas”, afirma Ana. “Hoje o projeto possui vários atletas com um potencial imenso, graças ao apoio e suporte da organização durante esses anos.”

Destaques, Economia, Geral, Internacional, Itaipu, Turismo,

Finais da Copa América alteram horário de passeio na Itaipu

A final e a disputa do terceiro lugar da Copa América vão alterar o horário de funcionamento do passeio Itaipu Binacional no sábado (6) e domingo (7). O atrativo, que tem parte do circuito dentro da área industrial da usina, só vai operar até o meio-dia.

É o mesmo procedimento adotado na primeira fase da Copa América e, também, em Copas do Mundo. O objetivo é garantir a segurança energética neste período, quando a demanda de energia costuma sofrer elevações no intervalo e, especialmente, logo após o final das partidas da seleção brasileira ou nas decisões do torneio.

Os turistas que já compraram o ingresso terão o passeio remanejado para outra data. Os demais atrativos, como a Itaipu Panorâmica, Refúgio Biológico e Ecomuseu, estarão funcionando normalmente.

Mais informações e reservas podem ser obtidas no site do Complexo Turístico Itaipu: www.turismoitaipu.com.br.

Destaques, Geral, Internacional, Itaipu, Meio Ambiente, Turismo,

Itaipu kattamaram passa por reforma

O charmosos passeio que integra o Complexo Turístico de Itaipu encontra-se em processo de revitalização. A previsão é de 25 dias para conclusão das obras

Por Assessoria

A embarcação que há cinco anos leva os visitantes a um passeio deslumbrante pelo lago, como um dos atrativos do Complexo Turístico Itaipu, passa por uma reforma geral.

Na primeira fase foram executados serviços de troca em pisos, instalações elétricas e hidráulicas, portas e janelas do barco. A segunda e última etapa, já em andamento, inclui pintura interna e externa e manutenção das passarelas e escadas que dão acesso a todas as áreas.

Com capacidade para 200 pessoas o Itaipu Kattamaram opera diariamente, desde sua inauguração, em 2014. O passeio, com duração aproximada de uma hora, tem como ponto de embarque o Porto Kattamaram, estrutura dotada de píer, deck e um restaurante com vista para a represa.

RESTAURANTE FUNCIONA NORMALMENTE
O Barco está em obras, mas o restaurante do Porto Kattamaram continua a todo vapor com buffet completo e serviços à la carte durante a semana. Sábado é dia de feijoada, de caipirinha e de relaxar.

No domingo, almoço especial e a mesma vista magnífica que encanta a todos os visitantes.

Horários
Almoço a partir das 10h. Jantar as sextas e sábados até as 21h
Mais informações:
www.portokattamaram.com.br e (45) 3524-5032

Destaques, Economia, Geral, Internacional, Itaipu, Justiça,

Portos clandestinos as margens do Rio Paraná e Lago de Itaipu são pontos estratégicos de contrabandistas

Em 2006, as autoridades brasileiras alcançaram uma importante vitória contra o contrabando em Foz do Iguaçu. A inauguração da Nova Aduana, em agosto daquele ano, representou um baque para os sacoleiros, que levavam mercadorias clandestinas, a pé e utilizando carros e ônibus através da Ponte Internacional da Amizade.

Com 8,4 mil metros quadrados, a estrutura permitiu investigar com maior rigor os pedestres e os veículos. Tornou-se possível fiscalizar 5% das cerca de 50 mil pessoas e dos 15 mil veículos que atravessavam a ponte, que leva do Paraguai para o Brasil. A amostragem se mostrou suficiente para desestimular o crime. As informações são da Gazeta do Povo.

Mas o contrabando reagiu rápido. Em poucas semanas, abandonou os ônibus e deixou de contratar pessoas para passar o dia indo e vindo pela ponte, com sacolas enormes de produtos contrabandeados sobre a cabeça. Desde então, a ação criminosa passou a ser distribuída por toda a extensão do rio Paraná e do lago de Itaipu.

Resultado: um levantamento da Delegacia Especial de Polícia Marítima (Depom), da Polícia Federal (PF), indica que, a cada 500 metros das margens do lago, existe um ponto que permite que caminhões e caminhonetes estacionem perto da água.

Enxugando gelo
Considerando que o lago tem um total de 1.350 quilômetros de margens, a Depom estima existem aproximadamente 3 mil pontos de desembarque de armas, drogas e produtos contrabandeados, que atravessam a fronteira pelo lago, utilizando pequenas embarcações que se conectam aos veículos.

“Quando o barco pequeno do contrabandista é abordado pela polícia, ele é virado, para que os agentes não possam ficar com a carga”, afirma Luciano Barros, presidente do Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteiras (Idesf). “Quando a carga é formada por cigarro ou eletrônicos, o contrabando se perde. Mas, quando são agrotóxicos ilegais, eles contaminam a água”.

Uma área, em especial, é estratégica, principalmente para o tráfico de drogas: ela fica entre a hidrelétrica de Itaipu e o Marco das Três Fronteiras, no ponto onde Brasil, Paraguai e Argentina se encontram. Ali, a barranca do Rio Paraná se estende por 21 quilômetros. A área é tomada por pontos de desembarque de produtos ilegais.

Todas essas clareiras, picadas e trilhas dão aos contrabandistas a capacidade de agir rápido, e em locais diferentes. Quando identificados pelos agentes policiais, esses pontos podem ser rapidamente abandonados – basta derrubar algumas árvores e abrir outro ponto de acesso ao lago.

“Muitas vezes, os agentes com os quais conversamos relatam que a sensação é de enxugar gelo”, diz Luciano Barros. “A apreensão de cargas bate recorde, e tem impacto na variação do preço dos produtos revendidos no Brasil, mas não chega a ameaçar a atividade dos contrabandistas.”

De fato, a apreensão vem batendo recordes. Além disso, nas últimas duas décadas, diferentes órgãos de fiscalização, incluindo a Receita Federal e as polícias federal, militar e rodoviária, melhoraram a integração e passaram a realizar ações conjuntas. E o Exército realiza constantemente ações em larga escala.

Restrições orçamentárias
A ação mais recente foi uma nova edição da Operação Ágata, uma ação do exército que, desde 2011, atua em todos os pontos de fronteira do Brasil. Entre março e maio de 2019, o alvo foi a região Sul do país. Nessas ocasiões, o Exército leva para a região veículos blindados Guaranis, anfíbios, equipados com canhão e metralhadora e com autonomia de combustível de até 600 quilômetros.

A operação contou com a parceria das polícias militar, civil, federal e rodoviária, além do corpo de bombeiros e agências fiscalizadoras estaduais e federais, como o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama) e as receitas federal e estadual.

Ainda assim, para o monitoramento diário, o contingenciamento constante de recursos limita o número de profissionais dedicados à rotina de investigar o contrabando na região. A Polícia Federal não informa o total de pessoal dedicado à fiscalização da região, por questões estratégicas. É também o caso da Receita Federal, que explica, via assessoria de imprensa:

“O número de servidores não é revelado por uma questão de estratégia institucional. Os servidores da Receita Federal que atuam diretamente na repressão ao contrabando e descaminho não estão localizados somente nas unidades de fronteira”.

A Receita Federal informa que, além das equipes nas unidades de fronteira como Foz do Iguaçu, Guaíra, Mundo Novo, Ponta Porã e Corumbá, possui equipes de repressão em lugares estratégicos por onde o contrabando pode ser escoado para o interior do país.

O órgão também mantém dois helicópteros baseados em Curitiba, equipados com câmeras de longo alcance e visão noturna. Também se utiliza de veículos com tração quatro por quatro e lanchas nas unidades aduaneiras portuárias.

Mas o órgão aponta que a redução do orçamento atrapalha o trabalho: “A cada ano a falta de concursos públicos e as restrições orçamentárias impostas aos órgãos federais fazem com que as equipes venham ficando menores”.

Território desafiador
A geografia da região e a fronteira com dois países dificultam a fiscalização

180 quilômetros de fronteira passam pelo rio Paraná
1.350 quilômetros é a extensão total das margens do Lago de Itaipu
A cada 500 metros das margens existe um ponto onde é possível descarregar contrabando
21 quilômetros tem a barranca do Rio Paraná em Foz do Iguaçu, um ponto estratégico para os criminosos

Mais de 30 diferentes quadrilhas atuam na região.

Destaques, Economia, Internacional, Itaipu,

Com apoio de Itaipu, Aeroporto em Foz do Iguaçu deverá ser o primeiro modelo sustentável do País

O protocolo de intenções assinado pela binacional e a Infraero, nesta sexta-feira (28), prevê fazer do aeroporto de Foz do Iguaçu referência nacional em sustentabilidade

O Aeroporto Internacional das Cataratas, em Foz do Iguaçu, deverá ser o primeiro aeroporto sustentável do País. É o que prevê um protocolo de intenções assinado pela Itaipu Binacional e a Infraero na manhã desta sexta-feira (28), em uma solenidade que marcou a entrega da primeira parte da ampliação da unidade. A Itaipu também investiu R$ 15,5 milhões em obras na duplicação da pista de acesso ao local e na ampliação do pátio de manobras das aeronaves.

De acordo com o documento, serão feitas várias reformas para atender a requisitos de sustentabilidade, como a geração de energia por painel fotovoltaico, a gestão dos resíduos sólidos, a captação da água e a implantação de um eletroposto, entre outras ações.

Assinaram o protocolo de intenções o diretor de Coordenação da Itaipu, Luiz Felipe Carbonell; a presidente da Infraero, Martha Seillier; e o diretor de Operações e Serviços Técnicos da Infraero, André Luiz Fonseca e Silva. O diretor administrativo da Itaipu, João Pereira dos Santos, também participou da solenidade.

“Estamos fazendo em Foz do Iguaçu nosso primeiro aeroporto sustentável”, disse Martha Seillier. “É um primeiro passo junto com a Itaipu Binacional para avançarmos num modelo que será piloto para outros aeroportos no Brasil”. Atualmente, a Infraero é responsável pela administração de 53 aeroportos em todo o País.

“A parceria entre Itaipu e Infraero vai render, com certeza, benefícios muito grandes para toda a cidade de Foz do Iguaçu”, disse o secretário Nacional de Aviação Civil do Ministério de Infraestrutura, Ronei Saggioro Glanzmann.
Representando a Itaipu, o general Luiz Felipe Carbonell destacou a experiência da empresa em ações de sustentabilidade, como, por exemplo, a reprodução das onças-pintadas anunciada na quinta-feira (27), na solenidade dos 35 anos do Refúgio Biológico Bela Vista.

“E é exatamente com esta expertise que Itaipu pretende colaborar para contribuir no projeto sustentável do aeroporto”, afirmou o diretor. Para isso, acrescentou, “Itaipu vai investir na infraestrutura em projetos estruturantes que tenham um resultado efetivo na melhoria da qualidade de vida das pessoas”.

Obras no aeroporto
Outro convênio entre Itaipu e Infraero, de R$ 15,5 milhões, prevê duas obras de melhorias no Aeroporto das Cataratas. A primeira, prevista para ser concluída até meados de 2020, é a duplicação dos 800 metros da via de acesso entre o aeroporto e a Avenida das Cataratas (BR-469). Serão alargadas as vias, criadas alças de retornos e acostamentos, implantada uma ciclovia, passarelas de pedestres e abrigos de ônibus. Além disso, será construído um pátio de manobras de 19 mil m², ampliando em quase 40% o total da pista do aeroporto, que deve estar pronto até o final do ano.

Até dezembro também deve estar concluída a obra de ampliação do aeroporto iniciada em junho do ano passado. O investimento total é de R$ 32,7 milhões. Com o fim dos trabalhos, a capacidade do terminal passará dos atuais 2,6 milhões para 5 milhões de passageiros ao ano.

Ao final, o aeroporto estará totalmente modernizado e reformado, com melhorias na área de check-in, salas de embarque e desembarque ampliadas dos atuais 900 m² para 5.400 m², além da implantação de duas novas escadas rolantes, três novos carrosséis de bagagens, quatro novos elevadores e quatro novas pontes de embarque.

Foto: Kiko Sierich