Browsing Category

Meio Ambiente

Brasil, Destaques, Economia, Internacional, Meio Ambiente, Turismo,

Mais de 30,5 mil visitaram as Cataratas no feriado da Páscoa

Acessos no Parque Nacional do Iguaçu ficaram abaixo de 2018, mas alcançou a expectativa

A chuva forte que caiu sobre Foz do Iguaçu no último dia do feriado prolongado de Páscoa, atrapalhou um pouco a visitação no Parque Nacional do Iguaçu, principal atrativo turístico do Destino Iguaçu. De sexta-feira (19) a domingo (21), 30.547 pessoas cruzaram os portões da unidade de conservação, em direção à área de contemplação das Cataratas do Iguaçu.

No comparativo do mesmo feriado em 2018, os números totais indicaram uma queda de aproximadamente de 6,2% (1.737 a menos). No ano passado, 32.284 turistas foram até o atrativo no feriado prolongado de Sexta-Feira Santa e Páscoa, que aconteceu entre o final de março e o início do mês de abril. As informações são de Ronildo Pimentel, no Gazeta Diário.

O primeiro dia do feriado da Semana Santa é tradicionalmente o que tem o melhor desempenho na visitação. De acordo com a assessoria de comunicação da concessionária Cataratas SA, na sexta-feira (19), 15.752 pessoas foram até o atrativo. No sábado (20) foram contabilizados 10.130 acessos, mais 4.665 no domingo (21).

Nacionalidades
Os brasileiros, segundo a estatística da concessionária, representaram pouco mais da metade dos acessos ao Parque Nacional do Iguaçu (30.547). De 19 a 21 de abril deste ano, foram 15.687 ingressos. Em 2018, o atrativo recebeu 11.503 turistas brasileira (diferença de aproximadamente 26%).

Os argentinos, com 7.879 e os paraguaios, com 3.046, completam o índice das três nacionalidades que mais visitaram as quedas nos últimos três dias. O atrativo recebeu ainda visitantes do Uruguai (415), Espanha (294), Alemanha (277), Estados Unidos (246) e França (227). No total, foram contabilizados acessos de pessoas representando mais de 50 nacionalidades.

Perspectiva
O feriado prolongado da Semana Santa é considerado um dos melhores do Destino Iguaçu, fora da alta temporada. Para este ano, a expectativa do setor, era que aproximadamente 30 mil turistas visitassem o Parque Nacional do Iguaçu.

Foto: Marcos Labanca

Brasil, Cultura, Destaques, Economia, Estadual, Geral, Meio Ambiente,

Região Oeste representa a maior parte da produção de tilápias do Paraná

Região se destaca no cenário nacional na produção de tilápias e atuação de Engenheiros de Pesca contribui na qualidade do produto beneficiado

Nesta época do ano, as vésperas da Páscoa aumenta o consumo de peixes em todo o Paraná. Mas a procura pelo pescado não ocorre apenas neste período e o ritmo alto de produção acompanha a demanda pelo produto nos demais meses do ano.

De acordo com dados divulgados pela Associação Brasileira de Piscicultura, em 2018 a produção total de peixes no Paraná foi de 129,9 mil toneladas, 16% maior em relação a 2017, o que posiciona o estado como o maior produtor de peixes de cultivo do país, seguido por São Paulo e Rondônia. Esse ranking foi alcançado principalmente pela produção de tilápias, categoria na qual o Paraná mantém a liderança nacional com 30,7% de participação.

Destaque 

Nesse contexto a região Oeste Paranaense representa a maior parte da produção do estado. Em franca expansão, surge a cada dia novas áreas rurais destinadas à piscicultura, além de empresas interessadas no beneficiamento do produto, em especial a tilapicultura, que é hoje uma das indústrias mais importantes da aquicultura brasileira.

Segundo dados do Instituto Ambiental do Paraná atualmente cerca de três mil produtores rurais de 12 municípios da Bacia do Rio Paraná 3, que abrange municípios da região Oeste comercializam peixes, desses, 95% estão envolvidos com a produção de tilápias. São aproximadamente dois mil hectares de áreas de piscicultura integradas a empresas de beneficiamento que atuam na região Oeste, todos com licença ambiental de acordo com o IAP.

Para o beneficiamento do pescado, três indústrias de grande porte atuam na região além de outras nove de médio e 10 de pequeno porte, o que estimula o interesse dos proprietários rurais pela piscicultura na região. Nessas indústrias em 2017 foram abatidas e processadas cerca de 160 toneladas de tilápias por dia, sendo que o produto final predominante é o filé. Em 2018 a região Oeste foi a responsável pela produção de 73% do pescado no estado, algo em torno de 10% da produção nacional com destaque para a tilapicultura.

De acordo com o Engenheiro de Pesca e chefe da Regional de Toledo do IAP, Taciano Cézar Freire Maranhão, para estimular mais o desenvolvimento da aquicultura na região, o governo do estado pretende “estimular o cultivo de alevinos de espécies nativas na região Oeste que são bastante procurados em tradicionais eventos de pesca esportiva e nos estabelecimentos de “pesque-pague”. As espécies são: pacus, piaparas, curimbatás, dourados, piracanjubas e tilápias.

Engenheiro de Pesca

A Regional Cascavel do Crea-PR alerta que a atividade de exploração e beneficiamento da piscicultura deve sempre ser acompanhada por um profissional qualificado da área de Engenharia de Pesca. Apesar de pouco conhecida pelo público em geral, essa graduação possui enorme importância no cenário nacional devido a demanda crescente por esses profissionais que têm contribuído para o crescimento exponencial da produção aquícola e pesqueira no Brasil.

O primeiro curso de Engenharia de Pesca no Brasil foi criado em 1976 na Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Informações recentes mostram aumento no número de cursos dessa área no país, totalizando 25 distribuídos em todas as regiões do Brasil. O primeiro e único curso de Engenharia de Pesca no Estado do Paraná iniciou as atividades acadêmicas no ano de 1997 na Universidade Estadual do Oeste do Paraná – Unioeste, Campus Toledo, e foi o primeiro voltado a águas interiores no Brasil.

Após 42 anos da criação do primeiro curso, mais de 8.000 profissionais Engenheiros de Pesca foram formados, dos quais 2.051 estão registados no Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea). Na regional Cascavel do Crea-PR (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná), 52 profissionais atuam no setor no Oeste do estado e o perfil profissional do Engenheiro de Pesca permite que ele trabalhe em diversos segmentos da aquicultura, pesca, administração pesqueira e tecnologia do pescado.

Cabe ao Engenheiro de Pesca aplicar novos métodos e tecnologias na localização, captura, beneficiamento e conservação de peixes, crustáceos e moluscos, além de atuar para que a exploração dos recursos pesqueiros seja feita de forma sustentável.

O Engenheiro de Pesca Ricardo Andrei Krause que também é Presidente da Associação dos Engenheiros de Pesca do Paraná, explica que a produção de tilápias torna-se mais lucrativa aos produtores com a atuação desses profissionais que possuem em sua graduação inúmeras horas voltadas ao cultivo aquícola. Ricardo Krause diz que “com o trabalho dos Engenheiros de Pesca a produtividade aumenta, visto que o engenheiro possui todo o embasamento teórico para a construção de viveiros de aquicultura e

embasamento para uma produção sustentável e economicamente viável, com excelente qualidade final de uma das proteínas animais mais saudáveis”, ressalta Ricardo Krause.

O Engenheiro de Pesca relata ainda o exemplo da cidade de Maripá, na região Oeste do Estado, que é uma das poucas cidades do Brasil que possui um Engenheiro de Pesca na prefeitura auxiliando na assistência técnica aos produtores rurais. “Com isso Maripá se tornou um dos municípios com maior produtividade de tilápia por hectare do Brasil”, afirma.

Sobre o Crea-PR

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR), criado no ano de 1934, é uma autarquia responsável pela regulamentação e fiscalização dos profissionais da empresa das áreas da engenharias, agronomias e geociências. Além de regulamentar e fiscalizar, o Crea-PR também promove ações de atualização e valorização profissional por meio de termos de fomentos disponibilizados via Editais de Chamamento.

Produção de peixe deve crescer 22% no Paraná em 2016 – Foto Jonas Oliveira

Produção de peixe deve crescer 22% no Paraná em 2016 – Foto Jonas Oliveira

Destaques, Economia, Estadual, Meio Ambiente, Política,

Usina Hidrelétrica do Baixo Iguaçu opera com força total

A Usina Hidrelétrica do Baixo Iguaçu já está operando com força total.

A autorização valeu a partir da quarta-feira (10 de abril), de acordo com despacho da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) publicado no Diário Oficial da União (DOU), reporta o site da Folha de Capanema.

A operação total é a somatória dos três geradores com investimento de R$ 2,4 bilhões que somam 350 megawatts (MW) de potência instalada – o suficiente para atender mais de um milhão de pessoas.

A Usina Baixo Iguaçu fica no trecho final do Rio Iguaçu, entre os municípios de Capanema e Capitão Leônidas Marques, no sudoeste do Paraná.

A Copel detém 30% de participação no último aproveitamento energético do rio onde já existiam outras cinco de grande porte – Governador Bento Munhoz da Rocha Netto (Foz do Areia), Governador Ney Braga (Segredo), Governador José Richa (Salto Caxias) estas três pertencentes à Copel, além de Salto Osório e Salto Santiago.

Cultura, Destaques, Meio Ambiente, Turismo,

Macuco recebe Medalha do Mérito

O empresário Ademir Santos, diretor geral da empresa Ilha do Sol Agência de Viagens, que opera o passeio turístico Macuco Safari, dentro do Parque Nacional do Iguaçu, foi agraciado na manhã desta quinta-feira (11) com a Medalha de Mérito Ambiental da Policial ambiental de Foz do Iguaçu.

A honraria é concedida a pessoas que se destacam nas ações de preservação do meio ambiente no estado do Paraná e foi entregue ao empresário pelo Capitão Nilson Figueiredo Alves Junior.

Além da comenda, o empresário recebeu uma placa talhada em madeira que, de acordo com o capitão Figueiredo, representa a gratidão da 5ª Cia de Polícia Ambiental pelo apoio do Macuco Safari nas ações do Projeto Força Verde Mirim.

Dizendo-se honrado pela distinção, Ademir agradeceu colocando-se sempre à disposição. “Somos todos responsáveis pela preservação do ambiente em que vivemos e aqui, com esse ecossistema impressionante, que encanta visitantes do mundo inteiro, temos o dever não só de cuidar, como também de apoiar iniciativas e trabalhos valorosos como o deste destacamento”, salientou o homenageado.

Brasil, Destaques, Educação, Itaipu, Meio Ambiente, Turismo,

Itaipu Natureza faz promoção em abril e reduz ingresso pela metade

Exposição com 300 animais taxidermizados está em cartaz no Cataratas JL Shopping, em Foz do Iguaçu. Novo valor do ingresso é de R$ 15

Visitar a exposição Itaipu Natureza, em cartaz no piso L2 do Cataratas JL Shopping, em Foz do Iguaçu (PR), ficou mais barato. O valor do ingresso caiu pela metade, de R$ 30 para R$ 15. Mas atenção: a promoção vale somente até o dia 30 de abril.

Aberta em janeiro, a exposição é organizada pelo Turismo de Itaipu e pelo Instituto Harpia, com apoio da Itaipu Binacional. O objetivo é sensibilizar o público sobre a importância da conservação da biodiversidade e apresentar os principais biomas brasileiros – Amazônia, Mata Atlântica, Cerrado, Pampas, Pantanal e Caatinga.

Uma das atrações da visita é a coleção de 300 animais taxidermizados, técnica utilizada para empalhar e manter as características dos animais. São todos animais que foram doados ou vítimas de caça ilegal, atropelamentos e envenenamentos.

O público também terá acesso a atividades interativas e recursos tecnológicos avançados, como uma experiência de imersão em 360º na Amazônia, a floresta com maior biodiversidade do planeta.

Ficou interessado? Anote os horários: a Itaipu Natureza está aberta de segunda-feira a sábado, das 10h às 22h; domingo e feriados, das 13h às 20h. O Cataratas JL Shopping fica na Avenida Costa e Silva, 185, Parque Presidente 1, em Foz do Iguaçu.

Escolas
Além da promoção para o público geral, a organização da Itaipu Natureza está negociando com escolas públicas e particulares da região descontos especiais para que os alunos possam visitar o atrativo.

Informações podem ser obtidas com Guilherme Tell Laurino pelo telefone/WhatsApp (45) 9 9141-0333 ou pelo e-mail agendaitaipunatureza@gmail.com.

Outros passeios
Mais informações sobre outros passeios turísticos da usina, valores e reservas podem ser encontrados no site do Complexo Turístico Itaipu: www.turismoitaipu.com.br

Foto: Kiko Sierich

Brasil, Destaques, Geral, Meio Ambiente, Turismo,

Tudo pronto para 1º Camping Show Macuco Ecoaventura Capanema!

Neste domingo (14/4), o melhor programa para quem vive na região do entorno do Parque Nacional do Iguaçu e aprecia atividades ao ar livre, em meio à natureza é, sem dúvida alguma, o 1º Camping Show realizado pelo Macuco Ecoaventura Capanema, no Camping Ecológico Wesling.

E a boa notícia é que a empresa pensou nos moradores de Foz do Iguaçu e tratou de incluir no pacote de atrações um transporte especial (ônibus) que parte do Cataratas Iate Clube, às 7h, com destino à Capanema.

Um dia inteiro de diversão e lazer

O evento terá início às 9h, com encerramento previsto para as 18h30. A programação é extensa e começa logo cedo com um café seguido de mateada (confira programação no final do texto).

A ideia é oferecer às famílias da região de Capanema e também de Foz do Iguaçu, um domingo diferente, recheado de possibilidades. E o local escolhido é perfeito para a proposta.

Camping Ecológico Wesling

Situado em Santa Clara, no município de Capanema, às margens do Rio Iguaçu, o camping é dotado de campo de futebol, quadra de vôlei, quiosques equipados, churrasqueiras, mesas, banheiros, trilhas ecológicas que permitem a observação de pássaros e animais silvestres e, muito espaço para relaxar e apreciar o cenário natural e inspirador.

Confira a programação:

√ Café Colonial e mateada
√ Almoço – buffet com Costelão de Chão
√ Matinê com o grupo regional Planaltino
√ Flash Back (anos 70-80-90)
√ Passeio de barco

Quanto custa:

R$ 100,00
OBS: Inclui transporte; café da manhã; almoço; matinê e passeio de barco.
Saída de Foz do Iguaçu às 7h da manhã no Cataratas Iate Clube
Mais informação: (45)3527-14-44 E WhatsApp (45) 9841414-4800

(Assessoria)

Veja mais fotos

Brasil, Destaques, Economia, Itaipu, Meio Ambiente,

Secretaria de Aquicultura quer apoio de Itaipu para ampliar a produção pesqueira no Brasil

Entre as iniciativas desejadas está a revisão de decreto que proíbe o cultivo de tilápias no reservatório

O secretário nacional de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Júnior, teve um encontro nesta sexta-feira (5) com o diretor-geral brasileiro da Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, em Foz do Iguaçu, para pedir apoio ao desenvolvimento nacional do mercado da pesca no Brasil.

Recém-chegado de uma visita bem-sucedida a Israel, onde acompanhou a comitiva do presidente Jair Bolsonaro, Seif Júnior visitou a binacional, onde reforçou a importância da usina nesse projeto, a partir de uma proposta de cultivo da tilápia no reservatório da hidrelétrica. Itaipu mantém ações de incentivo à pesca, com apoio e orientação técnica aos pescadores locais.

Um dia antes do encontro do secretário com o diretor de Itaipu, em Foz do Iguaçu, o presidente Jair Bolsonaro fez uma transmissão ao vivo via Facebook reforçando que Itaipu pode ajudar o Brasil a melhorar a produção pesqueira nacional, com base nas boas condições oferecidas pelo reservatório da usina.

O presidente lembrou que, quando esteve na usina para a posse do diretor-geral brasileiro, em 26 de fevereiro, juntamente com o presidente do Paraguai, Mario Abdo Benitez, sinalizou a possibilidade de utilizar o “mar de água doce”, em alusão ao lago da hidrelétrica, “para o cultivo de peixes”.

Ainda segundo Bolsonaro, naquele mesmo dia houve um contato de Jorge Seif Júnior com o responsável pelo setor, no Paraguai, para tratar sobre o tema. O presidente disse ainda que, nesta semana ou na próxima, os dois responsáveis pelo setor de pesca de ambos os países vão se encontrar na região, para dar “outro grande passo nesse sentido”.

O reservatório de Itaipu possui todas as condições favoráveis de mercado, aptidão técnica e vasta disponibilidade de insumos e áreas propícias à realização da aquicultura. Com a liberação do cultivo da tilápia, a expectativa é que, em breve, a produção pesqueira no reservatório dobre e venha a responder por 50% da produção nacional.

O que se espera
A ideia é ampliar a produção brasileira de peixe no Brasil e expandir seu consumo no mercado nacional e internacional. O diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, passou ao diretor de Coordenação, Newton Kaminski, a incumbência de apresentar um plano de ação para viabilizar uma proposta que atenda aos anseios do presidente, levando em consideração também a segurança e as questões ambientais do reservatório.

Em reunião com os profissionais da Itaipu envolvidos com as atividades de monitoramento do reservatório e incentivo à atividade pesqueira, ficou definida a primeira etapa do plano de ação. O primeiro passo seria revogar o decreto 4.256, de 3 de junho de 2002, em especial o artigo 17, que proíbe a introdução de espécies não naturais – como é o caso da tilápia – no reservatório de Itaipu.

A Diretoria de Coordenação brasileira da Itaipu fará um alinhamento com a equipe técnica do lado paraguaio para que, juntas, elaborem uma ata técnica a ser apresentada ao Ministério de Meio Ambiente e outros órgãos, corroborando a viabilidade do cultivo de tilápia no lago. A Secretaria de Aquicultura e Pesca vai intermediar o processo junto à Presidência da República.

A Itaipu
Com 20 unidades geradoras e 14 mil MW de potência instalada, a Itaipu Binacional é líder mundial na geração de energia limpa e renovável, tendo produzido, desde 1984, mais de 2,6 bilhões de MWh. Em 2016, a usina brasileira e paraguaia retomou o recorde mundial anual de geração de energia, com a marca de 103.098.366 MWh. Em 2018, a hidrelétrica foi responsável pelo abastecimento de 15% de toda a energia consumida pelo Brasil e de 90% do Paraguai.

Foto: Alexandre Marchetti/Itaipu Binacional

Brasil, Destaques, Economia, Geral, Meio Ambiente, Política, Turismo,

Entidades de lazer e turismo lamentam o fim do Horário de Verão anunciado por Bolsonaro

Hora a mais de luz solar é ideal para lazer, esportes, saúde e o tradicional happy hour

A Federação das Empresas de Hospedagem, Gastronomia, Entretenimento e Similares do Paraná (Feturismo) e suas entidades filiadas lamentaram o fim do Horário de Verão, que será adotado pelo Governo Federal. A medida foi anunciada na manhã desta quinta-feira (5), pelo presidente Jair Bolsonaro, em café da manhã com jornalistas em Brasília.

Qualquer esforço de economia, seja de R$ 0,01 um centavo, ou ate R$ 160 milhões, como tem sido ultimamente a média no Brasil, é válido, afirmam as entidades. “E isto faz uma grande diferença em qualquer economia falida no mundo, principalmente a nossa que está em crise desde 2015”, afiram o vice-presidente da Feturismo, Fábio Aguayo.

O Horário de Verão, adotado no Brasil em 1985, é um grande incentivo ao turismo do país e principalmente ao turismo interno, onde milhares de brasileiros aproveitam uma hora a mais de luz solar para se dedicar ao lazer, esportes e saúde. “Bem como seu tradicional happy hour”, afirma o representante da entidade de classe.

“Sem falar na sensação de bem-estar e segurança aos estabelecimentos de nosso setor e do comercio, com muita gente circulando, olhando as vitrines/cardápios e visitando os estabelecimentos”, ressaltou Aguayo.

Mais empregos

Tradicionalmente o setor de gastronomia e entretenimento é um dos mais privilegiados com a grande procura de clientes e turistas. “Com isso, no período de horário de verão, chega a promover de 20% a 30% a geração de empregos e um incremento na arrecadação de tributos com nossos produtos comercializados. Esperamos que a medida anunciada seja revista”, ressaltou Aguayo.

A Feturismo acredita que as acusações ao ministro do Turismo ajudaram a enfraquecer o apelo da manutenção do Horário de Verão. “Sem um interlocutor forte no momento não conseguiria dissuadir o presidente da República com as dezenas de vantagens da medida na região Sudeste, não só a econômica, mas a social”, concluiu o vice-presidente.

Foto: Bruno Poletti/Folhapress

Brasil, Destaques, Economia, Meio Ambiente, Turismo,

Cancelado o edital de chamamento do ICMBio para obras no Parque Iguaçu

Estudos iriam permitir processos licitatórios de obras na unidade de conservação, incluindo soluções de acessibilidade

O presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Adalberto Eberhart, cancelou o edital de chamamento nº 1/2018, que previa uma série de obras no Parque Nacional do Iguaçu. A iniciativa, na prática, abria caminho para a elaboração e apresentação de estudos de viabilidade técnica, econômica e financeira para subsidiar propostas de delegações de serviços na unidade de conservação, que abriga as Cataratas do Iguaçu.

A edição do procedimento de manifestação de interesse representou um dos últimos atos assinado pelo ex-presidente do ICMBio, paulo Henrique Marostegan e Carneiro, publicado na edição do dia 24 de dezembro de 2018 do Diário Oficial da União (DOU). A intenção era atrair empresas para elaborar uma proposta técnica e de engenharia envolvendo explicação dos projetos e conceitos, plantas, projetos conceituais de arquitetura. As informações são de Ronildo Pimentel, no Gazeta Diário.

O edital previa ainda a elaboração de um caderno de encargos da concessionária vencedora, como obras extras, bem como a caracterização dos equipamentos. Os estudos deveriam incluir também orçamento dos investimentos, cronograma físico-financeiro e o Cálculo de Budget Difference Income (BDI – Benefícios e Despesas Indiretas).

As empresas também deveriam apresentar estudos contendo soluções de acessibilidade. Todas as propostas, que seriam licitadas pela administração pública no Parque Nacional do Iguaçu, eram abertas às pessoas físicas ou jurídicas de direito privado (empresas) interessadas em participar do processo de seleção.

Última forma
Com a portaria publicada no DOU, o presidente do ICMBio, Adalberto Eberhart, afirma que a publicidade da decisão ocorre “no interesse da administração, torna público para o conhecimento dos interessados”, sobre a suspensão do edital de chamamento 01/2018.

Pioneiro na política de concessões, o Parque Nacional do Iguaçu trabalha em parceria com a iniciativa privada desde 1999. Seis empresas atuam na unidade de conservação, operando serviços como centro de visitantes, transporte horizontal de passageiros, estacionamento de veículos, alimentação, hospedagem, mirantes elevados, elevador panorâmico e trilha suspensa.

A parceria com a iniciativa privada no Parque nacional do Iguaçu inclui ainda passeios de barco no rio Iguaçu até próximo às Cataratas, com opções de rafting e cachoeirismo. O parque emprega aproximadamente 700 funcionários diretos, sem contar os servidores públicos efetivos, e fatura, anualmente, cerca de R$ 15 milhões, segundo a Comunicação do ICMBio.

Brasil, Cultura, Destaques, Geral, Meio Ambiente, Turismo,

Echaporã comemora a Páscoa com noite de flashback no Kattamaram II

Sucesso na edição passada e um dos eventos mais solicitados, a noite de Flashback está de volta. Aproveitando o feriado de Páscoa, a empresa Echaporã reprisa a “viagem no túnel do tempo”, uma sequência de ritmos que fizeram a trilha sonora de gerações, nos anos 70, 80 e 90.

Como já diziam, em time que está ganhando não se mexe, portanto, está garantida a escalação dos rapazes da banda argentina Los Kalas para animar a pista com o seu repertório eclético que vai de Creedence Clearwater Revival, Queen, Earth and the Fire, Michael Jackson entre muitos outros nomes que marcaram época.

A noite de flashback, que ocorre durante o passeio noturno pelo rio Iguaçu, integra a programação especial de Páscoa do Kattamaram II. O restaurante e o bar estarão funcionando normalmente, com serviços de buffet e à la carte, sobremesas e bebidas.

Faça já a sua reserva!

Serviço:
O que: Flashback com a banda Los Kalas
Onde: Kattamaram II
Endereço: Porto de Extração de Areia Quedas do Iguaçu- Av. General Meira S/n (antiga travessia da balsa Brasil-Argentina)
Embarque: 21h com saída às 21h30
Informações: (45) 3527-1444
Reservas: (45) 98414-4800