Browsing Category

Meio Ambiente

Destaques, Geral, Justiça, Meio Ambiente, Política,

Comissão libera parecer sobre reserva de área exigida na justiça para famílias do Arroio Dourado

Projeto será votado por conta dos prazos regimentais esgotados, mas não mexe com as famílias

Por meio de um projeto de lei, a prefeitura está cumprindo a exigência da justiça para que haja uma área reservada como loteamento para as famílias que vivem há 24 anos no Arroio Dourado, onde funcionava o antigo lixão. A proposta que tramita na Câmara de Vereadores desde março está com os prazos regimentais esgotados. Por conta disso, as comissões reunidas emitiram parecer favorável a ser lido na sessão extraordinária desta sexta-feira (20).

Realidade do Arroio Dourado hoje é outra
Câmara convoca audiência do Arroio Dourado
Vereadores visitam famílias no Arroio Dourado

A votação do projeto não implica na retirada das famílias, apenas atende a exigência da justiça dentro do processo que envolve a área. Enquanto o caso corre na justiça as famílias vão continuar morando no Arroio Dourado.

Os vereadores membros das comissões reunidas informaram que na manhã desta sexta-feira, antes da sessão, farão reunião com lideranças representantes dos moradores a fim de explicar sobre a tramitação e inclusão do projeto na ordem do dia para votação. Recentemente, a Promotoria de Justiça solicitou ao Juiz que intimasse o município a fim de que esse esclarecesse a respeito do andamento do projeto.

A procuradoria do município respondeu à justiça que o projeto ainda não havia sido aprovado. Tendo se esgotado os prazos regimentais, e considerando que a liberação de uma área no Remanso Grande, por si só, não se trata de ilegalidade, o parecer foi favorável, liberando a matéria para votação do plenário.

A liberação prevista no projeto apenas reserva uma área para implantação de Loteamento de Interesse Social que será denominado Jardim do Remanso. Independentemente do que venha a ocorrer no desdobramento do processo judicial, o Poder Público, atendendo a exigência do Judiciário, está disponibilizando a nova área para as famílias.

Leia mais no site da Câmara de Foz

Brasil, Cultura, Destaques, Educação, Meio Ambiente, Turismo,

Final de semana tem entrada gratuita para moradores de Foz do Iguaçu no Parque das Aves

Dando continuidade às festividades de 25 anos, o atrativo abre as portas para moradores de Foz do Iguaçu

Os finais de semana de setembro e início de outubro continuam agitados no Parque das Aves. Nos dias 21 e 22 de setembro, 28 e 29 de setembro e 5 e 6 de outubro a comunidade de Foz está convidada a visitar o atrativo gratuitamente. A promoção é válida apenas para moradores de Foz do Iguaçu mediante apresentação de comprovante de endereço.

As comemorações começaram no final de semana passado, nos dias 14 e 15 de setembro, quando 4.270 moradores de Foz do Iguaçu visitaram o atrativo.

“Ficamos muito felizes em receber tantas pessoas de nossa comunidade já no primeiro final de semana com entrada gratuita. Pessoas que aproveitaram para conhecer de perto o trabalho de conservação que realizamos com aves da Mata Atlântica. Foi muito gratificante receber tanta gente da cidade e compartilhar com eles esse momento de comemoração”, comenta Carmel Croukamp, diretora geral do Parque das Aves.

Ela acrescenta que em 25 anos de história o atrativo sempre foi muito bem recepcionado por vizinhos e moradores, então nada mais adequado que essa comemoração aconteça em conjunto. “Queremos agradecer a Foz do Iguaçu e apoiar a comunidade da qual nos tornamos parte ao longo de tantos anos. O Parque das Aves é de Foz.”

Fonte: Assessoria

Curitiba, Destaques, Estadual, Geral, Meio Ambiente,

VÍDEO: Chuva de granizo e alagamentos em Curitiba e região central do Paraná. Assista!

Uma intempérie climática no final da tarde e início da noite desta quarta-feira (18) assustou moradores de Curitiba e Região Metropolitana e Centro do Parnaá.

Na capital, a chuva congelada veio acompanhada de muita água e vento, resultado do encontro do calor dos últimos dias com a frente fria que sobe do Sul do país.

Não faltaram os “tradicionais” alagamentos. O telhado de um supermercado não resistiu às pedras e a infiltração por pouco não provocou um incidente. Muitas residências acabaram destelhadas.

Em Guarapuava e Prudentópolis o volume de granizo também impressionou. Abaixo vídeos enviados pelo whatsapp

Brasil, Destaques, Geral, Justiça, Meio Ambiente,

ICMBio e Polícia Ambiental apreendem armas, destroem acampamento e armadilhas no Parque Iguaçu. Veja fotos!

No último final de semana, agentes de fiscalização do ICMBio e a Polícia Militar Ambiental do Paraná, deflagraram mais uma ação conjunta na área sob jurisdição do Parque Nacional do Iguaçu.

A intenção era coibir os crimes de caça e extração ilegal de palmito, bem como assegurar a presença institucional, e a prevenção contra o uso indevido dos recursos naturais da Unidade, nos municípios de São Miguel do Iguaçu, Serranópolis do Iguaçu e Céu Azul/PR.

Como resultado da operação, em uma picada clandestina que estava sendo monitorada no município de Serranópolis, localizou o acampamento de caça e as estruturas utilizadas pelos criminosos.

No local foram apreendidas 2 espingardas calibre 32, várias munições (de diversos calibres), 02 “trabucos”, 03 cartucheiras, e muito material para carga e recarga de cartuchos, além de cartuchos deflagrados.

Além disso na mesma região foram destruídas/desativadas dezenas de estruturas e armadilhas para a atividade ilegal de caça dentro do Parque Nacional do Iguaçu.

As armas foram encaminhadas para a Polícia Federal, para perícia e tentativa de identificar os responsáveis.

Destaques, Educação, Geral, Meio Ambiente, Política,

Coletivo debate questões ambiental e climática em reunião técnica na SMA de Foz do Iguaçu

O recém-criado Coletivo Ambiental de Foz do Iguaçu debateu, na quinta-feira (12), questões ambientais e climáticas em reunião técnica na Secretaria Municipal de Meio Ambiente. A intenção é estreitar os laços entre a comunidade preocupada com os danos ambientais e apoiar ações sócio-educativas desenvolvidas pelo município, informa Ronildo Pimentel, no GDia.

A secretária de Meio Ambiente, Angela Meira, recebeu na última semana integrantes do Coletivo, que buscam ajudar na construção de políticas ambientais de Foz do Iguaçu. “A participação da comunidade é fundamental nas discussões de interesse coletivo”, disse. Ela e a equipe técnica formada pelos diretores Elias Bispo, José Faria Filho, Diogo Fretes Soares e o engenheiro agrônomo Domingos da Costa Ferreira Júnior esclareceram as questões apresentadas.

Um dos motivadores do encontro foram as mudanças nos procedimentos administrativos para o requerimento de corte e poda de árvores em Foz do Iguaçu. A normativa, prevista no decreto 27.206, editado em 14 de maio de 2019, viabilizou a supressão e poda de árvores na área urbana da cidade.

“Este primeiro encontro do Coletivo com a SMA permitiu debater sobre a questão ambiental e em particular do manejo das arvores em zona urbana”, ressaltou a livreira Nathalie Husson. “Estamos assim, estreitando os laços entre a comunidade preocupada com a questão ambiental e climática e a Prefeitura, que foi receptiva com alto profissionalismo à nossos questionamentos e demandas”.

“Com certeza, é o início de novas parcerias em prol da defesa do meio ambiente em nossa cidade”, completou Nathalie. A opinião é compartilhada pelo agente cultural Tadeu Vilalba, que adiantou ter sido uma reunião de “esclarecimento” de como “funciona a atividade” dentro da Secretaria de Meio Ambiente.

“O trabalho é sério, com técnicos e profissionais específicos da área ambiental, com químicos, engenheiros florestal e ambiental”, ressaltou. De acordo com Tadeu, isto demonstra que a Secretaria está se profissionalizando de forma séria e técnica, não “para agora”, mas “para o futuro”.

Os militantes ambientais esclareceram ainda temas relacionado cronograma de atuação da pasta e as atividades operacionais junto com a comunidade. “Também sobre os cortes e de podas árvores, os processo seletivos com relação aos pedidos. Eles fazem um trabalho mais específicos, científico, com pesquisa especializada, visando a preocupação do morador e do meio ambiente”, frisou.

Sociedade organizada
Tadeu ressaltou ainda que a Secretaria também está engajada de em fazer um trabalho cooperado, criar uma atitude de ligação com a comunidade através das ongs (organizações não governamentais), dos coletivos. “Ela quer fazer um trabalho cooperado com as entidades e com quem se preocupa com o meio ambiente”, completou.

A avaliação, de acordo com o jornalista Adilson Borges Lago, é que a reunião foi esclarecedora do ponto de vista técnico, desmistificando a questão de que as árvores que recebem autorização para corte não receberam perícias técnicas. “O grupo deve apoiar algumas ações da SMA, incluindo a participação no Dia Mundial da Limpeza, que acontece no sábado (21)”, informou.

Os ambientalistas, ainda segundo ele, não esgotaram a discussão sobre outros temas relativos à proteção ambiental. “Em breve devem se reunir novamente com a equipe técnica da pasta para discutirem ações e projetos em comum acordo”, concluiu.

Foto: Adilson Borges

Destaques, Geral, Internacional, Meio Ambiente, Turismo,

Cataratas do Iguaçu começa a semana com metade da vazão normal. Veja fotos de outras secas no atrativo

As Cataratas do Iguaçu, no interior do Parque Nacional do Iguaçu, começaram a semana com metade da vazão normal, que é de 1,5 milhão de litros de água por segundo.

De acordo com o monitoramento hidrológico da Copel, a vazão do rio Iguaçu no atrativo era de 749 mil litros de água por segundo no começo da manhã desta segunda-feira (16).

As fotos, que ilustram a nota, foram enviadas pelo jornalista Adilson Borges, que já assessorou o Ibama, e mostra as Cataratas com vazão de 192 mil litros de água por segundo, no dia 22 de agosto de 2006.

As Cataratas do Iguaçu, localizada na fronteira do Brasil com a Argentina, em Foz do Iguaçu, são o principal atrativo turístico das Três Fronteiras, incluindo o Paraguai.

Seca de 1978 deixou as Cataratas praticamente sem água

No ano passado, as quedas receberam aproximadamente 1,9 milhão de visitantes. Este ano, o total deverá superar pela primeira vez na história a casa dos 2 milhões de turistas em um ano.

A baixa vazão do atrativo é resultado da longa estiagem que atinge o Paraná, principalmente no leito do rio Iguaçu, que começa em Curitiba e deságua no rio Paraná, aproximadamente 20 quilômetros após as quedas.

Apesar da vazão pela metade, as Cataratas do Iguaçu continuam um espetáculo de águas, como mostram as fotos de hoje (16 de setembro), enviadas pelo jornalista Wemerson Augusto.

Destaques, Economia, Estadual, Meio Ambiente,

Temperaturas sobem e Paraná deve bater novos recordes de calor. Veja previsão da semana

Depois de dias de frio, as temperaturas máximas voltam a subir em Curitiba e devem ficar assim e sem chuva até pelo menos sexta-feira (20), segundo previsão do Simepar, informa o portal Bem Paraná.

Nesta segunda (16), segundo o Simepar, o sol estará firme na capital e as temperaturas vão variar de 16 a 31 graus. Na terça (17), a previsão é de tempo nublado e temperaturas entre 16 e 27 graus.

Já na quarta (18), Curitiba deve ter o tempo parcialmente nublado e temperaturas variando de 15 a 28 graus e na quinta, de 18 a 31 graus. Na sexta (20), a máxima cai para 26 graus e o clima deve fica com mínima de 15 graus e pode chover.

Interior

No interior do Estado, a onda de calor deve ser ainda mais forte. Em Londrina, já na segunda (16), a máxima chega aos 36 graus e em Maringá, a previsão é de impressionantes 38 graus.

Em Foz do Iguaçu, a temperatura deve bater os 37 graus. E nada da chuva, o que é preocupante, em Cascavel a falta de água já exige medidas de emergência da Sanepar e a cidade corre risco de racionamento.

Destaques, Educação, Geral, Meio Ambiente,

Pedalada na Itaipu promove a conscientização sobre a prevenção ao suicídio

Cerca de duzentas pessoas acordaram cedo neste domingo (15) para ajudar a mostrar, na usina de Itaipu, que o esporte pode ser um instrumento de alerta e precaução para um problema sério e silencioso, de abrangência global: o suicídio.

Elas participaram do 1º Pedal Viver e Sorrir – passeio ciclístico promovido pelo Núcleo de Apoio à Vida de Foz do Iguaçu (Navifoz), em parceria com a Cia do Riso, como parte da campanha Setembro Amarelo na cidade.

A iniciativa teve como objetivo principal divulgar mensagens de conscientização e ajuda e, também, a adoção de práticas rotineiras de hábitos saudáveis – pedalar, por exemplo – como antídotos naturais contra as causas do ato de tirar a própria vida.

Entusiasta da causa, o diretor-geral brasileiro, general Joaquim Silva e Luna, não apenas apoiou a iniciativa permitindo a realização do evento dentro da hidrelétrica como também vestiu a camisa da ação e pedalou oito quilômetros de percurso de ida e volta entre a Barreira de Controle e o Mirante Central da usina.

“Proponho que cada um aqui assuma o compromisso de trazer pelo menos mais uma pessoa para participar da próxima edição, daqui a um ano, fazendo com essa iniciativa seja cada vez mais conhecida e as causas do suicídio, mais enfrentadas”, disse o general.

“Ações como essa são importantes principalmente como forma de prevenir a depressão, o isolamento e a solidão, trocando isso tudo por companheirismo, endorfina, motivação e alegria de viver”, afirmou.

Pedal

A jornada sobre rodas foi idealizada por Cristiane Fraga Pimenta e Daniela Rosa Mendes, que trabalham na Itaipu e são voluntárias do Centro de Valorização à Vida (CVV), a entidade promotora do Setembro Amarelo – uma campanha brasileira de conscientização sobre a prevenção do suicídio, criada em 2015. A proposta foi associar a cor (que remete à atenção) ao mês do Dia Mundial de Prevenção do Suicídio, lembrado em 10 de setembro.

“Por causa do Setembro Amarelo, pensamos em algo que fosse ao mesmo tempo atrativo e que pudesse provocar a abordagem da prevenção ao suicídio”, lembrou Daniela. “Assim surgiu a ideia de uma pedalada, que tem a ver com saúde, bem-estar e o cuidado consigo mesmo, pois atividades físicas e de lazer ajudam a trazer equilíbrio.”

Uma dose de sorte ajudou a concretizar o plano. Há alguns meses, numa manhã de domingo, as duas estavam na Avenida Paraná difundindo o trabalho do CVV quando encontraram o general, que fazia uma caminhada por lá. Foi quando se apresentaram e falaram sobre a intenção de promover um passeio ciclístico na usina. “Aceitei imediatamente”, disse Silva e Luna.

Na semana que antecedeu o passeio, as duas assinaram em conjunto uma carta enviada ao general. Nas linhas cuidadosamente escritas à mão, agradeceram a atenção dada ao movimento e o convidaram a vestir a camiseta enviada junto um kit de participação, anexado à carta. “Não sabíamos se ele viria, mas hoje ficamos muito felizes e honradas pela presença dele”, ressaltou Cristiane.

Em família

Ciclistas experientes e novatos se misturaram no 1º Pedal Viver e Sorrir. Muitos aproveitaram o domingo de sol e foram em família. “Compramos as bicicletas nesta semana e começamos a pedalar juntos só agora”, disse Jéssica Machado. Ao seu lado estavam o marido, Cristian Stanhaus, o filho Caio, de apenas três anos, e o padastro, Valentin de Araújo – o mais traquejado do grupo.

Convidada a participar do passeio por uma amiga que atua na Cia do Riso, Jéssica destacou uma das virtudes do evento: tornar o trabalho do CVV mais conhecido. “Fiquei sabendo agora e estou muito impressionada pela importância dessa ação voluntária que pode salvar vidas.”

O problema

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 32 brasileiros se suicidam diariamente, em média, atualmente. No mundo, aproximadamente 1 milhão de pessoas se matam a cada ano. Os números reais, no entanto, devem ser muito maiores, pois a subnotificação é reconhecida. Além disso, especialistas estimam que o total de tentativas supera o de suicídios em pelo menos dez vezes.

Ainda segundo a OMS, nove em cada dez mortes por suicídio poderiam ser evitadas, desde que haja ajuda e atenção. De acordo com especialistas, educar é o primeiro caminho para perder o medo de se falar sobre o assunto. Segundo as entidades promotoras do Setembro Amarelo, é preciso quebrar tabus e compartilhar informações, pois esclarecer, conscientizar e estimular o diálogo contribuem para tirar o assunto da invisibilidade e mudar essa realidade.

Saber reconhecer os sinais de alerta pode ser o primeiro e mais importante passo. Isolamento, mudanças marcantes de hábitos, perda de interesse, descuido com aparência, piora do desempenho na escola ou no trabalho, alterações no sono e no apetite e frases como “preferia estar morto” ou “quero desaparecer” podem indicar necessidade de ajuda.

Auxílio? Ligue 188

Uma das ONGs mais antigas do país, o CVV foi fundado em São Paulo em 1962 e atua no apoio emocional e na prevenção do suicídio por meio do telefone 188, chat 24 horas, e-mail e até mesmo pessoalmente. Mais informações no site www.cvv.org.br.

Hoje, cerca de 3 mil voluntários, em mais de 110 postos, prestam serviço voluntário e gratuito 24 horas por dia, nos 365 dias do ano, aos que querem e precisam conversar sobre seus sentimentos, dores e descobertas, dificuldades e alegrias. De forma sigilosa e sem julgamentos, o voluntário do CVV ouve com profundo respeito, aceitação, confiança e compreensão.

Após a implantação do telefone 188, por meio de acordo com o Ministério da Saúde, que garantiu gratuidade da tarifação telefônica, a entidade registra cerca de 3 milhões de atendimentos por ano.

Todas as formas de acesso podem ser conferidas no site www.cvv.org.br. Lá também é possível se informar sobre o Posto CVV mais próximo e como se tornar voluntário.

Em Foz

O Navifoz é a instituição mantenedora do posto do CVV em Foz do Iguaçu. Foi inaugurado em outubro do ano passado e conta com 26 voluntários. Fica no Complexo Bordin, na Av. Juscelino Kubitscheck, 3.287, e funciona das 19h às 23h, pelo telefone 188. Mais informações podem ser obtidas com as voluntárias Daniele (45-98803-9759) e Cristiane Pimenta (45-99102-0126), inclusive por Whatsapp.

Fotos: Flávio Miranda/Itaipu Binacional

Brasil, Destaques, Educação, Meio Ambiente, Política,

Relatório do MPF-PR contradiz Alvaro Dias sobre preservação da Estrada do Colono

Empenhado em reabrir a Estrada do Colono, um trecho de 17,5 km que corta a ponta do Parque Nacional do Iguaçu, ligando Capanema à Serranópolis, no Oeste do Paraná, o senador Alvaro Dias (Podemos) reuniu assinaturas para desarquivar, no Congresso Nacional, um projeto de lei que libera o tráfego de veículos atravessando a reserva ambiental. A via está fechada desde 2001, alvo de uma batalha judicial que durou anos, lembra José Lázaro Jr., no Livre.Jor.

Trata-se do PLC 61/2013, que cria dentro do Sistema Nacional de Unidades de Conservação a figura da “Estrada-parque” e, de lambuja, já institui a primeira unidade do tipo, que seria a Estrada do Colono, no Paraná. Seria controlada a passagem de carros de passeio, de caminhonetes, de turistas (até três eixos) e do Exército, sendo vedados outros veículos de carga.

O problema é que do jeito que o senador Alvaro Dias argumenta, dá a entender que nesses quase 20 anos do fechamento da Estrada do Colono continuou a ser usada de forma predatória, pondo em risco a área de preservação ambiental. “Seria uma estrada preservacionista e não depredadora”, diz, reavivando o tema às vésperas das eleições municipais – um ciclo bastante conhecido na política da região.

Leia o restante do artigo do Livre.Jor

Brasil, Destaques, Economia, Geral, Meio Ambiente, Turismo,

Macuco Safári é destaque em roteiro da revista Viaje Mais no Destino Iguaçu

Os atrativos do Macuco Safári, dentro do Parque Nacional do Iguaçu, são destaque da mais recente edição da “Viaje Mais“, que chegou às bancas esta semana, com as Cataratas do Iguaçu em sua capa.

“Além da contemplação suave a partir dos mirantes, existe uma forma bem mais radical para curtir as cataratas”, diz o texto do jornalista Tales Azzi, editor da Viaje Mais. A matéria é ilustrada com foto de turistas em na frente das quedas.

O passeio do Macuco Safári consite em subir o rio em um “valente” bote bimotor, “vencendo as ondas e a correnteza até chegar bem debaixo das quedas, literalmente”, relata Tales Azzi.

O jornalista exalta o “visual impressionante” que se tem das cataratas no nível do rio, vendo tudo “de baixo para cima”, o cenário “fica ainda mais monumental”.

A estrutura e a acessibilidade oferecidas pelo Macuco Safári, nos quase 34 anos de atividades no Parque Nacional do Iguaçu, também ganham menções na reportagem.

Das embarcações mais rústicas do passado, aos “jipes elétricos não poluentes” que levam os turistas por uma estrada no meio da mata atlântica até a beira do rio.

“Há dois anos foi instalado um bondinho funicular que leva à plataforma flutuante de embarque”, informa Tales Azzi, destacando uma preocupação do atrativo.

A reportagem traz as Cataratas do Iguaçu e belas imagens retratando a beleza da sétima maravilha natural do mundo e principal atrativo turístico do Destino Iguaçu.

O roteiro apresenta a gastronomia dos bares e restaurantes, o show das ondas do Blue Park, o encanto do espetáculo cultural do Show Folclórico no musical Amazonas para o Mundo Ver, o Parque dos Dinossauros e seu roteiro no Museu de Cêra do Dreamland e toda a mística da região onde se encontram Brasil, Paraguai e Argentina.

Foto: Reprodução