Browsing Category

Economia

Leia as últimas notícias sobre Economia no CabezaNews, site de informação com reportagens exclusivas, fotos, vídeos e conteúdos sobre Foz do Iguaçu e sobre o Paraná.

O CabezaNews leva ao público notícias de utilidade pública, curiosidades, turismo, lazer, cultura. Sobretudo com um olhar voltado para a região da tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina.

Em Foz, nossa cobertura foca os principais acontecimentos da cidade, incluindo eleições 2020, o avanço da pandemia do novo coronavírus, as ações da Itaipu Binacional, bem como a administração do prefeito Chico Brasileiro.

O site não deixa de lado o que acontece no restante do estado do Paraná. Notas exclusivas dos bastidores da política, da Assembleia Legislativa, ações do governo do Paraná e da administração Ratinho Júnior. Assim como as principais notícias nacionais.

O CabezaNews é editado por Ronildo Pimentel, jornalista com mais de 30 anos de atuação em jornalismo impresso e digital.

Curitiba, Destaques, Economia,

Em vídeo, Abrabar pede balada consciente para evitar fechamento de bares de Curitiba e do Paraná. Assista!

O presidente da Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar), Fábio Aguayo, defendeu em vídeo nas redes sociais uma balada consciente para evitar o fechamento de bares e restaurantes do Paraná.

“Meus amigos de bares, restaurantes, casas noturnas e similares de Curitiba e todo Paraná, hoje estamos aqui para dar um recado muito importante”, disse Aguayo.

“É sexta-feira, fez um dia muito bonito, as pessoas vão sair. Mas, vamos sair com muita responsabilidade, evitar aglomerações, respeitar as normas, os procedimentos os protocolocos”, ressaltou.

De acordo com o presidente da Abrabar, a intenção é em conjunto para que a gente possa sair junto desta questão da Covid-19.

“Não podemos contrariar as regras do jogo. Temos que mostrar que temos compromisso com a sociedade”, pontuou.

Aguayo mandou na gravação um recado duro a quem não quer contribuir. “Aquela pessoa que não queira entrar com máscara, que não queira respeitar o distanciamento, que não queira seguir a regra, nem apareça. Deixe a gente trabalhar em paz”, disparou.

“Nós queremos ajudar as pessoas que querem contribuir com a sociedadade. Esse é o nosso dever, essa é a nossa função. Abrabar por todos!”, completou o presidente da Abrabar.

Curitiba, Destaques, Economia,

Tribunal de Contas da União suspende aumento do pedágio na BR-376 e BR-101 entre Curitiba (PR) e Palhoça (SC)

O Tribunal de Contas da União (TCU) suspendeu o aumento do pedágio na BR-376 e na BR-101, no trecho entre Curitiba e Palhoça (SC).

A concessionária Arteris Litoral Sul havia anunciado que, a partir deste sábado (8), a tarifa básica passaria dos atuais R$ 2,70 para R$ 3,90. Um caminhão leve iria pagar R$ 7,80 e um caminhão com reboque até R$ 23,40.

O aumento de 44% foi autorizado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Entre Curitiba e Guaratuba, os motoristas têm de passar por duas praças de cobrança de pedágio: em São José dos Pinhais e em Garuva (SC). Em Santa Catarina são mais 3 praças: Araquari, Porto Belo e Palhoça.

O aumento acima da inflação incluiria um pedido para “equilíbrio econômico-financeiro no contrato de concessão” em virtude da obra do Contorno Viário de Florianópolis, que está atrasada em oito anos. No seu despacho assinado na quarta-feira (6), o ministro do TCU Raimundo Carreiro cancelou o reajuste do pedágio e um termo aditivo na obra de mais de R$ 900 milhões.

Por: Correio do Litoral

Destaques, Economia, Foz do Iguaçu,

Comerciantes de Ciudad del Este querem imposto de 4% para fazer frente a lojas francas de Foz do Iguaçu

A reabertura da Ponte Internacional da Amizade, fechada desde 18 de março devido a pandemia do novo Coronavírus, não é o único fator que tira o sono dos empresários de Ciudad del Este, na fronteira do Paraguai com o Brasil. Os comerciantes querem que o governo federal crie um imposto único de 4% nos produtos importados, para conseguir fazer frente às lojas francas (free shops) que estão abrindo em Foz do Iguaçu.

O centro comercial de Ciudad del Este, conhecido pelas vendas de produtos tecnológicos importados de última geração, abriga 4,7 mil estabelecimentos constituídos. Aproximadamente 60% permanece com as instalações físicas fechadas, informa a Câmara de Comércio. O índice pode chegar até 80%, diz o presidente Juan Vicente Ramirez. Mais de 75 mil pessoas ficaram sem opção de renda.

A reabertura da Ponte da Amizade depende do governo federal dos dois países e não tem data para acontecer. Mas a volta do trânsito fronteiriço não é a única solução para os problemas, na avaliação dos empresários de Ciudad del Este. A questão é, como manter a competitividade com preços baixos para atrair compradores do Brasil e outros países, já que os mesmos produtos estarão disponíveis nas lojas francas de Foz do Iguaçu.

Caminhos

A Câmara de Comércio e Serviços de Ciudad del Este está atenta e já busca possíveis caminhos para resolver esta equação. Um deles é a unificação dos impostos. Nas lojas francas de Foz do Iguaçu, os mesmos produtos disponíveis no lado paraguaio, tem tributação de 6% dos importados e 3% dos itens desnacionalizados (produzidos no país). 

Em Ciudad del Este, as taxas vão de 2%, 4%, 8% a 40%, destaca a imprensa. A intenção é criar um imposto único de 4% sobre os produtos, informa Oscar Manuel Airaldi Roux, consultor da Câmara de Comércio local, e representante na Equipe Econômica Nacional, onde é analisado um regime de turismo para cidades fronteiriças.

Airaldi Roux afirmou à rádio La Clave, que os acordos precisam ser finalizados. “Uma roda que não tem solução deve ser trocada. O modelo de remendos não funciona, tudo isso simplesmente explodiu porque veio o Covid, que gerou uma crise econômica, depois uma crise social, que é chamada de pandemia de fome e não há como detê-lo, se não for uma solução fundamental”, comentou.

Por: GDia

Destaques, Economia, Foz do Iguaçu,

Grupo de trabalho dá início ao Plano Estadual Ferroviário

Grupo criado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior teve a primeira reunião nesta terça-feira (4), e vai propor as diretrizes para a desestatização e o desenvolvimento sustentável dos serviços de transporte ferroviário no Estado.

O grupo criado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior para a elaboração do Plano Estadual Ferroviário teve a primeira reunião nesta terça-feira (4). Ele vai propor as diretrizes para a desestatização e o desenvolvimento sustentável dos serviços de transporte ferroviário no Estado. O grupo tem, como primeira missão, a contratação de Estudo de Impacto Ambiental e due diligence para avaliação dos ativos da Ferroeste.

Na abertura da reunião, o secretário estadual do Planejamento e Projetos Estruturantes, Valdemar Bernardo Jorge, falou da importância do modal ferroviário, especialmente na retomada da economia após a pandemia do novo coronavírus. “A ferrovia é essencial para potencializar o desenvolvimento econômico e social do Estado. Precisamos ganhar velocidade na contratação dos estudos e nas licenças ambientais necessárias para chegarmos à efetiva transformação férrea que o Paraná precisa”, disse Valdemar.

A intenção do governo é que os primeiros trilhos da ampliação prevista para a malha da Ferroeste sejam instalados em 2022. “Estamos participando de um momento que será transformador para o Paraná e para o Brasil”, afirmou o engenheiro Luiz Henrique Fagundes, que coordena os trabalhos. “Esse projeto é fruto de uma visão de Estado do nosso governador, está alinhado com as iniciativas da Secretaria de Infraestrutura e Logística e conta com apoio integral da Secretaria de Planejamento e Projetos Estruturantes”, acrescentou.

De acordo com o que está previsto no Decreto 5076, de 7 de julho de 2020, o grupo de trabalho é composto por dois representantes indicados pelo governador, um representante da Casa Civil, um da Secretaria da Fazenda, um da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas, um da Secretaria do Planejamento e Projetos Estruturantes e um da Secretaria de Infraestrutura e Logística.

O objetivo dessa equipe é dotar o Paraná de infraestrutura de transporte ferroviário adequado, promover o desenvolvimento social e econômico, promover a malha ferroviária de acordo com o planejamento estadual para o setor, incrementar a utilização do modal em bases sustentáveis, atrair investimentos para o setor, garantir elevados padrões de segurança, respeito ao meio ambiente, governança e transparência e garantir elevado grau de satisfação dos usuários do serviço.  

PPI

A Ferroeste, que é operada pelo Governo do Paraná e atualmente possui malha que liga os municípios de Cascavel e Guarapuava, está qualificada no Programa de Parcerias de Investimentos do Governo Federal, o que significa que a União vai ajudar o Paraná com apoio técnico regulatório necessário para a atração de investidores.

A expectativa é concluir o Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA), o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e o Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) e privatizar a ferrovia até o fim de 2021.

O cronograma prevê, também, estudo de viabilidade de extensão (até 1.371 quilômetros) de uma nova ferrovia entre Maracaju (MS) e Cascavel (PR), a revitalização do atual trecho ferroviário entre Cascavel a Guarapuava, a construção de uma nova ferrovia entre Guarapuava e Paranaguá e a construção de um ramal multimodal entre Cascavel e Foz do Iguaçu.

Destaques, Economia, Foz do Iguaçu,

Rede hoteleira de Foz do Iguaçu cria serviços extras para contornar a crise que afeta setor na pandemia

Alguns apartamentos se transformaram em escritórios, vista privilegiada virou cenário para sessão de fotos e casais que não puderam viajar em lua de mel têm opção de pacote romântico

O que um hotel com 150 apartamentos poderia oferecer além de hospedagem? A partir dessa reflexão, as equipes dos Hotéis Viale, em Foz do Iguaçu, planejaram novos serviços que pudessem trazer receita extra em pleno isolamento social gerado pela pandemia do Novo Coronavírus. “Esse momento acelerou um processo interno de inovação que já estava em andamento”, considera o gerente comercial da rede, Luciano Ferreira. Segundo ele, ações baseadas em tendências da hotelaria nacional e internacional foram executadas de forma mais rápida, usando a crise no setor como momento oportuno.

Foz do Iguaçu tem um dos maiores parques hoteleiros do Brasil, com 30 mil leitos. O setor foi diretamente afetado a partir das medidas de distanciamento social previstas em decretos municipais, estaduais e federais, entre os meses de março e julho. A redução drástica no número de voos, o fechamento dos atrativos turísticos da cidade e o bloqueio das fronteiras com Paraguai e Argentina reduziram significativamente o número de hóspedes. Pesquisa do Sindicato dos Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares (SINDIHOTÉIS) da cidade, divulgada no mês passado, apontou ocupação abaixo de 2%.

Paisagem do último andar do hotel, bastante disputada pelos hóspedes, agora faz parte de mais uma opção de serviços (Foto: Assessoria)

Mais que hospedagem

A saída para atrair clientes de outros perfis foi inovar. Depois da substituição de móveis e de uma repaginada na decoração, alguns apartamentos do Viale Tower Hotel, no centro de Foz, se transformaram em escritórios. Entre as vantagens: localização, internet de alto desempenho, recepção, limpeza, banheiro próprio, estacionamento, cofre, frigobar e máquina de café. O pacote de quatro horas sai por R$ 79,00 (+ 5% ISS) e há pacotes mensais, bimestrais e trimestrais. A procuradora da Fazenda Nacional, Mariana Rachi Silva, reservou o escritório para uma palestra on-line. “Tenho crianças pequenas em casa. Precisava de um lugar silencioso e achei a decoração da sala bem leve e aconchegante,” avalia.  

Pacote Romântico – O consultor de vendas Luiz Fernando Rohde, incrementou a decoração e surpreendeu a esposa na comemoração de 10 anos de casados. (Foto: Assessoria)

O último andar do hotel, a 60 metros de altura, é bastante disputado pelos hóspedes por causa do pôr do sol e da vista panorâmica que mostra os três países da fronteira: Brasil, Paraguai e Argentina.

“Sempre recebemos muitos pedidos de fotógrafos e cinegrafistas interessados em fazer registros lá,” comenta o gerente do hotel, Fernando Higa. A partir da criação do pacote que prevê sessão de fotos e vídeos no rooftop do hotel, os funcionários prestarão atendimento direcionado, dando suporte aos interessados. Outro cenário que também desperta o interesse como set de fotos mais intimistas são os quatros. Como opção, a rede Viale oferece dois apartamentos com decoração que foge do padrão da hotelaria.

Quarto decorado é opção de set para fotógrafos e cinegrafistas (Foto: Kiko Sierich)

Day Use –serviçoque já estava sendo formatado antes da pandemia – também entrou em operação, estreando como opção de presente para o Dia dos Pais. O hóspede permanece no hotel das 8h às 20h, desfrutando de toda infraestrutura, da piscina e com direito a café da manhã e wi-fi. O pacote para família prevê a estadia gratuita de duas crianças de até sete anos.

Para os casais que não puderam fazer festa e nem viajar em lua de mel, os Hotéis Viale criaram o pacote romântico. O quarto decorado com pétalas de rosas e espumante também tem interessado aos casais que querem comemorar data especial sem sair da cidade. O consultor de vendas Luiz Fernando Rohde, incrementou a decoração e surpreendeu a esposa na comemoração de 10 anos de casados: “Como temos filhos pequenos, não gostaríamos de viajar para longe mesmo. Foi uma ótima opção!”

Room Office – A procuradora da Fazenda Nacional, Mariana Rachi Silva, reservou o escritório para uma palestra on-line. (Foto: Assessoria)

Meu Destino é Foz do Iguaçu

A rede iguaçuense também aderiu à campanha “Meu Destino é Foz do Iguaçu”, promovida pelo Visit Iguassu – instituição criada para atrair mais turistas à fronteira. Postagens com fotos das Cataratas do Iguaçu, da Itaipu Binacional, do Marco das Três Fronteiras e de outros atrativos turísticos estampam publicações em redes sociais, num movimento de fomento. Para oferecer vantagens financeiras, os Hotéis Viale garantem a melhor tarifa para quem reserva diretamente pelo site e ainda mais descontos para quem faz a reserva usando celular. As facilidadesde pagamentoincluem preços especiais para comprar agora com data de hospedagem a definir; adquirir hospedagem com antecedência – entre um e três meses – e valores promocionais para empresas que fazem viagens de negócio.

A estratégia foi manter atenção às necessidades que começaram a surgir, apesar da fase difícil, e garantir segurança em relação aos procedimentos sanitários exigidos. Os Hotéis Viale têm o selo de Turismo Responsável, emitido pelo Ministério do Turismo, e partiu para iniciativas on-line para reduzir a circulação de pessoas nas áreas comuns: disponibiliza diretório de serviços on-line, serviço de web check-in e consultoria on-line. “Aproveitamos para agregar valor a novos serviços e há mais possibilidades sendo estudadas”, planeja Paulo Baldan, diretor dos Hotéis Viale. O otimismo também é impulsionado pelo anúncio de reabertura dos principais atrativos turísticos de Foz do Iguaçu. Cataratas, Itaipu e Marco das Três Fronteiras já estão recebendo turistas, principais impulsionadores da retomada econômica da cidade.  

Economia,

Palestra online apresenta análise linguística, histórica e visual de mensagens publicitárias

O que está por trás das entrelinhas da publicidade presente nas ruas, nos shoppings, na TV, no jornal, nas revistas, nas redes sociais, no celular, na internet? Por meio de uma breve análise linguística, histórica e visual da mensagem de algumas peças de publicidade e propaganda, uma palestra on-line “Publicidade e Comunicação: por detrás das entrelinhas” irá abordar o papel dos profissionais de comunicação e linguagem nessa construção, e mostrar como a comunicação está em constante mudança, influenciando e influenciada pelo contexto sócio-histórico-cultural, determinando valores e comportamentos.

O evento terá a participação da professora da UFSC Camila Teixeira e do professor da UniAmérica Rodrigo Dutra Guedes. A live será realizada no dia 27 de agosto, às 19h30, pelo GoogleMeet, com vagas limitadas.

Serviço
Data: 27/08/20
Horário:19:30 às 21:30h
Ganha certificado de 2h
Canal: GoogleMeet (é preciso estar inscrito para receber o acesso).

Destaques, Economia, Foz do Iguaçu,

Volume de operações no Aeroporto de Foz do Iguaçu caiu 50% no primeiro semestre de 2020

O volume de operações no Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu caiu aproximadamente 50% nos seis primeiros meses de 2020. A afirmação tem como base o banco de dados da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero).

De janeiro a junho deste ano, o terminal manteve as atividades aeroportuárias, mesmo com a queda na demanda de passageiros devido a pandemia do novo Coronavírus.

De acordo com o acompanhamento da Infraero, o Aeroporto de Foz do Iguaçu realizou 5.496 pousos e decolagens, contra 10.163 no mesmo período do ano passado – queda de quase 50% entre um ano e outro. Em relação a movimentação de passageiros, no primeiro semestre de 2020 foram realizados 576.736 embarques e desembarques, contra 1.120.765 na mesma fração de tempo de 2019 – aproximadamente 50% a menos que o ano passado.

Os dados de movimentação do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu estão disponíveis na página de estatísticas da Infraero. Para acesso aos números do acompanhamento, basta fazer uma busca pela sigla SBFI, informou a empresa em nota ao GDia.

De acordo com a Infraero, mesmo diante da crise do novo coronavírus (Covid-19), o serviço aeroportuário de Foz do Iguaçu e nos demais aeroportos sob administração da empresa tem ocorrido normalmente e a oferta de voos está seguindo a malha aérea definida pelas empresas aéreas e Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). 

Cuidados

O terminal iguaçuense conta com uma campanha de conscientização aos passageiros e funcionários no combate à Covid-19. As ações incluem a instalação de adesivos de sinalização e orientação por todo o caminho que o viajante faz para o embarque e desembarque de um voo.

Também são realizados avisos em áudio e vídeo nos sistemas de som e painéis de voos, e cartazes pelos terminais. O foco dos alertas é no uso de máscaras durante a permanência no aeroporto e na viagem, distanciamento entre os frequentadores dos terminais e higienização das mãos. A ação, intitulada “Cuide ainda + de você e dos outros”, busca preparar os terminais para o aumento da circulação de pessoas garantindo a segurança de todos. 

Por: GDia

Destaques, Economia, Paraná,

Governo do Paraná prepara auditorias para encerrar contratos de pedágio que terminam em 2021

Empresas especializadas serão contratadas por meio de licitações para trabalhar no encerramento dos contratos de concessão rodoviária estabelecidos em 1997.

O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) iniciou nesta quarta-feira (5) a publicação de editais de licitação para contratar empresas que irão atuar na fiscalização de todas as medidas, atividades e obrigações do encerramento dos contratos dos pedágios que compõem o atual Anel de Integração.

Os trabalhos serão divididos em três atividades principais: recebimento dos bens das concessionárias, tanto os que foram cedidos no início do contrato quanto os que foram adquiridos ao longo das décadas; encerramento dos contratos de concessão, incluindo análise do reequilíbrio econômico-financeiro, passivos socioambientais e eventuais condições contratuais não atingidas por ambas as partes; encerramento dos convênios de delegação, em que o governo federal delegou a administração de rodovias federais ao governo estadual para serem concessionadas.

“Queremos especialistas de altíssima qualidade, com muita experiência, analisando cada aspecto das concessões de pedágio vigentes, tudo o que foi feito e deixou de ser feito nesses 24 anos”, disse o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex. Segundo ele, o conjunto desse trabalho dará a segurança jurídica necessária para encerrar esses contratos e finalmente fechar esse episódio da história paranaense. “No novo Anel de Integração vamos ter tarifas justas, serviços de conservação das rodovias, e também investimentos em infraestrutura que vão garantir que o Paraná continue crescendo”, acrescentou.

As licitações serão na modalidade pregão eletrônico, em que as interessadas fazem lances com ofertas cada vez menores. As sessões de disputa de lances estão marcadas para o dia 19 de agosto, às 14h 30 min para o edital de gerenciamento e apoio à fiscalização; e para o dia 20 de agosto, às 14h 30 min, para o edital de auditoria e avaliação das faixas de rolamento e acostamentos.

Será considerada vencedora a empresa que oferecer o preço mais vantajoso e atenda todos os requisitos dos editais. Está previsto um investimento de R$ 19,6 milhões e R$ 14,8 milhões, respectivamente, para execução de todos os serviços necessários.

Ainda serão publicados editais para auditoria e avaliação dos bens móveis e imóveis que integram o patrimônio das concessionárias; auditoria e inspeção das condições das Obras de Arte Especiais (como viadutos e trincheiras), Obras de Arte Correntes (como bueiros), estruturas de contenção de taludes e dispositivos de drenagens nas rodovias do Anel de Integração; e auditoria e avaliação da sinalização horizontal, vertical e dispositivos de segurança existentes nessas rodovias.

Serviços

A empresa responsável pelo gerenciamento e apoio à fiscalização, além de administrar os serviços dos demais contratos, prestará apoio, assessoramento e suporte à Coordenadoria de Concessão e Pedágios Rodoviários do DER/PR, setor responsável por todos os procedimentos ligados aos pedágios.

“O DER já conta com uma equipe competente, que administra todas as questões relacionadas ao sistema de concessões e pedágios. Mas para atender um processo desse tamanho e complexidade, inédito no Paraná, analisamos e chegamos à conclusão que contratar empresas especificamente para apoiar essa tarefa é a melhor solução”, explica o diretor-geral do DER/PR, Fernando Furiatti.

Além das auditorias, avaliações e inspeções dos elementos rodoviários, também serão feitos serviços como a identificação das obrigações do DER/PR em relação ao encerramento dos convênios e contratos, bem como o desenvolvimento de metodologias para garantir o cumprimento destas; inventário e avaliação de ações jurídicas em andamento, incluindo processos administrativos e judiciais, e de passivos socioambientais; definição de valores de indenizações; elaboração de estudos e pareceres em questões de engenharia, socioambientais, econômico-financeiras e legais; levantamento e avaliação das possíveis alternativas de acordos judiciais e extrajudiciais e seus custos; levantamento e avaliação das possíveis propostas para o encerramento dos contratos, visando o melhor interesse público, entre outros serviços. Todos os levantamentos e estudos serão organizados em relatórios específicos, para cada lote de concessão.

Enquanto o contrato de gerenciamento tem prazo de execução de 30 meses, os demais contratos têm execução prevista de seis meses, exceto no caso da auditoria e avaliação das faixas de rolamento e acostamentos, em que os trabalhos serão desenvolvidos em dois ciclos de seis meses.

Está previsto um investimento total de R$ 39,8 milhões nos cinco editais.

Concessões

Em 1996 foram firmados convênios de delegação para exploração de rodovias federais entre o Governo do Paraná e o Governo Federal, abrindo espaço para a licitação e assinatura dos contratos de concessões no ano seguinte, divididos em 6 lotes e com prazo de 24 anos. Os contratos foram modificados ao longo dos anos, com termos aditivos assinados em 1998, 2000, 2002, 2014, 2015, 2016, 2017 e 2018.

Atualmente 2.505,2 quilômetros de rodovias federais e estaduais compõem o atual Anel de Integração, que será encerrado em novembro de 2021.

Curitiba, Destaques, Economia,

Dia dos Pais: Bares e restaurantes buscam o apoio da Câmara de Curitiba para abrir no domingo, 09

Setor de gastronomia e entretenimento quer atender a demanda para “compensar um pouco” as perdas econômicas da pandemia do Covid-19

Representantes de entidades e empreendedores do setor de gastronomia e entretenimento se reuniram nesta terça-feira (04), com o presidente Câmara de Vereadores de Curitiba, Sabino Picolo. A intenção é garantir o apoio do poder legislativo na luta para garantir a abertura dos estabelecimentos no domingo (09), quando é celebrado o Dia dos Pais.

Um decreto municipal proibe a abertura das casas no domingo. No encontro, o grupo entregou ofício ao presidente, solicitando apoio “em caráter excepcional” para garantir a abertura do setor no próximo domingo, das 10h às 17h, “para atendermos a demanda no Dia dos Pais”, dizem. 

O documento, elaborado em conjunto pela Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar), Sindicato das Empresas de Gastronomia, Entretenimento e Similares de Curitiba (SindiAbrabar), Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) e trabalhadores do setor, lembra que a maioria dos municípios da Região Metropolitana estará atendendo o povo Curitibano.

O pedido representa uma demanda de milhares, “que sempre tiveram um retorno nesta data e que a agora, em tempos de pandemia, é fundamental este incremento no orçamento do negócio”, afirma o presidente da Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar), Fábio Aguayo.

Além de Aguayo, participaram da audiência com Sabino Picolo os representantes da Família Gusso – os irmãos Celso e Maria Gusso, que são tradicionais empreendedores da área de refeições coletivas e buffets em Curitiba.

Pós-decreto

No encontro com Sabino Pícolo, o grupo entregou uma lista de pleitos do setor para quando terminar a vigência do Decreto 990/20, dia 10 de agosto. A intenção é instrumentalizar os bares com mesas e cadeiras, especialmente com área externa ou nas calçadas, Casas Noturnas com serviço de alimentação e Espaços de Eventos serviço de alimentação para a reabertura na pandemia do Covid-19.

De acordo com o presidente da Abrabar, Fábio Aguayo, o plano elaborado pelas entidades estabelece medidas, protocolos e procedimentos padronizados para a reabertura em consonância com as definições estabelecidas pelos governos federal, estadual e municipal.

A lista de pleitos inclui horários e regras de funcionamento, lotação dos estabelecimentos, uso de máscaras, álcool gel, distanciamento social, entre outros.

Destaques, Economia, Foz do Iguaçu,

Protocolo propõe reabertura da Ponte Internacional da Amizade entre Brasil e Paraguai para morador da fronteira

Documento é resultado de consenso entre lideranças de Foz do Iguaçu e Ciudad del Este, durante diálogos e estudos iniciados em maio; proposta foi entregue a autoridades do Brasil e Paraguai

Autoridades do Brasil e do Paraguai, em diálogo sobre a reabertura da Ponte Internacional da Amizade, contam com propostas de segurança, prevenção e controle reunidas no “Protocolo sanitário binacional para a retomada econômica da região trinacional do Iguassu”. Consensual, o documento foi elaborado por lideranças empresariais, da sociedade civil organizada e de órgãos públicos de Foz do Iguaçu e Ciudad del Este.

O documento prevê a abertura gradual da ponte, em três fases, começando pela liberação da circulação para moradores da fronteira, em veículos com até 50% da capacidade de ocupação. A comunidade fronteiriça deverá apresentar comprovante de residência e poderá cruzar a via diariamente, das 6h às 18h. O transporte de cargas deverá ser feito das 18h às 6h.

Na segunda etapa, o protocolo prevê ampliação dos horários e flexibilização do trânsito de pedestres. Por último, autoriza o fluxo de não moradores e turistas. O estudo fixa perímetro inicial de segurança sanitária compreendendo Foz do Iguaçu (Brasil) e as localidades de Ciudad del Este, Presidente Franco, Hernandarias e Minga Guazú (Paraguai).

Primeira reunião on-line, em maio, entre lideranças de Foz e Ciudad del Este – foto Assessoria

“A portaria do governo federal brasileiro, que restringe o acesso às fronteiras, já garante o trânsito para os fronteiriços, os moradores das áreas de fronteira”, expõe o presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu (Codefoz), Mario Camargo. “Para isso acontecer, é preciso que haja reciprocidade, no caso, garantida pelo Governo do Paraguai.”

Camargo defende a breve reabertura da Ponte da Amizade, a fim de frear os danos sociais e econômicos causados por seu fechamento, em março. “Em documento ao governo de seu país, empresários e lideranças de Ciudad del Este citam ‘perdas multimilionárias’ e estoques inteiros que não têm mais valor de mercado. Isso destrói empregos, causa aumento da miséria e instabilidade à fronteira”, assevera.

Reabertura segura e responsável

Para a reabertura da Ponte Internacional da Amizade, as cidades da fronteira deverão atuar de forma integrada, mediante ações sanitárias e investimentos para o atendimento à população. Entre as medidas propostas estão a identificação de pessoas sintomáticas, testagem com retorno rápido da análise e isolamento.

A estrutura sanitária bilateral sugerida às autoridades deverá ter capacidade de realizar até 700 testes de covid-19 por dia, sendo 500 do lado brasileiro e 200 do paraguaio, com resultados entregues em até 24 horas. A coleta está prevista em ambos os lados da Ponte da Amizade, mediante apoio do Centro de Medicina Tropical da Tríplice Fronteira.

“Esse protocolo foi elaborado de forma técnica, por meio de um trabalho cuidadoso realizado desde maio, seguindo a realidade epidemiológica das cidades da fronteira e as normas preconizadas pelas autoridades de cada país”, expõe o presidente da Câmara Técnica de Saúde do Codefoz, Dr. Valter Teixeira. “Temos condições de fazer o controle sanitário da nossa fronteira de forma integrada”, completa.

O médico ainda informa que o documento prevê dispensadores de álcool gel e recursos para a correta eliminação de resíduos biológicos. Também deverá ocorrer, entre Brasil e Paraguai, compartilhamento de informações consideradas relevantes para o combate da pandemia e uso da mesma tecnologia e procedimentos durante a realização de testes.

“Apresentamos aos governos os requisitos necessários e adequados para a reabertura segura e responsável da Ponte da Amizade, do ponto de vista técnico”, pontua. “Outras medidas poderão ser incorporadas durante o debate, como base na evolução do quadro, que é muito dinâmico”, ressalta Dr. Valter Teixeira.

(Codefoz)