Browsing Category

Paraná

Leia as últimas notícias sobre o Paraná no CabezaNews, site de informação com reportagens exclusivas, fotos, vídeos e conteúdos sobre Foz do Iguaçu e sobre o Paraná.

O CabezaNews leva ao público notícias de utilidade pública, curiosidades, turismo, lazer, cultura. Sobretudo com um olhar voltado para a região da tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina.

Em Foz, nossa cobertura foca os principais acontecimentos da cidade, incluindo eleições 2020, o avanço da pandemia do novo coronavírus, as ações da Itaipu Binacional, bem como a administração do prefeito Chico Brasileiro.

O site não deixa de lado o que acontece no restante do estado do Paraná. Notas exclusivas dos bastidores da política, da Assembleia Legislativa, ações do governo do Paraná e da administração Ratinho Júnior. Assim como as principais notícias nacionais.

O CabezaNews é editado por Ronildo Pimentel, jornalista com mais de 30 anos de atuação em jornalismo impresso e digital.

Destaques, Foz do Iguaçu, Política,

Assembleia Legislativa aprova utilidade pública do Núcleo Criança de Valor de Foz do Iguaçu

Por unanimidade, a Assembleia Legislativa aprovou nesta segunda-feira (28) um projeto de lei do deputado Hussein Bakri (PSD) que concede o título de utilidade pública estadual à entidade Núcleo Criança de Valor, de Foz do Iguaçu.

Desde 2003, a instituição oferece proteção básica a crianças e adolescentes de 6 a 14 anos em situação de vulnerabilidade social, estimulando a convivência, o fortalecimento de vínculos e o desenvolvimento da autonomia conforme a potencialidade de cada faixa etária.

A partir desse relevante trabalho prestado, 120 jovens atendidos no contraturno recebem aprendizagem adequada e formação humana e social. E agora, com a aprovação da proposta pelos deputados, a entidade terá acesso a recursos estaduais para melhorar o atendimento e receber mais jovens em suas instalações.

Economia, Paraná,

Empresa da região Oeste do Paraná anuncia intenção de disputar licitação de pedágio nas rodovias Estado

Programa Oeste em Desenvolvimento reúne presidência da FIEP e representantes de cooperativas e de entidades da sociedade civil para aprofundar modelo de empresa regional

Lideranças da região deram mais um passo rumo à formação de uma empresa do Oeste para disputar a licitação de rodovias pedagiadas no Paraná, na nova concessão que terá edital aberto nos próximos meses.  Em reunião do Programa Oeste em Desenvolvimento (POD), nesta segunda-feira, 28, foram definidas as próximas ações para a efetivação do consórcio.

Conduzido pelo presidente do POD, Danilo Vendruscolo, o debate on-line contou com a presença do presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP), Carlos Walter Martins Pedro; e do coordenador do Conselho Empresarial e de Infraestrutura do Paraná, Jefferson Nogaroli. Também participaram o especialista em infraestrutura e logística da FIEP, João Arthur, e dirigentes de cooperativas e de entidades.

A iniciativa do setor produtivo e da sociedade civil organizada da Região Oeste visa à participação no processo público de concessão das rodovias paranaenses para fazer baixar a tarifa cobrada. Como o empreendimento que está sendo constituído não objetivará lucro, o resultado financeiro das operações será investido na melhoria das estradas.

“O setor produtivo não suporta mais pagar tarifas altíssimas, que oneram os custos e reduzem a competitividade”, frisou Danilo. “O que estamos construindo é uma união entre cooperativas, indústrias e o comércio para nós, que somos do Oeste, assumirmos as rodovias para instituirmos preço justo dos pedágios e qualidade das vias”, expôs.

De acordo com o presidente do POD, a reunião avançou quanto à formatação do ente jurídico que será adotado para a disputa da concessão das rodovias, forma de funcionamento e de participação desse empreendimento coletivo. As lideranças do Oeste ainda aprofundaram a análise em torno das condições técnicas e financeiras para a atuação na licitação.  

União do setor produtivo

Na reunião, o presidente da FIEP destacou a importância da integração e da atuação conjunta entre representantes de diferentes segmentos econômicos na constituição de consórcios regionais. Essas iniciativas, segundo ele, são indispensáveis para aumentar a concorrência na concessão dos pedágios.

“Consórcios regionais, como é a proposta que o Oeste está desenvolvendo, são vitais para contrapor a participação de empreiteiras nacionais e grandes empresas internacionais”, ressaltou Carlos Walter Martins Pedro. Essa participação ampliada nas licitações “induz o preço das tarifas cobradas para baixo”, complementou.

Presidente da Coopavel e membro da Câmara Técnica de Infraestrutura e Logística do POD, Dilvo Grolli afirmou que a criação de uma empresa para competir pela administração dos lotes de pedágio atende a um clamor da sociedade. “O que estamos propondo representa uma quebra de paradigma, em que disputamos com grandes interesses a favor da sociedade paranaense”, pontuou.

Carta pública

No final de agosto, o POD divulgou uma carta pública em que defende a efetiva participação da iniciativa privada e da sociedade civil organizada na construção do novo modelo de pedágio e na disputa da concessão. O documento faz um histórico sobre o início das rodovias pedagiadas, em 1997, demonstrando seus problemas e o efeito danoso à economia do Oeste e do Paraná.  

A nota defende a criação de um consórcio do Oeste. “Podemos participar das licitações com empresas regionais, em todos os lotes das rodovias que serão pedagiadas”, destaca o texto. “Precisamos construir uma nova história, com integridade e com a participação dos paranaenses de nossa e de outras regiões, seguindo as leis de livre mercado, em que ninguém tem privilégios e todos têm oportunidades”, conclui o documento.

Destaques, Foz do Iguaçu, Política,

Eleitores com deficiência podem transferir de seção até quinta-feira, dia 1º de outubro. Veja como!

No momento da inscrição eleitoral o eleitor com deficiência ou mobilidade reduzida é alocado em seção especial. Essas seções ficam logo na entrada, no andar de baixo do local de votação e com rampas de acesso, se necessário.

Ocorre que alguns eleitores podem ter sofrido algum acidente ou moléstia que dificulte a sua mobilidade, depois ter feito o título. Por isso, a Justiça Eleitoral faz um alerta para esses eleitores que ainda não estão em seções especiais, para que informem suas necessidades e solicitem a transferência para uma seção especial até esta quinta-feira, dia 01 de outubro.

Para isto, basta mandar um e-mail para a Central de Atendimento ao Eleitor cae011@tre-pr.jus.br informando esta necessidade e anexar o requerimento preenchido e documentos pessoais: uma selfie segurando o RG, uma foto do RG frente e verso e informar um telefone para contato. Dúvidas, podem ser esclarecidas pelos telefones 3522-2855, 3522-3064 ou 3522-3142 (o requerimento encontra-se no site do TRE www.tre-pr.jus.br ou pode ser solicitado por e-mail.

A Justiça Eleitoral aproveita para informar que as urnas eletrônicas têm o alfabeto em braile e sistema de áudio, possibilitando que o eleitor use fone de ouvido, se for necessário. Neste período estão sendo feitas vistorias nos locais de votação e providenciado treinamento das equipes dos trabalhos eleitorais, dos voluntários que contribuem com seu trabalho para que o eleitor possa exercer o seu voto, de maneira respeitosa, igualitária e humanizada.

Em cada local haverá o voluntário, coordenador de acessibilidade, para orientar o eleitor que, no dia da eleição, poderá ser acompanhado por cão-guia e/ou pessoa de sua confiança, para exercer o direito de votar.

Curitiba, Política,

Eleições 2020: João Arruda prevê ampliar orçamento da educação e oferta do ensino integral em Curitiba

O candidato a prefeito de Curitiba, João Arruda (MDB), defendeu nesta segunda-feira, 28, que as melhorias e alterações na educação devem partir do diálogo direto com os professores da rede pública municipal. “Não se faz educação de qualidade de cima para baixo. É preciso criar melhores condições de trabalho aos professores e um plano de carreira decente”. 

Duas das propostas preveem a ampliação dos investimentos do setor de 26% para 30% das receitas e a oferta do ensino integral nas escolas municipais. João Arruda está em campanha através de vídeos gravados em casa e divulgados nas redes sociais, onde debate as propostas para cada setor ou segmento da cidade, além contato direto com os curitibanos nestas plataformas. 
“Estou vendo minhas mensagens no Instagram, muito legal, continuem mandando, eu que leio. Essa interação é muito positiva. É interessante também por que eu recebo muitas ideias e sugestões”, disse ao defender a educação como prioridade de governo.

Tecnologia

O candidato afirmou que o ensino à distância, adotado na última hora em função da pandemia do coronavírus, apesar de necessário, precisa ser melhor debatido, mesmo enquanto não voltam às aulas presenciais. 

“Isso nos ensina que é preciso aprender com os alunos e também com os professores. Construir uma educação digital de qualidade à partir da iniciativa dos professores. Conteúdo pedagógico digital. É preciso aprimorar instrumentos tecnológicos, capacitar os professores e dar a estrutura necessária para que eles possam garantir o ensino”, afirmou.

João Arruda também apontou que é necessário se preparar para o cenário pós-covid. “Nós teremos um desafio enorme à partir do ano que vem quando a pandemia acabar. Vai passar e precisamos melhorar a qualidade de ensino. Essa volta às aulas será muito importante para os alunos e pais também”, disse.

Confira as propostas de João Arruda para a educação disponíveis no plano de governo:

• Desenvolver e implantar um programa de modernização institucional da Secretaria Municipal de Educação de Curitiba, com a finalidade de ampliar a capacidade organizativa e de direção no cumprimento da missão institucional;
• Criar o Centro de Apoio e Inovação para professores e equipes escolares, que mobilize, capacite e apoie de forma sistemática a construção de propostas e soluções voltadas para a melhoria das aprendizagens;
• Intensificar o uso das tecnologias nos processos de gestão institucional;
• Aprimorar os processos de planejamento, monitoramento e avaliação;
• Modernizar o Observatório Municipal de Educação;
• Assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos;
• Valorizar a educação municipal como base fundamental para uma nova cidade, tornando Curitiba a cidade que prima pela qualidade, organização, inovação e criatividade;
• Destinar 30% do orçamento municipal à educação (passando dos 26% para 30%);
• Garantir quadros completos de profissionais em todas as unidades, seja por meio de concursos públicos ou pelo Processo Simplificado de Contratação (PSC);
• Respeitar os profissionais da Educação, garantindo a manutenção dos avanços conquistados, ampliando e qualificando programas voltados à participação cultural, atenção e atendimento à saúde física e mental;
• Aperfeiçoar a política de valorização contínua de carreiras da Educação;
• Instituir um colegiado de diretores que terá canal direto com o prefeito, para a gestão e deliberação das questões da Educação;
• Criar a agência regulatória de convênios para oferta de vagas;
• Melhorar o planejamento e a execução de obras de construção, ampliação, reforma e manutenção da infraestrutura física e digital das unidades educacionais, com finalidade de contribuir para a ampliação da cobertura e qualidade dos processos de ensino-aprendizagem e melhorar as condições de trabalho do corpo docente e demais profissionais;
• Ampliar o acesso à educação integral.

Geral, Paraná,

Romanelli destaca atuação do Congresso Nacional contra a venda da Repar

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) destacou nesta segunda-feira, 28, a decisão da Câmara dos Deputados e do Senado Federal na defesa das refinarias da Petrobras, entre elas a de Repar no Paraná. O Congresso Nacional, em documento enviado ao STF, se colocou contra a venda das refinarias pelo governo federal.

Romanelli diz que a venda da refinaria vai provocar desemprego, além de transferir um patrimônio dos brasileiros para a iniciativa privada. “Sou inteiramente contra a venda de uma refinaria que é lucrativa e que pertence ao povo do Paraná e do Brasil. A Repar é nossa e deve continuar nas mãos do povo brasileiro”, disse.

O deputado é contra também à venda da usina do xisto em São Mateus do Sul. Mais de sete mil trabalhadores podem perder seus empregos. Na Repar, na cidade de Araucária, são 3,4 mil empregos (772 diretos e 2,6 mil indiretos). E na usina do xisto são mil empregos diretos e outros três mil indiretos.

Reanálise

O documento encaminhado Supremo Tribunal Federal pelos deputados e senadores pede que os ministros avaliem a decisão e impeçam a negociação de oito refinarias da Petrobras. Os parlamentares defendem uma reanálise do programa de privatizações das unidades que ainda não chegou a ser discutido em nenhuma das Casas.

“As negociações já estão avançadas, mas é importante que o STF mantenha um posicionamento imediato, antes que a Petrobras conclua a venda”, apela Romanelli.

Os ministros Edson Fachin (relator do processo), Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio Mello votaram contrário à venda da Repar e de outras refinarias da Petrobras. Os deputados temem que as refinarias sejam vendidas, antes da decisão final do STF.

Unidades

A Petrobras adiantou que a venda das unidades de refinaria, a da Repar pode ocorrer na primeira fase e a Usina do Xisto, na segunda.

A Repar é responsável por 12% da produção nacional de produtos derivados do petróleo e a segunda maior refinaria da Petrobrás em volume produzido, atende além do Paraná, os estados de Santa Catarina, São Paulo e Mato Grosso do Sul, além de exportar através dos Portos de Paranaguá e São Francisco do Sul (SC).

A usina do xisto tem a capacidade de produzir seis mil barris por dia de materiais como óleo combustível, GLP, nafta e enxofre para fertilizantes, produtos para a pavimentação, cimento, asfalto, cerâmica e insumos agrícolas. A primeira unidade da usina entrou em funcionamento em 1972 e a segunda em 1991, e, por conta da importância da usina, a BR-476 que liga Curitiba a União da Vitória, passando por Araucária e São Mateus do Sul, foi batizada de Rodovia do Xisto.

Paraná, Política,

Anibelli Neto convoca população a participar das eleições de 2020

O deputado Anibelli Neto gravou um vídeo no qual faz uma convocação à população paranaense a participar das eleições apesar da pandemia de Covid-19.

Anibelli Neto, que assumiu a presidência do MDB paranaense com a decisão do ex-deputado João Arruda aceitar o desafio de participar da campanha em Curitiba, afirmou que apesar das dificuldades que neste momento enfrentamos em razão da pandemia, e independe das frustrações com o momento político, temos que participar do processo, escolhendo aqueles que possam nos representar com dignidade seu voto. Busquem a biografia dos candidatos, pesquisem sua vida pregressa e façam uma boa escolha, apelou.

Ao mesmo tempo, Anibelli Neto deseja que esta campanha, que começou no domingo, dia 27, seja limpa, transparente, e que a população entenda a importância do voto mesmo neste período de pandemia.

“Analisem os candidatos, suas propostas e ideias para os municípios, escolham os melhores para que, depois, nossos municípios, o Paraná e o Brasil possam se recuperar pós-pandemia”.

Como presidente do MDB paranaense, Anibelli Neto irá percorrer o Paraná em apoio aos candidatos do partido, aproveitando para levar aos eleitores o apelo para que participem até porque entende que devem ter a convicção de mostrar suas opiniões para que, na sequência, possam cobrar daqueles que elegeram.

Anibelli Neto fez questão de gravar o vídeo em Quitandinha, local em que encerrou sua campanha em 2018. Foi, segundo ele, uma campanha vitoriosa que o levou à Assembleia Legislativa, onde lidera a bancada do MDB e onde, como presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Assembleia Legislativa, tem pautado seu trabalho na apresentação de propostas que possam melhorar a agropecuária, a agricultura familiar, aqueles que, segundo ele, acreditam na agricultura, pecuária, como forma de sustentar sua família.

Destaques, Foz do Iguaçu, Geral,

Presidente do Paraguai confirma que data para reabertura da Ponte da Amizade será definida nesta semana

Em visita ao departamento de Guairá, nesta segunda-feira (28), o presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, informou que vai marcar esta semana, junto como presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, a data para a reabertura das áreas de fronteira.

Benítez disse que esteve conversando com o presidente Bolsonaro e nesta semana será definida a data de abertura das passagens de fronteira com o Brasil, como é o caso de Ciudad del Este, Salto del Guairá e Pedro Juan Caballero.

Ele pediu aos moradores das cidades fronteiriças que sejam responsáveis e ajudem a evitar a propagação do vírus na retomada.

O Presidente do Paraguai afirmou que as taxas de infecções e mortes por Covid-19 permanecem positivas em comparação com outros países da região. Disse também que as medidas adotadas pelo Governo e a consciência dos cidadãos desempenharam um papel fundamental para salvar vidas e recuperar a economia.

“Os países que não tomaram medidas drásticas no início, sentem os reflexos na vida e na economia. Com certeza cometemos erros, mas algo foi bem feito porque na economia e nas questões de saúde, estamos melhores que toda a região”, comentou o Presidente. 

Protocolo

Marito pediu que os protocolos de saúde sejam cumpridos para que a economia seja retomada e que as empresas continuem operando. Ele ressaltou que assim que todas as áreas forem retomadas, haverá números bem melhores do que os registrados atualmente.

“Tudo isso não depende do presidente, depende das pessoas que devem respeitar os protocolos para continuar avançando e para que o Paraguai continue sendo um exemplo”, comentou.

Por: Rádio Cultura

Paraná, Política,

Requião Filho questiona demora por esclarecimentos sobre pedágio no Paraná

Revisão em cálculos do que pode ter sido cobrado a mais, por algumas concessionárias que não duplicaram rodovias, segue sem conclusão

Há cerca de um ano, a Agepar deu início a um pente-fino nas tarifas de pedágio cobradas nas rodovias paranaenses.

O motivo seria um valor a mais pago a algumas concessionárias, desde o início dos contratos, para realização do que os engenheiros chamam de “degrau de pista dupla”.

Um termo técnico relacionado ao nivelamento de alguns trechos que deveriam ter sido duplicados, lembra em vídeo o deputado Requião Filho.

É a Taxa Interna de Retorno (TIR), que só poderia ter sido recebida pela empresa uma vez que as obras estivessem concluídas, o que não ocorreu.

E, mesmo assim, a taxa foi embutida no valor final da tarifa e continua sendo paga pelos usuários até hoje.

A previsão era de que o estudo da Agepar ficasse pronto em seis meses, mas como isso não ocorreu Requião Filho protocolou requerimento, via Lei de Acesso a Informação.

Assista abaixo pronunciamento do deputado sobre o tema:

Destaques, Foz do Iguaçu, Itaipu Binacional,

Itaipu adere ao Outubro Rosa e alerta para prevenção ao câncer de mama

É o sétimo ano consecutivo que a empresa participa da campanha e ilumina prédios com tons de rosa.

Durante o mês de outubro, a Itaipu Binacional vai iluminar com tons de rosa alguns de seus principais prédios e monumentos. A iniciativa marca a adesão da empresa, pelo sétimo ano consecutivo, à campanha Outubro Rosa, movimento internacional que tem o objetivo de alertar as mulheres e a sociedade em geral sobre a importância da prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama.

Neste ano, receberão a iluminação especial o Centro Executivo da Vila A, a Concha Acústica do Gramadão, as calotas do Parque da Piracema, a fachada do Centro de Recepção de Visitantes (CRV) e o Portal do Conhecimento, monumento em referência à Universidade Federal para a Integração Latino-Americana (Unila), instalado próximo à barreira de controle da usina.

A adesão ao Outubro Rosa ocorre na sequência da participação de Itaipu em outra campanha, a Setembro Amarelo, movimento mundial de prevenção ao suicídio. O diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, diz que as campanhas têm caráter educativo e chamam a atenção da sociedade sobre problemas que afetam a vida das pessoas.

“Com mais informação, você reflete melhor sobre os riscos, entende a importância da prevenção e pode tomar decisões com maior consciência”, afirma. E complementa: “A saúde e o bem-estar da nossa gente é uma preocupação permanente da Itaipu, uma empresa responsável, que atua em várias frentes, além da sua atividade-fim”.

A adesão à campanha deixa ainda mais bonitos esses atrativos de Itaipu. “A iluminação embeleza e dá uma cara de respeito e acolhimento a esses espaços conhecidos da usina. Quem passar por ali, com certeza, vai gostar do resultado”, avalia Silva e Luna.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), órgão vinculado ao Ministério da Saúde, o câncer de mama é o tumor maligno mais comum entre as mulheres (depois do câncer de pele não melanoma), chegando a quase 30% dos casos no Brasil. Em 2019, a estimativa era o surgimento de 59 mil novos casos no País. A doença também atinge os homens, mas com menor frequência (cerca de 1% dos casos).

Quando diagnosticado precocemente, as chances de cura passam de 90%. Entre as formas de prevenção, estão a consulta regular ao médico, a realização de exames (como a mamografia), a prática de atividades físicas e a adoção de uma alimentação saudável. A amamentação também é considerada um fator de proteção para as mulheres.

Destaques, Justiça, Paraná,

TJ-PR nega pedido da Prefeitura de Londrina e mantém liminar da Abrabar

Bares que tenham no alvará autorização para atuar como lanchonete ou restaurante poderão continuar abrindo normalmente

O presidente do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), desembargador Adalberto Jorge Xisto Pereira, negou o pedido formulado pelo município de Londrina para suspensão da liminar que permitiu aos bares de Londrina cujos alvarás lhe permitam atuar nas atividades CNAE de “lanchonete” e/ou “restaurante”.

O direito aos estabelecimentos de atender a sua clientela “presencialmente”, mediante entrega em domicílio (delivery) ou retirada no local (take away/drive throug), foi conquistado após um Mandado de Segurança Coletivo apresentado pela Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar), frente aos decretos restritivos da pandemia Covid-19.

“O TJ e a Justiça do Paraná têm sido o grande suporte para as atividades econômicas sobreviverem neste momento muito difícil”, disse o presidente da Abrabar Fábio Aguayo. “Se não fossem os julgamentos imparciais, as ações que impetramos, dentro da razoabilidade e bom senso, não teriam amparo”, completou ele, que participou em Londrina da luta dos empreendedores do setor.

Contexto

No pedido de suspensão da liminar, feito contra a Abrabar, a Prefeitura destacou os riscos de aglomeração de pessoas, longa permanência sem utilização de máscaras e, que por isto mesmo, a intenção seria “restringir o funcionamento dos estabelecimentos que possuem a atividade principal de ‘bar’ constante do seu alvará”, como forma de possibilitar a fiscalização do setor.

No despacho, o desembargador Xisto Pereira informa que Subprocuradoria-Geral de Justiça para Assuntos Jurídicos do Ministério Público (MPPT) opinou pelo indeferimento do pedido de suspenção dos efeitos da liminar “por considerar que o município de Londrina não demostrou grave risco de lesão à saúde pública”.

Xisto Pereira lembra que a decisão liminar determinou expressamente que caberá aos estabelecimentos beneficiados  respeitar as medidas sanitárias e o horário de funcionamento para atendimento presencial e de abster-se de vender ou fornecer bebidas alcoólicas para consumo no local e em suas imediações, conforme consta nos decretos municipais.

Sem lesão

Para o desembargador, a simples alegação de que o Município terá dificuldades em realizar a fiscalização do cumprimento das medidas adotadas para a desaceleração da pandemia, em especial a restrição da venda de bebidas alcoólicas, “não se presta a concretizar a situação de grave lesão” exposta no artigo 4º, da Lei Federal nº 8.437/92.

“Ausente assim, a grave lesão à ordem, à saúde, à segurança ou à economia públicas, não se vislumbra fundamento suficiente para a medida de suspensão da tutela de urgência concedida pelo juízo de origem”, anotou no despacho. Que completou: “Nessas condições, indefiro o pedido de suspensão da decisão liminar”.