Browsing Category

Paraná

Leia as últimas notícias sobre o Paraná no CabezaNews, site de informação com reportagens exclusivas, fotos, vídeos e conteúdos sobre Foz do Iguaçu e sobre o Paraná.

O CabezaNews leva ao público notícias de utilidade pública, curiosidades, turismo, lazer, cultura. Sobretudo com um olhar voltado para a região da tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina.

Em Foz, nossa cobertura foca os principais acontecimentos da cidade, incluindo eleições 2020, o avanço da pandemia do novo coronavírus, as ações da Itaipu Binacional, bem como a administração do prefeito Chico Brasileiro.

O site não deixa de lado o que acontece no restante do estado do Paraná. Notas exclusivas dos bastidores da política, da Assembleia Legislativa, ações do governo do Paraná e da administração Ratinho Júnior. Assim como as principais notícias nacionais.

O CabezaNews é editado por Ronildo Pimentel, jornalista com mais de 30 anos de atuação em jornalismo impresso e digital.

Destaques, Foz do Iguaçu, Turismo,

Sindhotéis reivindica à prefeitura funcionamento de hotelaria e gastronomia de Foz do Iguaçu

Sindicato defende abertura de estabelecimentos para amenizar crise grave enfrentada pelo setor

O Sindhotéis está em diálogo permanente com o prefeito Chico Brasileiro a respeito da “quarentena mais restritiva” decretada pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior nas cidades de maior incidência da covid-19 do Paraná e confirmada pela Prefeitura de Foz do Iguaçu, na última terça-feira, 30.

Pelos decretos estadual e municipal, as atividades consideradas “não essenciais” estão suspensas de 1º a 14 de julho em Foz do Iguaçu e mais seis macrorregiões do Paraná. O diálogo visa esclarecer as regras válidas para os meios de hospedagem e permitir desde já o funcionamento da gastronomia (setor novamente atingido pelos governos).

O presidente do Sindhotéis, Neuso Rafagnin, diz que é preciso esclarecer as dúvidas sobre as restrições. O encontro contou com a participação do diretor-executivo do Sindhotéis, Plácido Oliveira, e do empresário Vilmar Andreola. Devido as lacunas nos decretos, a posição é temporária.

Considerando que os dois decretos não citam explicitamente o fechamento dos meios de hospedagem, o setor permanece autorizado a funcionar em condições normais, seguindo os protocolos de segurança já estabelecidos em normativas anteriores.

Essa é a posição até que haja uma definição explícita por parte do Governo do Estado sobre Foz do Iguaçu. Chico Brasileiro antecipou que os prefeitos que integram a AMOP (Associação dos Municípios do Oeste do Paraná) estão em negociação com o Governo do Estado para definir esta e outras lacunas deixadas pela legislação.

Defesa da gastronomia

Para o presidente do Sindhotéis, os empresários de restaurantes, bares, lanchonetes e similares estão esgotados e com seríssimas dificuldades para manter as portas abertas. A restrições aos estabelecimentos do setor , sobretudo da gastronomia, é um retrocesso, critica o dirigente.

“Foz vem adotando medidas saneadoras, por isso não deveria ter sido incluída no decreto estadual uma vez que aqui os empresários do turismo, da hotelaria e gastronomia vinham cumprindo a sua parte nas medidas de prevenção. Se tem exageros, é onde o estado não fiscaliza”, pondera Rafagnin.

Transporte coletivo

Outro assunto importante abordado na reunião diz respeito a restrição imposta aos funcionários dos hotéis de utilizar o transporte coletivo. O prefeito prometeu suspender a restrição. O diretor-executivo do Sindhotéis, Plácido Oliveira, e superintendente da Foztrans, Fernando Maraninchi, alinharam o tema visando a autorização de transporte de funcionários de hotéis, pousadas e motéis.

Prorrogação impostos

Também foi abordada nova prorrogação do vencimento de impostos municipais. Isso porque em julho vence o prazo de 90 dias que prorrogou o pagamento de tributos como IPTU e ISSQN. Chico Brasileiro anunciou que o prazo para o pagamento será prorrogado por mais 30 dias, com possibilidade ampliar a medida no futuro.

Educação, Paraná,

Fake News: Aulas no Paraná não serão retomadas em 17 agosto

Materiais são encaminhados em vários aplicativos de mensagens, mas Estado afirma que não há data definida

Muitas informações falsas a respeito do retorno das aulas no Paraná estão circulando por grupos de mensagens na manhã desta terça-feira (7).

Um post com as datas de 17 de agosto para retorno das aulas tanto na rede pública, quando na privada, no entanto a informação foi desmentida pela Secretária de Comunicação, que informou que o tema ainda segue em discussão entre as autoridades e não há, neste momento, uma data definitiva para o retorno das aulas presenciais.

O governo do Estado suspendeu as aulas ainda em 20 de março e mais de 2,1 milhões de estudantes da rede pública e também privada estão recebendo conhecimento no Ensino a Distância.

Por: Catve

Destaques, Foz do Iguaçu, Turismo,

Viagens para o Sul entre as primeiras opções de lazer dos moradores do Nordeste, adianta a Abav-CE

Os destinos “próximos, de carro” e também do Sul do Brasil, em especial Serra Gaúcha, Foz do Iguaçu e Porto Alegre, estão entre as primeiras opções de viagens de lazer dos “cearenses e moradores do Nordeste como um todo” no período pós-pandemia.

A informação é do presidente da Associação Brasileira de Agências de Vaigens (Abav-CE), Murilo Santa Cruz, ao falar sobre descontos nos preços de pacotes de viagens, ao Diário do Nordeste.

“Os pacotes, de uma forma geral, estão mais baratos do que antes da pandemia. Em alguns pacotes a gente verifica descontos que variam de 40% a 60%. Dependendo do pacote alguns destinos têm descontos maiores”, , informou o presidente.

“Os destinos mais agressivos (no preço) são exatamente para fora do País que é para onde se tem uma demanda menor. Tem pouco cliente querendo ir para fora do Brasil e quem quer viajar está optando viajar pelo Brasil”, completou Murilo.

Segundo a CVC, no geral, hotéis dentro do Brasil estão oferecendo tarifas até 30% mais em conta para o final do ano e em comparação com o mesmo período do ano passado.

Para a agência, a retomada do mercado de turismo se dará pelas viagens de lazer em destinos domésticos, de forma gradativa, a partir deste mês.

“A grande maioria dos hotéis e resorts parceiros da CVC já informaram que estão reabrindo de forma gradativa a partir de julho. A procura por orçamentos está mais concentrada para embarques no final do ano, rumo a destinos nacionais”, destacou.

Leia mais no Diário do Nordeste

Destaques, Economia, Foz do Iguaçu,

Preços: Sem pressão de consumo, cesta básica permaneceu estável no mês de junho em Foz do Iguaçu

Aumento foi de 0,3% em relação a maio, segundo dados do Cepecon/UNILA

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC-Foz), que mede a variação da cesta básica em Foz do Iguaçu, vem se mantendo estável e apresentou alta de 0,3% em junho em relação ao mês anterior. Dos itens pesquisados, 11 tiveram variação negativa e 7 apresentaram alta de preços. Os dados são do Centro de Pesquisas Econômicas e Aplicadas (Cepecon) da UNILA.

Para o coordenador da pesquisa e professor de Economia da UNILA, Henrique Kawamura, a estabilidade dos preços é resultado de uma demanda mais comedida. “Já estamos em um período relativamente grande de isolamento, então as pessoas estão gastando o menos possível. Há, obviamente, os grandes aumentos sazonais do período em alguns produtos, mas isso é compensado com a baixa em outros”, explica.

Com exceção do item higiene pessoal, que teve alta de 1,62%, os produtos que tiveram variação positiva nos preços são alimentos. Pescados, com alta de 9,4%; cereais e leguminosas, com aumento de 6%; e aves e ovos, com 4,59%, foram os itens que tiveram as maiores altas.

Entre os itens que mais apresentaram redução de preços no mês de junho estão os tubérculos, raízes e legumes (-10%). O tomate, com queda de 39,7% nos preços, foi o produto que apresentou a maior redução no grupo. “A maturação acelerada das semanas quentes de junho aumentou a oferta no mercado, ocasionando, assim, a diminuição dos preços”, comenta Kawamura. Neste grupo, outro item que apresentou forte queda foi a cebola, que ficou 10% mais barata.

Hortaliças e verduras tiveram queda de 4% nos preços, com destaque para a alface (-4%) e o cheiro-verde (-6,4%). Entre as frutas, o preço da uva caiu 8,9% em relação a maio; maçã e mamão tiveram redução de cerca de 7%, ajudando a manter o grupo em variação negativa, apesar da alta de preços da banana-caturra (5%) e da manga (9,6%).

O preço das carnes apresentou aumento de 2,1% no período. Entre os destaques, está o aumento de preços do músculo (14,6%), da paleta (14,1%) e da capa de filé (12,3%). Porém, está mais barato comprar alcatra (-12,6%) e patinho (-4,6%). A carne de frango teve aumento de, aproximadamente, 12%.

Entre as bebidas, destaca-se a queda nos preços da cerveja (-5,7%) e do suco em pó (-5%). O leite UHT apresentou redução de 3,3% nos preços. O leite condensado teve queda de 4,1% e o leite em pó, de 1%.

A pesquisa

Desenvolvido por professores e estudantes da UNILA, o projeto IPC-Foz tem como objetivo calcular mês a mês o Índice de Preços ao Consumidor de itens da cesta básica e, assim, contribuir para o acesso à informação da população acerca das variações de preços de produtos comuns do orçamento familiar. O IPC-Foz utiliza a mesma cesta básica do IBGE, do subgrupo de alimentação dentro do domicílio e produtos de limpeza e higiene pessoal. Utiliza, também, a mesma estrutura de ponderação, isto é, a parcela de contribuição de cada item no orçamento familiar, a fim de obter o índice geral. São coletados os preços de 94 produtos, a maioria alimentação e bebidas, em 12 locais de compra das principais regiões de Foz do Iguaçu. A amostra dos locais de compra foi selecionada por meio de amostragem probabilística proporcional ao tamanho (PPT).

AQUI para ver o boletim completo do IPC-Foz

Fonte: Comunicação da UNILA

Destaques, Foz do Iguaçu, Geral,

Polícia Civil alerta para o aumento de golpes durante a pandemia. Veja como a maioria é praticada em Foz do Iguaçu

O isolamento social provocado pela pandemia do Covid-19 fez aumentar o número de golpes de diversos tipos, isso porque quadrilhas aproveitam o crescimento de transações digitais para capturar dados.

Em Foz do Iguaçu, a Polícia Civil emitiu um alerta para que a população fique atenta a ação de estelionatários, anotou o GDia.

Um levantamento feito pela instituição mostra que entre janeiro e maio de 2019 foram registrados 58 golpes na cidade.

No mesmo período deste ano foram 107 casos.  

Continue lendo no GDia

Foz do Iguaçu, Geral,

Em Foz do Iguaçu, menino de 11 anos morre após cair de prédio

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a criança caiu de um apartamento, a cerca de 10 metros de altura, no sábado (4), no Centro da cidade. Ele estava inconsciente quando foi socorrido, teve ferimentos graves e foi levada para o Hospital Municipal, posteriormente foi encaminhada ao Hospital Ministro Costa Cavalcanti onde teve morte cerebral nesta segunda-feira (6).

O Corpo de Bombeiros não soube precisar o andar em que a vítima morava, pois o atendimento da ocorrência foi rápido e, por isso, não foi possível levantar detalhes. Mas informou que a criança morava no 3º ou 4º andar do prédio e que a família não sabia dizer o que teria acontecido.

Até o momento, segundo o IML, o corpo não tinha sido levado para a polícia científica de Foz do Iguaçu porque a família decidiu doar os órgãos da criança.

A Delegacia de Homicídios informou que a princípio, foi tratada como queda de nível pelo Corpo de Bombeiros, mas irá apurar informações sobre o caso. O Conselho Tutelar de Foz do Iguaçu também investigará a ocorrência.

Paraná, Política,

Requião Filho quer saber para onde foi o dinheiro do Paraná Competitivo

Pedido de informações à Secretaria da Fazenda foi protocolado nesta segunda

O deputado estadual Requião Filho (MDB), protocolou nesta segunda-feira (06) um Pedido de Informações ao secretário de Estado da Fazenda, Renê de Oliveira Garcia Júnior, solicitando esclarecimentos sobre os recursos do programa Paraná Competitivo.

Em abril, o Governo do Estado promoveu alterações no programa de incentivos fiscais e prorrogou por mais dois anos, benefícios concedidos a algumas empresas já contempladas pelo poder público.

O parlamentar quer saber quais foram as empresas beneficiadas, com que tipo de incentivo, e a disponibilização da planilha de valores, que apontem os percentuais, em qual programa estatal e quais os títulos de incentivo que estão sendo concedidos.

Continue lendo no site do deputado

Paraná, Saúde,

Municípios do Litoral devem adotar medidas mais restritivas

As sete cidades litorâneas terão que se adequar às limitações do decreto estadual 4942/20, que trata do fechamento de atividades não essenciais para conter o avanço da Covid-19. As operações dos portos de Paranaguá e Antonina não serão afetadas.

Os sete municípios que compõem a 1ª Regional de Saúde, do Litoral, também terão que se adequar às limitações impostas pelo decreto estadual 4942/20 que restringe o funcionamento de atividades econômicas consideradas não essenciais e a circulação de pessoas em locais públicos por 14 dias para conter o avanço da Covid-19.

A determinação consta em um novo decreto 5041/2020 (AQUI) assinado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior e vale para Matinhos, Paranaguá, Morretes, Antonina, Guaraqueçaba, Guaratuba e Pontal do Paraná a partir desta quarta-feira (8). As operações dos portos de Paranaguá e Antonina não serão afetadas.

Agora são 141 municípios atingidos por medidas restritivas mais severas no Estado. Eles pertencem às regionais de Saúde de Cascavel, Cianorte, Cornélio Procópio, Região Metropolitana de Curitiba, Londrina, Foz do Iguaçu, Toledo e Litoral.

A inclusão das cidades litorâneas leva em conta um cálculo epidemiológico que considera a taxa de incidência por 100 mil habitantes, o número de mortes pela mesma faixa populacional e a ocupação de leitos de UTI nas quatro macrorregionais (Leste, Oeste, Norte e Noroeste).

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, houve aumento de 101% nos casos nos sete municípios entre a semana epidemiológica 26 (460 casos) e a semana 27 (925 casos). A ocupação de leitos de UTI no Hospital Regional do Litoral, que alcançou 95% na área Covid-19 e de 80% ou mais nos demais leitos (traumas, partos e outras situações), também foi levada em consideração nessa decisão.

As medidas estabelecidas no decreto estadual foram apresentadas aos prefeitos dos sete municípios na tarde desta segunda-feira (6). “Precisamos que as medidas sejam adotadas em todos os municípios e também a cooperação dos moradores de Curitiba e da Região Metropolitana para que não desçam ao Litoral neste período. Os casos estão aumentando, a situação é preocupante, e é momento de agir”, afirmou o secretário estadual de Saúde, Beto Preto. “É uma abordagem de saúde pública. Só vamos conseguir vencer a Covid-19 se estivermos juntos”.

Ele também acrescentou que o Governo do Estado trabalha para ampliar o número de leitos e a capacidade da UTI no Hospital Regional do Litoral nos próximos dias. Atualmente há dez leitos de UTI e dez de enfermaria disponíveis, com lotação de 90%.

Leia mais em AEN.

Paraná, Política,

Paraná terá disque-denúncia para coibir uso de cerol em linhas de pipa

A Assembleia Legislativa aprovou nesta segunda-feira (6), projeto de lei que cria o serviço de disque-denúncia, para coibir o uso de cerol nas linhas de pipa. Durante a pandemia de coronavírus, o número de praticantes da brincadeira aumentou. Aliado à estação do ano, com ventos mais fortes, a brincadeira torna-se uma diversão que atrai pessoas de todas as idades.

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), um dos autores do projeto, diz que a proibição se estende à fabricação informal e comercial, a comercialização, a compra, o porte, a posse e o uso do cerol ou linha chilena. Romanelli avalia que a criação do novo serviço vai ajudar no cumprimento da lei e na prevenção a acidentes.

Romanelli observa que não são apenas os praticantes da brincadeira que são as maiores vítimas. Anualmente, o número de acidentes com linha de pipa tem provocado vítimas em todo o país. “Motociclistas e ciclistas são os mais atingidos. Mas animais e pedestres, que não têm nenhum envolvimento com a brincadeira, também acabam se ferindo, muitas vezes, com alta gravidade”, comenta.

O cerol é um produto aplicado nas linhas de pipa ou papagaio, obtido da mistura de cola e vidro moído. Já a linha chilena é obtida a partir do quartzo moído, algodão e óxido de alumínio. Com a lei aprovada na Assembleia, o Paraná dá um passo importante na garantia de segurança das pessoas e minimiza os riscos de acidente.

Serviço

Para facilitar o trabalho de fiscalização e agir com maior agilidade e rigor, os deputados aprovaram também a criação de um serviço de disque-denúncia. Trata-se da criação de um canal para denunciar infratores que utilizam o produto em linhas de pipa.

Romanelli explica que o canal será utilizado exclusivamente para denunciar, de forma anônima, pessoas que usam, fabricam ou comercializam cerol ou linha chilena. “No caso de acidentes provocados por conta do cerol ou linha chilena, ou de denúncia de uso ou posse, ainda que para fins recreativos, o agente público em atendimento deverá averiguar a presença de pessoas portando estes produtos. Os infratores identificados serão multados e poderão responder criminalmente”, informa.

O descumprimento da lei prevê multa no valor de R$ 1.595,10, podendo ser aplicada em dobro quando houver risco de lesão ou morte de terceiros. Já para os estabelecimentos que insistirem na comercialização de cerol ou linha chilena a multa prevista é de R$ 5.317,00.

Em caso de reincidência, a empresa poderá ter a inscrição estadual cassada. Ainda de acordo com a lei, os estabelecimentos de saúde são obrigados a noticiar o acidente com cerol ou linha chilena à autoridade policial competente. Caberá ao Estado, a decisão de regulamentar a lei, indicando os aspectos necessários à sua aplicação.

Acidentes

A brincadeira de soltar pipa pode se tornar um risco para pessoas e animais. O praticante aplica o produto para “cortar” a linha do oponente e, desta forma, manter-se solitário com a pipa no ar.

No entanto, a brincadeira provoca inúmeras vítimas, algumas fatais. São comuns acidentes em que ciclistas e motociclistas ficam enroscados nas linhas e, com o cerol aplicado nelas, acabam sofrendo cortes profundos. O pescoço é a parte do corpo mais fragilizada e muitas vezes, os ferimentos podem degolar a vítima.

Também os animais acabam se ferindo, tanto as aves como outros animais, que acabam se enroscando na linha e se ferem gravemente ao tentar escapar. Para Romanelli, é uma brincadeira desde que seja praticada sem o uso de cerol ou linha chilena.

“Com a proibição do uso e comercialização e a criação do disque-denúncia, temos certeza de que os acidentes que ocorrerem serão de menor gravidade, uma vez que a vítima, seja pessoa ou animal, não correrá o risco de cortes profundos, que podem levar à morte”, conclui.

Além de Romanelli, também assinam o projeto os deputados Gilson de Souza (PSC), Coronel Lee (PSL) e Doutor Batista (DEM).

Paraná, Saúde,

Paraná registra mais 1.291 casos e 25 mortes pelo coronavírus

O Estado soma 32.411 casos e 806 mortos em decorrência da doença. Em 372 cidades há ao menos um caso confirmado de Covid-19 e 158 municípios registram óbitos.

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta segunda-feira (06) mais 1.291 confirmações e 25 mortes pela infecção causada pelo novo coronavírus. O Paraná soma 32.411 casos e 806 mortos em decorrência da doença. Há ajustes nos casos confirmados detalhados ao final do texto.

Internados

Nesta segunda-feira, 794 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados. Destes, 632 ocupam leitos SUS (245 em UTI e 387 leitos em clínicos/enfermaria) e 162 leitos da rede particular (61 em UTI e 101 em leitos clínicos/enfermaria).

Há outros 899 pacientes internados, 461 em leitos UTI e 438 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo vírus Sars-CoV-2.

Óbitos

A secretaria estadual informa a morte de mais 25 pacientes. Todos estavam internados. São oito mulheres e 17 homens com idades que variam de 17 a 91 anos. Os óbitos ocorreram entre 5 de junho a 6 de julho.

Os pacientes que faleceram residiam em Apucarana (1), Arapuã (1), Assaí (1), Campo Largo (1), Clevelândia (1), Colombo (2), Curitiba (2), Guaratuba (1), Londrina (1), Maringá (1), Paranaguá (2), Pinhais (1), Piraquara (1), Pontal do Paraná (1), Prudentópolis (1), Rolândia (2), São Jose dos Pinhais (2),  Sarandi (1) e Toledo (2).

Municípios

No Paraná, 372 cidades têm ao menos um caso confirmado de Covid-19. Em 158 municípios há óbitos pela doença.