Browsing Category

Eleições 2020 em Foz do Iguaçu

Leia as últimas notícias sobre Eleições 2020 em Foz do Iguaçu no CabezaNews, site de informação com reportagens exclusivas, fotos, vídeos e conteúdos sobre Foz do Iguaçu e sobre o Paraná.

O CabezaNews leva ao público notícias de utilidade pública, curiosidades, turismo, lazer, cultura. Sobretudo com um olhar voltado para a região da tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina.

Em Foz, nossa cobertura foca os principais acontecimentos da cidade, incluindo eleições 2020, o avanço da pandemia do novo coronavírus, as ações da Itaipu Binacional, bem como a administração do prefeito Chico Brasileiro.

O site não deixa de lado o que acontece no restante do estado do Paraná. Notas exclusivas dos bastidores da política, da Assembleia Legislativa, ações do governo do Paraná e da administração Ratinho Júnior. Assim como as principais notícias nacionais.

O CabezaNews é editado por Ronildo Pimentel, jornalista com mais de 30 anos de atuação em jornalismo impresso e digital.

Destaques, Eleições 2020 em Foz do Iguaçu, Política,

Cassio Lobato anuncia Prefeitura 4.0 em Foz do Iguaçu: ‘totalmente digital’

A partir de 2021, Foz do Iguaçu terá uma “Prefeitura 4.0, totalmente digital”. A informação é do advogado Cassio Lobato, candidato a prefeito pela coligação “Endireita Foz” (Patriota e PV), quarto na série de entrevistas da Rádio Cultura na sexta-feira (25). Em quatro anos, pretende reduzir dois terços do quadro de servidores, que poderão trabalhar remotamente (em casa).

Lobato disse que sua campanha é por convicção. “Sou conservador nos costumes e um liberal na economia. Faz parte da minha convicção. Defendo com unhas e dentes nesse sentido”, disse. O candidato disse não tem problema que outros postulantes no pleito de 15 de novembro, sem posicionem nesta linha. “Me posiciono também, é o direito de cada um, vivemos em uma democracia”, frisou.

Transformar a Prefeitura em 4.0 é um dos itens da reforma administrativa que será encaminhada numa virtual administração. “Nós temos a expectativa de reduzir, em quatro anos, 1/3 dos funcionários e uma boa parte dos que vão ficar, vão poder trabalhar de casa. (Será) tudo digitalizado”, ressaltou.

De acordo com ele, a pandemia ensinou muito. “Isso pode ser feito na administração pública, digo burocrática. Quanto nas escolas, uma parte de período da escola em casa, outra parte presencial”, adiantou.

Lobato informou que a reforma vai levar em conta a experiência de Ricardo Albuquerque, candidato a vice-prefeito e que integra os quadros de servidores do município. A iniciativa terá apoio de “outros profissionais, que estão nos assessorando – economistas, administradores, advogados, engenheiros”.

“É uma ampla reforma administrativa. Não podemos conviver com o que está acontecendo”, afirmou. O candidato lembrou que Foz arrecadou, nos últimos 16 anos, R$ 15,5 bilhões e 96% do montante foi para folha de pagamento e custeio da máquina pública. “Temos apenas 4% da arrecadação para investimento”, contabilizou.

Contexto

Lobato disse que sua família chegou em Foz do Iguaçu em 1950. “Nasci em 1968. Nesse período de 1974 à 2000, vivenciei aqui um ‘bum’ de desenvolvimento, enquanto o Brasil vivia hiper inflação, desemprego, crime e tudo mais, a cidade vivia ao contrário. Tínhamos muita gente do Brasil inteiro vindo para cá, a Itaipu, a exportação pujante …”.

“Tivemos assim um momento muito importante nesse período”, ressaltou. O candidato lembra que viu a cidade entrar em uma certa estagnação. “Passava os anos, entra ano e sai ano, você começa a fazer observações, porque aqui não tem barracão de uma indústria como Santa Terezinha tem? Porque instalou a Lar em Medianeira?”.

“São dois momentos, um de explosão de desenvolvimento e outro, de 2000 para cá ou 2005, para cá, de estagnação”, avaliou. Lobato afirma que, por ser iguaçuense, ele e sua família são os maiores interessados que a cidade “naturalmente vá para frente” e por isto decidiu colocar o nome para ser candidato a prefeito.

Análise

O candidato contou que, a partir destes cenários, fez um diagnóstico comparativo com Cascavel. “Estabelecemos esse parâmetro. Veja bem, em 2005 Cascavel tinha 278 mil habitantes, Foz do Iguaçu tinha 301 mil habitantes. Hoje temos 250 mil habitantes aproximadamente, números aproximados e Cascavel está com 330 mil habitantes”.

Em 15 anos, afirmou Lobato, Foz do Iguaçu teve um êxodo de 50 mil pessoas que foram embora. “Isso é resultado do que? Falta de gestão, oportunidade para essas pessoas”.

Por: GDia

Destaques, Eleições 2020 em Foz do Iguaçu, Política,

Eleições 2020: Foz do Iguaçu tem nove candidatos a prefeito e mais de 330 a vereador

Começou neste domingo (27), o prazo para a campanha eleitoral dos candidatos às eleições municipais de 15 de novembro. Foz do Iguaçu tem os nove candidatos a prefeito aprovados em convenção partidária e mais de 330 candidatos as 15 cadeias na Câmara de Vereadores já inseridos na página de Divulgação de Candidaturas e Contas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A partir do pedido de registro, de acordo com o calendário das eleições de 2020, passa a contar o prazo de cinco dias para partidos, coligações, candidatos e Ministério Público pedir a impugnação de candidaturas. Além disso, qualquer eleitor pode encaminhar notícia da inelegibilidade de candidato (a prefeito, vice-prefeito ou vereador), que será juntada aos autos do respectivo encaminhamento.

De acordo com o serviço, os partidos e coligações encaminharam o pedido de registro de candidaturas, em ordem alfabética, de Aneocir José Lauermann, o Alemão (PCdoB), que terá como vice Diego Carvalho, além do advogado Cassio Lobato da coligação Endireita Foz (PV/Patriota), que terá como vice Ricardo Albuquerque.

O prefeito e candidato a reeleição Chico Brasileiro, foi inscrito pela coligação “O Trabalho Continua” (PSD/PSL/PSDB/PTB/MDB/PSC/PSB/SOLIDARIEDADE/PL), terá como vice Delegado Francisco Sampaio. Luiz Henrique Dias da Silva, do PT, terá como vice Marcello Arruda. Nelton Friedrich, da coligação A Foz do Povo (Rede/PDT/Cidadania), terá como vice Amilton Farias. 

O ex-prefeito Paulo Mac Donald, da coligação Quem Ama Cuida (DEM/Podemos/PP), terá como vice Bibiana Orsi. Ranieri Marchioro do PRTB, terá como vice Dr. Leila. Sidnei Prestes, da coligação Foz com Novas Idéias (PMN/Republicanos/PSL/DC), terá como vice o Pastor Murça e, Tatiana Fruet, da coligação Renova Foz (Pros/Avante), terá como vice Gustavo Tramontin.

Acompanhamento

No site do TSE, é possível ver ainda informações como o número de cada candidato (prefeito ou vereador), certidões apresentadas para registro, estado civil, escolaridade e profissão. Em uma análise do item “Renda informada”, é possível reunir dados sobre o patrimônio de todos os postulantes no pleito de 15 de novembro.

Os nove candidatos a prefeito e vice de Foz do Iguaçu, juntos, totalizam patrimônios particulares que somam mais de R$ 28,1 milhões. A informação, que fica disponível para a consulta dos eleitores, de acordo com a legislação vigente é obrigatória no momento do pedido de registro da candidatura. 

No site, o eleitor pode constatar a relação dos bens, descritos individualmente, em casas, terrenos, veículos, contas bancárias, aplicações financeiras e cotas de participação em empresas. As informações sobre os bens devem ser coerentes com as declarações prestadas anualmente à Receita Federal para fins de apuração do Imposto de Renda.

Legislativo

De acordo com consulta no portal do TSE, no final da tarde de domingo (27), já foram confirmados 336 candidatos a vereador em Foz do Iguaçu. O número de postulantes a uma cadeira no legislativo iguaçuense deverá aumentar nas próximas horas, uma vez que alguns vereadores que buscarão a reeleição, ainda não foram lançados no sistema.

Dos 15 titulares da atual legislatura, apenas Rudinei de Moura, do Patriota, anunciou que não tentará um novo mandato. Independente da finalização, o número de candidatos este anos já supera em mais de 15% o total de postulantes a Câmara de Foz do Iguaçu em 2016, quando 284 cidadãos colocaram o nome para avaliação dos eleitores nas urnas.

Por: GDia

Eleições 2020 em Foz do Iguaçu, Política,

Em Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro tem apoio de 129 candidatos a vereador

A coligação do prefeito Chico Brasileiro, candidato à reeleição e que reúne ainda PSD, MDB, PTB, PSL, PSB, PSC, PSDB, PL e SD tem até o momento 129 candidatos a vereadores, conforme o registro no TSE. Chico Brasileiro tem o maior apoio entre os nove candidatos a prefeito em Foz do Iguaçu.

“Nossa coligação está fortalecida, acreditando em todo trabalho realizado. Não viemos para apenas ocupar uma cadeira de prefeito ou vereador. Estamos fazendo a maior transformação da história, o maior conjunto de obras de Foz do Iguaçu, e vamos continuar construindo uma cidade melhor”, disse Chico Brasileiro.

A coligação “O Trabalho Continua” acredita que o número de candidatos pode chegar a quase 150 candidatos, mas até o momento, o MDB registrou 21 candidatos, PSD (23), PL (17), PTB (23), PSL (11), PSC (22) e SD (12)

Chico Brasileiro afirma que as decisões tomadas pela coligação são de consenso entre os partidos e de forma coletiva. “Uma dessas decisões foi a escolha do vice, Delegado Francisco Sampaio (PSD). O atual vice-prefeito, Nilton Bobato, continua nos apoiando, ajudando e eu confio muito nele. Bobato abriu mão de uma candidatura a vice e para construir esse consenso e evidenciar um tema importantíssimo, que é a segurança pública. Há uma grande união e o Bobato colabora para que o projeto de desenvolvimento da cidade continue”, reitera Chico Brasileiro.

Neste sábado, 26, é o último dia para os partidos políticos e as coligações apresentarem à Justiça Eleitoral. No DivulgaCandContas, plataforma criada pelo TSE, é possível obter informações como o número de cada candidato, certidões apresentadas para registro, renda informada, estado civil, escolaridade e profissão. Ainda dá para acessar redes sociais e endereços eletrônicos dos candidatos.

Destaques, Eleições 2020 em Foz do Iguaçu, Política,

Eleições 2020: Neve Gois tenta renovar mandato na Câmara de Vereadores de Foz do Iguaçu … Sqn!

A primeira campanha eleitoral da publicitária Neve Gois – vai disputar pelo PDT uma cadeira na Câmara de Vereadores de Foz do Iguaçu – começou bastante atípica.

Isso por que, na página de divulgação de candidatos e contas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ela aparece como candidata a reeleição.

Informada sobre o equivoco, reagiu com uma gargalhada virtual e muito bom humor: “Neh? Meu último mandato foi um sucesso”.

Neve Gois, que milita há décadas na área da comunicação de Foz do Iguaçu, disse que nunca pensou “em algum dia dispor meu nome assim”, mas acabou aceitando o desafio por ser “necessário na reestruturação do PDT”, após a saída do ex-prefeito Paulo Mac Donald Ghisi, liderança histórica do partido de Leonel Brizola.

Na avaliação da agora candidata, número 12121 na urna eletrônica, temos em 2020 uma eleição atípica, “num ano atípico”.

Veja abaixo a explicação:

– Não pretendo sair em caminhadas e fazendo promessas. Participo desde sempre do processo político pq acho que todo cidadão honesto tem a obrigação de participar.

– Vir para o processo eleitoral não foi um opção pessoal, mas uma necessidade partidária.

– Minha estratégia é continuar sendo quem em sou e procurar ao máximo envolver a todos e através do meu exemplo mostrar que a democracia vale a pena quando as pessoas honestas assumem seu papel dentro dela.

Destaques, Eleições 2020 em Foz do Iguaçu, Política,

Eleições 2020: TSE já confirma 336 candidatos a vereador em Foz do Iguaçu. Número deverá aumentar

O sistema de divulgação de candidaturas e contas criado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirma, na manhã deste domingo (27), 336 candidatos a vereador no pleito de 15 de novembro.

AQUI para conferir

A partir desta data esta aberto o prazo de cinco dias para partidos, coligações, candidatos ou mesmo o Ministério Público pedir a impugnação de candidaturas.

O número de postulantes a uma cadeira no legislatio iguaçuenses deverá aumentar nas próximas horas, uma vez que alguns vereadores que buscarão a reeleição, ainda não foram lançados no sistema.

Dos 15 titulares da atual legislatura, apenas Rudinei de Moura, do Patriota, anunciou que não tentará um novo mandato.

Independente da finalização, o número de candidatos este anos já supera em mais de 15% o total de postulantes a Câmara de Foz do Iguaçu em 2016, quando 284 cidadãos colocaram o nome para avaliação dos eleitores nas urnas.

No site, é possível ver informações como o número de cada candidato, certidões apresentadas para registro, renda informada, estado civil, escolaridade e prossão.

Ainda dá para acessar redes sociais e endereços eletrônicos dos postulantes ao cargo de vereador iguaçuense.

Todos os pedidos de candidaturas ainda estão em julgamento, segundo informações do próprio portal.

De acordo com levantamento do portal H2FOZ, Foz do Iguaçu poderá ter mais de 460 candidatos à Câmara este ano (AQUI para relembrar).

Destaques, Eleições 2020 em Foz do Iguaçu, Política,

Eleições 2020: Site do TSE confirma nove candidaturas a prefeito em Foz do Iguaçu

O site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) completou, neste sábado (26), o registro das nove candidaturas a prefeito definidas nas convenções partidárias em Foz do Iguaçu, no Oeste do Paraná.

Hoje é o último dia para partidos ou coligações confirmarem os registros dos postulantes a inquilino do Palácio das Cataratas, de 2021 a 2024.

A partir deste domingo (27) passa a contar o prazo de cinco dias partidos, coligações, candidatos, cidadãos ou o Ministério Público pedir a impugnação de candidaturas.

Abaixo o blog reproduz a lista de nomes em ordem alfabética:

Aneocir José Lauermann, o Alemão (PCdoB)
Cassio Lobato (PV/Patriota) coligação Endireita Foz
Chico Brasileiro (PSD/PSL/PSDB/PTB/MDB/PSC/PSB/SOLIDARIEDADE/PL) coligação O Trabalho Continua (reeleição)
Luiz Henrique Dias da Silva (PT)
Nelton Friedrich (Rede/PDT/Cidadania) coligação A Foz do Povo
Paulo Mac Donald (DEM/Podemos/PP) coligação Quem Ama Cuida
Ranieri Marchioro (PRTB)
Sidnei Prestes (PMN/Republicanos/PSL/DC) coligação Foz com Novas Idéias
Tatiana Fruet (Pros/Avante) coligação Renova Foz

Eleições 2020 em Foz do Iguaçu,

Eleições 2020: Nelton Friedrich defende tecnologias e energias renováveis para gestão de Foz

Candidato a prefeito pelo PDT, Nelton Friedrich, defendeu nesta quinta-feira (24), o uso de novas tecnologias e energias renováveis para melhorar a gestão e a qualidade de vida da população. “Uma das coisas mais importantes no momento de crise é articular as forças”, disse ele, no terceiro programa da série de entrevistas da Rádio Cultura, com parceria do GDia, com candidatos a prefeito de Foz do Iguaçu nas eleições de 15 de novembro.

“Nós temos que articular as forças, politicas, econômicas, sociais, culturais… as forças da sociedade para realizar” as ações de retomada econômica e social de Foz do Iguaçu, completou. Nelton Friedrich abriu o programa fazendo um breve perfil de seu passado público. A ordem dos entrevistados, que vai ao ar diariamente das 12h às 12h30, foi definida em sorteio.
De acordo com o candidato, a decisão de participar das eleições é pessoal. “Já fui muitas coisas na vida, comecei cedo”, ressaltou. Nelton lembrou ainda a experiência dos 14 anos que atuou em uma diretoria da Itaipu, onde criou o programa Cultivando Água Boa (articulação envolvendo 29 municípios), período em que morou em Foz do Iguaçu.

“Como é que numa hora dessas eu poderia ficar de braços cruzados?”, indagou lembrando que está há 40 anos na vida pública. “Muitos destes anos sem mandato, fazendo realmente política”. Mesmo com este longo tempo como agente público, Nelton lembrou que não responde nenhum processo e nunca foi condenado e que “isso é ficha limpa sim”, frisou.

Articulação

Indagado sobre a coligação que o apoia com apenas três partidos – PDT, Rede (do vice Amilton Farias) e Cidadania, disse que projeta fazer “um governo absolutamente inovador. Com todos os programas (de internet) é época de administração diferenciada”. De acordo com Nelton, as novas tecnologias como o Whatsapp permitem esta proximidade.

E isso não tira o relacionamento com os vereadores, disse, mas as grandes questões pretende discutir com toda cidade, “não só com a Câmara”. Ele lembrou, quando foi deputado Constituinte, em 1988, ajudou a colocar na Carta Magna a democracia direta, plebiscito, referendo e iniciativa popular de leis.

Educação

Sobre a retomada das aulas no pós-pandemia, o candidato do PDT disse que algumas questões concretas. “Por exemplo, porque que a gente não conseguiu fazer a educação mesmo a distância nesse período? Falta tablet, falta equipamento? Gente que no máximo tem um celular em casa, não tem nem manejo, nem preparação…?”, indagou.

Centralização administrativa

Nelton também falou sobre um tema abordado com os demais candidatos – o centro cívico de Foz do Iguaçu. De acordo com ele, entra prefeito, sai prefeito e a conversa continua a mesma. “Quanto estão gastando de aluguel?”, cobrou para afirmar que às vezes precisa de um GPS para o contribuinte se organizar e encontrar os órgãos da Prefeitura.

A futura Prefeitura, de acordo com ele, tem que ter uma arquitetura atrativa para o turista tirar fotografia na frente. “Vou dar um exemplo bem perto, Medianeira fez uma troca, algumas áreas públicas e a iniciativa privada ficou com aquela área espaçosa, e construiu uma nova. Quanto que custou? Uma troca e alguns outros incentivos”, disse.

Por: GDia

Destaques, Eleições 2020 em Foz do Iguaçu, Justiça,

Interrompemos a nossa programação normal… Começa domingo (27) a propaganda das Eleições 2020

A partir do próximo domingo (27) será permitida a propaganda eleitoral, inclusive na internet, lembra o advogado Gilmar Cardoso, consultado pelo Cabeza News sobre as datas importantes do calendário das Eleições 2020.

Especialista em legislação eleitoral, Cardoso arrisca dizer que a disputa pelo eleitorado no ambiente digital vai se intensificar a partir deste ano, especialmente em função da pandemia do novo Coronavírus.

Protagonista na campanha eleitoral de 2018, a internet ganha ainda mais força na disputa por votos deste ano no contexto de isolamento social imposto pela pandemia, ressalta.

A campanha eleitoral, que começa no próximo domingo (27), tem regras específicas no meio digital e alterações em relação aos últimos pleitos, afirmou o advogado.

Amplamente adotadas durante a quarentena, as lives, que são as transmissões ao vivo na internet, poderão ser utilizadas enquanto instrumento de comunicação das campanhas.

Advogado Gilmar Cardoso (Foto: Divulgação)

É proibida a participação de artistas

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) proibiu no fim do mês passado a presença de candidatos nos chamados “livemícios”, como apresentações virtuais promovidas por artistas com o intuito de fazer campanha eleitoral, mesmo que os eventos não sejam remunerados.

Outra mudança na campanha deste ano diz respeito aos conteúdos falsos. No ano passado, entrou em vigor a lei que atribui a mesma pena de denúncia caluniosa com fins eleitorais, com prisão de até oito anos, a quem divulgar notícias falsas também com finalidade eleitoral.

Para não cometer infração eleitoral sujeita ao pagamento de multas e responsabilização em ação própria, os partidos, candidatos e apoiadores devem estar atento às normas, frisa Gilmar Cardoso.

O que pode

A propaganda eleitoral é permitida em sites de partidos e candidatos a partir de domingo (27) nos endereços eletrônicos comunicados à Justiça Eleitoral. Todas as páginas devem ser hospedadas em provedores localizados no Brasil.

É permitido o envio de propaganda eleitoral via e-mail e aplicativos de mensagens instantâneas. No entanto, os endereços devem ser cadastrados gratuitamente com consentimento do titular. Também é obrigatório disponibilizar mecanismo que permita o descadastramento pelo destinatário, o que deve ocorrer em até 48 horas após a solicitação.

Em blogs e redes sociais, a propaganda eleitoral também é permitida, com conteúdo gerado ou editado por candidatos, partidos políticos, coligações ou eleitores.

Os impulsionamentos de conteúdos nas redes sociais (pagamento para que as postagens tenham mais visibilidade) são autorizados, desde que identificados e contratados somente pelas páginas dos candidatos, partidos políticos e coligações — ou seja, não podem ser terceirizados a empresas nem feitos por perfis pessoais de apoiadores, por exemplo. Os impulsionamentos também são limitados às ferramentas das próprias redes sociais, sendo proibidas aplicações externas, ainda que gratuitas.

A realização de lives (transmissões ao vivo pelas redes sociais) está permitida, desde que não tenham a participação de artistas.

O que não pode

Qualquer outro tipo de propaganda eleitoral paga que não seja o impulsionamento é proibida.

Proibida a manifestação que ofenda a honra ou a imagem de candidatos, partidos ou coligações.

O impulsionamento para difamação de candidaturas de adversários também é proibido.

Proibida a realização de novas postagens e de impulsionamentos de publicações no dia da eleição, o que configura boca de urna.

Proibido o disparo em massa (por robôs) de mensagens instantâneas sem autorização do destinatário.

Proibida a contratação direta ou indireta de grupo de pessoas com a finalidade específica de emitir mensagens ou comentários na internet para ofender a honra ou denegrir a imagem de candidato, de partido político ou de coligação.

Proibida a divulgação de fatos sabidamente inverídicos, as fake news, assim como a veiculação de conteúdos de cunho eleitoral por usuários falsos ou anônimos. A pena para esses casos pode chegar a oito anos de prisão.

Também é proibida a realização de propaganda via telemarketing em qualquer horário.

Eleições 2020 em Foz do Iguaçu, Política,

Eleições 2020: Em entrevista, Paulo Mac Donald diz que vai resolver o que não funciona na Prefeitura de Foz

Na Rádio Cultura, candidato garantiu que resolverá os problemas principalmente na saúde, educação, segurança e dará apoio para quem gera empregos

O candidato a prefeito da coligação “Quem Ama Cuida”, Paulo Mac Donald, foi o primeiro entrevistado da rodada que a Rádio Cultura está fazendo com todos os concorrentes. Durante o programa, ele entregou dois documentos oficiais ao âncora do programa, o advogado e jornalista Nelson Rodrigues, comprovando sua quitação total com a Justiça Eleitoral e a certeza de que poderá disputar a eleição.

Os documentos foram lidos por Nelson Rodrigues. A primeira certidão, tirada do site do TSE às 9h24 do dia 22 de setembro diz: “certifico que consultando o cadastro eleitoral verificou-se que não existe registro de condenação criminal eleitoral transitada em julgado contra Paulo Mac Donald Ghisi”. A outra certidão informa que “Paulo está quites com a Justiça Eleitoral”, reunindo a plenitude de seus direitos políticos. “Portanto, o Paulo Mac Donald Ghisi tem o direito de ser candidato, votar e ser votado”, frisou Nelson Rodrigues.  

Paulo disse que seus adversários estão espalhando fake-news e pediu para a população ficar atenda aos boatos e notícias falsas: “Não acreditem no que eles falam. Estão fazendo uma campanha sórdida e covarde. Eu tenho todas as certidões da mais alta corte da Justiça Eleitoral, comprovando que eu posso ser candidato e que não houve prejuízo ao erário e nem enriquecimento ilícito”.

Filas na saúde

Paulo disse que a saúde voltará a funcionar em seu governo e condenou as filas, “resultado da incompetência e da má gestão”. Ele apresentou documentos mostrando que no mês de julho havia 29.709 pessoas aguardando consultas e mais de 17 mil na fila de exames laboratoriais. “Com apenas um daqueles contratos milionários que fizeram na saúde eu acabaria com as filas”, disse Paulo que também se comprometeu em fazer o laboratório municipal funcionar e zerar a fila dos exames em poucos meses.

Dengue e Covid

Paulo também criticou as ações ineficientes de combate à dengue que transformaram a cidade no topo da lista de casos confirmados. “Já são 20 mil pessoas contaminadas, sendo 58% mulheres e 42% homens porque as mulheres ficam mais tempo em casa, onde o mosquito transmissor se esconde. Nós acabamos com a dengue no passado e iremos acabar novamente”, garantiu. Sobre a Covid-19, Paulo disse que construiria uma estrutura em outro local e deixaria o hospital funcionando normalmente para que a população continuasse sendo atendida.

Trânsito

O candidato se comprometeu a usar a tecnologia para melhorar o sistema de trânsito na cidade e condenou os contratos feitos pelo Foztrans com empresas de fora que controlam os pardais. “São gastos cerca de R$ 1,2 milhões por ano com essas maquinetas. Nós iremos rever esses contratos e melhorar o trânsito na cidade”, destacou Paulo.

Centro cívico

A construção do Centro Cívico é também uma das metas do candidato porque as secretarias estão espalhadas obrigando a população a fazer uma romaria em busca do que precisa da Prefeitura. “Além de complicar a vida do cidadão, estão gastando R$ 4,2 milhões por ano em aluguel. Vamos por um fim a isso, gerando economia, funcionalidade e eficiência no serviço público”.

Creches e escola integral

Paulo também disse que as creches voltarão a funcionar em período integral para as mães poderem trabalhar, “sabendo que seu filho estará bem cuidado”.  Ele disse que está estudando um sistema para recuperar o ano perdido na rede municipal de ensino por causa da pandemia e isso passará pelo diálogo com a comunidade escolar, diretores, professores e pais. Garantiu que os centros de convivência voltarão a funcionar assim como a fábrica de pão vitaminado e suco de soja, que atendia escolas, entidades e famílias carentes.

“Vamos reativar todos os setores que não estão funcionando direito e recuperar o tempo perdido. Eu sei aonde a coruja pia, eu sei resolver os problemas e para isso iremos contar com uma equipe eficiente e com os servidores de carreira”, finalizou Paulo.

Fonte: Assessoria

Destaques, Eleições 2020 em Foz do Iguaçu, Política,

Eleições 2020: Foz do Iguaçu terá, em quatro anos, 100% das ruas asfaltadas, afirma Chico Brasileiro

A Prefeitura vai executar, nos próximos quatro anos, asfalto em 100% das ruas e avenidas de Foz do Iguaçu. A informação é do prefeito Chico Brasileiro (PSD), segundo entrevistado na série com candidatos a prefeito promovida pela Rádio Cultura, que conta com parceria do GDia. De acordo com ele, o município está executando 250 quilômetros de pavimentação asfáltica, com recursos próprios e sem cobrança da população.

A entrevista com o prefeito, de acordo com a programação da emissora para todos os nove candidatos, ocorreu dentro do programa Contraponto, das 12h às 12h30. Chico começou recordando como assumiu a gestão, em abril de 2017, após um período em que até o ex-prefeito foi afastado pela Justiça. Ele respondeu ainda sobre diversos temas e projetos.

 Ao ser indagado sobre a arrecadação menor para 2021, devido a pandemia do Coronavírus, Chico disse que agora tem uma diferença de quando assumiu. “(Antes) não tinha crédito. Agora tem credito e crédito é tudo para você fazer as coisas. Então terei condições no ano que vem, juntamente com nosso vice e equipe, buscar recursos na Caixa Econômica ou em qualquer banco”. 

De acordo com ele, a intenção é continuar o projeto mudando a cidade. A mudança começou, mas não foi concluída, afirmou. “Nós não vamos deixar uma pedra (nas ruas) em Foz do Iguaçu. Vamos fazer igual Toledo, que já conseguiu isso há alguns anos, não existe mais pedra, tudo é asfalto, isso é possível”, ressaltou o prefeito.

Retorno

Investir em asfalto, segundo Chico, é um investimento “e não estamos cobrando o asfalto”, informou. A Prefeitura está executando um programa de 250 quilômetros com recursos próprios, disse ele, negando que seja verba destinada pela Itaipu. “O asfalto é devolução de recurso de impostos que o cidadão paga”, frisou.

“Então, vamos atingir 100% de asfalto em nossa cidade nos próximos quatro anos. Isso digo porque temos uma usina e temos condições de investir nessa área”, reforçou. De acordo com o prefeito, a intenção é abrir avenidas onde há interrupção hoje, concluir grandes avenidas em praticamente todas as regiões da cidade.

Contexto

Chico lembrou que em 2016 estava como deputado estadual, Foz com o prefeito afastado e o candidato mais experiente naquele momento com os direitos políticos cassados. “Fui convocado pelo meu partido por que não poderia ficar de fora, a cidade não poderia ficar órfã de alguém que tenha experiência e que poderia colocar sua experiência a serviço. Foi isso que fiz”, frisou.

O prefeito lembrou que, quando começou em 2017, Foz estava com obras paradas e passava por uma pandemia moral. “As pessoas andavam de cabeça para baixo com vergonha. Hoje elas tem orgulho. Quero continuar para mostrar que é possível a gente fazer política comprometida com a sociedade”.

Indagado se a coligação de nove partidos não pode se tornar um empecilho, Chico lembrou que no passado já foi feito um governo com uma coligação de 18 legendas. “Os partidos que vieram somar conosco, tem lideranças. Ninguém administra sozinho. Tudo que fizemos foi com apoio de deputados federais e estaduais, Itaipu e governos federal e estadual”.

Por: GDia