Browsing Category

Palmas

Leia as últimas notícias sobre Palmas no CabezaNews, site de informação com reportagens exclusivas, fotos, vídeos e conteúdos sobre Foz do Iguaçu e sobre o Paraná.

O CabezaNews leva ao público notícias de utilidade pública, curiosidades, turismo, lazer, cultura. Sobretudo com um olhar voltado para a região da tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina.

Em Foz, nossa cobertura foca os principais acontecimentos da cidade, incluindo eleições 2020, o avanço da pandemia do novo coronavírus, as ações da Itaipu Binacional, bem como a administração do prefeito Chico Brasileiro.

O site não deixa de lado o que acontece no restante do estado do Paraná. Notas exclusivas dos bastidores da política, da Assembleia Legislativa, ações do governo do Paraná e da administração Ratinho Júnior. Assim como as principais notícias nacionais.

O CabezaNews é editado por Ronildo Pimentel, jornalista com mais de 30 anos de atuação em jornalismo impresso e digital.

Destaques, Foz do Iguaçu, Geral, Palmas, Política, Saúde, Últimas Notícias,

Enquanto registra aumento de novos casos, Foz do Iguaçu acumula vitórias contra a Covid-19

Nos últimos dias, as equipes multidisciplinares dos hospitais de Foz do Iguaçu tem comemorado com aplausos e emoção a alta de pacientes que venceram a luta contra a Covid-19, a infecção provocada pelo novo Coronavírus. Nesta quinta-feira (11) foi a vez do cascavelense Ricardo Corso, de 36 anos, viver a emoção. Na quarta-feira (10), a iguaçuense Hielen Duarte Ljuma, de 33 anos, receber os aplausos.

Enquanto registra o aumento de casos, Foz vai acumulando vitórias contra a doença, que matou 40 mil brasileiros desde o início da pandemia, em março. De acordo com a Vigilância Epidemiológica, a cidade registrou 70 novos casos nos últimos quatro boletins. De segunda a quinta-feira (08 a 11 de junho, respectivamente), houve  um salto de 163 para 233 infectados.

Hielen Duarte, de 33 anos, deixou a enfermaria da ala Covid do Hospital Municipal Padre Germano Lauck na tarde da quarta-feira, dia do aniversário de Foz do Iguaçu, após quase quatro dias de internamento. Ela é a 14ª paciente recuperada da infecção na unidade de saúde.
A paciente relatou que ao retornar de viagem ao estado do Pará, começou a apresentar sintomas como tosse seca, coriza e fadiga, sem a presença de febre. Acompanhada pela Telemedicina, que está interligada ao Plantão Coronavírus, foi orientada a procurar a Triagem Covid-19, onde informou que teve contato, durante a viagem, com um caso confirmado da doença.

Caso importado

Contaminada através de um caso classificado como transmissão importada, Hielen foi acompanhada pela equipe de profissionais da ala especial, com uma salva de palmas, tradicional homenagem dedicada aos pacientes recuperados da Covid-19. Com bom humor, relatou o tratamento recebido.

“Fui muito bem atendida e cuidada desde o início, quando fiz o contato telefônico, e recebo esta alta como uma vitória”, disse ela. Que completou: “Estou muito feliz e quero me cuidar cada vez mais”. Ela continua sendo acompanhada pela equipe médica, por meio do sistema de telemedicina.

Agradecimento

Este foi o sentimento que o cascavelense Ricardo Corso, 33 anos, fez questão de expressar ao receber alta do Hospital Municipal, após três dias internados. Ele procurou a Upa de Cascavel há 14 dias, quando começaram os sintomas, realizou o teste para a Covid-19 no dia 1º de junho, e com o resultado positivo, foi orientado a permanecer em isolamento domiciliar.

Ronildo Pimentel
GDia

Foz do Iguaçu, Palmas, Saúde,

Hospital Municipal registra 14ª alta de paciente recuperada da Covid-19 em Foz do Iguaçu

Hielen Duarte, de 33 anos, moradora de Foz do Iguaçu, estava internada na Ala Covid do desde domingo (7)

O Hospital Municipal Padre Germano Lauck (HMPGL), de Foz do Iguaçu, registrou nesta quarta-feira (10), dia do aniversário de 106 anos do município, a 14ª alta de uma paciente recuperada da Covid-19.

Hielen Duarte Ljuma, de 33 anos, deixou a enfermaria da ala Covid onde ficou internada por três dias sem a necessidade do uso de ventilação mecânica.

A paciente relatou que ao retornar de viagem ao estado do Pará, começou a apresentar sintomas como tosse seca, coriza e fadiga, sem a presença de febre. Acompanhada pela Telemedicina, que está interligada ao Plantão Coronavírus, foi orientada a procurar a Triagem COVID-19 do Hospital Municipal, onde também informou que teve contato com um caso confirmado da doença no Estado do Pará, tratando-se então, de uma transmissão importada.

A alta de Hielen foi acompanhada pela equipe de profissionais da ala Covid do Hospital Municipal, com uma salva de palmas, tradicional homenagem dedicada aos pacientes recuperados da Covid-19.

Com muito bom humor, a paciente relatou o tratamento recebido. “Fui muito bem atendida e cuidada desde o início, quando fiz o contato telefônico, e recebo esta alta como uma vitória. Estou muito feliz e quero me cuidar cada vez mais”, disse. Mesmo após a alta, a paciente continuará sendo acompanhada pela equipe médica, por meio do sistema de telemedicina.

Geral, Palmas, Paraná,

Morre o secretário de Agricultura de Palmas-PR, Edson Cassaniga, o Magrão

Faleceu no final da manhã desta terça-feira (09) o secretário de Agricultura de Palmas-PR, Edson Cassaniga, o Magrão, aos 42 anos.

Ele estava internado no Hospital Santa Pelizzari de Palmas e não resistiu após complicações em decorrência de um câncer no fígado.

O velório será realizado na Câmara de Vereadores e o horário e local do sepultamento será ainda designado pela família.

Magrão ocupava o cargo de secretário de Agricultura na atual gestão e anterior de Palmas (afastado para tratamento médico).

Com informações de A Folha do Sudoeste

Brasil, Destaques, Economia, Geral, Palmas, Últimas Notícias,

Infraero adota novas medidas de proteção definidas pela Anvisa contra o Covid-19 no Aeroporto de Foz

A Infraero iniciou uma campanha de orientação aos passageiros e funcionários da sua rede de aeroportos no combate ao coronavírus (Covid-19). As ações incluem a instalação de adesivos de sinalização e orientação por todo o caminho que o viajante faz para o embarque e desembarque de um voo; além de avisos em áudio e vídeo nos sistemas de som e painéis de voos, e cartazes pelos terminais. O foco dos alertas é no uso de máscaras durante a permanência no aeroporto e na viagem; distanciamento entre os frequentadores dos terminais e higienização das mãos.

A nova sinalização começou a ser aplicada em 14 aeroportos de capitais e fronteiras (Manaus, Belém, Macapá, São Luís, Boa Vista, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Goiânia, Campo Grande, Palmas, Rio Branco, Foz do Iguaçu e Porto Velho) e, gradativamente, será estendida aos terminais que contam com voos de companhias aéreas. Estas, por sua vez, também poderão contribuir com esse trabalho orientando seus funcionários e clientes. Todas as orientações também estarão disponíveis no site da Infraero.

Intitulada “Cuide ainda + de você e dos outros”, o objetivo da campanha é preparar os terminais para o aumento da circulação de pessoas garantindo a segurança de todos. No Aeroporto Foz do Iguaçu/Cataratas, no Paraná (PR), passageiros encontrarão orientações através de adesivos instrutivos no momento do check-in, embarque, desembarque, nas áreas de raio-x, nas esteiras de retirada de bagagens; ao usar escadas, elevadores e longarinas; ou mesmo na entrada em estabelecimentos comerciais e praça de alimentação.

“Desde o início da pandemia da Covid-19, adotamos uma série de medidas para garantir a segurança dos passageiros e empregados, todas elas em consonância com as diretrizes do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), além de órgãos estaduais e municipais”, explica o superintendente do aeroporto, Joacir Araújo dos Santos.

O terminal fronteiriço adotou todos os protocolos de higienização e segurança de passageiros e funcionários, intensificando a limpeza de áreas comuns, bem como ampliou a disponibilização de itens de higiene, como sabão, papel toalha e álcool em gel em todo o terminal. De modo preventivo, a lanchonete do aeroporto está funcionando apenas nos horários dos voos e respeitando todos os protocolos de higiene e distanciamento. Além disso, passageiros que embarcam e desembarcam pelo aeroporto estão tendo as temperaturas medidas pela Secretaria Municipal de Saúde de Foz do Iguaçu.

Diante da crise do novo coronavírus, Covid-19, a Infraero esclarece que o serviço aeroportuário nos 48 terminais sob administração da empresa está ocorrendo normalmente e a oferta de voos está seguindo a malha aérea definida pelas empresas aéreas e Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Dessa forma, a Infraero recomenda que se dirijam aos aeroportos apenas aquelas pessoas que precisam viajar de avião. Nos terminais, os viajantes encontrarão uma estrutura ajustada às medidas sanitárias determinadas pela Agência Nacional de Vigilancia Sanitária (Anvisa) para que todas as atividades ocorram com os cuidados que o combate ao coronavírus exige. Entre as medidas estão:

– Estímulo ao uso de canais digitais para realização de check-in (aplicativos das empresas aéreas ou web-check-in);

– Orientação de se evitar o manuseio de cartões de embarque impressos;

– Recomendação de, se possível, usar cartões de crédito ou smartphone para pagamento de compras em lojas, restaurantes, lanchonete e serviços no aeroporto;

– Uso de máscara por passageiros e pessoas em circulação nas áreas públicas do aeroporto, bem como o uso de equipamentos de proteção individual (EPI) por empregados da Infraero ou outras pessoas que trabalhem nos aeroportos da empresa;

– Divulgação de instruções de higiene, proteção e distanciamento social em sistema de som, painéis informativos de voos, cartazes e cavaletes distribuídos nas áreas de embarque e desembarque de passageiros e áreas operacionais e administrativas dos aeroportos; bem como banheiros, estacionamento e área de espera dos transportes públicos; além de conteúdos site, redes sociais e demais meios aplicáveis à Rede Infraero para prevenir e combater o Covid-19;

– Monitoramento frequente da disponibilidade de álcool em gel, sabonete líquido e papel toalha em todos os seus aeroportos, além de reforçar a limpeza e desinfecção de toda a área de movimentação de passageiros, pontes de embarque, ônibus de embarque e desembarque e demais espaços de uso comum;

– Distanciamento de pelo menos dois metros entre pessoas no aeroporto – com sinalização por meio de adesivos de mesa, piso e assentos, especialmente em locais como check-in, canais de inspeção, portões e pontes de embarque, esteiras de bagagem, áreas de alimentação, entre outros locais com fluxo de passageiros;

– Orientação de evitar aglomerações em lojas, restaurantes e lanchonetes;

– Organização, junto com as empresas aéreas, de maior espaçamento entre os passageiros nos embarque e desembarques de passageiros, seja em fingers ou procedimento remoto (ônibus ou a pé).

Remarcação ou cancelamento de voos

Para informações sobre remarcações e cancelamentos de voos, a orientação é que o passageiro faça contato direto com as empresas aéreas, que passaram a adotar uma nova malha aérea, divulgada pela Agência Nacional de Aviação Civil no final de março. Em caso de dúvida sobre os principais Direitos e Deveres dos passageiros, consulte o Guia do Passageiro. As companhias aéreas é que estabelecem o fluxo de cancelamentos e alterações na malha, não cabendo à Infraero essa gestão.


Abaixo seguem as principais companhias que operam na Rede Infraero:
Latam
Gol
Azul
Map
Voepass
American Airlines
Aerolíneas Argentinas
Lan Chile
Tap

Outras orientações sobre o transporte aéreo também estão disponíveis no site da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Trabalho integrado

A Infraero é uma das integrantes do sistema de aviação civil brasileiro. A empresa opera 48 aeroportos em todo o País. É nesse sistema que ocorre o trabalho integrado dos seguintes órgãos públicos que atuam no sistema:

1- Agência Nacional de Aviação Civil (Anac): agência reguladora vinculada ao Ministério da Infraestrutura. Cabe a ela regular e fiscalizar as atividades da aviação civil e a infraestrutura aeronáutica e aeroportuária no Brasil, observadas as orientações, políticas e diretrizes do Governo Federal.

2- Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa): responsável pela proteção da saúde da população, por intermédio do controle sanitário da produção e consumo de produtos e serviços submetidos à vigilância sanitária, inclusive dos ambientes, dos processos, dos insumos e das tecnologias a eles relacionados, bem como o controle de aeroportos, fronteiras e recintos alfandegados.

3- Departamento de Polícia Federal (DPF): órgão tem entre as suas funções as atividades de polícia aeroportuária e de fronteiras, por meio do controle de imigração e segurança em áreas restritas de aeroportos.

4- Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea): vinculado ao Comando da Aeronáutica, é o responsável pelo Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro, além de planejar, gerenciar e controlar as atividades relacionadas ao monitoramento do espaço aéreo, à proteção ao voo, ao serviço de busca e salvamento e às telecomunicações do Comando da Aeronáutica.

5- Receita Federal (RFB): realiza a fiscalização aduaneira nos aeroportos para prevenir e combater a sonegação fiscal, contrabando, pirataria, fraude comercial, tráfico de drogas e de animais em extinção, além de outros atos ilícitos no campo do comércio internacional. Também auxilia na elaboração da política tributária brasileira.

6- Vigilância Agropecuária (Vigiagro): sistema vinculado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento que realiza o controle e fiscalização agropecuária de animais, vegetais, insumos, inclusive alimentos para animais; produtos de origem animal e vegetal, entre outros, que estejam em trânsito internacional pelo Brasil.

Fotos: Infraero

Palmas, Saúde,

Confirmado nono caso de Covid-19 em Palmas, no Sudoeste do Paraná. Coronel Domingos Soares tem 88

O município de Palmas, no Sudoeste do Paraná, tem o nono caso confirmado do novo Coronavírus, agente da infecção denominada Covid-19.

O nono caso, de acordo com a enfermeira Marilia Forest, é de uma mulher com pouco mais de 50 anos. “Ela apresenta comorbidade, é hipertensa, mas está bem em isolamento domiciliar”, disse.

“A coleta de exame ocorreu devido a mesma manter contato com um dos casos confirmados e apresentava sintomas”, completou a enfermeira, em entrevista para a TV A Folha.

Em Coronel Domingos Soares, município vizinho de Palmas, foram confirmados 88 casos do novo Coronavírus.

Deste total, 11 já estão recuperados e não apresentam sintomas, enquanto 43 estão em análise.

Destaques, Foz do Iguaçu, Geral, Palmas, Paraná, Política, Saúde, Últimas Notícias,

Foz do Iguaçu recebeu mais 13 solicitações para atender pacientes com Covid de Cascavel

O Hospital Municipal de Foz do Iguaçu está com cinco pacientes com Covid-19 ou suspeita de outras regionais de saúde.

São quatro internamentos na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de pacientes que foram encaminhados pela 10ª Regional de Saúde, ou seja, que vieram de Cascavel, informa a Rádio Cultura.

Toledo, que responde pela 20ª Regional de Saúde também encaminhou um paciente para Foz do Iguaçu.

Além disso, Cascavel já enviou solicitação para Foz do Iguaçu pedindo vagas para mais 13 pacientes.

A informação foi confirmada pela assessoria de comunicação do Hospital. O Hospital Municipal disponibiliza 20 leitos de UTI exclusivos para Covid-19.

No boletim epidemiológico emitido no domingo, 07, Foz contava com apenas um leito ocupado. Os novos pacientes chegaram após a emissão do boletim.

Foz do Iguaçu, que responde pela 9ª Regional de Saúde, no acordo com o estado do Paraná, deve receber pacientes da Macrorregião Oeste, que inclui também o sudoeste.

As cidades de referências na macrorregião são Foz do Iguaçu (9ª Regional), Cascavel (10ª Regional), Toledo e Assis Chateubriand (20ª Regional), Pato Branco e Palmas (7ª Regional) e Francisco Beltrão (8ª Regional). Ao todo, são oferecidos 71 leitos de UTI.

Por: Rádio Cultura

Destaques, Geral, Palmas, Paraná, Saúde, Últimas Notícias,

Covid-19 avança no Paraná com mais 533 casos e 13 mortes

É o maior número de ocorrências divulgado em um único informe da Secretaria da Saúde. Estado tem agora um total de 6.347 casos e 227 óbitos.

A Secretaria da Saúde divulgou nesta sexta-feira (5) o boletim epidemiológico com o maior número de casos e de mortes pela Covid-19, desde o início da pandemia. O informe traz 533 novas confirmações da doença e 13 óbitos.

O boletim mostra que chega a 6.347 o número acumulado de pessoas infectadas e que 227 morreram em decorrência da doença. Há registro da Covid-19 em 273 municípios do Estado, e em 81 ocorreu ao menos um óbito.

O secretário da Saúde, Beto Preto, reforça a necessidade de manter o distanciamento social. “Os números do Paraná crescem rapidamente. E pelo que estudamos das projeções, tendo em vista o que já ocorreu em outros locais, vamos ter aumento de casos”, alerta o secretário.

“Nos preocupa muito as pessoas nas ruas, porque um organismo pode reagir bem à doença, mas outro não. E se muitos precisarem de internamento em UTI, sabemos que não haverá para todos ”, enfatiza.

Óbitos

Todas as 13 pessoas que foram a óbito estavam internadas. As mortes ocorreram entre 1º e 5 de junho. Foram sete mulheres e seis homens, com idades que variam entre 34 e 90 anos.

No dia 1º de junho ocorreram dois óbitos. Uma mulher, 45 anos, Campina Grande do Sul, e um homem, 74 anos, de Piraquara. Na terça-feira (2) faleceu uma mulher de 70  moradora de Cambé. Na quarta-feira (3), seis pessoas morreram. Três mulheres: residente de Cornélio Procópio, 90 anos; moradora de Curitiba, 50 anos; e moradora de Toledo, de 34 anos. Um dos homens residia em Bela Vista do Paraíso, tinha 66 anos; outro morava em Cascavel, 73 anos; e outro de Ibiporã, que morreu aos 71 anos.

Na quinta-feira (4), mais três óbitos, de duas mulheres e um homem. Uma residia em Curitiba e tinha 85 anos e a outra morava em Londrina e tinha 89 anos. O homem era morador de Rolândia e tinha 78 anos. Nesta sexta-feira (5) um morador de Maringá foi a óbito, o homem tinha 74 anos.

Internados

Nesta sexta-feira, estão internados 314 pacientes com o diagnóstico confirmado para Covid-19. Do total, 230 estão em leitos SUS (85 em UTI e 145 em leitos enfermaria) e 84 em leitos da rede hospitalar privada (33 em UTI e 51 em leitos enfermaria).

Leitos SUS

O Paraná tem 1.947 leitos exclusivos Covid-19, que atende pacientes com suspeita ou com diagnóstico já confirmado da doença. A taxa média de ocupação dos leitos está em 34%.

São 658 leitos de UTI adulto, dos quais 304 ocupados (46%) e 1.182 enfermaria, sendo 354 ocupados (30%). Dos leitos pediátricos são 37 de UTI, dos quais nove ocupados (24%) e 70 de enfermaria, com três ocupados (4%).

A quantidade pode variar porque além dos leitos em unidades próprias do Estado, a Secretaria da Saúde contrata diretamente leitos em unidades hospitalares filantrópicas e privadas para atendimento a pacientes Covid-19, quando necessário.

Municípios

Atualmente, são 273 cidades paranaenses que têm ao menos um caso confirmado pela Covid-19. Em 81 municípios há registro de óbitos pela doença.

Quantidade de casos novos e municípios:
86 casos confirmados – Curitiba
71 casos confirmados – Cascavel
49 casos confirmados – Londrina
22 casos confirmados – Toledo
21 casos confirmados – Cornélio Procópio
18 casos confirmados – Pinhais
17 casos confirmados – Piraquara
13 casos confirmados – Maringá
12 casos confirmados – Cianorte e Ponta Grossa
10 casos confirmados – Colombo e Campina Grande do Sul
9 casos confirmados – São José dos Pinhais
6 casos confirmados – Foz do Jordão; Fazenda Rio Grande; Nova Fátima
5 casos confirmados – Araucária; Santa Mariana; Quatro Barras; Campo Largo; Santa Terezinha de Itaipu; Cruzeiro do Oeste; Uraí; Abatiá
4 casos confirmados – Ribeirão do Pinhal; Rolândia; São Tomé; Terra Boa; Almirante Tamandaré; Indianópolis
3 casos confirmados – Bituruna; Tuneiras do Oeste; Tijucas do Sul; Campo Bonito; Mandirituba; Andirá; Cambé; Assis Chateaubriand; Apucarana; Santa Amélia; Santa Cecília do Pavão; Japurá
2 casos confirmados – Santo Antônio da Platina; Francisco Beltrão; Pitanga; Araruna; Guarapuava; Salgado Filho; Diamante do Sul; Morretes; Siqueira Campos; Agudos do Sul; Terra Rica; Palotina; Imbaú; Joaquim Távora
1 caso confirmado – Tibagi; Marialva; Santa Inês; Campina da Lagoa; Matinhos; Pinhão; Três Barras do Paraná; Piraí do Sul; Alvorada do Sul; Ibaiti; Sapopema; Coronel Domingos Soares; Braganey; Planalto; Palmas; Antônio Olinto; Bela Vista do Paraíso; Porto Barreiro; Enéas Marques; Irati; Quitandinha; Céu Azul; Rancho Alegre; Sertaneja; Reserva; Telêmaco Borba; Itaúna do Sul; Assaí; Japirá; Paiçandu; Cruzmaltina; Tomazina; Salto do Itararé; Congonhinhas; Bandeirantes; Leópolis; Lindoeste.

Curitiba, Geral, Palmas, Paraná, Política, Últimas Notícias,

No Paraná, já são 288 cidades em estado de calamidade pública

A Assembleia Legislativa reconheceu nesta quarta-feira (3) o estado de calamidade pública em mais 15 cidades paranaenses devido à pandemia da covid-19, e com isso já são 288 municípios nessa situação em razão dos efeitos econômicos causados pelo coronavírus. O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), que presidiu a sessão desta quarta-feira (3), reafirmou que o estado de calamidade pública se caracteriza por “situação anormal”, provocada por desastres, causando danos e prejuízos que impliquem o comprometimento substancial da capacidade de resposta do poder público do ente atingido. O reconhecimento do legislativo serve para dispensa do cumprimento de metas fiscais previstas na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Na sessão de quarta-feira, o legislativo reconheceu a calamidade pública em Fernandes Pinheiro, Iporã, Jaguariaíva, Mirador, Nova Aurora, Ortigueira, Quatro Barras, Santa Izabel do Oeste, São Manoel do Paraná, Sengés, Vera Cruz do Oeste, Tibagi, Diamante D’Oeste, Palmas e Tuneiras do Oeste. Após aprovação em dois turnos, o decreto legislativo teve a dispensa de votação em redação final e será promulgado pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ademar Traiano (PSDB).

“Por conta da pandemia, em todos os 399 municípios do Paraná há a ocorrência de situação fora do comum que exige respostas imediatas do poder público e que comprometem a previsão orçamentária”, explica Romanelli. Das 399 cidades paranaenses, 288 estão em estado de calamidade pública, o que representa 72,1% dos municípios passando por dificuldades por conta da pandemia. 

Condições

“Mais uma vez a Assembleia oferece as condições para os municípios cumprirem as metas fiscais em função dessa pandemia. Há a necessidade de fazer mudança orçamentária, disponibilizar mais recursos para as áreas que são mais importantes, como a saúde e a social, e a calamidade pública dá essa condição legal”, disse Traiano. “A calamidade é exclusivamente para os fins fiscais. É uma compensação financeira por conta da queda da receita que estados e municípios estão tendo”, completou Romanelli.

O reconhecimento do estado de calamidade pública de um município pela Assembleia Legislativa cumpre o que prevê a lei complementar federal 101 – a lei de responsabilidade fiscal. De acordo com os incisos I e II do artigo 65, ficam suspensas as restrições decorrentes de eventual descumprimento aos limites de despesa com pessoal e de dívida consolidada. Da mesma forma, é dispensado o cumprimento de resultados fiscais e a limitação de empenho.

Para que um município tenha reconhecido o decreto de calamidade pública é preciso fazer a solicitação formal ao Poder Legislativo, com justificativa, e comprovar a publicação em Diário Oficial do decreto municipal. A Assembleia Legislativa tem orientado prefeitos e suas equipes, que receberam um manual com informações sobre todos os procedimentos necessários.

Geral, Palmas, Paraná, Saúde,

215 pessoas morreram em decorrência da Covid-19 no Paraná

Nesta quinta-feira foram divulgados mais dez óbitos, o maior número registrado em um único informe epidemiológico, desde o início da pandemia, há 81 dias. Estado tem 327 novos casos e total é agora de 5.820 diagnósticos.

O informe epidemiológico emitido pela  Secretaria da Saúde do Paraná nesta quinta-feira (4) registra 327 novos casos confirmados da Covid-19 e dez óbitos. É o  maior número de mortes registrado em um único boletim, desde as primeiras ocorrências no Estado, em 23 de março.  Em 81 dias, 215 pessoas morreram por causa da doença no Paraná. Chega a 5.820 o total de diagnósticos positivos.

As 215 pessoas que perderam a vida pela Covid-19 tinham entre cinco e 95 anos. A média de idade é de 67,2 anos. A maioria dos casos que evoluiu para óbito é de homens, com 141 ocorrências, representando 66% do total.

O secretário da Saúde, Beto Preto, ressalta a importância do cuidado no período da pandemia. “Temos visto dia após dia os números aumentarem, tanto de casos como de pessoas perdendo a vida pela doença. É preciso que as pessoas se cuidem e cuidem dos seus, para não perder ninguém e para ficar saudável. Precisamos nos unir em atitudes conscientes para evitar colapso nos nossos hospitais”, afirma o secretário.

Óbitos

Os dez novo óbitos ocorreram entre o dia 1º e 3 de junho. São seis mulheres e quatro homens, com idades que variam entre 37 e 84 anos.

Uma mulher de 89 anos, que residia em Pinhais, faleceu dia 1º de junho. Duas mulheres, uma de 59 anos, de Cascavel, e outra de 65 anos, de Santa Tereza do Oeste,  e um homem de 59 anos, de Céu Azul, faleceram na terça-feira (2).

Seis pessoas morreram na quarta-feira (3). Três mulheres: moradora de Londrina, de 84 anos; de Piraquara, de 58 anos; e de Assis Chateaubriand, de 79 anos. Entre os três homens que faleceram quarta-feira, registra-se um de Guaporema, de 37 anos; um de Piraquara, de 64 anos; e um de Arapongas, que tinha 54 anos.

Internados

Estão internados nesta quinta-feira, em todo o Paraná, 317 pacientes com o diagnóstico confirmado para Covid-19. Destes, 232 estão em leitos SUS (85 em UTI e 147 em leitos enfermaria) e 84 em leitos da rede hospitalar privada (33 em UTI e 51 em leitos enfermaria).

Leitos SUS Covid

O Estado tem 658 leitos de UTI adulto, sendo que 266 estão ocupados; 1.182 leitos de enfermarias adulto, com 360 ocupados; 37 leitos UTI pediátrico, com 9 ocupados; 70 leitos de enfermaria pediátrico com 9 estão ocupados.

 A média de ocupação dos leitos SUS exclusivos Covid-19 é de 33% nesta quinta-feira. A quantidade de leitos pode variar, porque além dos leitos em unidades próprias do Estado, a Secretaria da Saúde contrata diretamente leitos em unidades hospitalares filantrópicas e privadas para atendimento a pacientes Covid-19 quando necessário.

Municípios

São 264 cidades paranaenses com ao menos um caso confirmado pela Covid-19. Em 79 municípios há registro de óbitos pela doença.

Quantidade de casos novos e municípios:

1 caso confirmado – Anahy, Antonina, Arapoti, Campina Grande do Sul, Campo do Tenente, Campo Mourão, Cantagalo, Carambeí, Catanduvas, Congonhinhas, Guapirama, Imbaú, Indianópolis, Irati, Iretama, Itapejara D’Oeste, Jardim Alegre, Jesuítas, Lindoeste, Manfrinópolis, Nova Fátima, Palmas, Paraíso do Norte, Planalto, Quatro Barras, Rolândia, São Tomé, Terra Rica, Tijucas do Sul, Tomazina, Três Barras do Paraná, Tupãssi. 
2 casos confirmados – Almirante Tamandaré, Araucária, Clevelândia, Corbélia, Douradina, Pato Branco.

3 casos confirmados – Assis Chateaubriand, Colombo, Fazenda Rio Grande, Guarapuava, Ibiporã, Laranjeiras do Sul, Ponta Grossa, Reserva do Iguaçu, Rondon, Santa Terezinha de Itaipu.
4 casos confirmados – Cambé, Carlópolis, Foz do Iguaçu, Pinhais, São José dos Pinhais.
5 casos confirmados – Tuneiras do Oeste.
7 casos confirmados – Paranaguá.
9 casos confirmados – Maringá.
10 casos confirmados – Cianorte, Francisco Beltrão, Tapejara, Toledo.
11 casos confirmados – Piraquara.
14 casos confirmados – Cornélio Procópio.
30 casos confirmados – Londrina.
34 casos confirmados – Cascavel.
38 casos confirmados – Coronel Domingos Soares.
45 casos confirmados – Curitiba.

Destaques, Palmas, Paraná, Saúde,

Casos de Covid-19 crescem 162% em uma semana na Macrorregião Oeste

De acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde, os casos de infecção por coronavírus na região passaram de 161 para 422. Governo do Estado reforça o alerta para a manutenção do isolamento social e de ações de prevenção.

A Macrorregião Oeste do Paraná acendeu a luz vermelha em relação à contaminação de coronavírus. O aumento do número de casos foi de 162% em uma semana, passando de 161 para 422 confirmações. Os números referem-se às semanas 21 (de 17/5 a 23/5) e 22 (24/5 a 30/5) da pandemia, de acordo com monitoramento da Secretaria de Estado da Saúde. É o maior salto verificado no Paraná, segundo o boletim epidemiológico.

Como comparação, a Macrorregião Leste, representada por Curitiba, Paranaguá, Ponta Grossa e Guarapuava, entre outras, teve um acréscimo de 48% no mesmo período, indo de 364 para 540 casos. Na Noroeste (Maringá, Umuarama, Paranavaí e outras.) foi de 62%, de 120 para 194. E na Norte (Londrina, Bandeirantes, Cornélio Procópio e outras) de 35%, variando de 234 confirmações para 317.

A área Oeste paranaense é compreendida por cidades como Cascavel, Francisco Beltrão, Foz do Iguaçu, Pato Branco, Toledo, Assis Chateaubriand, Matelândia, Chopinzinho, Mangueirinha, Coronel Vivida, Palmas, Palotina, Santa Isabel do Oeste, Dois Vizinhos e Pranchita, entre outros municípios.

A evolução na circulação do vírus reforça o pedido do governador Carlos Massa Ratinho Junior para que a população respeite o isolamento social, mantendo também ações preventivas como evitar aglomerações e usar máscara e álcool em gel.

“Não sabemos como essa curva vai funcionar. Hoje há certo controle, mas amanhã tudo pode mudar. Por isso pensamos em planos A, B e C para o enfrentamento dessa pandemia”, afirmou. “Costumo dizer que não trabalho com ideologia, mas sim com metodologia. Como não existe uma vacina ou remédio contra o vírus, precisamos seguir apostando na prevenção”, acrescentou Ratinho Junior.

Cascavel

O aumento do número de casos na Macrorregião Oeste foi puxado especialmente por Cascavel. De acordo com o boletim divulgado na quarta-feira (03) pela secretaria estadual da Saúde, a cidade tem 586 casos confirmados da doença e oito óbitos.

É o segundo município paranaense com maior incidência da Covid-19, atrás apenas de Curitiba, com 1.099 confirmações.

Na quinta-feira da semana passada (28), por exemplo, Cascavel apresentava 365 casos. O crescimento no município foi de aproximadamente 60% em sete dias. “Os casos estão aumentando. Mais pessoas estão precisando de terapia intensiva e de cuidados hospitalares e a preocupação é que temos mais gente nas ruas”, alertou o secretário da Saúde, Beto Preto.

Alguns municípios da região anteciparam a flexibilização das medidas de contenção e isolamento social. O comércio do município retomou as atividades de forma praticamente normal ainda no fim de abril. “Não há como segurar a doença com pessoas infectadas circulando. Costumo dizer e repito: somente deixe a sua residência se for por algo muito necessário”, ressaltou o secretário.

Leitos

O maior número de contaminados se refletiu também na taxa de ocupação de leitos na Microrregião Oeste. Em enfermarias clínicas para pessoas adultas passou de 24% para 37% em uma semana. As unidades de terapia intensiva (UTIs), também adultas, foram de 31% para 42%. A área conta atualmente com 73 leitos de UTI e 137 de enfermaria à disposição da população.

Nas outras macrorregiões do Estado os índices variaram menos. Na Leste a ocupação de UTIs saiu de 47% para 51% e de enfermarias de 25% para 34% no mesmo intervalo de tempo.

Na Noroeste caiu de 29% para 28% em UTIs e subiu de 8% para 16% em enfermarias. Já a Norte viu diminuir a taxa de UTIs com o acréscimo de novos leitos, passando de 57% para 47%, e também de enfermarias, variando de 39% para 36%.