Browsing Category

Saúde

Geral, Política, Saúde,

Vereadores destinam R$ 2 milhões em emendas impositivas para o Hospital Municipal

O dinheiro será utilizado para a modernização do centro cirúrgico

Os vereadores de Foz do Iguaçu se uniram para ajudar a saúde da população por meio das emendas impositivas ao orçamento de 2020. Juntos, eles decidiram reforçar em mais de R$ 2 milhões os valores destinados ao Hospital Municipal. Esses recursos de emendas impositivas obrigatoriamente, por lei, o prefeito terá que realizar. A verba vai para aquisição de equipamentos tanto para exames como endoscopia e colonoscopia como também para aumentar a quantidade de cirurgias para quem está esperando.

Cada vereador está destinando um valor perfazendo um total de 2 milhões e 30 mil reais. As maiores destinações foram dos vereadores Beni Rodrigues (PSB) e Nanci Rafagnin Andreola (PDT), que irão repassar R$ 350 mil cada um. “Isso demonstra que a Câmara Municipal está sempre em favor da população de Foz do Iguaçu. Estou muito feliz por reunir meus companheiros vereadores e nos unirmos todos pela causa da saúde. Só da minha parte são R$ 350 mil pois sei que o investimento na saúde é fundamental, salva vidas. Parabéns a todos os vereadores por mais essa atitude e união em favor do povo”, disse o presidente Beni.

A vereadora Nanci ressaltou que seu objetivo é atingir a grande massa da cidade, que necessita do hospital para tratamentos de saúde e internações. “Nós temos que pensar na população de modo geral. Foi feita uma divisão justa. Todos os vereadores estão de parabéns, por terem entendido essa necessidade e a importância de reforçar o orçamento do Hospital pensando no atendimento da população”, afirmou Nanci.

Leia mais no site da Câmara de Foz

Saúde,

Hospital Municipal faz cirurgia inédita de reconstrução mandibular

A equipe de profissionais do Hospital Municipal Padre Germano Lauck (HMPGL), liderada pelo cirurgião buco-maxilo-facial e mestre em princípios cirúrgicos, Dr. Marcus Vinicius Wanka, realizou na segunda quinzena de outubro, a primeira cirurgia de Reconstrução Mandibular Total com prótese customizada em titânio.

O procedimento, que durou mais de 3 horas, e demandou antes de tudo, conhecimento científico e grande habilidade dos profissionais, tratou-se de uma reconstrução de mandíbula, envolvendo disfunção temporomandibular (ATM) do lado direito e ramo da mandíbula do lado esquerdo.

O paciente, vítima de projetil por arma de fogo há 15 anos, no ano de 2011 foi submetido a uma cirurgia de osteossíntese dos fragmentos mandibulares, evoluindo com reabsorção óssea, mobilidade e exposição da placa.

Segundo o cirurgião Marcus Wanka, o paciente sofreu e conviveu durante esse tempo com essa situação à procura de recursos e do tratamento adequado. “O procedimento só foi possível, pois houve a mobilização de diversos atores dentro do hospital para aquisição do material e viabilização do procedimento de alta complexidade com apoio da direção”, destaca o cirurgião.

Wanka explica que, a partir de imagens de tomografia computadorizada, foram feitas reconstruções tridimensionais da mandíbula do paciente utilizando para isso softwares de última geração e uma impressora 3D. 

“Frente à análise de pontos craniométricos pré-estabelecidos, as informações foram transferidas para uma impressora 3D, imprimindo assim a mandíbula e a articulação têmporo-mandibular em titânio, com adaptação perfeita ao crânio e ao tecido muscular do paciente”, explanou.

Estudos comprovam que a resistência do titânio vai muito além de outros materiais, pois se trata de um material leve, resistente à corrosão dentro do corpo humano, possibilitando uma mobilidade normal, devolvendo ao paciente a função mastigativa, de fonação e articulação dos sons.

O diretor-presidente do Hospital Municipal, Sergio Fabriz, comemorou o sucesso dessa cirurgia de alta complexidade. “Parabenizo o empenho da equipe não só pelo êxito do procedimento, mas por ter devolvido a esse paciente, depois de longos anos, o convívio social e qualidade de vida”, enalteceu o diretor.

Para o diretor técnico do HMPGL, Fabio Marques, “a realização com sucesso desse procedimento de alta complexidade evidencia a capacidade técnica da equipe de cirurgiões do hospital e a vocação natural do Hospital Municipal em se tornar um grande centro de referência na região oeste do Paraná para tratamento a vítimas de trauma”.

Saúde,

Idoso de 78 anos é preso com condenação por estupro

O Grupo de Diligências Especiais (GDE), da Polícia Civil em Foz do Iguaçu, prendeu na quarta-feira (30) um homem de 78 anos, foragido da Justiça com uma condenação pelo crime de estupro. Os policiais encontraram o idoso em uma casa do Jardim Itamaraty.

O crime aconteceu em 2008, na cidade de Medianeira. O idoso foi condenado a 42 anos 7 meses 15 dias de prisão. Os detalhes do caso estão em segredo de justiça.

Política, Saúde,

Vereadores de Foz destinam reforço de quase R$ 20 milhões para a saúde

A saúde tem o maior orçamento entre todas as pastas da administração municipal de Foz do Iguaçu. Para esse ano, o valor é de R$ 296,6 milhões. Por meio das emendas impositivas os vereadores, nos quase três anos da atual legislatura, reforçaram o orçamento do setor em R$ 19,6 milhões. Essa é uma das muitas ações concretas da Câmara no processo de reconstrução após o desmantelamento do sistema de saúde na gestão anterior. Os serviços e obras incluídas pelos vereadores são de execução obrigatória pelo prefeito.

A atual legislatura começou em 2017 com o orçamento da saúde já aprovado pela anterior no valor de R$ 213,7 milhões. Para o orçamento do ano seguinte (2018) os vereadores aprovaram o valor de R$ 266,7 milhões incluindo o reforço de R$ 5,2 milhões em emendas impositivas. Para esse ano o reforço em emendas impositivas é de R$ 6,4 milhões e a estimativa para 2020 é de aproximadamente R$ 8 milhões a mais.

Na execução orçamentária desse ano, o valor de R$ 296,6 milhões foi suplementado em R$ 27 milhões podendo chegar ao final do ano com valor acima dos R$ 323 milhões de investimentos na saúde do Município. Até o momento já foram empenhados valores de R$ 258,7 milhões.

Emendas para equipamentos, obras e serviços

O reforço orçamentário assegurado pelos vereadores nesta legislatura atende melhorias como aquisição de equipamentos, obras e serviços de saúde. No orçamento de 2018, por exemplo, os vereadores incluíram verbas para aquisição de equipamentos, serviços, obras, manutenção e elaboração de projetos. Foram 42 emendas, incluindo repasses de recursos para várias entidades assistenciais que atuam na área da saúde auxiliando o serviço público. Veja a relação completa das emendas aqui: https://bit.ly/32XBF3i

Já no orçamento do ano passado os vereadores fizeram constar reservas orçamentárias para aquisição de equipamentos e material permanente em unidades de saúde como da Vila Carimã, Profilurb, Vila Adriana, São João, Sol de Maio, Portal da Foz (incluindo reformas), Morumbi (todas), Vila Yolanda, Três Lagoas, Jardim América (incluindo reforma e manutenção), reforma e manutenção da UBS do Campos do Iguaçu, Jardim São Paulo, Vila C, Três Bandeiras, Profilurb II, além de manutenção e gestão da rede primária de saúde, aquisição de medicamentos para distribuição nas unidades da rede de saúde, aquisição de equipamentos para instalação de alarmes e construção da Unidade Básica de Saúde no bairro Ouro Verde.

No orçamento de 2019 foram mais 30 emendas impositivas, dentre elas a de R$ 1,65 milhão para aquisição de 15 kits de equipamentos para a Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital Municipal Padre Germano Lauck; aquisição de veículo para atender exclusivamente à equipe que trabalha no setor de combate e prevenção da Tuberculose; material permanente para as unidades básicas de saúde, Van para implantação do Programa Consultório de Rua, aquisição de medicamentos para distribuição nas unidades da rede de saúde, reforma da e ampliação da unidade básica de saúde do Morumbi II, reforma no Centro de Especialidades Odontológicas e no laboratório de próteses da atenção básica; construção de Unidade Básica de Saúde no bairro Profilurb I; e reformas em diversas unidades.

Atual legislatura vem agilizando projetos para prefeitura melhorar a saúde

Os vereadores de Foz do Iguaçu vêm agilizando todos os projetos e no que depender do Legislativo criam as condições para a prefeitura melhorar o atendimento na saúde pública. “Essa legislatura prioriza todos os projetos e ações pela saúde pública, que é onde a população mais precisa e sofre com os problemas crônicos que vinham se arrastando. Temos avanços, mas ainda é preciso melhorar em vários pontos”, afirmou o presidente da Câmara, Beni Rodrigues (PSB).

No setor de saúde a iniciativa do Executivo, com apoio unânime dos vereadores, possibilitou, por exemplo, ampliação da prestação de serviços expansão dos horários de funcionamento das farmácias públicas e unidades de saúde. Em projetos aprovados, os vereadores autorizaram contratações na área de saúde, reforçando o quadro em mais de 200 novos profissionais.

O fortalecimento da atenção básica ampliou a cobertura de 41% para 56% e no programa de estratégia da saúde da família de 64% para 78%. Na opinião dos vereadores, as medidas nessa área são fundamentais para o resgate da confiança da população no setor que é a porta de entrada do SUS. O desafio é resolver na base, casos que atualmente impactam no serviço de urgência e emergência. Os levantamentos ainda mostram que 70% dos casos que chegam nas UPAs poderiam ser atendidos e resolvidos nas unidades básicas.

Saúde,

Hospital Costa Cavalcanti: 40 anos de bons serviços prestados

A gravidez de Kamila Schmanski, 29 anos, vinha transcorrendo normalmente, conforme indicavam os exames pré-natal que fazia todos os meses, em um posto de saúde de Foz do Iguaçu. Porém, no último dia 9 de outubro, logo cedo, levou um susto. Ainda em casa, antes de ir para o trabalho, notou um sangramento.

Com o marido, Valter Ambrósio Ferreira, 37 anos, foi às pressas para o Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), onde constataram uma infecção. A recomendação médica foi de repouso e alguns medicamentos, mas mal saiu do hospital e teve outro susto, algo inesperado para uma gravidez que entrava na 25ª semana: a bolsa se rompeu e ela entrou em trabalho de parto.
A equipe médica do HMCC imediatamente entrou em cena e deu todo apoio para que Kamila desse à luz Bryan, seu primeiro filho, que nasceu de parto natural. Ela conta que, a princípio, o parto prematuro deixou os pais de “primeira viagem” bastante apreensivos. “Mas, desde  o primeiro momento, o atendimento foi excelente. Tomaram todos os cuidados”, contou Kamila.
Bryan é hoje um dos bebês prematuros sob os cuidados da equipe do HMCC. Eles se dividem entre a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal e a Unidade de Cuidado Intermediário (UCI) Neonatal, cada uma com 10 leitos. Há também outros quatro leitos da UCI Mamãe-canguru, para quando é necessário que as mães permaneçam junto com os recém-nascidos.
Ao todo, uma equipe de 30 técnicos de enfermagem, quatro enfermeiros, 13 médicos plantonistas, além de fisioterapeuta, fonoaudiólogo, nutricionista, farmacêutico, assistente social e psicólogo, se revezam nos cuidados com os bebês e suas famílias.
“Por ser uma paciente do SUS (Sistema Único de Saúde), achei excelente. Não esperava um atendimento como esse. Parece particular”, disse Kamila, que trabalha como operadora de caixa. “A gente vê que as enfermeiras têm um cuidado todo especial. Tratam como se fosse da família”, completou Valter, que também elogia o fato de os pais terem acesso 24 horas à UTI Neonatal. “Esse contato é muito importante para o bebê superar essa fase”.
São histórias como a de Bryan que fazem do HMCC um hospital de referência no atendimento a gestantes e recém-nascidos. Ao todo, são realizados 400 partos por mês. Com o título de “Hospital Amigo da Criança”, a unidade hospitalar que completou 40 anos no último mês de julho promove, ainda, cursos para gestantes, campanhas de aleitamento e mantém o Banco de Leite Humano de Foz do Iguaçu, que beneficia cerca de 300 bebês por mês.
Investimentos
Os serviços prestados pelo HMCC nessa área serão incrementados. Um dos focos da ampliação por que vai passar o hospital, com investimentos de R$ 64,7 milhões da Itaipu Binacional, é a construção de um novo Centro Materno-Infantil, em área anexa. O espaço atual da maternidade será destinado à criação de novos leitos. As obras vão permitir, ainda, uma reorganização completa das áreas de urgência e emergência.
Os investimentos já aprovados pela diretoria de Itaipu (instituição mantenedora do HMCC) no último mês de abril também preveem aumentar o número de leitos de 202 para 260; a área de 25 mil metros quadrados será incrementada em quase 50%, além da reforma de 8.500 metros quadrados da estrutura atual; e 200 profissionais devem ser contratados (hoje são 400 médicos e 1.100 colaboradores).
“A trajetória do Hospital Ministro Costa Cavalcanti demonstra que foram 40 anos de evolução constante. E, na visão da Itaipu, essa evolução deve continuar”, afirmou o diretor-geral brasileiro de Itaipu Binacional, general Joaquim Silva e Luna.

Diferencial
Os investimentos também deverão permitir que o HMCC, primeiro hospital do interior do Paraná a receber a certificação de qualidade de serviços de saúde da Organização Nacional de Acreditação (ONA), siga como uma referência em diversas áreas, como o tratamento a pacientes de câncer do Centro de Oncologia HMCC.

Para Micheli Paula Pereira, 33 anos, que teve câncer de mama, o principal diferencial do hospital está na equipe de profissionais. “Quando começa o tratamento de câncer, a gente praticamente tem que morar no hospital. Quem faz radioterapia, por exemplo, vai quase que diariamente. E não é fácil. Por isso, os funcionários fazem toda a diferença. A gente acaba conhecendo cada um deles e vira uma família”, disse ela, que foi uma das cerca de 10 mil pessoas atendidas pela oncologia do HMCC nos últimos 10 anos (hoje, são aproximadamente 1.300 em tratamento).

A primeira ida ao hospital despertou o desejo de contribuir como voluntária do Café Onco Foz. Passadas as 16 seções de quimioterapia (encerradas em setembro de 2018) e o tratamento com medicação intravenosa (até junho deste ano), Micheli segue atuando em diversas iniciativas, como o Baile Rosa, que no último dia 25 de outubro arrecadou doações para a compra de cadeiras para os acompanhantes dos pacientes de câncer pelo SUS.

“A gente sempre pensa em quem está fazendo o tratamento, o que pode fazer a mais por essa pessoa”, afirmou. “Quando os pacientes veem alguém que já passou pelo tratamento e está bem, isso dá uma motivação a mais”, completou.

Depois dos passeios, o susto
Não são apenas moradores de Foz do Iguaçu que se beneficiam dos serviços prestados pelo HMCC. O casal de aposentados Marta Maria de Lira Régis, 70 anos, e Ivo Fonseca Régis, 69, veio recentemente de Pernambuco para sua primeira visita à Terra das Cataratas. O que Marta não sabia é que viria, também, para sua primeira cirurgia.

O casal fazia parte de uma excursão. Após cumprir um roteiro completo pelos atrativos das Três Fronteiras, o grupo decidiu encerrar a viagem com uma confraternização em um shopping em Puerto Iguazú, na Argentina. Marta descia a escada rolante de costas, conversando animada com os companheiros de viagem. Distraída, não viu o fim da escada. Uma amiga chegou a dar o alerta, mas não foi o suficiente. Girou o corpo para sair da esteira, mas acabou tropeçando e caindo, o que resultou em uma fratura no fêmur da perna direita.

“O médico disse que tive sorte porque a fratura foi no meio do osso, o que é mais fácil de tratar. Se fosse perto da articulação com o quadril, poderia complicar”, conta Marta. “Mas, graças a Deus, já tinha aproveitado todo o passeio e agora aproveitei também a hospitalidade deste hospital”, afirmou, encarando com bom humor a extensão de mais uma semana na Terra das Cataratas para se recuperar da cirurgia de implantação de uma haste no fêmur.

O marido conta que os primeiros momentos após o acidente foram tensos. “Na Argentina, estávamos no auge da nossa alegria, depois de todos aqueles passeios maravilhosos, e daí aconteceu o acidente. Longe de casa, sem conhecer ninguém. Na hora, ficamos com muito medo. Mas, já na ambulância, nos disseram para ficarmos tranquilos que estávamos indo para o melhor hospital da região”, contou Ivo.

Segundo ele, as coisas começaram a melhorar assim que chegaram ao hospital, pela tranquilidade e profissionalismo transmitidos pela equipe. “Fiquei espantado com o carinho desse pessoal. Afinal, não sou rico, não sou político”, brincou Ivo. “E não só a equipe médica, mas também o pessoal da limpeza, da cozinha. Enfim, fomos muito bem tratados”, completou.

Geral, Saúde,

Programação intensa marca reta final do “outubro rosa” na saúde

A campanha do “Outubro Rosa” chega à reta final com uma programação intensa na saúde. A última semana do mês de conscientização sobre o câncer de mama contará com várias atividades nas unidades básicas de saúde do Jardim São Roque, Cidade Nova, Campos do Iguaçu, Lagoa Dourada, Jardim São Paulo I e II e Profilurb I. No sábado, a UBS da Vila C Velha abre das 8h às 12h para mobilização da campanha. 

Em todas as outras unidades continua a ação de intensificação de exames preventivos e o acolhimento focado na saúde da mulher. Ao longo do mês milhares de mulheres participaram da programação em várias UBSs. Também aconteceram atividades nas UPAs, na Vigilância em Saúde e no CER IV. Todas as ações iniciam o dia com um café da manhã para as mulheres e prosseguem com rodas de conversa, orientações, e exames. 

Confira a programação

24 de outubro (quinta-feira)

– UBS Lagoa Dourada

Avaliação Odontológica

Palestra sobre Incontinência Urinária e Libido 

Violência Doméstica – Promotoras Legais (24 e 25/10 pela manhã)

– UBS São Roque 

Café da manhã e roda de conversa com a equipe do NASF – Núcleo Ampliado de Saúde da Família 

Coleta de preventivos e testes rápidos 

25 de outubro (sexta-feira)

– UBS Jd São Paulo I

Intensificação de preventivos, pedidos de mamografias e palestras o dia todo;

– UBS Campos do Iguaçu

A partir das 8h30:

Café da manhã 

Roda de conversa e palestras

Pedidos de mamografia

Sorteio de brindes

– UBS Jardim São Paulo II

15h: Palestra focada na saúde da trabalhadora e trabalhador.

Coleta de preventivos a semana toda, incluindo os professores do colégio Érico Veríssimo e CMEI.

26 de outubro (sábado)

– UBS Vila C Velha

Das 8h às 12 horas: 

Café da manhã

Palestras sobre saúde da mulher

Coleta de preventivos

30 de outubro (quarta-feira) 

– UBS KLP

Café da manhã e atividades educativas ao longo do dia.

31 de outubro (quinta-feira)

– UBS Cidade Nova

Café da manhã e atividades educativas para as mulheres do bairro. 

– UBS Profilurb I

Todas as quartas feiras do mês de outubro às 8 horas – roda de conversa sobre saúde da mulher e atividade com fisioterapeuta e equipe da unidade. 

Todas as sextas-feiras do mês de outubro – coleta de preventivo e solicitação mamografias.

Todas as quartas-feiras das 09h30min às 18h30min – Testes rápidos. 

Nas UBS do Jd Jupira, Curitibano e Porto Belo continuam as ações de intensificação de coleta de preventivos, agendamento de mamografias e testes rápidos. As unidades também promovem ações educativas de saúde bucal, prevenção às ISTs (infecções sexualmente transmissíveis).

Destaques, Saúde,

CER IV reúne mulheres para falar sobre câncer de mama

O Centro Especializado em Reabilitação Doutor José Carlos Azeredo (CER IV) promoveu na manhã desta quarta-feira (23) uma roda de conversa com pacientes e familiares para falar sobre promoção, prevenção e tratamento do câncer de mama. A atividade, em alusão ao “Outubro Rosa”, integrou mais de cinquenta pessoas, dentre elas, mulheres que superaram o câncer e hoje fazem parte do grupo de apoio “VemCER”.

A roda de conversa foi conduzida pela médica radiologista Jennifer Fronza e pela nutricionista Lucineia Schons. Na pauta, a importância do autocuidado e da alimentação saudável para prevenção do câncer de mama. Informações sobre a doença, o tratamento e os desafios para a superação do câncer também fizeram parte do encontro. A manhã foi marcada por bastante interação das pacientes. Enquanto umas extraíam dúvidas a cada informação, outras compartilhavam experiências sobre a trajetória de luta contra o câncer.

“Superou muito a nossa expectativa e as mulheres interagiram muito, mostrando o quanto é importante esses espaços para troca de experiência, informação e apoio entre as mulheres”, comentou a coordenadora do CER IV, Sheila Paião.

A servidora pública Hercília dos Santos era uma das participantes com uma história inspiradora de enfrentamento ao câncer. “Deus me deu três oportunidades e hoje eu estou bem, consigo lutar contra três tipos de câncer e fui muito bem acolhida pela família, no trabalho e aqui no CER IV, isso faz muita diferença na nossa vida”, expressou.

Desde agosto, Hercília integra o grupo “VemCER” destinado às mulheres mastectomizadas, que tiveram a remoção das mamas. O serviço é ofertado pelo CER IV e oferece atividades de fisioterapia, psicologia e apoio às mulheres. Atualmente o grupo conta com quinze pacientes.

A busca pelo conhecimento e pelo fortalecimento do apoio mútuo uniu as mulheres que frequentam os serviços do espaço. A professora aposentada Neide Pereira foi uma das que mais participou da roda de conversa. Ela possui deficiência visual e frequenta os serviços do espaço. “Foi um encontro muito bom que uniu as mulheres, trocamos informações e aprendemos muito. Acredito que o outubro rosa deve ser lembrado todo ano”, expressou.

Outubro Rosa

Todos os anos no Brasil cerca de 60 mil mulheres descobrem que são portadoras desta doença. Em Foz, 398 mulheres estão em tratamento contra o câncer no Hospital Ministro Costa Cavalcanti, sendo que destas, 86 descobriram a doença no ano passado. A faixa de maior incidência é entre mulheres de 45 a 49 anos.

A boa notícia é que, graças aos métodos modernos de tratamento, o câncer de mama pode ser curável, desde que diagnosticado no início. Ao longo do mês, a Secretaria de Saúde vem intensificando o acesso e sensibilizando a população para o autocuidado. A programação do Outubro Rosa está acontecendo nas unidades básicas de saúde, nas UPAs e nos serviços especializados com a realização de palestras e ampliação da oferta de exames preventivos.

Meio Ambiente, Saúde,

Foz do Iguaçu registra três casos de zika vírus

O boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde do Paraná (Sesa) confirmou os três primeiros casos de zika vírus no estado registrados desde agosto de 2019. As três pessoas são de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, onde também contraíram a doença, segundo o boletim. 

De acordo com a Sesa, os casos foram registrados em setembro. As três pessoas foram medicadas e passam bem.

Entre agosto de 2018 e julho deste ano, o estado tinha registrado cinco casos da doença, sendo uma das confirmações em Foz do Iguaçu.

A orientação da secretaria é para que a população elimine os criadouros do mosquito Aedes aegypti, formados em recipientes com água parada. Conforme a secretaria, na primavera os dias quentes e úmidos facilitam a proliferação do mosquito transmissor.

Sintomas do zika vírus
De acordo com a Sesa, na maioria dos casos a infecção por zika apresenta febre por um período de três a sete dias.

No caso das gestantes, a situação é mais grave, segundo a secretaria. Isso porque a doença pode ser transmitida para o feto. Se isso acontecer, o vírus pode desenvolver complicações neurológicas, como a microcefalia.

Se contaminado, o bebê pode ter lesões cerebrais irreversíveis e deformação dos ossos da cabeça, conforme a Sesa.

A dengue, a chikungunya e a zika são transmitidas pelo Aedes aegypti e se manifestam com febre, dores do corpo e nas juntas, além de dor de cabeça. Segundo a Sesa, a diferença entre elas é a intensidade dos sintomas.

O estado tem 3 casos de chikungunya desde agosto, todos importados. As pessoas são de Araucária, Maringá e Foz do Iguaçu.

Casos de dengue
O boletim da Sesa também apontou 730 casos confirmados de dengue no Paraná desde o fim de julho deste ano. Foram 48 casos a mais do que na semana anterior – um aumento de 7%.

Londrina, no norte do estado, lidera o número de casos de dengue, com 59 confirmações. A cidade é seguida por Foz do Iguaçu (48) e Paranavaí (47).

Destaques, Saúde,

Hospital Costa Cavalcanti adere a campanha Lacre Solidário

O Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), em parceria com os Rotarys Clubs de Foz do Iguaçu – Três Fronteiras e Internacional -, lança hoje (dia 23) a campanha Lacre Solidário, uma ação que alia duas boas causas: ajudar as pessoas que precisam de cadeiras de rodas e contribuir para a preservação do meio ambiente.

Todos os colaboradores, médicos, acompanhantes e pacientes podem participar depositando lacres de latinhas de bebidas, ou tampinhas plásticas, seja de refrigerante, suco, ou até de produtos de limpeza, nos dois pontos oficiais de coleta no HMCC: Centro Clínico e Recepção de Internação.

A iniciativa visa recolher o maior número possível de lacres e tampinhas para trocá-los por cadeiras de rodas, que serão, posteriormente, emprestadas ou doadas para pessoas com dificuldades ou necessidades especiais de locomoção de Foz do Iguaçu. “O Comitê de Sustentabilidade também está trabalhando na divulgação para arrecadação do material em estabelecimentos comerciais da Vila A. Abrace esta causa e participe com sua família, ajudando quem precisa e preservando o meio ambiente”, explicou a coordenadora do Comitê, Anne Ribas.

Como funciona a troca?
Os materiais devem ser depositados nos pontos de coleta com a identidade visual da campanha. Os lacres serão separados das tampinhas e armazenados em garrafa do tipo pet dois litros. Para que haja a troca por cadeira de rodas, é preciso 130 garrafas cheias. “Se os setores preferirem, podem fazer coleta individualmente e periodicamente levar até o ponto oficial”, finalizou a Anne.

Por isso, toda participação é bem-vinda!

Destaques, Estadual, Saúde,

Foz do Iguaçu recebe R$ 750 mil para construção de UBS no Bubas

Foz do Iguaçu está entre as 26 cidades que vão receber recursos na ordem de R$ 10,1 milhões para construção, reforma e ampliação de unidades básica de saúde (UBS’s). O governador Ratinho Junior anunciou liberou nesta segunda-feira (21) R$ 750 mil para uma UBS no conjunto Bubas que abriga cinco mil moradores na região do Porto Meira.

“É uma região de pessoas que vivem em condição de vulnerabilidade social. Elas se deslocam até outras unidades da cidade, mas isso contraria o programa de saúde da família. Essas famílias dependem 100% do Sistema Único de Saúde (SUS). É a certeza que de vamos reduzir os indicadores de mortalidade”, afirmou o prefeito Chico Brasileiro (PSD). 

“O prefeito Chico Brasileiro depositou em mim a confiança para representar os interesses de Foz do Iguaçu junto ao Estado. Com muito trabalho, temos obtido conquistas importantes, entre as quais destaco o repasse de mais de R$ 11 milhões até o final deste ano ao Hospital Padre Germano Lauck”, disse o deputado Hussein Bakri.  

*Investimentos* – Ratinho Junior adiantou  que os R$ 10,1 milhões fazem parte do pacote de R$ 50 milhões em investimentos na saúde nas áreas de vigilância em saúde e compra de equipamentos. São recursos para hospitais filantrópicos, novos centros de especialidades, regionalização da saúde com a construção de unidades em regiões vitais, leitos de UTI, veículos, e obras e reformas em unidades de saúde de mais de 160 cidades. 

O governador também citou o compromisso da bancada federal de incluir uma emenda impositiva no orçamento da União para reforçar os investimentos nos consórcios municipais. “A ideia é aumentar o repasse para os municípios. Vamos descentralizar a saúde, fortalecer o Interior para evitar que as pessoas se desloquem por mais de 300 quilômetros de ambulância ou van para se tratar. Ainda gastamos muito com combustível e logística. Queremos fazer o caminho inverso. Investir esse dinheiro em equipamentos e na melhoria dos hospitais, de forma regionalizada”.