Browsing Category

Saúde

Destaques, Estadual, Notícias, Política, Saúde,

Foz do Iguaçu vai receber R$ 258,5 mil para castração de animais domésticos

O município de Foz do Iguaçu vai receber, nos próximos dias, R$ 258,5 mil para castração de animais domésticos.

Os recursos integram o pacote de R$ 2,4 milhões autorizados pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo.

A intenção é iniciar, neste mês, a ação de controle populacional de cães e gatos e prevenção de zoonoses, anota Ronildo Pimentel no GDia.

A licitação foi feita por meio de dois pregões eletrônicos em dezembro de 2019 e o contrato com uma das empresas vencedoras, assinado na manhã desta quarta-feira (01).

“É uma grande iniciativa do Governo do Estado para melhorar a saúde dos animais e das pessoas que convivem com eles”, disse o secretário Márcio Nunes durante o ato. 

“É importante frisar que os serviços veterinários se encaixam como atividades essenciais”, ressaltou.

Os convênios com os municípios, de acordo com Márcio Nunes, foram firmados no final do ano passado.

As prefeituras irão fazer o cadastramento com base em critérios pré-estabelecidos pelo município. 

Todos os animais deverão ser cadastrados no Pet Amigo – Cadastro Estadual de Animais de Companhia.

“Os tutores receberão as orientações de pré e pós-operatório para que as cirurgias aconteçam de forma segura”, explica a diretora de Políticas Ambientais da Secretaria, Fabiana Campos.

Procedimento
O cronograma de execução será enviado para os municípios, para agendamento das cirurgias.

O secretário de Agricultura de Foz do Iguaçu, Pablo Mendes, disse que ainda não há nenhuma informação local.

A orientação do Governo do Estado deverá chegar na próxima segunda-feira (6), acredita. 

A iniciativa prevê ainda a castração de animais domésticos em outros 44 municípios de todas as regiões do Paraná.

Todos os animais receberão um microchip, cujo número também constará no Pet Amigo.

Brasil, Estadual, Saúde,

Orla de Matinhos é fechada por decreto; multa para quem for à praia é de R$ 2 mil

O apelo, em forma de recomendação para não frequentar a praia, não surtiu o efeito esperado e a prefeitura de Matinhos decidiu, por decreto, fechar a orla.

A partir desta quinta-feira (2), está proibido o acesso aos 16 quilômetros de faixa litorânea. Fiscais vão percorrer o trecho de areia e quem for flagrado desrespeitando a regra será, primeiramente, orientado a ir para casa. Em situação de desobediência, a multa será de R$ 2 mil.

“O prefeito Ruy Hauer Reichert (PL) explica que resolveu tomar a medida porque algumas pessoas estavam se aglomerando na praia. Ele conta que encontrou grupos com caixa de som e isopor com bebidas na areia. “O tempo está bonito, tem sol, e a pessoa de frente para o mar. É difícil mesmo resistir”, pondera. Contudo, afirma que precisa tomar todos os cuidados para forçar o distanciamento social, já que Matinhos tem um caso confirmado de Covid-19.

“O prefeito Ruy Hauer Reichert (PL) explica que resolveu tomar a medida porque algumas pessoas estavam se aglomerando na praia. Ele conta que encontrou grupos com caixa de som e isopor com bebidas na areia. “O tempo está bonito, tem sol, e a pessoa de frente para o mar. É difícil mesmo resistir”, pondera. Contudo, afirma que precisa tomar todos os cuidados para forçar o distanciamento social, já que Matinhos tem um caso confirmado de Covid-19.

O prefeito Ruy Hauer Reichert (PL) explica que resolveu tomar a medida porque algumas pessoas estavam se aglomerando na praia. Ele conta que encontrou grupos com caixa de som e isopor com bebidas na areia. “O tempo está bonito, tem sol, e a pessoa de frente para o mar. É difícel resistir”, pondera. Contudo, afirma que precisa tomar todos os cuidados para forçar o distanciamento social, já que Matinhos tem um caso confirmado de Covid-19.

Segundo o prefeito, os moradores estão, em sua maioria, respeitando as orientações de isolamento, mas muitas pessoas que escolheram passar a quarentena no litoral não estariam obedecendo as recomendações. Uma das preocupações é a estrutura de saúde pública, que é pensada para os residentes e pode não suportar a demanda se tiver de atender também visitantes.

Por enquanto, Matinhos não pretende decretar toque de recolher, proibindo a circulação noturna na cidade, como fizeram Paranaguá e Antonina. “Andei pela avenida principal e não tinha ninguém”, comenta Ruy, que não descarta a medida caso a movimentação se intensifique.

Fonte: Gazeta do Povo

Brasil, Destaques, Geral, Meio Ambiente, Saúde,

Infraero realiza ação de combate ao mosquito da dengue no Aeroporto de Foz do Iguaçu

Nesta sexta-feira (3/4), o Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu/Cataratas (PR) estará engajado no combate ao Aedes Aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya.

A ação será realizada a partir das 8h no sítio aeroportuário, e contará com o apoio de cerca de 40 pessoas, entre funcionários da Infraero, de empresas terceirizadas e a comunidade aeroportuária.

Juntos, farão um pente fino em busca de possíveis focos de proliferação do mosquito e percorrerão áreas como Seção Contra Incêndio (CSI), depósitos, estacionamentos, canteiro de obras, dentre outros locais.

Diante do elevado número de notificações e confirmações de dengue em Foz do Iguaçu nos últimos meses, o pente fino faz parte de algumas medidas que a Infraero está tomando juntamente com os demais agentes públicos, para contribuir na mitigação dos riscos à saúde de todos da região.

Para o superintendente do Aeroporto de Foz do Iguaçu, Joacir Araújo, é fundamental que todos se envolvam nas ações para combate à proliferação do mosquito.

“A Infraero está empenhada em trabalhar junto com o município no combate ao transmissor dessas doenças. Além disso, estamos ampliando o serviço contínuo de dedetização dentro da área do aeroporto”, afirma Joacir.

SERVIÇO:

Inspeção contra o mosquito da dengue no Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu

Data: 3/4

Horário: 8h

Local: Balcão de Informações da Infraero (ponto de encontro)

Brasil, Destaques, Geral, Itaipu, Notícias, Política, Saúde,

Itaipu fará convênio de R$ 4 milhões com Estado para contratação de 733 bolsistas no combate à Covid-19

A contratação terá validade por quatro meses e beneficiará diretamente estudantes de saúde de universidades públicas

A usina de Itaipu, margem brasileira, vai firmar um termo de cooperação com o governo do Estado, na ordem de R$ 4 milhões, para a contratação direta de 733 bolsistas na área de saúde, em caráter emergencial. Os estudantes de enfermagem de universidades públicas atuarão no enfrentamento à covid-19. A contrapartida do governo estadual será no mesmo valor. A validade é por quatro meses, possivelmente a partir de abril.

Esse é mais um investimento que se soma a outros desembolsados pela Itaipu para conter a disseminação da covid-19. A empresa já havia liberado um fundo emergencial de R$ 15 milhões para ajudar os municípios da região no combate à propagação do novo coronavírus.

O Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), mantido pela usina de Itaipu, criou uma ala exclusiva com Unidade de Terapia Intensiva e Semi-Intensiva para internamento de pacientes com a doença. O laboratório do HMCC também foi credenciado a fazer testes rápidos (PRC) de covid-19. Mais de 4 mil kits foram adquiridos e estão a caminho.

“Essa é mais uma contribuição de Itaipu tanto no controle da doença quanto na abertura de frentes de trabalho para ajudar nossa população nesse momento tão dramático da economia”, diz o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna.

O governador Carlos Massa Ratinho Júnior declarou situação de emergência em todo o território paranaense. O termo de cooperação reúne a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e a Superintendência-Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior – (Seti) para a contratação de estudantes das áreas de saúde em fase final de formação. A contratação será feita por chamada pública, por meio da Fundação Araucária.

Os bolsistas serão contratados para orientar, monitorar e auxiliar no atendimento de pacientes que apresentarem sintomas da covid 19.

No pedido, o governador considera o papel de destaque da Itaipu Binacional de “incentivo ao desenvolvimento regional com o apoio a projetos em distintas áreas, constituindo-se como importante vetor de progresso sustentável e social”.

Como será a contratação

Por meio de chamada pública, a Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Estado do Paraná (FA) em parceria com a Seti e a Sesa vai contratar bolsistas de instituições estaduais de Ensino Superior (IEES) e da Universidade Federal do Paraná (UFPR). As atividades serão desenvolvidas em conjunto com as regionais de saúde da Sesa, que ficarão responsáveis pelo plano de trabalho.

Entre as atribuições dos estudantes estão a prestação de serviços de atendimento telefônico e por meios digitais, para tirar dúvidas e orientar a população sobre a doença relacionadas à prevenção, além de cuidados e combate à pandemia. Também prestarão atendimento nas rodovias com o monitoramento da entrada e da saída de pessoas na Agência de Defesa Agropecuária do Paraná, nas unidades de saúde, hospitais e outros estabelecimentos de saúde com esse mesmo escopo.

Parte desses bolsistas reforçará o atendimento no Laboratório Central do Estado, Lacen, e Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde, voltada ao apoio a demandas destas unidades.

Brasil, Geral, Internacional, Saúde,

Dia da Conscientização do Autismo

2 de abril se tornou oficialmente o Dia Mundial de Conscientização do Autismo em 18 de dezembro de 2007, pela Organização das Nações Unidas (ONU).

A data foi criada com objetivo de propagar informações para a população sobre o autismo e assim reduzir a discriminação e o preconceito que ainda cercam as pessoas afetadas por esta síndrome neuropsiquiátrica que atinge mais de 70 milhões de pessoas no mundo.

Os transtornos do espectro autista (TEA) englobam uma série de diferentes apresentações do quadro, mas têm em comum uma limitação na comunicação ou interação social, além de um comportamento restritivo e repetitivo.

Para efeitos legais, os autistas são considerados pessoas com deficiência. De acordo com a Lei nº 12.764/12, é direito da pessoa com TEA o acesso a ações e serviços de saúde, incluindo identificação precoce, atendimento multiprofissional, terapia nutricional, medicamentos e informações que auxiliem no diagnóstico e no tratamento.

Fonte: O Imparcial

Destaques, Estadual, Notícias, Saúde,

Secretaria Estadual de Saúde confirma a quarta morte por coronavírus no Paraná

O paciente, com adiantou o blog, era um homem de 72 anos, residente em Campo Mourão que estava internado desde o dia 28 de março e morreu dia 31

A Secretaria de Estado da Saúde confirmou a quarta morte por coronavírus no Paraná nesta quinta-feira (2). O paciente era um homem de 72 anos, residente em Campo Mourão. Ele estava internado desde o dia 28 de março e morreu dia 31 em um hospital da região. Este caso não havia sido notificado pelo município para a Secretaria até este momento.

O boletim também registra 29 novos casos confirmados nos municípios de Palmeira (1), Curitiba (5), Mandirituba (1), Leópolis (1), Cornélio Procópio (1), Maringá (3), Terra Boa (1), Londrina (1), Cianorte (3), Cascavel (3), Telêmaco Borba (1), Paranavaí (1), São Manoel do Paraná (1), Campo Mourão (4), Campo Largo (1) e Marechal Cândido Rondon (1). Os pacientes são 17 homens e 12 mulheres com idades entre 23 e 90 anos.

Paraná

O Estado já tem 258 casos confirmados. Destes, quatro óbitos, e seis não residem no Paraná –, 3.848 descartados, 638 em investigação.

De todos os casos confirmados, seis têm idades de 0 e 20 anos; 100 de 21 a 40; 89 de 41 a 60; 54 de 61 a 80; cinco acima de 80 e quatro não foram informados. A maioria dos pacientes são homens (135).

O município com o maior número de confirmações é Curitiba (99), seguido por Londrina (27), Cascavel e Maringá (13 cada).

ALTERAÇÕES – Três casos já confirmados em Curitiba foram transferidos para os municípios de Paranaguá, Ponta Grossa e São Paulo. De acordo com as investigações das secretarias municipais, os pacientes não residem na Capital.

Destaques, Estadual, Saúde,

Durante pandemia do coronavírus, abandono de animais aumenta 50% em Curitiba

A crise provocada pela pandemia do novo coronavírus aumentou em 50% o número de abandono de animais em Curitiba.

Com a medida do isolamento social, outra preocupação da DPMA (Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente) é a alimentação de animais que moram nas ruas.

Com isso, a rotina dos agentes da delegacia mudou. Agora, todos os dias, eles distribuem alimentos para animais abandonados de bairros próximos.

“Agora nossa rotina é sair da delegacia alimentando os animais do bairro Barreirinha, Cachoeira e Almirante Tamandaré. No começo nós percebemos que só a ração eles não aceitavam, depois colocamos arroz e agora conseguimos carne moída. Enquanto perdurar essa pandemia, essa será nossa rotina.”

Delegacia arrecada doações para alimentar animais abandonados

Segundo o delegado Mateus Laiola, durante a pandemia houve um aumento de 50% nos abandonos. Por isso, a medida tenta amenizar os impactos da crise provocada pelo coronavírus.

“No cenário de abandono, existem os cães comunitários que eram alimentados pelas pessoas e em razão do isolamento social e da crise econômica, aumentou a necessidade de alimentação dos animais.”

Mas o trabalho só é possível através de doações, por isso, Laiola fez uma parceria com um petshop de Curitiba que se comprometeu a doar pacotes de ração até que a crise acabe. Outro caso é de um açoúgue que está doando carne para a distruibição.

“Acredito que ações não só nesse momento, é essencial para que nós cresçamos. É um momento de reclusão e de reflexão, mas considero fundamental que nós pensemos em alternativas para olhar para o nosso próximo”, disse Vanessa Melo, diretora da Casa do Produtor que está ajudando na ação da DPMA.

abandono-animais-curitiba-pandemia-coronavirus-
Delegado da DPMA durante entrega de ração (Foto: Reprodução/Instagram)

Laiola ainda lembrou que a participação de todos é importante para tentar amenizar os impactos sofridos pelos animais. Já que a ação da delegacia não consegue abranger um número grande de bairros, a dica é deixar no portão de casa um pote com água e comida.

“O número de denúncia a maus tratos é 181 e tem o site também que é 181.pr.gov.br“, relembrou Laiola.

Pitbulls são resgatados em Piraquara

Nesta terça-feira (31), a DPMA resgatou dois pitbulls que foram abandonados em uma residência de Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba. Quem estava alimentando os animais e fez a denúncia foi uma vizinha.

“Não havia ninguém no local, mas vamos trabalhar para responsabilizar por maus-tratos quem deixou eles na residência”, disse Laiola.

Veja imagens do trabalho abaixo!

Fonte: Paraná Portal

Estadual, Saúde,

Santa Terezinha de Itaipu registra o primeiro caso de zika vírus, diz prefeitura

Uma gestante atestou positivo para zika e está recebendo acompanhamento da equipe da Secretaria de Saúde

O alerta é ainda maior nesta quinta-feira, 2 de abril. E desta vez o tema não é apenas coronavírus, mas, o aumento nos casos confirmados de dengue e um caso positivo de vírus da zika em Santa Terezinha de Itaipu.

De acordo com o último boletim de epidemiologia da Vigilância em Saúde, uma gestante atestou positivo para zika e está recebendo acompanhamento da equipe da Secretaria de Saúde. É a primeira vez que o município tem caso confirmado desse vírus; hoje, três pessoas estão notificadas. Em casos de dengue, nesta quinta são 270 casos confirmados e 560 notificados.

De acordo com o secretário de Saúde, Fábio de Mello, o quadro crescente nos casos de dengue e a confirmação do primeiro caso de zika, no município, trazem mais uma preocupação para o quadro da saúde. “Zika é uma nova preocupação e todos precisam redobrar os cuidados. Por isso, recebam nossos agentes de endemias e contribuam com a limpeza de seus quintais para que o quadro não seja ainda mais agravado. Dengue mata e zika traz uma série de complicações”, alertou. 

Fonte: Portal da Cidade

Destaques, Estadual, Geral, Saúde,

Homem de 72 anos morre em Campo Mourão e é a quarta vítima da Covid-19 no Paraná

Informação é da Prefeitura e deverá ser divulgada pelo Estado nos próximos boletins da Sesa

Um homem de 72 anos morreu em Campo Mourão, no centro-oeste do Paraná, vítima de Covid-19, informa o G1 PR. A causa da morte foi confirmada pela prefeitura nesta quinta-feira (2), após receber o resultado do exame realizado pelo Laboratório Central do Estado (Lacen).

Com isto, ele se tornou a quarta vítima da infecção provocada pelo novo Coronavírus no Estado, que tem 229 casos confirmados da doença.

Apesar do exame confirmar, o óbito deve ser divulgado pelo Estado nos próximos boletins. Em todo o país, são mais de 7 mil casos e 250 mortes provocadas pela doença.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, o idoso foi internado no hospital Santa Casa no dia 27 de março e morreu na terça-feira (31). O exame foi realizado durante o período que ele ficou internado .

A secretaria ainda informou que a vítima não tinha histórico de doença crônica e também não viajou nas últimas semanas. O município está mapeando se algum membro da família realizou alguma viagem e possa ter transmitido o vírus ao idoso.

Campo Mourão tem nove casos confirmados da doença. Três deles foram divulgados pela Lacen na manhã desta quinta-feira.

A Secretaria Municipal de Saúde ainda informou que nove pessoas estão internadas na UTI do hospital Santa Casa, cinco delas estão com a doença e quatro aguardam resultados de exames do novo coronavírus. Esses quatro casos são considerados suspeitos.

Destaques, Educação, Estadual, Geral, Saúde,

Universidades estaduais intensificam pesquisas sobre o coronavírus

A UEL é um destaque e está entre as três universidades brasileiras com o maior número de publicações sobre o tema. As instituições estão formando redes de pesquisadores para intensificar estes trabalhos.

Com um importante potencial humano e de infraestrutura, as universidades estaduais do Paraná têm atuado intensamente no enfrentamento ao novo coronavírus. Além de pesquisas, que vão desde o monitoramento da evolução da Covid 19 e desenvolvimento de kits para diagnóstico, até ações de atendimento direto à população com equipes multidisciplinares capacitadas para atuarem na linha de frente em instituições de saúde.

Segundo dados da Web Of  Science, divulgados pela Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa de São Paulo), a Universidade Estadual de Londrina (UEL) está entre as três universidades brasileiras com o maior número de publicações sobre o coronavírus do Brasil.

Em primeiro lugar aparece USP, com 91 estudos publicados, seguida da UNESP com 32 e da UEL com 21. O Brasil, com 217 publicações, é o 17º da lista mundial, que é liderada pelos Estados Unidos (4.400 estudos publicados), seguidos da China (2.523).

 “Os dados mostram a qualidade das nossas instituições estaduais de ensino superior e nossa capacidade de produção de Ciência, Tecnologia e Inovação, que têm contribuído com o desenvolvimento do Paraná”, diz o presidente do Conselho de Pró-reitores de Pesquisa e Pós-graduação da Fundação Araucária e pró-reitor de pesquisa da UEL, Amauri Alcindo Alfieri.

Ele explica que, além das publicações da UEL, originadas de pesquisas sobre o coronavírus animal, há importantes trabalhos sendo desenvolvidos no Hospital Universitário. “Falando da ação mais prática, a UEL e outras universidades têm, inclusive, equipamentos para a produção de kits de diagnóstico que podem contribuir com o Governo.”

REDES DE TRABALHO

Há várias pesquisas sobre a Covid-19 em andamento, principalmente por ser um vírus novo e de evolução clínica bem diferente do que existia até então. As universidades estaduais estão formando redes de pesquisadores para intensificar estes trabalhos.

O chefe do Departamento de Microbiologia do Centro de Ciências Biológicas da UEL, Galdino Andrade, explica que está sendo criado um grupo com pesquisadores de diversas áreas com diferentes estudos.

Entre eles, com agentes infecciosos de importância médica e ambiental,  detecção, diagnóstico e controle, incluindo a pesquisa e desenvolvimento de novos antimicrobianos (antivirais, antibacterianos, antifúngicos e antiprotozoários). Virologistas estudam a interação vírus RNA/DNA hospedeiro.

“Temos também um  projeto que visa ampliar ações de enfrentamente ao Sars-CoV-2, agente etiológico da doença pelo novo coronavirus”, disse Galdino Andrade.

Na Universidade Estadual de Maringá (UEM) alguns pesquisadores têm atuado, principalmente, no monitoramento da evolução da Covid 19 com base em modelos descritos na literatura. Mas, segundo o chefe do departamento de Análises Clínicas e Biomedicina, Dennis Armando Bertolini, há potencial para a produção científica ter um grande avanço.

 “Temos potencial para estudos de epidemiologia básica e aplicada, epidemiologia molecular, desenvolvimento de testes laboratoriais, novas tecnologias para diagnóstico laboratorial, participar de estudos clínicos para novas opções terapêuticas, descobrimento de novos medicamentos, avaliação da resposta imune e estudos da imunopatogênese viral”, firma Bertolini.

“As universidades estão trabalhando arduamente, dia e noite, no enfrentamento a esta pandemia. Temos ativos, pessoal e equipamentos que podem contribuir muito para isso, visto que existem vários pesquisadores que já trabalham nestas linhas”, ressaltou o pró-reitor de pesquisa e pós-graduação da UEM, Clóves Cabreira Jobim.

DESAFIO E CONHECIMENTO

De acordo com o presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig, o momento é crítico e requer muita ciência, muita produção de conhecimento. “Ao mesmo tempo em que vivemos um desafio tão grande em escala global, ficamos felizes em saber da força e competência do nosso Sistema de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado”, diz ele. “Nossos pesquisadores e instituições mostram alto comprometimento com esta causa, de forma qualificada e reconhecida.”

“Temos acompanhado estas mobilizações e buscamos ao máximo apoiá-las. Faremos isto com muita determinação e reconhecimento aos nossos pesquisadores”, complementou o diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação, Luiz Márcio Spinosa.

Box 1
Maior parte da produção científica vem de universidades públicas

O superintendente geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná, Aldo Nelson Bona, reforça que mais de 90% de toda a produção científica brasileira é feita nas universidades públicas e que as estaduais estão contribuindo muito para o avanço da ciência no país.

“Ganha destaque a UEL, neste momento, e junto com ela é importante destacar a relevância da pesquisa científica feita nas sete universidades estaduais”, diz ele. “Elas são fortes em pesquisa básica e aplicada e contribuem grandemente para o avanço desta área e para que o Brasil ocupe a 13ª posição como país produtor de Ciência.”

SOLUÇÕES LOCAIS

Bona lembra que grande parte das pesquisas é relacionada à solução de problemas locais, regionais. “Nosso esforço tem sido em que, cada vez mais, o compromisso das nossas universidades esteja em pesquisar e encontrar soluções que promovam o desenvolvimento de suas comunidades, de sua região. Que atendam às demandas e interesse da população”, afirma ele.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná