Browsing Category

Sem categoria

Destaques, Foz do Iguaçu, Itaipu Binacional, Sem categoria,

Filhote de lontra resgatado em Pontal do Paraná será apresentado terça-feira, 7, no Refúgio Biológico da Itaipu

O filhote de lontra resgatado em Pontal do Paraná, no litoral do Estado, será apresentado na próxima terça-feira (7), às 9h no Refúgio Biológico da Itaipu, em Foz do Iguaçu.

O resgate do animal foi necessário após o mesmo dar sinais de que não tem condições de retornar a natureza, conforme relatou o portal Correio do Litoral.

Abaixo mais da sobre a apresentação e o Refúgio Biológico da Itaipu

O Refúgio Biológico Bela Vista (RBV), da Itaipu Binacional, recebeu um filhote de lontra no dia 24 de junho, encaminhado pelo Centro de Reabilitação, Despetrolização e Análise de Saúde de Fauna Marinha da UFPR, localizado no balneário de Pontal do Sul, em Pontal do Paraná.
O animal foi encontrado em Guaratuba, no litoral do Paraná, em maio, após ser retirado das margens de um canal de água doce por pessoas que acreditavam que a lontra estava sozinha e era muito pequena. Levado à unidade da UFPR, o filhote foi devidamente tratado.

Por ter cerca de apenas dois meses, sem a presença da mãe e indefeso, o filhote – uma fêmea – não tem condições de sobreviver sozinho. A ausência da mãe faz com que ele não aprenda os comportamentos básicos para sobreviver na natureza.

Mas não foi difícil achar um lar definitivo para ele. A parceria entre Itaipu e UFPR possibilitou a chegada do animal a Foz do Iguaçu, onde, no RBV, viverá em um amplo espaço desenhado para as necessidades da espécie e enriquecido com elementos naturais de seu hábitat.

O RBV já tinha duas lontras macho em seu plantel e, agora, com a chegada da fêmea, surge a possibilidade de iniciar um projeto de reprodução em cativeiro para a futura reintrodução de indivíduos na natureza. É mais um presente para o RBV, que completou 36 anos no último dia 27.

Meio Ambiente, Paraná, Sem categoria,

Retirada e corte de árvores nativas devem ser feitos pelos órgãos ambientais

No Paraná, 179 atendimentos por queda de árvores foram registrados pela Defesa Civil Estadual. Árvores nativas só podem ser removidas do local com a autorização dos órgãos ambientais municipais e estadual.

As chuvas e ventos fortes desta semana causados por um ciclone extratropical derrubaram árvores e fizeram estragos em diversas cidades do Paraná. Em algumas regiões os ventos chegaram a 120 quilômetros por hora. O recolhimento e o corte de árvores nativas derrubadas pela tempestade, principalmente as ameaçadas de extinção, como Araucárias e Imbuias, devem ser autorizados pelos órgãos ambientais municipais e estadual.

“Em cidades como Curitiba, Guarapuava, Londrina, Maringá, Cascavel e Foz do Iguaçu é preciso comunicar às secretarias municipais de meio ambiente. Já nas cidades em que a prefeitura não emite essas autorizações para árvores nativas, é preciso entrar em contato com os escritórios regionais do IAT”, explica José Volnei Bisognin, diretor de Licenciamento e Outorga do Instituto Água e Terra (IAT).

De acordo com ele, a população só pode fazer o corte da árvore que caiu com os ventos se ela estiver causando alguma interferência, mas ainda assim é necessário avisar aos órgãos ambientais competentes.

“A população pode requerer o aproveitamento próprio do material caído em áreas particulares, inclusive das espécies ameaçadas de extinção, como pinheiros, por exemplo, a partir da plataforma SGA em até cinco árvores, ou pelo Sinaflor quando houver mais de cinco indivíduos de qualquer espécie nativa. As árvores caídas em áreas públicas, como ruas e praças, são de responsabilidade exclusiva dos órgãos municipais”, orienta o diretor.

Também é possível acionar a Defesa Civil do município e o Corpo de Bombeiros, caso a árvore esteja causando riscos.

Veja a lista dos escritórios regionais do Instituto Água e Terra AQUI e também confira quais são as espécies nativas do Paraná AQUI.

DANOS – O ciclone que atingiu Paraná nesta semana afetou 14.392 pessoas de 70 municípios. Ao todo, 3.469 casas foram danificadas.

De acordo com a Defesa Civil Estadual, até a manhã desta quinta-feira (02) foram registrados 179 atendimentos em todo o Paraná de queda de árvores em residências e/ou obstrução de vias urbanas.

O Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRv) também registrou bloqueios por queda de árvores no Sudoeste do Estado, no município da Lapa (Região Metropolitana de Curitiba), nas PRs-423 e 427; na PR-151 em São Mateus do Sul; em Palmas, entre o trevo da PR-449 e o Posto Rodoviário; na PR-412; na PR-272; e em Cruzmaltina, na PRC-272.

Brasil, Destaques, Foz do Iguaçu, Geral, Mundo, Paraná, Sem categoria,

Capitania Fluvial do Rio Paraná intensifica ações de inspeção naval em Foz do Iguaçu, incluindo o Lago Itaipu

A Capitania Fluvial do Rio Paraná reforçou, no período de 10 a 14 de junho, as ações de inspeção naval em virtude do feriado prolongado em comemoração ao aniversário da cidade de Foz do Iguaçu-PR.

Durante as inspeções, os militares observaram um aumento no número de embarcações de esporte e recreio no rio Paraná e lago de Itaipu. Como resultado das ações, 127 embarcações foram abordadas, havendo 14 notificações.

As informações são da Marinha do Brasil

Cultura, Destaques, Geral, Saúde, Sem categoria, Últimas Notícias,

Pesquisadores da UNILA desenvolvem testes para Covid-19

Elaborado com base na metodologia Elisa, o teste apresenta resultados de alta confiabilidade

Uma equipe de pesquisadores da UNILA está desenvolvendo um novo teste baseado na metodologia Elisa (do inglês Enzyme-Linked Immunosorbent Assay) para a detecção do Sars Cov 2, o vírus que provoca a Covid-19. Em abril e maio, os kits foram padronizados e avaliados. “Hoje a gente consegue dizer que o teste tem em torno de 95% de sensibilidade e 100% de especificidade”, diz o professor da UNILA e coordenador da pesquisa Kelvinson Fernandes Viana. O desenvolvimento do teste partiu de uma demanda do Hospital Municipal Padre Germano Lauck.

As informações sobre o novo teste e detalhamentos sobre como são produzidas as vacinas estão na entrevista que integra a nova temporada da websérie Fator Ciência, produzida pela UNILA e dedicada ao tema coronavírus e suas consequências. Kelvinson Viana é mestre em Biotecnologia com ênfase em Bioprocessos e Tratamento de Doenças e doutor em Parasitologia, com ênfase em Imunopatologia. O episódio está disponível no YouTube (https://bit.ly/fator_testes) e também em formato de podcast no Spotify (https://bit.ly/unilacast).

Esses resultados – de 95% de sensibilidade e 100% de especificidade – foram alcançados “testando os verdadeiros positivos”, que são as pessoas que tiveram resultado positivo por meio do teste RT-PCR, que é um teste molecular. “São pessoas que realmente estavam infectadas com o Sars Cov 2”, afirma. Esses testes conseguem identificar o vírus e são de alta confiabilidade, mas têm de serem feitos no início da infecção, quando o vírus ainda está presente, explica Kelvinson.

O teste desenvolvido pela equipe do pesquisador também foi utilizado em amostras sorológicas de pessoas que tiveram dengue, influenza, e outras variantes de coronavírus. “O teste não dá reação cruzada com essas infecções e tem uma confiabilidade muito grande.”

Sobre os diferentes tipos de testes, Kelvison explica que, além do RT-PCR, que é um teste molecular, existem os testes sorológicos, que apresentam melhores resultados quando as amostras são colhidas após decorrido um período entre sete e dez dias após a infecção, uma vez que o vírus pode não estar no local da coleta.

São vários os tipos de testes sorológicos, esclarece Kelvison, incluindo o controverso teste rápido. “Não é só para a Covid, mas para outras doenças, o teste rápido tem o mesmo problema, uma dificuldade em detectar os verdadeiros positivos. São testes com baixa eficiência”, diz, lembrando que, para a Covid-19, esses testes apresentam uma série de problemas em todo o mundo. “Alguns testes têm 25% de eficiência”, afirma, ressalvando que a bula informa que esses resultados chegam a 90% de sensibilidade e 95% de especificidade. “Na prática, a gente sabe que não é isso. São testes sorológicos de baixa qualidade.” A maioria desses testes, comenta Kelvinson, são produzidos na China.

Um outro teste sorológico é o Elisa “muito mais sensível e específico que o teste rápido”, explica. O resultado não é conhecido em 10 minutos, como no teste rápido, mas pode ficar pronto no mesmo dia, o que garante agilidade ao processo. Esse é o tipo de teste que está sendo desenvolvido pela equipe do pesquisador.

Os resultados do teste desenvolvido pela Universidade mostram uma quantidade de pessoas positivas para a Covid-19 maior que o obtido pelos testes rápidos. Esses resultados estão sendo apresentados para a gestão municipal, mas ainda não constam das estatísticas, por questões burocráticas. De acordo com o professor, o teste ainda não passou pela validação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Ele salienta, no entanto, que uma regulamentação do órgão permite os chamados testes in house – que é o que a UNILA está fazendo.

Para ele, o resultado da pesquisa demonstra que o Brasil não precisa importar soluções. “Temos condições de desenvolver nossos próprios diagnósticos. Temos pessoas em diversas universidades que têm conhecimento para o desenvolvimento de teste molecular, de teste sorológico, entre outros, só que falta estímulo para isso”, destaca.

A UNILA está iniciando, também, uma parceria com a Unioeste de Cascavel, cidade onde há muitos casos de Covid-19, para que os testes sejam utilizados nos pacientes daquela cidade. Os resultados serão comparados aos dos testes rápidos, que são da mesma marca dos utilizados em Foz do Iguaçu. “Acredito que vai ser muito bom. O Brasil inteiro está com dificuldades com diagnóstico e o que se tem disponível, na verdade, é ruim. E se a gente consegue fugir disso com tecnologia nossa, isso é bom [para todos] que estão aprendendo a fazer esse procedimento, é bom para o serviço público, que consegue obter informações mais precisas, é bom para a instituição – a gente vê o quanto a UNILA está inserida nesse enfrentamento aqui em Foz do Iguaçu, e isso vai ser expandido.”

Vacinas

Além dos testes, uma outra questão que desperta a atenção de todos é a produção de uma vacina para a Covid-19. Para o professor Kelvinson Viana, é possível que uma vacina esteja disponível ainda em 2020. “Eu não duvido que até o final do ano tenha uma vacina licenciada, por causa da pressão econômica, mas as pessoas que trabalham com vacinas têm muitos questionamentos que nenhuma das empresas que estão testando são capazes de responder nesse momento”, comenta. “O tempo de análise é extremamente curto e não há como ter segurança de que a vacina realmente será eficaz.” Entre esses questionamentos, estão: por quanto tempo a vacina vai conseguir proteger, se uma pessoa que já foi infectada pode receber a vacina, ou se vai proteger contra possíveis mutações.

Ele explica que o processo para se chegar a uma vacina é longo – envolve anos de observações e experimentações –, tem muitas etapas que podem ser mais ou menos aceleradas com o uso de tecnologia, mas que não há como substituir o tempo de testes em humanos, o que está sendo feito de forma acelerada nesta pandemia (Kelvinson descreve todo o processo de desenvolvimento de vacinas na entrevista em vídeo).

O pesquisador lembra que mais de 120 vacinas contra a Covid-19 estão sendo desenvolvidas pelo mundo, de diferentes formas. “Qual é o melhor tipo de vacina? A vacina boa é aquela que funciona”, diz, lembrando que o fato de dispormos de mais tecnologia hoje não garante resultados melhores. “A gente está em 2020 e, com toda a tecnologia que temos, nenhuma outra vacina conseguiu erradicar uma doença no mundo a não ser a vacina da varíola, que era feita de forma rudimentar. Hoje em dia, é uma forma impensável de fazer vacina, mas foi a única vacina que erradicou uma doença no mundo.”

Para Kelvinson, o Brasil tem condições de também desenvolver uma vacina. “O Brasil não está na corrida do desenvolvimento de uma vacina, mas tem dois grupos muito fortes trabalhando para o desenvolvimento de uma vacina nacional”, afirma. Entre as instituições envolvidas nessa produção estão a Fiocruz, Biomanguinhos, Faculdade de Medicina de São Paulo, Instituto Incor e a UFMG. Essa vacina deve estar pronta somente entre 2021 e 2022. “A tecnologia que está sendo utilizada não deixa nada a dever para as tecnologias que estão sendo desenvolvidas lá, fora, é tecnologia de ponta.”

A série

A websérie Fator Ciência estreou no dia 8 de maio. Por conta do período de isolamento social, o programa está em novo formato e foi gravado a distância, por meio da plataforma Zoom. Os capítulos serão divulgados sempre às sextas-feiras. Assista a todos os episódios da série no canal da UNILA no YouTube ou ouça no formato podcast no Spotify.

Destaques, Foz do Iguaçu, Geral, Justiça, Paraná, Sem categoria,

PF vai investigar fraudes no auxílio-emergencial de R$ 600,00. Em Foz do Iguaçu, benefício foi pago a 281 servidores públicos

A Delegacia de Polícia Federal em Foz do Iguaçu divulgou nota com orientações à população em relação às supostas fraudes ao benefício do “Auxílio Emergencial” (Lei n. 13.982/2020 e Decreto n. 10.316/2020) pago a desempregados, informais, autônomos e microempreendedores de baixa renda.

A Polícia Federal investigará o crime após ser informada pela Caixa Econômica Federal sobre a ocorrência do prejuízo efetivo da empresa pública, atestado via processo de contestação ou qualquer documento da referida entidade.

Portanto, o cidadão deve procurar a Caixa Econômica Federal, objetivando a instauração de processo de contestação para a identificação e quantificação do prejuízo da retro indicada empresa, pois a Polícia Federal não atua, nesses casos, quando a lesão atinge somente o particular.

Para esclarecer melhor, elencamos a seguir quatro situações que têm ocorrido com maior frequência e suas respectivas orientações:

Situação 1

  • Não requereu o Auxílio Emergencial, mas teve seus dados e CPF utilizados por terceiros, sem o seu consentimento, para concessão e/ou pagamento do referido benefício.
  • Não recebeu qualquer parcela do Auxilio Emergencial.
  • Sente-se prejudicado, posto que seu nome foi indevidamente associado ou exposto publicamente por eventual fraude do auxílio emergencial.
    Orientação:
    Noticiar os fatos junto à Polícia Civil, registrando ocorrência preferencialmente em uma Delegacia Especializada em Defraudação e Falsificação ou, na impossibilidade, perante a Delegacia de Polícia Civil mais próxima.
    Comunicar a Caixa Econômica Federal acerca do registro da ocorrência policial.
    Buscar assistência jurídica de um advogado ou defensor público.

Situação 2

  • Não requereu o auxílio emergencial.
  • Recebeu qualquer parcela do auxílio emergencial.
  • Pretende a devolução dos valores recebidos indevidamente do auxílio emergencial
    Orientação:
    A devolução de valores recebidos indevidamente do Auxílio Emergencial pode ser feita por meio de acesso ao site: devolucaoauxilioemergencial.cidadania.gov.br no qual consta uma página com o passo a passo para emitir a GRU (Guia de Recolhimento da União).
    De posse da GRU, fazer o pagamento nos diversos canais de atendimento dos bancos: via internet, terminais de autoatendimento, e guichês de caixa das agências.
    Comunicar a Caixa Econômica Federal acerca do comprovante de devolução dos valores recebidos.

Situação 3

  • Não requereu o Auxílio Emergencial, mas teve seus dados e CPF utilizados por terceiros, sem o seu consentimento, para concessão e/ou pagamento do referido benefício.
  • Não recebeu qualquer parcela do Auxílio Emergencial e quer receber o que entende que lhe é devido.
    Orientação:
  • Comparecer presencialmente em agência da CEF onde possui conta ou na mais próxima e abrir processo de contestação.

Situação 4

  • Requereu o Auxílio Emergencial ou já estava cadastrado em algum banco de dados do governo (ex: Bolsa Família) porém não recebeu as parcelas do benefício; OU as recebeu, porém, foram transferidas a sua revelia para outra conta OU foram sacadas a sua revelia por terceiros que desconhece.
    Orientação:
  • Comparecer presencialmente em agência da CEF onde possui conta ou na mais próxima e abrir processo de contestação.

CS/DPF/Foz do Iguaçu
(45)3576-5515

Sem categoria,

Guedes confirma prorrogação do auxílio emergencial por dois meses

O ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou hoje (9) que o auxílio emergencial será prorrogado por mais dois meses, conforme já havia sido anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro e que, durante esse tempo, o setor produtivo pode se preparar para retomar as atividades, com a adoção de protocolos de segurança. “E depois [a economia] entra em fase de decolar novamente, atravessando as duas ondas [da pandemia e do desemprego]”, disse Guedes, durante a 34ª Reunião do Conselho de Governo.

O auxílio é um benefício financeiro concedido pelo governo federal a trabalhadores informais, microempreendedores individuais, autônomos e desempregados, e visa fornecer proteção no período de enfrentamento à crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, causador da covid-19. Inicialmente, a previsão era o pagamento de três parcelas de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras).

Na semana passada, o secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, informou que a eventual prorrogação do auxílio emergencial por mais dois meses deve elevar o custo do programa para um valor entre R$ 202 bilhões e R$ 203 bilhões.

Saúde, Sem categoria,

COVID-19: Toledo tem mais 48 casos, 20 são de detentos da cadeia pública

Situação é de surto na cadeia; Médico do Seju irá acompanhar casos

Em coletiva na tarde desta quarta-feira (10) o município de Toledo confirmou mais 48 casos de Covid-19 destes 20 são detentos da Cadeia pública do Município. Ao todo o município tem 183 caso confirmados.

Ao todo foram testados 22 presos, 20 deles tiveram resultado positivo. Os detentos apresentaram sintomas do dia 29 a 31 do mês maio, realizaram o teste no dia 03 e tiveram o resultado nesta quarta-feira (10).

Quando apresentaram os sintomas, os detentos foram isolados dos outros presos.

Ao todo 19 homens e uma mulher foram diagnosticados, diante da situação, o caso é considerado um surto.

Após a constatação dos casos, uma reunião foi realizada entre as partes envolvidas e foi definido que a SEJU irá encaminhar um médico para avaliar a situação e acompanhar o caso dos detentos, avaliar e realizar os exames nos demais presos. Atualmente Toledo tem 185 pessoas presas na cadeia pública.

Os presos que tiveram resultado positivo irão ser transferidos para outro lugar que servirá como “unidade prisional de quarentena”

Dos outros casos citados, apenas uma pessoa está internada, as outras estão em isolamento domiciliar.

Em 24 horas, os casos positivos para Covid-19 aumentaram 35,5%, na cidade.

Clique AQUI para assistir.

Brasil, Educação, Foz do Iguaçu, Geral, Sem categoria,

Manifestação em Foz do Iguaçu antirracismo denuncia desigualdade e violência contra a população negra

Parte da herança de três séculos de escravidão, o racismo brasileiro reproduz desigualdades que tornam a população negra mais vulnerável social e economicamente. A taxa de homicídio de jovens de 15 a 29 anos, de acordo com o IBGE, é de 98,5 – a cada cem mil habitantes – entre pessoas “pretas ou pardas”, ante um índice de 34 de brancos.

Frente a essas e outras situações de injustiça, o coletivo Fronteira Preta reuniu vozes contra o racismo durante ato público nesse domingo, 7, na Praça da Paz, em Foz do Iguaçu. A mobilização integrou a agenda nacional do movimento negro, desencadeada após mortes de jovens no Rio de Janeiro (RJ) e em outras cidades do país.

Participantes do ato exibiram cartazes com nomes de pessoas negras mortas no país (Foto Marcos Labanca)

Com regras de segurança sanitária, como o uso de máscara de proteção, os participantes fixaram faixas e cartazes com nomes de crianças, jovens e adultos – todas pessoas negras – vítimas de violência. Seguiram-se palavras de ordem antirracista, antifascista e de protesto contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Os nomes de pessoas assassinadas no país – “pelo simples fato de serem negras”, conforme expuseram – foram mencionados de maneira espontânea, sugerindo a presença simbólica de cada uma delas. Fez-se um minuto de silêncio, em seguida, como homenagem a essas vítimas do que foi considerado no ato público como violência em função de cor e raça.

Uma das organizadoras da mobilização, Manoela Ferreira afirmou que o racismo deve ser combatido por toda a sociedade. Ela defendeu a necessidade da manifestação pública citando que pessoas negras mortas recentemente não tiveram “direito ao distanciamento social” porque estavam trabalhando ou em ações solidárias durante a pandemia.

“Vidas negras importam enquanto vivas”, enfatizou Manoela, ao microfone. “Não queremos nos manifestar ou lamentar somente quando ocorrem as mortes de pessoas negras”, frisou a integrante do coletivo Fronteira Preta, que é graduada em Direito e estudante de Gestão Pública.

Piores empregos, menores salários

Professora de História na rede estadual de ensino, Aline Torres entende que a eliminação do racismo depende de mobilização, políticas públicas e conscientização da população. A educadora elencou algumas diferenças entre negros e brancos que vigoram, como o acesso desigual ao trabalho e à educação.

“Esse ato antirracista é para denunciar as mazelas que existem em nossa sociedade”, sublinhou. “A população negra muitas vezes não tem acesso à educação e a trabalho digno. Mulheres e homens negros têm as piores ocupações e recebem os menores salários”, expôs Aline, que integra a direção da APP-Sindicato/Foz.

Para que todos ouçam

Estudante de Cinema e Audiovisual, Andressa Caniza Borges disse que o racismo não encontra fronteiras e está amplamente disseminado. Para ela, manifestações públicas como a realizada na Praça da Paz são necessárias para evidenciar a existência de práticas racistas e combatê-las com a participação e envolvimento das pessoas.

“Sou nascida e criada em Foz do Iguaçu, assim como toda a minha família, e temos inúmeras histórias de racismo contra a gente”, revelou. “A importância desse ato é para que o enfrentamento ao racismo se torne uma verdade em Foz do Iguaçu, para que esse discurso seja presente e palpável, escutado por todos”, ressaltou Andressa.

Destaques, Foz do Iguaçu, Geral, Meio Ambiente, Paraná, Sem categoria,

Simepar prevê geadas fracas no Sul, Campos Gerais e Leste do Paraná. Em Foz do Iguaçu, temperatura vai subir

A manhã de domingo (07) começou gelada em Foz do Iguaçu, no Oeste do Paraná, resultado da concentração de massa de ar frio e seco que se desloca para a região Leste, dando lugar ao sol e temperaturas mais amenas.

Para a madrugada desta segunda-feira (08), a previsão é de geadas no extremo sul, divisa com Santa Catarina, até os Campos Gerais e sul da Região Metropolitana de Curitiba, mais ao leste do Paraná.

“As geadas de modo geral serão fracas e ocorrem principalmente nos fundos de vales e áreas protegidas da ação do vento”, diz o Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar).

O posicionamento da área de baixa pressão atmosférica sobre o Litoral do Rio Grande do Sul favoreceu o avanço da massa de ar frio pelo norte da Argentina e Paraguai, diz o meteorologisa Reinaldo Olmar Kneib.

Por isso, o Paraná está enfrentando o núcleo frio mais significativo do Sul do Brasil.

As menores temperaturas foram registradas desde o Oeste, fronteira com o Paraguai até os Campos Gerais do Paraná.

Ponta Grossa registrou o menor valor, 3,5 °C. Durante o dia o sol brilha e o tempo fica aprazível.

Cultura, Destaques, Foz do Iguaçu, Geral, Sem categoria,

VÍDEO: Um passeio revelador pelo Centro Histórico de Foz do Iguaçu. Assista a reportagem!

Por Izabelle Ferrari

Que presente escolher para comemorar 106 anos de vida? Que tal um passeio inesperado pelo Centro Histórico de Foz do Iguaçu para descobrir curiosidades relacionadas a prédios bastante conhecidos e lugares anônimos que tiveram importância nessa história?

Esse foi o presente que escolhemos para comemorar os 106 anos da nossa cidade! Vamos juntos?

Um passeio revelador pelo Centro Histórico de Foz

Que presente escolher para comemorar 106 anos de vida? Que tal um passeio inesperado pelo Centro Histórico de Foz do Iguaçu para descobrir curiosidades relacionadas a prédios bastante conhecidos e lugares anônimos que tiveram importância nessa história? Esse foi o presente que escolhemos para comemorar os 106 anos da nossa cidade! Vamos juntos?#izabelleferraricomunica #h2foz

Publiée par H2FOZ sur Mardi 2 juin 2020