Browsing Category

Brasil

Leia as últimas notícias do Brasil no CabezaNews, site de informação com reportagens exclusivas, fotos, vídeos e conteúdos sobre Foz do Iguaçu e sobre o Paraná.

O CabezaNews leva ao público notícias de utilidade pública, curiosidades, turismo, lazer, cultura. Sobretudo com um olhar voltado para a região da tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina.

Em Foz, nossa cobertura foca os principais acontecimentos da cidade, incluindo eleições 2020, o avanço da pandemia do novo coronavírus, as ações da Itaipu Binacional, bem como a administração do prefeito Chico Brasileiro.

O site não deixa de lado o que acontece no restante do estado do Paraná. Notas exclusivas dos bastidores da política, da Assembleia Legislativa, ações do governo do Paraná e da administração Ratinho Júnior. Assim como as principais notícias nacionais.

O CabezaNews é editado por Ronildo Pimentel, jornalista com mais de 30 anos de atuação em jornalismo impresso e digital.

Brasil, Economia,

Concessão de benefícios do INSS fica mais rápida

Novos prazos são fruto de acordo entre a instituição, o MPF e a DPU

A partir desta quinta-feira (10) começam a valer os novos prazos para concessão de benefícios do INSS. As novas datas foram fruto de acordo da instituição e de outros órgãos do governo federal com o Ministério Público Federal (MPF) e a Defensoria Pública da União (DPU).

De acordo com o presidente do INSS, Leonardo Rolim, o acordo firmado vai ao encontro das ações que a instituição já vem adotando desde 2020 para reduzir o tempo de espera do segurado. “Contratamos servidores temporários; ampliamos as equipes de análise em 22%; ampliamos o número de benefícios concedidos de forma automatizada; realizamos mutirões para os benefícios mais solicitados, como auxílio-maternidade e pensão por morte, entre outras ações”, afirma.

Caso os prazos não sejam cumpridos, haverá o pagamento de juros de mora ao segurado, e o pedido será encaminhado para a Central Unificada para o Cumprimento Emergencial que terá um prazo de dez dias para a conclusão da análise.

As informações são de Agência Brasil

Brasil, Destaques, Economia,

Advogado detalha as mudanças no pagamento do PIS/PASEP

O advogado Gilmar Cardoso está alertando aos trabalhadores beneficiários com os abonos do PIS/PASEP 2021/2022 que o pagamento que começaria no mês de julho foi adiado para 2022

Segundo Cardoso o saque do abono salarial (Pis/Pasep) 2020/2021, referente ao ano-base 2019, pode ser feito até 30 de junho de 2021 por todos aqueles que têm direito de receber o benefício. Caso o beneficiário não saque a quantia, o valor ficará disponível somente no próximo calendário, referente ao ano-base de 2020.

Gilmar Cardoso afirmou que de acordo com os dados oficiais os trabalhadores brasileiros têm R$ 24,5 bilhões a receber parados no banco. É um dinheiro de duas fontes diferentes: as cotas do PIS/Pasep e o abono salarial também do PIS/Pasep. Existe um prazo para cada uma dessas fontes. As cotas podem ser sacadas até maio de 2025, mas o prazo do abono termina no fim deste mês.

O Codefat (Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador) com representantes dos trabalhadores, empresas e governo, numa reunião, decidiram adiar o pagamento do PIS/Pasep que seria efetuado em 2021, para o próximo ano. Portanto, o trabalhador que exerceu uma atividade pelos 30 dias em 2020 não poderá realizar o saque no mês que vem, reitera o advogado.

Gilmar Cardoso esclarece que o governo federal pretende programar o calendário 2020 e 2021 simultaneamente, ou seja, pagando os dois de uma vez só. Sendo assim, o pagamento do PIS/Pasep 2020 será realizado integralmente em 2022. Embora, o governo ainda não tenha divulgado o calendário, mas, deverá usar o mesmo sistema, ou seja, conforme a data de nascimento do trabalhador. Os valores serão pagos no primeiro semestre de 2022, disse.

O advogado esclarece ainda que a diferença entre os dois pagamentos é a seguinte: as cotas do PIS/Pasep podem ser sacadas por quem trabalhou em empresas e órgãos públicos entre 1971 até 1988. Se o cotista morreu, os herdeiros têm direito. Os recursos podem ser sacados na Caixa Econômica Federal. O abono salarial é pago para quem trabalhou com carteira assinada ou como funcionário público no ano anterior. Para ter direito, é preciso preencher alguns requisitos, como ter recebido em média até dois salários mínimos por mês, descreve.

O valor pago no abono é de até um salário mínimo (R$ 1.100, em 2021) e varia de acordo com o tempo que a pessoa trabalhou. Quem trabalha no setor privado pode fazer o saque na Caixa. Servidor público retira no dinheiro no Banco do Brasil.

Segundo o Ministério da Economia, os valores são arredondados para cima. Quem trabalhou por um mês, por exemplo, teria direito a R$ 91,67 de abono. Com o arredondamento, o trabalhador recebe R$ 92,00.

Gilmar Cardoso destaca que com a Lei 13.134/15, o Abono Salarial passou a ter valor proporcional ao tempo de serviço do trabalhador no ano-base em questão. O cálculo do valor do benefício corresponde ao número de meses trabalhados no ano-base multiplicado por 1/12 do valor do salário mínimo vigente na data do pagamento.

O trabalhador deverá ter trabalhado no mínimo 30 dias com carteira assinada por empresa no ano-base, requisito para ter o direito ao Abono Salarial, e cada mês trabalhado equivale a 1/12 de salário mínimo no valor do benefício, sendo que o período igual ou superior a 15 dias contará como mês integral, explicou. O trabalhador que não fizer o saque nas datas estipuladas tem direito ao abono salarial pelo prazo de cinco anos. É possível consultar a disponibilidade e os valores do Pis/Pasep pela internet, tanto para aqueles que já receberam, quanto para os que ainda devem sacar o benefício.

PIS/PASEP 2022

Mesmo como adiamento do abono salarial, fique sabendo, que as regras continuarão as mesmas. Por isso, para ter acesso ao abono será necessário o trabalhador ter exercido uma atividade 30 dias de carteira assinada em 2020 e 2021.

Você só não pode esquecer que o valor que é pago no abono salarial é conforme o tempo trabalhado, ou seja, os valores podem variar, recorda.

Para quem trabalhou 30 dias irá receber um valor menor e quem trabalhou 12 meses no ano todo recebe um salário mínimo, ressalta.

Abono Salarial

É o benefício anual do trabalhador equivalente ao valor de, no máximo, um salário mínimo.

Até quando posso sacar o abono salarial?

O abono salarial estará disponível para saque até o fim deste mês, 30 de junho.

Onde é feito o saque?

Recebeu o crédito em poupança digital? O saque pode ser realizado nos terminais de autoatendimento, lotéricas e correspondentes Caixa Aqui a partir da geração de token diretamente no app Caixa Tem. O token também pode ser gerado nas agências, com a apresentação de documento de identificação com foto.

É correntista individual da Caixa?

O abono é depositado diretamente na conta, caso haja saldo acima de R$ 1 e movimentação

É servidor público?

O saque é feito nas agências do Banco do Brasil, com documento de identificação. Servidores correntistas do banco recebem o dinheiro diretamente na conta. Mais informações sobre o Pasep podem ser obtidas pelo telefone do BB: 0800 729 0001.

Próximo calendário

O calendário de pagamento do Pis/Pasep 2021/2022 para aquelas pessoas que trabalharam pelo menos um mês em 2020, que usualmente começaria a ser pago em julho deste ano, foi transferido para 2022.

O governo informou que o calendário com base nos anos de 2020 e 2021 devem ser programados para serem pagos simultaneamente a partir de janeiro de 2022.

Quem tem direito ao abono salarial

Têm direito ao Abono Salarial os trabalhadores que atendem simultaneamente às seguintes condições:

• Estar cadastrado no PIS/PASEP há pelo menos cinco anos; • Ter recebido de empregador contribuinte do PIS/PASEP (inscrito sob CNPJ) remuneração mensal média de até dois salários mínimos durante o ano-base que for considerado para a atribuição do benefício; •Ter exercido atividade remunerada, durante pelo menos 30 dias, consecutivos ou não, no ano-base considerado para apuração; • Ter seus dados informados pelo empregador corretamente na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) do ano-base em questão.

O valor do Abono Salarial

O Abono Salarial é proporcional aos meses trabalhados no ano base do benefício. O valor máximo é de um salário mínimo, ou seja, R$ 1.100 neste ano. Quem trabalhou um mês, recebe R$ 92, aqueles que trabalharam dois meses ganham R$ 184 e assim sucessivamente.
Como sacar o benefício

O abono salarial do Pis é pago aos trabalhadores do setor privado pela Caixa Econômica Federal, enquanto o pagamento do Pasep aos servidores públicos é feito pelo Banco do Brasil.

Onde encontrar o número do Pis/Pasep

O número do PIS é o mesmo do NIS (Número de Identificação Social) e do NIT (Número de Identificação do Trabalhador).

Os números podem ser encontrados em alguns documentos:

• Carteira de trabalho • Extrato do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) • Cartão Cidadão (PIS) • Agência da Caixa, com documento oficial com foto (PIS) • Agência do Banco do Brasil, com RG e CPF (Pasep)

Como sacar o PIS na Caixa

• Quem possui o Cartão Cidadão pode efetuar o saque nos caixas eletrônicos da Caixa, Correspondentes Caixa Aqui e Lotéricas. • Quem não possui o cartão, deve procurar uma agência da Caixa e apresentar um documento oficial de identificação. Na ocasião, o trabalhador pode aproveitar para solicitar o Cartão Cidadão e cadastrar sua senha. • Quem possuir conta individual na CAIXA pode ter o benefício depositado diretamente na conta, caso haja saldo acima de R$1,00 e movimentação.

Como sacar o Pasep no BB

Os pagamentos do abono salarial são realizados com crédito em conta corrente ou poupança do Banco do Brasil. Quem não recebeu o valor em sua conta, pode efetuar o saque em uma agência, com a apresentação de um documento oficial de identificação.

Como saber se tenho direito?

Para saber se tem direito ao abono salarial, é possível fazer a consulta das seguintes maneiras: PIS (trabalhador de empresa privada): No Aplicativo Caixa Trabalhador Pelo telefone de atendimento da Caixa: 0800 726 0207.

Pasep (servidor público): Pelos telefones da central de atendimento do Banco do Brasil: 4004-0001 (capitais e regiões metropolitanas); 0800 729 0001 (demais cidades) e 0800 729 0088 (deficientes auditivos).

Brasil, Coronavírus, Destaques, Geral,

Covid- 19 no Paraguai: Governo pede ajuda ao Brasil com envio de oxigênio a hospitais

O presidente Mario Abdo Benítez telefonou para o presidente Jair Bolsonaro pedindo ajuda na importação do produto

O presidente Mario Abdo Benítez entrou em contato com Jair Bolsonaro, para administrar a flexibilização das medidas do país vizinho para a exportação de oxigênio e permitir às empresas paraguaias importar 700 toneladas por semana.

O governo paraguaio realizou nesta terça-feira reunião entre ministros do Poder Executivo e representantes de empresas fornecedoras de oxigênio.

O encontro contou com a presença do presidente Abdo Benítez, que entrou em contato com o chefe de Estado brasileiro para solicitar formalmente o pedido do setor.

O pedido consiste em flexibilizar as medidas por cerca de 60 a 90 dias e permitir uma maior importação de oxigênio do Brasil para suprir a demanda interna, afirmou o ministro da Indústria e Comércio (MIC), Luis Castiglioni.

Atualmente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) impõe um limite à exportação de oxigênio de até 100 toneladas por semana, aplicado excepcionalmente devido à pandemia.

As informações são de Agencia de Información Paraguaya

Brasil, Paraná,

Veja essa: Deputado federal do Paraná orienta ‘matar mais lideranças’ do crime e ‘mostrar quem manda’

O deputado federal Gilson Cardoso Fahur (PSD-PR) aprovou a ação dos órgãos de segurança em Manaus, que resultou na morte de um suposto líder do tráfico. Ao comentar reportagem da Folha de S.Paulo, sobre a madrugada de ataques que o ato desencadeou, Sargento Fahur orientou a matança de outras “lideranças do crime”.

“Agora não pode recuar. Tem que matar mais lideranças do crime e mostrar quem manda”, disparou o parlamentar, em um post no Twitter.

“E os lideres que estiverem presos devem ser transferidos para Presídios Federais, onde viram frangas”, completou o deputado.

A manifestação de Sargento Fahur não caiu muito no gosto de seus seguidores na rede social:

“Para atacar manifestação pacífica são bons. Uns verdadeiros covardes…”, comentou um dos internautas.

“Pra prender trabalhador chegavam em comboio.”, ressaltou outro. “E se for miliciano, amigo de farda?”, indagou um terceiro.

Entre uma e outra manifestação de apoio, teve alguém que indagou o Supremo Tribunal Federal (SRF) e o ministro Edson Fachin, para opinar sobre a orientação de extermínio.

Em 2018, Fahur recebreu 314.963 votos e se elegeu pela coligação PSD/PSC/PR/PPS/PODE como o deputado federal mais votado do Paraná, pela região de Londrina, no Norte do Estado.

Brasil, Destaques, Foz do Iguaçu,

VÍDEO: Foz Cataratas Poker Futsal joga em Brasilia neste domingo, 06

O Foz Cataratas Poker Futsal enfrenta o Brasília Futsal em confronto válido pela 6ª rodada da Liga Nacional de Futsal, neste domingo, 6 de junho, às 11 horas, no Distrito Federal.

A partida será realizada com portões fechados para o público, a medida faz parte dos protocolos de proteção ao covid-19.  


O Azulão busca a reabilitação após derrota contra o Praia Clube Futsal na última quarta-feira, 2.

O torcedor do Azulão das 3 Fronteiras poderá acompanhar o jogo pelo canal da TV Brasil. Também há opção de assistir à partida pelo portal da TV Brasil na internet: https://tvbrasil.ebc.com.br/

Brasil, Coronavírus, Saúde,

Entenda a decisão da Anvisa sobre as Sputnik V e a Covaxin contra a covid

A Agência, que havia rejeitado a compra dos imunizantes, mudou a orientação depois da chegada de novos documentos das fabricantes. Diante da crise sanitária, a Agência autorizou a importação do imunizantes com restrições

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, nesta sexta-feira (4), o pedido de importação excepcional das vacinas Sputnik V e Covaxin contra a Covid-19. (Veja abaixo o que significa a decisão da Agência).

A Agência, que havia rejeitado a importação dos imunizantes, mudou a orientação depois da chegada de novos documentos das fabricantes. Ainda assim, estabeleceu protocolos específicos para aplicação das doses e limitação de público que pode ser vacinado.

Covaxin e Sputnik V: O que muda na vacinação do Brasil com decisão da Anvisa
A Sputnik V foi requisitada por seis estados: Bahia, Maranhão, Sergipe, Ceará, Pernambuco e Piauí. Em abril, um pedido de 30 milhões de doses para 14 estados foi rejeitado pela Anvisa.

A Covaxin faz parte de encomenda do Ministério da Saúde, que renovou o pedido de importação de 20 milhões de doses – em março, a compra também foi negada pela agência.

A Anvisa já aprovou para uso no Brasil a CoronaVac, a vacina de Oxford/AstraZeneca, a da Pfizer/BioNTech e a da Johnson. Esta última, entretanto, ainda não tem doses disponíveis no país.

Veja abaixo, para entender de forma mais detalhada, as principais perguntas sobre as duas vacinas:

  • Quais vacinas estavam em análise?
  • A Anvisa autorizou o uso emergencial dessas vacinas?
  • Mas as doses importadas poderão ser usadas?
  • Quais são as condições impostas pela Anvisa?
  • Em quais casos as doses dessas vacinas não poderão ser aplicadas?
  • Serão quantas doses importadas?
  • As doses serão entregues ao Progama Nacional de Imunizações (PNI)?
  • O uso pode ser suspenso?

Quais vacinas estavam em análise?
Estavam em análise dois pedidos:

  • importação de doses da Covaxin pelo Ministério da Saúde
  • importação de doses da Sputnik V pelos estados

O pedido de importação pelos estados é distinto e independente do pedido de uso emergencial feito pela União Química, que produz a Sputnik V no Brasil. O pedido da União Química está com prazo de análise suspenso e depende de informações completas do laboratório — que serão analisadas separadamente pela Anvisa.

A Anvisa autorizou o uso emergencial dessas vacinas?
Não. A agência autorizou a importação em caráter excepcional dos lotes solicitados. Ou seja, outros lotes da Covaxin e Sputnik V só poderiam chegar ao Brasil caso esse mesmo pedido à Anvisa fosse refeito.

As farmacêuticas teriam de fazer uma outra solicitação se quiserem a autorização do uso emergencial desses imunizantes, o que permitiria a continuidade da importação.

A Anvisa já aprovou para uso no Brasil a CoronaVac, a vacina de Oxford/AstraZeneca, a da Pfizer/BioNTech e a da Johnson & Johnson. Esta última, entretanto, ainda não tem doses disponíveis no país.

Mas as doses importadas poderão ser usadas?

Sim, pelo que estabelece o parágrafo 3º, do art. 13 da lei 14.124/2021:

§ 3º Os Estados, os Municípios e o Distrito Federal ficam autorizados a adquirir, a distribuir e a aplicar as vacinas contra a Covid-19 registradas, autorizadas para uso emergencial ou autorizadas excepcionalmente para importação, nos termos do art. 16 desta Lei, caso a União não realize as aquisições e a distribuição tempestiva de doses suficientes para a vacinação dos grupos previstos no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19.

A área técnica da Anvisa impôs algumas restrições ao uso dos imunizantes.

Veja Mais em G1 Globo

Brasil, Coronavírus, Destaques, Paraná, Saúde,

Fiocruz prevê 50 milhões de doses contra covid-19 com insumo nacional em 2021

Conforme Bio-Manguinhos/Fiocruz, nos próximos dias os profissionais da instituição cuidarão do descongelamento dos produtos recebidos

A Fiocruz recebeu nesta quarta-feira, 2, a primeira remessa dos bancos de células e de vírus necessários para o início da produção nacional do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), prevista para começar ainda este mês. Dessa forma, a expectativa é de que em até quatro meses seja reduzida a dependência de insumos para imunizantes vindos de outros países, como a China.

Base para a produção do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), os dois ingredientes são o “coração” da tecnologia da vacina. Chegaram ao País no dia seguinte à assinatura do contrato de transferência de tecnologia da AstraZeneca para a Fiocruz. A previsão é de que, a partir de outubro, a instituição já distribua imunizantes 100% nacionais – o que é crucial para garantir a autonomia do País. O montante deve chegar a 50 milhões de doses em 2021.

A presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, explicou que a projeção divulgada originalmente, de entregar entre 100 milhões e 110 milhões de doses de produção inteiramente nacional até o fim do ano, era uma estimativa feita de acordo com o conhecimento tecnológico que se tinha na época, antes mesmo de o imunizante ter sido aprovado. Agora, com a transferência da tecnologia concluída, a realidade se revelou mais complexa.

“Somos uma instituição científica, não fazemos previsões, fazemos estimativas”, frisou ela. “Há coisas que só no processo de desenvolvimento é possível saber. O problema não é só aqui, é no mundo todo. É uma plataforma nova (de fabricação de vacina) sendo adotada por vários sítios de produção em diferentes países ao mesmo tempo.” A instituição poderá precisar suspender produção, por exemplo, para produzir os próprios bancos de células e vírus.

A Fiocruz deve receber ainda mais duas remessas dos bancos de células e vírus, segundo explicou o diretor de Biomanguinhos, Maurício Zuma. Trata-se de um cuidado para preservar o material, considerado extremamente precioso. A produção começa ainda este mês, mas restam algumas etapas a serem cumpridas antes da produção em massa do imunizante nacional. As primeiras doses produzidas formarão os lotes de validação (veja acima). Passarão pela análise da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da própria AstraZeneca. A partir de outubro, serão 15 milhões de doses com IFA nacional entregues mensalmente.

As informações são de Banda B

Brasil, Educação, Paraná,

Unicentro propõe metodologia diferenciada para Matemática em escolas públicas

Um projeto desenvolvido na Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) propõe uma metodologia diferenciada para o ensino de matemática em escolas públicas. O projeto Matemática Coletiva surgiu em 2020 com o intuito de apresentar recursos didáticos diferenciados que estimulem o processo de ensino-aprendizagem, para professores e alunos da rede estadual de Irati e região.

A coordenadora do projeto, professora Joyce Jaquelinne Caetano, explica que a proposta pretende ampliar a formação dos estudantes do curso de Licenciatura em Matemática e também criar mecanismos para despertar o gosto pela disciplina nos alunos das escolas da educação básica. “Foi necessário produzir o material didático de apoio, fazer com que o material fosse acessado por todos os alunos e, dessa forma, se constituísse também em uma forma de colaborar com os professores de Matemática”, explica.

O projeto Matemática Coletiva surgiu em 2020, com o intuito de apresentar recursos didáticos diferenciados que estimulem o processo de ensino-aprendizagem, para professores e alunos de Matemática da rede estadual de Irati e região. – Foto: Unicentro

O projeto atende 140 professores da disciplina que atuam em 55 escolas estaduais, dos nove municípios da região de Irati. Segundo a coordenadora, o intuito é expandir as ações do Matemática Coletiva para englobar, também, as escolas municipais da região.

Estratégias – Entre as atividades desenvolvidas estão a produção de vídeo-aulas e listas com atividades diferenciadas, que vão auxiliar os professores. Outra estratégia foi a utilização da arte, por meio do teatro, para demonstrar recursos que contribuem para a aprendizagem. O objetivo é tornar o ensino da Matemática mais interessante.

A primeira ação de 2021 consistiu na elaboração de quatro peças de teatro online que estão disponibilizadas para as escolas e professores. A atividade recebeu apoio do Núcleo Regional de Educação de Irati e foi compartilhada com os estudantes dos programas de Residência Pedagógica e Iniciação à docência, da área.

A professora Regiane Gomes de Araujo, do Colégio Estadual João XXIII, de Irati, acompanhou toda a intervenção dos estudantes da Unicentro nas aulas de Matemática ministradas na escola. Para ela, as atividades dinâmicas se tornam mais atrativas para o aluno, o que colabora com o desenvolvimento do entusiasmo para a aquisição do conhecimento.

“O projeto foi muito bem aceito por nossos alunos. Eles gostaram muito dos vídeos, das aulas e das atividades propostas. Com a apresentação dos vídeos e tirinhas presentes no projeto Matemática Coletiva, o ensino-aprendizagem ocorre com uma qualidade muito maior”, complementa.

Novelas e contos – Para as próximas ações estão previstas novelas e contos, utilizando conceitos matemáticos para o público infantil. A coordenadora do projeto destaca que os estudantes e professores envolvidos têm o cuidado de produzir materiais também para os alunos que não possuem acesso a computador ou internet.

“Para envolver todos os estudantes nas atividades propostas, a equipe adapta a produção para o meio impresso e, com o auxílio das escolas, envia os materiais aos estudantes”, explicou a professora Joyce Jaquelinne Caetano. “É importante, diante do cenário em que vivemos, usarmos a criatividade para nos reinventar, trabalharmos de forma colaborativa e coletiva, nesses novos espaços de aprendizagem”, enfatiza.

Grupo – O grupo Matemática Coletiva é formado por 27 alunos do 2º, 3º e 4º anos do curso de Matemática da Unicentro, além de três professores da universidade que atuam na coordenação do projeto. Nos próximos meses, a expectativa é atender toda a Educação Básica (séries iniciais, ensino fundamental e médio) de Irati e região.

As informações são de Agência de Notícias do Paraná

Brasil, Destaques, Geral,

1° de junho, Dia da Imprensa

Nesta terça-feira, 1° de junho, é comemorado o Dia Nacional da Imprensa. Até 1999, a data era lembrada em 10 de setembro, dia em que começou a circular “A Gazeta”, primeiro jornal publicado no Brasil.

A celebração teve a data alterada pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que definiu como 1°de junho o Dia da Imprensa, pois foi nessa data que se publicou o “Correio Braziliense”, jornal editado na França e com circulação no Brasil que visava informar a população brasileira sobre os acontecimentos na Europa.

O time Cabeza News deseja tudo de bom aos profissionais da imprensa.

Brasil, Destaques, Geral,

Mulheres: Já nascemos corajosas!

Lydia Luyza Gandolfi Cardoso

Somos todas Bertha Lutz, Simone de Beauvoir, Carlota Pereira de Queiroz (eleita a primeira deputada do Brasil)… Dentre tantas!

Em 1827, por meio de uma lei, as mulheres brasileiras foram autorizadas a frequentar a escola. No entanto, a lei garantiu acesso apenas às escolas elementares. O mundo era dos homens…

No mundo, o movimento feminista surgiu como uma forma de reivindicar o acesso à educação e muitos outros direitos básicos. As origens do movimento estão atreladas aos acontecimentos da década de 1960. Nesta época, com o surgimento da pílula anticoncepcional, as mulheres conquistaram maior autonomia sexual.

Escritoras como Simone de Beauvoir e Betty Friedan ganharam espaço por buscarem desconstruir o papel então convencionado para a mulher na sociedade. O mundo ainda era dos homens…

Um caso emblemático desse período aconteceu no dia 7 de setembro de 1968, quando centenas de mulheres de várias partes dos Estados Unidos saíram às ruas de Atlantic City e protestaram contra os estereótipos femininos e a “ditadura da beleza”. A ideia era fazer uma queima coletiva de sutiãs. No entanto, o plano não foi concretizado. O mundo ainda era dos homens…

Em 1961, a comercialização da pílula anticoncepcional causou uma revolução de costumes e liberdade sexual. A pílula foi desenvolvida por dois médicos americanos, Gregory Pincus e Carl Djarassi, com incentivo da feminista e ativista social Margaret Sanger e financiamento de Katharine McCormick, uma rica herdeira industrial. O mundo ainda era dos homens…

O histórico da maioria das sociedades que nos antecederam restringe o papel da mulher como reprodutora e cuidadora do lar, sempre sendo “protegida” pelo homem. Como a mulher nunca trabalhava por estar sempre cuidando dos filhos e das responsabilidades da casa, o homem, por sua natureza maior fisicamente e mais forte, assumiu o papel de provedor e protetor da família.

Com a evolução dessas sociedades sendo baseada no núcleo familiar dito patriarcal, o homem alcançou posições mais privilegiadas e papéis mais importantes do que a mulher, com isso as mulheres foram ficando cada vez mais diminuídas no que diz respeito a posição que ocupavam na sociedade, sendo submetidas a mero objeto de posse masculina, a criação da mulher era baseada em sempre respeitar um “macho alfa” dentro do núcleo familiar, primeiro pai, depois o marido e, se caso enviuvassem, o filho mais velho,que tomaria as rédeas da família.

As mulheres, na política, representam hoje 5,7% do total dos prefeitos eleitos, e 11,61% dos vereadores. No Congresso Nacional, a bancada feminina é composta por cinco senadoras e trinta e quatro deputadas federais. No poder Judiciário, uma mulher passa, pela primeira vez, a ocupar uma vaga de ministra do STF (Supremo Tribunal Federal). Ainda é MUITO pouco, e entender a evolução histórica do papel feminino, explica tudo!

Hoje, as mulheres representam 44% do mercado de trabalho, mas recebem remuneração 41,3% menor que a dos homens. E isso se dá apesar de 42% delas já terem concluído o 2º grau; esse índice, entre os homens, é de 26%, segundo dados do DIEESE. Na área rural, as mulheres conquistaram o direito ao título da terra, antes destinado apenas ao homem.

Temos mais um milhão de mulheres jovens grávidas todos os anos e uma mulher sofre uma agressão a cada quatro minutos. Apavorante não é? Mas é tão “simples” deixar o lar… Como dizem por ai em páginas falsas sobre empoderamento… A realidade não é, e nunca será a mesma para toda a população feminina.

São dados da CPI da Violência Contra a Mulher, do Congresso Nacional. E, segundo dados da Sociedade Mundial de Vitimologia, 23% das mulheres brasileiras estão sujeitas a algum tipo de violência doméstica 2021, ainda somos questionadas diariamente sobre nossa capacidade para exercer funções de chefia, ainda ouvimos comentários como “saiu com quem para estar sentada ai”, ou “ onde está o seu chefe?”, o mundo ainda é dos homens. . Algumas mulheres por idolatria a vida de conforto e riqueza abrem mão de sua própria identidade. Não raras vezes apresentam-se, simplesmente, como esposa do senhor fulano de tal sem, sequer, mencionar o próprio nome.

Em pleno século XXI, ainda não é possível dizer que a mulher encontra-se socialmente em igualdade de condições com o homem. É inegável que houveram inúmeras conquistas e que a situação de jugo do homem sobre a mulher diminuiu consideravelmente. Atualmente há meninas estudando no Colégio Militar, como em minha cidade, Curitiba PR, reduto tradicionalmente masculino, mas ainda há escolas, como o Colégio São Bento, que não as admitem em suas salas de aula, a despeito do que preceitua nossa lei maior. Dá pra acreditar?

Há mulheres nas forças armadas, mas suas carreiras não atingem os postos mais elevados. Elas estão competindo, em todas as carreiras, com os homens, por um lugar ao sol no mercado de trabalho, mas a média de salários das mulheres é bastante inferior à dos homens, ainda que ocupantes dos mesmos cargos.

Fica a reflexão para iniciarmos a segunda feira, motivadas. Corajosas já somos de nascença! Herdamos de nossas mães, mulheres muito mais corajosas do que nós!

• LYDIA LUYZA GANDOLFI CARDOSO, 23, é Acadêmica de Direito e atua no ramo de mídias sociais na Capital do Estado.