Browsing Category

Cultura

Leia as últimas notícias sobre Cultura no CabezaNews, site de informação com reportagens exclusivas, fotos, vídeos e conteúdos sobre Foz do Iguaçu e sobre o Paraná.

O CabezaNews leva ao público notícias de utilidade pública, curiosidades, turismo, lazer, cultura. Sobretudo com um olhar voltado para a região da tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina.

Em Foz, nossa cobertura foca os principais acontecimentos da cidade, incluindo eleições 2020, o avanço da pandemia do novo coronavírus, as ações da Itaipu Binacional, bem como a administração do prefeito Chico Brasileiro.

O site não deixa de lado o que acontece no restante do estado do Paraná. Notas exclusivas dos bastidores da política, da Assembleia Legislativa, ações do governo do Paraná e da administração Ratinho Júnior. Assim como as principais notícias nacionais.

O CabezaNews é editado pelo por Ronildo Pimentel, jornalista com mais de 30 anos de atuação em jornalismo impresso e digital.

Cultura, Destaques, Foz do Iguaçu, Paraná,

Reação Química completa nove anos com bandas convidadas na volta de shows presenciais em Foz do Iguaçu

A iguaçuense Reação Química completa no próximo mês nove anos de muito Punk Rock e HC (Hard Core) na Tríplice Fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina. Para celebrar a data, a banda fará uma apresentação especial com três convidadas conhecidas de Foz do Iguaçu – Experience, Rock n Slides e Onda Guazú.

A festa da Reação Química está programada para o próximo dia 6 de novembro (sábado), a partir das 20h no Teatro Barracão, aos fundos da Praça da Bíblia na região leste de Foz do Iguaçu. A atividade marca também a volta dos shows undergrounds com presença de público após um ano e oito meses.

Leia também
VÍDEOS: Reação Química parte para o vamos fazer!!!

“A vida é um infinita luta”, diz o vocalista Giovani “Lixo” Fagundes, fundador e único remanescente da primeira formação, ao anunciar a festa da Reação Química com bandas parceiras. “Nove anos de muito punk rock na fronteira. E todos vocês estão convidados”, afirma.

O grupo, formado em 2013, tem reportório mesclado com músicas próprias e versões de ícones do punk rock dos anos 1980. A formação atual da Reação Química, além de Lixo, conta ainda com Rodrigo, Ariel e Betão (guitarras), Ivan e Gab (bateria) e Ronildo Pimentel (baixo).

As convidadas para a noite de aniversário são conhecidas de Foz e região. A Experience, capitaneada por Niltinho e Zé Luiz, está em atividade há mais de duas décadas e conta agora com o guitarrista Claudião. Também estão programadas Rock n Slides e o Onda Guazú.

A promoção não terá cobrança de ingresso, mas doações de alimentos serão aceitas para ajudar alguma instituição beneficente. O festival conta com apoio do Coletivo Underground, Jhonny Studio Bar e o portal Cabeza News.

Cultura, Geral, Paraná,

Central de Atores realiza oficina de criação com a atriz, autora e diretora Grace Gianoukas

Atriz e diretora que revolucionou o jeito de fazer humor no Brasil e criou o Terça Insana ministrará o curso nos dias 10 e 11 de novembro, em Curitiba

A diretora Grace Gianoukas, expoente do humor moderno no Brasil, realizará oficina nos dias 10 e 11 de novembro, no Espaço Excêntrico, em Curitiba-PR. O evento é organizado pela Central de Atores, espaço de aprendizagem que atua formando atores com foco no audiovisual. 

Segundo a organizadora, a atriz, produtora e empresária Verônica Rodrigues, o workshop é um presente para atores e atrizes que desejam aprimorar suas performances autorais, além de ser uma oportunidade única para apresentar seus solos para uma profissional de excelência que lançou diversos atores e atrizes no mercado nacional. 

O objetivo do workshop é ampliar o olhar sobre as performances do cotidiano. “Vamos descobrir as possibilidades de ressignificação do espaço cênico a partir da manifestação artística e refletir sobre o papel do ator na criação da obra, com ênfase em seu trabalho e na sua relação com o público, provando que o humor pode ser usado como ferramenta para melhorar a sociedade”, explica Grace Gianoukas.

A oficina busca instrumentalizar os atores  no processo de criação de personagens inéditas. Os participantes serão convidados a fugir da pasteurização e buscar o humor crítico, contemporâneo, inteligente e inusitado, voltando o olhar pra dentro de si mesmos, para “Deixarmos de rir do outro para rirmos de nós mesmos”, completa”, completa Grace.

No workshop, Grace Gianoukas aborda também o nascimento, o desenvolvimento e a profissionalização do Projeto Terça Insana. Ela ainda coloca sua visão de diretora explicando a ideologia, o método, as diretrizes, os processos de criação e produção de cenas e textos.

Público alvo

O evento é voltado a atores e atrizes profissionais, e também qualquer pessoa a partir de 14 anos com interesse pela interpretação e criação de textos e personagens. É preferível que o aluno tenha tido alguma experiência com comédia, seja como espectador, autor ou ator (amador ou profissional).

Sobre Grace Gianoukas

Grace Gianoukas construiu, ao longo de sua carreira no teatro, uma obra ousada e original, onde usou a comédia para tocar em assuntos que geralmente eram considerados tabus na sociedade da época. Seus textos de humor fazem uma autocrítica do comportamento humano, sem nunca fazer uso de preconceitos, nem de humilhação, nem de “piadas prontas”, sempre tentando filosofar com o público e levar ao palco o ponto de vista das minorias em relação ao comportamento das maiorias.

Em 2001, criou o projeto de comédia TERÇA INSANA, onde até hoje atua, dirige e escreve. Este projeto revolucionou a comédia contemporânea no Brasil, já levou aos palcos mais de 400 atores, tem em seu acervo cerca de 700 personagens e cenas originais, 352 espetáculos com diferentes roteiros e dois DVDs.

Na TV atuou na TV Cultura em “Ra-tim-bum” e  “Castelo Ra-tim-bum” . Na TV Globo atuou na “Escolinha do Professor Raimundo”, “Sex Appeal”, “Bang Bang”, “Guerra dos Sexos”, “Haja Coração”, “Amor e Sexo”, “Orgulho e Paixão” e “Salve-se Quem Puder”. No Multishow fez “Eu, Ela e Um Milhão de Seguidores”, “O Dono do Lar” e “Vai que Cola”.

Serviço

Local: Espaço Excêntrico (Rua Lamenha Lins,1429 – Rebouças/ Curitiba- PR)
Cronograma: 10 e 11 de Novembro
Carga horária: 7 horas/aula
Informações: (41) 99644-8533
Link para aquisição: https://www.sympla.com.br/workshop-com-grace-gianoukas—-palco-pra-que__1373260

Cultura, Foz do Iguaçu, Geral,

Escola de dança e teatro de Foz do Iguaçu inova e lança três filmes no cinema

A produção dos longas-metragens gerou empregos e envolveu mais de 150 alunos, além da equipe técnica

Tapete vermelho, painel para fotos, flashes, sala de cinema e muita comemoração! Assim será a pré-estreia dos três filmes produzidos pela Cia do Corpo Centro de Artes, de Foz do Iguaçu. A avant-première dos longas-metragens está marcada para os dias 27 e 28 de outubro (quarta e quinta), no Cine Cataratas, do JL Shopping. Os ingressos já podem ser adquiridos pelos canais oficiais do cinema. Esses filmes materializam a sensação de conquista da escola de dança e teatro que conseguiu converter em inovação o período mais difícil pelo qual passou em 20 anos de atuação (devido à pandemia mundial).

“Foi um mal que trouxe um bem enorme para a nossa atuação enquanto artistas, porque precisamos ressignificar muita coisa”, avalia Adriana Gomes, diretora da Cia do Corpo. É que todo final de ano, os alunos dos cursos de teatro e dança apresentam espetáculos que marcam o encerramento das atividades. Mas, no ano passado, com a impossibilidade de se promover eventos, surgiu a ideia de expressar os aprendizados num filme, o que acabou resultando na produção, gravação e edição de três longas-metragens.

Movimentação do bem!

Depois de um período de ensaios, mais de 150 alunos da Cia do Corpo, dos cursos de dança e teatro, partiram para as gravações. Luan Rodrigues, de 13 anos, considera que amadureceu muito como ator ao conhecer os equipamentos de gravação e acompanhar a atuação da equipe de filmagens. Aluno do curso de teatro há quatro anos, ele destaca: “Foi uma experiência diferente, porque estávamos acostumados com palco e ter essa vivência de atuação em filme foi muito legal!”. O colega de elenco, Benício Muniz, de 58 anos, também considerou que houve grande aprendizado: “Fui pego de surpresa, mas aceitei no mesmo momento, porque sabia que seria super bem dirigido!”.

Os sets foram cenários reais da cidade de Foz do Iguaçu, incluindo áreas de mata na margem do rio Iguaçu, prédios históricos, espaços de eventos, galpões e moradias. Os três filmes são: As 4 Estações de Vivaldi, Compasso no Ritmo da Vida e Operação Camp – A Turma da Escola. Além disso, há mais um filme em produção.

Uma equipe de 30 profissionais técnicos, entre cinegrafistas, editores e coreógrafos deu suporte aos trabalhos. “Foi uma iniciativa inovadora na geração de empregos e, também, criando uma nova área de atuação”, destacou Maximiliano Garavano, diretor da escola. Todo o investimento para a execução do projeto foi custeado pela escola, em conjunto com os pais dos alunos.

Durante as gravações, em 2020, toda a equipe passou por testes para detecção do novo coronavírus e as recomendações das autoridades de saúde foram respeitadas. Outro aspecto relevante é que foi preciso lidar com a instabilidade emocional causada pelo período pandêmico. “Isso fortaleceu nossas relações e nos ensinou, na prática, a compaixão”, frisa Adriana Gomes.

Presente de aniversário

O lançamento dos filmes marca os 20 anos de atuação da Cia do Corpo Centro de Artes que iniciou as atividades com aulas de dança, em Foz do Iguaçu. Há 10 anos foram abertas as turmas de teatro. Mais de 2.000 alunos concluíram cursos ao longo desse período. A sede da escola é a Mansão das Artes (Av. Pedro Basso, 450), um centro que reúne várias outras modalidades artísticas como aulas de canto, de instrumentos musicais e natação. Os três longas-metragens deverão fazer parte da programação oficial do Cine Cataratas já a partir do ano que vem e significarão um marco sobre o que é possível produzir no setor cultural e artístico de Foz do Iguaçu.

Serviço

Pré-estreia filmes Cia do Corpo

DATA: 27 e 28 de outubro

LOCAL: Cine Cataratas / Cataratas JL Shoping

Ingressos podem ser adquiridos pelo link: https://bit.ly/3EiX3SX

As 4 Estações de Vivaldi

27/10 – 18h30 – sala 4

Operação Camp – A Turma da Escola

27/10 – 20h30 – sala 4

Compasso no Ritmo da Vida

Sessão 28/10 – 18h30 – sala 3 e 4

Sessão 28/10 – 20h30 -sala 3 e 4

Sinopse

Compasso no ritmo da vida

Duração: 81min

Em meio a um caos na cidade, muitas pessoas estão ficando doentes e morrendo, ninguém sabe ao certo o que vem acontecendo e, como medida de segurança, todos os habitantes passam a viver isolados, porém Nicolas percebe algo que ninguém tinha visto e junto com seus aliados Lucio e Cristina decidem botar em prática um plano para salvar a todos.

Operação camp – A turma da escola

DURAÇÃO: 57min

Essa turma da escola vai dar o que falar, com acampamento organizado pela Professora Valda na chácara do diretor da escola. Em meio a selva e com direito a cachoeira, salto e barrancos, os alunos da professora Valda vão viver uma grande aventura e tudo pode ficar ainda melhor ou pior… com a participação especial dos pestinhas!

As 4 estações de Vivaldi

DURAÇÃO: 44min

Um ballet inspirado na obra mais famosa de Antônio Vivaldi. Ao som destes grandes acordes o corpo de baile expressa as paisagens das 4 estações do ano: a Primavera, o Verão, o Outono e o Inverno.

Cultura, Educação, Foz do Iguaçu, Paraná,

Fundação Cultural abre propostas de contratação para 16ª Feira do Livro na sexta-feira (22)

A empresa vencedora ficará responsável pela organização da programação literária, que devem primar pela diversidade literária na curadoria dos escritores; evento está previsto para os dias 20 a 27 de novembro

Nesta sexta-feira (22), serão abertas as propostas, por meio de pregão eletrônico, do edital lançado pela Fundação Cultural para contratar a empresa organizadora da programação literária da 16ª Feira Internacional do Livro de Foz do Iguaçu, prevista para 20 a 27 de novembro, no Clube Gresfi. O edital poderá ser acessado no site www.licitacoes-e.com.br, pelo n° 901408. O pregão acontece na mesma plataforma.

Conforme aponta o edital, a curadoria de obras e autores deve ser baseada na diversidade de gênero e literatura. O tema do evento irá homenagear escritores (as), o que viabilizará a programação central com mesas e bate-papos sobre as obras.

A lista de convidados deve incluir um autor internacional de língua portuguesa, oriundo da Europa, África ou Ásia, para a participação online; seis escritores nacionais e ao menos dez autores paranaenses – para ambos os casos, a participação pode ser on-line ou presencial, com sessão de autógrafos para o lançamento de obras.

O edital completo, com informações sobre a documentação, restrições e detalhamento da prestação dos serviços está disponível em: https://bit.ly/3BUouBF.

16ª Feira Internacional do Livro

Presente há quase duas décadas no calendário de eventos da cidade, a edição de 2021 da Feira Internacional do Livro de Foz do Iguaçu terá um aspecto ainda mais especial após ter tido a 16ª edição adiada por conta da pandemia de Covid-19.

De acordo com o diretor-presidente da Fundação Cultural, Juca Rodrigues, será uma edição histórica para o evento, que terá a junção de trabalho das secretarias de Turismo, Trabalho, Juventude e Capacitação, Educação e Fundação Cultural.

“Este evento pode marcar uma passagem de fase em Foz do Iguaçu. Sentimos muito a falta de organizá-lo para o ano passado, mas com toda a certeza estaremos empenhando esforços para realizar um evento ainda mais completo para suprir esse período”, garantiu Juca.

“A programação que sugerimos pretende valorizar todo o colorido e toda a diversidade da nossa literatura. Em eventos como esse, temos a participação maciça de alunos e outros cidadãos que se aproximam da literatura e podem criar um hábito tão importante como esse”, destaca Thaisa Praxedes, diretora de Cultura.

Cultura, Economia, Foz do Iguaçu, Paraná,

Espaços artísticos e empresas culturais em Foz do Iguaçu poderão receber subsídio de até R$ 10 mil

Os recursos para o fundo são oriundos da Lei Federal Aldir Blanc e vão ajudar projetos que ficaram paralisados por conta da pandemia

Para acelerar a retomada das atividades artísticas e culturais em Foz do Iguaçu, a Fundação Cultural, por meio dos recursos da Lei Aldir Blanc, irá subsidiar espaços artísticos, pequenas empresas culturais, cooperativas, instituições e organizações comunitárias que tiveram as atividades interrompidas por conta da pandemia. Os valores variam de R$ 3 mil a R$ 10 mil.

As inscrições já estão abertas na plataforma Sic Cultura (http://www.sic.cultura.pr.gov.br) e podem ser feitas até o dia 16 de novembro.

Entre as exigências, cada projeto precisa ter uma contrapartida social, como aulas, oficinas, apresentações artísticas e outras ações, destinadas, prioritariamente, aos alunos de escolas públicas ou atividades em espaços públicos na comunidade na qual projeto está inserido, de forma gratuita.

No ato da inscrição, é preciso anexar documentos que comprovem a atuação do espaço para as atividades; estatuto ou contrato social; declarações de despesas, e outras documentações que podem ser acessadas site da Fundação Cultural: https://bit.ly/3AQSRHS, que também contém todas as declarações, relatórios e termos que precisam ser enviados.

A definição do valor e quantidades de parcelas do subsídio que o espaço poderá ter acesso será será estabelecido de acordo com as despesas fixas mensais declaradas e mediante a apresentação das respectivas documentações comprobatórias de despesas e a disponibilidade de recursos.

“O momento impediu que muitos projetos fossem realizados. Com os recursos da Lei Aldir Blanc, podemos ajudar a impulsionar a retomada dessas atividades. Trata-se de uma ação emergencial e uma ótima oportunidade para esses empreendedores”, destaca o diretor-presidente da Fundação Cultural, Juca Rodrigues.

Cultura, Educação, Foz do Iguaçu, Paraná,

Grupo Tarobá realizou ação em comemoração ao Dia das Crianças em Foz do Iguaçu

Na última terça-feira (12), as empresas do Grupo Tarobá realizaram uma ação de Dia das Crianças voltada aos mais de 150 colaboradores do grupo. O evento ocorreu no Pop Hotel, um dos parceiros do grupo. A proposta de Mauro Sebastiany, CEO do grupo, foi fazer com que os colaboradores e sua família tivessem um dia repleto de diversão no feriado da padroeira, com uma programação toda pensada e projetada para os funcionários, em especial os que possuem filhos e/ou crianças pequenas.

A ação contou com a colaboração de voluntários, funcionários das empresas pertencentes ao grupo, como o Tarobá Hotel e a Resultados Extraordinários Assessoria. A equipe responsável pela preparação das comidas e montagem do espaço foi toda voluntária.

Nas palavras de Tainã Damen, uma das responsáveis pela organização do evento, não é qualquer pessoa que abre mão para poder entregar o extraordinário: “Isso é amor a si e ao próximo, ao invés de pensar em nós a gente também está pensando no outro”, explica ela, muito contente com o resultado dos esforços da equipe Tarobá.

O evento contou com brincadeiras, gincanas e brinquedos para os pequenos, como piscina de bolinhas e cama elástica, além de um cardápio voltado para o público infantil, de cachorro quente a algodão doce.

Dentre as crianças de idades variadas, estavam os filhos de Mauro Sebastiany e sua esposa, Gisele, acompanhados da avó, Emília Mendes. Henrique, de 9 anos, contou que adorou o evento. Nas palavras do pequeno, “foi tudo muito massa”.

O evento ocorreu das 17h às 20h, no estacionamento do Pop Hotel, na Rua Jorge Sanwais, nº 448 no Centro de Foz do Iguaçu. O evento contou com uma média de 70 pessoas, entre adultos e crianças.

Essa não é a primeira ação voluntária do grupo, que está bem acostumado a realizar boas ações. A mais recente foi a doação de cerca de 12 placas fotovoltaicas para o Projeto Sopão, a fim de ajudar na economia de energia. Outra ação importantíssima do Grupo Tarobá foi a arrecadação de sangue por parte dos funcionários, que receberam folga no Dia Mundial do Doador de Sangue para contribuir com os estoques de sangue do Hemonúcleo de Foz do Iguaçu. Confira o resultado!

Confira vídeo no Facebook Tarobá Hotel

Cultura, Foz do Iguaçu, Geral,

Maria Cheung integra mostra inspirada na pandemia

A reclusão e o enfrentamento sob os olhos da arte é tema de exposição que encerra no próximo dia 22, no Tote Espaço Cultural, no distrito de Sousas, na região metropolitana de Campinas (SP).

A mostra é composta por mais de 100 peças de 15 expositores, entre ceramistas e artistas visuais. Maria Cheung, de Foz do Iguaçu, integra a exposição como artista convidada.

Máscaras de mim

Para esse evento Cheung decidiu selecionar peças de seu próprio acervo que, de alguma forma, tivessem relação com o tema. Acabou optando por refazer máscaras que criou para a série Fósseis de mim, de 1997.

A artista explica que as máscaras foram moldadas em seu próprio rosto, em uma espécie de processo de autoconhecimento. Naquela ocasião ela fossilizou partes do seu corpo e objetos de uso pessoal. O resultado foi uma coleção de peças impactantes. Uma experiência que Maria Cheung, que vive no Brasil desde os sete anos, classifica como transformadora.

“Costumo dizer que lidei com aquilo como se eu fosse uma arqueóloga que tivesse encontrado esses fósseis e decidido me estudar”, avalia a ceramista que encontrou ali uma resposta para a questão de identidade “quem sou eu? Sou brasileira, sou chinesa?…”, isto em razão de ela ter  renegado sua própria cultura, por muitos anos.

A exposição, Cerâmica & Arte –A Reclusão e o Enfrentamento Sob os Olhos da Arte, teve curadoria da ceramista Cristina Rocha e da proprietária do espaço, Norma Vieira.

Participam da mostra: Cris Rocha, Afrânio Montemurro, Agueda Bitencourt, Alejandra Dawi, Carla Nogueira, Cris Marcucci, Laura Martinez, Lica Cruz, Lolla Assis, Lu Coli, Maria Angélica Amati Dias, María Estela Ripa, Marisa Carvalho e Renata Amaral e Maria Cheung.

Ano profícuo

Embora o espectro da pandemia ainda paire sobre o planeta, o ano de 2021 tem se mostrado positivo para Maria Cheung. Em fevereiro participou da exposição Panorama das artes visuais da Bacia do Paraná 3, realizada pela Rede Regional de Cultura e Patrimônio da BP3, Instalada no Museu de Arte de Cascavel e no Ecomuseu de Itaipu.

Também foi convidada integrar um grupo de artistas em exposição virtual internacional na Turquia. A mostra, Unity and Tolerancefoi organizada pelo departamento de cerâmica e vidro da Universidade Nevsehir Huncar Haci Bektas Veli.   

Prêmio

Em agosto, Maria Cheung foi convidada a participar da 6ª edição da mostra itinerante Universo Cerâmico, realizada pelo Ateliê Tsuru. O primeiro espaço a receber a exposição foi o Museu Municipal Dr. João Batista Gomes, no município de Estancia de Socorro (SP).   

Um total de 58 ceramistas brasileiros participa da 6ª Universo Cerâmico. Seus trabalhos foram submetidos a um júri que premiou as melhores obras nas categorias: pintura, alta temperatura, baixa temperatura, escultura e modelagem. Maria Cheung recebeu o 1º lugar do Grande Prêmio.

Colunistas, Cultura, Luiz Claudio Romanelli, Paraná,

Ideias congeladas

Luiz Claudio Romanelli

“A história é êmula do tempo, repositório dos fatos, testemunha do passado, exemplo do presente, advertência do futuro” – Miguel de Cervantes

O governo da Argentina adotou nesta semana uma conhecida receita portenha para tentar reduzir o impulso inflacionário no País: o congelamento de preços. Desta vez, são 1.250 produtos que não poderão sofrer reajuste até janeiro de 2022. No anúncio da medida, o Ministério da Economia informou que tudo foi combinado com o mercado.

Pois bem, esta ideia foi adotada pelos presidentes Juan Domingo Perón, Raúl Alfonsín, Néstor e Cristina Kirchner e Mauricio Macri. Na gestão do atual governante, Alberto Fernández, é a segunda tentativa de conter a alta dos preços com o congelamento. A primeira foi no ano passado e, como vimos pela decisão recente, não deu muito certo. A inflação na Argentina acumula aumento de 54,7% nos últimos 12 meses.

O Brasil experimentou a receita no século passado, nos governos Sarney e Collor de Mello, sem que tenha dado resultado. Em 1986 foi lançado o Plano Cruzado e um ano depois o Plano Bresser. A inflação seguiu seu curso e entre 1990 e 1991 mais dois planos retomaram a estratégia do congelamento. Ao contrário do imaginado, o saldo foi uma hiperinflação de quase 5.000%. A estabilização veio com o Plano Real, a partir de 1994.

A lição aprendida é de que somente reformas estruturantes podem dar novo rumo à economia. O preço dos produtos é um indicador que aponta que algo está em descompasso. Qualquer tentativa de colocá-lo como alvo principal e manipulá-lo para restabelecer alguma normalidade pode trazer consequências ainda mais graves para o quadro econômico.

Agora, com a inflação a galope no País, os sábios de Brasília resolveram adotar uma ideia do gênero congelamento para tentar conter a alta dos combustíveis. Sob o frouxo argumento de que o ICMS é o vilão da história, como prega o presidente Jair Bolsonaro, a Câmara dos Deputados aprovou uma mudança na forma de cálculo da alíquota do imposto que incide sobre derivados do petróleo.

O projeto indica que o ICMS não será cobrado como uma porcentagem sobre o valor final do produto e sim por um valor fixo por litro de combustível, que será estabelecido uma vez por ano com base na média dos preços praticados nos dois anos anteriores. Por coerência, a Petrobras também poderia adotar a mesma lógica na sua política de reajustes, com médias do valor do petróleo e da cotação do dólar. Ou não?

É sempre louvável qualquer medida que desonere o bolso dos brasileiros, mas esse paliativo que inventaram não resolve a situação e beira a demagogia. O presidente da Câmara, deputado Arthur Lira, é o padrinho da medida e sustenta que a mudança na aplicação do imposto vai baratear o preço da gasolina em 8%; do etanol em 7%; e do diesel em 3,7%.

Na ponta do lápis, a alteração do ICMS significaria que um litro de gasolina que hipotéticamente custe R$ 6,00 poderia ser vendido a R$ 5,52. Alguém concorda que isso é barato? Do outro lado, a iniciativa condena os estados a perdas de arrecadação que somam R$ 24 bilhões e os municípios deixarão de receber R$ 6 bilhões.

Pesquisando sobre o preço internacional do petróleo, cheguei em outubro de 2018, quando o barril custava US$ 80,00. Praticamente o mesmo valor de hoje. Na época, o litro da gasolina no Brasil variava entre R$ 4,30 e R$ 4,50, e a composição do preço dos combustíveis era a mesma de agora.

Segundo a ANP, o valor da gasolina nos postos é formado pelo custo da refinaria (35,6%), mais a adição do etanol anidro (14,8%). Tem ainda os tributos federais – Cide, PIS/Pasep e Cofins – que chegam a 12,6% e o ICMS médio de 28,1%. Além disso, 9% do preço na bomba equivalem à margem de distribuição e revenda.

Se o barril do petróleo valia o mesmo e a formação dos preços não foi alterada, quais as razões da diferença no valor dos combustíveis em três anos? Uma delas é a elevação dos biocombustíveis, que servem de aditivo para a gasolina e o diesel. Outro dos fatores é a variação do dólar. No mesmo outubro de 2018, a moeda americana era cotada na faixa de R$ 3,70, enquanto hoje passa dos R$ 5,50. Uma evolução de quase 50%.

E por que o dólar foi nas alturas? Há questões externas importantes, como as disputas entre China e EUA e a possibilidade de aumento dos juros americanos. Mas avalio que o pior de tudo é que há um congelamento de ideias e de iniciativas na condução econômica do País.

O governo federal perdeu o controle da economia, produz muita instabilidade política e não evolui nas reformas estruturantes. O Brasil virou um país marginal que não atrai grandes investimentos em moeda estrangeira. Causamos medo e deixamos de ser confiáveis.

Não será com medidas atropeladas que vamos reduzir o preço da gasolina. A alteração no cálculo do ICMS sobre os combustíveis é mais uma cortina de fumaça para encobrir a incompetência da administração federal. Se for para mexer na questão dos impostos, que se avance com a reforma tributária que patina no Congresso Nacional.

Não aceito a ideia do governo federal querer socializar com os governos estaduais o custo político do aumento dos combustíveis. Não é cabível que uma proposta inócua tire do nosso Estado R$ 1,9 bilhão por ano em receitas de ICMS, justamente num momento em que é preciso ter recursos disponíveis para ampliar o investimento público e contribuir para acelerar a retomada da nossa economia. Sigo firme na defesa do Paraná.

Luiz Claudio Romanelli, advogado e especialista em gestão urbana, é deputado estadual e vice-presidente do PSB do Paraná.

Brasil, Cultura, Destaques, Paraná,

17 de Outubro – Dia da Música Popular Brasileira

Também conhecido como o Dia Nacional da MPB, esta data celebra e homenageia o nascimento da primeira compositora oficial da Música Popular Brasileira: Chiquinha Gonzaga, que nasceu em 17 de outubro de 1847, no Rio de Janeiro.

O Dia da MPB foi criado a partir do Decreto de Lei nº 12.624, de 9 de maio de 2012, outorgado pela presidente Dilma Rousseff.

Chiquinha Gonzaga compôs diversas canções que fazem muito sucesso até os dias de hoje, além de ter servido de inspiração para outros grandes nomes da MPB, como Elis Regina, Chico Buarque, Caetano Veloso e etc.

Também ficou imortalizada como a fundadora da Sociedade Brasileira de Autores Teatrais.

A MPB surgiu a partir da influência de vários gêneros musicais, desde os típicos da Europa, até os africanos e indígenas.

As suas raízes estão ainda durante o período colonial, no entanto, somente a partir dos séculos XVIII e XIX a MPB começa a se formatar nas grandes cidades.

No começo do século XX surge o samba e a MPB se consolida como é conhecida nos dias de hoje.

Cultura, Foz do Iguaçu, Paraná,

Banda da Guarda Mirim é atração do sábado na Praça da Paz em Foz do Iguaçu

A banda da Guarda Mirim de Foz do Iguaçu será a atração deste sábado (16), a partir das 19h30 na Praça da Paz, região central de Foz do Iguaçu. O concerto, com instrumentos de Madeira, Metal e Percussão, é gratuito.

O evento faz parte de um projeto de Intercâmbio Municipal entre Maripá e a cidade de Ottersheim na Alemanha.

“Este ano o evento vai contar com participantes dos municípios de Laranjeiras do Sul, Foz do Iguaçu, Cascavel, Medianeira e Palotina, além da Banda Sinfônica de Maripá”, informa o presidente da Guarda Mirim, Hélio Cândido do Carmo.

Como resultado das oficinas, os cerca de 90 participantes realizarão para toda a comunidade de Foz do Iguaçu e região um Concerto Final com o tema “Hollywood”. Sob a Regência do Maestro Rolf Kaiser (Alemanha) e professores auxiliares.

A iniciativa tem apoio da Itaipu Binacional, Fundação Cultural e Prefeitura de Foz do Iguaçu.