Browsing Category

Economia

Leia as últimas notícias sobre Economia no CabezaNews, site de informação com reportagens exclusivas, fotos, vídeos e conteúdos sobre Foz do Iguaçu e sobre o Paraná.

O CabezaNews leva ao público notícias de utilidade pública, curiosidades, turismo, lazer, cultura. Sobretudo com um olhar voltado para a região da tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina.

Em Foz, nossa cobertura foca os principais acontecimentos da cidade, incluindo eleições 2020, o avanço da pandemia do novo coronavírus, as ações da Itaipu Binacional, bem como a administração do prefeito Chico Brasileiro.

O site não deixa de lado o que acontece no restante do estado do Paraná. Notas exclusivas dos bastidores da política, da Assembleia Legislativa, ações do governo do Paraná e da administração Ratinho Júnior. Assim como as principais notícias nacionais.

O CabezaNews é editado por Ronildo Pimentel, jornalista com mais de 30 anos de atuação em jornalismo impresso e digital.

Destaques, Economia, Paraná, Turismo,

Paraná Turismo divulga pesquisas sobre cenário do setor, movimento aéreo e impactos da pandemia

A Paraná Turismo, autarquia pertencente ao Governo do Estado, vinculada à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, realizou dois estudos sobre o setor. Um deles é o Boletim de Inteligência Turística 2021, que tem como base os empregos e estabelecimentos nas Atividades Características do Turismo (ACTs) em 2019. O outro analisa o movimento aéreo entre os meses de janeiro e abril dos anos de 2020 e 2021, períodos pré e durante a pandemia.

O Boletim de Inteligência Turística 2021 tem como objetivo mostrar as tendências e a evolução dos dados do setor no Paraná, favorecendo diretamente a elaboração e implantação de políticas públicas e a orientação de investimentos privados, além de servir de subsídio para pesquisas dos setores público, privado, acadêmico e do terceiro setor.

Os dados mostram quais foram as atividades características do turismo que mais geraram empregos em 2019, período anterior à pandemia do coronavírus, quando ainda era possível estabelecer parâmetros comparativos com anos anteriores.

Na ocasião, o setor que mais gerou empregos formais no País foi o de Alimentação, com 62,5% de todas as vagas preenchidas, seguido pelos Alojamentos, que teve 16% de toda a geração de empregos formais.

Dos pouco mais de 2 milhões de empregos gerados nas atividades turísticas no País, o Paraná foi mais relevante (6,2%), atrás de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. O Paraná gerou 128 mil empregos formais no setor e, seguindo a tendência do Brasil, Alimentação também foi o primeiro, com 64,1%, seguido dos Alojamentos, com 15,4%.

O Paraná também foi o quarto estado em número de estabelecimentos nas ACTs: dos quase 510 mil estabelecimentos brasileiros que se dedicavam ao turismo em 2019, 7,8% estavam no Estado, ou seja, quase 40 mil deles. Novamente, o setor de Alimentação foi o mais representativo (67,8%), seguido dos Transportes Terrestres, com 9,7%.

De acordo com Gilce Zelinda Battistuz, do departamento de Estatística da Paraná Turismo, provavelmente esses dados apresentem déficit nas divulgações seguintes a partir de 2020 por conta dos efeitos da pandemia do coronavírus. “Dificilmente o Paraná irá cair de posição em si, mas provavelmente tenha uma queda nos dados para 2020, porque devemos ter um desajuste nos dados”, disse.

Movimento aéreo – A Paraná Turismo também lançou um boletim que analisa o movimento aéreo entre os meses de janeiro e abril dos anos de 2020 e 2021, períodos pré e durante pandemia. No que se refere aos embarques domésticos e internacionais, o Brasil apresentou queda de 39% entre um ano e outro.

O Paraná teve queda de 51% na comparação entre os períodos, de 1,2 milhão para 605 mil embarques, aproximadamente. O aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, teve um decréscimo de 47% nos embarques de passageiros domésticos e internacionais em 2021, atrás somente do Galeão, no Rio de Janeiro, e Congonhas, em São Paulo.

Levando em conta somente os embarques em aeroportos paranaenses, todos apresentaram queda: Foz do Iguaçu (62%), Londrina (47%), Maringá (39%) e Cascavel (43%).

A análise da Paraná Turismo destaca, no entanto, que o Afonso Pena registrou em abril de 2021 dados positivos em relação aos demais meses pesquisados. Enquanto janeiro, fevereiro e março de 2021 tiveram queda, o quarto mês começou a reaquecer a movimentação de passageiros, com crescimento de 445% em comparação ao mesmo mês do ano anterior.

O mesmo ocorre com o Aeroporto Internacional das Cataratas, em Foz do Iguaçu, que em abril de 2020 chegou ao menor fluxo de passageiros da história (254 passageiros), enquanto no mesmo mês em 2021 houve 17.865 embarques.

Monitora Turismo – A pesquisa Monitora Turismo, feita pela professora Mariana Aldrigui, da Universidade de São Paulo (USP), aponta outro dado preocupante para o setor: perda de 110.833 vagas formais de emprego em 2020, ano da pior crise enfrentada pela história da indústria.

Foz do Iguaçu e Curitiba foram duas das cidades pesquisadas. Elas tiveram saldo anual negativo de 2.655 (Foz) e 2.325 (Curitiba) empregos formais em 2020. Os dados consideram as 571 atividades ligadas ao turismo, sendo elas diretas (21), compartilhadas (191) e aquecidas (217).

João Jacob Mehl, presidente da Paraná Turismo, ressalta que as perdas apresentadas pela pesquisa necessitam ser repostas. “São perdas irreparáveis que nós temos que repor e a expectativa é a retomada com o turismo regional preponderando, porque ainda não é possível viajar para longe. Esse é o início da recuperação de todos os postos de trabalho que foram perdidos”, disse.

Para acessar as pesquisas na íntegra entre em http://www.turismo.pr.gov.br/Pagina/Estatisticas-do-Turismo-Dados-e-Informacoes e escolha a opção Boletins de Inteligência Turística.

As informações são de Agência de Notícias do Paraná

Economia, Paraná,

Governo do Paraná disponibiliza telefone e e-mail para dúvidas do auxílio emergencial para empresas

Microempresários de todo o Paraná podem utilizar o telefone 0800-642-6650 como canal de atendimento para casos de dúvidas referentes ao auxílio emergencial para as empresas. Outra opção disponível para contato é o e-mail contato@auxilioemergencial.pr.gov.br. 

O número e o e-mail desenvolvidos pela Celepar visam facilitar e orientar as microempresas (MEs) e microempreendedores individuais (MEIs) durante o processo de cadastro ao benefício. A ligação é totalmente gratuita e o telefone fica disponível das 8h30 às 18h, de segunda a sexta-feira. As ligações podem ser feitas de qualquer cidade, com o uso somente do telefone fixo.

Até o momento, um dia após o lançamento oficial do site do benefício, já foram registrados mais de 3 mil cadastros. Ao todo são 2.343 pedidos de resgate do benefício por microempresa e 1.180 para resgastes de MEI com conta física, com o valor total estimado até o momento em R$ 585.750,00. 

O cadastro deve ser realizado em www.auxilioemergencial.pr.gov.br. Pela legislação aprovada, apenas microempresas (MEs) e microempreendedores individuais (MEIs) com sede no Paraná fazem parte da relação de beneficiários. Pessoas físicas não têm direito. Ao todo, 27 setores serão atendidos.

Não são todas as MEs e MEIs que poderão receber o benefício. Em ambos os casos, foi observado o grau de impacto da pandemia na atividade, sendo priorizadas aquelas mais impactadas.

Veja quem tem direito

Microempresas

Requisitos: Faturar até R$ 360 mil/ano e possuir inscrição estadual junto à Receita-PR

Valor: R$ 1.000,00 em 4x de R$ 250,00

CNAES beneficiados: restaurantes e similares; lanchonetes, casas de chá, de sucos e similares; bares e outros estabelecimentos especializados em servir bebidas, sem entretenimento; bares e outros estabelecimentos especializados em servir bebidas, com entretenimento; serviços ambulantes de alimentação; serviços de organização de feiras, congressos, exposições e festas; casas de festas e eventos; atividades de sonorização e de iluminação; transporte rodoviário coletivo de passageiros, com itinerário fixo, municipal; transporte rodoviário coletivo de passageiros, com itinerário fixo, intermunicipal em região metropolitana; transporte rodoviário coletivo de passageiros, com itinerário fixo, intermunicipal, exceto em região metropolitana; transporte rodoviário coletivo de passageiros, com itinerário fixo, interestadual; transporte rodoviário coletivo de passageiros, com itinerário fixo, internacional; transporte escolar; transporte rodoviário coletivo de passageiros, sob regime de fretamento, municipal; transporte rodoviário coletivo de passageiros, sob regime de fretamento, intermunicipal, interestadual e internacional; organização de excursões em veículos rodoviários próprios, municipal; organização de excursões em veículos rodoviários próprios, intermunicipal, interestadual e internacional; comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios; e comércio varejista de calçados.

Microempreendedores Individuais (MEIs)

Requisitos: Natureza jurídica de MEI

Valor: R$ 500,00 em 2x de R$ 250,00

CNAES beneficiados: restaurantes e similares; lanchonetes, casas de chá, de sucos e similares; bares e outros estabelecimentos especializados em servir bebidas, sem entretenimento; bares e outros estabelecimentos especializados em servir bebidas, com entretenimento; serviços ambulantes de alimentação; gestão de instalações de esportes; produção e promoção de eventos esportivos; serviços de organização de feiras, congressos, exposições e festas; casas de festas e eventos; produção teatral; produção musical; produção de espetáculos de dança; atividades de sonorização e de iluminação; aluguel de equipamentos recreativos e esportivos; agências de viagens; operadores turísticos; e filmagem de festas e eventos.

As informações são de Agência de Notícias do Paraná

Brasil, Economia,

Concessão de benefícios do INSS fica mais rápida

Novos prazos são fruto de acordo entre a instituição, o MPF e a DPU

A partir desta quinta-feira (10) começam a valer os novos prazos para concessão de benefícios do INSS. As novas datas foram fruto de acordo da instituição e de outros órgãos do governo federal com o Ministério Público Federal (MPF) e a Defensoria Pública da União (DPU).

De acordo com o presidente do INSS, Leonardo Rolim, o acordo firmado vai ao encontro das ações que a instituição já vem adotando desde 2020 para reduzir o tempo de espera do segurado. “Contratamos servidores temporários; ampliamos as equipes de análise em 22%; ampliamos o número de benefícios concedidos de forma automatizada; realizamos mutirões para os benefícios mais solicitados, como auxílio-maternidade e pensão por morte, entre outras ações”, afirma.

Caso os prazos não sejam cumpridos, haverá o pagamento de juros de mora ao segurado, e o pedido será encaminhado para a Central Unificada para o Cumprimento Emergencial que terá um prazo de dez dias para a conclusão da análise.

As informações são de Agência Brasil

Busão Foz, Destaques, Economia, Foz do Iguaçu,

Valorização imobiliária em Foz do Iguaçu chega a 35%

As obras de infraestrutura em andamento em Foz do Iguaçu já refletem na valorização imobiliária da cidade. De acordo com o Sindicato da Habitação e Condomínios (Secovi), a valorização média chegou entre 10% e 20%. Mas o aumento pode dobrar dependendo a região do investimento.

Nos bairros em torno da Avenida das Cataratas, por exemplo, a valorização chegou a 30% e 35% no último ano, mesmo em empreendimentos onde a obra ainda não foi iniciada. Nessa região, o metro quadrado está custando entre R$ 300 e R$ 350 e pode chegar a R$ 550 o m², se o imóvel estiver em frente as avenidas principais. “A valorização com as grandes obras é automática”, disse o presidente do Secovi-Foz

Porém, Pereira, alerta para dois fatores que podem ajudar a valorizar, ou a desvalorizar o imóvel. Segundo ele, a região do Bairro Porto Meira é uma das que mais tem se valorizado, com loteamentos e condomínio, devido a construção da segunda ponte com o Paraguai e a da perimetral.

“Tem a parte que ela (perimetral) vai até valorizar o imóvel e tem parte que ela pode desvalorizar. Depende muito da posição que vai ficar em relação ao nível da perimetral. Existe uma certa propaganda enganosa. Vai existir a faixa da BR e mais os recuos que serão respeitados, então são áreas para serem utilizadas mais para o setor comercial, como barracões, e a parte residencial que não vai poder usufruir desse espaço por ficar muito em cima de uma BR, com movimento 24 horas por dia”, explicou Pereira.

Embora essa valorização aconteça em toda a cidade, existem dois extremos em que o crescimento é menor. “Nos temos a Itaipu e temos o Rio Iguaçu. São duas regiões em que o imóvel não valoriza tanto, tarda mais em valorizar. Aí você pega a região oeste, onde temos o Rio Paraná, onde tem um grande crescimento”, disse representante imobiliário, dizendo acreditar ainda, que a região central será a a cidade velha em 30 ou 40 anos.

As informações são da Rádio Cultura

Busão Foz, Destaques, Economia, Foz do Iguaçu,

Órgãos de segurança realizam operação conjunta de combate ao contrabando e descaminho em Foz

Nessa manhã de sexta, dia 11/06, foi realizada uma operação conjunta entre a Receita Federal do Brasil, Polícia Federal e Batalhão de Polícia de Fronteira, no âmbito da Operação Escudo. Tal operação ocorreu na região da Vila Portes, em Foz do Iguaçu-PR.

Os servidores realizaram a fiscalização dos boxes que costumam abrigar pequenas lojas, compondo uma “feirinha” na região. Muitos desses boxes, estavam funcionando apenas como depósito para mercadorias.

Durante a fiscalização foram localizadas diversas mercadorias importadas em situação irregular, ou seja, sem nota fiscal ou outro documento de comprovação de importação regular. A maioria das mercadorias são produtos alimentícios, como azeite de oliva, bebidas alcóolicas, entre outros.

A operação ainda está em andamento, por isso ainda não há um balanço das apreensões. Até o momento ninguém foi preso.

A Receita Federal disponibiliza telefones de contato para denúncias, de forma anônima, por meio dos números (45) 9 9152-2036 e (45) 9 9134-0100.

Essa iniciativa está inserida no âmbito do Programa de Proteção Integrada de Fronteiras (PPIF), instituído pelo Decreto nº 8.903/2016, tem como diretrizes a atuação integrada e coordenada dos órgãos de segurança e de fiscalizações atuantes nas fronteiras, e como foco, o fortalecimento da prevenção, do controle, da fiscalização e da repressão aos delitos transfronteiriços, como contrabando, descaminho, tráfico de drogas, armas e medicamentos, entre outros.

Sandro Huttner Chimisso, Auditor-fiscal da Receita Federal
Destaques, Economia, Geral, Paraná,

Você já conhece a lei do pedágio por KM rodado? Entenda mais:

O advogado Gilmar Cardoso esclarece que foi publicada no Diário Oficial da União do último dia 2 de junho a lei nº 14.157, de 2021, que estabelece condições para a implementação da cobrança pelo uso de rodovias por meio de sistemas de livre passagem, o chamado – free flow – ou pedágio sem cancelas, onde o usuário da rodovia paga somente pelo trecho efetivamente percorrido.

Segundo o advogado a ideia do pedágio por distância percorrida é eliminar as cabines na qual os motoristas precisam parar o carro, fazer o pagamento e então ser liberado para prosseguir viagem. No novo modelo, será adotado uma medida sem parada, conhecida como “Free Flow” – ou Sistema livre de passagem – que leva em consideração o trajeto percorrido na via. Para esse sistema funcionar, os carros serão identificados por meio de tags ou câmeras nas rodovias, disse.

É um processo bem similiar à cobrança automática, já existente no modelo de cobrança atual, explica. Para que a leitura seja feita de maneira correta, todas as entradas e saídas de vias precisam conter equipamentos que façam a leitura dos carros, para que o trajeto percorrido possa ser calculado.

A lei também inclui dispositivo no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) para deixar claro que o não pagamento do pedágio representa infração grave, punida com multa. O advogado destaca que a lei prevê multa por infração grave para quem não fizer o pagamento, com a penalização de 5 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Gilmar Cardoso descreve que agora com a lei sancionada, será necessária a inserção de um sistema de reconhecimento automático das placas dos veículos ou até uma identificação por algum sistema de tarjas ou chips colocados em todos os veículos que forem rodar nas vias. Atualmente, os pedágios cobram valor fixo por veículo conforme a categoria, como moto, carro ou caminhão.

De acordo com a nova lei, serão utilizados sistemas de reconhecimento visual automático de placas ou chips instalados nos veículos, sem a necessidade de praças de pedágio para cobrança.

Para Gilmar Cardoso a medida é considerada mais justa para quem rodar pelas rodovias do Brasil, pois, a cobrança será feita proporcionalmente em relação à distância percorrida por cada motorista, minimizando os custos dos condutores que passam por trechos menores, avalia.

Com a mudança e a adequação das rodovias, as praças de pedágio já instaladas devem deixar de existir gradualmente. As novas concessões já começariam a funcionar sem as praças de pedágio, afirma.

Caberá ao Contran – Conselho Nacional de Trânsito estabelecer os meios técnicos para possibilitar a contagem dos quilômetros rodados, e essa definição é crucial e indispensável para se garantir a viabilidade da proposta do novo sistema e evitar riscos de inadimplência, descreve Gilmar Cardoso.

Para que isso realmente aconteça, será necessária a inserção de um sistema de reconhecimento automático das placas dos veículos ou até uma identificação por algum sistema de tarjas ou chips colocados em todos os veículos que forem rodar nas vias.

Gilmar Cardoso falou ainda que o texto do projeto não especifica se a medida valerá somente para rodovias federais, estaduais ou para todas. E caberá ao Conselho Nacional de Trânsito (Contran) estabelecer os meios técnicos, buscando assim garantir a identificação dos veículos que transitam por rodovias e vias urbanas que necessitem de cobrança pelo uso do sistema de livre passagem.

Caso o motorista não respeite as medidas, caberá a fiscalização e aplicação de multas através da Agência Nacional de Transporte Terrestres (ANTT)

O projeto também coloca no Código de Trânsito uma nova infração:

Art. 209-A. Evadir-se da cobrança pelo uso de rodovias e vias urbanas para não efetuar o seu pagamento, ou deixar de efetuá-lo na forma estabelecida:

Infração – grave;
Penalidade – multa.

Hoje há para punir apenas o furo de pedágio, o que pode não perder o objeto nos casos do sistema de livre passagem.

O governo vetou o trecho do projeto de lei que determinava que a regulamentação do sistema de livre de passagem deveria ocorrer em 180 dias, concluiu o advogado Gilmar Cardoso.

Destaques, Economia, Foz do Iguaçu,

Queda do dólar pode atrair mais visitantes à Tríplice Fronteira

A queda do dólar, que nesta quarta-feira (09) chegou a R$ 5,04 na cotação oficial, deve aumentar a movimentação das lojas, ruas e avenidas de Ciudad del Este. O importante centro comercial do Paraguai tem na moeda dos Estados Unidos o parâmetro principal dos preços dos produtos comerciais. A redução do valor é a esperança de atrativo dos compristas, que relataram um ambiente de “tranquilidade” para ir as compras do outro lado da fronteira.

A crise financeira criada pela pandemia do novo coronavírus (covid-19) atingiu em cheio o comércio de Ciudad del Este. A situação se agravou especialmente com o fechamento da fronteira com Foz do Iguaçu, principal porta de entrada, no período de março a meados de outubro do ano passado. Desde então, o alto valor da moeda estadunidense praticamente afugentou os compristas brasileiros.

O transportador de passageiros com uso de aplicativos, Sedenir Vaz, contou que veio até Foz do Iguaçu com a esposa, acompanhando o irmão para comprar no Paraguai. Os produtos adquiridos em Ciudad del Este, especialmente de inverno, serão revendidos no Sudoeste do Paraná e em Santa Catarina.

“Nós vimos que o movimento estava bem fraco”, disse ele, que concordou que isto pode ter acontecido por ser uma segunda-feira. “Também percebemos que muitas lojas estão fechadas, principalmente aquelas que estavam sempre cheias antes da pandemia. Acredito que o Paraguai se quebrou. Acho que não dá 30% da época de pico”, disse.

Fechamento e desemprego

De acordo com os empresários de Ciudad del Este, mais de 60% das lojas fecharam as portas durante a pandemia, gerando milhares de desempregos. “Antes tinha que ficar em filas para pagar, hoje não, é rapidinho. Nas ruas também, a gente vivia se batendo nas pessoas, mas desta vez foi bem tranquilo” disse.

De acordo com Vaz, algumas coisas compensam comprar devido ao preço. “Mas muitas coisas não compensam, é melhor ir em São Paulo buscar”, completou. Ele contou ainda que nas lojas, conseguiu comprar com o dólar a R$ 5,22, em média.

A estudante de Medicina, Gabriela Larissa, que é natural de Minas Gerais e mora em Ciudad del Este, disse que costuma acompanhar a movimentação do comércio. “As lojas que geralmente passo em frente, estão com bastante promoções, porém o dólar ainda não está ajudando muito na hora da conversão”, disse.

As informações são de GDia

Brasil, Destaques, Economia,

Advogado detalha as mudanças no pagamento do PIS/PASEP

O advogado Gilmar Cardoso está alertando aos trabalhadores beneficiários com os abonos do PIS/PASEP 2021/2022 que o pagamento que começaria no mês de julho foi adiado para 2022

Segundo Cardoso o saque do abono salarial (Pis/Pasep) 2020/2021, referente ao ano-base 2019, pode ser feito até 30 de junho de 2021 por todos aqueles que têm direito de receber o benefício. Caso o beneficiário não saque a quantia, o valor ficará disponível somente no próximo calendário, referente ao ano-base de 2020.

Gilmar Cardoso afirmou que de acordo com os dados oficiais os trabalhadores brasileiros têm R$ 24,5 bilhões a receber parados no banco. É um dinheiro de duas fontes diferentes: as cotas do PIS/Pasep e o abono salarial também do PIS/Pasep. Existe um prazo para cada uma dessas fontes. As cotas podem ser sacadas até maio de 2025, mas o prazo do abono termina no fim deste mês.

O Codefat (Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador) com representantes dos trabalhadores, empresas e governo, numa reunião, decidiram adiar o pagamento do PIS/Pasep que seria efetuado em 2021, para o próximo ano. Portanto, o trabalhador que exerceu uma atividade pelos 30 dias em 2020 não poderá realizar o saque no mês que vem, reitera o advogado.

Gilmar Cardoso esclarece que o governo federal pretende programar o calendário 2020 e 2021 simultaneamente, ou seja, pagando os dois de uma vez só. Sendo assim, o pagamento do PIS/Pasep 2020 será realizado integralmente em 2022. Embora, o governo ainda não tenha divulgado o calendário, mas, deverá usar o mesmo sistema, ou seja, conforme a data de nascimento do trabalhador. Os valores serão pagos no primeiro semestre de 2022, disse.

O advogado esclarece ainda que a diferença entre os dois pagamentos é a seguinte: as cotas do PIS/Pasep podem ser sacadas por quem trabalhou em empresas e órgãos públicos entre 1971 até 1988. Se o cotista morreu, os herdeiros têm direito. Os recursos podem ser sacados na Caixa Econômica Federal. O abono salarial é pago para quem trabalhou com carteira assinada ou como funcionário público no ano anterior. Para ter direito, é preciso preencher alguns requisitos, como ter recebido em média até dois salários mínimos por mês, descreve.

O valor pago no abono é de até um salário mínimo (R$ 1.100, em 2021) e varia de acordo com o tempo que a pessoa trabalhou. Quem trabalha no setor privado pode fazer o saque na Caixa. Servidor público retira no dinheiro no Banco do Brasil.

Segundo o Ministério da Economia, os valores são arredondados para cima. Quem trabalhou por um mês, por exemplo, teria direito a R$ 91,67 de abono. Com o arredondamento, o trabalhador recebe R$ 92,00.

Gilmar Cardoso destaca que com a Lei 13.134/15, o Abono Salarial passou a ter valor proporcional ao tempo de serviço do trabalhador no ano-base em questão. O cálculo do valor do benefício corresponde ao número de meses trabalhados no ano-base multiplicado por 1/12 do valor do salário mínimo vigente na data do pagamento.

O trabalhador deverá ter trabalhado no mínimo 30 dias com carteira assinada por empresa no ano-base, requisito para ter o direito ao Abono Salarial, e cada mês trabalhado equivale a 1/12 de salário mínimo no valor do benefício, sendo que o período igual ou superior a 15 dias contará como mês integral, explicou. O trabalhador que não fizer o saque nas datas estipuladas tem direito ao abono salarial pelo prazo de cinco anos. É possível consultar a disponibilidade e os valores do Pis/Pasep pela internet, tanto para aqueles que já receberam, quanto para os que ainda devem sacar o benefício.

PIS/PASEP 2022

Mesmo como adiamento do abono salarial, fique sabendo, que as regras continuarão as mesmas. Por isso, para ter acesso ao abono será necessário o trabalhador ter exercido uma atividade 30 dias de carteira assinada em 2020 e 2021.

Você só não pode esquecer que o valor que é pago no abono salarial é conforme o tempo trabalhado, ou seja, os valores podem variar, recorda.

Para quem trabalhou 30 dias irá receber um valor menor e quem trabalhou 12 meses no ano todo recebe um salário mínimo, ressalta.

Abono Salarial

É o benefício anual do trabalhador equivalente ao valor de, no máximo, um salário mínimo.

Até quando posso sacar o abono salarial?

O abono salarial estará disponível para saque até o fim deste mês, 30 de junho.

Onde é feito o saque?

Recebeu o crédito em poupança digital? O saque pode ser realizado nos terminais de autoatendimento, lotéricas e correspondentes Caixa Aqui a partir da geração de token diretamente no app Caixa Tem. O token também pode ser gerado nas agências, com a apresentação de documento de identificação com foto.

É correntista individual da Caixa?

O abono é depositado diretamente na conta, caso haja saldo acima de R$ 1 e movimentação

É servidor público?

O saque é feito nas agências do Banco do Brasil, com documento de identificação. Servidores correntistas do banco recebem o dinheiro diretamente na conta. Mais informações sobre o Pasep podem ser obtidas pelo telefone do BB: 0800 729 0001.

Próximo calendário

O calendário de pagamento do Pis/Pasep 2021/2022 para aquelas pessoas que trabalharam pelo menos um mês em 2020, que usualmente começaria a ser pago em julho deste ano, foi transferido para 2022.

O governo informou que o calendário com base nos anos de 2020 e 2021 devem ser programados para serem pagos simultaneamente a partir de janeiro de 2022.

Quem tem direito ao abono salarial

Têm direito ao Abono Salarial os trabalhadores que atendem simultaneamente às seguintes condições:

• Estar cadastrado no PIS/PASEP há pelo menos cinco anos; • Ter recebido de empregador contribuinte do PIS/PASEP (inscrito sob CNPJ) remuneração mensal média de até dois salários mínimos durante o ano-base que for considerado para a atribuição do benefício; •Ter exercido atividade remunerada, durante pelo menos 30 dias, consecutivos ou não, no ano-base considerado para apuração; • Ter seus dados informados pelo empregador corretamente na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) do ano-base em questão.

O valor do Abono Salarial

O Abono Salarial é proporcional aos meses trabalhados no ano base do benefício. O valor máximo é de um salário mínimo, ou seja, R$ 1.100 neste ano. Quem trabalhou um mês, recebe R$ 92, aqueles que trabalharam dois meses ganham R$ 184 e assim sucessivamente.
Como sacar o benefício

O abono salarial do Pis é pago aos trabalhadores do setor privado pela Caixa Econômica Federal, enquanto o pagamento do Pasep aos servidores públicos é feito pelo Banco do Brasil.

Onde encontrar o número do Pis/Pasep

O número do PIS é o mesmo do NIS (Número de Identificação Social) e do NIT (Número de Identificação do Trabalhador).

Os números podem ser encontrados em alguns documentos:

• Carteira de trabalho • Extrato do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) • Cartão Cidadão (PIS) • Agência da Caixa, com documento oficial com foto (PIS) • Agência do Banco do Brasil, com RG e CPF (Pasep)

Como sacar o PIS na Caixa

• Quem possui o Cartão Cidadão pode efetuar o saque nos caixas eletrônicos da Caixa, Correspondentes Caixa Aqui e Lotéricas. • Quem não possui o cartão, deve procurar uma agência da Caixa e apresentar um documento oficial de identificação. Na ocasião, o trabalhador pode aproveitar para solicitar o Cartão Cidadão e cadastrar sua senha. • Quem possuir conta individual na CAIXA pode ter o benefício depositado diretamente na conta, caso haja saldo acima de R$1,00 e movimentação.

Como sacar o Pasep no BB

Os pagamentos do abono salarial são realizados com crédito em conta corrente ou poupança do Banco do Brasil. Quem não recebeu o valor em sua conta, pode efetuar o saque em uma agência, com a apresentação de um documento oficial de identificação.

Como saber se tenho direito?

Para saber se tem direito ao abono salarial, é possível fazer a consulta das seguintes maneiras: PIS (trabalhador de empresa privada): No Aplicativo Caixa Trabalhador Pelo telefone de atendimento da Caixa: 0800 726 0207.

Pasep (servidor público): Pelos telefones da central de atendimento do Banco do Brasil: 4004-0001 (capitais e regiões metropolitanas); 0800 729 0001 (demais cidades) e 0800 729 0088 (deficientes auditivos).

Busão Foz, Destaques, Economia, Foz do Iguaçu, Geral,

107 anos de Foz: Prefeito destaca parcerias que estão fazendo uma grande transformação na cidade

Solenidade de comemoração de aniversário, na manhã desta quinta-feira (10), reuniu autoridades estaduais e o diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional

Foz do Iguaçu nunca foi tão prestigiada em uma cerimônia de aniversário como nestes 107 anos completados neste 10 de junho. Foi a maior presença de autoridades do Governo do Estado numa solenidade para comemorar a festividade.

O ato oficial de hasteamento da bandeira do município, na manhã desta quinta-feira, reuniu o chefe da Casa Civil do Paraná, Guto Silva, os deputados estaduais Hussein Bakri, líder do governo na Assembleia Legislativa, Paulo Litro e Gugu Bueno, e o diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, João Francisco Ferreira, ciceroneados pelo prefeito Chico Brasileiro e o vice-prefeito delegado Francisco Sampaio.

“É uma demonstração clara que Foz do Iguaçu está na vanguarda de acontecimentos que colocarão a cidade em uma vitrine mundial de grandes investimentos. Isso graças às parcerias feitas pela Prefeitura, governos estadual e federal. A cidade está repleta de obras de infraestrutura e pontuais para que a retomada aconteça o mais breve possível e da melhor maneira”, declarou o prefeito Chico Brasileiro.

O prefeito agradeceu tanto ao governo estadual como à Itaipu pelas obras que estão sendo realizadas em parceria, que darão uma guinada na economia local e que já estão atraindo investidores de fora, possibilitando que a cidade saia da estagnação e se prepare de forma ordenada para o desenvolvimento que é iminente, como por exemplo a segunda ponte entre o Brasil e o Paraguai, a Perimetral Leste, Mercado Municipal, ciclovias, espaços de lazer nos bairros, criação de novos nichos de turismo, convênios para fortalecer a marca do Destino Iguaçu e a cidade como um polo de soluções de tecnologia e inovação.

“Nossa cidade tem marcas e momentos históricos, e um desses momentos foi quando Brasil e Paraguai decidiram construir a Itaipu. Quero em nome do povo de Foz, expressar o nosso mais profundo reconhecimento pelo que essa empresa representa para a cidade. A Itaipu vem dando apoio para transformar nossa cidade na dimensão verdadeira que ela merece. E complementou : “assim como o Governo do Estado, que não tem medido esforços para fazer grandes parcerias que isso se concretize”.

Mais obras e impulsionamento do turismo

O diretor-geral brasileiro de Itaipu, general João Francisco Ferreira, reafirmou o compromisso da empresa com o município. “Há um cronograma que começou em 2019 e vai prosseguir por vários anos. Aquilo que está em andamento ou já previsto não sofrerá interrupção, como a segunda ponte, que deve ser concluída em 2022, a duplicação da Rodovia das Cataratas, que deve iniciar no segundo semestre. Todas as obras têm recursos garantidos e serão aplicados, reforçando a economia e a geração de empregos”.

Representando o governador Ratinho Junior, o chefe da Casa Civil do Paraná, Guto Silva, afirmou que o Governo do Estado tem trabalhado para impulsionar a economia e firmar Foz do Iguaçu como primeiro destino turístico do Brasil. “Foz é o cartão de visitas do nosso Estado e queremos colocá-la como primeiro destino turístico do Brasil. Existem uma série de projetos para atrair novos investimentos, mas a pandemia interrompeu esses sonhos de forma temporária. Estamos nos preparando para estimular a economia e retomar a geração de empregos, deslanchando o turismo”, adiantou.

Líder do Governo na Assembleia Legislativa do Paraná, o deputado estadual Hussein Bakri disse que “Foz atingiu sua maturidade, demonstrando um crescimento fantástico, apesar da pandemia”. Ele afirmou ainda que “Foz está plantando um grande futuro que será colhido por novas gerações”.

Transmissão on-line

A solenidade de hasteamento da bandeira do município foi exibida pelo Facebook da Prefeitura de Foz. O evento também contou com a presença do presidente da Câmara de Vereadores, Ney Patrício, além de representantes do Exército, Marinha e Aeronáutica e forças de segurança do município – Polícias Civil, Militar, Federal e Rodoviária Federal, Receita Federal e Corpo de Bombeiros.

Economia, Geral, Paraná,

VÍDEO: Requião Filho reafirma ser contra pedágio em rodovias do PR

Esta semana, o deputado divulgou um vídeo com os contrapontos à propaganda veiculada na grande mídia, pelo Governo do Paraná, sobre o suposto “fim” do pedágio. Hoje, no plenário da Assembleia, Requião Filho falou que apoiar a continuidade do sistema e aprovar novas concessões nas rodovias paranaenses é terceirizar um problema que não se quer assumir a responsabilidade.

“A propaganda afirma que o fim do pedágio é obra do atual governo. Mas isso não é verdade! O Ratinho Jr. sempre esteve negociando a renovação do pedágio”.