Browsing Category

Economia

Leia as últimas notícias sobre Economia no CabezaNews, site de informação com reportagens exclusivas, fotos, vídeos e conteúdos sobre Foz do Iguaçu e sobre o Paraná.

O CabezaNews leva ao público notícias de utilidade pública, curiosidades, turismo, lazer, cultura. Sobretudo com um olhar voltado para a região da tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina.

Em Foz, nossa cobertura foca os principais acontecimentos da cidade, incluindo eleições 2020, o avanço da pandemia do novo coronavírus, as ações da Itaipu Binacional, bem como a administração do prefeito Chico Brasileiro.

O site não deixa de lado o que acontece no restante do estado do Paraná. Notas exclusivas dos bastidores da política, da Assembleia Legislativa, ações do governo do Paraná e da administração Ratinho Júnior. Assim como as principais notícias nacionais.

O CabezaNews é editado por Ronildo Pimentel, jornalista com mais de 30 anos de atuação em jornalismo impresso e digital.

Busão Foz, Destaques, Economia, Foz do Iguaçu,

Mais de 50% dos iguaçuenses ainda não enviaram a declaração do IR

Faltam menos de três semanas para o fim do prazo estipulado paro o envio das declarações do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) 2021, ainda assim, mais de 50% dos contribuintes em Foz do Iguaçu não encaminharam o formulário. A expectativa da Receita Federal é receber 54.993 declarações. Até o momento foram contabilizadas apenas 27.318.

O prazo termina em 31 de maio. O Congresso chegou a aprovar um projeto que mudaria a data de entrega para 31 de julho, mas o presidente Jair Bolsonaro vetou a proposta de prorrogação.

Quem perder a data final poderá encaminhar a declaração posteriormente, mas terá de pagar uma multa. O valor mínimo é de R$ 165,74; já o valor máximo corresponde a 20% do imposto devido. É importante lembrar que quanto mais cedo o formulário for enviado, mas cedo sairá a restituição.

Em todo o estado já foram recebidas 1.160.060 declarações do IRPF. O fisco espera que até o fim do prazo 2.120.000 paranaenses enviem o formulário. No âmbito nacional a instituição contabilizou até as 11h de segunda-feira (10) 18.602.936 declarações. A expectativa da RFB é de que 32,6 milhões de pessoas acertem as contas com o “leão” neste ano.

Para fazer a declaração em casa é preciso baixar o programa gerador no site: receita.economia.gov.br. Para os celulares é possível fazer o download do aplicativo “Meu Imposto de Renda”. Neste ano a Receita fez uma atualização na página do IRPF, com linguagem simplificada para maior acessibilidade. Outra novidade é que, para os sistemas operacionais Windows, Linux e Mac, não é mais necessário instalar a plataforma computacional Java.

Se você fez declaração no ano passado, provavelmente deve ter uma cópia do arquivo salva no computador ou uma versão impressa. Esse arquivo vai agilizar o preenchimento de diversos campos da declaração do IR 2021, especialmente a relação de bens.
Obrigatoriedade

As informações são de GDia

Colunistas, Curitiba, Destaques, Economia, Fabio Aguayo,

Os idosos estão imunizados. E agora?

Como está a vida dos brasileiros com mais de 60 já vacinados contra a Covid-19? Entidades laboral e patronal representativas do turismo e seus segmentos querem que eles voltem as suas rotinas, mas com toda cautela e precaução que o momento exige.

A CNTur, Feturismo, Abrabar, Sindiabrabar e Sindehotéis pesquisaram e consultaram alguns locais que poderiam ajudar no retorno da rotina de idosos que moram na capital e toparam participar dos testes de comportamento e a eficácia da vacinas, após o período de recomendação de efeito pratico.

Em todos os estados, onde os brasileiros acima de 60 anos estão com a vacinação adiantada. Com o trabalho de imunização, os internamentos por sintomas graves e óbitos em decorrência da Covid-19 tem caído.

Por isto as entidades defendem que eles podem e devem voltar frequentar os locais que amam e gostam de estar, na maioria das vezes são clubes, saunas, bailes da terceira idade, parques, praças esportivas, teatros, cinemas, igrejas…

Depois de imunizados, por que não aprender e ter uma readaptação de viver com uma nova realidade, mas seguindo os mesmos cuidados de sempre?

Queremos um evento autorizado, ou se for como teste em consonância e apoio da prefeitura e governo do Estado, pois precisamos desta retomada e segurança que a vacina tem eficácia.

Propomos que seja ainda neste semestre. Podem ser excursões ou viagens para idosos vacinados. Isso quer dizer que o ingresso ou permanência, no local, só será permitida com a carteirinha de vacinação.

Voltar a rotina normal, como era antes da pandemia, não será possível, mas precisamos voltar a termos uma vida normal!

Destaques, Economia, Foz do Iguaçu, Turismo,

Pioneira, concessão do Parque Iguaçu completa 20 anos com saldo positivo. Quase triplicou a visitação!

O Parque Nacional do Iguaçu, localizado em Foz do Iguaçu, no Oeste do Paraná foi o primeiro parque do país a ser concedido à iniciativa privada. O contrato de concessão tem 20 anos, se encerra no final de 2021, e um novo processo está sendo aberto para a concessão dos próximos 30 anos. No dia 27 de abril, informa a Gazeta do Povo, o Ministério do Meio Ambiente abriu consulta pública para a nova etapa.

O parque abriga as Cataratas do Iguaçu, principal atrativo da região e terceiro destino turístico do país. Nesses 20 anos de concessão, o número de visitantes ao local quase triplicou, passando de 700 mil pessoas em 1999 para pouco mais de 2 milhões em 2019.

“O crescimento da visitação é fruto de uma parceria público-privada de sucesso, entre o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e Ministério do Meio Ambiente com o Grupo Cataratas”, disse Adélio Demeterko, diretor executivo do grupo, empresa paranaense que nasceu em Foz do Iguaçu e é a responsável pela gestão da visitação turística do Parque Nacional do Iguaçu.

Segundo ele, durante esse período foi executado um plano que transformou e melhorou a experiência dos visitantes, bem como a projeção nacional e internacional da atração natural e contribuiu para a melhoria da qualidade da conservação da natureza.

“Foi possível ter o crescimento da visitação turística e ao mesmo tempo reduzir o impacto ambiental”, afirmou Demeterko. Segundo ele, os resultados e ganhos ao meio ambiente são notórios e públicos. “Uma grande referência para medir a qualidade ambiental são os estudos realizados no Parque Nacional do Iguaçu com a onça pintada, animal símbolo da unidade de conservação. As pesquisas revelam ano a ano o aumento da espécie”, conta.

O Grupo Cataratas informa que está analisando a proposta do edital lançado pelo Ministério do Meio Ambiente, com a intenção de participar do processo e dar continuidade à gestão do Parque.

Siga lendo na Gazeta do Povo

Busão Foz, Destaques, Economia, Foz do Iguaçu,

Receita Federal realiza leilão eletrônico de mercadorias e veículos em Foz do Iguaçu. Veja como participar!

A Receita Federal de Foz do Iguaçu informa que realizará um leilão eletrônico de mercadorias e veículos apreendidos, conforme cronograma abaixo:

Início da recepção das propostas: 10/05/2021 – 08h

Fim da recepção das propostas: 17/05/2021 – 21h

Abertura da Sessão Pública para lances (que poderão ser ofertados pelo detentor da maior oferta na fase anterior e pelos detentores das ofertas que alcançarem pelo menos 90% desse valor): 18/05/2021 – 10h.

  • horário de Brasília/DF

Entre os lotes 111 a 236, 285 e 286 estão 3.915 smartphones, 123 veículos, vários patinetes elétricos, smartwatches, mesas de som, rolos de arame, videogames e peças para automóveis. A pessoa física poderá apresentar propostas para os lotes de número 111 a 217 e 221 sendo permitido apresentar por pessoa propostas para no máximo cinco lotes.

As propostas deverão ser transmitidas de forma eletrônica pelos interessados, via internet, com a adoção do Sistema de Leilão Eletrônico (SLE). Na fase inicial, as propostas poderão ser ofertadas no período compreendido entre 8h do dia 10/05/2021 e 21h do dia 17/05/2021. A maior proposta e as propostas que alcançarem pelo menos 90% desse valor, apresentadas no mencionado período, disputam o lote em novos lances virtuais no dia 18/05/2021. Não havendo lances que alcancem pelo menos 90% do maior valor, este será declarado vencedor.

As mercadorias poderão ser examinadas de 10 a 14 de maio de 2021, das 8h30 às 11h30 e das 13h30 às 16h30, na Av. Paraná, 1227 – Jardim Polo Centro. Já os veículos estão disponíveis de 10 a 14 de maio de 2021, das 08h30 às 11h30 e das 13h30 às 16h30, na Av. José Maria de Brito, 2985 – Jardim Itamarati (atrás da Polícia Federal).

O certame será realizado na modalidade mista, que admite a participação simultânea de pessoas jurídicas e pessoas físicas. Os valores iniciais dos lotes variam de R$ 2.000,00 a R$ 108.000,00. Somente poderão apresentar ofertas pessoas jurídicas regularmente constituídas, inscritas no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas – CNPJ, e pessoas físicas, maiores de 18 anos ou emancipadas, inscritas no Cadastro de Pessoas Físicas – CPF.

Não poderão participar do leilão pessoas físicas ou pessoas jurídicas que estejam cumprindo suspensão temporária de participação em licitação, impedidas de contratar com a Administração Pública ou que tenham sido declaradas inidôneas; que não observem a legislação que restringe o trabalho de menores; e pessoas físicas que exerçam cargo, função, emprego público ou qualquer outra atividade vinculada à Receita Federal. Para fazer jus à arrematação do bem, o vencedor também deve comprovar a sua regularidade fiscal.

Cabe destacar que, para participar do leilão eletrônico, é imprescindível que as pessoas físicas e os representantes das pessoas jurídicas interessadas possuam certificado digital, que pode ser adquirido junto às empresas certificadoras (a relação dessas empresas pode ser obtida na página da Receita Federal na internet).

Alternativamente, a participação no certame também pode dar-se por meio de procurador, que deve possuir certificado digital (o outorgante não necessita ter certificado digital). As instruções para constituir o procurador constam no e-CAC (ambiente de atendimento virtual disponível no sítio da Receita Federal).

Os veículos arrematados por pessoas físicas somente poderão ser destinados a uso ou consumo, vedada sua destinação para fins de comércio. Já os veículos arrematados por pessoas jurídicas poderão ser destinados a uso ou consumo e também finalidades comerciais ou industriais.

O valor do lance vencedor deverá ser pago integralmente até o primeiro dia útil subsequente à data de adjudicação; ou mediante o pagamento do percentual de 20% (vinte por cento) do valor do lance até o primeiro dia útil subsequente à data de adjudicação – o qual consubstanciará em sinal e o pagamento do percentual restante de 80% (oitenta por cento) do valor do lance no prazo de 8 (oito) dias seguidos, contados da data da adjudicação (incluindo esta data na contagem).

Serão de responsabilidade do arrematante todas as providências, solicitações de serviços e encargos visando o cadastramento/regularização dos veículos junto aos órgãos de trânsito, tais como emplacamento, transferência, emissão de certificado, modificação ou remarcação de chassi, obtenção de código específico de marca/modelo/versão, vistorias, dentre outros procedimentos necessários para fins de adequação do veículo.

O teor completo do edital, inclusive a identificação de cada lote e respectivas fotos, bem como o preço de arrematação inicial, poderão ser obtidos no sítio da Receita Federal na internet, no endereço, www.receita.fazenda.gov.br, na opção Leilão existente na página inicial (uma das opções disponíveis em Acesso Rápido).

Brasil, Destaques, Economia, Paraná,

Arábia Saudita suspende a compra de carne de aves de 11 frigoríficos do Brasil

A Arábia Saudita suspendeu a autorização de exportação de carne de aves de 11 frigoríficos brasileiros, segundo uma nota conjunta dos Ministérios das Relações Exteriores e da Agricultura, divulgada nesta quinta-feira (6).

O governo brasileiro disse que recebeu com “surpresa” a decisão e que “não houve contato prévio das autoridades sauditas” e nem “apresentação de motivações ou justificativas”.

A informação consta em uma lista da Saudi Food and Drug Authority (SFDA) publicada no dia 5 de maio. Segundo este documento, os frigoríficos suspensos são:

  • 5 da Seara Alimentos: em Amparo (SP), Brasília (DF), Campo Mourão (PR), Caxias do Sul (RS), Ipumirim (SC);
  • 3 da Vibra Agroindustrial: Itapejara D’Oeste (PR); Pato Branco (PR) e Sete Lagoas (MG)
  • 2 da JBS: em Montenegro (RS) e Passo Fundo (RS);
  • 1 da Agroaraçá: em Nova Araçá (RS).

Em nota à imprensa, a JBS disse que procurou a SFDA para “dialogar e entender as motivações para o bloqueio”.

“A produção antes destinada à Arábia Saudita já foi redirecionada para outros mercados”, disse a empresa no comunicado, que detém a marca Seara.

O G1 também entrou em contato com a Vibra Agroindustrial e Agroaraçá, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem.

O governo brasileiro afirmou que iniciou contato com as autoridades da Arábia Saudita e da embaixada do país em Brasília para esclarecer o episódio.

“Todas as vias bilaterais e multilaterais serão empregadas com vistas à pronta resolução da questão. Caso se comprove a interposição de barreira indevida ao comércio, o Brasil poderá levar o caso à OMC [Organização Mundial do Comércio]”, disse o comunicado.

“O Brasil reitera os elevados padrões de qualidade e sanidade seguidos por toda nossa cadeia de produtos de origem animal, assegurados por rigorosas inspeções do serviço veterinário oficial. Há confiança de que todos os requisitos sanitários estabelecidos por mercados de destino são integralmente cumpridos”, acrescentou.

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) disse, em nota, que está apoiando o governo na busca por mais detalhes sobre a “surpreendente decisão unilateral” das autoridades sauditas.

Continue lendo em G1 Globo

Destaques, Economia, Paraná,

Municípios recebem na segunda, 10, primeiro repasse do FPM de maio

O Fundo de Participação dos Municípios – FPM é o valor repassado pelo Governo Federal aos Estados e Municípios brasileiros. O advogado Gilmar Cardoso explica que esse dinheiro é arrecadado a partir do Imposto de Renda (22,5%) e do Imposto sobre Produtos Industrializados.

A Lei nº 5.172, de 25 de outubro de 1966 (Código Tributário Nacional) mostra que o FPM é uma transferência constitucional e a distribuição dos recursos aos municípios é feita de acordo com o número de seus habitantes. Desta forma, esclarece o advogado, para cada faixa populacional, um coeficiente é estabelecido, variando-se de O,6 à 4,O de cidades com número de habitantes entre 10.188 e 156 mil cidadãos. Para municípios com número maior de habitantes, o coeficiente continua fixo.

Gilmar Cardoso descreve que do total de recursos, 10% são destinados às capitais, 86,4% para outros municípios e 3,6% vão para um fundo de reserva que beneficia as cidades com população superior a 142.633 habitantes, excluídas as capitais.

Nesta segunda-feira, dia 10, quando acontece o primeiro repasse do decêndio (todo dia 10, 20 e 30 de cada mês), os 399 Municípios do Estado do Paraná receberão o montante de R$ 316.713.423,13; dos quais R$ 14.370.088,88 será destinado para Curitiba e 421.407,03 depositado nas contas dos 199 municípios que estão enquadrados no coeficiente mínimo do índice O,6.

Em todo o país, os 5.570 municípios contarão com o incremento de receita no valor de R$ 5,8 bilhões referentes ao primeiro repasse de maio do Fundo de Participação dos Municípios – FPM. Neste montante já está descontada a retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Em valores brutos o total chega à R$ 7,2 bilhões.

No acumulado do ano, Gilmar Cardoso destaca que o total repassado aos Municípios aponta e registra um crescimento de 25,62% em relação ao mesmo período de 2020, sendo que ainda que oscile, o saldo é positivo em 18,89% incluída a inflação. Registre-se, também, que a primeira transferência, a do dia 10, tende a ser a maior do mês e pode representar para os gestores públicos, em termos de planejamento, quase que a metade do valor estimado para o mês de maio, concluiu o advogado.

Curitiba, Destaques, Economia,

iFood promove curso sobre vendas online e delivery para lanchonetes e restaurantes de Curitiba

A capacitação, com apoio da Abrabar e SindiAbrabar, será online aos estabelecimentos associados e interessados em ingressar na categoria

As melhores técnicas para impulsionar as vendas online e como o delivery (pronta entrega) pode contribuir nesse processo as lanchonetes e restaurantes, serão temas de um curso promovido pela iFood em Curitiba. A capacitação, na próxima sexta-feira (14), será online e conta com apoio da Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar) e o SindiAbrabar.

A intenção, de acordo com a iFood, maior empresa de delivery do Brasil, é levar mais conhecimento e a digitalização para as lanchonetes e restaurantes da capital do Paraná. Serão abordados temas como áreas de entrega e impactos, promoções, embalagens, avaliações, além de ser um espaço para esclarecimento de dúvidas.

Entre março de 2020 a março de 2021, o iFood já ajudou na transformação digital de mais de 110 mil restaurantes no Brasil, permitindo que estabelecimentos de todos os portes continuassem funcionando e ampliassem possibilidades de venda. “Será um bom reforço para a nossa categoria”, diz o presidente da Abrabar, Fábio Aguayo.

Economia, Paraná, Política,

Novo modelo de pedágios visa o lucro das concessionárias, diz Requião Filho

O deputado estadual Requião Filho e o ex-governador e ex-senador Roberto Requião participaram de entrevista nesta quinta-feira (6) à Rádio Clube de Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais.

As tarifas abusivas de pedágio, as obras não entregues pelas concessionárias e a nova licitação foram os temas mais discutidos.

Para Requião Filho, o modelo híbrido apresentado pelo Governo Federal e com apoio do Governo Estadual, apenas visa o lucro das concessionárias.

Assista a íntegra da entrevista no site do Deputado Estadual Requião Filho

Busão Foz, Destaques, Economia, Foz do Iguaçu,

Prefeito Chico Brasileiro pede em Brasília aumento da cota de compras nas lojas francas em Foz do Iguaçu

O prefeito Chico Brasileiro formalizou, na última quarta-feira (05) em Brasília (DF), o pedido de elevação da cota de US$ 300 (R$ 1,5 mil) para US$ 500 (R$ 2,5 mil) nas lojas francas (sem taxas) em Foz do Iguaçu. O pleito foi encaminhado ao coordenador-geral do Ministério da Fazenda, Andrey Aurélio de Sousa Correia. O reajuste do limite viria em um momento oportuno para o Destino, dizem lideranças do setor de turismo.

A proposta encaminhada por Chico Brasileiro faz parte do plano de retomada do turismo e classificação de Foz do Iguaçu como um centro internacional de compras, atraindo os brasileiros residentes nos grandes centros urbanos. “Poderá ser uma grande conquista para consolidar o turismo de compras como um grande atrativo que se somará aos já reconhecidos”, disse.

 A cidade já tem a estrutura, segundo o prefeito, para receber bem o turista brasileiro e agora pode ser uma boa opção de compra, com comodidade e conforto. “O aumento da cota para U$ 500 amplia também o número de visitantes brasileiros. Isso será muito importante no plano de retomada econômica de Foz do Iguaçu”, afirmou Brasileiro.
Foz do Iguaçu conta atualmente com duas lojas duty free e tem previsão de receber mais duas nos próximos meses. “Há um esforço conjunto por parte da prefeitura e do setor produtivo na busca desta retomada no mais curto tempo possível”, avaliou o prefeito.

Momento oportuno

“O aumento da cota de compras para os free shops localizados em Foz do Iguaçu contribuirá para uma mais breve e efetiva retomada do turismo no Destino”. A avaliação é do presidente do Visit Iguassu Convention Bureau, Felipe Gonzalez. De acordo com ele, “o momento é mais que oportuno”.

“Visto que a cidade está em pleno desenvolvimento e mesmo durante a pandemia conseguiu avançar nas obras estruturantes principais”, ressaltou Gonzalez. Entre as ações listadas pelo presidente do Visit Iguassu estão a reforma e ampliação da pista do Aeroporto Internacional e a construção Ponte Internacional da Integração Brasil-Paraguai, a segunda unindo os dois países na região de Foz do Iguaçu.

“Além de contar com grandes investimentos do setor privado na melhoria e ampliação de seus equipamentos, inaugurações e lançamentos de novos atrativos turísticos”, ressaltou Gonzalez. Que completou: “Enfim, trata-se de um importante incentivo para que Foz do Iguaçu alcance novos recordes de visitação”.

Segmento fortalecido
De acordo com Faisal Ismail, presidente da Associação Comercial e Empresarial (Acifi), o aumento da cota de compras nas lojas francas de Foz do Iguaçu vai significar o fortalecimento dessa nova modalidade de estabelecimento comercial da cidade. “É bom para a empresa, que pode aumentar seu público e leque de clientes”, disse.

Além disso, ainda segundo Ismail, a medida nivela a concorrência com o mercado exterior. “Contudo, é preciso analisar com muito zelo os impactos internamente, em especial sobre comércio iguaçuense como um todo”, completou.

Mais visitantes
“Sem dúvida nenhuma. É interessante haja vista que hoje, com esta cota já existente, muitas pessoas se beneficiam nas compras”, disse o presidente do Sindicato de Hotéis (Sindihotéis), Neuso Rafagnin. De acordo com ele, subindo a cota de compras das lojas francas, “apesar do dólar estar alto, quase R$ 6 por um, compensa devido ao valor da compra efetuada”.

“Geralmente, estes produtos, não são para uso próprio na totalidade, sempre existe alguém que revende e ganha um percentual em cima destes valores pagos em Foz”, analisou. Ainda segundo Neuso, as lojas francas são mais uma ferramenta que pode beneficiar e atrair mais pessoas para virem ao destino fazer compras.

As informações são de GDia

Busão Foz, Destaques, Economia, Meio Ambiente,

Rio Paraná abaixo do nível devido a longa estiagem prejudica escoamento da safra de grãos do Paraguai

Na fronteira do Brasil com o Paraguai, o Rio Paraná está com o nível 4,5 metros abaixo da média registrada em 2020. Isso tem prejudicado o escoamento da safra de grãos paraguaia, já que o rio é o único acesso que o país vizinho tem pela água até o Oceano Atlântico.

Adianta o G1 que a entidade que representa os exportadores no Paraguai diz que são quase R$ 2 bilhões em mercadorias paradas. “Os portos estão todos lotados, não tem espaço de giro neles”, afirma Hugo Pastores, gerente da Câmara de Exportadores do Paraguai.

Mais de 150 mil toneladas de grãos foram guardadas em barcaças no Rio Paraná nos últimos dias pela dificuldade de transporte. Outras 600 mil toneladas estão em silos sem qualquer previsão de transporte, informam os produtores paraguaios. Para que as barcaças se movam e a produção chegue aos portos, o nível do rio precisa subir. Mesmo sem chuva, isso pode ser possível.

Nesta semana, produtores e transportadores paraguaios se uniram para pedis às autoridades que a usina de Itaipu libere mais água do reservatório. No Brasil, o Itamaraty informou que está examinando o pedido do Ministério das Relações Exteriores do Paraguai.

Continue lendo no G1 Globo