Browsing Category

Economia

Leia as últimas notícias sobre Economia no CabezaNews, site de informação com reportagens exclusivas, fotos, vídeos e conteúdos sobre Foz do Iguaçu e sobre o Paraná.

O CabezaNews leva ao público notícias de utilidade pública, curiosidades, turismo, lazer, cultura. Sobretudo com um olhar voltado para a região da tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina.

Em Foz, nossa cobertura foca os principais acontecimentos da cidade, incluindo eleições 2020, o avanço da pandemia do novo coronavírus, as ações da Itaipu Binacional, bem como a administração do prefeito Chico Brasileiro.

O site não deixa de lado o que acontece no restante do estado do Paraná. Notas exclusivas dos bastidores da política, da Assembleia Legislativa, ações do governo do Paraná e da administração Ratinho Júnior. Assim como as principais notícias nacionais.

O CabezaNews é editado por Ronildo Pimentel, jornalista com mais de 30 anos de atuação em jornalismo impresso e digital.

Curitiba, Destaques, Economia,

Entidades criam guia de restaurantes e bares que oferecem espaços ao ar livre

Abrabar e SindiAbrabar divulgam links para empresários preencher cadastro ou listas vender objetos para vender após fecharem estabelecimentos

A Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar) e o Sindicato das Empresas de Gastronomia, Entretenimento e Similares (SindiAbrabar) querem facilitar a vida dos apaixonados por bares, cafés, lanchonetes e restaurantes, que procuram espaços amplos ao ar livre e arejados. As entidades criaram um guia de estabelecimentos que se enquadram nas recomendações sanitárias para evitar a proliferação da Covid-19.

Nas últimas semanas, lembram Abrabar e SindiAbrabar, houve uma queda expressiva nos índices negativos da pandemia, resultando no retorno gradual das atividades de gastronomia e entretenimento. Com isto, os frequentadores tem retornado aos ambientes do setor, mas em ritmo lento.

As entidades tem sido procuradas para informações de locais com espaços amplos e áreas abertas ou ar livre, como jardinetes, decks, mesas e cadeiras nas calçadas. O guia, segundo o presidente do SindiAbrabar, Gustavo Grassi, será uma ferramenta de facilitação aos turistas e clientes habituais da categoria, que querem encontrar os ambientes que lhe agradam.

Os estabelecimento interessados em integrar o guia poderão se inscrever clicando AQUI, e relacionar os tipos de espaços ao ar livre que possuem.

Bares listados
As entidades já possuem alguns estabelecimentos catalogados, como Bom Scoth Bar que dipõe de um deck amplo, Paraguassu Grelhados e Seu Prudente com mesas e cadeiras nas calçadas e o Bar Quermesse com um espaço deck amplo.

Também integram o guia o Choripan, que tem área livre na calçada e deck amplo, o Zapata Mexican Bar com deck amplo, o Espaço Deposito com jardinete e deck, Bar do Largo com deck amplo no Parque Barigui, Serviço Ca’dore com área livre e deck, Souq Gastronomia e Entretenimento e Mercado Sal, ambos com decks amplos.

Brechó
As entidades criaram na última semana um brechó virtual de facilitação para empresários do setor que fecharam e querem vender o que sobrou dos estabelecimentos (bar, restaurante, lanchonete, pizzaria ou casa noturna) e dos clientes apaixonados por bares que estão em busca de um souvenir ou mesmo um móvel para a residência.

Para participar, o empresário deverá clicar AQUI e informar os objetos que pretende vender. A intenção, segundo a Abrabar e o SindiAbrabar, é dar uma aliviada no caixa dos empresários do setor, que foi obrigado a fechar as portas dos estabelecimentos devido as medidas restritivas da pandemia.

Em ambos os serviços, as entidades estão cadastrando os estabelecimentos. Na sequência será criado um site com as informações dos ambientes e dos objetos que serão para venda, adiantam Abrabar e SindiAbrabar.

Destaques, Economia, Eleições 2020 em Foz do Iguaçu,

Beneficiário que assinar contrato formal para trabalhar em campanhas eleitorais pode perder auxílio emergencial, alerta advogado

Atenção aos beneficiários do auxílio emergencial do governo federal que estão de olho num trabalho extra durante a campanha eleitoral deste ano. Quem assinar contrato formal no período pode perder automaticamente o benefício.

O alerta é do advogado Gilmar Cardoso que lembra, de acordo com a legislação trabalhista, os cabos eleitorais terão que recolher contribuição à Previdência Social, que veda a contratação de pessoas que estejam recebendo o Bolsa Família, auxílio emergencial e aposentadoria por invalidez e tenham vínculo ativo com o INSS.

De acordo com o advogado, o auxílio é destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados.

De acordo com o Art. 9º, XXI, da Instrução Normativa nº 971/2009, “pessoa física contratada por partido político ou por candidato a cargo eletivo para, mediante remuneração, prestar serviços em campanha eleitoral, deve contribuir à Previdência Social obrigatoriamente na qualidade de contribuinte individual”.

Advogado Gilmar Cardoso (Foto: Divulgação)

O artigo 100 da Lei nº 9.504/97 determina que a contratação de pessoal para prestação de serviços nas campanhas eleitorais não gera vínculo empregatício com o candidato ou com o partido contratantes, avisa.

Segundo Gilmar Cardoso, existe o risco de a pessoa que optar por trabalhar em campanha eleitoral com contrato formal, perder o valor assistencial. Isto porque o vínculo de emprego resultará no recolhimento previdenciário do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

“Considerando que a base de dados do Governo Federal está atualmente entrelaçada, constando qualquer recolhimento em tal base, significa que o segurado que estiver exercendo atividade remunerada pode ter o seu recebimento de natureza assistencial afetado”, afirma o advogado.

Isso ocorre porque a contratação de cabos eleitorais será diferente nestas eleições. As pessoas que têm interesse em trabalhar em campanha terão que contribuir com a Previdência Social.

Independente do valor que irá receber o empregado, no caso o Cabo Eleitoral, terá que contribuir com o INSS – Instituto Nacional do Seguro Social – sendo o valor mínimo de contribuição de aproximadamente R$ 80,00 (7,5% sobre o salário mínimo nacional), variando até 14% de desconto previdenciário para quem for contratado para ganhar acima de R$ 3 mil mensais.

E ainda, os interessados não podem estar recebendo benefício social, como por exemplo, ser aposentado por invalidez; aposentadoria especial a pessoas com deficiência, ser beneficiado com auxílio-doença, auxílio-acidente, e nem receber o BPC-LOAS – Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social, entre outros, uma vez que no ato da contratação a pessoa efetuara recolhimento junto à Previdência Social, na qualidade de contribuinte individual.

Gilmar Cardoso explica que diante dessa situação, as pessoas interessadas em trabalhar como Cabo Eleitoral nas eleições desse ano até podem ter vínculos com outros empregos, desde que não exerçam suas atividades no mesmo horário.

O advogado explicou que não existe um valor mínimo ou máximo para se remunerar estas pessoas, os cabos eleitorais, aqueles que entregam santinhos, carregam bandeiras, fazem a logística dos comícios, pedem voto e, de alguma forma, se comprometem com os candidatos.

Para quem for trabalhar como cabo eleitoral, é importante saber que todo o pagamento deve ser feito de forma oficial. “Muita atenção ao pagamento por fora, ao valor ‘extra’ pago pelo candidato. Isso é caixa 2, é crime, e pode resultar em problemas muito sérios para o candidato e também para quem recebe este recurso”, ressaltou.

E ainda, os interessados não podem estar recebendo benefício social, como por exemplo, ser aposentado por invalidez; aposentadoria especial a pessoas com deficiência, ser beneficiado com auxílio-doença, auxílio-acidente, e nem receber o BPC-LOAS – Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social, entre outros, uma vez que no ato da contratação a pessoa efetuara recolhimento junto à Previdência Social, na qualidade de contribuinte individual, alerta o advogado.

Gilmar Cardoso detalhou que no caso dos municípios com até 30 mil eleitores o número de mão de obra contratada,não poderá exceder a 1% do eleitorado. Nos demais municípios e no Distrito Federal, será de 1% mais uma contratação para cada mil eleitores que exceder o número de 30 mil. Não é admitida a contratação de menores de 18 anos.

Segurados da Previdência Social
Outra situação destacada por Gilmar Cardoso é a situação dos aposentados que também optarem por trabalhar formalmente em campanhas eleitorais.

De acordo com ele “o aposentado por tempo de contribuição pode trabalhar normalmente sem correr o rico de perder o benefício previdenciário. O que não pode trabalhar é o aposentado por invalidez ou aquele afastado que está recebendo auxilio doença”, ressalta o advogado, completado ainda que sobre a remuneração do aposentado também deve ser recolhido o INSS.

Regras recomendadas para contratação:
A contratação de pessoas deve ser feita por meio de contrato individual escrito, fazendo constar no contrato, a qualificação do contratado, nome completo, nacionalidade, estado civil, profissão, CPF, documento de identidade e órgão expedidor, número do PIS ou NIT, número Título de Eleitor e endereço do seu domicílio, as obrigações e os direitos concedidos, tais como:

  1. Valor da remuneração, respeitado o salário mínimo hora.
  2. Jornada de trabalho até 8 horas diárias e 44 semanais.
  3. Folga semanal.
  4. Concessão gratuita de água potável e em recipiente higiênico e adequado, durante toda a jornada de trabalho.
  5. Fornecimento de vale alimentação ou a concessão in natura de alimentação.
  6. Concessão de vale transporte, auxílio transporte ou fornecimento de transporte.
  7. Fornecimento gratuito de equipamentos de proteção individual, colete refletivo tipo X e protetor solar (FPS mínimo 30), quando necessários.
  8. Que a forma de pagamento das parcelas pecuniárias (salário, vale-transporte e/ou vale alimentação) deverá ser por meio de cheque nominal ou depósito bancário em nome do contratado, como forma de atender à legislação eleitoral.

No site da Caixa, que atua como agente operador do benefício, há especificações de quem não tem direito ao auxílio. Um dos grupos citados é daqueles que estão recebendo benefícios previdenciários, assistenciais ou de transferência de renda federal, com exceção do Bolsa Família.

FGTS
Como não há vínculo empregatício na contratação de pessoal para trabalhar na campanha eleitoral, candidato e partido político, na condição de contratantes, estão desobrigados de depositar, em conta bancária vinculada, a importância correspondente a 8% da remuneração paga ou devida, correspondente ao FGTS.

Destaques, Economia, Paraná,

Procon registrou mais de 88 mil atendimentos online durante a pandemia no Paraná

A maior parte das reclamações envolveu academias, operadoras de telefonia, bancos, financeiras e companhias aéreas. O primeiro caminho a ser utilizado pelos consumidores é a plataforma consumidor.gov.br.

Ao longo de sete meses de pandemia o Procon-PR, órgão vinculado à Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho, já registrou 88.820 atendimentos pelos diversos canais virtuais oferecidos. As denúncias com maiores reclamações envolvidas foram das empresas de academias, operadoras de telefonia, bancos, financeiras, companhias aéreas.

“Esses registros demonstram o comprometimento do órgão com o consumidor paranaense, solucionando problemas frequentes”, diz o secretário da Sejuf, Ney Leprevost.

Somente pela plataforma consumidor.gov.br foram registrados 66.873 atendimentos. Houve um aumento de aproximadamente 56% em relação ao mesmo período do ano passado quando foram 42.730 atendimentos. Já pelas plataformas do órgão estadual do consumidor foram 21.947 atendimentos em 2020 entre abril e setembro. 

Orientação

A chefe do Procon, Claudia Silvano, orienta que o primeiro caminho a ser utilizado pelos consumidores é a plataforma consumidor.gov.br. Segundo ela, participam do serviço mais de 900 empresas, entre elas todas as operadoras de telefonia, bancos, financeiras, companhias aéreas, grandes redes de varejo.

“Uma vez realizado o registro, a empresa tem o prazo de 15 dias para dar uma resposta ao consumidor. Mas as respostas sempre acontecem em prazo menor”, diz Claudia, ressaltando ainda que se for constatada a prática abusiva os fornecedores estão sujeitos a multas que variam de R$ 800 a R$ 8 milhões.

“Para fazer a reclamação é importante que o consumidor tenha nota fiscal da compra, ou foto do produto anunciado e seguir o passo a passo do registro da reclamação online”, disse o secretário Leprevost.  

Caso a empresa contra a qual o consumidor precisar reclamar não participe da plataforma consumidor.gov.br, o Procon oferece ainda outras opções de denúncias, que estão disponíveis no site: www.procon.pr.gov.br.

Destaques, Economia, Paraná,

“Estão abusando dos paranaenses”, diz Romanelli sobre aumento da tarifa de pedágio

O deputado estadual Luiz Claudio Romanelli (PSB) voltou a se manifestar contra o aumento abusivo das tarifas de pedágio, anunciadas pela concessionária CCR Rodonorte. Romanelli disse que “é um desrespeito e uma vergonha o aumento abusivo em 40% nas tarifas de pedágio”.

“O paranaense novamente foi surpreendido por uma decisão da CCR Rodonorte, que tinha reduzido em 30% a tarifa de pedágio por causa do Acordo de Leniência com o Ministério Público Federal, e ainda aplicou um reajuste de mais 10%. Ou seja, agora as tarifas estão 40% mais caras nas rodovias pedagiadas da Rodonorte. Uma vergonha e um abuso contra os paranaenses”, desabafa o deputado.

Romanelli lembra que 40% do total de trechos de rodovias pedagiadas no Paraná são explorados pela CCR Rodonorte. “Além dos 30% da negociação com o Ministério Público Federal, que foi finalizado, teve mais 10% de reajuste”, reafirma. O deputado voltou a alertar a população paranaense, quanto à importância da mobilização de toda a sociedade civil organizada.

“Ou o paranaense se mobiliza ou o novo programa de concessão vai ser tão ruim quanto esse que temos atualmente. Se não ficarmos muito atentos e fizermos uma ampla mobilização com a participação da sociedade civil organizada, eles [o governo federal e as concessionárias] vão nos impor de novo um pedágio com preço caro e abusivo por mais 30 anos”, alerta.

O deputado defende que a concorrência pública seja feita na bolsa de valores e que o critério seja exclusivamente pelo menor preço de tarifa e maior volume de obras. “Não dá para fazer o modelo de concessão onerosa, com a cobrança de taxa de outorga. Isso vai elevar o preço das tarifas de pedágio no Paraná de novo e essas empresas vão continuar donas dessas rodovias pelo resto das nossas vidas”.

Atuação

Romanelli lembra que a Assembleia Legislativa atua diretamente para que o Governo do Paraná faça uma concessão melhor do que as feitas nas rodovias federais do Estado. Ele acrescenta que, em relação às rodovias federais, pouco se pode fazer. “A bancada federal já se manifestou por meio de um documento muito bem elaborado, exigindo exclusivamente o menor preço de tarifa pedágio, numa concorrência limpa. Os 30 deputados federais e três senadores assinaram o documento, contrários a essa concessão onerosa, mas não foram atendidos”, informa.

Para ele, a mobilização da sociedade pode impedir que as rodovias estaduais integram uma eventual concessão, que não tem exclusivamente o menor preço da tarifa. O deputado garante que esse tema está sendo tratado diretamente pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior. “Eu confio muito que juntos vamos encontrar uma solução para impedir que o governo federal cometa essa profunda injustiça contra o povo paranaense. Eu confio que o governador vai tomar as decisões e comunicá-las ao governo federal no momento adequado”, conclui.

Economia, Paraná,

Audiência na Assembleia Legislativa vai debater melhor condição tributária ao setor de fertilizantes do Paraná

Representante do setor de fertilizantes do Paraná participam, na próxima segunda-feira (19), de uma audiência pública na Assembleia Legislativa para discutir melhores condições tributárias aos produtores.

O evento, convocado pelo deputado Requião Filho, vai discutir a partir das 10h30 os Impactos da Isonomia Tributária do ICMS/Fertilizantes e será levado ao ar pelo Aplicativo Zoom, com transmissão ao vivo pelos canais do Facebook e Youtube da Assembleia Legislativa.

A intenção, segundo Requião Filho, é aumentar a competitividade da indústria nacional, que vem sendo prejudicada por um convênio que isenta os fertilizantes importados do pagamento de ICMS, enquanto os tributos nacionais variam entre 4,9% e 8,4%.

A reunião será realizada e modo remoto, via Zoom, com transmissão ao vivo nas redes da Assembleia Legislativa do Paraná, às 10h30.

Requião Filho encaminhou convites a todos os deputados, em especial aos integrantes da Comissão de Finanças e Tributação, e Comissão de Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural.

Também estarão presentes representantes do Sindicato Nacional da Indústria de Matérias-Primas para Fertilizantes – Sinprifert.

SERVIÇO
“Impactos da Isonomia Tributária do ICMS/Fertilizantes”
Quando: Segunda-feira, dia 19 de outubro de 2020
Horário: 10h30
Local: Aplicativo Zoom – Transmissão ao vivo pelos canais do Facebook e Youtube da Assembleia Legislativa do Paraná

Destaques, Economia, Paraná,

Rodonorte reajusta pedágio em 40% em sete praças do Paraná

A concessionária CCR Rodonorte reajustou a tarifa do pedágio em sete praças a BR-376, BR-277 e PR-151.

Os valores, adianta a Rádio Cultura, foram reajustados em 40% após o término do período de desconto definido por um acordo de leniência firmado entre a empresa e o Ministério Público Federal (MPF).

As tarifas foram reduzidas em 30% em abril do ano passado.

De acordo com a Rodonorte, o reajuste anual foi aprovado em dezembro de 2019, e os valores passa a R$ 8,10 e R$ 12,80 para carros de passeio.

Curitiba, Destaques, Economia,

Abrabar comemora a liberação para bares e casas noturnas e buffets de autoatendimento em Curitiba

Novas regras permitiram bares com música ao vivo, sem pista de dança e pequenos eventos com até 50 pessoas, informa Abrabar

A Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar) comemorou a publicação do decreto que manteve a Bandeira Amarela e permitiu o retorno de bares, restaurantes, casas noturnas e dos buffets de autoatendimento (self-service) em Curitiba. A medida permitiu, já no feriado prolongado da Padroeira do Brasil, a volta da música ao vivo e dos pequenos eventos com até 50 pessoas.

“Isso é uma luta da Abrabar, incansável nestes últimos meses”, ressaltou o presidente Fábio Aguayo, em vídeo aos empreendedores do setor. “Sabemos que as coisas não estão boas ainda, a pandemia está aí e temos que manter os protocolos, os procedimentos e todos os cuidados. Mas já é um pequeno passo”, analisou.

Daqui para frente, de acordo com Aguayo, “vamos tentando avançar conscientemente, para não regredir lá na frente. Sabemos que estamos perto da eleição, muita coisa está em jogo, mas o que vale agora é bom senso e razoabilidade”, destacou o presidente da Abrabar. Que completou: “Vamos juntos nesta luta”.

Cenário favorável
A edição do novo decreto, segundo a Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba, foi possível devido aos números bastante favoráveis no enfrentamento à Covid-19, doença do novo Coronavírus. A taxa geral de ocupação dos leitos exclusivos para casos confirmados ou suspeitos de Covid-19 na cidade estava em 66% no final de semana.

De acordo com a prefeitura, a liberação de algumas atividades foi possível graças à queda nos números de diagnósticos da Covid-19 e óbitos na capital. O número de casos confirmados da doença chegou a 46.775 e o total de mortes em Curitiba estava em 1.355.

Do início de setembro até o momento, de acordo com a Prefeitura, estão sendo registradas, em média, 50 mortes por semana. Nos meses de julho e agosto, eram em média 100 óbitos por semana. Os casos confirmados do novo coronavírus caíram 49% entre o início de agosto e o final de setembro, conforme a prefeitura.

Os indicadores são os de maior peso no cálculo da bandeira, segundo a administração municipal, entre os seis que compõem o grupo que mede o nível de propagação da doença.

Flexibilização
As medidas do novo decreto permitem a volta de atividades, desde que exijam o uso de máscaras nos estabelecimentos, com até 50 pessoas, e forneçam álcool gel aos clientes. É necessário o setor observar as medidas de distanciamento de 1,5 metros entre as pessoas.

Estão autorizadas as atividades comerciais de rua não essenciais, galerias e centros comerciais, que podem abrir todos os dias, das 10h às 20h. Os shopping centers podem abrir todos os dias, das 11h às 22h.

Os restaurantes e lanchonetes também podem abrir todos os dias, das 6h às 23h, inclusive na modalidade de atendimento de buffets no sistema de autosserviço. Está permitida música ao vivo, mas sem pista de dança. Os bares podem abrir todos os dias da semana, das 6h às 23h. Está permitida música ao vivo, mas sem pista de dança.

Economia, Foz do Iguaçu,

Programa Acelera Foz quer atrair investimentos para região

O formato do Escritório de Atração e Recepção de Investimentos para o município foi debatido em reunião da Coordenação Estratégica do Programa Acelera Foz. A proposta foi apresentada pela consultoria responsável pelo estudo técnico que norteará a implantação do projeto. 

O escritório é uma ação prioritária do Acelera Foz, prevista no eixo 5, de inovação e captação de novos investimentos. A modelagem debatida pela coordenação do programa contempla contribuições de integrantes de instituições iguaçuenses públicas e privadas, reunidas em workshops presenciais. 

De acordo com o consultor Marcelo Padilha, do Sebrae, a definição do modelo é vital para que esse instrumento de fomento à economia da cidade cumpra sua finalidade. O Sebrae é uma das instituições que coordenam o Acelera Foz e atua diretamente na constituição do Escritório de Atração e Recepção de Investimentos. 

“Precisamos criar um escritório de investimentos que de fato faça a diferença para Foz do Iguaçu”, ressaltou. “Como em uma empresa, esse escritório tem que ter meta, dar retorno e resultados, mensurando todas as entregas. O que importa é investimento efetivo na cidade”, defendeu Marcelo. 

O consultor Carlos Guedes apresentou a modelagem e as ações necessárias para as etapas de criação, estruturação e operação. A proposta é que o Escritório de Atração e Recepção de Investimentos tenha formato misto, incluindo na gestão os setores governamental e empresarial, além de universidades e organizações da sociedade civil.

“Examinamos o que é bem-sucedido e o que precisa ser evitado, a partir de modelos nacionais e internacionais que estão em operação”, explicou o consultor empresarial. “O escritório de investimentos precisa atender seu principal objetivo, que é o de gerar negócios, emprego e renda em Foz do Iguaçu”, pontuou Carlos. 

Atuação estratégica

Presidente da Associação Comercial e Empresarial (ACIFI), Faisal Ismail reforçou a proposta para que o escritório de investimento concentre atuação em setores estratégicos. “Para ter os resultados esperados, é fundamental que sua operação seja destinada às principais cadeias econômicas de Foz do Iguaçu”, apontou. 

Para o assessor especial da direção-geral brasileira da Itaipu Binacional, coronel Jorge Áureo, a formatação do escritório de investimentos para Foz do Iguaçu deve assegurar a participação da iniciativa privada, empresários e sociedade civil. “É uma conjugação interessante, que harmoniza os setores público e privado”, refletiu. 

AI Programa Acelera Foz

Destaques, Economia, Foz do Iguaçu,

Empresários de Ciudad del Este, no Paraguai, estão otimistas com a reabertura da Ponte da Amizade

Os empresários de Ciudad del Este estão otimistas com a reabertura da Ponte Internacional da Amizade definida para a próxima quinta-feira (15). O ato, previsto inicialmente com a presença dos presidentes Jair Bolsonaro (Brasil) e Mario Abdo Benítez (Paraguai), está mantido, mesmo com o cancelamento da agenda dos chefes das nações. A via, que une os dois países em Foz do Iguaçu, está fechada desde o dia 18 de março.

As autoridades sanitárias do Paraguai divulgaram ontem (12), o protocolo que será estabelecido para a reabertura da Ponte, que prevê uso obrigatório de máscara para todos que ingressarem no país. A via ficará aberta apenas para moradores de Ciudad del Este e de Foz do Iguaçu e a passagem liberada das 5h às 14h, apenas em veículos. A reativação da fronteira será gradual e a primeira fase será mantida por 15 dias.

“Estamos ansiosos e entusiasmados com esta abertura. Afinal, estamos a sete meses com as fronteiras fechadas e sem receber 90% de nossos compradores, que são os brasileiros”, disse o empresário Jorbel Griebeler, diretor do grupo Cellshop. De acordo com ele, este período de fechamento “provocou muitas demissões e muitos investimentos foram parados e possivelmente empresas não voltam a abrir”.

Na avaliação de Jorbel, será um recomeço onde muitas oportunidades surgirão. “Acredito em alguns dias de euforia, pois temos uma demanda reprimida muito grande, mas depois isso se normaliza”, afirma. O empresário lembra que os números da retomada do turismo em Foz do Iguaçu são animadores para a região.

“Acredito que o destino três fronteiras tem uma grande oportunidade porque as pessoas não estão pensando em viagens internacionais”, disse. De acordo com ele, isso abre espaço ao turismo regional. “E nossa Tríplice Fronteira é a melhor opção de toda nossa região”, afirma.

Dólar alto

O empresário afirmou acreditar que a alta do dólar prejudica alguns setores de Ciudad del Este. “Mas sabemos que no Brasil tudo já foi reajustado e não teremos problemas nos setores mais procurados. Ou seja, os preços no Brasil também subiram e mesmo com o dólar neste valor, segue valendo a pena as ‘comprinhas no Paraguai’, destacou.

Jorbel revelou ter consciência que será uma retomada gradual até voltar aos níveis de antes da pandemia. “Acho que todos já estão preparados para viver com a presença do Covid 19”, afirmou o empresário. 

Ele concluiu informando que, por ser uma das lojas mais emblemáticas do Paraguai, a Cellshop não poderia deixar de preparar várias ofertas para receber os clientes. “Também informar que estamos preparados com todos os cuidados necessários para não pôr em risco nossos clientes ao visitar nossa loja”.

Por: GDia

Destaques, Economia, Foz do Iguaçu,

Shopping de Foz do Iguaçu recebe 10 novas marcas a partir de novembro

Nomes como C&A, Cellshop e Johnny Rockets desembarcam no Catuaí Palladium Shopping Center, com inaugurações previstas a partir de novembro; empreendimento prevê gerar mais de 500 empregos

De acordo a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio), o Índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) dos paranaenses cresceu em 4,8%. O índice é maior do que a média nacional, analisada em 67,6 pontos, e 1,3% mais alta do que a comparação com o mês anterior. Após meses de retração, segundo outra pesquisa da Fecomércio, setembro foi o terceiro mês consecutivo de alta no varejo, com 6,71% de aumento nas vendas.

Seguindo a tendência de recuperação do varejo a partir do último trimestre deste ano, e aliada à retomada do turismo, propulsor de parte considerável da economia em Foz do Iguaçu, o Catuaí Palladium Shopping Center traz dez novas lojas ao empreendimento. Além de valorizar os empresários locais, o shopping prevê gerar mais de 500 empregos diretos e indiretos.

No último mês, o shopping já recebeu duas novas opções no segmento infantil: Ana Laçarote e Rosa Linda Baby. Em novembro estão previstas inaugurações de marcas como o restaurante Johnny Rockets; A Página Livrarias; Claro, no segmento de tecnologia; a joalheria Pandora, e as varejistas de moda Lond Woman e Meu Bom Look. Em dezembro, chegarão ao shopping as lojas Alisson Acosta – Exclusive Salon; Cellshop Duty Free e Nuestra Casa, marca especializada em artigos do lar. Prevista para o primeiro semestre de 2021, a loja C&A será exclusiva na cidade.

Segundo a superintendente do Catuaí Palladium Shopping Center, Daiane Simão Ashidate, apesar do período desafiador para a maior parte das pessoas e empresas, 2020 também está sendo surpreendente de maneira positiva: “Estamos olhando sempre para o futuro. As boas oportunidades existem para quem decide encarar os desafios e avançar. Estamos valorizando os empresários locais, gerando empregos e recebendo investidores internacionais. É um momento de celebrar conquistas coletivas e ótimas expectativas para o próximo ano”, comenta a gestora.

Uma das novidades do shopping para este fim de ano, a hamburgueria Johnny Rockets lança um toque moderno no conceito clássico de american dining. Fundada em 1986, a rede tem mais de 380 operações em 33 países. Segundo o sócio, Cássio Souza, o principal ingrediente para superar desafios é investir na experiência do cliente: “Vendemos mais que bons hambúrgueres e shakes. O nosso negócio é pautado na experiência. É um lugar ideal para ir com a família e os amigos. O ambiente é democrático e cheio de alegria”, comenta. Segundo ele, cada detalhe importa: o cliente é recepcionado com dança, os pratos têm desenhos de sorrisos e a trilha sonora é única. Quanto à retomada econômica, não tem dúvidas: “Todo período difícil traz muito aprendizado. Nós ouvimos, reaprendemos e executamos. É necessário estar atento às movimentações do mercado e às expectativas dos clientes”, finaliza o empresário.

Novas operações devem movimentar oportunidades de emprego

Com intenção de apoiar a população que busca uma nova oportunidade no mercado de trabalho, e ajudar os lojistas a formarem suas equipes, o Shopping Catuaí Palladium criou uma nova ferramenta, que funciona como um “Banco Digital de Currículos”. Para fazer o cadastro ou visualizar vagas abertas, basta acessar o site (www.catuaipalladium.com.br), buscar pela aba “Trabalhe Conosco” e preencher com as informações solicitadas.

Sobre o Grupo Tacla Shopping

Conglomerado com mais de 80 anos de tradição, experiência no varejo e referência no setor em todo país, o Grupo Tacla possui oito empreendimentos nos estados do Paraná, Santa Catarina e São Paulo, sendo eles: Catuaí Palladium Foz do Iguaçu (PR), Jockey Plaza Curitiba (PR), Palladium Curitiba (PR), Palladium Ponta Grossa (PR), Ventura Shopping Curitiba (PR), Itajaí Shopping (SC), Porto Belo Outlet Premium (SC) e Shopping Cidade Sorocaba (SP). Outras três operações estão em fase de construção no Paraná: CityCenter Outlet, em Campo Largo, Palladium Umuarama e Plaza Campos Gerais em Ponta Grossa. Mais informações: www.taclashopping.com.br


Sobre o Grupo Catuaí

O Grupo Catuaí constituiu-se no fim dos anos 70, em Londrina, no Paraná, e atuou em diversas áreas, como construção civil, agronegócio, varejo, entretenimento, indústria têxtil, incorporação imobiliária e shopping centers. O Grupo tem como atividades principais a gestão patrimonial e o desenvolvimento imobiliário na área comercial. Há 30 anos no mercado de shopping centers, desenvolveu, construiu e administrou alguns dos mais importantes empreendimentos do Paraná, como Catuaí Londrina, Catuaí Maringá, Londrina Norte Shopping; além do Catuaí Palladium Foz do Iguaçu, e em construção, Catuaí Cascavel. Mais informações: www.catuai.com.br