Browsing Category

Educação

Leia as últimas notícias sobre Educação no CabezaNews, site de informação com reportagens exclusivas, fotos, vídeos e conteúdos sobre Foz do Iguaçu e sobre o Paraná.

O CabezaNews leva ao público notícias de utilidade pública, curiosidades, turismo, lazer, cultura. Sobretudo com um olhar voltado para a região da tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina.

Em Foz, nossa cobertura foca os principais acontecimentos da cidade, incluindo eleições 2020, o avanço da pandemia do novo coronavírus, as ações da Itaipu Binacional, bem como a administração do prefeito Chico Brasileiro.

O site não deixa de lado o que acontece no restante do estado do Paraná. Notas exclusivas dos bastidores da política, da Assembleia Legislativa, ações do governo do Paraná e da administração Ratinho Júnior. Assim como as principais notícias nacionais.

O CabezaNews é editado por Ronildo Pimentel, jornalista com mais de 30 anos de atuação em jornalismo impresso e digital.

Destaques, Educação, Foz do Iguaçu,

Últimos dias para inscrição no processo seletivo de vagas remanescentes da UNILA

Termina no próximo domingo (17) o prazo para a inscrição no processo seletivo de vagas remanescentes, relativo ao ano de 2020. Podem participar da seleção candidatos que tenham concluído o Ensino Médio até o ano de 2019 e que tenham participado de, pelo menos, uma das edições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) entre 2015 e 2019. No total, estão sendo ofertadas 457 vagas não preenchidas pelo processo SiSU/2020, em 26 cursos de graduação. As normas para a inscrição podem ser consultadas no edital PROGRAD 001/2021 (https://bit.ly/unila_vagas).

As aulas, relativas ao primeiro semestre do ano passado, serão ofertadas de maneira remota, com início em 18 de fevereiro. Para concorrer a uma vaga, o candidato deve ter obtido, no mínimo, 300 pontos na prova de redação e não pode ter zerado em nenhuma das demais provas do Exame. Os candidatos serão classificados de acordo com a média aritmética simples da pontuação obtida nas provas objetivas e na redação do Enem.

A lista de classificados será divulgada no dia 20 de janeiro, dia em que também tem início o prazo para a apresentação dos documentos necessários para a matrícula. No dia 1º de fevereiro, será divulgada a lista com os candidatos que tiveram a matrícula deferida, após análise da documentação. Aqueles que estiverem na lista de espera e desejarem continuar na disputa também deverão encaminhar a documentação. Após a retomada das atividades presenciais, todos os candidatos matriculados deverão apresentar os documentos originais para validação.

Os candidatos que já fizeram a inscrição em março de 2020 não precisam realizar outra – somente os que desejarem alterar o curso escolhido. Para verificar sua inscrição, o candidato deve acessar o Portal Inscreva da UNILA, e clicar na aba “Minhas Inscrições”.

O processo seletivo de vagas remanescentes havia sido suspenso em março do ano passado, em razão da pandemia de Covid-19, que afetou todo o calendário acadêmico da Universidade.

Coronavírus, Educação, Luiz Claudio Romanelli, Saúde,

Romanelli destaca empenho das universidades para vencer o coronavírus

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) destacou nesta sexta-feira, 15, a importância do trabalho, estudos e pesquisas desenvolvidos pelas sete universidades estaduais do Paraná – Uenp, UEL, UEM, UEPG, Unespar, Unicentro e Unioeste – para vencer a pandemia do coronavírus. A Uenp e a Unioeste, por exemplo, já colocaram seus campi para funcionar como polos de vacinação.

Segundo Romanelli, as universidades estaduais têm uma relação direta de trabalho, municiando e auxiliando as autoridades sanitárias e prefeituras e, por muitas vezes, atendendo a população.

“As universidades estaduais assumiram um compromisso, desde março do ano passado, quando foram editadas as primeiras medidas de combate a covid-19. Desde então, juntas, passaram a adotar e construir soluções para enfrentar as dificuldades na área da saúde e da economia”, disse Romanelli

Desafio

Desde o início da pandemia, as sete universidades estaduais desenvolveram uma série de atividades em conjunto, desde a elaboração de planos de contingência e controle da propagação do vírus até a produção, em seus laboratórios, de grandes quantidades de álcool em gel, máscaras escudo de proteção e outros equipamentos que foram disponibilizados gratuitamente.

Romanelli também lembra o esforço para buscar e receber habilitação do Lacen (Laboratório Central do Paraná) para aplicar testes da covid-19. “As universidades estaduais também são parceiras da Secretaria da Saúde na ampliação de leitos de enfermaria e UTI nos hospitais Universitários de Maringá, Londrina, Ponta Grossa e do Oeste do Estado, oferecendo mais condições de tratamento aos pacientes positivados”, esclarece o deputado.

O deputado observa ainda a preocupação com a retomada da economia com a elaboração de planos de auxílio econômico e tecnológico para atender aos estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica, para evitar que fossem prejudicados durante as medidas de isolamento social.

“As universidades não pararam as atividades curriculares por conta da pandemia. Pelo contrário, empreenderam atividades remotas nos cursos de graduação para minimizar, em consequência da suspensão das aulas presenciais e também desenvolveram inúmeras pesquisas na busca da compreensão da pandemia e do seu enfrentamento, entre tantas outras ações que merecem ser destacadas”, enfatiza.

Superação

Foi criado  – em parceria com a Superintendência-geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior,  Secretaria da Saúde, Fundação Araucária e a Itaipu Binacional -o programa extensionista com a atuação de mais de 1.000 pessoas, entre profissionais e estudantes da área da saúde, coordenados por professores das universidades, em diferentes municípios para enfrentar a covid19.

“Uma ação pioneira, que serviu de referência para o Brasil, por apresentar resultados surpreendentes na instalação de call centers e plataformas de telesaúde e telepsicologia, que ajudou a monitorar a entrada e saída de pessoas em barreiras sanitárias nas divisas do Estado. Com isso, o Paraná reforçou as ações de monitoramento, prevenção e tratamento da Covid-19 em todo o Estado”.

A UEL (Universidade Estadual de Londrina) por exemplo, criou o programa “Saúde do Trabalhador em Tempos de Covid-19: como se proteger e evitar a disseminação”, que promoveu, neste período de pandemia, orientação para 415 e treinamento de 3.782 multiplicadores de informação que chegou a 25.918 trabalhadores.

O projeto acessou aos trabalhadores mais conhecimento sobre a doença e as formas de prevenção, possibilitando que as orientações possam ser multiplicadas no ambiente de trabalho e levadas a familiares e amigos, o que ajuda a controlar a transmissão do vírus.

Central de atendimento

Na UEPG (Universidade Estadual de Ponta Grossa) foi criado um Call Center, onde bolsistas passaram a acompanhar e auxiliar pacientes que testaram positivo para covid-19. “Cada bolsista foi treinado para fazer o contato com os monitorados e os familiares dos pacientes todos os dias, trabalhando em sistema de rodízio”, explica Romanelli. De acordo com a universidade, este acompanhamento é importante para colher cada vez mais informações que embasam decisões em relação à doença.

Os atendentes tiram dúvidas, dão orientações sobre as formas de prevenção, cuidados e combate ao coronavírus, além de prestar atendimento psicológico à população. A central atende de 12 cidades da região dos Campos Gerais pelo número 0800 200 4300, das 8h às 22h, inclusive nos finais de semana.

Já a Unespar (Universidade Estadual do Paraná) criou um observatório com informações epidemiológicas a respeito da covid-19, em âmbito nacional, estadual e regional com enfoque nas regionais de saúde do Estado.

Orientação

A UEM (Universidade Estadual de Maringá) realiza trabalho de orientação nas divisas do Paraná com São Paulo e Mato Grosso do Sul, onde mais de 20 mil pessoas já foram abordadas. Além de orientação, uma equipe composta por nove profissionais da saúde, entre enfermeiras e técnicas de enfermagem, monitora os motoristas que entram no Estado, para evitar a disseminação da covid.

O trabalho faz parte do projeto “UEM no combate ao coronavírus”. A Polícia Militar faz a abordagem e as equipes de saúde orientam e fazem as testagens para quem apresenta sintomas.

A Unicentro (Universidade Estadual do Centro Oeste) também desenvolveu várias ações para enfrentar a pandemia do coronavírus no Paraná envolvendo professores, alunos e servidores da instituição.

Vacinação

A Uenp (Universidade Estadual do Norte do Paraná) se cadastrou no plano nacional de operacionalização da vacinação e dispôs da estrutura e equipamentos, como o pessoal capacitado para a tarefa. Desde o início da pandemia, a Uenp tem trabalhado com projetos de pesquisa e extensão que atenderam milhares de pessoas, que foram impactadas física, social e economicamente.

Romanelli destaca que a Uenp, ao se colocar à disposição para ser um dos pontos de vacinação contra a covid-19, demonstra responsabilidade na linha de frente para atuar no combate efetivo ao coronavírus. “É uma ação quem envolve toda a comunidade acadêmica dos três campi, em Cornélio Procópio, Bandeirantes e Jacarezinho. São ações como essa que nos fazem acreditar que é possível, com a soma de esforços, vencer a covid-19”, afirma o deputado.

A Unioeste (Universidade Estadual do Oeste do Paraná) também se colocou à disposição do governo federal para integrar o plano nacional de vacinação. A universidade vai ceder a estrutura física, equipes profissionais, salas, veículos e equipamentos para atender à população da região oeste do Estado.

“Todas as universidades estão comprometidas com o combate a covid e demonstram a importância, abrangência e responsabilidade com a saúde pública e a economia em todas as regiões do estado. Para vencer a pandemia somente com a união e o esforço de todos, para reduzir o impacto na saúde dos paranaenses e reduzir os efeitos provocados na economia”, disse Romanelli.

Destaques, Educação, Paraná,

Justiça nega pedido de suspensão do Enem no Paraná

Decisão foi publicada na madrugada deste sábado (16). Pedido tinha sido feito pela Defensoria Pública da União (DPU).

Uma decisão da 20ª Vara Federal de Curitiba negou o pedido da Defensoria Pública da União (DPU) para suspender a realização das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 no estado do Paraná. As provas acontecem a partir deste domingo (17).

A decisão foi publicada por volta das 4h30 deste sábado (16).

Conforme texto, o juiz reconhece o momento vivido em meio à pandemia do novo coronavírus e o direito de todos à saúde, mas afirma que a decisão busca não “prejudicar o direito dos estudantes à realização do Enem, enquanto via de acesso a um conjunto de políticas educacionais”.

Inicialmente, as provas presenciais do Enem estavam marcadas para 1º e 8 de novembro do último ano, mas foram adiadas após demandas de estudantes e parlamentares.

Na decisão, o juiz questionou o critério para a escolha das novas datas do exame. Segundo Flávio Antônio da Cruz, que assina o despacho, a decisão do adiamento “não teria sido escorada, contudo, em critérios científicos, que atestassem a segurança da realização do exame”.

O magistrado ainda fez menção à atual situação da pandemia no Paraná, que, segundo ele, é mais alarmante que a registrada em novembro, data inicial do exame.

Continue lendo em: G1 Paraná

Educação, Paraná,

Deputado Hussein Bakri destaca aprovação de mudanças que vão aprimorar novo modelo dos Colégios Cívico-Militares

A Assembleia Legislativa aprovou, na manhã desta quinta-feira (14), o projeto que aprimora a implantação de 199 Colégios Cívico-Militares no Paraná. Além de ampliar a participação de policias da reserva no novo modelo, a proposta adequa alguns dos critérios previstos inicialmente, ao, por exemplo, permitir que as escolas sejam instaladas em cidades com menos de 10 mil habitantes. As novas regras foram votadas mesmo em meio ao recesso parlamentar, uma vez que a Secretaria da Educação precisa organizar o início das aulas para o dia 18 de fevereiro.

“De forma bastante democrática, esse novo modelo será implantado nos locais em que houve a aprovação da comunidade escolar e irá se somar às modalidades já existentes, como o ensino integral, técnico, militar, etc. O objetivo comum a todos eles é seguir elevando o desempenho e o aprendizado educacional no Paraná. Essas adequações que votamos e aprovamos são importantes para garantir que os objetivos do programa sejam atingidos em sua plenitude”, afirmou o deputado Hussein Bakri (PSD), que é Líder do Governo e Presidente da Comissão de Educação da Assembleia.

A nova modalidade de ensino será aplicada em escolas do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e no Ensino Médio. Os colégios vão contar com aulas adicionais de Português, Matemática e Civismo, que vão permitir aos estudantes o aprofundamento no estudo sobre leis, Constituição Federal, papel dos três poderes, ética, respeito e cidadania. No Ensino Médio, haverá também a adição da disciplina de Educação Financeira.

Além das questões curriculares, outra mudança será a gestão compartilhada entre civis e militares. O diretor-geral e o diretor auxiliar, bem como a ministração das aulas, permanecem sendo de responsabilidade dos professores da rede estadual. O diretor cívico-militar, subordinado ao diretor-geral da instituição, será responsável pela infraestrutura, patrimônio, finanças, segurança, disciplina e atividades cívico-militares. Conforme o tamanho da escola, haverá também de dois a quatro monitores militares.

Destaques, Educação, Paraná,

Alterações no programa Colégio Cívico-militares do Paraná seguem para sanção do poder executivo

Os deputados estaduais aprovaram em segundo turno a proposta do Poder Executivo para ampliação do Programa Colégio Cívico-Militar no Estado do Paraná. A votação aconteceu em sessão extraordinária realizada na manhã desta quinta-feira (14) durante convocação extraordinária a pedido do governador, que interrompeu o recesso legislativo.

O projeto de lei 01/2021, que altera a lei n° 20.338, de 06 de outubro de 2020, e a lei n° 19.130, de 25 de setembro de 2017, recebeu 45 votos favoráveis e seis contrários. A votação aconteceu de forma nominal.

A proposta recebeu oito emendas de plenário, que mais cedo tiveram parecer favorável aprovado na Comissão de Constituição e Justiça. Já em plenário, as oito emendas foram rejeitadas com 43 votos contrários a oito favoráveis. Também foi aprovada a dispensa de redação final para o projeto, que agora segue para sanção do governador. 

Dessa forma, fica excluída da legislação a limitação de dez mil habitantes para o município que desejar ter uma escola cívico-militar. O critério para inclusão do programa é o município ter em funcionamento pelo menos dois colégios que ofertem ensino fundamental e médio regular situados na zona urbana.

A escola que adotar o modelo não poderá ofertar ensino técnico, educação de jovens e adultos, o período integral ou noturno. O ensino cívico-militar também não será permitido em instituições conveniadas, com dualidade administrativa, na área rural, indígena ou quilombola.

A nova redação também vai permitir que militares que passaram para a reserva até dezembro do ano passado possam integrar o cadastro de voluntários para atuar tanto nos colégios cívico-militares como no Programa Escola Segura.

Segundo o Governo do Estado, 200 colégios da rede estadual poderão adotar o modelo cívico-militar. Com o novo modelo, os alunos terão aulas adicionais de Português, Matemática e Civismo, com ênfase no estudo de leis e cidadania. No ensino médio, os alunos também terão aulas de educação financeira. “Nós estamos falando de 10% das escolas. Nos municípios, os pais escolheram por meio de consulta pública. Nada mais concreto, democrático e justo do que isso. É um projeto novo e eventualmente uma ou outra falha podem acontecer e, se acontecer vamos corrigir. Podem ficar seguros”, afirmou o líder do Governo, deputado Hussein Bakri (PSD).

Para o líder da Oposição, deputado Professor Lemos (PT), a proposta pode impactar na “pedagogia que nós defendemos, que é da liberdade, para a pedagogia do medo, do vigiar e punir, de patrulhar o comportamento dos professores e também dos estudantes. A escola tem o poder de despertar a curiosidade, a criatividade e dar liberdade para aprender e ensinar. Isso faz toda a diferença”.

Com a aprovação da matéria, foi encerrado o período de convocação extraordinário e retomado o recesso legislativo. Os trabalhos em plenário serão retomados no dia 1º de fevereiro, com a possa da nova Mesa Executiva para o período fevereiro/2021 à janeiro/2023.

Destaques, Educação, Paraná,

Em período extraordinário, Assembleia Legislativa debate projeto que amplia o programa colégios cívico-militares

A proposta para ampliação do Programa Colégios Cívico-Militares no Estado do Paraná começou a tramitar na Assembleia Legislativa do Paraná nesta segunda-feira (11). O envio da mensagem do Poder Executivo motivou a convocação de Sessão Legislativa Extraordinária, interrompendo o recesso legislativo. A retomada das atividades aconteceu de acordo com o Sistema de Deliberação Misto, aprovado no fim do ano passado.

O projeto de lei 01/2021 prevê alterações na lei nº 20.338, de 06 de outubro de 2020, e na lei nº 19.130, de 25 de setembro de 2017. Segundo o Governo, “busca-se, com as alterações, a ampliação do referido programa, promovendo melhorias para que todas as instituições de ensino elegíveis e que apresentam as características trazidas como obrigatórias no art. 33 da Lei nº 20.338, de 06 de outubro de 2020, beneficiem-se do modelo de instituição escolar Cívico-Militar”.

Na justificativa do projeto, o Governo apresenta dados do Ministério da Educação que indicam uma evasão 71% menor nas escolas do modelo cívico-militar já em funcionamento e um índice de reprovação 37,4% menor.

O líder do Governo na Assembleia, deputado Hussein Bakri (PSD), explicou que a convocação extraordinária foi necessária “em função do início das aulas” e completou que “algumas coisas aconteceram no meio do percurso e é preciso corrigir. Esse projeto vai corrigir essas questões que são necessárias. O Estado está corrigindo os rumos para que tenhamos até o mês que vem a instalação dos 200 colégios cívico-militares”. A volta às aulas está prevista para 18 de fevereiro. 

Já o líder da Oposição, deputado Professor Lemos (PT), afirmou ser contrário à convocação extraordinária. “Percebendo que o secretário de Educação não respeitou a lei aprovada na Assembleia, fazendo a seleção de escolas que a lei não permitia, então manda uma lei para legalizar esse desrespeito. Portanto, não é relevante e não é de interesse público”.  

A convocação das Sessões Legislativa Extraordinárias foi aprovada com 41 votos favoráveis e 6 contra. Já a mensagem do governador Carlos Massa Ratinho Junior foi lida na sessão desta segunda-feira e seguiu para análise da Comissão de Constituição e Justiça.

O relator do projeto na Comissão, deputado Delegado Jacovós (PL) apresentou parecer favorável ao projeto. Já o deputado Tadeu Veneri (PT) fez um pedido de vista do relatório, o que adiou a decisão da Comissão. Como o projeto tramita em regime de urgência, uma nova reunião da CCJ foi convocada para esta terça-feira (12), às 11h.

O que muda

Entre as modificações propostas na legislação que instituiu o Programa Colégios Cívico-Militares, está a exclusão da exigência de que o município tenha mais de dez mil habitantes como critério para fazer parte do programa. Dessa forma, se a nova redação for aprovada, qualquer município que tenha, no mínimo, dois colégios estaduais que ofertem ensino fundamental e médio regular situados na zona urbana pode fazer parte da seleção.

Outra mudança será a inclusão no texto de regras que devem ser seguidas pelas instituições de ensino a partir do momento em que forem selecionadas e validadas pela comunidade escolar por meio de consulta pública para implementar o programa. Não será permitido ofertar ensino integral, técnico e educação para jovens e adultos, não haverá aulas no período noturno e as instituições não podem ser rural, indígena, quilombola ou conveniada e nem ter dualidade administrativa.

Outra modificação solicitada é no texto da lei que instituiu a Diária Especial por Atividade Extrajornada Voluntária e a Gratificação Intra Muros.  Pela proposta, o militar transferido para a reserva remunerada, que esteja no comportamento bom, até dezembro de 2020 poderá integrar o Corpo de Militares Estaduais Inativos Voluntários (CMEIV) e, em caráter excepcional, exercer atividades nas instituições de ensino participantes dos Programas Colégio Cívico-Militares e Escola Segura.

Destaques, Educação, Foz do Iguaçu,

UNILA completa 11 anos diante dos desafios da pandemia e da consolidação de estrutura própria

A UNILA completa 11 anos, nesta terça-feira (12), em um cenário de pandemia que impôs desafios e mostrou a importância de estudos científicos desenvolvidos em universidades e instituições públicas de pesquisa. E é nesse contexto, portanto, que a UNILA inicia sua segunda década de existência, reafirmando seu papel como prestadora de serviço público de qualidade. Com protagonismo em diversas frentes de atuação no combate à covid-19, a UNILA segue contribuindo com mobilizações, solidariedade e desenvolvimento científico. O ano de 2021 também começa com um calendário acadêmico realizado de maneira remota e, ainda, com novos passos rumo à consolidação de estrutura própria da Universidade.

Segundo o reitor da UNILA, Gleisson Brito, nessa trajetória da UNILA, “são 11 anos prestando serviço público na área de ensino superior de qualidade no município de Foz do Iguaçu, voltado à Tríplice Fronteira e toda a nossa América Latina”. Ele destaca que um dos marcos recentes da Universidade foi o início, em 2020, da construção do campus Integração, cujo primeiro bloco tem previsão de entrega no primeiro semestre de 2021. Este ano, a UNILA continua nos avanços em infraestrutura, com a licitação do segundo bloco de sala de aulas, com capacidade para atender 575 estudantes por turno.

“Ao todo, após a conclusão dos dois blocos de aula, a UNILA contará com quase 8 mil metros quadrados de infraestrutura própria, caminhando, então, a passos largos para a nossa tão sonhada independência predial, que certamente contribuirá muito para a busca da excelência no ensino, na pesquisa, na extensão e nas atividades de gestão”, afirma Brito. O reitor também pontua que a conclusão dos dois blocos de aula permitirá que a UNILA tenha reduções significativas nos custos anuais de aluguel. “Com isso, a verba hoje destinada aos nossos locatários poderá ser investida nas atividades finalísticas da instituição – o ensino, a pesquisa e a extensão -, permitindo que a Universidade Federal da Integração Latino-americana galgue cada vez mais posições de maior destaque no cenário nacional, no que diz respeito ao ensino superior de qualidade”, complementa.

Aulas remotas e covid-19

O ano do aniversário de 11 anos da UNILA inicia com um calendário acadêmico que prevê aulas na modalidade remota, uma vez que o retorno às atividades presenciais depende de um cenário epidemiológico que garanta a segurança para toda a comunidade. Apesar deste cenário de indefinição, a Universidade vem se preparando para receber sua comunidade, com instalação de dispensadores de álcool gel em todos os espaços, equipes treinadas para verificação de temperatura e controle de fluxo de pessoas, instalação de telas de acrílico para garantir a segurança nos atendimentos, além de equipamentos de proteção individual para os trabalhadores.

Com atuação fora da sala de aula, a comunidade acadêmica da UNILA segue protagonizando ações em diversas frentes de atuação no combate ao novo coronavírus, com presença em barreiras sanitárias, no plantão telefônico, triagem em unidades de saúde, pronto-socorro respiratório, enfermaria, UTI Covid e Laboratório de Biologia Molecular. A Universidade completa mais um ciclo de vida, já deixando um legado de contribuições nessa pandemia, com participação em mais de 23 mil atendimentos no plantão covid-19; mais de 44 mil testes RT-PCR, para detecção do coronavírus; quase 18 mil atendimentos de telemedicina até meados de dezembro de 2020; e no atendimento de cerca de 3500 pessoas, em cinco testes sorológicos. Soma-se a isso, as contribuições na produção de álcool glicerinado destinado à saúde pública, produções de máscaras 3D e análises de dados, que contribuem para o esclarecimento da população.

Para assistir o vídeo dos 11 anos da UNILA clique AQUI.

Construção do novo campus Integração
Destaques, Educação, Foz do Iguaçu,

CEEBJA abre matrículas para turmas em 3 turnos dos ensinos fundamental e médio em Foz do Iguaçu

O Centro Estadual de Educação Básica para Jovens e Adultos (CEEBJA) informa que estão abertas matrículas para turmas nos ensinos fundamental e médio em Foz do Iguaçu.

O procedimento, segundo a instituição, prossegue até a sexta-feira, dia 15 de janeiro.

As aulas estão previstas para iniciar dia 18 de fevereiro.

Estão abertas 37 vagas por turma.

De acordo com o CEEBJA, são ofertados três turnos de aula: manhã, tarde e noite.

A proposta do governo para 2021 é ofertar as duas formas de ensino – presencial e a distância.

Prazos para conclusão:
▪️Fundamental: cursando 2 turnos em 1 Ano o aluno poderá concluir
▪️Médio: o aluno cursando 2 turnos conclui em 1 ano.
▪️Cursando 1 turno só o aluno conclui em 1 Ano e meio.

Destaques, Educação, Foz do Iguaçu,

Abertas inscrições para os cursos de qualificação profissional

Continuam abertas as inscrições para quarta etapa dos cursos realizados pela Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu, através da Secretaria Municipal de Assistência Social em parceria com o SENAI.

As inscrições podem ser realizadas nos CRAS e são abertas a toda população.

Os cursos serão realizados em espaços amplos, respeitando as recomendações impostas pelos organismos de saúde referente à pandemia do Novo Coronavírus.

Cursos:

Assistente Administrativo
Inscrições até dia 15 de Janeiro

Assistente Contabilidade
Inscrições até dia 15 de Fevereiro

Assistente de Recursos Humanos
Inscrições até dia 15 de Fevereiro

As inscrições encerram quando completarem as vagas de cada turma.

Pré requisito e formação:
Escolaridade mínima: Ens. Fundamental incompleto
Idade mínima: 16 anos completos

DOCUMENTAÇÃO PARA MATRÍCULA:

• RG (Original e cópia)
• CPF (Original e cópia)
• Comprovante de Residência (Original e cópia)
• Histórico Escolar (Original e cópia)
• Certidão de Nascimento ou Casamento

• MENOR DE IDADE: RG e CPF dos pais ou responsáveis legais (original e fotocópia) e documento comprobatório da guarda em caso de responsáveis que não sejam pais do aluno.

  • O menor deve estar acompanhado por um responsável legal.

DOCUMENTAÇÃO PARA MATRÍCULA PARA ESTRANGEIROS:
• Cédula (Original e cópia)
• CPF (Original e cópia) *Receita Federal ou consulado – (45) 3520-4300
• Comprovante de Residência (Original e cópia)
• Histórico Escolar (Original e cópia)
• Certidão de Nascimento ou Casamento

Início das Aulas
Curso Assistente Administrativo – 18 de Janeiro
Local de realização do Curso: SENAI – Vila A

Assistente Contabilidade – 22 de Fevereiro
Local de realização do Curso: Paróquia Espírito Santos – Porto Meira

Assistente de Recursos Humanos – 23 de Fevereiro
Local de realização do Curso: Fundação Cultural – Centro

Endereço dos CRAS:

CRAS SUL:
Endereço: RUA LULA Nº. 78 PROFILURB I
Telefones:
3901-3260
3523 0079 recepção
3523 2931 Cadastro Único
Celular: 99997- 3300

CRAS Leste:
Endereço: RUA KID JOFRE Nº 686 MORUMBI I
Telefones:
3901-3273
3522 1598 Sala dos técnicos
3526 9963 Sala da coordenação
Celular: 99997- 3232

CRAS Norte:
Endereço: AV. ANDRADINA S/Nº. JARDIM ALMADA
Telefones: 3901-3268
3524-0324 Recepção
3575-6422 Cad Único
Celular: 99997- 3231

CRAS Nordeste:
Endereço: RUA BOANERGES BORBA SOTTO MAIOR 140 JARDIM BANDEIRANTES (3 LAGOAS)
Telefone: 3901-3271
Celular: 99997- 3311
Recepção: 3522 7389
Cadastro Único: 35227542

CRAS Oeste: Endereço: RUA ENGENHEIRO REBOUÇAS Nº. 1945
Telefones:
3527-7206
3523-4453
3523-4649
Celular: 998230282

Horário de Funcionamento do CRAS – 08h as 18h

Informações:
35451000
Secretaria Municipal de Assistência Social.

Destaques, Educação, Foz do Iguaçu, Geral,

UNILA assina contrato para construção do segundo prédio de aulas no Campus Integração

Representantes da UNILA e da empresa BRJ Construções assinaram, nesta terça-feira (29), o contrato para a construção do segundo prédio de salas de aula do Campus Integração, localizado na Avenida Tancredo Neves. Com esta nova construção, a Universidade começa 2021 com duas obras em andamento: o primeiro prédio do campus, iniciado em janeiro de 2020 e com previsão de entrega ainda no primeiro trimestre do próximo ano; e este novo bloco. Juntas, as duas edificações somarão aproximadamente 5.000 m², que serão dedicados a atividades acadêmicas.

O novo edifício multiuso contará com 10 salas de aula com capacidade para 50 estudantes e três salas para 25 estudantes. Há ainda salas para atividades administrativas e salas para professores, além de espaços específicos, como sanitários e atividades de manutenção. Quando finalizado, o prédio terá capacidade para atender 575 estudantes por turno.

A ordem de serviço para a construção do novo edifício foi assinada nesta quarta-feira (30) e, de acordo com o secretário de Implantação do Campus, Aref Kzam, o prazo para a entrega do prédio finalizado já está contando. “A empresa terá 420 dias para executar a obra, equivalendo a 14 meses. Portanto, a entrega está prevista para início de março de 2022”, observa o secretário.

Orçamento

O orçamento total para a obra será de R$ 5.482.697,26, com recursos advindos do orçamento da Universidade e também com o aporte de 1,5 milhão provenientes do Ministério da Educação (MEC). Com isso, o orçamento para a execução completa da obra já fica assegurado e empenhado ainda em 2020.

Campus Integração

Esta nova edificação dá corpo ao Campus Integração, somando-se aos espaços em construção e já construídos para alocação das atividades da Universidade. Quando finalizados, os dois blocos de aulas atenderão aproximadamente 3.450 estudantes de diversos cursos da Universidade. “Esta é a segunda obra que estamos conseguindo implementar dentro de 1 ano e meio de gestão, e considero um avanço fundamental pois caminhamos para consolidar 5.000 m² de espaços acadêmicos próprios. Essa é uma importante mudança de paradigma institucional para a Universidade que, ao longo destes 10 anos, precisou funcionar apenas em imóveis alugados. Isso traz excelentes perspectivas para potencializar a aplicação desses recursos, que hoje vão para os aluguéis, nas atividades finalísticas da nossa instituição”, declarou o reitor Gleisson Brito.

O projeto completo do Campus Integração inclui, ainda, três prédios de alojamento estudantil com capacidade para atendimento de 288 estudantes; centro de convivência com espaços administrativos, depósito de material de limpeza, cozinha coletiva, lavanderia, sala de jogos, biblioteca, sala de estar e um auditório; quadra poliesportiva; e urbanização da área de estacionamento.

Com esta nova construção a UNILA começa 2021 com duas obras em andamento