Browsing Category

Educação

Leia as últimas notícias sobre Educação no CabezaNews, site de informação com reportagens exclusivas, fotos, vídeos e conteúdos sobre Foz do Iguaçu e sobre o Paraná.

O CabezaNews leva ao público notícias de utilidade pública, curiosidades, turismo, lazer, cultura. Sobretudo com um olhar voltado para a região da tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina.

Em Foz, nossa cobertura foca os principais acontecimentos da cidade, incluindo eleições 2020, o avanço da pandemia do novo coronavírus, as ações da Itaipu Binacional, bem como a administração do prefeito Chico Brasileiro.

O site não deixa de lado o que acontece no restante do estado do Paraná. Notas exclusivas dos bastidores da política, da Assembleia Legislativa, ações do governo do Paraná e da administração Ratinho Júnior. Assim como as principais notícias nacionais.

O CabezaNews é editado por Ronildo Pimentel, jornalista com mais de 30 anos de atuação em jornalismo impresso e digital.

Busão Foz, Destaques, Educação, Paraná,

Universidades estaduais definem calendários acadêmicos para 2021

Os Conselhos de Ensino, Pesquisa e Extensão das universidades estaduais do Paraná estão definindo os calendários das atividades dos cursos de graduação referentes ao ano letivo de 2021. Em decorrência da gravidade da pandemia de Covid-19, as instituições suspenderam as aulas presenciais e precisaram readequar os seus calendários letivos.

Na Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) o ano letivo terá início no dia 31 de maio para os veteranos. Já para os calouros, a previsão de ingresso é em 14 de junho. O calendário acadêmico prevê, ainda, o recesso das atividades entre 3 e 30 de maio, com exceção do curso de Medicina, que iniciará o ano letivo em 17 de maio.

Devido ao momento de excepcionalidade da pandemia a oferta das disciplinas será flexibilizada. O estudante poderá cursar as disciplinas independente da série na qual está lotado, conforme previsto no Projeto Pedagógico do Curso.

A Universidade Estadual de Maringá (UEM) também aprovou o calendário acadêmico de 2021. O início do ano letivo ficou definido para agosto deste ano, com término em maio de 2022. Desta forma, as aulas do primeiro semestre iniciam no dia 9 de agosto com término em 15 dezembro e as do segundo semestre começam em 10 de janeiro de 2022, com final em 14 de maio de 2022.

UEL e UNICENTRO – A Universidade Estadual de Londrina (UEL) definiu, no final de abril, o calendário acadêmico para os 53 cursos de graduação referentes ao ano letivo de 2021. As aulas terão início em 2 de agosto e prosseguem até 23 de junho de 2022. As atividades em curso atualmente representam o ano letivo de 2020 e terminam no próximo dia 25 de junho.

Os estudantes dos cursos de Enfermagem, Fisioterapia e Odontologia iniciam o ano letivo no dia 16 de agosto. Isto porque esses cursos terão atividades práticas, terminando as aulas mais tardiamente.

Segundo a pró-reitora de Graduação da UEL, Marta Fávaro, a proposta foi elaborada e aprovada considerando excepcionalidades e um calendário acadêmico estendido, levando em conta as condições sanitárias que o País e o Paraná deverão enfrentar no decorrer deste ano.

“Concluímos que seria melhor termos um ano letivo um pouco estendido, pois isso daria uma flexibilização maior para que os Colegiados de Cursos pudessem organizar as ofertas das atividades, de modo a atender de forma mais efetiva os acadêmicos”, ressalta a pró-reitora.

O calendário acadêmico de 2020 foi estendido na Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro). As aulas de 2020 irão até o próximo dia 12 de maio. O ano letivo de 2021 tem seu início previsto para os meses de junho ou julho. O Conselho Universitário da Unicentro vai se reunir nas próximas semanas para analisar e aprovar o novo calendário.

UNIOESTE, UENP E UNESPAR – Uma decisão parecida foi adotada pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste). O Conselho Universitário da instituição aprovou no final do ano passado a readequação do calendário acadêmico dos cursos de graduação, referente ao ano letivo de 2020. O calendário aprovado foi para ensino 100% remoto e abrangeu todas as disciplinas, séries e alunos, para a conclusão do ano letivo de 2020.

As matrículas para disciplinas com oferta de forma remota foram realizadas nos dias 9 e 10 de dezembro de 2020 e as atividades letivas iniciaram no dia 18 de janeiro deste ano.

Na Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), o calendário está seguindo etapas distintas para cada área dos cursos. Alunos de Ciências Sociais Aplicadas iniciaram o ano letivo de 2021 no dia 5 de abril e os estudantes dos cursos de Licenciaturas e demais Bacharelados irão iniciar as aulas no próximo dia 15 de maio. Novos alunos aprovados no vestibular, bem como acadêmicos de cursos da área da saúde ainda não possuem uma previsão para iniciar as aulas.

Sistema parecido ao da UENP também está sendo adotado pela Universidade Estadual do Paraná (Unespar). O calendário acadêmico para o ano 2021 está sendo executado conforme a necessidade e perfil de cada curso. A maioria dos estudantes matriculada nos cursos de graduação nos 2º, 3º e 4º anos iniciou as aulas no dia 26 de abril. Entretanto, para os primeiros anos, o início do ano letivo acontecerá após o resultado da prova de redação do vestibular da universidade. A previsão é que, para este público, as atividades iniciem em junho.

VESTIBULAR – As datas dos processos seletivos para ingresso em 2021 nas universidades também sofreram alterações.

A UEPG foi a primeira universidade, desde o início da pandemia, a aplicar as provas de maneira presencial. O processo seletivo ocorreu domingo e segunda-feira (2 e 3 de maio). Na UEL o vestibular será realizado no dia 30 de maio, em fase única. Outras informações das etapas de seleção estão disponíveis na página da universidade.

Na UEM as provas serão aplicadas nos dias 23 e 24 de maio, com a divulgação do resultado do processo seletivo previsto para o dia 15 de junho. As inscrições podem ser feitas até 07 de maio pelo site. A UENP está com inscrições abertas até 6 de junho para o vestibular 2021. As provas serão no dia 20 de junho.

Também é possível fazer a inscrição para o vestibular da Unioeste. Os estudantes devem se candidatar pela internet até 4 de junho, e as provas estão agendadas para 4 de julho. O ensalamento para os alunos que irão realizar o vestibular da Unicentro já está disponível. As provas acontecem no próximo fim de semana, dias 9 e 10 de maio.

A Universidade Estadual do Paraná (Unespar) dividiu o vestibular em duas modalidades. Processo Seletivo de Ingresso I (PS1): utilização do Enem 2018 ou 2019 ou aproveitamento da média final do Vestibular Unespar 2018 ou 2019. Processo Seletivo de Ingresso II (PS2): aproveitamento das notas do último ano do ensino médio e aplicação da prova de redação. A prova de redação na modalidade PS2 será aplicada entre os dias 9 a 12 de maio. O ensalamento já está definido.

As informações são de Agência de Notícias do Paraná

Coronavírus no Paraná, Educação, Saúde,

Ratinho Jr decide antecipar vacinação dos professores da rede pública

Ratinho Jr decide antecipar vacinação dos professores

Hussein Bakri, líder do governo na Assembleia Legislativa, confirmou o que os professores e profissionais da educação esperavam há meses. O governador Ratinho Jr decidiu antecipar o início da vacinação dos mestres e demais profissionais da educação do Paraná contra a Covid-19.

Segundo Bakri, a vacinação de professores e profissionais da educação será feita ao mesmo tempo que a imunização das pessoas portadoras de comorbidades. O governador determinou o remanejamento de doses da vacina para os profissionais da educação, mesmo que o Ministério da Saúde não concorde com essa decisão.

“A Secretaria de Saúde faz um planejamento para vacinar os professores em paralelo ao grupo das comorbidades. Recebi agora há pouco essa informação do secretário Beto Preto. O Estado recebeu 438 mil doses que chegaram no sábado”, disse Bakri. O Estado defende a readequação do calendário nacional para que a imunização dos docentes e servidores aconteça simultaneamente às pessoas com comorbidades.

As informações são de XVCuritiba

Busão Foz, Destaques, Educação, Foz do Iguaçu,

EXCLUSIVO – UDC e Mackenzie lançam Doutorado Interinstitucional em Direito

O Doutorado Interinstitucional – Dinter exclusivo UDC/Mackenzie foi possível depois de um longo período de avaliações e negociações entre as instituições.

O Grupo UDC e a Universidade Presbiteriana Mackenzie de São Paulo firmaram mais um convênio que traz para Foz do Iguaçu, de forma exclusiva, o Programa de Pós-Graduação stricto sensu Doutorado Interinstitucional na área de Direito. 

Segundo a Reitora do Centro Universitário UDC Professora Rosicler Hauagge do Prado, alcançar sucessos importantes, depende de uma série de atributos. Com uma história marcante de mais de 40 anos na educação regional, a professora explica que é preciso muito trabalho, determinação, seriedade, responsabilidade e honestidade para chegar a resultados tão positivos como o lançamento do Doutorado institucional em Direito UDC/Mackenzie.

“A Universidade Mackenzie é muito exigente e detalhista ao escolher seus parceiros, e para a UDC ser uma das escolhidas é uma honra. Também trabalhamos desta forma, pensando em cada detalhe, exigindo excelência em nossa instituição para oferecer o melhor aos alunos. Esse convênio foi muito bem feito. São muitos anos de relacionamento, um trabalho minucioso, e agora, um sonho realizado. Ter cursos de Doutorado na UDC nos parecia algo impossível, mas hoje é uma realidade”.  

– Pró-reitor da Universidade Presbiteriana Mackenzie Prof. Doutor Felipe Chiarello

“Essa não é uma parceria nova, mas traz novidades. Estou muito feliz em reiniciar, formalmente, algo que continuou tacitamente, que é essa parceria com a UDC. Para criarmos um convênio assim, temos que ter uma ligação que nos leve a acreditar que a instituição tem os mesmos valores e ideais que nós. Que tenha um caráter econômico sólido, ou seja, que é parceira efetiva em tudo, e a UDC traz essa segurança para a Universidade Mackenzie. Já fizemos isso antes, com os Mestrados, e continuaremos com o Doutorado”, relata o Pró-reitor da Universidade Presbiteriana Mackenzie Prof. Doutor Felipe Chiarello. 

A Universidade Presbiteriana Mackenzie é referência internacional, pedagógica e cientificamente. Oferece excelência de ensino há 150 anos, sendo uma das maiores instituições de ensino da América do Sul.  

“Esse Doutorado Interinstitucional facilita muito a vida do pesquisador pois, não há necessidade do deslocamento que, além de caro, toma muito tempo, e esse não tem preço. Celebramos mais uma vez essa parceria entre a UDC e a Mackenzie, uma grande instituição”, disse o Vice-reitor do Centro Universitário UDC Doutor Acir Amilto do Prado.

– Coordenadora dos programas de Pós-Graduação Stricto Sensu da Universidade Presbiteriana Mackenzie Profa. Dra. Maria Cristina Triguero Veloz Teixeira

“Em Foz conseguimos fazer parcerias internacionais e nacionais talvez inimagináveis. Com a Mackenzie começamos com dois Minters em 2015 e agora estamos dando um passo muito grande com dois Doutorados. Somos os únicos parceiros durante esse período. A Universidade Mackenzie vai ter duas turmas, uma em São Paulo e uma em Foz do Iguaçu. É um relacionamento de exclusividade”, explica o Pró-reitor do Centro Universitário UDC Prof. Doutor Fábio Prado.

“Tivemos muito sucesso com os Minters na UDC. Ela é um Centro Universitário que consideramos estratégico. A interlocução da UDC não é apenas com o Brasil. Além da idoneidade que a UDC nos tem fornecido como verdadeiro agente multiplicador das parcerias que já tivemos”, declara a Coordenadora dos programas de Pós-Graduação Stricto Sensu da Universidade Presbiteriana Mackenzie Profa. Dra. Maria Cristina Triguero Veloz Teixeira.

Doutorado Institucional em Direito

O Doutorado Interinstitucional em Direito UDC/Mackenzie, com turma em Foz do Iguaçu, acontecerá como um espelho da turma de São Paulo. É reconhecido pela CAPES, agência regulamentadora de todos os cursos de pós-graduação do país, com nota máxima 5.

O Programa é voltado à pesquisa em Direito Político e Econômico com duas linhas de pesquisa: Cidadania modelando o Estado; e Limites jurídicos ao poder econômico.

– Doutor Marco Aurélio Florêncio Filho

É pré-requisito para ingressar no curso que o pesquisador seja Mestre em Direito.  

“Há uma multiplicidade de temas, tanto os consolidados em pesquisa, como os temas novos e inovadores nas mais variadas vertentes do direito civil, empresarial, novas tecnologias, lei geral da proteção de dados, compliance, realidade da empresa do ponto de vista criminal, ou seja, inúmeras possibilidades de pesquisa”, explica o Coordenador do Doutorado Prof. Doutor Marco Aurélio Florêncio Filho. 

O Dinter em Direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie é um dos cursos mais importantes e mais bem avaliados do Brasil. “Em nosso último processo seletivo tivemos o maior resultado da história, com 110% das vagas de mestrado e doutorado preenchidas. Isso porque estamos muito bem colocados no mundo em rankings internacionais e somos referência”, disse o Pró-reitor Chiarello.

O corpo docente da Universidade Mackenzie vai se deslocar de São Paulo a Foz do Iguaçu não apenas para lecionar, mas também para desenvolver pesquisas através de grupos de pesquisa, estágios de docência, publicações em conjunto e outras atividades. “O edital deve sair em abril e as aulas deverão começar no meio do ano. É uma operação muito complexa e que exige muito da equipe. Teremos coordenadores locais e as aulas serão aqui. É um sonho. O Curso pesado na área do Direito que atenderá a todos os operadores do Direito como juízes, delegados, advogados, promotores, enfim. Esse é um momento sublime, uma ruptura de toda capacitação de toda a região oeste do Paraná”, conta o pró-reitor Prado.  

Pesquisa

O Programa de pós-graduação da Universidade Presbiteriana Mackenzie é referência.  “Somos referência como centro de pesquisa. Recebemos investimentos de grandes empresas como o Facebook que implicou R$2 milhões e a Google que investiu R$380 mil em nossas pesquisas”, disse o Pró-reitor Chiarello.

O fomento de pesquisas na Mackenzie é intermediado pela Coordenadoria de Fomento à Pesquisa de forma muito intensa, fornecendo várias bolsas de iniciação científica que trabalham corpo a corpo com os pesquisadores dos mestrados e doutorados. “O programa recebe fomentos de pesquisas direcionadas a agências como a CAPES, Cnpq e FatesSP”, salienta a Coordenadora Dra. Maria Cristina.

“O Dinter vai facilitar o relacionamento podendo integrar com mais facilidade as pesquisas que estamos desenvolvendo em São Paulo com alunos de Foz. Poderemos desenvolver atividades em projetos de pesquisa específicos nas concorrências de agência de fomento, uma grande gama de ações que vão além das orientações e aulas”, complementa o Coordenador do Doutorado Dr. Marco Filho.  

Coronavírus no Paraná, Educação, Saúde,

Deputado Hussein Bakri anuncia planejamento para vacinar profissionais da educação no Paraná

Líder do Governo e Presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, o deputado Hussein Bakri (PSD) anunciou que a Secretaria da Saúde está montando um planejamento para vacinar contra o coronavírus os professores e demais profissionais da educação no Paraná. A imunização, que deve ser definida nesta semana pela pasta, irá ocorrer em paralelo ao grupo das comorbidades e das gestantes.

“Essa medida é um passo determinante para o retorno das aulas presenciais na rede pública. O Governador Ratinho Junior e os secretários Beto Preto (Saúde) e Renato Feder (Educação) têm o mesmo entendimento da Comissão de Educação de que é muito importante reabrir as escolas para os nossos alunos, mas com toda a segurança para eles e também para os professores e funcionários”, afirmou Hussein Bakri.

Na semana passada, Beto Preto esteve em Brasília na Secretaria Nacional de Vigilância em Saúde, onde entregou um ofício solicitando a readequação do calendário nacional de imunização para antecipar a vacinação dos profissionais da educação. No entanto, mesmo que não haja um posicionamento do Ministério da Saúde, o Paraná estuda fazer o remanejamento de doses para os professores e funcionários de escolas.

Foto: Dálie Felberg/Alep

Busão Foz, Destaques, Educação, Foz do Iguaçu,

Segurança e tranquilidade marcam a volta dos alunos às escolas municipais em Foz do Iguaçu

Atividades presenciais retornaram nesta segunda-feira (03) em cinco instituições, com alunos de primeiros e segundos anos do ensino fundamental

O retorno das aulas presenciais na rede municipal de ensino de Foz do Iguaçu, nesta segunda-feira (03), foi marcado pela tranquilidade de pais e alunos, e organização e segurança nas escolas. Nesta primeira etapa, as atividades acontecem em cinco instituições de ensino (escolas Josinete Holler, Papa João Paulo I, Jardim Naipi, Osvaldo Cruz e Princesa Isabel) com turmas de primeiros e segundos anos do Ensino Fundamental, mantendo 30% da capacidade das salas.

Os protocolos de segurança determinam o uso obrigatório da máscara, a aferição de temperatura na entrada da escola, a higienização com álcool em gel e lavagem frequente das mãos, além do distanciamento de um metro e meio entre os estudantes. Todos os funcionários das escolas receberam jalecos, máscaras no modelo N95 – consideradas padrão-ouro para proteção – e protetores faciais (faceshield).

Protocolo de segurança prevê o distanciamento de um metro e meio entre os alunos e apenas 30% da capacidade das salas

A secretária de educação Maria Justina da Silva acompanhou o retorno dos alunos em algumas escolas e assegurou que todas as medidas de prevenção à Covid-19 estão sendo cumpridas. “Além do exame (RT-PCR) que alunos e funcionários fizeram na sexta-feira (30), todos os protocolos estão sendo seguidos. As escolas estão sendo preparadas para este retorno desde o ano passado. As crianças estão contentes e muito cientes das medidas de prevenção e da necessidade de se cuidarem”, comentou.

O retorno presencial nas cinco escolas também está sendo acompanhado pelos técnicos em Segurança do Trabalho da Diretoria de Saúde Ocupacional da prefeitura.

Alegria

Na Escola Municipal Jardim Naipi, os alunos foram recebidos com muita alegria pela equipe pedagógica nesta segunda-feira pela manhã. Uma educadora se fantasiou de “Gato de Botas” e orientou as crianças sobre as medidas de segurança, como o uso do álcool em gel.

Paola Amaro de Faria, de apenas 7 anos, estava empolgada com o retorno, que para ela representa o “primeiro dia de aula”. “Eu gosto de estudar em casa, mas estava com saudade dos meus amigos e das professoras. Fiz o meu exame e deu tudo certo. Queria muito voltar pra escola”, contou a aluna do segundo ano. Jonathan Hiury da Silva também estava animado com o retorno. “Eu sei que tenho que usar máscara, manter o distanciamento e não posso abraçar meus amigos, mas eu queria muito voltar pra escola e estou muito feliz”, disse o pequeno de 7 anos.

Jonathan também estava animado e foi recebido pelo “Gato de Botas”

A mãe de Jonathan, Alessandra Caroline, contou que o filho estava ansioso para ver os colegas e a professora. “Eu ainda tenho medo, mas se seguirmos todas as medidas certas, vai ficar tudo bem. Prefiro que ele frequente a escola, porque as aulas presenciais são muito importantes. Os professores são capacitados para ensinar e em casa não temos esse domínio”, disse.

Na Escola Jardim Naipi, são somente nove alunos no período da manhã (2º ano) e seis alunos no período da tarde (1º ano). A diretora, Marinelma Fátima, afirmou que a escola está bem organizada e os alunos entusiasmados. “Neste momento, trabalhamos com o acolhimento das crianças juntamente com o pedagógico. Elas estão muito tranquilas e nós muito felizes”.

Monitoramento

O retorno das atividades presenciais será monitorado por uma equipe técnica da Secretaria de Saúde e avaliado semanalmente pelas pastas (Saúde e Educação). Na última sexta-feira, foram realizados 256 exames do tipo RT-PCR em alunos e funcionários das cinco escolas municipais e, no dia 07, mais 108 alunos farão os exames para iniciar as atividades na próxima semana, dia 10. Os trabalhadores da educação realizarão o teste novamente em 15 dias.

A proposta é retomar as atividades de forma gradativa nas escolas. Ainda não há previsão de retorno para os CMEIs (Centro Municipal de Educação Infantil). O município tem hoje cerca de 26 mil alunos matriculados em 50 escolas e 41 CMEIs.

Fotos: Christian Rizzi/PMFI

Busão Foz, Destaques, Educação, Paraná,

Licenciamento ambiental seguro impulsionou leilão do aeroporto de Foz do Iguaçu

O licenciamento ambiental emitido pelo Instituto Água e Terra (IAT) foi fundamental para que o aeroporto de Foz do Iguaçu, no Oeste do Paraná, entrasse para o programa federal de privatização do setor de aviação. O leilão do empreendimento ocorreu em abril.

“O processo de licenciamento ambiental, realizado com segurança jurídica e técnica, foi essencial para que o aeroporto tivesse a indicação de privatização do setor de aviação”, afirmou o diretor de Licenciamento e Outorga do Instituto, José Volnei Bisognin.

“As licenças emitidas para as obras de ampliação do aeroporto, em 2019, e para a ampliação da pista, tiveram todo o acompanhamento técnico de profissionais do IAT”, ressaltou.

A pista do aeroporto ganhou 664 metros de extensão – passando de 2.194 metros para 2.858 metros. Com isso, tornou-se a maior em aeroportos do Sul do Brasil. A ampliação vai permitir um maior fluxo de voos internacionais, que poderão decolar com mais segurança. Antes, a pista era considerada pequena para aeronaves de grande porte. Consequentemente, é esperado que a ampliação aumente o turismo na cidade.

A obra integra um pacote de investimentos estratégicos da Itaipu no Oeste do Paraná que, em parceria com o Governo do Estado, busca acelerar o desenvolvimento da região. O investimento foi realizado pela Binacional e a Infraero.

Continue lendo na AEN

Coronavírus, Destaques, Educação, Paraná,

Bancada federal paranaense conhece detalhes da Vacina desenvolvida pela UFPR contra a Covid-19

Pesquisadores da Universidade Federal do Paraná apresentaram a vacina da UFPR contra a Covid-19 para parlamentares paranaenses da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. A reunião foi realizada de forma remota. O objetivo foi buscar recursos para a fase clínica de testes, prevista para iniciar em seis meses. “A gente não pode parar a pesquisa. Na hora em que conseguirmos os êxitos esperados até o final do ano, precisamos estar com todo mundo comprometido. Para nós, uma das alianças mais estratégicas é com os representantes do povo paranaense no parlamento”, afirmou o reitor da UFPR, Ricardo Marcelo Fonseca.

Durante a reunião, os pesquisadores Emanuel Maltempi de Souza, Marcelo Müller dos Santos e Breno Castello Branco Beirão apresentaram aos parlamentares as informações sobre a vacina em desenvolvimento. O imunizante tem baixo custo de produção e apresentou resultados positivos nos três experimentos realizados com animais. “O soro do camundongo foi coletado depois de duas doses da vacina. A quantidade de anticorpos no soro animal foi muito grande. O soro, mesmo diluído 16 mil vezes, ainda testou positivo contra as proteínas virais. Em alguns animais nós precisamos diluir 500 mil vezes. Este valor, em um teste semelhante, é de 10 a 100 vezes maior do que o da AstraZeneca”, explicou o professor Emanuel, ressaltando as diferentes condições dos ensaios realizados com a Vacina da UFPR e com a da AstraZeneca.

A Vacina da UFPR tem característica multifuncional, o que quer dizer que pode ser reconfigurada para atender variantes do Sars-CoV-2 e adaptada para doenças como dengue, zika vírus, leishmaniose e chikungunya. Outra vantagem é que o imunizante é produzido com tecnologia 100% nacional, o que garante soberania tecnológica ao país, que hoje depende de ingrediente farmacêutico ativo (IFA) estrangeiro para produzir as vacinas contra a Covid-19. “Podem ter certeza de que a universidade dos paranaenses, a Universidade Federal do Paraná, vai estar sempre a serviço da nossa comunidade. Seja nos tempos de tempestade, como agora, mas também nos tempos de calmaria”, finalizou o reitor.

Continue lendo em Universidade Federal do Paraná

Destaques, Educação, Meio Ambiente,

​Unioeste desenvolve filtro que elimina odores de poluentes industriais

A Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) desenvolveu, por meio de um projeto de pesquisa, um filtro que elimina os odores contidos nos poluentes gasosos de diversas indústrias. A solução é uma alternativa acessível às empresas de pequeno, médio e grande porte.

O produto tecnológico inédito no mercado foi um dos 21 projetos selecionados para participar do Programa de Apoio à Propriedade Intelectual com Foco no Mercado (Prime), realizado pela Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, em parceria com a Fundação Araucária, Superintendência Geral de Inovação, Universidades Estaduais e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-PR).

A pesquisa já teve a experiência de parceria com a empresa agrícola Faricon, da cidade de Toledo. Para o superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Bona, ao integrar o programa Prime as patentes ganham força para serem transferidas para o setor industrial.

“Esse é o nosso objetivo, estimular a cultura empreendedora nas universidades. As iniciativas selecionadas passarão por diferentes etapas de formação, aumentando a capacidade de atender as demandas que o mercado exige”, explica.

Saiba mais em Agência de Notícias do Paraná

Busão Foz, Destaques, Educação, Foz do Iguaçu,

Famílias de Foz do Iguaçu aprovam protocolos de segurança para a volta às aulas na rede municipal

Alunos dos primeiros e segundos anos e funcionários das cinco escolas que retomarão as atividades presenciais fazem hoje testes para Covid-19

Cerca de 300 pessoas, entre servidores da educação e alunos dos primeiros e segundos anos de cinco escolas municipais de Foz do Iguaçu fazem nesta sexta-feira (30) a coleta de exames do tipo RT-PCR para diagnóstico da Covid-19. Os testes foram sugeridos pelo Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19 como medida de segurança para o retorno das aulas presenciais, que acontece na segunda-feira (03).

Pela manhã, alunos, professores e equipes pedagógicas das escolas Josinete Holler e Papa João Paulo I realizaram os testes. À tarde, a coleta será feita nas escolas Jardim Naipi, Osvaldo Cruz e Princesa Isabel.

A realização dos testes e todos os protocolos de segurança adotados pela Secretaria de Educação foram elogiados por familiares, que acompanharam as crianças até as escolas. Jéssica Oliveira Campos levou a filha, Belize, de 6 anos, para o exame na Escola Josinete Holler. “Inicialmente eu estava apreensiva com o retorno presencial, mas depois de uma reunião que a escola fez com os pais, informando todos os protocolos, eu fiquei mais tranquila. Todas as medidas e o teste para Covid nos dão mais confiança”, disse.

Karen Graziela Bogarin contou que a filha, Giovana, já entende as medidas de prevenção, como o uso obrigatório da máscara e o distanciamento. Ela acredita que nesta fase em que as crianças estão sendo alfabetizadas a presença do professor em sala de aula é insubstituível. “Precisamos que as crianças voltem para as salas de aula. Minha filha está em fase de alfabetização e o convívio na escola é muito importante. A gente ensinou as novas regras pra ela em casa, sobre como se comportar, e ela se adaptou bem. Esperamos que os professores sejam vacinados o mais breve possível para que todos voltem para a escola”, comentou.

A pequena Heloiza, do segundo ano, também está ansiosa para voltar à escola. A mãe dela, Renata Vieira Martins, afirma que é necessário o retorno presencial. “Estou muito feliz com o retorno. Na forma remota eu tenho muita dificuldade de ensinar, porque eu não fui capacitada pra isso. A volta às salas de aula vai ajudar muito ela”, afirma.

Karen Bogarin e a filha Giovana

Retorno das aulas

A partir de segunda-feira (03), alunos dos primeiros e segundos anos do Ensino Fundamental de cinco escolas municipais retomarão as atividades no modelo híbrido – intercalando as aulas presenciais com o ensino remoto. Esse formato se faz necessário para atender o protocolo de segurança, que prevê apenas 30% da capacidade das salas. Os exames para diagnóstico da Covid serão feitos na próxima sexta-feira (07) com os demais alunos que iniciarão as aulas no dia 10. Os servidores farão novos testes em quinze dias.

Renata Vieira e a filha, Heloiza

A secretária da educação, Maria Justina da Silva, lembrou que a Secretaria de Saúde irá manter o monitoramento nas escolas. “Além dos protocolos que estão sendo seguidos, a equipe técnica da saúde acompanhará este processo e, a partir dessas avaliações, será possível definir pelo retorno das demais escolas. Estamos seguindo todas as normas de segurança para o melhor retorno possível”, afirmou.

A secretária de saúde, Rosa Maria Jerônymo acompanhou a testagem e comentou sobre a importância deste processo. “O prejuízo pedagógico para essas crianças é muito forte e é importante que a gente retome, aos poucos, e reaprendendo a conviver”. Sobre a vacinação para os professores, Rosa lembrou que a categoria de trabalhadores da educação será imunizada após as pessoas com comorbidades.

Fotos: Christian Rizzi/PMFI

Brasil, Educação,

Escolas têm até hoje para se inscrever na Olimpíada de Matemática

Mudanças no regulamento motivadas pela pandemia valem para este ano. (Foto: Obmep)

Escolas públicas e privadas têm até as 23h59 de hoje (30) para se inscrever na 16ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep). A maior competição científica do país sofreu mudanças por conta da pandemia da covid-19 e a edição que seria realizada em 2020 foi transferida para este ano. As inscrições feitas no ano passado permanecem válidas. Colégios que queiram mudar as informações prestadas no ano passado podem fazer isso até esta sexta-feira.

O objetivo da competição é identificar jovens talentos e estimular o estudo da matemática, além de promover a inclusão social por meio da difusão do conhecimento.

Diferentemente das edições anteriores, as provas da primeira fase serão disponibilizadas na página restrita da escola no site da Obmep, em 30 de junho. As escolas terão de 30 de junho a 3 de agosto de 2021 para aplicar os exames. Fica a critério das instituições de ensino determinar em quantos turnos e em que formato, presencial ou remoto, os alunos farão as provas.

As mudanças constam no novo regulamento e valem exclusivamente para esta edição da olimpíada, por causa da pandemia.

Os cartões-respostas dos estudantes classificados para a segunda fase devem ser enviados pelos Correios ou por aplicativo entre 1º de julho e 11 de agosto. No dia 9 de setembro, a organização divulgará os classificados para a segunda fase, prevista para ocorrer de forma presencial, em 6 de novembro.

As provas são realizadas em duas fases: a primeira é composta por uma prova de múltipla-escolha de 20 questões, e a segunda por uma prova discursiva de seis questões. Os exames são divididos por grau de escolaridade: Nível 1 (6º e 7º anos do Ensino Fundamental), Nível 2 (8º e 9º anos) e Nível 3 (Ensino Médio).

Nesta edição, excepcionalmente, a Obmep admitirá a participação de estudantes que tenham concluído o ensino médio em 2020 em escolas que fizeram a inscrição no ano passado e declararam ter alunos no Nível 3.

Premiação – Serão distribuídas aos alunos participantes 575 medalhas de ouro, 1.725 medalhas de prata e 5.175 medalhas de bronze, além de 51.900 menções honrosas. Todos os medalhistas serão convidados a participar do Programa de Iniciação Científica Jr. (PIC), como incentivo e promoção do desenvolvimento acadêmico dos estudantes.

Criada pelo Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa) em 2005, a Obmep é realizada com o apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), com recursos do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e do Ministério da Educação (MEC).

As informações são de Agência Brasil