Browsing Category

Meio Ambiente

Leia as últimas notícias sobre Meio Ambiente no CabezaNews, site de informação com reportagens exclusivas, fotos, vídeos e conteúdos sobre Foz do Iguaçu e sobre o Paraná.

O CabezaNews leva ao público notícias de utilidade pública, curiosidades, turismo, lazer, cultura. Sobretudo com um olhar voltado para a região da tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina.

Em Foz, nossa cobertura foca os principais acontecimentos da cidade, incluindo eleições 2020, o avanço da pandemia do novo coronavírus, as ações da Itaipu Binacional, bem como a administração do prefeito Chico Brasileiro.

O site não deixa de lado o que acontece no restante do estado do Paraná. Notas exclusivas dos bastidores da política, da Assembleia Legislativa, ações do governo do Paraná e da administração Ratinho Júnior. Assim como as principais notícias nacionais.

O CabezaNews é editado por Ronildo Pimentel, jornalista com mais de 30 anos de atuação em jornalismo impresso e digital.

Meio Ambiente,

Veado-mateiro morre após ser atropelado dentro do lado argentino do Parque Nacional do Iguaçu

O incidente ocorreu na tarde de quinta-feira, por volta das 18h, na rota nacional nº 12.

O animal foi encontrado por uma patrulha do grupo uruguaio de segurança viária da Gendarmaria Nacional que circulava na área.

A patrulha da Gendarmaria encontrou o animal próximo a propriedade do Exército Argentino, no Parque Nacional. 

É sobre uma “veado-mateiro” sem vida, informou o Esquadrão 13 da Gendarmerie ao LaVozDeCataratas.

Foi entregue aos funcionários do Refúgio de Vida Silvestre Guirá Oga ao veterinário Dante Di Nucci. 

Examinado, ele descobriu que sua morte foi causada por um traumatismo craniano, produto de um impacto.

As informações são de La Voz de Cataratas

Destaques, Foz do Iguaçu, Meio Ambiente,

Governo federal vai licitar 8 Parques Nacionais. No Paraná, a concessão das Cataratas aguarda decisão judicial

Lei do Deputado Luiz Fernando Guerra (PSL) quer que o dinheiro arrecadado com a concessão onerosa do uso público do Parque Nacional do Iguaçu fique no Caixa do Estado

Os ministros Ricardo Salles (Meio Ambiente) e Gilson Machado Neto (Turismo), anunciaram as ações preparatórias para a concessão de oito unidades de conservação federais (UC). Os editais para estudos serão lançados no dia 22 de fevereiro.

O Governo Federal via ICMBio lançará, na próxima semana, a partir de 22 de fevereiro, oito editais para contratação de estudos referentes à concessão de 08 (oito) novas unidades de conservação federais, adianta o advogado Gilmar Cardoso, que já atuou como assessor da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, responsável pelas unidades de conservação do Paraná.

– Advogado Gilmar Cardoso

Estão na relação

– Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses (localizado nos Municípios de Barreirinhas, Santo Amaro do Maranhão e Primeira Cruz, no Maranhão)

– Parque Nacional de Jericoacoara (inserido nos Municípios de Jijoca de Jericoacoara, Cruz e Camocim, no Ceará)

– Parque Nacional de Ubajara (situado nos Município de Ubajara, Tianguá e Frecheirinha, no Ceará)

– Parque Nacional da Chapada dos Guimarães (cuja área está nos Municípios de Chapada dos Guimarães e Cuiabá, no Mato Grosso)

– Parque Nacional da Serra dos Órgãos (cujo território está distribuído por Teresópolis, Petrópolis, Magé e Guapimirim, no Rio de Janeiro)

– Parque Nacional da Serra da Bodoquena (que abrange parte dos Municípios de Porto Murtinho, Jardim, Bonito e Bodoquena, no Mato Grosso do Sul)

– Parque Nacional de Brasília e a Floresta Nacional de Brasília (ambos no Distrito Federal).

O advogado explica que essa iniciativa dos Ministérios do Turismo e do Meio Ambiente em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), tem o objetivo de fortalecer as ações de preservação ambiental e integrá-las à atividade turística, ao desenvolvimento econômico e social. A expectativa da União é ampliar em cerca de 30% o número de visitantes nos parques concedidos.

Gilmar Cardoso recorda que em janeiro deste ano, o Ministério do Meio Ambiente (MMA) realizou o leilão para a concessão dos parques nacionais de Aparados da Serra e Serra Geral. Localizados entre Rio Grande do Sul e Santa Catarina, esses são os primeiros parques nacionais leiloados no novo modelo de concessões do MMA.

O advogado avalia que os Parques do Sul do país passaram por leilão de concessão e que o Parque Nacional do Iguaçu, localizado no Município de Foz do Iguaçu só não foi incluído neste lote, por conta da iniciativa parlamentar do Deputado Luiz Fernando Guerra (PSL) que foi o autor do Projeto de Lei nº 743/2019, aprovado pela Assembleia Legislativa do Estado, que autoriza o Poder Executivo a efetuar a concessão onerosa para exploração do uso público para visitação e turismo dos atrativos do Parque Nacional do Iguaçu, onde se encontra as Cataratas do Iguaçu, sancionado pelo governador Carlos Massa Ratinho Júnior e convertido na Lei Estadual nº 20.222/2020.

O advogado Gilmar Cardoso explica que com a vigência da chamada Lei Guerra, o Governo do Estado também pode promover a licitação direta para concessão da exploração turística.

O deputado Luiz Fernando Guerra sugere, inclusive, que o Paraná assuma a gestão da concessão à iniciativa privada, nos moldes do que está ocorrendo no Parque Estadual de Vila Velha, nos Campos Gerais. Para ele, a alíquota de retorno aos cofres estaduais pode ser elevada, caso haja uma nova licitação para exploração comercial do Parque e seus atrativos. No caso, a Eco Parques do Brasil S/A foi a vencedora do contrato de concessão, com prazo de 30 anos.

A empresa irá repassar 15,2% da arrecadação da exploração turística de Vila Velha ao Governo do Paraná todos os meses. O Instituto Água e Terra (IAT) continua sendo responsável pela administração de políticas públicas do parque. O órgão também tem o papel de monitorar se a concessionária está obedecendo o Plano de Manejo da Unidade de Conservação.

Gilmar Cardoso frisa que a concessão dos parques pode atrair investimentos e impulsionar o turismo nos Municípios. Além disso, a preservação ambiental é de extrema importância, principalmente neste momento de retomada do turismo nacional, onde as atividades ao ar livre podem ser praticadas com segurança, cumprindo os protocolos de combate à disseminação da pandemia da Covid-19.

Parque Nacional do Iguaçu/ Cataratas do Iguaçu

Atualmente, a unidade de conservação é administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), autarquia federal ligada ao Ministério do Meio Ambiente. A exploração do local é concedida à iniciativa privada, que remunera o ICMBio com 6% do faturamento.

Segundo o Instituto de Terras, Cartografia e Geologia (ITCG), órgão da estrutura da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (Sedest) o faturamento da unidade supera a marca de R$ 100 milhões de reais por ano.

Desde 1999, a o governo federal administra o Parque. Em 2012, no entanto, o governo paranaense comprovou por documentação e registro de escritura pública do Cartório de Registro de Imóveis ser proprietário de uma área de quase 11 milhões de metros quadrados.

Uma ação judicial (APELAÇÃO CÍVEL Nº 5002630-08.2018.4.04.7002/PR) Em trâmite no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, com sede em Porto Alegre, tendo como APELANTE: ESTADO DO PARANÁ (INTERESSADO) E APELADO: UNIÃO – ADVOCACIA GERAL DA UNIÃO (REQUERENTE), onde se discute a titularidade da propriedade territorial do parque tem como relator o Desembargador Federal catarinense Dr Ricardo Teixeira do Valle Pereira que vai julgar o caso após cumprimento das diligências formuladas pelo Ministério Público Federal que determinou a intimação da União Federal para juntar aos autos:

1) cópia dos documentos porventura existentes em seus arquivos históricos que retratem os acertos para a transmissão da titularidade do imóvel a ela pelo Estado do Paraná;

2) cópia da documentação que embasou a criação do Parque Nacional do Iguaçu;

3) cópia da íntegra do procedimento administrativo que subsidiou a edição do Decreto-Lei nº 1.035, de 10 de janeiro de 1939; além do pedido para que o Estado do Paraná junte aos autos cópia do Decreto Estadual nº 2.153, de 20 de outubro de 1931, acompanhada da íntegra do processo administrativo que lhe deu origem.

Concessão de parques nacionais pode atrair investimentos para Municípios

“Com a sanção desta Lei, o dinheiro arrecadado no Paraná ficará e será reinvestido aqui e com isso a Assembleia Legislativa do Estado, através dessa e de outras iniciativas parlamentares, está dando a sua contribuição ao Paraná, além de fiscalizar a correta aplicação dos recursos públicos também apresentamos, debatemos e aprovamos projetos capazes de melhorar a qualidade de vida das pessoas; esta é a nossa missão e compromisso!”, afirma o deputado Luiz Fernando Guerra.

Concessões de parques nacionais

A agenda de concessões de parques nacionais do Ministério do Meio Ambiente tem 18 parques encaminhados para concessão, em diferentes estágios do processo.

Em janeiro deste ano, foi realizado o leilão para a concessão dos parques de Aparados da Serra e Serra Geral, com quatro vezes mais interessados que a média de outras concessões e R$ 260 milhões previstos em investimento.

Destaques, Meio Ambiente,

Guardas florestais são hospitalizados após serem baleados por caçadores próximo a Puerto Iguazú, Argentina

Dois guardas parques da Argentina foram hospitalizados no final da noite de quinta-feira (23), após entrar em confronto com caçadores na região de Puerto Libertad, próximo à Puerto Iguazú, na fronteira com o Brasil.

Os agentes, do Ministério da Ecologia da Argentina, em conjunto com a Divisão Lacustre e a Divisão de Defesa Ambiental da Unidade Regional V, realizaram operações de prevenção em um setor denominado “Isla del Sol”, em Puerto Libertad, informa o LaVozDeCataratas.

Como consequência, ambos ficaram feridos e foram transferidos para o Samic em Eldorado, com lesões na região do pescoço em um deles e o outro ferido com lesões no braço e perna esquerdos.

Minutos depois, como resultado de uma operação de confinamento na área, foram presos dois dos autores do atentado, identificados como Diego F., 22, que também sofreu ferimentos nas costas e pernas, e Luis M., que registrou prisão justifica um ato de dano e resistência à autoridade.

Além disso, em sua posse foram apreendidos 5 cartuchos calibre 12. Posteriormente, os policiais souberam que um jovem foi internado no Samic de Iguaçu com ferimento a bala na perna, que, ao ser examinado por um médico, diagnosticou que estava fora de perigo, pelo que se atrasou devido ao relacionamento. ao fato que é investigado.

Os detidos foram transferidos e alojados na sede policial à disposição do Tribunal de Instrução nº 3 de Iguaçu, atuando no processo as delegacias de Puerto Libertad, Wanda e Esperanza, bem como o pessoal da Zona de Infantaria.

As informações são de La Voz de Cataratas

Destaques, Meio Ambiente, Paraná,

Com chuvas de janeiro, Sanepar suspende rodízio em cidades do Oeste e Sudoeste do Paraná

As chuvas do mês de janeiro trouxeram alívio para o Paraná e possibilitaram o fim do rodízio no Oeste e Sudoeste. Essas regiões foram beneficiadas com um volume acima da média histórica para o primeiro mês do ano.

Em Cascavel, por exemplo, onde choveu mais de 400 milímetros, a quantidade de chuva supera os registros dos últimos 10 anos para janeiro.

A gerente-geral da Sanepar, Rita Camana, diz que, além das chuvas, foi de fundamental importância a colaboração da população. “Embora o uso racional deva fazer parte do dia a dia das cidades, as pessoas entenderam que o momento estava crítico e que necessitava ainda mais da participação e apoio de todos, priorizando o uso da água para atividades essenciais de alimentação e higiene dos ambientes”, destaca.

Na região Oeste, Cascavel, Medianeira e Três Barras do Paraná saíram da fase de alerta. Os rios que abastecem as três cidades estão com níveis normais e estáveis. Assim, a partir de fevereiro fica suspenso o rodízio no abastecimento de água.

Palotina, abastecida por poços e minas, vai permanecer em alerta e com avaliação diária do sistema. Mesmo com toda a chuva, esses mananciais não voltaram a ter estabilidade em suas vazões.

Sudoeste – Com as chuvas regulares, a Sanepar também decidiu suspender em definitivo o alerta de rodízio para cinco das seis cidades da região Sudoeste. Capanema, Dois Vizinhos, Nova Prata do Iguaçu, Planalto e Salgado Filho saem da zona de risco. Apenas Pranchita vai permanecer em estado de alerta. Os poços que abastecem a cidade ainda não recuperaram suas vazões em níveis normais. Para este sistema, as equipes farão a avaliação semanal.

Saiba mais sobre o governo do estado do Paraná em Agência de noticias do Paraná .

Destaques, Foz do Iguaçu, Meio Ambiente,

Chuvas de janeiro no Paraná ultrapassam média histórica. Veja o acumulado em 8 regiões do Estado

Chove chuva, chove sem parar. A melodia do cantor e compositor Jorge Ben Jor embalou o mês de janeiro no Paraná. O Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar) apontou que a precipitação acumulada em oito pontos diferentes do Estado foi de 2.748,6 milímetros (mm). O índice é 151% superior ao mesmo período do ano passado – em janeiro de 2020 foram 1.094,2 mm.

Em relação à média, o aumento também foi significativo, de 67%. No primeiro mês de 2021 choveu 343,5 mm, contra um histórico de 205,7 mm. O levantamento leva em consideração as regionais de Paranaguá, Curitiba, Ponta Grossa, Guarapuava, Londrina, Maringá, Cascavel e Foz do Iguaçu.

“Choveu muito no Paraná por inteiro, em algumas localidades bem acima da média histórica. O principal fator foi o fluxo de umidade no canal da Amazônia para o Sul o País. Janeiro normalmente já é úmido e quente, com essa atividade ficou com ainda mais umidade e calor, resultando em chuvas diárias”, afirmou o meteorologista do Simepar, Reinaldo Kneib.

Foz do Iguaçu

Janeiro de 2020: 201,8 mm

Janeiro de 2021: 609,6 mm

Média histórica: 174 mm

Veja mais da chuva de janeiro em outros pontos do Paraná na AEN

Destaques, Meio Ambiente,

Onças são filmadas na Trilha das Bananeiras, no Parque Nacional do Iguaçu, em Foz do Iguaçu

O registro é do Fernando Silva, funcionário do Parque, que fazia monitoramento na área.

Duas onças foram filmadas passeando pela Trilha das Bananeiras, no Parque Nacional do Iguaçu. As imagens foram feitas às 16h40, desta quarta-feira. O registro é do Fernando Silva, funcionário do Parque, que fazia monitoramento na área.

Por: Rádio Cultura

Destaques, Foz do Iguaçu, Meio Ambiente,

Monitoramento da fauna já registrou 1.858 animais de 179 espécies na área da ponte da Integração Brasil-Paraguai

A segunda campanha de monitoramento da fauna da região da Ponte Internacional da Integração Brasil-Paraguai e do acesso rodoviário à BR-277, será realizada nos meses de janeiro e fevereiro de 2021.

Na primeira campanha do programa, exigência do licenciamento ambiental do Ibama, foram registrados 1.858 animais de 179 espécies nos meses de julho e agosto de 2020, no entorno do marco brasileiro das 3 Fronteiras.

O maior número de registros é do grupo das aves, com 1.506 indivíduos de 109 espécies. Em relação as outras espécies foram 27 de mamíferos, 32 de peixes e 11 de répteis e anfíbios.

Dentre as espécies, 175 eram nativas da região e apenas 4 exóticas (fora de sua área de distribuição natural).

Destaca-se a presença de cuícas (Philander sp.), que tipicamente habitam locais de vegetação mais adensadas e copas de árvores devido seu hábito arborícola.

Também a presença da Uirapuru laranja (Pipra fasciicauda), ave comum em áreas com vegetação mais adensadas.

Com o uso de armadilha fotográfi ca a equipe obteve o registro de um Leopardus wiedii (Gato-maracajá), categorizada como Vulnerável (VU) devido ao risco elevado de extinção na natureza.

A perda e fragmentação de habitats naturais e a caça são as principais ameaças às populações de L. wiedii no Brasil (ICMBio, 2013).

Contexto

O Programa de Monitoramento da Fauna é exigência do processo de licenciamento ambiental conduzido pelo Ibama, com base na IN nº146 (IBAMA, 2007), que traz regras gerais sobre a atividade e trata da expedição de autorizações para captura, coleta e transporte de fauna silvestre.

O diagnóstico ambiental realizado no EIA – Estudo de Impacto Ambiental feito antes do início das obras – fornece referências sobre as condições da fauna na região antes da instalação do empreendimento.

Os dados são comparados aos obtidos nas campanhas durante a execução das obras, permitindo analisar os impactos e fazer a previsão destes, tanto durante a fase de obras quanto na fase de operação da rodovia, e assim traçar estratégias de conservação da fauna e do ambiente no entorno.

Panorama

A estrutura, que vai unir Foz do Iguaçu e Presidente Franco, é executada pelo Consórcio Ponte Brasil Paraguai (Unica, MPV, RMG) com recursos da Itaipu Binacional e do Governo do Paraná (DER-PR).

Com informações do Boletim Informativo do DER-PR

Destaques, Foz do Iguaçu, Meio Ambiente,

VÍDEOS: Imagens incríveis mostram as Cataratas do Iguaçu com vazão o dobro acima da normal. Assista!

As chuvas intensas em Curitiba e na região da bacia hidrográfica do rio Iguaçu continuam dando espetáculo nas Cataratas do Iguaçu, atrativo turístico dentro do Parque Nacional do Iguaçu, área de conservação compartilhada por Brasil e Argentina na região de Foz do Iguaçu.

No final da manhã deste sábado (23), a vazão estava em mais de três milhões de litros de água por segundo, o dobro do normal, que é de 1,5 milhão de litros de água por segundo.

As fotos e vídeos foram captadas por Nilton Rolin, Micael Santana e Edison Nascimento, da Cataratas do Iguaçu S.A.

Na última semana de janeiro, o Parque do Iguaçu permanece aberto para visitação pública todos os dias. A partir de 26 de janeiro, a unidade de conservação funcionará das 9h às 16h.

Já no mês de fevereiro, o parque voltará a fechar para a visitação nas segundas-feiras, atendendo os visitantes somente de terça-feira a domingo, das 9h às 16h.

Os visitantes devem comprar o ingresso, exclusivamente on-line, para visitar o Parque Nacional do Iguaçu, no site oficial.

O público precisa adquirir o bilhete e agendar o dia e o horário da visita, disponível na plataforma. A compra está sujeita à disponibilidade de vagas. Nesta fase há limitação de 525 pessoas por hora.

Zelo total – Diariamente, o Parque Nacional do Iguaçu passa por um minucioso trabalho de sanitização de todo o circuito turístico, oferecendo ainda mais proteção aos visitantes.

O parque faz o controle individual de acesso de todas as pessoas que visitam a unidade de conservação com uma barreira sanitária instalada no Centro de Visitantes.

O público é recepcionado por uma equipe de funcionários que afere a temperatura de todas as pessoas. Simultaneamente, as equipes orientam todos para passar álcool gel nas mãos e os calçados no tapete sanitizante, e informam sobre a permanência e o uso correto da máscara cobrindo o nariz e a boca, durante todo o passeio.

Quintal de casa – O iguaçuense e demais moradores das 13 cidades vizinhas à unidade de conservação possuem 90% de desconto no ingresso com o Passe Comunidade.

Essa categoria também está disponibilizada exclusivamente on-line no site. Mas atenção: os moradores precisam comprovar residência em uma das cidades apresentando o comprovante presencialmente no acesso ao parque.

Serviço
Funcionamento do Parque Nacional do Iguaçu
Até dia 25 de janeiro (segunda-feira): das 8h às 16h
De 26 de janeiro (terça-feira) a 31 de janeiro (domingo): das 9h às 16h

Em fevereiro, o parque não abrirá para visitação nas segundas-feiras, com exceção do dia 15 de fevereiro, feriadão de carnaval
Funcionamento: diariamente, das 8h às 16h
www.cataratasdoiguacu.com.br
contato@catarataspni.com.br

Central de Atendimento ao Visitante (WhatsApp): +55 (45) 9137-3444 (wa.me/554591373444)
Telefone: +55 (45) 3521-4400

Destaques, Foz do Iguaçu, Meio Ambiente,

Força-tarefa da Prefeitura retira quase 60 toneladas de lixo de rios e córregos em apenas um dia

Trabalhos seguem nesta sexta-feira em diferentes locais da cidade. População pode denunciar o descarte irregular pelo aplicativo 156 Foz

A força-tarefa da Prefeitura de Foz do Iguaçu – formada por equipes da Secretaria de Meio Ambiente, Secretaria de Obras e Defesa Civil – retirou 59 toneladas de lixo de dentro de rios, córregos e galerias fluviais nesta quinta-feira (21).

Além de acarretar um grande dano ao meio ambiente, o material descartado de forma irregular pode provocar enchentes, já que não permite a passagem da água, e ainda se transformar em criadouro do mosquito da dengue.

As equipes estiveram na Rua assunção, sobre o Rio Boicy; na Rua Mané Garrincha, no Jardim Itália; na Rua dos Cravos e Rua das Palmas com a Malva Rosa, no Porto Meira, além do Jardim Evangélico e Avenida Riccieri Maran.

O trabalho teve continuidade nesta sexta-feira, 22, na Avenida República Argentina, ao lado da UBS do Maracanã e na Rua Golfinho, no Arroio Ouro Verde. As equipes da Secretaria de Obras também realizaram a limpeza de pistas e de bocas de lobo.

“Grande parte deste material descartado poderia ir para Coleta Seletiva ou ser destinado de maneira correta para o aterro sanitário. Em apenas uma limpeza, encontramos dois sofás jogados dentro do rio Boicy”, contou Adriana Fuzetti Lopes, Chefe de Divisão da Limpeza Pública.

Além de móveis, as equipes encontram eletrodomésticos, eletroeletrônicos, roupas, utensílios domésticos, galhos, restos de construção civil, entre outros entulhos.

O descarte irregular de lixo é considerado crime ambiental e passível de multa de até R$ 9 mil.

Denúncias

A população pode denunciar o descarte irregular de lixo através do aplicativo 156 Foz ou pelo telefone 156. O sistema permite que o morador envie reclamações e anexe imagens, além da possibilidade de acompanhar o andamento dos pedidos. O aplicativo repassa as informações enviadas pelos moradores de forma automática aos órgãos responsáveis.

O aplicativo também recebe outras demandas, como solicitações de troca de lâmpadas, mato alto em terrenos baldios, sinalização, transporte público, fiscalização, remoção de veículos abandonados, tampas de bocas de lobo, entre outros.

Foz do Iguaçu, Meio Ambiente,

CEO do Parque das Aves participa de webinar com diretor geral da UICN

Evento debaterá formas de recuperação de espécie em risco de extinção para manutenção da riqueza e equilíbrio dos ecossistemas

No dia 26 de janeiro, às 10h, a CEO do Parque das Aves, Carmel Croukamp, participará do webinar Changing the outcome for threatened species (“Mudando o resultado para espécies ameaçadas”, em português) juntamente com Bruno Oberle, diretor geral da União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN), e Jon Paul Rodriguez, presidente da Comissão de Sobrevivência de Espécies da UICN (UICN CSE).

A União Internacional para a Conservação da Natureza é a maior organização internacional e intergovernamental de conservação de biodiversidade mundial, aliada às Nações Unidas (ONU) e reconhecida como a autoridade global sobre a situação do mundo natural e as medidas necessárias para sua conservação.

O objetivo do evento é promover uma discussão entre as principais autoridades sobre o processo de extinção em massa de espécies. Para entender as implicações disso e formas de reverter esse processo de degradação ambiental, o webinar visa apontar meios efetivos de inverter o processo de extinção.

A Dra. Carmel Croukamp foi convidada para participar como representante da Associação Mundial de Zoológicos e Aquários, e como cofundadora do Centro de Sobrevivência de Espécies Brasil, cujo lançamento será abordado no evento.

O evento será online via Zoom com limite de 500 participantes e em inglês. E será aberto ao público interessado, jornalistas, empresários, pesquisadores, tomadores de decisão e formadores de opinião. As inscrições são gratuitas e serão realizadas pelo link https://smithsonian.zoom.us/webinar/register/WN_Xe0DJkWjSjuQrkYPssu-rQ.

Carmel acredita que o webinar servirá como uma troca de experiências que deram certo de autoridades de instituições renomadas no mundo e que muitas delas podem ser replicadas em território nacional. A executiva lembra que o ano de 2020 será lembrado pela pandemia da Covid-19, mas também como de grandes catástrofes ambientais que afetam diretamente as espécies.

 “O Brasil é um país megadiverso e possui um patrimônio genético incomparável nos seus mais ricos ecossistemas. Uma de suas principais características é estar relacionado aos expressivos níveis de endemismos e à grande diversidade de habitats e à extensão territorial do país. No entanto, nos últimos anos tivemos muitas perdas na área ambiental e é preciso debater formas efetivas de reverter isso”.

Brasil no centro das atenções

Durante sua fala, Carmel pretende tratar especificamente da recuperação ambiental de aves da Mata Atlântica a partir da divulgação e conscientização pública, conservação de remanescentes da fauna e da flora, proteção da biodiversidade e recuperação ambiental de áreas degradadas.

Ela abordará com os participantes sobre o Centro de Sobrevivência de Espécies Brasil, cuja sede fica no Parque das Aves. Esse hub permanente da UICN CSE foi fundado em 2019 e trabalha para apoiar avaliações, planejamentos estratégicos e ações para salvar espécies nativas brasileiras da extinção, em aliança e no apoio multidisciplinar de profissionais brasileiros que já fazem um excelente trabalho para esse fim.

“Precisamos desacelerar a pressão sobre os ecossistemas. Uma das formas é compartilhando essa nossa experiência positiva vivenciada no Centro de Sobrevivência de Espécies Brasil e também conhecendo outros métodos e vivências positivas que acontecem em vários lugares do mundo”, afirma.

O UICN CSE Centro de Sobrevivência de Espécies Brasil é uma parceria entre a Comissão de Sobrevivência de Espécies, o Grupo Especialista em Planejamento para Conservação (CPSG) e o Parque das Aves.

Serviço

O quê: webinar Changing the outcome for threatened species (“Mudando o resultado para espécies ameaçadas”, em português)

Quando: dia 26 de janeiro, às 10h, via Zoom

Inscrições em: https://smithsonian.zoom.us/webinar/register/WN_Xe0DJkWjSjuQrkYPssu-rQ

OBS: Interessados também poderão acompanhar diretamente do Facebook em https://www.facebook.com/events/1054242941720904/