Browsing Category

Paraná

Leia as últimas notícias sobre o Paraná no CabezaNews, site de informação com reportagens exclusivas, fotos, vídeos e conteúdos sobre Foz do Iguaçu e sobre o Paraná.

O CabezaNews leva ao público notícias de utilidade pública, curiosidades, turismo, lazer, cultura. Sobretudo com um olhar voltado para a região da tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina.

Em Foz, nossa cobertura foca os principais acontecimentos da cidade, incluindo eleições 2020, o avanço da pandemia do novo coronavírus, as ações da Itaipu Binacional, bem como a administração do prefeito Chico Brasileiro.

O site não deixa de lado o que acontece no restante do estado do Paraná. Notas exclusivas dos bastidores da política, da Assembleia Legislativa, ações do governo do Paraná e da administração Ratinho Júnior. Assim como as principais notícias nacionais.

O CabezaNews é editado por Ronildo Pimentel, jornalista com mais de 30 anos de atuação em jornalismo impresso e digital.

Busão Foz, Cultura, Destaques, Foz do Iguaçu,

Agenda: Em casa nova, Café Cultural traz Alexandre Borges neste sábado

Neste sábado dia 8 de maio, o programa recebe o ator Alexandre Borges da Tv Globo. As artistas e produtoras Daniela Valiente e Cleise Vidal, do projeto cultural O Foguete, também participam do programa,  que traz notícias do universo cultural, convidados nacionais e locais, em bate papo sobre o desenvolvimento artístico em Foz do Iguaçu e no Brasil. 

Sobre Alexandre Borges 

Alexandre Borges Corrêa ganhou destaque na TV quando interpretou o personagem cômico Danilo na novela “Laços de Família” (2000), ao lado de Juliana Paes. Também foi sucesso em “Avenida Brasil” (2012), na qual deu vida ao polígamo Cadinho, que tinha três mulheres e proporcionou muitas gargalhadas nos telespectadores. O ator foi casado com a atriz Júlia Lemmertz de 1993 a 2015. O casal tem um filho, Miguel, nascido em 1996.
Nascido em Santos, no litoral de São Paulo, o galã trabalhava como vendedor de sanduíches na praia e como plantonista de imóveis antes de iniciar a carreira artística. Quando completou 18 anos, em 1985, Alexandre se mudou para São Paulo e integrou o grupo de teatro Boi Viador. No mesmo ano, o santista estreou nos palcos com a peça “Velhos Marinheiros”.

Já na televisão, o primeiro trabalho veio com a novela “Guerra Sem Fim” (1993), na extinta TV Manchete. Em paralelo com a trama, ele atuou na montagem “Hamlet”. Em 1994, fez seu primeiro trabalho na Globo na minissérie “Incidentes em Antares”. Na emissora, o galã já participou de mais de 20 folhetins, seriados e especiais, dentre eles: “A Próxima Vítima” (1995), “Torre de Babel” (1998), “Celebridade” (2003), “Caminho das Índias” (2009).
Além de todas essas novelas, Alexandre fez parte do elenco de mais de 25 filmes. O primeiro longa foi em 1991, quando atuou em “A Paixão Cigana”. Em 1999, ele chegou a estrelar três filmes: “Amor que Fica”, Um Copo de Cólera”, Até que a Vida Nos Separe”.  

Como Diretor Teatral, iniciou a carreira no espetáculo “Uma Pilha de Pratos na Cozinha”, sob texto de Mário Bortolotto, e produção da Ymbu Entretenimento – empresa integrante do grupo Experiência Entretenimento. 

Sobre Cleise Vidal e Daniela Valiente  

Cleise Vidal tem formação em design e é artista plástica. Já morou na Indonésia. Daniela Valiente é jornalista atou na área mais de 20 anos (a maior parte deles dedicado ao jornalismo cultural), e sempre criou pequenos personagens, e artista plástica. Juntas reuniram forças tanto na Casinha Laranja (que conta com a parceria do pessoal do Empório com Arte na parte de gastronomia) quanto no Foguete. 

O Foguete lança sua segunda edição 

Com distribuição gratuita, publicação independente traz arte local como principal pauta para desenvolver o crescimento da cena cultural.

Lançada em plena pandemia, a mídia impressa O Foguete, assinada pelo coletivo Artérias (Daniela Valiente, Cleise Vidal e Sabrina Menis), chegou  na segunda quinzena de abril à sua segunda edição. 

Campanha 

Junto à edição do Foguete foi lançada a Campanha Padrinhos Mágicos, em que  qualquer pessoa pode adquirir uma camiseta e participar da edição auxiliando no custeio da impressão. As camisetas estão disponíveis na Casinha Laranja (Rua Irlan Kalischeswski, 404 – Vila 

Café Cultural 

Sábados das 12h às 13h
Apresentação Fabrício Chianello e Jeffinho Farias
Convidados da semana Alexandre Borges, Cleise Vidal e Daniela Valiente 
Rádio Band FM Foz do Iguaçu – sintonia: 100,5 FM

As informações são de GDia

Busão Foz, Destaques, Foz do Iguaçu, Turismo,

Companhia aérea chilena JetSmart anuncia para setembro volta dos voos semanais Foz do Iguaçu – Santiago

A companhia JetSmart já tem data para voltar a voar para o Brasil, com operação, inicialmente, a um destino turístico bastante conhecido, ligando a capital Santiago (Chile) à Foz do Iguaçu, no Oeste do Paraná.

Adianta o portal Aeroin que a low-cost chilena é uma das companhias aéreas que mais cresce na América do Sul, mesmo diante da crise do Coronavírus. A empresa abriu recentemente uma subsidiária no Peru e amplia destinos.

Apesar de ter retomado, por um curto período no verão, voos especiais para Salvador e Foz do Iguaçu, saindo de Santiago, eles foram suspensos devido à segunda onda de infecções do coronavírus na América do Sul e às restrições impostas pelo governo chileno às viagens.

Desde então, a empresa não havia divulgado novidades sobre o retorno de sua operação no Brasil, com exceção da solicitação de slots da rota Buenos Aires (Argentina) – Belo Horizonte (Brasil), que deverá ser operada pela divisão argentina da JetSmart.

Mas agora a empresa tem atualizações e programa o retorno regular da rota para Foz do Iguaçu, que deve ser reiniciada em 2 de setembro, como reportam os parceiros do Aviacionline.

Os voos serão programados duas vezes por semana, às quintas-feiras e domingos novamente, com o Airbus A320.

Veja abaixo os horários dos voos (hora e local), que são sempre sujeitos a alterações conforme a necessidade da companhia:

As informações são de Aeroin

Destaques, Geral, Paraná,

Lei federal ampliou a pena para maus-tratos a cães e gatos, alerta advogdo

Uma mudança na lei federal ampliou a pena para maus tratos a cães e gatos. O alerta é do advogado e consultor legislativo Gilmar Cardoso, ao analisar a legislação que abrange animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos e prevê pena de reclusão de dois a cinco anos para a prática de abuso e maus tratos. A pena é aumentada de um sexto a um terço, se ocorre morte do animal.

Cerca de 53% dos domicílios brasileiros contam com cães ou gatos. Dentro desse percentual, 44% são habitados por cães e 21% por gatos. Há uma média de 1,72 cães e 2,01 gatos por lares brasileiros. Os gatos, em geral, são os pets de entrada (o primeiro contato de pessoas com os animais de companhia) e contam com um crescimento 3 vezes maior do que os cães dentro do Brasil.

No Paraná, considerando e extrapolando o ritmo de crescimento anual dessa população a nível nacional, até 2024 já pode ter sido superada a marca dos seis milhões de espécimes caninos e felinos nos domicílios de todo o estado

Gilmar Cardoso descreve que agora, como ficou definido no texto legal, a prática de abuso e maus tratos a animais será punida com o aumento da prisão, também com multa e a proibição de guarda. Antes, o crime constava da Lei de Crimes Ambientais e a pena prevista era de três meses a um ano de reclusão, além da multa. A pena de reclusão da nova lei prevê cumprimento em estabelecimentos mais rígidos, como presídios de segurança média ou máxima e o regime de cumprimento de reclusão pode ser fechado, semiaberto ou aberto, explica.

A lei também prevê punição a estabelecimentos comerciais e rurais que facilitarem o crime contra animais, adverte o advogado.

A nova lei federal nº 14.064/2020, batizada de Lei Sansão, surge em virtude de um pitbull que teve as patas traseiras decepadas no Município mineiro de Confirns e que à época causou uma comoção em todo o país, explica Gilmar Cardoso. E criou um item especifico para cães e gatos, que são os animais domésticos mais comuns e principais vítimas deste tipo de crime.

Ao aumentar as penas, a proposição desestimula violações aos direitos dos animais, para que a crueldade contra esses seres vivos deixe de ser considerada banal ou corriqueira, destacou-se no relatório.

Gilmar Cardoso avalia que dados oficiais atestam que com as medidas de distanciamento social, crescem os relatos de organizações não governamentais – ONGs de defesa e proteção animal que confirmam o aumento substancial de denúncias e ocorrências de maus tratos frequentemente associados a famílias com histórico de violência doméstica. Além do que, o aumento do tempo da vigência da pandemia da Covid-19 também tem deixado uma legião de pets órfãos após a morte de seus tutores, e ainda a perda da renda tem sido motivadora para rejeição.

Se a pandemia de coronavírus mudou a paisagem urbana das grandes cidades, deixando ruas de todo o país vazias, por outro aumentou o número de animais domésticos abandonados, afirma.

Ressalte-se, no caso, que além de cruel e desumano, abandonar animais em logradouros públicos também é crime e quem cometê-lo deve ser punido com prisão, multa e perda da guarda do animal, de acordo com a norma vigente.

Se você pretende ter em casa a companhia de um animal doméstico, saiba que essa decisão pode representar, para muitos uma forma de espantar a solidão que afeta, inclusive, grande parte da população em meio à estes tempos difíceis que estamos vivendo e ao isolamento social dele decorrente.

Dentre as recomendações está a de, antes, amadurecer bem a ideia e levar em consideração o fato de que terá uma boa companhia pelo menos pelos próximos dez anos. Isso é um planejamento a longo prazo e uma responsabilidade muito grande com um animal, que assim como as pessoas, também necessita de cuidados especiais nos primeiros meses e ao longo de toda a vida, de visitas regulares ao médico veterinário, de vacinas e vermífugos, dentre outras situações à merecer reflexões, concluiu o advogado Gilmar Cardoso.

Busão Foz, Coronavírus no Paraná, Destaques, Foz do Iguaçu,

Número de vítimas fatais do novo coronavírus em Foz passa de 800

A Vigilância Epidemiológica confirmou, nesta quinta-feira (06), mais seis óbitos em Foz do Iguaçu, em decorrência de complicações do coronavírus (covid-19). Desde o início da pandemia, em março do ano passado, mais de 800 moradores da cidade perderam a vida por conta da doença. O município, que registrou ontem 88 novos infectados, vai receber mais 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para pacientes com a doença.

A lista das mais recentes vítimas da covid-19 em Foz do Iguaçu inclui um homem, de 36 anos de idade. Os seis óbitos divulgados ontem são do sexo masculino. Os demais tem 43, 64, 69 77 e 83 anos. Entre os iguaçuenses que perderam a vida, dois morreram no mês de abril, porém ainda estavam em investigação. No total, são 801 mortes pela doença no município desde o início da pandemia.

Com o registro de novos óbitos, a taxa de letalidade no município passou para 2,34% do total de infectados, ante 2,33% na quarta-feira (05). O índice é superior ao registrado na 9ª Regional de Saúde (2,08%) e inferior ao do Paraná, que é de 2,41%. No Brasil, a taxa de letalidade está em 2,77% e no mundo 2,09%.

A Vigilância Epidemiológica registrou ainda ontem, 88 novos casos de covid-19. No total, são 34.258 registros da doença no município desde o início da pandemia. Destes, 32.934 pessoas já estão recuperadas. Dos 88 novos casos, 40 são mulheres e 48 homens, com idades entre 6 meses e 84 anos. Todos estão em isolamento domiciliar. Dos casos ativos, 380 pessoas estão em isolamento domiciliar, com sinais e sintomas leves, e 143 estão internadas.

As informações são de GDia

Destaques, Geral, Paraná,

Equipe paranaense de esgrima em cadeira de rodas é referência nacional

O Paraná é referência nacional na esgrima em cadeira de rodas com importantes conquistas nos últimos anos. Entre as mais significativas, o fato de quatro atletas federados no Estado terem defendido o Brasil nos Jogos Paralímpicos Rio 2016. Para criar esse polo de excelência, uma das principais instituições que desenvolve a modalidade é a Associação dos Deficientes Físicos do Paraná (ADFP), que há quase 20 anos montava sua equipe, que segue firme até os dias de hoje. Essa é uma série especial que apresentará projetos aprovados e incentivados pelo Programa Estadual de Fomento e Incentivo ao Esporte (Proesporte). Uma realização do Governo do Estado por meio da Superintendência Geral do Esporte.

Ao longo dessas duas décadas, a ADFP sempre manteve em seus projetos, incluindo os esportivos, o propósito de desenvolver a inclusão, a reabilitação (para quem passa a ter uma deficiência em função de um acidente, por exemplo) e a habilitação (para aqueles que já nascem com alguma deficiência). Nos primeiros anos, a falta de recursos foi o principal adversário. É o que destaca o coordenador de projetos e voluntários da ADFP, Fábio Ferreira da Silva Ingenito. “Contudo, o Proesporte abriu um novo leque de possibilidades”, afirma.

O time de esgrima em cadeira de rodas da ADFP contou com projeto aprovado no primeiro edital do Proesporte, de 2018. A equipe é a base da Seleção Brasileira e conta com atletas com os principais títulos possíveis para a categoria, a exemplo de Jovane Guissone, ouro na Paralimpíada de Londres, em 2012, e campeão em 2020 da etapa da Hungria da Copa do Mundo.

Ingenito explica que a ADFP já trabalha há algum tempo com a captação de recursos federais. No entanto, encontra dificuldades pelas principais empresas contribuintes neste âmbito estarem no eixo Rio de Janeiro/São Paulo e preferirem investir em modalidades dentro dos seus estados de origem. “Com o Proesporte, fomos os pioneiros a captar recursos com empresas privadas paranaenses e apresentar a lei de incentivo estadual para elas”, afirma.

Com o Proesporte, o coordenador enxergou um novo horizonte para a manutenção do esporte paralímpico. Na edição de 2018, por meio do programa, a esgrima em cadeira de rodas contou com o incentivo via Companhia Paranaense de Energia, a Copel, a maior patrocinadora do esporte no Estado, e das empresas Beneck e Tintas Verginia. Foi autorizada à época a captação de um total de R$ 200 mil, conforme aprovado em edital.

Assim, a ADFP manteve o projeto com 12 atletas treinando três vezes por semana na Academia Mestre Kato, outro celeiro da esgrima paranaense, entre os competidores convencionais (sem deficiência). Desses atletas, nove são veteranos e três iniciantes. Durante a execução dos recursos, realizada em 2019 e 2020, os iniciantes ganharam todo o equipamento para prática de esporte. “A gente tinha equipamentos que estavam em fim de uso. Não dava mais. O Proesporte veio como um fôlego para substituirmos os materiais para continuar dando treinamento de qualidade e montarmos uma equipe técnica”, enfatiza Ingenito.

A treinadora do time, Tabea Alves, explica que o projeto possibilitou continuar o treinamento de alto rendimento e comprar equipamentos para iniciação de novos atletas. Além disto, ela ressalta a importância da equipe técnica que realiza os treinamentos presenciais e oferece outros individuais para aqueles com possibilidade de buscar medalhas.

Respeitando as contrapartidas previstas no edital do programa, o pessoal da esgrima em cadeira de rodas também fez visitas às escolas da região. Mais de 1.800 crianças e adolescentes conheceram o paradesporto com essas ações. “A ADFP é da comunidade para a comunidade e essas ações buscam incentivar o esporte e também fomentar a mudança social. As pessoas se sentem representadas com as nossas demonstrações de esgrima e conhecem a nossa modalidade”, reforça Ingenito.

Em 2019, antes da série de restrições impostas em virtude da pandemia, a instituição, que não oferta somente projetos esportivos, chegou a realizar mais de 15 mil atendimentos gratuitos para pessoas com deficiência. Entre os serviços prestados estão fisioterapia, psicologia, terapia ocupacional, serviços de inclusão ao mercado de trabalho, cursos para capacitação profissional, entre outros. Nos próximos meses, a ADFP começará a utilizar os recursos provenientes do edital do Proesporte de 2019.

Vida de atleta traz superação de limites

O atleta Clodoaldo de Lima Zafatoski está há 12 anos na equipe de esgrima em cadeira de rodas. Ele relembra que, no início, os atletas terminavam o jogo e passavam as vestimentas usadas, os equipamentos e a cadeira de rodas (especial para competir) para outro companheiro de equipe que as usaria na sequência. “Hoje temos uniforme próprio. Demorei para ter essa conquista, por isso guardo com carinho e levo com orgulho as marcas que patrocinam a gente”, diz Zafatoski.

Saindo da sua zona de conforto, Zafatoski resolveu experimentar a modalidade, descobriu a autonomia e percebeu que poderia ser profissional. “Entrei e senti que poderia ser um atleta independentemente da idade, do peso, da deficiência. A esgrima em cadeiras de rodas é um dos esportes mais democráticos e que mais movimenta o corpo e a mente”, destaca. Com a modalidade, ele viajou pelo Brasil. Foi atleta permanente da seleção por dois anos consecutivos e em vários esporádicos, conheceu e disputou com atletas internacionais e participou da Copa do Mundo de Esgrima em Cadeira de Rodas no Canadá.

Zafatoski garante que a equipe é como uma família. Apesar de ser uma modalidade individual, o trabalho é em conjunto e ainda treinam com atletas convencionais. Entre seus principais rivais de categoria, está o amigo e também membro da ADFP, Sandro Colaço de Lima, que está desde 2010 no time e foi um dos representantes do País nos Jogos Paralímpicos no Rio.

Para Lima, fazer parte do time de esgrima em cadeira de rodas é extraordinário. “Somos a maior equipe do País. Sempre temos atletas em destaque nacional, sempre ocupamos os melhores lugares do ranking no Brasil, em todas as categorias” comemora. Lima sofreu uma lesão na coluna durante um acidente. O esporte chegou como reabilitação. No entanto, a vida de atleta quebrou todos os paradigmas. “Você tem suas dificuldades e limitações, e no esporte esquece das suas limitações. Você se esquece que é uma pessoa com deficiência. Só foca nos seus sonhos e objetivos”, enfatiza.

Somando as conquistas de equipe, Lima conta que os atletas veteranos auxiliam os iniciantes, assim servindo de referência e dando continuidade para a modalidade no Paraná. “Ser um atleta é algo que levo muito a sério, principalmente quando ajudo os novos na modalidade. O exemplo vem por meio do meu trabalho e das minhas realizações. Não existem limites para seus sonhos”, finaliza.

As informações são de Agência de Notícias do Paraná

Economia, Paraná, Política,

Novo modelo de pedágios visa o lucro das concessionárias, diz Requião Filho

O deputado estadual Requião Filho e o ex-governador e ex-senador Roberto Requião participaram de entrevista nesta quinta-feira (6) à Rádio Clube de Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais.

As tarifas abusivas de pedágio, as obras não entregues pelas concessionárias e a nova licitação foram os temas mais discutidos.

Para Requião Filho, o modelo híbrido apresentado pelo Governo Federal e com apoio do Governo Estadual, apenas visa o lucro das concessionárias.

Assista a íntegra da entrevista no site do Deputado Estadual Requião Filho

Busão Foz, Destaques, Educação, Foz do Iguaçu,

UNILA fica acima da média nacional das instituições públicas com nota do IGC contínuo

A UNILA obteve nota 4 – de um total de 5 – no Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC) 2019, divulgado pelo Ministério da Educação (MEC) e pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). No IGC contínuo (variável contínua no intervalo entre 0 e 5), a UNILA tem nota 3,5699, acima da média formada a partir das notas de todas as universidades federais (3,5065).

Foram avaliadas 2.070 instituições de ensino superior, públicas e privadas. Do total, 21,64% estão na faixa 4 e apenas 2,22% na faixa 5. A maioria das instituições obteve nota 3 (63,77%). Em números absolutos, 47 das 63 universidades federais avaliadas no país tiraram nota 4. No Paraná, são duas universidades com nota 4 e uma com nota 5 (veja quadro clicando aqui).

São divulgadas duas notas de avaliação: o IGC faixa (de 1 a 5 ) e o IGC contínuo (uma variável contínua no intervalo entre 0 e 5). No IGC contínuo, a UNILA tem nota 3,5699, que a posiciona entre as principais instituições de ensino superior do Sul do País – 24º lugar entre 363 (veja abaixo). Esse resultado também coloca a UNILA acima da média formada pela nota de todas as universidades federais (3,5065), segundo mostra o trabalho realizado pela Coordenadoria de Informação e Regulação Institucional (CIRI) da UNILA (veja ao lado). Para o cálculo das médias, a equipe do CIRI levou em conta as 2.070 que receberam nota no IGC contínuo. A lista do Inep traz um total de 2.090 instituições. Mesmo as que ficaram sem conceito, são consideradas avaliadas.

A Universidade também fica acima da média das instituições públicas federais, estaduais e municipais (2,8931) da região Sul, Paraná, em Foz do Iguaçu, e das instituições localizadas na Costa Oeste do Estado (Foz do Iguaçu, Guaíra, Terra Roxa, Diamante do Oeste, Medianeira, Missal, São Miguel do Iguaçu, Itaipulândia, Santa Terezinha de Itaipu, Marechal Cândido Rondon, Santa Helena, São José das Palmeiras, Pato Bragado, Entre Rios do Oeste, Mercedes) – veja quadros ao final do texto. Em relação às notas contínuas das oito instituições avaliadas na cidade, a UNILA fica atrás apenas da Unioeste.

“Considerando que a UNILA é uma universidade nova e considerando todas as dificuldades que o início traz, desde a institucionalização, passando pela dificuldade com infraestrutura e somando-se a isso as dificuldades orçamentárias de maneira geral, entendo que o bom resultado que a UNILA tem no Índice Geral de Cursos é fruto de muito comprometimento e dedicação da comunidade acadêmica, incluindo todas as categorias, professores, técnicos, estudantes e os diferentes níveis da gestão”, avalia o pró-reitor de Graduação, Pablo Henrique Nunes.

“Esse comprometimento, essa dedicação e a responsabilidade com a instituição proporcionam a superação dessas dificuldades e o fortalecimento gradativo da UNILA, que, aos pouquinhos, vai consolidando sua presença na região e transformando a realidade local, regional e da América Latina, através do ensino, da pesquisa e da extensão, com caráter internacional e de integração, que é a principal marca da UNILA”, completa.

Indicador

O IGC é formado pela média do Conceito Preliminar de Curso (CPC), considerando o último ciclo do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) como referência; pela média dos conceitos de avaliação dos programas de pós-graduação stricto sensu, atribuídos pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) na última avaliação trienal; e pela distribuição dos estudantes entre as diferentes etapas de ensino superior (graduação e pós-graduação stricto sensu).

Para o cálculo do IGC 2019, foram considerados os resultados de cursos de graduação avaliados entre 2017 e 2019 – a UNILA teve dez cursos avaliados – e os dados de programas de mestrado e doutorado oferecidos pelas instituições em 2019. Para a pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação, Danúbia Frasson Furtado, é preciso lembrar que a Universidade tem programas stricto sensu relativamente novos e que muitos não passaram por uma avaliação completa da Capes, que é feita a cada quatro anos. “Neste ano, estamos entregando os dados para essa avaliação quadrienal e esperamos que esses indicadores e essa avaliação da Capes sejam cada vez mais positivos para a instituição”. Com isso, espera-se um resultado ainda melhor no IGC.

A pró-reitora destaca, também, que houve um aumento significativo do número de programas de pós-graduação na instituição a partir de 2019. “Até 2019, nós tínhamos 8 programas de pós-graduação e, naquele ano, a Capes aprovou outros 4 novos programas. Como sabemos, a UNILA é uma universidade nova, com cursos de graduação e pós-graduação em constante crescimento e evolução, dado pela atuação do corpo docente, discente e técnico, primando pela educação de qualidade. E esperamos trabalhar juntamente com a comunidade acadêmica em prol de uma melhora significativa e continuada do IGC”, afirma.

O IGC é um indicador de qualidade que integra o conjunto de procedimentos e instrumentos diversificados que avalia as instituições de ensino, de acordo com o que prevê a Lei do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes). O índice tem relação direta com o ciclo avaliativo do Enade, que mensura, entre outros aspectos, o rendimento dos concluintes dos cursos de graduação. Para ter o IGC calculado, a instituição deve possuir, no mínimo, uma graduação com Conceito Preliminar de Curso.

As informações são de Universidade Federal de Integração Latino-Americana

Busão Foz, Coronavírus no Paraná, Destaques, Foz do Iguaçu, Saúde,

Vacinação contra a Covid-19 em Foz do Iguaçu, para grupo entre 50 a 54 anos com comorbidade, começa sábado, 08

Agendamento para a faixa etária foi liberado nesta sexta-feira (07) pela Secretaria de Saúde

A faixa etária da vacinação contra a covid-19 para o grupo prioritário de comorbidades será ampliada para as pessoas entre 50 a 54 anos a partir deste sábado (08) pela Secretaria de Saúde de Foz do Iguaçu. A vacinação dos grupos prioritários está ocorrendo nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).

O agendamento pode ser feito no site da prefeitura pelo link http://vacinacao.pmfi.pr.gov.br/, opção ‘comorbidades’, ou ainda nos postos de saúde e na central de agendamento pelos telefones 2105-1105/1106/1120. As vinte unidades de saúde e a Vigilância em Saúde vão abrir no sábado das 8h às 14h.

A vacinação do grupo de comorbidades, assim como ocorreu com os idosos, é feita de forma escalonada. “Iniciamos a vacinação no grupo de comorbidades de 55 a 59 anos na quinta-feira (6) e percebemos que já é possível ampliar essa faixa etária. Entendemos que será necessário mais suporte para orientar a população e, por isso, estamos mobilizando as equipes de saúde tirar dúvidas e dar o atendimento a todos que possuem comorbidades aptas a receber a vacina”, disse a secretária de Saúde, Rosa Jeronymo.

Comprovação da comorbidade

No momento da vacinação, o sistema identifica as pessoas que fazem tratamento pelo Sistema Único de Saúde (SUS), que não precisam de comprovação da comorbidade. Caso a comorbidade não seja identificada, é necessário apresentar o formulário elaborado pela Secretaria Municipal de Saúde, disponível AQUI. O documento deve ser preenchido, assinado e carimbado pelo médico.

Também serão aceitos atestados médicos que, obrigatoriamente, apresentem as seguintes informações: nome do paciente, número da Classificação Internacional de Doenças (CID), e nome, CRM e carimbo do médico. Os atestados que não apresentarem todos os dados não serão aceitos pela Secretaria de Saúde.

Outros grupos

Nesta etapa da campanha de vacinação contra a covid também são contemplados gestantes, pessoas com síndrome de down e puérperas (mulheres em período pós parto de até 45 dias) com mais de 18 anos. Pessoas com deficiência permanente que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC) de 55 a 59 anos começaram a ser vacinadas na quinta-feira (6) e a faixa etária será ampliada para 50 a 54 anos no sábado (8).

No primeiro dia de vacinação dos novos grupos prioritários foram imunizadas 759 pessoas com comorbidades. A faixa etária para este grupo será reduzida conforme a chegada de mais doses no município. Até quinta-feira (06) foram aplicadas 67.564 doses da vacina contra a covid-19 em Foz do Iguaçu, sendo 43.940 primeira dose e 23.624 segunda.

Busão Foz, Destaques, Foz do Iguaçu, Saúde,

Primeira fase da vacinação contra a Influenza termina segunda-feira (10)

A partir de terça-feira (11), idosos a partir de 60 anos e professores começam a ser imunizados

Termina na próxima segunda-feira (10) a primeira etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. Nesta fase, estão sendo imunizadas crianças de seis meses a menores de seis anos, gestantes, puérperas (mulheres em período pós parto de até 45 dias) e trabalhadores da saúde.

A vacinação está disponível em todas as unidades básicas de saúde de Foz do Iguaçu. Não há necessidade do agendamento on-line, mas quem preferir também pode marcar o dia e horário através do site da Prefeitura de Foz (http://vacinacao.pmfi.pr.gov.br/). Na terça-feira (11) inicia a segunda etapa da campanha, que compreende os idosos com mais de 60 anos e professores da rede pública e privada.

Até agora, somente 39% do público envolvendo crianças foi vacinado, o que corresponde a 8.654 doses aplicadas de um total de um total de 22.022 crianças. No grupo das gestantes a cobertura atual é de 37%; puérperas 46% e trabalhadores da saúde 29%.

“A baixa cobertura vacinal no grupo adulto pode estar relacionada à vacinação contra a Covid-19, já que é necessário esperar 15 dias entre uma aplicação e outra. Por isso, mesmo com o encerramento da primeira etapa, vamos continuar vacinando os grupos de gestantes, puérperas, trabalhadores da saúde e também crianças, enquanto existirem doses”, afirmou a secretária da saúde, Rosa Maria Jerônymo.

Para alertar os pais sobre a importância da imunização, a diretoria de Atenção Básica enviou materiais informativos sobre a vacinação para as unidades escolares. “Tivemos uma reunião com a Secretaria de Educação para que as diretoras de Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) nos auxiliassem nessa divulgação com as famílias. Também fizemos a busca ativa de gestantes, mas como as duas campanhas (Covid e Influenza) estão atendendo este mesmo público, vamos aguardar um período e continuar vacinando, mesmo fora do período determinado”, reiterou a diretora de atenção básica, Jaqueline Tontini.

Na terceira etapa da vacinação contra a Influenza, de 9 de junho e 9 de julho, estão: pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento, forças armadas, funcionários do sistema de privação de liberdade, população privadas de liberdade e adolescentes e jovens em medias socioeducativas.

Para receber a vacinação, é necessário levar a carteira de vacinação (se tiver) e documento com foto. Para trabalhadores da saúde da rede privada é necessário comprovar vínculo trabalhista. Trabalhadores da saúde de hospitais de Foz serão vacinados no local de trabalho.

Busão Foz, Destaques, Foz do Iguaçu, Geral,

Prefeitura de Foz do Iguaçu vai distribuir 20 mil cestas básicas para famílias em extrema pobreza

Na próxima semana 1.200 cestas começarão a ser entregues nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS)

A Prefeitura de Foz do Iguaçu começa a entregar na próxima semana 1.200 cestas básicas para famílias em situação de extrema pobreza no município. O primeiro lote faz parte de um total de 20 mil cestas adquiridas pela Secretaria Municipal de Assistência Social por meio de um processo licitatório aberto em abril.

Os alimentos serão entregues por meio dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) a um grupo prioritário de 10 mil famílias inscritas no Cadastro Único. O valor da compra foi de R$ 2,222 milhões.

Elias Sousa, secretário de Assistência Social, diz que a nova aquisição será essencial para manter uma cobertura de qualidade à população. Desde janeiro, 10 mil cestas básicas foram entregues.

“Nossa demanda que era, por exemplo, de 30 cestas diárias, pode ser ampliada para 60 entregas. Esse novo montante vem nos auxiliar grandemente para darmos continuidade a um trabalho essencial já em andamento”, afirmou.

Agendamento pelo CRAS

Para receber as cestas, as famílias precisarão fazer o agendamento pelo CRAS, seguindo os cronogramas já previstos para cada uma das cinco instituições.

Contatos dos CRAS

NORTE – Telefone: 3901-3268 / Celular: 99997-3231 / Recepção: 3524-0324 / Cadastro Único 3575-6422/ E-mail: cras.norte.pmfi@gmail.com

SUL – Telefone: 3901-3260 / Celular: 99997-3300 / Recepção 3523-0079 / Cadastro Único 3523-2931 / E-mail: cras.sul.pmfi@gmail.com

LESTE – Telefones: 3901-3273, 3522-1598 e 3526-9963 / Celular: 99997- 3232 / E-mail: cras.leste.pmfi@gmail.com

OESTE – Telefone: 3527-7206 / 3523-4453 / 3523-4649 / Celular: 99823-0282 / E-mail: cras.oeste.pmfi@gmail.com

NORDESTE – Telefone: 3901-3271 / Celular: 99997- 3311 / Recepção: 3522-7389 / Cadastro Único: 3522-7542 / E-mail: crasnordestepmfi@gmail.com