Browsing Category

Curitiba

Leia as últimas notícias sobre Curitiba no CabezaNews, site de informação com reportagens exclusivas, fotos, vídeos e conteúdos sobre Foz do Iguaçu e sobre o Paraná.

O CabezaNews leva ao público notícias de utilidade pública, curiosidades, turismo, lazer, cultura. Sobretudo com um olhar voltado para a região da tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina.

Em Foz, nossa cobertura foca os principais acontecimentos da cidade, incluindo eleições 2020, o avanço da pandemia do novo coronavírus, as ações da Itaipu Binacional, bem como a administração do prefeito Chico Brasileiro.

O site não deixa de lado o que acontece no restante do estado do Paraná. Notas exclusivas dos bastidores da política, da Assembleia Legislativa, ações do governo do Paraná e da administração Ratinho Júnior. Assim como as principais notícias nacionais.

O CabezaNews é editado por Ronildo Pimentel, jornalista com mais de 30 anos de atuação em jornalismo impresso e digital.

Curitiba, Destaques, Economia, Política,

Curitiba libera funcionamento de atividades sem restrição de horário

Curitiba mantém bandeira amarela pela quarta semana consecutiva e passa a permitir o funcionamento das atividades sem restrições de horários, além de outras medidas menos restritivas

A decisão foi tomada pelo Comitê de Técnica e Ética Médica da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) após avaliação positiva dos indicadores. A cidade mantém a nota 1,7, índice atingido pela primeira vez no dia 7 de julho.

As novas regras estarão no Decreto Municipal 1.210, que será publicado ainda nesta quarta-feira (28/7). O decreto começa a valer a partir da publicação e terá duração de três semanas, até o dia 18 de agosto.

“Nós entendemos que após 21 dias de estabilidade da nota e redução gradativa dos indicadores, podemos dar um passo à frente e diminuir as restrições de funcionamento das atividades”, esclareceu a secretária municipal da saúde, Márcia Huçulak.

O que muda

Após a avaliação dos dados da semana epidemiológica de 21 a 27 de julho, uma das definições foi permitir o funcionamento das atividades sem restrições de horários para abertura e fechamento, desde que seguidos os protocolos específicos de controle da pandemia.

Feiras de varejo e feirões podem voltar a ser realizados seguindo protocolos específicos e limitação de fluxo de pessoas.

Também houve a liberação de consumo de bebidas alcoólicas nas feiras de artesanato e livres, porém trata-se de uma exceção para esses espaços: o consumo de bebidas alcóolicas em demais locais públicos continua proibido.

O documento também libera a ampliação de público para casas de festas e recepções, que antes era de 50 pessoas e agora passou para, no máximo, 300 pessoas.

Essa ampliação também vale para eventos corporativos, que antes podiam receber até 100 pessoas. A limitação máxima, agora de 300 pessoas, deve respeitar a regra de 50% da ocupação do local. Com isso, só poderão receber o limite máximo de pessoas os espaços com capacidade de público acima de 600 pessoas.

Fim do toque de recolher

A taxa de ocupações dos leitos de UTI exclusivos para covid-19 segue em queda. Mesmo com desativação de leitos, a ocupação está em 65% nesta quarta-feira (28/7). Há uma semana, quando havia 19 leitos a mais, a taxa era de 68%.

O número de pessoas internadas em leitos clínicos também diminuiu, na semana anterior eram 323 pessoas internadas, hoje são 290.

A melhora expressiva no sistema de resposta hospitalar possibilitou o fim do toque de recolher, medida que foi adotada para reduzir a circulação de pessoas e os traumas por acidentes e violências nas ruas, dando fôlego para os serviços de saúde se concentrarem no acolhimento aos pacientes da covid-19.

Com mais de 50% da população imunizada com pelo menos uma dose da vacina anticovid e adoção dos protocolos de responsabilidade sanitária e social, Curitiba ,vive um cenário de estabilidade da pandemia.

O número de casos ativos segue caindo, segundo o último boletim diário. Nesta terça-feira havia 6.718 pessoas na fase ativa da doença, uma queda de 5,9% em relação há 14 dias. O número indica a quantidade de pessoas com capacidade de transmissão do vírus.

A média móvel de novos casos nos últimos sete dias está em 474, uma diminuição de 36,5% em relação há 14 dias.

Veja como ficam as principais atividades
Atividades suspensas:

  • Estabelecimentos destinados ao entretenimento, tais como casas de shows, casas noturnas e atividades correlatas;
  • Eventos esportivos com público externo;
  • Tabacarias;
  • Reuniões com mais de 300 (trezentas) pessoas, incluindo comemorações, confraternizações e encontros familiares, em espaços localizados em bens públicos ou privados;
  • Consumo de bebidas alcoólicas em vias públicas, salvo em feiras livres e de artesanato.

Atividades com restrições

  • Atividades comerciais de rua não essenciais, galerias, centros comerciais e shopping centers;
  • Atividades de prestação de serviços não essenciais, tais como escritórios em geral, salões de beleza, barbearias, atividades de estética, serviços de banho, tosa e estética de animais, floriculturas e imobiliárias;
  • Academias de ginástica e demais espaços para práticas esportivas individuais e coletivas;
  • Restaurantes, lanchonetes, panificadoras, padarias, confeitarias e bares;
  • Lojas de conveniência em postos de combustíveis;
  • Comércio varejista de hortifrutigranjeiros, quitandas, mercearias, sacolões, distribuidoras de bebidas, peixarias, açougues, e comércio de produtos e alimentos para animais;
  • Mercados, supermercados, hipermercados e lojas de material de construção;
  • Feiras livres;
  • Parques infantis e temáticos: sendo permitida apenas a utilização de equipamentos/brinquedos e espaços lúdicos com o distanciamento mínimo de 1,5 (um metro e meio) entre os usuários, em todas as direções, realizada a assepsia após o uso por cada pessoa ou grupo de pessoas, vedado o funcionamento de piscina de bolinhas;
  • Feiras de artesanato, teatros, cinemas, museus e circos;
  • Casas de festas e de recepções, incluídas aquelas com serviços de buffet, e salões de festas em clubes sociais e condomínios: autorizado até 300 (trezentos) convidados, desde que seja respeitada a capacidade de ocupação de 50% da capacidade do local;
  • Eventos corporativos, de interesse profissional, técnico e/ou científico, como jornadas, seminários, simpósios, workshops, cursos, convenções, fóruns e rodadas de negócios: autorizado até 300 (trezentos) participantes, desde que seja respeitada a capacidade de ocupação de 50% da capacidade do local;
  • Mostras comerciais, feirões e feiras de varejo;
  • Hotéis, resorts, pousadas e hostels deverão funcionar com até 70% (setenta por cento) da sua capacidade de público;
  • Nos parques e praças, fica permitida a prática de atividades individuais e coletivas ao ar livre, com uso de máscaras, observado o distanciamento social;
  • As igrejas e os templos de qualquer culto deverão observar a Resolução n.º 440, de 30 de abril de 2021, da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná, que regulamenta a realização das atividades religiosas de qualquer natureza;
  • Hotéis, resorts, pousadas e hostels deverão funcionar com até 70% (setenta por cento) da sua capacidade de público;
  • Nos parques e praças, fica permitida a prática de atividades individuais e coletivas ao ar livre, com uso de máscaras, observado o distanciamento social;
  • As igrejas e os templos de qualquer culto deverão observar a Resolução n.º 440, de 30 de abril de 2021, da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná, que regulamenta a realização das atividades religiosas de qualquer natureza.

As informações são de Prefeitura Municipal de Curitiba

Coronavírus, Curitiba, Paraná,

Fiscalização integrada fecha pontos comerciais e dispersa mais de 800 pessoas em Curitiba

Equipes da Ação Integrada de Fiscalização Urbana (AIFU), sob a coordenação da Polícia Militar, fecharam no fim de semana, em Curitiba, sete pontos comerciais que descumpriam as medidas de prevenção à Covid-19 determinadas por decreto do Governo do Estado. Foram aplicadas 33 autuações administrativas entre sexta-feira e domingo (23 a 25). Entre outras medidas, o decreto estabelece o toque de recolher após 23 horas.

Os policiais militares e agentes municipais também flagraram aglomerações e dispersaram mais de 800 pessoas. Somente em uma ocorrência, no bairro Hauer, no sábado, foram dispersadas 238 pessoas em um bar.

De acordo com o balanço repassado pela Coordenação da AIFU, as equipes policiais percorreram mais de 30 bairros da Capital para verificar o cumprimento das medidas tanto pela população em geral quanto dos estabelecimentos comerciais. Segundo o capitão Carlos Ronaldo Goulart, as fiscalizações exercem um papel importante na prevenção de comportamentos que podem aumentar o contágio pelo vírus.

“Ao longo da pandemia temos feito as operações constantemente, observando as determinações dos decretos estadual e municipal para que a população compreenda seu papel e nos ajude a minimizar a proliferação do coronavírus. Percebemos que muitas pessoas entendem o papel da fiscalização e colaboram com o trabalho, mas ainda há casos de desrespeito e inconveniência neste momento que vivemos”, destacou.

Ao longo das ações, os policiais militares fizeram intervenções nos locais com irregularidades e encaminharam a delegacias quatro pessoas, duas delas pela prática de jogos de azar e uma por infringir medida sanitária. Também houve uma prisão em flagrante por embriaguez ao volante.

Na área do trânsito, os policiais e agentes aplicaram 78 autos de infração e seis veículos acabaram recolhidos por pendências administrativas.

Apreensões – Na tarde deste domingo (25), as equipes abordaram um estabelecimento comercial no bairro Jardim das Américas onde havia cerca de 100 pessoas. A Secretaria Municipal de Urbanismo (SMU) interditou o local e aplicou uma multa de R$ 50 mil por desrespeitar as normas vigentes do município. O proprietário foi encaminhado para a assinatura do Termo Circunstanciado.

No início da noite de domingo, durante uma abordagem no bairro Boqueirão, as equipes apreenderam duas máquinas caça-níquel em pleno funcionamento. O proprietário do estabelecimento comercial foi encaminhado, juntamente com os equipamentos, ao Cartório do 20º Batalhão para a assinatura do Termo Circunstanciado.

“Em outra situação, no bairro Hauer, as nossas equipes abordaram um estabelecimento e constataram a presença de 238 pessoas. O local foi fechado. A Secretaria Municipal de Meio Ambiente aplicou uma multa no valor de R$ 5 mil e a Secretaria Municipal de Urbanismo aplicou outra, de R$ 20 mil, ao responsável”, explicou a tenente Caroline Félix, que coordenou as equipes na operação de sábado.

Também no sábado, as equipes receberam denúncias pelo 156 sobre um estabelecimento comercial no bairro Santa Cândida, onde havia cerca de 30 pessoas fazendo o uso de narguilé e a maioria sem máscara de proteção. Foi aplicada multa de R$ 50 mil.

Na madrugada deste domingo, as equipes abordaram um estabelecimento comercial no bairro Rebouças, com 25 pessoas. Havia uma máquina caça-níquel funcionando. O proprietário, de 37 anos, foi encaminhado, juntamente com a máquina e R$ 120,00 em dinheiro, ao cartório do 12º Batalhão.

As informações são de Agência de Notícias do Paraná

Curitiba, Destaques, Paraná, Política,

Vereador de Curitiba, Renato Freitas, é preso pela Guarda Municipal acusado de agressão; Veja o vídeo

O parlamentar teria agredido uma pessoa durante uma manifestação contra o presidente Jair Bolsonaro

O vereador de Curitiba, Renato Freitas (PT), foi preso pela Guarda Municipal (GM) na noite desta sexta-feira (23), na Praça Rui Barbosa, no Centro de Curitiba. O parlamentar teria agredido uma pessoa durante uma manifestação contra o presidente Jair Bolsonaro.

Essa é a segunda vez que Freitas é preso em menos de dois meses. Na última vez, no dia 4 de junho, ele foi detido pela Polícia Militar (PM) após resistir a uma abordagem.

A vítima da suposta agressão, Reinaldo Borges Machado, de 57 anos, contou em entrevista à Banda B que havia saído de uma agência bancária quando viu Freitas discutindo com uma senhora e decidiu intervir.

“Esse rapaz, que não conheço, estava discutindo com uma senhora em voz alta. Eu chamei a atenção dele que não era correto ficar acusando o governo de estar matando pessoas. Aí ele gritou ‘fora Bolsonaro!’, colocou um megafone no meu rosto e bateu no meu nariz. Tentei puxar o megafone, mas ele me agrediu. Eu disse que ia chamar a polícia”, relatou a vítima.

Na sequência, segundo o relato, mais pessoas avançaram contra Machado, que caiu no chão, onde teria ainda recebido um chute.

“Um rapaz da loja do lado viu tudo e foi me defender, mas ele recuou porque eles estavam em maior número. Esse vereador estava espumando pela boca. Ele não representa a nossa cidade, é uma pessoa transtornada. Curitiba merece vereadores, mas vereadores bons, que trabalham pela cidade”, criticou o homem.

Renato Freitas foi encaminhado para a Central de Flagrantes, assinou termo circunstanciado e foi liberado.

Vereador

Em entrevista à imprensa, o vereador explicou que quem iniciou as agressões foi o homem que o abordou e que ele apenas se defendeu.

“Chegou um rapaz dizendo que eu estava indo contra a segurança nacional por estar pedindo o impeachment do presidente Bolsonaro e eu falei que isso não existia. Continuei com meus gritos e ele voou em cima de mim para tentar pegar meu megafone. Eu fui para trás, mas nisso ele me deu um chute e continuou tentando me agredir”, contou Freitas.

“Usei o megafone num ato de defesa, num espasmo, numa reação automática quase e acabou acertando o rosto dele de fato. Ele ficou mais possesso ainda, tentaram separar e aí ele chamou a Guarda Municipal”, continuou.

Com a chegada da GM, o parlamentar teria tentado explicar o que estava acontecendo, mas não teria sido ouvido e logo foi imobilizado para que fosse feita a prisão. Ele nega que tenha resistido à prisão.

“Por conta de questões pessoais, não me deixaram explicar o que ocorreu, me imobilizaram, me agrediram, pegaram meu rosto e começaram a tirar fotos como se eu fosse um troféu”, disse Freitas.

O momento da prisão nesta sexta-feira foi gravado e publicado nas redes sociais de Freitas (assista abaixo).

Guarda Municipal

A Guarda Municipal afirmou por meio de nota enviada à reportagem da Banda B que Renato Freitas foi convidado a acompanhar os guardas após a acusação de agressão, mas resistiu ao encaminhamento para a Central de Flagrantes. Leia na íntegra:

“A Guarda Municipal informa que o vereador Renato Freitas foi detido, no fim da tarde desta sexta-feira (23/7), depois de agredir um homem e resistir ao encaminhamento para a Central de Flagrantes.

O homem disse aos guardas municipais ter sido agredido pelo vereador com um megafone e por outras pessoas que o acompanhavam numa manifestação na Praça Rui Barbosa. Antes da detenção, o vereador foi convidado a acompanhar os guardas, mas resistiu. Caberá agora à polícia civil dar os devidos encaminhamentos”.

As informações são de Banda B.

Colunistas, Coronavírus, Curitiba, Destaques, Fabio Aguayo, Paraná,

Abrabar esperava maior flexibilidade e lamenta restrição de horários e público

Bandeira Amarela renovada por mais uma semana mantém a restrição para funcionamento de bares e restaurantes

A Prefeitura de Curitiba anunciou, nesta quarta-feira (21), que irá renovar por mais uma semana a Bandeira Amarela com restrições de funcionamento das atividades econômicas, em especial da gastronomia e entretenimento. A Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar) lamentou a falta de coragem de mudança na flexibilidade de horário, capacidade de público e atividades.

“Mas o que faltou as atividades econômicas, infelizmente sobrou coragem para fechar leitos de UTI pela queda de casos e internações por covid-19”, afirmou o presidente Fábio Aguayo. “São essas descompensações que não entendemos em Curitiba, diferentemente de outras cidades no Paraná e em especial nos outros estados, que flexibilizaram as normas”, frisou.

O que o setor está pedindo nos últimos 18 meses é um planejamento e diretrizes para outras atividades econômicas que não foram contempladas no atual decreto. “Especialmente de um norte de retomada das Casas Noturnas, criando alguma condição de ingresso nos estabelecimentos, que naturalmente aglomeram, apresentando testes de covid recente e ou comprovante de vacinação”, ressaltou.

Na Bandeira Amarela, que foi renovada por mais sete dias, Curitiba precisava acompanhar também a lógica da desativação de leitos de UTI. “Com o avanço da porcentagem de segurança na vacinação da população nos dá uma margem de tranquilidade e não comodidades”.

“Assim os cidadãos ficam menos reféns do medo e do estágio atual da variante Delta, mas passando com os cuidados necessários em uma Pandemia”, comentou. De acordo com Aguayo, o setor tinha esperança de uma maior sensibilidade da Prefeitura, especialmente pelo sofrimento dos últimos 16, 17 meses.

Duplamente penalizados

A Abrabar defende também uma sensibilidade maior dos governos municipal e estadual nas questões das empresas públicas de água, luz e gás. “Não protestando em cartório e cobrando juros abusivos em negociações para religamento, como está acontecendo”. 

Os empresários estão com dificuldades, ficaram fechados no primeiro semestre, com lockdow e horários restritivos e o preço agora estão pagando com protestos, cortes de água, luz, gás. A entidade pede ainda flexibilização na questão das fiscalizações, “que estão virando caça níquel ou indústria da multa”, diz.

Abertura

Aguayo lembra exemplos de maior flexibilização no enfrentamento ao covid-19, como Foz do Iguaçu, onde a Prefeitura autorizou há mais de uma semana bares e restaurantes atuarem até meia noite. Em Santa Catarina e São Paulo, os governos estaduais estão anunciando a retomada de todos os segmentos econômicos.

“A única bengala (desculpa da variante Delta) para não mudar em todo Sul do país é Curitiba”. A entidade pede ainda flexibilização na questão das fiscalizações, “que estão virando caça níquel ou indústria da multa”, completa Aguayo.

Coronavírus no Paraná, Curitiba, Geral,

Fiscalização fecha 13 pontos comerciais e dispersa aglomerações em Curitiba

As equipes da Ação Integrada de Fiscalização Urbana (AIFU), sob a coordenação da Polícia Militar do Paraná, fecharam 13 pontos comerciais e aplicaram 26 multas administrativas de quinta-feira até a madrugada deste sábado (15 a 17), em Curitiba. Cerca de 730 pessoas foram dispersadas dos locais abordados.

A ação visa dar cumprimento às medidas de prevenção e combate à Covid-19 estabelecidas por decretos do Estado e do município. O balanço do trabalho dos policiais militares, bombeiros, guardas municipais e agentes da prefeitura aponta, ainda, que nos dois dias de ações houve a lavratura de 39 autos de infração de trânsito, sete veículos recolhidos e duas pessoas encaminhadas para Termo Circunstanciado, por descumprirem os horários e determinações dos decretos referentes à Covid 19. Também houve a apreensão de 25 máquinas caça-níqueis, dinheiro e equipamentos eletrônicos.

Na quinta-feira, por volta de 19h15, as equipes abordaram uma casa de massagem no bairro Prado Velho, onde havia cerca de 80 pessoas no local. O responsável pelo estabelecimento foi autuado em R$10 mil e encaminhado para lavratura de Termo Circunstanciado. O ponto comercial foi interditado pelos agentes municipais.

O outro ponto com aglomeração foi uma boate no Parolin, por volta de 20 horas. Os policiais militares encontraram cerca de 150 pessoas sem respeitar o uso de máscara. O local também foi interditado e o responsável encaminhado para lavratura do Termo Circunstanciado. Os agentes da prefeitura aplicaram uma multa de R$40 mil ao estabelecimento.

Foto: PMPR/SESP-PR

Já no Alto da XV, ainda na quinta-feira, os policiais militares encontraram um ponto comercial com bingo e jogo de azar. Durante a abordagem foram encontradas as 25 máquinas caça-níqueis, além de dinheiro, equipamentos eletrônicos e outros objetos.

PORTAS FECHADAS – Outros pontos com aglomeração foram abordados na noite de sexta-feira. O primeiro foi no bairro Sítio Cercado, onde os policiais militares abordaram um bar que funcionava a portas fechadas e concentrava 75 pessoas. As equipes da AIFU encontraram os frequentadores sem máscara. O estabelecimento recebeu uma multa de R$40 mil pela Secretaria Municipal do Urbanismo (o local já era reincidente), mais R$5 mil pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente.

Outro ponto com aglomeração na sexta-feira foi no bairro Hauer, em uma tabacaria. Cerca de 65 pessoas estavam no local no momento da abordagem dos policiais e foi aplicada uma multa de R$50 mil ao estabelecimento.

AS informações são de Agência de Notícias do Paraná

Brasil, Curitiba, Destaques,

Bora acabar com a pobreza no Brasil?

Campanha contra pobreza toma conta das redes sociais

Um grupo de amigos de diversas cidades brasileiras tiveram a iniciativa de começar uma campanha pela regulamentação da Lei de Renda Básica da Cidadania, que foi aprovada em 2004 e até o momento não foi regulamentada.

Nestes 17 anos inúmeros programas sociais foram implementados, inclusive o governo federal está elaborando outro, mas é fato que eles não atingem a totalidade dos brasileiros em situação de pobreza.

E a Lei 10.835 garante o mínimo a cada brasileiro em situação de pobreza, ou seja, quem vive com menos de R$178.00 por mês. Em abril passado o STF definiu pela implementação da lei até 2022.

Como consequência da pandemia a pobreza que já era grande aumentou e isso mobilizou 5 brasileiros de 5 cidades diferentes a iniciar uma campanha pela regulamentação da Lei 10.835, com intuito de pressionar o governo federal pela regulamentação o mais rápido possível, Segundo Aloisio Nascimento um dos idealizadores da campanha, “A fome esta batendo a porta dos brasileiros e brasileiras 1 em cada 4 pessoas esta em situação de pobreza não podemos ficar mais parados temos que agir e a união dos brasileiros fara a diferença, e não precisamos inventar a roda pois temos um projeto aprovado minimiza este problema, agora e fazer acontecer”.

Você pode participar do abaixo assinado através do link http://WWW.CHANGE.ORG/AcabarComAPobreza, são Idealizadores desta iniciativa Aloisio Nascimento Curitiba, Mucio Botelho de Brasília, Adriana Lorocca de Recife, Ana Lara de Fortaleza e Jose Stefanello do Rio de Janeiro.

A ação uniu cinco amigos: Múcio de Brasília, Adriana de Receife, Ana de Fortaleza, João do Rio de Janeiro e Aloisio Nascimento do Paraná.

Assista o vídeo abaixo de Aloisio Nascimento

Colunistas, Coronavírus, Curitiba, Destaques, Fabio Aguayo, Paraná,

ABRABAR preocupada com confusão de festa clandestina em locais com os alvarás e licenças

Entidade contesta fechamento de festa em Curitiba, apontada como “clandestina”

A Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (ABRABA) contestou, nesta quinta-feira (15), o fechamento de uma festa no bairro Xaxim em Curitiba, sob o argumento de se tratar de um evento clandestino. O estabelecimento, com espaço para receber 700, estava com menos de 20% da capacidade.

“O local tinha licença de funcionamento”, ressaltou Fábio Aguayo, presidente da ABRABAR. “Temos que tomar cuidados com as informações, especialmente porque estes locais clandestinos vão se proliferar após a pandemia, ja que os organizadores não tem risco ou custos fixos, como um estabelecimento regular”, disse.

De acordo com reportagens veiculadas pela imprensa, aproximadamente 100 pessoas estavam na festa encerrada por equipes da Ação Integrada de Fiscalização Urbana (Aifu), composta pela Polícia Militar (PM), Guarda Municipal (GM), prefeitura e outros órgãos públicos. A medida teria sido adotada após denúncias.

De acordo com Fábio Aguayo, é importante o zelo das autoridades com a segurança da população, mas é preciso separar o joio do trigo. “Podemos sem duvidas ter no futuro uma nova tragédia tipo Boate Kiss”, disse em referência ao incêndio que matou 242 pessoas em 2013 na cidade Santa Mariana (RS).

Isso pode ocorrer uma vez que os organizadores destes tipos de eventos não tem responsabilidade civil e criminal pelo local. “Diferentemente de um estabelecimento licenciado e que tem que seguir regras, normas e exigências de prevenção e segurança, especialmente social, já que tem qe empregar com carteira assinada”.

Capacidade permitida

Em relação ao estabelecimento fechado, Aguayo reforçou que o espaço disponível é para 700 pessoas. “No local estavam 20% da capacidade, sendo 10 funcionários e o restante clientes que somavam 90. Importante ressaltar que, apesar de ter alvará, houve registro de aglomeração de pessoas sem máscara e sem distanciamento mínimo indicado”. 

“Quando os clientes estão sentados, com mesas nas distancias determinadas, não precisa usar máscara”, ressaltou o presidente da ABRABAR. Que completou: “Bom sempre lembrar também que o atual decreto de Curitiba, de bandeira amarela, libera bares sem cozinha e 50% do publico”.

Brasil, Colunistas, Curitiba, Fabio Aguayo, Paraná, Política,

Terceira via presidencial ganha força em debates promovidos pela sociedade civil

Eventos em Curitiba e São Paulo vão discutir uma alternativa nas eleições de 2022, que tenha um projeto de país e pelo país

Integrantes de movimentos que reúnem representantes de diversos segmentos sociais de todo Brasil acabam de dar o ‘start’ nos preparativos de um grande evento para debater nomes, em uma clara alternativa para o cargo de Presidente da República nas eleições de outubro de 2022. É a terceira via tão esperada pela Sociedade Civil e partidos políticos.

Os organizadores já se encontram debruçados sobre uma lista dos prováveis convidados para o ato, que será híbrido e público presencial restrito. A reunião deve ser realizada no decorrer de outubro, prazo e período que marcarão um ano para as eleições de dois turnos.

Coincidentemente, outubro será o mês em que Sergio Moro decidirá se vai disputar ou não as eleições do ano que vem. Estamos em negociações para realizar um evento semelhante em São Paulo, mas o “ponta pé” inicial ocorrerá em Curitiba e para tanto, as lideranças já estão preparando um check list com todos os itens necessários à realização.

Envolvimento

Participam desta mobilização grupos de Empresários, Médicos e Movimentos da Sociedade Civil que já manifestaram publicamente a preferência pelo nome do ex-juiz Sergio Moro para ser a Terceira Via nas próximas eleições.

A iniciativa, já contou com lançamento de banners pela internet, adesivos para veículos e outdoors espalhados por cidades pólos do país e agora busca a adesão de outros movimentos, grupos e segmentos sociais ligados ao esporte, segurança pública, direito, meio ambiente, educação, Classe Artística e Cultural, entre outros.

Um dos itens essenciais para tornar o debate muito democrático e viável nesse momento, além de buscar patrocinadores e apoiadores, que contribuirão com os custos do evento, é abrir para a comunidade Brasileira que vive no exterior e dar oportunidade de sua opinião e participação.

Curitiba, Geral,

Mulher é presa ao tentar sair de hospital em Curitiba com bebê recém-nascido e diz que iria receber R$ 10 mil

A suspeita foi detida por um segurança da instituição que a barrou no momento em que tentava sair com o bebê

Uma mulher foi presa, na noite desta segunda-feira (12), ao tentar sair do Hospital do Trabalhador, em Curitiba, com um bebê recém-nascido. Ela teria dito à polícia que iria receber R$ 10 mil para entregar a criança a outra pessoa.

A suspeita foi detida por um segurança da instituição que a barrou no momento em que tentava sair com o bebê.

O sargento Baura, da Polícia Militar, que a situação chegou à equipe através de uma ligação para o 190 e que em um primeiro momento a mulher alegou que pegou a criança para fazer um exame.

“Ao chegarmos no local, constatamos que o bebê que estava na posse dela seria de uma mãe que estava internada no hospital. Segundo informações, ela alegou que pegou a criança para fazer um exame e a mãe tinha liberado. Na tentativa de sair do hospital, a vigilante foi mais esperta e deteve ela na portaria”, relatou o sargento.

Para a polícia, a mulher teria dito que estava grávida e acabou sofrendo um aborto no dia 27 de junho, o que a abalou emocionalmente. Na bolsa da suspeita, foram encontradas roupas de criança, mamadeira, fraudas, entre outras coisas.

Posteriormente, a versão apresentada mudou. “Aos poucos ela vai falando sobre o que aconteceu e depois disse que teria recebido 10 mil reais para entregar essa criança, mas ainda será levantado se isso procede”, afirmou Baura.

A mulher foi encaminhada à Central de Flagrantes de Curitiba.

As informações são de Banda B.

Colunistas, Curitiba, Destaques, Fabio Aguayo, Paraná,

Justiça concede alvará-emergencial para casas noturnas, festas e eventos de São José dos Pinhais

Estabelecimentos poderão exercer, conforme pedido da ABRABAR, atividades como bares, restaurantes e lanchonetes

A juíza Carolina Delduque Sennes Basso, da Vara da Fazenda Pública concedeu, nesta sexta-feira (09), liminar autorizando casas noturnas, casas de festas, eventos e estabelecimentos correlatos de São José dos Pinhais a funcionarem como bares, restaurantes e lanchonetes.

A decisão atende um mandado de segurança impetrado pela Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (ABRABAR), com base no fato dos estabelecimentos possuírem alvará secundário e possam funcionar nestas modalidades.

A magistrada acolheu o argumento da advogada Vanessa Grassi, da ABRABAR, no sentido de que, se há autorização do Poder Público para que os estabelecimentos comerciais funcionem, ainda que de forma secundária, como bares, lanchonetes e restaurantes, não parece legítima a restrição total das atividades comerciais em virtude da pandemia de COVID-19.

A entidade classista lembrou ainda, no mandado, a vigência de decreto estadual permitindo que bares, lanchonetes e restaurantes funcionem, ainda que com limitações de horário, capacidade, forma de atendimento e, etc., sob pena de violação do princípio da proporcionalidade.