Browsing Category

Política

Leia as últimas notícias sobre Política no CabezaNews, site de informação com reportagens exclusivas, fotos, vídeos e conteúdos sobre Foz do Iguaçu e sobre o Paraná.

O CabezaNews leva ao público notícias de utilidade pública, curiosidades, turismo, lazer, cultura. Sobretudo com um olhar voltado para a região da tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina.

Em Foz, nossa cobertura foca os principais acontecimentos da cidade, incluindo eleições 2020, o avanço da pandemia do novo coronavírus, as ações da Itaipu Binacional, bem como a administração do prefeito Chico Brasileiro.

O site não deixa de lado o que acontece no restante do estado do Paraná. Notas exclusivas dos bastidores da política, da Assembleia Legislativa, ações do governo do Paraná e da administração Ratinho Júnior. Assim como as principais notícias nacionais.

O CabezaNews é editado por Ronildo Pimentel, jornalista com mais de 30 anos de atuação em jornalismo impresso e digital.

Paraná, Política,

Covid-19: com piora no quadro clínico, vereador de Curitiba, Cristiano Santos, precisa ser entubado

O vereador e apresentador Cristiano Santos (PV) foi entubado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Vita, em Curitiba, neste final de semana, após piora no quadro clínico da Covid-19.

De acordo com assessoria de imprensa do parlamentar, a equipe médica optou pela utilização do ventilador mecânico para preservar desgastes dos músculos do sistema respiratório.

A confirmação do diagnóstico do novo coronavírus foi realizado na última segunda-feira (16), depois que Cristiano Santos, de 40 anos, apresentou dores de cabeça e perda do paladar.

Em seguida, ele começou o tratamento em casa e se afastou das funções da CMC (Câmara Municipal de Curitiba) e da apresentação do programa Bora Paraná, da Band Paraná.

Depois de uma piora no quadro, ele foi internado na última sexta-feira (20). Porém, no final de semana ele apresentou uma piora e a equipe médica optou entubar o vereador.

Veja o comunicado nas redes sociais.

Por: Paraná Portal

Destaques, Eleições 2020 em Foz do Iguaçu, Política,

Adnan quer juro zero para MEIs e pequenas e médias empresas na área industrial de Foz do Iguaçu

O apoio aos pequenos e micros empresários será uma das bandeiras de Adnan El Sayed (PSD) em seu primeiro mandato na Câmara de Foz do Iguaçu. Em entrevista ao GDia, o vereador eleito disse que vai defender o juro zero para Microempreendedores Individuais (MEIs) e pequenas e médias empresas na área industrial. Ele defende quatro assessores por gabinete, que de fato trabalhem em favor da população.

Natural de São Paulo (SP), Adnan tem 37 anos, é casado, mestre em Economia e professor universitário, atua como empresário e recebeu 1.920 votos em 15 de novembro. Sobre a eleição deste ano, disse que foi um pleito atípico em função do grande número de candidatos (aproximadamente 360) com menor concentração de votos e a renovação dos eleitos.

“As mídias sociais foram importantes, mas não decisivas ainda”, disse. De acordo com ele, as pessoas estão cansadas de uma política que não debate intensamente o interesse público em primeiro lugar. “Estou animado com a possibilidade de poder trabalhar pela cidade e mostrar que é possível fazer política de forma comprometida, transparente e participativa”.

Sobre o caminho para chegar ao primeiro mandato, Adnan listou três fatores que contribuíram. “A primeira é que faço parte de uma comunidade que tem um peso político eleitoral, em termos de número de votos e a minha inserção dentro da minha comunidade é boa. Então me permitiu pelo menos 50% dos votos”. 

Em segundo e terceiro lugares estão o fato de ele ter um trabalho anterior a campanha com projetos sociais e fortalecimento de lideranças nas comunidades e nos bairros. “Isso permitiu que na campanha a gente tivesse fácil acesso as pessoas e pudesse conversar olho no olho”. Por fim, que a população está cansada de uma política que não as representa e buscou a renovação.

Comprometimento

As novas regras eleitorais (este ano, as coligações proporcionais foram extintas) contribuíram para a renovação na Câmara de Foz (de 15 vereadores, apenas dois se reelegeram). “Acho que essa renovação é uma mensagem da população e o que vai representar em termos de resultado vai depender muito de como esses vereadores vão se comportar esses quatro anos”, disse.

Os que entraram, afirma Adnan, terão que estar comprometidos dentro dessa renovação, de fazer uma política transparente que não mede esforços para contribuir para o desenvolvimento cultural, social e econômico da cidade. É preciso que todos entendam a necessidade de atuarem em conjunto para garantir as mudanças que a população espera. “Vai depender muito de como esses atores vão se organizar e articular”, disse.

Expectativa

A população pode esperar um mandato incansável na busca de servir ao povo, das melhores alternativas no desenvolvimento econômico e ampliar oportunidades na educação, cultura e esporte. O vereador eleito vai trabalhar na questão das crianças, jovens e adolescentes e monitorar cada servidor público municipal, “desde os postos de saúde, até as grandes decisões de cada secretaria”.

“Além disso, também podem esperar um mandato participativo. Esse é um dos grandes compromissos meus que vou manter até o final, porque faz parte do meu princípio”. O vereador tem que estar conectado com as bases, com as comunidades para poder entender as suas demandas e leva-las ao poder público, afirma.

Sobre o governo Chico Brasileiro (PSD), Adnan lembra que defendeu o voto no prefeito. “Acredito que é necessário mais quatro anos para completar o seu ciclo e dar continuidade no trabalho que já começou, que é excelente. No entanto, falta muito a ser feito, mas estou com uma boa expectativa em relação a esse governo”.

Por: GDia

Foz do Iguaçu, Política,

Bancos e cooperativas de crédito deverão ter vigilância armada 24h

Os vereadores aprovaram o Projeto de lei 90/2020, de autoria da vereadora Inês Weizemann (PL), que dispõe sobre a obrigatoriedade de as instituições bancárias públicas ou privadas e as cooperativas de crédito localizadas no Município de contratar vigilância armada para atuar 24h por dia, inclusive em finais de semana e feriados.

A vereadora Inês Weizemann (PL) afirmou que “a partir do momento que você entra na agência está exposto a qualquer risco. Nós moramos em cidade turística, então precisamos oferecer essa segurança para população e para os turistas”. O relator do projeto na Comissão de Legislação, vereador Rudinei de Moura (Patriota), declarou que ficou muito feliz em poder fazer parte por entender a necessidade de maior segurança nos estabelecimentos. O vereador Celino Fertrin (Podemos) destacou que “o turista vem de outros locais e estão acostumados a utilizar o banco 24h que não funciona a partir das 22h porque não tem segurança.

Aplicação da norma

Segundo o projeto, os vigilantes que prestam serviço devem permanecer no interior da instituição bancária ou da cooperativa de crédito, em local que possam se proteger durante a jornada de trabalho e dispor de dispositivo de alerta e terminal telefônico para acionar rapidamente a polícia. Também deve dispor de acionamento de sirene no lado externo do estabelecimento para chamar atenção de transeuntes e afastar delinquentes.

O descumprimento da lei sujeitará o infrator as seguintes sanções: advertência, aplicada na primeira incidência, devendo infrator sanar a irregularidade em até 10 dias úteis; multa de 200 unidades fiscais (atualmente R$ 17.416,00), aplicada em reincidência, devendo infrator sanar a irregularidade em até 30 dias úteis; multa de 400 unidades fiscais (atualmente R$ 34.832,00), aplicada em caso de haver decorrido prazo e não ter sido sanada a irregularidade, devendo se regularizar em 30 dias úteis.

A outra penalidade é interdição do estabelecimento, aplicada em caso de haver decorrido prazo e não ter sido sanada a irregularidade. Após aprovação legislativa, o projeto será encaminhado para sanção do Executivo e, após publicação da lei em diário oficial, as instituições terão 90 dias, contados da data de publicação da lei para adequações.

Paraná, Política,

Análise: A grande vitória de Marcelo Cattani

“O jornalista e publicitário Marcelo Cattani venceu mais uma eleição em Ponta Grossa. Após a reeleição do prefeito Marcelo Rangel (PSDB) em 2016 – quando assumiu a campanha Rangel estava em terceiro colocado –, Cattani contribuiu desde o primeiro turno na campanha da Professora Elizabeth (PSD) – de quem é amigo pessoal da prefeita eleita e da sua família –, se instalando na cidade no segundo turno.

Cattani chegou mudando tudo, mesmo com oposição interna enfrentando o mau-humor do secretário municipal de Governo, Fabrízio Busato – vulgo “Xixo”, e a visão de marketing ultrapassada do presidente da Fundação Municipal de Cultura, Fernando Durante, que pareciam estar alinhados com os adversários, de tanto problema e estrago que causaram na campanha. Em perfeita sintonia com a candidata a prefeita e a conexão direta com o prefeito Marcelo Rangel, o secretário de Infraestrutura do Paraná, Sandro Alex, e com ‘carta branca’ do governador Ratinho Júnior (PSD), e do chefe da Casa Civil, Guto Silva, o trabalho de Cattani foi decisivo para corrigir os erros e superar a diferença de Mabel Canto neste segundo turno. Sempre confiante na vitória, monitorando os números em pesquisas internas, Cattani passou a segurança necessária para Professora Elizabeth, a sua família e o seu grupo.”

Fonte: Blog do Johnny

Destaques, Foz do Iguaçu, Geral, Política,

Bolsonaro volta a Foz do Iguaçu na terça-feira (1º/12). Agenda prevê um encontro com presidente do Paraguai

Detalhes da agenda ainda não foram divulgados

O presidente Jair Bolsonaro tem agenda no Paraná na próxima terça-feira, 1º de dezembro.

Está prevista a visita a Foz do Iguaçu, onde haverá um ato público no Marco das Três Fronteiras. Também é aguardada a presença do presidente Mario Abdo Benitez, do Paraguai.

Detalhes da agenda ainda não foram divulgados.

Em Cascavel

No mesmo dia haverá a inauguração do Terminal do Aeroporto de Cascavel. A informação, no entanto, é que Bolsonaro não deve vir à cidade de Cascavel. Apenas um representante do Ministro da Infraestrutura, que participará da inauguração aqui, usará o mesmo voo. O ministro viria mas foi confirmado com Covid-19.

Por: CGN

Brasil, Política,

Políticos eleitos este ano tem que ser diplomados até dia 18 de dezembro

Os prefeitos vice-prefeitos e vereadores eleitos e reeleitos em 15 de novembro têm que ser diplomados pela Justiça Eleitoral até 18 de dezembro. O TRE produziu uma cartilha que contém uma série de dicas para auxiliar os juízes e chefes de cartório para a cerimônia de diplomação.

O manual oferece sugestões sobre a composição de mesas de autoridades e um modelo de roteiro para a cerimônia, que pode ser realizada pelo próprio juiz eleitoral ou com ajuda de um mestre de cerimônias. Além disso, apresenta sugestões para a realização do evento no formato presencial ou on-line através do Zoom e o Google Meets.

Destaques, Eleições 2020 em Foz do Iguaçu, Política,

A renovação refletiu vontade do eleitor, que é quem decide, diz Rogério Quadros

O vereador Rogério Jorge dos Santos Ferreira de Quadros (PTB) recebeu, no último dia 15 de novembro, 1.699 votos e garantiu a reeleição para o segundo mandato na Câmara de Foz do Iguaçu. De um total de 15 parlamentares, apenas ele e outra colega conseguiram o feito de “voltar das urnas” este ano. A renovação, acima de 87%, refletiu a vontade do eleitor, que é quem decide, afirmou em entrevista ao GDia.

Natural de Foz do Iguaçu, Rogério Quadros chegou ao primeiro mandato em 2016 com 2.010 votos pelo mesmo partido. Ele já havia disputado o cargo em duas oportunidades (2008 e 2012) e, nos dois primeiros anos de atuação, se elegeu presidente do poder legislativo (2017/2018). O parlamentar é policial civil, formado em Direito com especializações em Segurança Pública e já atuou na Promotoria de Investigação Criminal e no Gaeco.

Sobre a reeleição, Rogério disse que esta é sempre mais difícil. “Até porque o eleitor cobra quais foram as ações desenvolvidas no mandato. Mas acreditamos que desenvolvemos um bom mandato, atendendo as necessidades de nossa população, e com isso nos deram mais uma oportunidade para continuar”, ressaltou.

O fator que mais contribuiu para receber um segundo mandato, na avaliação do parlamentar, foi o reconhecimento do trabalho desenvolvido. “Por outro lado, o número elevado de candidatos, acredito que tenha sido a maior dificuldade na campanha”, disse. Este ano, aproximadamente 360 disputaram as 15 cadeiras do legislativo iguaçuenses – 24 por vaga.

Vontade do eleitor

De acordo com Rogério, a primeira eleição sem as coligações proporcionais acrescentou um fator novo este ano, que também refletiu na renovação expressiva da Casa de Leis. “Com certeza foi um dos fatores que contribuíram. Mas a renovação contou muito com a vontade do eleitor pela renovação. É o eleitor que determina esta mudança”.

O parlamentar reeleito disse que a população de Foz do Iguaçu pode esperar “e ter certeza” que será um mandato em favor do cidadão, buscando atender a todos. “(Será) um mandato popular e participativo, e estaremos ao lado do executivo nos temas que atendem a nossa população”, frisou.

Pandemia

A experiência dos quatro anos do atual mandato, vai contribuir para uma boa atuação na próxima legislatura, que será bastante atípica. “Teremos agora uma tarefa difícil em virtude da pandemia. Vamos buscar o restabelecimento do crescimento econômico e olhar com uma atenção ao setor turístico, pois é o pilar de nossa economia”.

Em relação ao número de assessores (cada parlamentar tem quatro), Rogério Quadros disse que os mesmos são importantes para o desempenho das funções do vereador. “Nossa cidade é grande, não podemos tratar de qualquer maneira, e sem uma equipe dando o suporte ao vereador fica difícil atender a nossa população”.

Sobre os gastos do legislativo, Rogério lembra quando foi presidente da Casa. “Conseguimos economizar aos cofres públicos mais de R$ 8 milhões, e a cada gasto teremos que analisar, pesquisar, e verificar se há necessidades”, frisou.

Este ano, em função da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), Foz do Iguaçu entrou numa das maiores crises econômicas de sua história. Indagado se tem um projeto para ajudar na retomada econômica, o parlamentar disse que é preciso “buscar entendimentos entre o executivo e os atores envolvidos com o turismo, para fomentar o mais rápido possível. Isso, neste momento, é o primordial”, completou.

Por: GDia

Destaques, Foz do Iguaçu, Política,

Sociedade civil pede a vereadores eleitos gestão atuante e construtiva

Fiscalização, transparência e desenvolvimento pautaram a reunião nesta quinta-feira, 26, com representantes na Câmara Municipal na próxima legislatura.

Membros de organizações da sociedade civil se reuniram, nesta quinta-feira, 26, com vereadores eleitos em Foz do Iguaçu no pleito deste ano. O objetivo foi apresentar o trabalho desenvolvido pelas entidades nas áreas de controle social e desenvolvimento e ampliar o diálogo com os novos representantes da população no Legislativo.

Os vereadores eleitos receberam dos dirigentes das instituições o pedido de uma legislatura atuante e construtiva. Foi enfatizada a função fiscalizadora que deve guiar a Câmara Municipal, a importância da transparência nas instâncias públicas e a necessidade de um trabalho conjunto pelo desenvolvimento do município.

Compareceram ao evento os vereadores eleitos Admilson Galhardo (Republicanos), Adnan El Sayed (PSD), Alex Meyer (PP), Anice (PL), Edivaldo Alcantara (PTB), Jairo Cardoso (DEM), Kalito Stoeckl (PSD), Ney Patrício (PSD), Protetora Carol (PP), Rogério Quadros (PTB) e Yasmin Hachem (MDB). Justificaram a ausência o Cabo Cassol (Podemos), Dr. Freitas (PSD), João Morales (DEM) e Maninho (PSC).

Cada representante na Casa de Leis, a partir do ano que vem, pôde explicar como pretenderá exercer seu mandato. Da equipe do Observatório Social do Brasil – Foz (OSB-FI), Thyago Klipe expôs o trabalho de controle social da entidade. Programa de retomada econômica, o Acelera Foz foi apresentado pelo consultor do Sebrae Marcelo Padilha.

“Nosso propósito é enfocar ações propositivas. Podemos trabalhar juntos em uma série de ações, pois uma má gestão pesa tanto quanto a corrupção aos cofres públicos”, sublinhou o presidente do Observatório Social, Danilo Vendruscolo. “Lançamos o desafio aos vereadores eleitos para melhorarmos a posição da nossa cidade no ranking da transparência”, destacou.

Foi enfatizada a função fiscalizadora que deve guiar a Câmara Municipal (Foto: Marcos Labanca)

Diálogo entre entidades e vereadores

O presidente da Associação Comercial e Empresarial (ACIFI), Faisal Ismail, explicou que foi realizada uma demonstração das ferramentas com as quais a sociedade civil trabalha, mostrando como cada vereador pode contribuir. “Sem uma Câmara atuante junto conosco, a cidade não se desenvolve. Queremos uma legislatura propositiva, atuante e construtiva”, enfatizou.

O presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (Codefoz), Mario Camargo, disse aos integrantes da próxima legislatura que o papel do conselho é fortalecer o diálogo com as autoridades públicas. “Essa aproximação é para que os vereadores conheçam o trabalho das entidades. Todos nós temos o compromisso de trabalhar em conjunto pelo futuro de Foz do Iguaçu”, asseverou.

Parceria

A mais votada nas eleições municipais, a vereadora eleita Protetora Carol afirmou que legislará com conselhos e instâncias de controle social. “Eu e meu gabinete estaremos sempre de prontidão para receber sugestões e estabelecer parcerias. Espero que, cada qual na sua esfera, sermos dignos da representação popular que nos foi confiada”, pontuou.

Vereador eleito mais votado, Kalito Stoeckl garantiu que as organizações da sociedade civil poderão contar com seu mandato para ações e projetos. “As entidades são nossas parceiras, pois os objetivos são os mesmos.” Ele citou que pretende desenvolver a legislação municipal sobre compliance, que prevê boas práticas de gestão pública.

Presenças

Também participaram da reunião o vice-reitor da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), Luis Evelio Garcia Acevedo; o presidente do Conselho Superior da ACIFI, Valter Venson; o vice-presidente do Codefoz e presidente do Visit Iguassu, Felipe Gonzalez; o secretário do Codefoz, Coronel Jorge Áureo; o consultor do Sebrae Paraná Marcelo Padilha; e o ex-presidente da ACIFI e do Codefoz Roni Temp.

Representantes do Codefoz, Observatório Social e ACIFI coordenaram a reunião (Foto: Marcos Labanca)

(Codefoz / ACIFI)

Economia, Política,

Apesar da crise pandêmica, Paraná continua criando empregos, diz Romanelli

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) disse nesta sexta-feira, 27, que, apesar da crise provocada pelo coronavírus, o Paraná continua a abrir novas vagas para o mercado de trabalho, em vários setores. Desde o início das primeiras medidas de combate a covid-19, Romanelli tem acompanhado os dados divulgados pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados).

“Em março, abril e maio, quando foram adotadas as primeiras medidas de combate à pandemia, o Paraná teve saldo negativo na geração de emprego. Com as iniciativas propostas e aprovadas pela Assembleia Legislativa em apoio ao governo, o estado conseguiu recuperar a perda da mão de obra e, pelo quinto mês consecutivo, temos saldo positivo de geração de empregos”, disse o deputado.

De acordo com o Caged, outubro foi o mês em que o Paraná teve melhor desempenho com um saldo de 33.008 empregos criados, o terceiro melhor resultado do país. No acumulado do ano, o saldo é de 33.615 novos empregos, segundo melhor indicador do Brasil. “Esses números apontam para a recuperação da economia e mostra que o setor produtivo paranaense está gradativamente retomando o ritmo de produção e vamos ter um fim de ano com resultados ainda melhores”, estima Romanelli.

Mão de obra — O setor de serviços foi o que mais contratou em outubro, segundo os dados anunciados. Foram 12.391 novas contratações. Na sequência vem o comércio (9.423), indústria (8.452) e construção civil (3.074). Na avaliação do deputado, atividades das áreas de informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas, que está enquadrada no setor de serviços, são os que mais se destacaram com a abertura de 8.895 novas vagas carteiras assinadas.

Romanelli lembra que está em análise na Assembleia Legislativa, proposta que prevê a expansão do benefício fiscal de ICMS para empresas dos setores de informática, telecomunicações e eletroeletrônicos instaladas em Cornélio Procópio e em mais nove cidades paranaenses. “A ideia é aumentar a competitividade dos municípios, estimular a criação de empregos, aumento de renda e a inovação. O benefício fiscal está relacionado à existência de unidades da Universidade Federal Tecnológica do Paraná”, explica.

Em outubro, os municípios paranaense que mais geraram emprego com carteira assinada foram Curitiba (11.704), Ponta Grossa (1.771), Maringá (1.413), Londrina (1.256), Cascavel (929), Foz do Iguaçu (723), Toledo (597), São José dos Pinhais (546), Pinhais (504) e Apucarana (502).

Destaques, Eleições 2020 em Foz do Iguaçu, Política,

Kalito defende sessões a noite para aproximar a Câmara da população de Foz do Iguaçu

A realização de sessões no período noturno (hoje elas são realizadas pela manhã, a partir as 9h), pode garantir uma maior participação da população de Foz do Iguaçu no dia a dia da Câmara Municipal. A avaliação é de Karl Stoeckl, o Kalito (PSD), eleito vereador em 15 de novembro último com 2.011 votos. Em entrevista ao GDia, ele falou de temas diversos e da trajetória para chegar ao primeiro mandato no legislativo.

Em 2020, Kalito disputou pela segunda vez uma cadeira na Câmara de Vereadores – em 2016, recebeu 1.346 votos, ficando bem próximo da vaga. Ele é natural de Foz do Iguaçu, formado em Administração pela Unifoz, tem 43 anos, casado e pai de dois filhos e atua como professor em universidades do município.

De acordo com Kalito, a eleição deste ano foi completamente diferente. “Já havia concorrido em 2016, e realmente esse ano foi difícil. Difícil não, mas foi diferente”, afirma. A maior dificuldade foi devido a pandemia, “de fazer grandes reuniões com muitas pessoas. Evitávamos isso durante toda a campanha”, afirmou.

A solução foi realizar reuniões menores, as vezes com quatro a cinco pessoas. “No fim das contas você tinha que fazer de seis a oito reuniões em uma noite, fora as da manhã e da tarde. Por outro lado, o que era uma dificuldade, foi interessante também, porque com reuniões menores, você tem uma proximidade maior com o eleitor, pode conversar mais de perto, acaba escutando mais do que fala”.

Kalito acredita que a renovação da Câmara (apenas dois vereadores se reelegeram) não teve muita influência devido o fim das coligações proporcionais. “Te falo isso, por exemplo, o PSD que elegeu quatro vereadores, na eleição passada já havia feito chapa pura, sem coligação, com 23 candidatos do partido”. 

A renovação da Câmara, afirma, é mais um recado da sociedade, não contra o vereador A, B ou C, mas especialmente contra a forma atual de fazer política, de ver a política. “Acho que esse é o recado das urnas e cabe a nós, cada vereador eleito, interpretar, analisar e tirar as conclusões desse recado, desses números”.

Conhecimento

Apesar de estar no primeiro mandato, Kalito ressalta que conhece bem a gestão Chico Brasileiro (PSD) e a forma dele fazer política e governar, já que foi Chefe de Gabinete por três anos. “Então, isso ai já me deixa muito tranquilo sobre a atuação do prefeito e principalmente sobre o relacionamento dele com o poder legislativo. Estou bem tranquilo quanto a isso”, disse.

Kalito afirmou que entende que a principal função do vereador é fiscalizar o executivo, mas que pretende focar em outras ações como vereador. “Tem algumas bandeiras que realmente defendo, até porque trabalhei com isso, quando era Chefe de Gabinete e uma delas é a mobilidade urbana”.

O vereador eleito lembra que foi presidente da comissão que constituiu o plano de mobilidade de Foz. “E a questão da transparência, do compliance que também tive a oportunidade de ser o presidente da comissão que mandou essa lei para a Câmara”, frisou.

Por: GDia