Browsing Category

Política

Leia as últimas notícias sobre Política no CabezaNews, site de informação com reportagens exclusivas, fotos, vídeos e conteúdos sobre Foz do Iguaçu e sobre o Paraná.

O CabezaNews leva ao público notícias de utilidade pública, curiosidades, turismo, lazer, cultura. Sobretudo com um olhar voltado para a região da tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina.

Em Foz, nossa cobertura foca os principais acontecimentos da cidade, incluindo eleições 2020, o avanço da pandemia do novo coronavírus, as ações da Itaipu Binacional, bem como a administração do prefeito Chico Brasileiro.

O site não deixa de lado o que acontece no restante do estado do Paraná. Notas exclusivas dos bastidores da política, da Assembleia Legislativa, ações do governo do Paraná e da administração Ratinho Júnior. Assim como as principais notícias nacionais.

O CabezaNews é editado por Ronildo Pimentel, jornalista com mais de 30 anos de atuação em jornalismo impresso e digital.

Geral, Paraná, Política,

PSB do Paraná tem compromisso com Ratinho Junior, diz Romanelli

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) reafirmou nesta segunda-feira, 6, que seu partido tem compromisso de apoiar a reeleição do governador Ratinho Junior (PSD) nas eleições de 2 de outubro de 2022. Segundo ele, a posição é de conhecimento da direção nacional da legenda, que aprovou a aliança.

“Estivemos em Brasília e com a aprovação da direção nacional, estabelecemos que vamos estar juntos em 2022”, disse Romanelli. “Entendo que o caminho natural agora é trabalhar pela reeleição do governador Ratinho Junior. O projeto que ele propôs está sendo executado. É uma pessoa que tem o pé no chão e dialoga com todos. Acho que esse é o momento do Estado”.

Segundo Romanelli, o diretório estadual do PSB deve se posicionar contra a participação do partido na chamada federação partidária, que uniria várias siglas e todos teriam que respeitar decisões verticalizadas. “A federação partidária criaria um problema objetivo em relação a esse entendimento que tivemos no Paraná”, entende o deputado. “Eu vou me manifestar contra”.

Alckmin – O deputado também falou sobre a possibilidade do ex-governador paulista Geraldo Alckmin se filiar ao PSB e concorrer como vice na chapa de Lula à presidência da República. “Gosto muito da ideia de trazê-lo. Essa aliança é polêmica, mas ela dá um sinal muito interessante da construção de um governo de centro-esquerda”, avalia Romanelli. “O Brasil precisa ter pessoas com capacidade de diálogo e interlocução”.

Segundo Romanelli, a tendência da política mundial é a construção de alianças que permitam estabelecer consensos. “Os países caminham para governos mais de centro, onde se busca construir consensos e é necessário que nós façamos isso”, entende ele. “Num outro plano, nós já percebemos que a extrema direita não deu certo nem no Brasil e nem no mundo”.

Moro – Na entrevista para a rádio Jovem Pan, Romanelli também comentou a entrada do ex-juiz Sérgio Moro na disputa eleitoral. “A candidatura do Moro desestabilizou o cenário político e eu já falava isso há muito tempo”, pontuou o deputado. “Acho que o Moro é um fato novo na política, que pode tirar o Bolsonaro do segundo turno. Isso se o ex-presidente Lula não ganhar eleição ainda no primeiro turno”.

Geral, Paraná, Política,

Sergio Moro encontra Pedro Simon

O ex-juiz e pré-candidato à presidência da República, Sergio Moro (Podemos), cumpriu agenda neste sábado (04) em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Em um dos eventos encontrou o ex-senador Pedro Simon, uma das principais lideranças políticas do Estado e do Brasil.

“Encontrei em Porto Alegre o Senador Pedro Simon, um gigante da política brasileira”, disse Moro, ao registrar o encontro em uma rede social.

“Temos a responsabilidade de prosseguir na construção de nossa República, ouvindo conselhos de quem tem sabedoria e experiência”, completou o ex-juiz.

Pedro Simon aproveitou o encontro para garantir um exemplar de “Contra o Sistema da Corrupção”, livro lançado por Sergio Moro no último dia 2 de dezembro em Curitiba.

O ex-juiz foi até o Rio Grande do Sul para um encontro do governador Eduardo Leite (PSDB), no Palácio Piratini. Na pauta, discutiram sobre o futuro do país “longe do passado de corrupção e sem autoritarismo, inflação, pobreza e desemprego”, informou o governador nas redes sociais.

Foz do Iguaçu, Geral, Política,

Cida Borghetti receberá título de cidadã honorária de Foz do Iguaçu

A ex-governadora do Paraná e conselheira da Itaipu Binacional, Cida Borghetti, receberá o título de cidadã honorária de Foz do Iguaçu no dia 20 de dezembro. A homenagem foi proposta pelo vereador Alex Meyer (PP) e está marcada para as 9 horas no plenário da Câmara Municipal.

Cida Borghetti foi uma das principais articuladoras da construção da segunda ponte entre o Brasil e o Paraguai. Quando Governadora, a primeira agenda de Cida, em Abril de 2018, foi uma reunião com o então presidente Michel Temer, em Foz do Iguaçu, para tratar da ponte.

Na seqüência, viajou ao Paraguai para debater a obra com o presidente Mario Abdo Benítez e sua equipe. Também articulou a construção com as diretorias da Itaipu Binacional do lado brasileiro e do lado paraguaio. Em dezembro de 2018, os dois países assinaram o acordo para a histórica obra, que foi iniciada logo nos primeiros meses de 2019.

INVESTIMENTOS – Cida também articulou junto ao governo federal, à Camara e a Itaipu Binacional os recursos para a ampliação e melhorias no aeroporto internacional de Foz.

A ex-governadora ainda iniciou as obras de construção do viaduto do cruzamento da BR-277 e a avenida Costa e Silva em Foz do Iguaçu, uma das maiores demandas da região. Foram investidos mais de R$ 15 milhões na obra, concluída no fim de 2019.

E assegurou suporte financeiro para ampliar o atendimento de saúde em Foz do Iguaçu, em especial, para o funcionamento do Hospital Municipal Padre Germano Lauck.

A governadora assinou parceria com a prefeitura para a construção de um condomínio do idoso na cidade. Iniciou a instalação do colégio militar de Foz.

Colocou um helicóptero exclusivo do Estado para ajudar na segurança da região. E trabalhou pelo fortalecimento da parceria com o Exército para a instalação do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron) na fronteira do Paraná com o Paraguai e a Argentina.

Foz do Iguaçu, Paraná, Política,

Caravana Requião chega a Foz do Iguaçu na próxima quinta-feira, 09/12

Evento promete reunir lideranças de diferentes partidos políticos de toda região, movimentos sociais e sindicais

A Caravana Requião realiza seu décimo encontro na cidade de Foz do Iguaçu, na próxima semana, dia 09 de Dezembro, quinta-feira, às 19h30, na Sindhotéis.

O movimento plural e suprapartidário que pretende apoiar a candidatura de Roberto Requião ao Governo do Paraná contará com a presença de lideranças de diversos partidos políticos, movimentos sociais e sindicais. A Caravana está percorrendo todas as regiões do estado, buscando ouvir a população e somar forças para a reconstrução do Paraná.

O ex-senador Roberto Requião convida a todos e todas para o encontro. “É momento de união, por isso convidamos a todos, independentemente do partido político, para que venham conosco nessa importante jornada, e estabelecermos desde já uma frente ampla, vigorosa de coalisão, e que possa trazer de novo a esperança para retomar os rumos do nosso Paraná.”

O evento é aberto ao público e Requião atenderá a imprensa local às 19h.

SERVIÇO:

Caravana Requião em Foz do Iguaçu
Data: 09 de Dezembro – Quinta-feiraHorário: 19h30
Local: SINDHOTÉIS (Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Foz do Iguaçu) – Al. Cecília Meireles, 637 – Jardim Central
Contato para entrevistas com Roberto Requião: (41) 99977-6086

Foz do Iguaçu, Paraná, Política,

Câmara de Foz trabalhou intensamente proposições em prol das mulheres iguaçuenses

Pauta legislativa contemplou: combate à violência; incentivo ao emprego, qualificação e luta contra pobreza menstrual

A Câmara de Foz apresentou e aprovou diversas proposições no sentido de agir em prol das mulheres e contra toda forma de violência ou opressão. Um dos projetos, que se transformou em lei municipal (5.034/2021), autorizou o Executivo a outorgar imóvel à Casa Recomeçar, que ajuda mulheres em situação de dependência química.

O Legislativo também propôs, via Projeto de Lei nº 120/2021, política de atendimento especial às mães de bebês natimortos. Outro engajamento da Casa foi na campanha contra a pobreza menstrual, que resultou em um projeto de lei (101/2021) versando sobre fornecimento gratuito de absorventes higiênicos.

Com objetivo de apoiar vítimas de violência doméstica, outro projeto incentiva geração de emprego para essas mulheres. No mesmo caminho, a Câmara também foi responsável pela criação e aprovação da Lei nº 5.028/2021, que proíbe nomeação de condenados pela Lei Maria da Penha em cargos públicos. Outra matéria legislativa quer estimular a participação feminina nas decisões que impactam na rotina do município.

Banir as práticas nefastas de abuso e assédio sexual no ambiente de trabalho – tema de debate realizado no Dia Internacional da Mulher, da mesma forma foi pauta de projeto que se converteu em lei (4.991/2021).

Geral, Paraná, Política,

Moro defende seu legado como juiz, parte ao ataque e diz que a população é que vai decidir

O ex-juiz federal e pré-candidato a presidente da República, Sergio Moro, lança nesta quinta-feira (02) em Curitiba seu livro autobiográfico “Sergio Moro — contra o sistema de corrupção”. Em uma longa entrevista ao Jornal da Manhã Paraná, da Joven Pan, ele defendeu seu legado no comando da Operação Lava Jato, partiu para o ataque aos principais adversários, o ex-presidente Lula (PT) e o atual Jair Bolsonaro (PL) e disse que, quem vai decidir é a população.

Recém-filiado ao Podemos, Moro declarou que não se considera uma terceira via na corrida presidencial. “Eu odeio esse termo ‘terceira via’. Parece que o eleitor ou tem que escolher Bolsonaro ou Lula, daí eventualmente aparece alguém”, explicou. De acordo com ele, o eleitor terá outras opções, entre elas o projeto do seu partido, que deverá percorrer o Brasil para identificar problemas e corrigi-los durante a gestão.

“O eleitor ano que vem vai ter várias alternativas para escolher. Coloquei meu projeto a frente, que é o projeto do Podemos. A ideia é termos um pacto político, construído com outros partidos para a retomada do crescimento, fomento do emprego, controle da inflação, responsabilidade fiscal, combate a corrupção e erradicação da pobreza”, ressaltou.

O ex-juiz lembrou que o combate à corrupção é apontada como principais pautas de Sergio Moro. “O eleitor deve se perguntar, se ele acha o combate à corrupção importante. Ele é importante, claro que temos vários outros temas, educação, saúde, segurança pública… mas o combate à corrupção é importante tanto para prevenir desvios, para sobrar mais recursos para essas finalidades, igualmente para que o país possa avançar”.

“Se alguém me disser que existe algum país que se desenvolveu, que prosperou, baseando a governança em corrupção, eu pago 1 milhão de dólares”. Sobre o tema, Moro aproveitou para comentar dos candidatos do PT e do PL e declarou que será difícil de os políticos usarem o combate à corrupção como pauta das suas campanhas.

“Um teve o governo no qual os dois maiores escândalos de corrupção surgiram. Você vai imaginar que o candidato do PT vai defender o combate à corrupção? Não tem nem como ele falar sobre esse tema. Ele não tem legitimidade ou credibilidade para falar sobre esse tema”, disse. “O próprio PL esteve envolvido no escândalo Mensalão, juntamente com o PT”.

As críticas a Bolsonaro foram também em relação ao modo de gestão. Moro revelou que o governo não possui plano de gestão e utiliza de “gambiarras” para tentar enganar o povo. “Como o governo não tem o que fazer, fica mudando o nome das coisas (em relação a projetos sociais e programas). Ele vai tentando enganar as pessoas como se ele tivesse algum projeto, algum plano real”.

Bolsonaro comemorou

O ex-juiz revelou detalhes sobre o fim da execução em 2ª instância. De acordo com ele, Bolsonaro não ajudou a manter a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) e comemorou quando a revisão permitiu a soltura de Lula. “O presidente não fez nada. E na verdade, o que a gente sabia, é que o Planalto, o presidente comemorou quando Lula foi solto, em 2019”, disse.

Na avaliação de Moro, isso ocorreu por que Bolsonaro avaliou que isso o beneficiaria eleitoralmente. “Então, ele não trabalhou para manter a execução em 2ª Instância. Inclusive na época, o filho dele fez um tweet falando sobre execução e o presidente mandou apagar. Foi um episódio constrangedor”, contou.

A execução em 2ª instância foi aprovada em 2016, com o objetivo de diminuir a impunidade de crimes em geral. Entretanto, em 2019, a decisão foi revista e o STF decidiu pelo fim da prisão em 2ª instância. “Respeito o Supremo, mas foi uma decisão errada”, comentou Moro.

Renda lícita

Sobre o ingresso ao Podemos, onde terá um salário, Moro disse que não enriqueceu na vida pública e precisa de uma maneira de ganhar dinheiro de forma lícita para manter as próprias despesas. “É muito simples isso. Eu sempre tive o meu salário, tenho uma família, sou casado há 22 anos, tenho os meus filhos”.

“Tenho que sustentar a minha família, embora a minha esposa também trabalhe… às vezes até ganhou bem mais do que eu durante a minha carreira pública. Eu tenho que ter um meio de subsistência”, justificou.

Armas

Ao ser indagado sobre o uso de armas pela população civil, o ex-juiz disse que é favorável à flexibilização, mas em casos específicos, caso o cidadão tenha aptidão “técnica e psicológica”. Moro afirmou ser favorável a posse de armas na extensão da propriedade rural, onde a segurança pública tem dificuldade em chegar, no interior do país.

“Temos que fortalecer a nossa agricultura sem descuidar do meio ambiente, ao contrário de discursos equivocados que alguns têm. Eu defendi a posse (de armas) no limite da propriedade, não só nas quatro paredes mas toda a extensão da propriedade”, explicou.

Moro ressaltou que, no entanto, entregar armas “pesadas” a população pode ser um risco. “Algumas coisas que o presidente (Bolsonaro) quis e ainda quer de entregar armas automáticas, metralhadoras, acho um perigo, um risco de começarmos a ter atentados em cinemas ou eventualmente em escolas, sem falar no risco dessas armas caírem na mão de criminosos, do crime organizado”.

Defesa da vida

Sergio Moro afirmou que é contra o aborto e defende a atual legislação sobre o tema. “A legislação atual trata algumas exceções, quando há risco de vida da mãe. Embora proteger a vida das pessoas seja importante, existe a vida do feto, por outro lado tem a vida da mãe e ali tem uma situação muito difícil. Como você vai sacrificar a vida da manhã em uma circunstância dessa espécie”, disse.

“E a legislação também prevê no caso que a concepção tenha sido produto de estupro. Se uma mãe quiser manter a gravidez, é legítimo. Mas forçar ela a continuar eu acho muito pesado. É exigir um sacrifício muito grande. Se a pessoa quiser, tem que vir do íntimo dela, uma relação com a consciência pessoal e com os valores que ela tem perante Deus ou sua própria consciência”, completou.

Cascavel, Paraná, Política,

TRE cassa chapa de candidatos a vereador do PL de Cascavel

Em julgamento unânime, totalizando seis votos a zero, os desembargadores do TRE (Tribunal Regional Eleitoral), de Curitiba, cassaram nesta quarta-feira (1º) a chapa completa de candidatos a vereador pelo PL de Cascavel, provocando a provável perda de mandato dos vereadores Aldonir Cabral e Celso Dal Molin.

De acordo com o advogado Marcos Boschirolli, que ingressou com ação judicial em nome do MDB e Republicanos, a motivação seria o uso de uma candidatura laranja para o cumprimento de cotas de gênero, ou seja, a utilização de uma postulante ao mandato, Érica Terezinha Kottwitz Claro, apenas para “cumprir tabela”, conforme expressão corriqueira no jargão político.

Segundo teor do acórdão do TRE, todos os candidatos da legenda tiveram seus votos anulados e, a partir de agora, será feito o recálculo do coeficiente de votos totais para ver quem assume no lugar dos vereadores Cabral e Dal Molin.

Neste sentido, o TRE tem prazo de cinco dias para encaminhar ofício à Presidência da Câmara de Vereadores de Cascavel, comunicando a necessidade de preparação da posse dos novos vereadores.

De acordo com a advogada Juliana Bertoldi, que acompanhou o caso em Curitiba, a sentença indica ainda que não houve perda de direitos políticos e nem inelegibilidade dos vereadores, suplentes e demais candidatos, com exceção apenas para Érica, envolvida diretamente na suposta fraude, e que teve suspensos os direitos políticos pelo período de oito anos. O PL ainda pode recorrer da decisão no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Foz do Iguaçu, Paraná, Política,

Câmara de Foz concede Moção de Solidariedade aos palestinos

O Legislativo Iguaçuense entregou nesta quinta-feira, 2 de dezembro, uma moção em solidariedade aos palestinos (Moção nº 21/2021), em alusão ao Dia Internacional de Solidariedade ao Povo Palestino (29/11), com os votos de que essa população alcance a autodeterminação, a liberdade e o reconhecimento de seu Estado, já admitido pelo Brasil e por mais 139 países, livre e soberano, conforme o Direito Internacional, as Resoluções da Organização das Nações Unidas (ONU) e os acordos internacionalmente pactuados, vivendo em paz e segurança ao lado de todos os seus vizinhos.

O direito à autodeterminação é considerado um direito humano fundamental e é amplamente reconhecido como o direito dos povos a determinar os vários elementos da sua governança. Foz tem uma relação com a Palestina, inclusive o município e Jericó já são cidades-irmãs desde 2012. “Cumprimento a todos os palestinos no mundo e representantes de todas as religiões que se solidarizam com o sofrimento do povo palestino. Essa moção foi unânime, é para simbolizar o reconhecimento do Dia Internacional de Solidariedade ao Povo Palestino que vem sofrendo a ocupação, opressão, desapropriação de suas terras, promoção de matança e limpeza étnica, há quase 100 anos. Tenho a certeza que nenhuma opressão durou para sempre. Foi no momento em que a ONU permitiu a injustiça que se inicia uma guerra e disputa para tomada ilegal da Palestina e de outro lado uma luta para sobreviver e pela sua terra, seus direitos. Foz também tem a honra de ser o berço de uma comunidade da Palestina muito ativa, que constrói essa cidade. Esses palestinos têm duas pátrias. A causa palestina é da humanidade. Que possamos consolidar a data de 29 de novembro como Dia Internacional de Solidariedade ao Povo Palestino. Essa moção não é isolada na Casa de Leis”, explanou o vereador Adnan El Sayed (PSD).

Quem recebeu a honraria foi Ibrahim Mohamed Khalil Alzeben, embaixador da Palestina no Brasil e Ualid Rabah – presidente da Federação Árabe Palestina do Brasil (FEPAL); também participaram da homenagem: Fawzi Abdallah – representante da Sociedade Árabe Palestina de Foz do Iguaçu; Jihad Abu Ali, diretor de Assuntos Internacionais do Executivo; Kellyn Trento, secretária de Direitos Humanos da Prefeitura; Sheik Mohamed Khalil e outros representantes da comunidade árabe.

A vereadora Anice Gazzaoui (PL) contribuiu: “Foz tem diferencial das etnias e riquezas de cultura. Quando falamos de justiça falamos de direito à moradia, de ter o território. Estaremos sempre em luta para que todos os países, todos os povos sejam livres. Israel vende uma democracia que não existe para o mundo. Temos que avançar em conjunto. Enquanto houver uma pessoa oprimida dentro de um país, também não podemos dizer que esse país e livre e justo. O que se vende para o mundo é uma justiça falsa. Estamos fazendo uma moção de repúdio ao que aconteceu em uma mesquita de Ponta Grossa (PR)”. Durante a cerimônia, foi exibido um vídeo da Fepal contando a história da Palestina, relatando a ocupação, apartheid.

Ibrahim Mohamed Khalil Alzeben, embaixador da Palestina no Brasil, comentou: “Não deixa de ser muito emotiva essa sessão e receber uma unanimidade de solidariedade de coração e de consciência para o povo de Foz, representando não somente o estado, mas o sentir de todo o povo brasileiro. A questão palestina está conhecida, as palavras de solidariedade são reflexo de compreensão desta causa que leva 74 anos esperando justiça. Falta que o mundo, com sua vontade política e determinação, possa impor a Israel uma solução. Esperamos muito em breve alcançarmos uma solidariedade internacional. São mais de 74 anos”. Além disso, ele reafirmou a importância do documentário, lançado recentemente: “Palestina, Fragmentos de uma história”, produzido por Waldson Dias, Christian Rizzi, Marcelo Freire e Jean Carlos, que foram à Palestina para vivenciar e contar ao mundo a história do local.

“Que o povo palestino alcance seu estado livre e soberano. Com a convivência em paz com seus países vizinhos. Essa Casa continua solidária à causa palestina”, ressaltou o vereador Ney Patrício (PSD), presidente da Câmara Municipal.

Repúdio ao ato de intolerância religiosa na mesquita de Ponta Grossa

Os vereadores que compõem a Bancada Inter-Religiosa, Anice Gazzaoui (PL), Jairo Cardoso (DEM) e Alex Meyer (PP), destacam que estão elaborando um documento de repúdio ao ato de intolerância religiosa sofrido pela Mesquita Imam Ali, de Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais (PR), na última semana, oportunidade em que foi queimado o Alcorão, que é o livro sagrado do islamismo.

Geral, Paraná, Política,

Prefeita assina convênio de mais de R$ 1,8 milhão de calçamento poliédrico na área rural de Santa Terezinha

A prefeita Karla Galende (PSDB) assinou esta semana, no gabinete do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ademar Traiano (PSDB), convênio de mais de R$ 1,8 milhão de calçamento poliédrico na zona rural de Santa Terezinha de Itaipu, no Oeste do Paraná.

O recurso vai melhorar a infraestrutura viária nas regiões do Aparecidinha e São Pedro, na área rural do município. “São mais de 5 quilômetros que estarão garantindo um tráfego mais seguro, o escoamento da safra e maior comodidade a todos os moradores”, disse Traiano.

“É um momento para agradecer ao governador Ratinho Junior e ao secretário Norberto Ortigara (Agricultura). Tenho um especial carinho por está terra que me adotou como filho, me concedendo um título de Cidadania Honorária”, completou o presidente da Assembleia Legislativa.

“Estamos aqui hoje assinando um convênio de mais de R$ 1,8 milhão para calçamento poliédrico na zona rural do município. Com certeza vai garantir um tráfego mais seguro, escoamento da safra e mais comodidade aos nossos produtores”, disse a prefeita.

AQUI para assistir o vídeo da assinatura

Geral, Paraná, Política,

Lideranças querem lançar comitê Lula/Ratinho

Lideranças sociais e partidárias devem aproveitar a isenção do governador Ratinho Júnior na disputa presidencial de 2022 para lançar o comitê Lula/Ratinho Júnior, cuja missão será alavancar o voto conjunto no ex-presidente e no atual governador do Paraná. O “time”, independente, aglutinaria principalmente lideranças do PSB e PCdoB, legendas que devem fazer parte da coligação de Lula, além de MDB, que no plano estadual sempre esteve próximo de Lula.

O time aposta em boa aceitação já que num passado distante Ratinho e Ratinho pai tiveram boas relações com Lula. Além disso, o ex-presidente está empatado em Curitiba com Bolsonaro e Moro, segundo pesquisa do IRG.

A decisão de Ratinho em manter-se neutro se dá pela profusão de candidatos ao Planalto em partidos aliados do governador. O PL com Bolsonaro e o Podemos, o PSDB com João Dória e o Podemos com Sérgio Moro são apena três dos partidos que apoiam Ratinho no plano estadual mas têm projetos nacionais isolados.

Além disso, o próprio PSD, a que o governador é filiado, lançou recentemente a candidatura de Rodrigo Pacheco. Nem Ratinho Jr, nem o PT do Paraná participam das tratativas do “comitê”. O PT, inclusive, deve lançar Roberto Requião ao Palácio Iguaçu.

As informações são de Boca Maldita