Browsing Category

Saúde

Leia as últimas notícias sobre Saúde no CabezaNews, site de informação com reportagens exclusivas, fotos, vídeos e conteúdos sobre Foz do Iguaçu e sobre o Paraná.

O CabezaNews leva ao público notícias de utilidade pública, curiosidades, turismo, lazer, cultura. Sobretudo com um olhar voltado para a região da tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina.

Em Foz, nossa cobertura foca os principais acontecimentos da cidade, incluindo eleições 2020, o avanço da pandemia do novo coronavírus, as ações da Itaipu Binacional, bem como a administração do prefeito Chico Brasileiro.

O site não deixa de lado o que acontece no restante do estado do Paraná. Notas exclusivas dos bastidores da política, da Assembleia Legislativa, ações do governo do Paraná e da administração Ratinho Júnior. Assim como as principais notícias nacionais.

O CabezaNews é editado por Ronildo Pimentel, jornalista com mais de 30 anos de atuação em jornalismo impresso e digital.

Coronavírus em Foz do Iguaçu, Destaques, Saúde,

Pesquisadores da UNILA analisam dados da Covid-19 em Foz e Ciudad del Este e recomendam ações de controle

Para eles, com a reabertura da Ponte da Amizade, será necessário acompanhar o número de casos nas duas cidades e implementar ações conjuntas de acompanhamento

A abertura da Ponte Internacional da Amizade, depois de sete meses com fluxo interrompido, tem preocupado as autoridades de saúde do Brasil e Paraguai. Para auxiliar a tomada de decisões sobre medidas de contenção e prevenção da Covid-19, o Grupo de Trabalho de Projeções da UNILA levantou uma série de dados comparativos sobre a evolução de casos nos dois países e elencou algumas recomendações (leia o informe completo em http://bit.ly/informe_4).

Para os integrantes do grupo – pesquisadores de diferentes áreas do conhecimento – “é importante que a situação epidemiológica das duas cidades seja avaliada em conjunto para que seja feito o planejamento de atendimento e para que se possa entender o momento da pandemia de Covid-19 de forma mais ampla”.

De acordo com os dados coletados pelo GT, Ciudad del Este, a principal do Departamento de Alto Paraná, tem 4.699 casos confirmados de Covid-19, uma incidência de 1.544 casos por 100 mil habitantes. Foz do Iguaçu acumula 7.850 casos, com uma incidência de 3.065 casos por 100 mil habitantes. Embora com mais casos da doença, Foz do Iguaçu apresentou menos mortes (117) e menor letalidade (1,5%) que Ciudad del Este, que registrou 184 mortes e letalidade de 3,9%.

A evolução da pandemia também foi diferente nas duas cidades. Ciudad del Este teve o maior número de casos em agosto e vem apresentando redução desde então. Foz do Iguaçu, ao contrário, registrou o menor número de casos em agosto e uma elevação no mês seguinte, permanecendo em um patamar médio de 70 casos por dia. Em setembro, a média diária de novos casos em Ciudad del Este era de 48.

A situação em Foz está melhor em outubro, segundo o GT, com média de 48 novos casos por dia, próximo dos dados registrados em agosto, quando houve uma grande queda no número de casos. “Estes indicadores são positivos, mas as médias diárias ainda estão altas e o número de casos ativos segue superior a 200. Em agosto, tivemos uma grande queda e levamos 20 dias para somar mil casos novos. Agora, estamos nesse mesmo perfil”, comenta a bióloga, professora da UNILA e coordenadora do trabalho, Elaine Della Giustina Soares. Ela explica que, após a queda registrada em agosto, a cidade passou cinco semanas com uma média de 70 a 80 novos casos por dia, entrando em queda novamente no início de outubro. “O número de novos casos está em queda, mas está cedo para falarmos em queda sustentada, porque a média diária ainda é de mais de 40 casos por dia.”

Em relação ao número de novos casos por dia, Ciudad del Este vem registrando números mais baixos em outubro: média diária de 14 casos, sendo apenas 8 na última semana. O número de casos ativos, no entanto, também segue superior a 200.

De acordo com a nota técnica nº 06, de 18/09/2020, da Comissão de Acompanhamento e Controle de Propagação do Novo Coronavírus na UFPR, sobre a evolução da Covid-19 no Paraná, utilizada no estudo realizado pelo GT da UNILA, Ciudad del Este está na bandeira verde – incidência de 1 novo caso por dia a cada 100 mil habitantes –, o que significa controle da transmissão comunitária, necessária para o retorno amplo de atividades e supressão da doença.

Nesse aspecto, a situação em Foz do Iguaçu é mais preocupante, uma vez que a cidade está na bandeira laranja – incidência de 10 a 25 novos casos por dia a cada 100 mil habitantes –, “indicando que é necessário atenção e ampliação das restrições, e não a ampliação da flexibilização que tem ocorrido”, diz o documento elaborado pelo Grupo de Trabalho. “Espera-se que, com o aumento do trânsito transfronteiriço, haja uma homogeneização da situação epidemiológica das duas cidades, com tendência para o aumento do número de casos em Cidade do Leste”, alertam os pesquisadores. Para o grupo, “a partir de agora será necessário acompanhar os números de casos nas duas cidades, que deveriam implementar ações conjuntas de acompanhamento”. Segundo o estudo, com a abertura da ponte, “a redução da circulação do vírus em Foz do Iguaçu é fundamental para não impactar negativamente o número de casos para Cidade do Leste”.

O alto índice de resultados positivos em relação aos exames realizados em Foz também preocupa os integrantes do GT. A média diária de exames na última semana foi de 222, com índice de 20% de resultados positivos. “O ideal seria 5% de positividade nos exames (quando avaliado o retorno a atividades presenciais em universidades)”, relata o documento, usando como referência a nota técnica nº 06. Elaine Soares salienta que, embora o número de exames esteja próximo ao registrado em agosto, quando houve queda acentuada no número de casos de Covid-19 em Foz, o índice de positividade está maior.

Um dado positivo apontado no trabalho é o índice de ocupação de UTIs, que atualmente está em 72% dos 75 leitos disponíveis. “Uma situação um pouco mais confortável”, mesmo assim, ressalva o documento, o valor está “muito acima dos 50% que são considerados como estado de atenção e próximo aos 80%, que indicam a situação de emergência”. O estudo lembra, também, que o número de leitos de UTI vem sendo acrescido desde o início da pandemia, e que o Hospital Municipal Padre Germano Lauck chegou a uma ocupação de 90% em setembro e outubro.

Recomendações

O estudo conclui que o cenário apresentado mostra que a pandemia de Covid-19 ainda não está controlada e que é preciso que a população “siga atenta para evitar aglomerações, manter o distanciamento social e entender a importância do uso de máscaras como medidas de redução da circulação do vírus”.

O Grupo de Trabalho preparou uma lista de recomendações para auxiliar no processo de reabertura da Ponte da Amizade. “Neste processo, as instituições que estão presentes na cabeceira da ponte podem auxiliar fortemente no processo de informação e conscientização de pedestres e motoristas”, diz o documento, lembrando que a UNILA colabora com este processo através de barreiras sanitárias, uma delas em funcionamento na Ponte da Amizade.

Os pesquisadores elencam medidas voltadas para o comércio e as cabeceiras da ponte, onde pode haver aglomeração, e para a orientação da população (veja abaixo). “As ações neste primeiro momento devem estar fortemente focadas nos pedestres que atravessam a ponte e nas pessoas no interior de lojas, shoppings e comércio em geral”, diz o estudo, ressalvando que as medidas devem ser reavaliadas se houver aumento nos números da doença. “Se conseguirmos um forte engajamento das pessoas, com ações de higienização das mãos, uso de máscaras e distanciamento social, poderemos conseguir a reabertura da ponte em termos mais seguros, promovendo, assim, o retorno permanente e seguro das atividades econômicas.”

O Grupo de Trabalho de Projeções da UNILA reúne profissionais e pesquisadores das áreas de Saúde Coletiva, Medicina, Epidemiologia, Biologia, Geografia, Física, Comunicação e das Engenharias, que estudam as dinâmicas da Covid-19 levando em consideração a localização e as características populacionais de Foz do Iguaçu, do Oeste do Paraná e da Tríplice Fronteira. O GT faz parte de uma das nove ações institucionais de enfrentamento da Covid-19, promovidas pela UNILA com o apoio da comunidade externa.

Principais pontos para um protocolo de reabertura da Ponte da Amizade

1 – Comércio: manter os mesmos cuidados tanto no Brasil como no Paraguai: estabelecer um limite máximo de clientes, manter distanciamento de no mínimo 1,5 m entre clientes e lojistas, usar as máscaras corretamente, disponibilizar álcool em gel em abundância para clientes e funcionários, orientar sobre o fluxo interno seguro no interior das lojas;

2 – Os locais críticos onde pode ocorrer aglomeração de pessoas seriam as cabeceiras da ponte. Estabelecer, nesses locais, centros para ações de conscientização e informação, barreiras sanitárias, fornecimento de álcool em gel, eventual distribuição de máscaras, entre outras ações;

3 – Orientação sobre sintomas: espalhar fortemente a informação para quem apresentar sintomas, que permaneça em casa e entre em contato com o Plantão Covid. Divulgar amplamente os meios de contato do Plantão (telefone, WhatsApp, redes sociais).

Coronavírus em Foz do Iguaçu, Saúde,

Foz do Iguaçu registra 81 novos casos de Coronavírus em 24 horas

A Vigilância Epidemiológica de Foz do Iguaçu confirma na data de hoje, 17/10/2020, 81 casos de COVID-19, totalizando 8.102 casos da doença no município. Deste total, 7.725 pessoas já estão recuperadas.

Dos novos casos, 48 são mulheres e 33 homens com idades entre 11 meses e 60 anos. Todos novos casos encontram-se em isolamento domiciliar.

Dos casos confirmados ativos, 189 estão em isolamento domiciliar com sinais e sintomas leves e 64 pessoas estão internadas. O município já soma 124 óbitos pela doença.

Destaques, Saúde,

Paraguai tem queda na ocupação de UTIs para Covid-19, mas autoridades pedem para não baixar a guarda

Alto Paraná registra menor percentual de ocupação de internação pela doença

O Paraguai registrou, nos últimos dias, uma queda na ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) para pacientes com o novo Coronavírus (Covid-19), no entanto, as autoridades pedem para a população “não baixar a guarda” em relação a doença, informa o Última Hora.

A diretora dos Serviços Hospitalares de Terapias e Emergências do Ministério da Saúde Pública, Letícia Pintos, disse ontem que “há uma trégua” quanto à ocupação de leitos normais e terapia intensiva para pacientes com Covid-19, em relação ao algumas semanas atrás.

Embora estejamos em um platô, ou seja, não há duplicação de casos de contágio ou declínio e se mantém um alto índice de internação, isso não significa que o sistema esteja sobrecarregado. “Estamos no limite, mas não ultrapassados”, disse a especialista a Monumental 1080 AM.

De acordo com ela, no departamento de Alto Paraná, cuja capital é Ciudad del Este, a situação melhorou muito. A ocupação dos leitos de terapia intensiva é de 65%, o que seria 19 dos 30 leitos.

Dos 80 leitos normais, atualmente estão ocupados 16. Na emergência respiratória, apenas dois leitos.

Em nível nacional, a ocupação de leitos terapêuticos é de 82% das unidades disponíveis, enquanto no Departamento Central está entre 87% e 90%.

Continue lendo no Última Hora

Destaques, Foz do Iguaçu, Saúde,

Unidade de Saúde Móvel vai operar na cabeceira da Ponte da Amizade, na fronteira do Brasil com o Paraguai

A Unidade de Saúde Móvel, utilizada em meses anteriores para atendimento a sintomáticos da COVID-19 em grandes bairros da cidade, vai começar a operar na cabeceira da Ponte Internacional da Amizade, a partir da próxima semana.

A estratégia vem com intuito de atender ao Plano de Contingência, elaborado pelo município de Foz do Iguaçu e Governo do Estado do Paraná com a reabertura da Ponte da Amizade, no último dia 15 de outubro.

A princípio, a estrutura será instalada hoje no local, e entrará em operação na segunda-feira (19), com equipe da Secretaria de Saúde, para ofertar orientações e triagem para a COVID-19.

O funcionamento deve acontecer inicialmente de segunda a sexta-feira, em horário ainda a ser definido.

Coronavírus em Foz do Iguaçu, Saúde,

Foz do Iguaçu registra 50 novos casos de Coronavírus em 24 horas

A Vigilância Epidemiológica de Foz do Iguaçu confirma na data de hoje, 16/10/2020, 50 casos de COVID-19, totalizando 8.021 casos da doença no município. Deste total, 7.683 pessoas já estão recuperadas.

Dos novos casos, 31 são mulheres e 19 homens com idades entre 5 e 84 anos. Dos novos casos, 47 encontram-se em isolamento domiciliar e 3 internados.

Dos casos confirmados ativos, 150 estão em isolamento domiciliar com sinais e sintomas leves e 64 pessoas estão internadas. O município já soma 124 óbitos pela doença.

Coronavírus em Foz do Iguaçu, Saúde,

Foz do Iguaçu tem segundo dia consecutivo com três óbitos e registra 45 novos casos de Coronavírus

A Vigilância Epidemiológica de Foz do Iguaçu confirma na data de hoje, 15/10/2020, 45 casos de COVID-19, totalizando 7.971 casos da doença no município. Deste total, 7.644 pessoas já estão recuperadas.

Dos novos casos, 24 são mulheres e 21 homens com idades entre 8 meses e 63 anos. Todos os 45 novos casos encontram-se em isolamento domiciliar.

Dos casos confirmados ativos, 135 estão em isolamento domiciliar com sinais e sintomas leves e 68 pessoas estão internadas.

Óbitos

Foz do Iguaçu registrou mais três óbitos em consequência da COVID-19, totalizando 124 mortes pela doença. As vítimas são homens, de 57, 77 e 79. Todos estavam internados no Hospital Municipal Padre Germano Lauck.
O homem de 57 anos estava internado desde o dia 1º de outubro. O quadro se agravou com síndrome respiratória aguda grave. O óbito aconteceu às 16h20 desta quarta-feira (14).

O paciente de 77 anos estava internado desde o dia 22 de setembro. O quadro evoluiu com sepse de foco respiratório e choque séptico. O óbito ocorreu às 03h502 desta quinta-feira (15).

O idoso de 79 anos estava internado desde o dia 28 de setembro. O quadro se agravou com choque séptico, sepse de foco respiratório e síndrome respiratória aguda grave. O óbito ocorreu às 20h50 de ontem (14). Todas as pessoas possuiam comorbidades.

Coronavírus em Foz do Iguaçu, Na Estrada, Saúde,

Foz do Iguaçu registra mais três óbitos e 49 novos casos de Coronavírus nas últimas 24 horas

A Vigilância Epidemiológica de Foz do Iguaçu confirma na data de hoje, 14/10/2020, 49 casos de COVID-19, totalizando 7.926 casos da doença no município. Deste total, 7.609 pessoas já estão recuperadas.

Dos novos casos, 22 são mulheres e 27 homens com idades entre 1 e 92 anos. Dos 49 novos casos, 47 encontram-se em isolamento domiciliar e 2 internados.

Dos casos confirmados ativos, 122 estão em isolamento domiciliar com sinais e sintomas leves e 74 pessoas estão internadas.

Óbitos

Foz do Iguaçu registrou mais três óbitos em consequência da COVID-19, totalizando 121 mortes pela doença. As vítimas são uma mulher de 90 anos e dois homens, com 72 e 77 anos. Todos estavam internados no Hospital Municipal Padre Germano Lauck.

A idosa de 90 anos estava internada desde o dia 27 de setembro. O quadro se agravou com pneumonia e choque séptico. O óbito ocorreu ontem (13) às 21h10.

O homem de 72 anos estava internado desde o dia 5 de outubro. O quadro evoluiu com choque séptico e síndrome respiratória aguda grave. O óbito ocorreu ontem (13) às 14h30.

O paciente de 77 anos estava internado desde o dia 18 de setembro. O quadro se agravou com sepse de foco pulmonar. O óbito aconteceu às 04h11 de hoje (14).

Destaques, Foz do Iguaçu, Saúde,

Anota aí: Sábado tem Dia “D” de vacinação nas 29 Unidades Básicas de Saúde de Foz do Iguaçu

Crianças de 1 a menores de 5 anos precisam receber a dose contra a Poliomielite. Cobertura vacinal está em menos de 10%

As 29 Unidades Básicas de Saúde de Foz do Iguaçu estarão abertas neste sábado (17), das 8h às 17 horas para a Campanha Nacional de Multivacinação e Vacinação contra a Poliomielite, dirigidas a crianças e adolescentes.

Ao todo são ofertadas 14 vacinas na Multivacinação para crianças e adolescentes menores de 15 anos, além da vacina contra a poliomielite (VOP) para crianças a partir de 12 meses e menores de 5 anos de idade.

A campanha começou no dia 5 e seguirá até o dia 30 de outubro em todas as unidades de saúde. A meta é imunizar mais de 65 mil crianças e adolescentes.

Poliomielite

Crianças de 1 a menores de 5 anos precisam receber a vacinação contra a poliomielite, independente da atualização da carteirinha. “Essa vacina é indiscriminada.Todas as crianças com essa faixa etária precisam ser imunizadas. Os adolescentes também precisam ir até as unidades para atualizar a carteirinha de vacinação”, ressalta Adriana Izuka, coordenadora do programa de imunização do município.

A população a ser vacinada contra a pólio é de 15.793 crianças, mas até agora somente 1.502 foram imunizadas, o que representa 9,4% de cobertura.

A vacina da pólio é oral, com a aplicação de duas gotas em cada criança. Durante a campanha também será ministrada a VIP, a vacina injetável da poliomielite nos menores de 1 ano que estejam com a vacina atrasada.

Multivacinação

Entre as principais vacinas que constam da Multivacinação está a meningo C, que protege contra a meningite do tipo C; meningo ACWY, que protege contra quatro tipos de meningite meningocócica; a vacina tríplice viral, que imuniza contra sarampo, caxumba e rubéola; HPV, que protege contra o câncer de colo do útero; a vacina pneumocócica 10, que protege contra pneumonias, meningites e otites; a BCG, que imuniza contra a tuberculose; a rotavírus, que protege contra a diarréia; e a vacina pentavalente, que protege contra a meningite, tétano, coqueluche, difteria e hepatite B.

Orientação

Para evitar aglomeração e atender um maior número de crianças e adolescentes, a Secretaria Municipal de Saúde orienta que somente um dos pais ou pessoa responsável acompanhe crianças e adolescentes durante a imunização, sempre fazendo uso da máscara. A vacinação seguirá até o dia 30 em todas as unidades de saúde.

Os horários das salas de vacina estão disponível no site da prefeitura de Foz.

Coronavírus em Foz do Iguaçu, Destaques, Saúde,

Chico Brasileiro diz que Foz do Iguaçu concorda com reabertura da fronteira, mas pede contrapartida da União

Foz do Iguaçu concorda com a reabertura da Ponte Internacional da Amizade, na fronteira do Brasil com o Paraguai, mas cobra apoio para receber a possível demanda de pacientes com Covid-19 (Coronavírus) que residem no país.

A posição do município foi informada no último dia oito de outubro, em ofício de resposta do prefeito Chico Brasileiro, a secretária especial de Assuntos Federativos, Deborah Virginia Macedo Aroxa.

“A decisão do Governo Federal terá o total apoio desta Municipalidade, entretanto, reforçamos o que já foi dito na videoconferência (item 2 – Ofício Circular no 4/2020/SAF/DGI/SEGOV/PR), quanto à necessidade de apoio estrutural, logístico, financeiro e de recursos humanos”, reforça Brasileiro.

O atendimento do pleito será fundamental, segundo o prefeito, “para dar suporte ao atendimento hospitalar e da rede municipal de saúde que deverá ser necessário a partir da abertura da fronteira”.

Chico Brasileiro lembra que, desde o início da pandemia, o município tem custeado mais de 50% do custo de manutenção da estrutura hospitalar, que atende as populações dos municípios da 9ª Regional de Saúde e dos municípios da Macorregional Oeste do Paraná.

“O Município de Foz do Iguaçu sozinho não conseguirá suportar financeiramente, tecnicamente e estruturalmente esta provável nova demanda”, completa o ofício, na íntegra abaixo.

“Foz do Iguaçu, 8 de outubro de 2020.

Ofício no 872/2020 – GP
Assunto: Resposta ao Ofício Circular no 4/2020/SAF/DGI/SEGOV/PR.

Senhora Secretária:

Em atenção ao Ofício Circular no 4/2020/SAF/DGI/SEGOV/PR, de 7 de outubro de 2020, dessa Secretaria Especial de Assuntos Federativos, que solicita apreciação sobre a possibilidade de flexibilização das restrições sobre a entrada de estrangeiros pela fronteira terrestre, tendo em vista atual situação epidemiológica em nossa região, informamos que:

  1. O Município concorda com a possibilidade de flexibilização das restrições sobre a entrada de estrangeiros pela fronteira terrestre, tendo em vista a atual situação econômica que a região vive, em decorrência do longo período de fechamento;
  2. A decisão do Governo Federal terá o total apoio desta Municipalidade, entretanto, reforçamos o que já foi dito na videoconferência (item 2 – Ofício Circular no 4/2020/SAF/DGI/SEGOV/PR), quanto à necessidade de apoio estrutural, logístico, financeiro e de recursos humanos, para dar suporte ao atendimento hospitalar e da rede municipal de saúde que deverá ser necessário a partir da abertura da fronteira;
  3. Desde o início da pandemia o Município tem custeado mais de 50% do custo de manutenção da estrutura hospitalar montada para garantir o atendimento da população de Foz do Iguaçu, aos municípios da 9ª Regional e dos municípios da Macrorregional Oeste do Paraná. Este atendimento também inclui brasileiros e paraguaios que mesmo com a fronteira fechada procuram socorro no sistema de saúde de Foz do Iguaçu.
  4. Com a abertura da Ponte da Amizade e com a conhecida fragilidade do sistema de saúde do país vizinho, imagina-se que os mais de 96 (noventa e seis) mil brasileiros que residem do outro lado da fronteira, além de uma população de quase um milhão de paraguaios de Ciudad Del Este e seu entorno, poderão buscar no Município de Foz do Iguaçu o socorro imediato contra a Covid-19.
  5. O Município de Foz do Iguaçu sozinho não conseguirá suportar financeiramente, tecnicamente e estruturalmente esta provável nova demanda. Diante do exposto, o Município de Foz do Iguaçu concorda com reabertura da fronteira, mas ressalta a urgente necessidade de apoio do Governo Federal para estruturar a questão da assistência hospitalar no SUS local.

À Senhora
DEBORAH VIRGINIA MACEDO AROXA
Secretária Especial de Assuntos Federativos
BRASILIA – DF
…/Ofício no 872/2020 – GP – fl. 2

Em reposta ao solicitado no item 6 do referido ofício, indicamos o Sr. Nilton Aparecido Bobato, Vice-Prefeito, niltonbobato@gmail.com; (45) 99102-0857.

Atenciosamente,

Francisco Lacerda Brasileiro
Prefeito Municipal

Paraná, Saúde,

Paciente com coronavirus recebe alta após tratamento com “pulmão artificial” em São Miguel do Iguaçu

Após 42 dias internado, 5 deles em terapia com ECMO (Oxigenação por Membrana Extracorpórea) o paciente recebeu alta nesta última terça-feira

Diagnosticado com coronavírus o paciente foi internado no Hospital Madre de Dio em São Miguel do Iguaçu, pois apresentava quadro evolutivo de lesão pulmonar grave devido a uma pneumonia viral por Coronavírus (Covid-19). Evoluindo  de forma desfavorável e pela gravidade do caso, a equipe médica optou por submetê-lo ao tratamento por ECMO.

Esta terapia é realizada em pacientes que apresentam severo comprometimento do sistema pulmonar e possibilita a circulação e a oxigenação artificial do sangue a partir de um aparelho conectado por cateteres. O aparelho usa um tipo de bomba para fazer circular o sangue por um pulmão artificial fora do corpo. Quando o sangue é devolvido para o pulmão já chega oxigenado no coração, o que aumenta as chances de sobrevida dos pacientes.

Para o Cirurgião Cardíaco, Dr. Luis Bongiolo Mattos, o objetivo deste tratamento é retirar o sangue com pouco oxigênio que chega ao coração e transferi-lo para a ECMO. “Isso facilita o trabalho pulmonar, possibilitando que a ventilação mecânica do paciente opere com carga mais baixa, o que favorece a cicatrização dos pulmões e a recuperação do processo infeccioso devido a Covid-19”, afirma. Segundo Mattos, aideia da ECMO é ganhar tempo para que o pulmão possa se recuperar, o que normalmente não acontece com pacientes que apresentam o nível de gravidade de lesão pela Covid-19, em que o vírus danifica os pulmões e compromete o funcionamento do sistema respiratório.

Em casos como esses, os pacientes acabam não resistindo por não possuírem tempo necessário para a cicatrização dos pulmões.O cirurgião explica que a ECMO é um procedimento usado para casos extremos, isto é, apenas quando o paciente não responde a nenhum outro tratamento disponível. Em alguns casos, esta terapia é considerada uma das últimas opções para manter o paciente vivo.

Equipe treinada e especializada

A terapia com ECMO é reconhecida com uma  técnica complexa e de alto custo. Além disso, está disponível somente em hospitais de alta complexidade e é indicada para pacientes graves, que já não respondam mais a outras medidas. Por este motivo, a qualificação da equipe médica para trabalhar com essa tecnologia é um dos pontos importantes de decisão para a escolha da terapia.

Segundo Alan Anderson Fernandes Oliveira, cirurgião cardíaco do Hospital Madre de Dio, não basta apenas ter o equipamento se não houver uma equipe especializada e treinada que trabalhe em conjunto com o cirurgião cardíaco.Por este motivo, o Madre de Dio estabeleceu uma equipe formada por profissionais intensivistas, enfermeiros, fisioterapeutas e cardiologistas especializados para atendimento de pacientes que necessitem passar pela terapia, além de contar com uma equipe de perfusionistas 24 horas, habilitados para operar a máquina de circulação extracorpórea durante o procedimento cirúrgico.

Assessoria/ Eleva Comunicação