Browsing Category

Turismo

Leia as últimas notícias sobre Turismo no CabezaNews, site de informação com reportagens exclusivas, fotos, vídeos e conteúdos sobre Foz do Iguaçu e sobre o Paraná.

O CabezaNews leva ao público notícias de utilidade pública, curiosidades, turismo, lazer, cultura. Sobretudo com um olhar voltado para a região da tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina.

Em Foz, nossa cobertura foca os principais acontecimentos da cidade, incluindo eleições 2020, o avanço da pandemia do novo coronavírus, as ações da Itaipu Binacional, bem como a administração do prefeito Chico Brasileiro.

O site não deixa de lado o que acontece no restante do estado do Paraná. Notas exclusivas dos bastidores da política, da Assembleia Legislativa, ações do governo do Paraná e da administração Ratinho Júnior. Assim como as principais notícias nacionais.

O CabezaNews é editado por Ronildo Pimentel, jornalista com mais de 30 anos de atuação em jornalismo impresso e digital.

Paraná, Turismo,

Cursos para gestores de projetos em turismo estão com inscrições abertas

Estão abertas as inscrições para os cursos de Gestão de Projetos e Gestão para Resultados Municipais, promovidos pela Paraná Turismo em parceria com a Escola de Gestão do Paraná. Nessa parceria haverá turmas específicas, exclusivas para gestores, técnicos, gerentes e especialistas de áreas relacionadas ao turismo, com foco na implementação de projetos e melhoria de processos de prestação de serviços públicos.

Ao final dos cursos, na modalidade a distância, os concluintes devem ter em mãos as ferramentas fundamentais para fazer a diferença na área do turismo com os recursos disponíveis para vencer os desafios impostos pelo trabalho de gestão. O objetivo é o fortalecimento das regiões turísticas do Paraná.

De acordo com Alessandra de Paula Xavier, assessora técnica da Paraná Turismo, além desses dois cursos, outros também serão ofertados até o final do ano, com temas como Governança para Resultados, Parcerias Público-Privadas, Gestão de Contratos, Design Thinking e Liderança Estratégica, todos gratuitos.

Ela explicou quais serão os conteúdos de ambas as qualificações. “Sobre o curso de Gestão de Projetos, vai ser trabalhada a importância dessa gestão, a origem e priorização de projetos, o planejamento, execução, monitoramento e avaliação, enfim toda a vida útil desse projeto dentro de uma gestão municipal do turismo”, disse a assessora técnica.

Ela explicou ainda o foco do curso de Gestão para Resultados Municipais. “Busca-se mostrar os desafios da gestão municipal para o alcance de resultados efetivos, trabalhando-se com o alinhamento da estrutura da gestão, monitoramento e avaliação, e também com as fronteiras da gestão municipal para que o gestor tenha em mãos ferramentas para fazer a diferença no município como um todo”, frisou.

A diretora-técnica da Paraná Turismo, Isabella Tioqueta, ressaltou que a abertura dos cursos vem no sentido de fortalecer o trabalho dos gestores municipais de turismo.

“É visto que há uma necessidade de conhecimento, fortalecimento de ações e de um entendimento do que é o turismo, das suas potencialidades, da aplicação em projetos e ações que possam agregar no desenvolvimento econômico e na geração de emprego e renda através desse setor, que a gente percebe que tem um potencial muito grande em nosso estado”, destacou Isabella.

As inscrições para os dois primeiros cursos vão até o dia 30 de abril e o início das turmas está previsto para o dia 3 de maio. Para se inscrever acesse AQUI.

Os cursos estão listados no site da Escola de Gestão, juntamente com outros das demais secretarias do Estado, e especificados como turmas exclusivas.

As informações são de Agência de Notícias do Notícias

Coronavírus, Destaques, Turismo,

Ilhas Maldivas oferecerão vacina contra a Covid a turistas e férias paradisíacas

Ideia é que programa de incentivo ao turismo seja iniciado quando toda a população, de cerca de 540 mil pessoas, estiver imunizada contra o coronavírus

Desfrutar de uma viagem pelas paisagens mais estonteantes do Oceano Índico e ainda ser vacinado contra a Covid-19. Esta é a proposta que as Ilhas Maldivas, na Ásia, oferecem a turistas como forma de estimular o turismo, carro chefe na economia do país. 

“O turismo de vacinas é uma visão do presidente do país, Ibrahim Mohamed Solih. Planejamos executá-lo de forma semelhante ao turismo médico”, disse o ministro do Turismo das Maldivas, Abdulla Mausoom, à agência EFE nesta segunda-feira (19).

O programa de incentivo foi chamado de “3V”, ou “triplo V”, que representa “visita, vacinação e férias”, em referência à palavra em inglês, “vacation”.

A ideia é que ele seja iniciado quando toda a população, de cerca de 540 mil pessoas, estiver imunizada contra o coronavírus, frisou o ministro. O chefe da pasta ainda alegou que turistas poderão “escolher” qual vacina, dentre as disponíveis nas Maldivas, preferem para a inoculação.

“O entorno dos complexos hoteleiros é perfeitamente seguro para a vacinação. Os turistas podem ficar por cinco a oito semanas, receber a segunda dose ou sair e voltar para a segunda dose”, deatalhou Maussom. O país registrou mais de 26 mil casos confirmados de Covid-19 e 70 mortes desde o início da pandemia. 

Quase metade da população recebeu a primeira dose dos imunizantes – de Astrazeneca/Oxford, Sinopharm e Pfizer – com 280 mil aplicações. Até esta segunda, 40.230 pessoas haviam sido inoculadas com as duas administrações necessárias para imunização. 

As informações são de O tempo

Busão Foz, Destaques, Foz do Iguaçu, Turismo,

Hackatour Cataratas: inscrições abertas para maratona on-line de inovação para o turismo

Estão abertas as inscrições para a 6ª edição do Hackatour Cataratas, uma maratona para o desenvolvimento soluções inovadoras para o turismo. O evento, que será realizado on-line de 7 a 9 de maio, faz parte da programação do Festival das Cataratas, que será realizado presencialmente em dezembro, em Foz do Iguaçu (PR).

O evento tem como público-alvo desenvolvedores web; analistas de sistemas; UX Designers; engenheiros; empreendedores de tecnologia; empreendedores e estudantes das áreas de turismo, hotelaria e administração. As inscrições estão podem ser feitas pelo site www.hackatour.com ao custo de R$ 50.

Em menos de três dias, as equipes deverão desenvolver soluções dentro da temática proposta pelos organizadores (Cidades Inteligentes no Turismo). Para isso, terão o apoio de um time especializado em diversas temáticas, além de acompanharem palestras, mentorias e webinars.

Todos os projetos submetidos serão avaliados por uma banca de especialistas, que vai analisar diversos aspectos da solução, como criatividade, aplicabilidade e viabilidade de execução das soluções que serão entregues por meio de um vídeo de até 3 minutos na estrutura de um pitch, e uma apresentação.

A lista de finalistas será divulgada no dia 12 de maio durante uma live nas mídias sociais do evento. A melhor equipe será premiada com R$ 3.000, além de 5 livros, 2 horas de mentorias business do Parque Tecnológico Itaipu (PTI), 5 horas de consultoria e imersão com o Sebrae-PR e pré-incubação na Uniamérica. Os outros dois melhores times também serão premiados. Mais detalhes estão disponíveis no regulamento do evento: https://bit.ly/3n80vrZ.

Em 2020, 78 participantes de todo Brasil passaram as noites em claro para se dedicar à maratona. As equipes entregaram projetos dos mais variados, envolvendo, aplicativos, sites e plataformas virtuais dentro da temática “Destinos Turísticos Inteligentes”.

O Hackatour Cataratas é realizado pelo Instituto de Desenvolvimento do Turismo, Cultura, Esporte e Meio Ambiente (IDESTUR), com organização do Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR), e a parceria estratégica do Governo do Paraná – por meio da Superintendência Geral de Inovação – UniAmérica, Startup PR e Sebrae Paraná.

16º Festival das Cataratas
Dias: 1, 2 e 3 de dezembro
Local: Rafain Palace Hotel & Convention
Foz do Iguaçu – PR – BR
045 3029 6603 / 99975 2402

Cultura, Destaques, Turismo,

Dia do Malbec: Por que a uva na Argentina é a melhor do mundo

A uva é originária da França, mas os vinhos desta variedade alcançam aqui maior desenvolvimento e qualidade. Razões e diferenças. Em sintonia com a história do país, o  Malbec argentino  é um  vinho imigrante na terra dos imigrantes . A uva, de origem francesa, não chegou no século 20, como tantos europeus que desembarcaram na América do Sul, mas um século antes. Mas, desde sua chegada,  levou 150 anos para encontrar sua identidade crioula  e se tornar um emblema nacional.

Hoje a Argentina é o  maior produtor mundial  desta variedade, com 45.000 hectares cultivados e um volume de mais de 2.500.000 hectolitros por ano (dados de 2020). Desse total, 57% foram para o mercado externo, onde  a cepa é sinônimo de vinho argentino de alta qualidade.

Embora outras variedades e blends sejam produzidos no país com excelentes resultados, o Malbec tem sido a ponta de lança que lhe permitiu se posicionar como um dos maiores produtores de vinho do Novo Mundo (fora da Europa).

Malbec, a uva francesa “nacionalizada” da Argentina

A história do Malbec está ligada à região de Cahors ,  no sudoeste da França , onde se acredita que o vinho foi introduzido pelos romanos no século II. A primeira referência ao varietal é encontrada em uma publicação do século 16,  Traité de la Vigne et du Vin  (“Tratado sobre a Vinha e o Vinho”) de François de Roaldès -catherático da Universidade de Cahors-, que menciona uma “uva negra faz um vinho muito bom ».  Ele falou da uva Auxerrois, antecessora da Cot , que mais tarde adotou o sobrenome de um viticultor húngaro, Malbeck ou Malbek.

A floração da casta na Europa foi interrompida na segunda metade do século XIX pela  devastadora praga da filoxera, parasita da videira . Ao mesmo tempo, o Malbec chegou à América do Sul pelas mãos do agrônomo Michel Pouget. No entanto, como aponta o historiador argentino Pablo Lacoste, “a expansão do Malbec não foi fruto de uma estratégia concebida pela vinícola argentina. Os grandes capitães da indústria do vinho e seus conselheiros tecnocráticos foram indiferentes a esta variedade por muitos anos.

As informações são de El Independiente Iguazu

Busão Foz, Destaques, Economia, Turismo,

Kattamaram II e Macuco Safari têm passeios em promoção para moradores de Foz do Iguaçu

É a oportunidade do iguaçuense conhecer de barco as Cataratas pelas águas do rio Iguaçu e região das três fronteiras

Uma promoção exclusiva para os moradores de Foz do Iguaçu une dois dos passeios mais fascinantes do turismo da região: o Kattamaram II – com almoço a bordo e o Macuco Safari nas Cataratas do Iguaçu. A promoção é válida de 15 de abril a 1º de maio e os passeios podem ser feitos em dias alternados, desde que sejam dentro do período estipulado.

O pacote dos ingressos custa R$ 200,00 e a venda está sendo feita exclusivamente pelo site da Agência de Turismo Três Fronteiras: www.turtresfronteiras.com.br. O pagamento pode ser parcelado em até três vezes sem juros no cartão de crédito e o ingresso ao Parque Nacional do Iguaçu não está incluso no pacote.

Macuco Safari

Localizado no interior do Parque Nacional do Iguaçu, o passeio de barco Macuco Safari possui três etapas: selva, trilha (opcional) e barco. O visitante percorre uma trilha de dois quilômetros em meio à selva, feito em veículo elétrico, com opção de uma caminhada de 600 metros até a base, dotada de guarda-volumes, cafeteria, loja de souvenires e banheiros. Em todo o trajeto o visitante é acompanhado por guia que apresenta curiosidades sobre a fauna e a flora do Parque.

Um bonde elétrico faz o transporte do visitante até o deque de embarque, nas margens do Rio Iguaçu. O visitante embarca em um bote bimotor para conhecer as Cataratas do Iguaçu, em uma interação com as quedas d’águas mais famosas do planeta. O passeio dura cerca de 2 horas, não tem restrição de idade, possui acessibilidade e segurança.

Kattamaram II

No passeio “Encontro das Águas” o barco Kattamaram II navega no encontro dos rios Iguaçu e Paraná entre o Brasil, Argentina e Paraguai. É a oportunidade de conhecer a Ponte Tancredo Neves e os Marcos dos três países por uma visão privilegiada.

O almoço funciona no sistema de buffet, também com opções vegetarianas. São três tipos de carnes, legumes no vapor, saladas variadas e sobremesas. Bebidas (cerveja, refrigerante e água) são vendidas à parte. O embarque acontece às 11h30, no deque do Porto de Areia e o passeio dura uma hora e 30 minutos aproximadamente.

Protocolo de segurança

Ambos os passeios adotaram o “Plano de Prevenção e Combate à Covid-19” e inclui a obrigatoriedade do uso de máscara protetora para todas as pessoas que acessarem as dependências dos atrativos. É aferida a temperatura e o visitante tem a disponibilidade em vários locais, frascos de álcool 70% em spray e em gel, para higienização das mãos e equipamentos utilizados nas atividades.

Serviço

Combo Kattamaram II – Encontro das Águas e Macuco Safari
Valor: R$ 200,00
Ingresso parcelado em até três vezes no cartão de crédito
Valor individual:
Macuco Safari: R$ 148,50
Kattamaram II com almoço: R$ 75,00
Vendas exclusivas: www.turtresfronteiras.com.br
Mais informações: (45) 9 8414-4800
Promoção válida de 15 de abril a 1º de maio de 2021

Imagens produzidas antes da pandemia

Destaques, Economia, Turismo,

“Não dependemos do turismo”, diz embaixador brasileiro na França

O embaixador brasileiro na França, Luis Fernando Serra, deu uma declaração no mínimo à imprensa internacional em Paris, ao falar sobre o turismo e voos internacionais na noite desta terça-feira (13).

“Não dependemos do turismo”, ressaltou o diplomata, destacando que recebemos “apenas 6,5 milhões estrangeiros que visitam o Brasil, um país de beleza extraordinária, enquanto a França recebe 95 milhões de estrangeiros”.

“O peso do turismo”, frisou Serra, que chegou a ser cotado para assumir o Itamaraty no lugar de Ernesto Araújo, “não é enorme”.

O diplomata foi convidado a participar da emissão da BMFTV na noite de terça-feira (13/4), depois de a França anunciar a suspensão de voos ao Brasil.

Serra disse que não considerava a interrupção da ligação aérea como uma sanção, mas foi incisivo em alertar ao apresentador que ele deveria entender que o turismo não representa uma parte significativa da economia nacional.

Siga lendo no Metrópoles

Turismo, segundo o IBGE

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o setor de turismo responde por 3,71% do PIB do país, e sua dinâmica é composta por diferentes atividades que foram diferentemente afetadas com o isolamento social durante a pandemia Covid-19.

No caso do turismo internacional, o período de recuperação poderá chegar a 18 meses.

Busão Foz, Destaques, Foz do Iguaçu, Turismo,

Natureza e ecoturismo são atrativos para turistas internacionais em Foz

O lazer em meio a natureza é o principal motivador para os turistas estrangeiros que decidem conhecer Foz do Iguaçu. O fator está atrelado, entre outros, as atividades ou passeios no Parque Nacional do Iguaçu, onde estão as Cataratas do Iguaçu e o ecoturismo ou turismo de aventura. As afirmações são sustentadas na pesquisa “Turismo em Números – edição 2021”, da Paraná Turismo, que tem como base o período 2016-2020. 

O estudo é publicado anualmente desde 1986 pela autarquia vinculada à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo. Os dados referentes ao ano passado levam em consideração os efeitos da pandemia decorrente da covid-19 para o mercado do turismo, principalmente com relação aos números referentes aos visitantes internacionais, diretamente influenciados.

De acordo com a pesquisa, 88,3% dos viajantes internacionais em Foz do Iguaçu indicaram o lazer como a sua principal motivação em 2019. O indicador é subdividido em, além de sol e praia, estão incluídos as opções de turismo em meio à natureza, ecoturismo ou aventura, cultura e esportes, todas disponíveis no destino, com exceção das primeiras. 

Dentre esses grupos, de acordo com a pesquisa, se observa que 79,2% dos turistas estão à procura de atividades relacionadas à natureza, ecoturismo ou aventura. Cultura também foi um segmento indicado por16,4% dos turistas como uma das suas principais motivações para a viagem a lazer. 

Hospedagem

No que tange o tipo de alojamentos, os turistas em Foz do Iguaçu assinalaram como principal meio os hotéis, flats ou pousadas. Entre 2016 e 2019 aconteceram pequenas oscilações e esta categoria fechou o quadriênio com 69,4%. 
A categoria de casa de amigos ou parentes foi escolhida como alojamento por 5,1% dos turistas em 2019. Alguns viajantes indicaram que utilizaram outros tipos de meio de hospedagem durante a sua viagem no destino.

As informações são de GDia

Busão Foz, Destaques, Paraná, Turismo,

Pesquisa Turismo em Números mostra como anda o setor no Paraná

O Paraná foi o segundo estado com maior movimentação de embarques interestaduais rodoviários em 2020 e o terceiro no ranking de chegada de turistas internacionais (mais de 1 milhão) em 2019, segundo o Ministério do Turismo.

O estado é o quarto maior gerador de empregos nas atividades características do turismo no ranking brasileiro, atrás de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. No Paraná, o setor que mais emprega é o de alimentação, que representou mais de 60% dos empregos do turismo no estado entre 2016 e 2019.

Os dados constam da pesquisa “Turismo em Números – edição 2021”, que tem como base o período 2016-2020. O estudo é publicado anualmente desde 1986 pela Paraná Turismo, autarquia vinculada à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo.

O estudo ajuda na elaboração e implantação de políticas públicas e na orientação de investimentos privados, além de servir de subsídio para pesquisas dos setores público, privado, acadêmico e do terceiro setor. Gilce Zelinda Battistuz, do Departamento de Estatística da Paraná Turismo, salienta que os dados apresentados representam apenas uma parte do turismo no Paraná.

Isabella Tioqueta, diretora-técnica da Paraná Turismo, ressaltou a importância da realização de pesquisas como base para a construção de projetos. “Quando a gente fala em pesquisa, é importante levarmos em consideração que são informações com embasamento técnico, que nos auxiliam a concretizar projetos. Elas trazem a possibilidade de preparação e construção de políticas públicas e de ações que de fato possam fomentar o desenvolvimento do turismo e a geração de emprego e renda para podermos avançar cada vez mais”, disse.

Os dados de 2020 levam em consideração os efeitos da pandemia decorrente da covid-19 para o mercado do turismo, principalmente com relação aos números referentes aos visitantes internacionais, diretamente influenciados.

Para contextualizar, o ano de 2020 apresentou uma queda no número de embarques, tanto domésticos quanto internacionais, nos aeroportos em todos os estados brasileiros.

No Paraná, havia ocorrido um aumento de 4,4% nos embarques aéreos entre os anos de 2018 e 2019. Quando a pandemia começou no Brasil, em 2020, houve uma queda de 62,2% dos embarques em comparação ao ano anterior. A participação do Paraná foi de 5% do total de embarques em 2018 e 2019 e caiu para 4,2% no ano de 2020.

Além da movimentação nos terminais aéreos de passageiros, o estudo traz, ainda, um panorama do Estado com relação a outras áreas, como a economia, com a geração de empregos formais e os dados sobre os estabelecimentos nas Atividades Características do Turismo (ACT’s).

As ACT’s englobam a produção de bens e serviços envolvidos nas atividades econômicas do turismo, como agências de viagem e os serviços de alojamento, por exemplo.

Não por acaso, o setor de alimentos e bebidas também é o que apresentou o maior número de estabelecimentos no Estado em 2019, com 67,8%, seguido dos setores de Transportes Terrestres (9,7%), Cultura e Lazer (8,2%), Alojamentos (6,3%) e Agências de viagem (5,6%).

No estudo constam, ainda, os dados dos visitantes nos principais atrativos do Estado, como é o caso do Parque Nacional do Iguaçu, que em 2019 havia batido o recorde de mais de 2 milhões de visitantes, nacionais e internacionais, e apresentou uma queda de 67,4% em 2020.

Veja mais em Correio do Litoral

Busão Foz, Destaques, Paraná, Turismo,

Paraná Turismo lança pesquisa anual sobre cenário do setor no Estado

A Paraná Turismo lançou a versão deste ano do Turismo em Números – edição 2021, que tem como base o período 2016-2020. O estudo é publicado anualmente desde 1986. O objetivo é mostrar as tendências e a evolução dos dados do turismo no Paraná, dentro de uma série histórica.

Os dados favorecem diretamente a elaboração e implantação de políticas públicas e a orientação de investimentos privados, além de servir de subsídio para pesquisas dos setores público, privado, acadêmico e do terceiro setor.

Os dados de 2020 levam em consideração os efeitos da pandemia decorrente da Covid-19 para o mercado do turismo, principalmente com relação aos números referentes aos visitantes internacionais, diretamente influenciados.

A Paraná Turismo é uma autarquia vinculada à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo. “O nosso foco é a retomada do turismo pós-pandemia. Os números são importantes para definir quais áreas temos mais chances de explorar como destino a nível nacional e internacional”, afirmou o secretário da pasta, Márcio Nunes.

Para contextualizar, o ano de 2020 apresentou uma queda no número de embarques, tanto domésticos quanto internacionais, nos aeroportos em todos os estados brasileiros.

Destaques, Foz do Iguaçu, Turismo,

Boa notícia: Câmara dos Deputados aprova programa emergencial para socorrer setores de Turismo e Eventos

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou, na tarde desta quarta-feira, 7 de abril, o substitutivo do Senado para o projeto de lei 5.638/2020. O texto cria um programa emergencial para os setores de Turismo e Eventos. A medida vem diante do cenário enfrentado pelo Brasil e diversos países do mundo desde o início da pandemia do Coronavírus (Covid-19).

A ação vem diante das dificuldades econômicas vivenciadas pelos setores de viagens, turismo e eventos, que estão entre os mais afetados. Entre as ações da proposta está a autorização do refinanciamento de dívidas com o governo federal, além da isenção de impostos por 60 meses e criação do Programa de Garantia aos Setores Críticos (PGSC). Este tem como objetivo garantir o risco das operações via Fundo Garantidor para Investimentos (FGI). O texto segue para sanção do presidente da República, Jair Bolsonaro.

Denominada Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (Perse), a proposta é direcionada a empresas realizadoras e promotoras de eventos, incluindo congressos, feiras, eventos esportivos, sociais, promocionais ou culturais, feiras de negócios, shows, festas, festivais, simpósios ou de espetáculos em geral. Nesta linha, também serão beneficiadas casas de eventos, buffets sociais e infantis, casas noturnas, casas de espetáculos, salas de exibição cinematográfica e a hotelaria em geral.

A equipe técnica de Turismo da Confederação Nacional de Municípios (CNM) acredita que a elaboração de políticas públicas a longo prazo, com medidas de sustentabilidade econômica, cultural e ambiental são importantes para o fortalecimento do setor no país.

Outro destaque do projeto de lei está no acesso ao crédito. As pessoas jurídicas beneficiárias do Perse que se enquadrem nos critérios do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) serão contempladas em subprograma específico.

Setor turístico

O Conselho Mundial de Turismo apresentou recentemente estudo que comprova que o setor de turismo perdeu 49% de seu impacto no Produto Interno Bruto (PIB) global em 2020. No ano passado, a pandemia foi responsável pela perda de mais de 62 milhões de postos de trabalho.

No Brasil, de acordo com dados da Confederação Nacional do Comércio (CNC), as perdas do turismo em 2020 chegaram a mais de R$ 290 bilhões e extinguiram quase 400 mil postos formais de trabalho, sem mencionar os informais que dependiam do turismo nos municípios. Esses números atestam a força do setor de viagens e turismo, que pode ser o maior aliado da recuperação econômica do país.

As informações são de CNM