1 cabeza 2022 (150 px × 50 px) (1)

Evento pró-Lula em Foz é adiado após ameaças à comunidade árabe

As lideranças brasileiro-árabes de Foz do Iguaçu, que apoiam a chapa Lula-Alckmin para a Presidência da República, decidiram adiar um evento em favor dos candidatos petistas, após receberem ameaças pela internet. O jantar, previsto para a próxima terça-feira (23), ainda não tem uma nova data definida.

A mobilização virou alvo de críticas, ofensas e até ameaças em páginas de Facebook, com perfil mais conservador. Entre os ataques frases como “Eu vou lá tacar ovos”. “Árabes bandidos”, “Brimos com segundas intenções” são algumas que podem ser lidas nas postagens anunciando o evento de parte da comunidade árabe que vive em Foz do Iguaçu.

Veja também

Os organizadores informam que o ato teria presença de Geraldo Alckmin, candidato a vice na chapa de Lula, o candidato ao Governo do Paraná, Roberto Requião e a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann. “A nova data será divulgada em breve”, dizem eles em nota, que pode ser lída na íntegra abaixo.

“NOTA DE ESCLARECIMENTO

As lideranças brasileiro-árabes de Foz do Iguaçu que apoiam a chapa Lula-Alckmin para a Presidência da República vêm a público informar o adiamento do evento de campanha do ex-presidente Lula, que teria as presenças de seu vice, Alckmin, o candidato ao governo do Paraná Roberto Requião e a presidente do PT Gleisi Hoffmann, previsto para o próximo dia 23. Nova data será divulgada em breve. A incompatibilidade de agendas motivou o adiamento.

Como progressistas, nos somamos aos milhões de brasileiros que acreditam num país melhor, mais justo, soberano, próspero e democrático, alcançável com Lula e Alckmin governando o Brasil, apoiados por ampla coalizão de partidos e forças sociais, de todas as ideologias e visões de mundo, irmanadas pelo bem comum de reconstruir o nosso país.

Acreditamos na correção de nossa posição e tivemos prova disso: nas poucas horas em que ofertamos os 400 convites para o jantar que aconteceria após o encontro, quase todos foram vendidos! Somos gratos a estas centenas de pessoas, que representam outras centenas, senão milhares, no mínimo seus familiares que, como nós, acreditam na força da democracia, da concórdia, da paz, da amizade, do progresso e da prosperidade.

Lamentamos, de outro lado, as pouquíssimas manifestações que buscaram descaracterizar o evento, promovido nos mais elevados valores democráticos que norteiam nosso povo. A diversidade política é inerente à democracia, sem a qual não existe ou é farsesca. A sociedade brasileira é diversa em opiniões e preferências, assim como os diversos grupos que a integram e lhe dão vida e pujança.

E nós temos uma escolha legítima, que é Lula e Alckmin. Outras parcelas da sociedade têm outras. As respeitamos e admitimos. A diversidade é o oxigênio da democracia e do progresso. Censurar, perseguir, ofender, ameaçar, promover a intolerância e o ódio entre pessoas e grupos, ao ponto de fazer que alguns temam por suas próprias segurança e integridade, jamais! Os direitos à vida e à liberdade estão acima das divergências e devem ser defendidos por todos.

Queremos o melhor para o Brasil, país que recebeu nossos antepassados e no qual vivemos livres de violência e intolerância, e o melhor para seu povo, do qual somos parte.

Queremos construir, na diversidade, consensos em torno do que é bom para todos, com diálogo civilizado, educado, respeitoso, em que adversários políticos não sejam inimigos. Opiniões divergentes ajudam na reflexão e correção de rumos. Só com diálogo e tolerância conquistaremos uma sociedade mais justa e próspera.

Este é o caminho que Lula e Alckmin pavimentam, num diálogo com toda a sociedade, para uma ampla coalização de vontades, que governará com estabilidade para todos – trabalhadores e empresários, pobres e ricos, homens e mulheres, jovens e velhos, todas as origens étnicas e religiosas, de todas as cidades e regiões do país, agricultores e industriais, comerciantes e prestadores de serviços.

Por fim, como brasileiros patriotas que somos, não descansaremos enquanto o Brasil não for líder global inconteste, um player na construção de um mundo de paz, no qual nossos bens e serviços alcancem todos os mercados, elevando nossa balança comercial e nosso superávit aos níveis que merecemos.

Até 2 de outubro, quando celebraremos a grande festa da democracia.

Brasileiro-árabes progressistas com Lula-Alckmin por um Brasil melhor

Foz do Iguaçu, 16 de agosto de 2022.”