1 cabeza 2022 (150 px × 50 px) (1)

Itaipu integra estudo de piloto para carro elétrico em prédio popular

As tecnologias na criação de carros elétricos da Itaipu Binacional vão integrar um estudo para desenvolver carros elétricos para condomínios populares. Eles seriam vendidos em um programa com características ao “Meu Elétrico, minha vida” e usado de forma compartilhada.

“Renault Zoe que será usado em projeto piloto de carros elétricos para condomínios populares”, conta Eugênio Augusto Brito, do UOL, no São Paulo Expo (SP). “Estudo será feito em 2019, em parceria entre Renault, Itaipu e construtora MRV”, completa.

Para em seguida perguntar: “Carro elétrico já tem preço no Brasil e ainda é coisa para público endinheirado, certo?”

A fabricante automotiva Renault e a construtora MRV acabam de anunciar, no fórum de mobilidade New Mobility, que acontece dentro do Salão de São Paulo 2018, um estudo de parceria para construção de condomínios residenciais de baixa e média rendas, com cotas compatíveis com o programa “Minha Casa, Minha Vida”, nos quais carros elétricos poderão ser compartilhados pelos moradores.

O piloto será feito no começo de 2019 em dois condomínios, um em Belo Horizonte (MG) e outro em São Paulo (SP).

A ideia é que cada condomínio tenha uma área de estacionamento para o carro elétrico, com uso de painel fotovoltaico, que gerará a energia para recarga da bateria do modelo sem custo ambiental e com baixo custo para os usuários.

“Disponibilizando isso para os 22 Estados em que atuamos, acredito que tornaremos acessível um produto que, normalmente, teria um custo elevado para a maior parte fos brasileiros”, afirmou Raphael Lafetá, diretor de relações institucionais e engenharia da MRV.

“Com esse tipo de projeto dando certo a gente dá acesso ao consumidor de baixa renda a este tipo de produto e mostra que é possível pensar no Brasil em projetos viáveis, em ações sustentáveis”, complementou.

Segundo o engenheiro, a MRV está presente em 150 cidades do país, o que garantiria que a ação ocorra, se o projeto for consolidado, também fora do eixo Rio-SP e “com público diferente daquele que já tem acesso ao carro elétrico”.

Lefetá aponta ainda que o projeto de sustentabilidade já está em ação desde 2017, promovendo condôminos auto-sustentaveis em energia elétrica. No total, o projeto tem indeferimento de R$ 800 milhões até 2022 — a partir de agora, a ação incluiria também o uso de carros elétricos compartilhados.

De toda forma, por envolver imóveis para classes mais populares, há uma dependência de financiamento público, algo incerto no atual momento do país.

“É claro que ações que envolvem sobretudo a moradia de baixa renda dependem do governo, da concessão de crédito, mas eu acredito que também é função da sociedade agir por ideias sustentáveis e provocar o governo que tome parte nessas ações. E esta ideia aqui é uma provocação boa”.

A Renault vendeu o carro elétrico número 1.000 da marca na América, um Zoe, para a MRV. Esta unidade será usada no estudo e rodará diferentes condomínios nas áreas de atuação da construtora, além de São Paulo e Belo Horizonte, ao longo de 2019.

O Zoe vendido à MRV é o mesmo modelo que a marca anunciou neste Salão do Automóvel em processo de pré-venda, por R$ 149.990, para começar a ganhar as ruas do Brasil em 2019.