1 cabeza 2022 (150 px × 50 px) (1)

Justiça acata pedido da OAB Cascavel e manda fechar empresas irregulares

Após a OAB Cascavel elaborar, em 2020, um dossiê contendo provas de que uma empresa privada que atua em diversas cidades do Paraná captar clientes de forma irregular e com isso exercer irregularmente a profissão da advocacia, a Justiça Federal determinou o encerramento definitivo dessas atividades ilícitas.

A decisão, proferida pelo juiz Friedmann Wendpap, titular da 1a Vara Federal de Curitiba, alcança as empresas O Solucionador, que atua em Cascavel, Curitiba, Foz do Iguaçu, Guarapuava, Londrina e Ponta Grossa, e a Solu, de Maringá. A sentença determina que essas empresas encerrem em definitivo os serviços irrregulares de advocacia.

De acordo com os autos do processo, essas empresas promoviam propaganda ostensiva de serviços de negociação extrajudicial com instituições financeiras, comprometendo-se junto ao cliente redução de dívidas de parcelas. Ocorrre que a operação funcionava de forma diferente: essas empresas obtinham de seus clientes um instrumento de procuração e buscabam acordos judiciais.

Veja também

“Depois de uma luta árdua, iniciada em Cascavel, sob a condução, principalmente do ex-presidente Jurandir Parzianello e pelo ex-vice-presidente Paulo Roberto Pegoraro Junior, além de outros aguerridos advogados e advogadas, conseguimos essa expressiva e histórica vitória. Muito mais que o êxito nos tribunais, acaba-se uma prática de captar indevidamente ações e recursos financeiros de forma irregular”, destacou o advogado Alex Gallio, presidente da OAB Cascavel.

Para o ex-presidente da OAB Cascavel, Jurandir Parzianello, graças ao levantamento minucioso de advogados voluntários e a riqueza de informações apurados no dossiê, devidamente encaminhado à Seccional para que os procedimentos legais fossem encaminhados no âmbito de sua jurisdição, a Justiça acaba de fazer o melhor encaminhamento, preservando os interesses da comunidade e da advocacia”, disse.