Ney Leprevost sugere traição de Ratinho Jr

Leprevost não teve qualquer apoio para manter pessoas ligadas ao seu círculo político na estrutura do governo

Jogando para a torcida, o deputado federal Ney Leprevost (União Brasil) se diz descontente com a exoneração de aliados e cabos eleitorais do Governo do Estado. Em nota, o ex-secretário sugere que teria sido traído pelo governador Ratinho Júnior ao ter acertado a permanência de assessores na Secretaria Estadual de Justiça, Família e Trabalho, agora exonerados.

“O governador Ratinho Júnior tem um compromisso comigo e eu com ele. Não serei o traidor. Sigo firme acreditando no governador e confiante que as maldades serão desfeitas”, diz o deputado federal na nota que circula nesta sexta-feira, 29, no WhatsApp. Fica claro o migué do deputado que traz prova alguma de qualquer tipo de acordo da sua saída do Governo do Estado.

Veja também

Leprevost não teve qualquer apoio para manter pessoas ligadas ao seu círculo político na estrutura do governo. Das cinco trocas de secretários estaduais, apenas o deputado não fez sucessor. O governador decidiu por um quadro técnico ligado ao MDB para produzir melhores resultados ao Estado já que Leprevost colocou seu projeto político à frente das ações da pasta do qual foi exonerado, assim como seus cabos eleitorais.

Ney Leprevost sugere traição de Ratinho Jr

Na nota, Leprevost compromete diretamente não só Ratinho Júnior, mas também os dois assessores mais próximos do governador: o secretário da Casa Civil João Carlos Ortega e Lúcio Tasso, diretor-geral da Sedu. Na nota, ele cita uma lista com nomes que teria sido deixada com Ortega.

A falação do deputado não foi bem digerida no governo. A nota de Ney soma-se a outras falas e postagens em que ele pressiona o governo para que seus pedidos sejam atendidos.