1 cabeza 2022 (150 px × 50 px) (1)

Paraná terá força-tarefa para atender vítimas do deslizamento na BR-376, no Litoral

Foto: Secretaria de Segurança Pública

O Governo do Estado apresentou nesta terça-feira (29) em coletiva de imprensa os primeiros detalhes da operação de resgate no deslizamento de terra que provocou o fechamento da BR-376, em Guaratuba. Estão no local 54 bombeiros, três cães farejadores e equipes da Defesa Civil, além de engenheiros da Arteris Litoral Sul e equipes da Polícia Militar e Polícia Rodoviária Federal.

A estimativa é que seis carretas e de 10 a 15 veículos tenham sido soterrados pela lama, que atingiu um trecho de cerca de 200 metros nos dois lados da pista. Uma morte foi confirmada. O local é de difícil acesso e as chuvas que ainda caem na Serra do Mar prejudicam os trabalhos de avaliação dos danos.

Por ordem do governador Carlos Massa Ratinho Junior, um gabinete de crise foi criado para agilizar os atendimentos às vítimas e concentrar as tomadas de decisões das equipes estaduais.

Veja também

O gabinete, coordenado pelas Secretarias de Estado da Segurança Pública e da Infraestrutura e Logística, vai atender também os deslizamentos ocorridos nas demais rodovias do Estado em consequência do alto volume de chuvas no Paraná. Nesse momento, as três principais rodovias que conectam a Capital ao Litoral estão com interdição total (BR-276 e Graciosa) ou parcial (BR-277).

O secretário estadual da Segurança Pública, Wagner Mesquita, pediu para que a população não se desloque até o Litoral porque ainda há risco de novos deslizamentos. O gabinete de crise vai divulgar boletins diários com atualizações sobre a tragédia, mantendo a população informada sobre a situação.

“As instituições operacionais atuaram desde o primeiro momento e passaram a madrugada fazendo o possível para atender essa situação”, afirmou Mesquita. “Vamos trabalhar de forma ininterrupta, inclusive na divulgação de informações atualizadas para a população. Mas precisamos lembrar que esse é um trabalho de longo prazo”.

O comandante do Corpo de Bombeiros do Paraná, coronel Manoel Vasco, explicou que a corporação está trabalhando com um número cauteloso de bombeiros por conta da situação crítica no local. Equipes de Guaratuba estão atendendo na parte Sul da rodovia e as de Curitiba na área Norte.

O Grupo de Operações de Socorro Tático (Gost) dos Bombeiros também foi deslocado ao local com cães farejadores para fazer a busca das vítimas. Algumas máquinas já estão atuando na retirada de terra e de entulhos, e aeronaves também foram deslocadas, mas ainda não conseguiram operar por causa das condições climáticas.

“Encontram-se agora, no local, 54 bombeiros e três cães farejadores do Gost, mas conforme evolua as condições de segurança, vamos aumentar a equipe de resgate, chegando a mais de 100 bombeiros. Todo o trabalho tem que ser feito com muita cautela para que não haja mais vítimas”, afirmou Vasco.

Além de prestar apoio às equipes locais, a Defesa Civil Estadual está acompanhando e monitorando a situação desde o início. Geógrafos e engenheiros do órgão estão fazendo a avaliação da área para liberar com segurança as equipes para iniciar os resgates.

“Por conta do excesso de chuvas, uma grande massa de terra causou esse grave deslizamento, e ainda há risco de novos desmoronamentos no local”, explicou o coordenador estadual da Defesa Civil, coronel Fernando Schunig. “Vamos trabalhar intensamente para que esse trecho volte a receber toda a segurança necessária”.

As equipes da Defesa Civil também acompanham outras emergências no Litoral, como inundações em Guaraqueçaba, Morretes e Matinhos, com o envio de ajuda humanitária e auxílio aos municípios na elaboração de decretos de situação de emergência e registro das condições locais. Até o momento são 400 desalojados e 106 casas danificadas .

As equipes da PRF e da PM estão orientando a população nos bloqueios das rodovias e vão garantir para que não haja desabastecimento nas cidades do Litoral.

DESVIO – No momento, o único trajeto disponível para acessar o litoral paranaense é pela BR-116, sentido Rio Negro, e daí seguindo para Joinville antes de retornar ao Paraná, passando por Garuva.

O DER/PR recomenda que, caso seja possível, os usuários evitem se deslocar rumo ao Litoral paranaense enquanto a situação não é amenizada, uma vez que a previsão de mais chuvas está mantida pelos próximos dias, o que, além de agravar a situação, prejudica os serviços de recuperação das rodovias.

Segundo a PRF, também houve interdição parcial no km 58 da BR-116, em Campina Grande do Sul, sentido Curitiba. Foi interditada a pista sentido São Paulo no km 51 da mesma rodovia. Usuários devem procurar caminhos alternativos para fazer essa ligação.

CHUVAS – Segundo o Simepar, choveu mais de 150 mm na Serra do Mar entre sábado e segunda-feira. Nas últimas 72h o acumulado já ultrapassou os 200 mm em alguns pontos da região litorânea.

AEN