1 cabeza 2022 (150 px × 50 px) (1)

Pessoas que retornam do Brasil são maior foco de covid-19 no Paraguai. País tem mais de 1,9 mil em albergues

Presidente paraguaio na Ponte da Amizade: mais controle na fronteira com Brasil

Governo reforça controles na fronteira devido ao aumento de infecções em território brasileiro

O ministro assessor do Conselho Nacional da Defesa do Paraguai, Federico González, informou na terça (5), que 85% das 2.810 pessoas que retornaram ao país por causa da pandemia de covid-19 estavam no Brasil.

E este grupo, principalmente os que retornam pela Ponte Internacional da Amiozade, fez com que aumentasse o número de casos do novo coronavírus em território paraguaio, de acordo com ele.

Todos os 16 casos notificados no Paraguai ontem, de um total de 458 testes processados nas últimas 24 horas, são de pessoas que retornaram. Agora 431 infecções confirmadas no país.

O presidente Mario Abdo Benítez visitou, esta semana, a fronteira de Ciudad del Este com Foz do Iguaçu, para verificar as medidas de controle devido ao aumento de casos positivos ligados a pessoas que vivem em cidades brasileiras.

Mesmo com as fronteiras fechadas, os paraguaios não param de chegar a Foz do Iguaçu.

Na manhã desta quarta-feira (6), um grupo 33 pessoas aguardava no departamento de Migrações, já em território paraguaio, e pelo menos outras 50 pessoas se preparavam para deixar a aduana brasileira e tentar entrar no país vizinho.

Atualmente, 1.936 paraguaios estão cumprindo a quarentena de saúde em abrigos do governo, no país vizinho.

Um jovem de 22 anos fugiu de um desses lugares nesta manhã e está sendo procurado pela polícia e pelo Ministério Público por violação das medidas de isolamento, segundo González.

Com informações do Notícias R7 e Cris Loose Compartilha