1 cabeza 2022 (150 px × 50 px) (1)

Primeiro espigão começa a ser construído no Pico de Matinhos

O governador Beto Richa lançou nesta sexta-feira (26) o projeto de revitalização e modernização da orla de Matinhos, no Litoral do Paraná. Está prevista a engorda da praia, além de diversas outras obras de proteção e combate à erosão marinha. O projeto inclui, também, intervenções na avenida Juscelino Kubitschek. Matinhos, 26/01/2018. Foto: Divulgação SEMA

Após o engordamento da faixa de areia entre o canal da avenida Paraná e o Pico de Matinhos, já começa a ser construído o primeiro espigão da obra de engorda da praia. A notícia foi divulgada pela Prefeitura de Matinhos, com informações do Instituto Água e Terra (IAT).

Segundo o projeto que está sendo executado, a estrutura serve para “garantir a segurança na estabilidade da areia da praia”. O primeiro espigão está sendo construído no Pico de Matinhos.

Em paralelo, nesta semana, é feito o nivelamento fino na praia com tratores e o recolhimento da tubulação, que será levada na próxima semana para o Balneário Flórida. Também na próxima semana, a tubulação que está na água será transportada para uma nova posição no Balneário Riviera.

Devido aos serviços executados pelo Consórcio Sambaqui – vencedor da licitação pública para executar o projeto desenvolvido pelo Instituto Água e Terra (IAT) –, a praia de Caiobá ainda não está liberada para uso público. Uma das explicações para mantê-la interditada é que o perfil da praia formado no início da colocação da areia precisa se “moldar” com a ação das ondas.

Com o tempo, a areia despejada mais acima deve ser carreada para o fundo, formando um perfil mais suave e com a arrebentação da onda numa extensão maior. A areia colocada inicialmente é muito “fofa”, podendo causar acidentes como afundamento. Com o tempo, essa areia vai adensando e se tornando mais segura para andar em cima, podendo ser liberada para o uso público. É importante respeitar que para cada tipo de areia, há um tempo de adequação.

Além disso, outros serviços são realizados na praia de Caiobá, a fim de garantir a qualidade do engordamento da faixa de areia. A proteção costeira, iniciada no mês de maio, segue em andamento. A estrutura é importante para dar segurança à orla da praia durante as ocorrências de ressacas. Ela é formada por formas têxteis do tipo bolsa e do tipo colcha, preenchidas com argamassa, que irão funcionar como um muro de proteção das estruturas de urbanismo e paisagismo.

Continue lendo em Correio do Litoral