Promotor paraguaio que investigava crime organizado é executado na Colômbia

Associação de Agentes Fiscais do Paraguai lamentou a morte de Pecci

O promotor especializado contra o crime organizado Marcelo Pecci sofreu um atentado na Colômbia. O agente do Ministério Público foi morto por três tiros, segundo informações preliminares.

A Interpol Paraguai confirmou o ataque sofrido na terça-feira (10) pelo procurador especializado contra o crime organizado e tráfico de drogas Marcelo Pecci, que estava na ilha de Barú, na cidade de Cartagena, Colômbia.

Veja também

O agente do Ministério Público estava naquele país em lua de mel, após se casar recentemente com sua companheira Claudia Aguilera, que horas antes anunciou que está grávida. As informações são de Ultima Hora.

Segundo informações não oficiais, o promotor Pecci e sua esposa estavam em um Sitio, saindo do local quando desconhecidos dispararam tiros de jet skis. A esposa do promotor saiu ilesa.

A Associação de Agentes Fiscais do Paraguai lamentou a morte de Pecci em uma breve mensagem publicada.

O Ministério das Relações Exteriores informaram, por meio de nota, que a embaixadora do Paraguai naquele país, Sophia López Garelli, foi instruída a recolher detalhes do ocorrido e a entrar em contato com a esposa da vítima e com as mais altas autoridades. país.

Promotor paraguaio que investigava crime organizado é executado na Colômbia

A cônsul Romy Romero também está atualmente viajando para a cidade de Cartagena para um acompanhamento mais próximo. Da mesma forma, eles limitaram “que mais informações sejam dadas nas próximas horas”.

A execução do promotor tem provocado grande comoção em todo Paraguai. O presidente Mario Abdo Benítez condenou o crime, ao qual classificou de “covarde”, logo após a confirmação pelas autoridades.