Browsing Tag

joaquim silva e luna

As Últimas Notícias, Brasil, Destaques, Economia, Foz do Iguaçu, Itaipu Binacional, Turismo,

Boa notícia: Itaipu dará R$ 50 mil na largada da live solidária da retomada do turismo de Foz do Iguaçu

O dinheiro arrecadado será repassado para uma entidade representativa do setor

A uma semana da transmissão ao vivo que vai simbolizar a retomada das atividades turísticas em Foz do Iguaçu, no dia 10 de junho, a Itaipu anuncia a doação de R$ 50 mil para os trabalhadores do setor, um dos mais atingidos pela pandemia de covid-19. O dinheiro será repassado para uma entidade representativa do turismo local. Novas doações serão incentivadas durante a live com o cantor iguaçuense Gabriel Smaniotto, na usina.

O show virtual é uma iniciativa do Programa Acelera Foz, que reúne oito instituições e mobiliza esforços para o crescimento da economia da cidade.

O palco da live será o Mirante Central de Itaipu, com possibilidade de mudança para o Centro de Recepção de Visitantes (CRV), na entrada da usina, caso chova. A data escolhida para a live marca o aniversário de 106 anos de Foz do Iguaçu.

A cidade, que tem no turismo sua principal atividade econômica, tem adotado todos os cuidados sanitários previstos pelo Ministério da Saúde para possibilitar o atendimento aos turistas.

A live representa a retomada de vários atrativos turísticos do Destino Iguaçu. Neste dia, as Cataratas do Iguaçu, o Marco das Três Fronteiras e o Parque das Aves, entre tantos outros, vão reabrir gradativamente, além de parte da hotelaria. Outras iniciativas – como um cinema a céu aberto, promovido pelo Visitors Bureau – fazem parte desse recomeço.

O Programa Acelera Foz reúne Itaipu Binacional, Parque Tecnológico Itaipu (PTI), Prefeitura de Foz, Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu (Codefoz), Sebrae, Programa Oeste em Desenvolvimento, Associação Comercial e Empresarial de Foz do Iguaçu (Acifi) e Conselho Municipal de Turismo (Comtur).

A transmissão começará às 17h30 e vai até as 20h. Algumas das entidades parceiras vão compartilhar a live em seus canais de divulgação, a partir do sinal gerado no canal da Itaipu no Youtube (youtube.com/user/itaipubinacional).

Para o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, a retomada, com todos os cuidados necessários adotados pelos atrativos, será um sucesso. “Vai depender do comprometimento e esforço de cada um de nós. Temos todas as condições de acertar o passo e seguir em frente.” O foco inicial é o turismo regional.

Combate à covid-19

O apoio à retomada do turismo é mais uma das ações da Itaipu no enfrentamento à covid-19. A empresa é uma das principais parceiras de Foz no combate à pandemia, com uma série de iniciativas voltadas à prevenção e tratamento da doença.

O rol de ações é amplo e variado, entre convênios e medidas de auxílio eventual. Os investimentos passam de R$ 22 milhões e incluem a reestruturação do Hospital Ministro Costa Cavalcanti, repasse de insumos e equipamentos, além da compra de 6 mil testes PCR para diagnóstico.

Todas as medidas estão sendo adotadas em consonância com o governo federal.

Fotos de turistas nas Cataratas e Itaipu: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional
Foto: Divulgação Gabriel Smaniotto

Brasil, Destaques, Itaipu Binacional, Saúde,

Hospital mantido pela Itaipu espera receber cerca de dois mil exames para covid-19, até quarta-feira (8)

Todos esses testes serão colocados à disposição da Vigilância Epidemiológica. O fluxo de atendimento será definido pelo Laboratório Central do Estado (Lacen)

O Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), mantido pela usina de Itaipu, em Foz do Iguaçu (PR), aguarda até quarta-feira (8) a chegada de 1,5 mil a 2 mil testes de Real Time – PCR, que indica diagnóstico da covid-19 em até duas horas. Todos esses testes serão colocados à disposição da Vigilância Epidemiológica para atendimento dos pacientes suspeitos. O fluxo será definido pelo Laboratório Central do Estado (Lacen). Além disso, poderá ser utilizado também para identificação da doença em pacientes internados no HMCC e no Hospital Municipal.

O Costa Cavalcanti, por meio de seu laboratório de Saúde Única, do Centro de Medicina Tropical, está habilitado a fazer os testes PCR desde a semana passada. Os exames ajudarão no mapeamento epidemiológico da doença e na tomada de decisões dos municípios da 9ª Regional de Saúde do Paraná para o enfrentamento da doença.

Atualmente, três testes estão sendo utilizados no Brasil: o PCR, imunológico e o teste rápido. Todos são capazes de diagnosticar a doença, mas diferem na coleta, na análise e também no tempo de resultado. O PCR é considerado o mais confiável. O HMCC tem capacidade para fazer até 480 exames desse tipo por dia. É um dos únicos do interior do Paraná credenciados para fazer essa testagem.

Até domingo (5), de acordo com o último boletim divulgado pela Vigilância Epidemiológica, Foz do Iguaçu contabilizava 25 casos da doença. Do total de 286 notificações, 215 foram descartadas. Atualmente, 46 casos estão sendo investigados. Duas pessoas estão internadas. A contagem dos casos do novo coronavírus começou em 29 de fevereiro, com o primeiro caso suspeito encaminhado para ser examinado. A primeira confirmação veio em 12 de março, mas só veio a público no dia 18 do mesmo mês.

Segundo o diretor-superintendente do HMCC, Fernando Cossa, o estoque dos 2 mil exames (outros 2 mil devem chegar em breve) deve atender a demanda dos municípios da 9ª Regional, para identificar os casos suspeitos. Se for necessário, mais kits serão adquiridos.

Para o diretor-geral brasileiro, general Joaquim Silva e Luna (foto acima), os exames comprados pelo HMCC vão dar mais tranquilidade para a população, pois estarão à disposição da Vigilância Epidemiológica.

“Estamos acompanhando atentamente os cenários internacional, nacional e locais da doença. Itaipu contribui e vai continuar contribuindo sempre para o desenvolvimento do Oeste do Paraná. Cuidar da saúde da nossa gente faz parte da nossa missão e é tão ou quanto mais importante que qualquer outra ação nesse momento tão sensível”, diz o general.

Preparado para enfrentar a crise da covid-19, o HMCC criou uma ala exclusiva para internamento de pacientes com a doença. São 27 leitos, 15 só na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 12 de semi-intensiva. O HMCC também administra um fundo emergencial encaminhado pela Itaipu de aproximadamente R$ 15 milhões voltados para a reestruturação da instituição e para ajudar Foz do Iguaçu e municípios vizinhos no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus.

A Fundação de Saúde Itaiguapy, que administra o HMCC, já adquiriu equipamentos de proteção individual, materiais e medicamentos, incluindo 35 aparelhos de ventilação mecânica, 50 monitores multiparamétricos e 40 camas hospitalares.

Para se antecipar à pandemia em Foz, o HMCC contratou aproximadamente 80 colaboradores e médicos plantonistas para atuar em setores específicos no tratamento à covid-19, além de uma infectologista e um coordenador de medicina interna dedicados exclusivamente ao combate à doença. Mais de 200 pessoas estão em treinamento, aptas para uma possível crise.

O HMCC está repassando para Foz e região equipamentos de proteção individual, máscaras cirúrgicas, luvas e monitores, entre outros. Também fez um convênio com um hotel para hospedagem de profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate à pandemia.

Com a reestruturação, o Hospital Costa Cavalcanti tem agora dois prontos atendimentos, um para pacientes sem sintomas respiratórios, que funciona no Centro Clínico, e o outro voltado para os casos de sintomas respiratórios, anexo ao HMCC.

A 9ª Regional abrange Foz, Itaipulândia, Matelândia, Medianeira, Missal, Ramilândia, Santa Terezinha de Itaipu, São Miguel do Iguaçu e Serranópolis do Iguaçu.

Brasil, Destaques, Itaipu Binacional, Paraná, Saúde,

Boa notícia: Hospital Costa Cavalcanti já está habilitado para até 480 exames rápidos por dia para detectar covid-19

Mantido por Itaipu, hospital aguarda a chegada de mais kits. Os insumos já foram adquiridos

O Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), mantido pela usina de Itaipu, já está habilitado pelo Laboratório Central do Estado (Lacen) a fazer testes rápidos (Real Time – PCR) para detecção da covid-19, com diagnóstico em até duas horas.

A resposta da autorização do credenciamento chegou nesta segunda-feira, 30, por volta das 14h30, num momento bastante aguardado pelos organismos de saúde de Foz do Iguaçu e região.

Esses exames ajudarão no mapeamento epidemiológico da doença e na tomada de decisões dos municípios da 9ª Regional no enfrentamento da doença.

Já há no HMCC um estoque de 90 kits para exames rápidos, mas a expectativa é de receber nesta semana mais 1.500 dos 4 mil que foram adquiridos, o que depende do fornecedor internacional.

Todos os exames só serão feitos mediante encaminhamento da Vigilância Sanitária de Foz e região. Até esta segunda (30), dez casos da doença haviam sido confirmados em Foz do Iguaçu. Outros 112 continuam sendo investigados.

Todos os casos suspeitos de covid-19 dos municípios da 9ª Regional, que compreende, além de Foz, Itaipulândia, Matelândia, Medianeira, Missal, Ramilândia, Santa Terezinha de Itaipu, São Miguel do Iguaçu e Serranópolis do Iguaçu, poderão ser testados pelo HMCC, independentemente do local de entrada, seja por uma unidade de pronto atendimento ou por um hospital público, como o Hospital Municipal Germano Lauck.

Para os laboratórios de Análises Clínicas e, especialmente, de Saúde Única do Centro de Medicina Tropical, foram adquiridos equipamentos de automação e de reagentes para realizar exames diagnósticos, com destaque para o PCR para a covid-19.

Missão de Itaipu

Desde 26 de fevereiro de 2019, quando assumiu a usina de Itaipu, o diretor-geral brasileiro, general Joaquim Silva e Luna, direcionou mais de R$ 700 milhões obtidos com a economia e cortes de convênios e ações sem aderência à missão da usina, para obras estruturantes e demais iniciativas a favor do bem-estar da população da região. Dentro desta lista, só para o HMCC, que também atende pacientes dos SUS, foram destinados mais de R$ 60 milhões.

“Todos os investimentos têm como foco apoiar o desenvolvimento do Oeste do Paraná. Continuamos reforçando todas essas medidas. Agora, mais especificamente na área de saúde, por intermédio do HMCC e do Grupo de
Trabalho que monitora a evolução do vírus da região, além das ações de proteção dos empregados da usina”, explicou.

O diretor superintendente do Hospital Ministro Costa Cavalcanti, Fernando Cossa, conclama todos a colaborar. “O ideal é unir todas as instituições de saúde num mesmo esforço em comum para ganhar essa guerra”. E complementa: “Hoje um grande passo foi dado. Essa é uma conquista muito importante pra toda a região”.

Ala exclusiva para coronavírus

Atualmente, o hospital conta uma ala exclusiva para atendimento de pacientes de covid-19, com 27 leitos, 15 só na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 12 de semi-intensiva. O HMCC também gerencia um fundo emergencial de aproximadamente R$ 15 milhões voltados para a reestruturação da instituição e ajuda Foz do Iguaçu e municípios vizinhos no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus.

Com os testes rápidos (Real Time – PCR) da covid-19 é possível obter o diagnóstico, num primeiro momento, em até três horas. E, com a automação, o tempo pode ser reduzido para até duas horas.

Já se antecipando à crise causada pela covid-19, a Fundação Itaiguapy, que administra o HMCC, fez compras antecipadas de equipamentos de proteção pessoal, de materiais e medicamentos (cloroquina e azitromicina, entre outros), incluindo 35 aparelhos de ventilação mecânica, 50 monitores multiparamétricos e 40 camas hospitalares.

O HMCC contratou aproximadamente 80 colaboradores e médicos plantonistas para atuar em setores específicos no tratamento à covid-19, além de uma infectologista e um coordenador de medicina interna dedicados
exclusivamente ao combate à doença. Mais de 200 pessoas estão em treinamento, aptas para uma possível crise.

Plano de contingência

O hospital também colocou em vigor um plano de contingência. Foi criado um núcleo de inteligência covid-19, responsável pela elaboração e divulgação de boletins diários internos sobre tratamentos, treinamentos e simulações, em apoio ao HMCC e ao Hospital Municipal Germano Lauck.

O HMCC também abriu um pronto atendimento para queixas respiratórias e criou um bloco exclusivo para internações de pacientes com covid-19, seguindo rigorosamente as indicações técnicas dos melhores centros de referência.

Além disso, o HMCC cedeu para o município equipamentos de proteção individual, máscaras cirúrgicas, luvas e monitores, entre outros. Também fez um convênio com um hotel para hospedagem de profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate à pandemia. Com a reestruturação, o Centro Clínico tem agora dois prontos atendimentos, um para pacientes sem sintomas respiratórios e o outro voltado para os casos de sintomas respiratórios.

Melhores do Brasil

O Hospital Ministro Costa Cavalcanti aparece em décimo oitavo lugar numa lista das 41 melhores unidades hospitalares do Brasil. O ranking, que tem entre outros hospitais o Albert Einstein e o Sírio Libanês, primeiro e segundo lugares respectivamente, foi divulgado no site da revista Newsweek recentemente. O ranqueamento levou em consideração as recomendações de profissionais médicos, entrevistas com pacientes e
indicadores-chave de desempenho médico.

Hospital de qualidade

Das mais de seis mil unidades hospitalares existentes no Brasil, somente 342 têm a chancela de Acreditação Hospitalar. O Costa Cavalcanti está entre os 2,95% de instituições brasileiras (177) com Acreditação com Excelência (Nível III).

As Últimas Notícias, Brasil, Destaques, Itaipu Binacional, Política, Saúde,

Itaipu contra o coronavírus: fundo emergencial de US$ 3 milhões para enfrentar a doença já está em vigor

O convênio será gerido pela Fundação de Saúde Itaiguapy, responsável pelo Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), mantido pela usina

A partir desta quarta-feira (18), já está em vigência o convênio, no valor de US$ 3 milhões, firmado entre a usina de Itaipu e a Fundação de Saúde Itaiguapy, responsável pela gestão do Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), para o enfrentamento de um possível surto de coronavírus (covid-19).

O recurso será usado em Foz do Iguaçu e em toda a 9ª regional, num universo estimado de 400 mil pessoas. O plano tem validade de até dez meses. O fundo emergencial vai possibilitar a reestruturação física do HMCC para atendimento de casos específicos de covid-19.

Não há nenhum caso confirmado da doença na cidade e região, mas a diretoria de Itaipu não tem medido esforços para colocar em prática medidas preventivas com esse foco, tanto internas quanto externas. O objetivo é proteger a saúde de empregados, colaboradores, turistas e da população do entorno do reservatório.

Com a liberação do convênio, a fundação vai poder comprar em caráter urgente medicamentos e equipamentos, como os de proteção individual e materiais médicos, e aumentar a contratação de pessoas para esse cenário específico.

A autorização do convênio foi feita pela Diretoria Executiva de Itaipu, composta por diretores brasileiros e paraguaios, em reunião extraordinária, nesta terça-feira (17), a pedido do diretor-geral brasileiro, general Joaquim Silva e Luna.

Em Foz do Iguaçu, a usina também tem coordenado um grupo de trabalho (GT Itaipu-Saúde) com atuação nas três fronteiras, Brasil, Paraguai e Argentina, na prevenção e combate à dengue – que tem mais de 16 mil casos notificados somente em Foz. No Paraná, são 49 mortes registradas.

O diretor-geral brasileiro explica que a Itaipu tem feito todos os esforços, respeitando os protocolos em vigência da OMS e do Ministério da Saúde do Brasil para frear o surgimento de casos da covid-19 e salvar a vida da nossa população. A atenção também tem sido redobrada em relação à dengue.

“A saúde pública é uma agenda importante para Itaipu. É um compromisso que levamos a sério na nossa missão”, disse Silva e Luna.

Ajuda aos municípios
A Fundação Itaiguapy fez um mapeamento para definir prioridades. A principal delas é criar uma UTI específica para casos de covid-19, com dez unidades. O foco principal é dar prioridade aos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).

A própria fundação vai entrar em contato com os municípios de Foz e região para levantar as necessidades de cada um deles e ver como poderá ajudar.

O que prevê o convênio
Garantir a qualidade do atendimento médico hospitalar aos empregados da Itaipu e seus dependentes, assim como a comunidade da região por meio do atendimento prestado pelo Hospital Ministro Costa Cavalcanti.

Referência
O HMCC é referência aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) dos nove municípios da 9ª Regional de Saúde do Estado.

Reuniões e mapeamento
Há vários dias, a Fundação de Saúde Itaiguapy vem fazendo reuniões multidisciplinares com profissionais do Hospital Ministro Costa Cavalcanti e integrantes da 9ª Regional de Saúde para alinhar os entendimentos e implementar medidas mais contundentes em relação às ações preventivas, fluxo de atendimento e tratamento de pacientes, antecipando cenários, caso a doença chegue a Foz do Iguaçu e região.

Outras medidas
A margem brasileira da Itaipu Binacional criou um comitê de gestão estratégica para discutir ações relacionadas ao novo coronavírus. Entre as primeiras medidas já anunciadas estão dispensa do trabalho de jovens aprendizes e estagiários, gestantes, lactantes e pessoas com mais de 60 anos que apresentem alguma morbidade.

A criação do comitê está alinhada às novas ações adotadas pelo governo federal, que instalou um gabinete de crise para tratar, em nível nacional, da covid-19, conforme a realidade de cada Estado e de cada município.

O grupo é coordenado pelo assessor especial do diretor-geral brasileiro, coronel Jorge Ricardo Áureo (AS.GB). O foco principal é preservar a saúde dos trabalhadores e demais públicos que frequentam as áreas da usina, garantir a geração de energia elétrica, propor medidas de prevenção para evitar o contágio em massa e estabelecer protocolo de atendimento rápido nos casos verificados dentro das instalações da hidrelétrica.

O rol de medidas preventivas e paliativas prevê diferentes estratégias, de acordo com o avanço da doença, levando em conta quatro possíveis cenários. O primeiro deles é o cenário atual, sem nenhum caso confirmado de covid-19 no município de Foz do Iguaçu. Os demais serão avaliados caso ocorram mudanças no quadro atual. Todas as ações têm como parâmetro as orientações do Ministério da Saúde brasileiro.

Fica definido:

  • suspensão das visitas técnicas e institucionais e a entrada de pessoas não autorizadas na área industrial (contaminação comunitária);
  • dispensa de PIITS (aprendizes) e estagiários, sem prejuízo à remuneração;
  • liberação do trabalho de pessoas com mais de 60 anos, desde que apresentem comorbidade;
  • liberação do trabalho de gestantes e lactantes;
  • suspensão da visitação aos atrativos turísticos de Itaipu.

Foto: Alexandre Marchetti

As Últimas Notícias, Brasil, Destaques, Economia, Itaipu Binacional, Mundo, Política,

Itaipu promove fórum para integrar projetos estratégicos para Foz do Iguaçu e Região

Objetivo é promover uma discussão com a sociedade para que iniciativas tragam o máximo retorno em termos de desenvolvimento regional

A Itaipu Binacional reuniu os principais atores relacionados a projetos voltados à melhoria da infraestrutura e da logística de Foz do Iguaçu e Região, para integrar as iniciativas que tenham como objetivo o desenvolvimento local, na manhã desta sexta-feira (13).

O Fórum dos Projetos Estruturantes de Foz do Iguaçu e Região aconteceu no Centro de Recepção de Visitantes (CRV) da usina e contou com representantes do governo estadual, Prefeitura, Infraero, polícias Militar e Federal, Fecomércio, DER, Receita Federal, instituições do trade turístico, entre outras.

“Reunimos os principais atores de Foz e região para que todos juntos discutam como integrar os projetos de obras estruturantes para que eles contribuam ao máximo para o desenvolvimento regional”, afirmou o diretor-geral brasileiro da Itaipu, general Joaquim Silva e Luna. “Neste sentido, o papel da Itaipu é proporcionar o ambiente para que a sociedade discuta e decida pelas melhores soluções.”

A atual gestão brasileira da Itaipu Binacional tem priorizado os investimentos de importância estratégica para o desenvolvimento da região.

A empresa está investindo mais de R$ 700 milhões de reais em obras estruturantes, entre elas a construção da segunda ponte sobre o Rio Paraná, a Ponte da Integração Brasil-Paraguai; a Perimetral Leste; a modernização e ampliação do Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC); a conclusão do Mercado Municipal; e a ampliação da pista de pouso e decolagem do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu – entre outras.

O fórum contou com exposições sobre o Plano Diretor de Foz do Iguaçu (pelo secretário de Turismo, Indústria, Comércio e Projetos Estratégicos de Foz, Gilmar Piolla); Logística e infraestrutura da cabeceira da Ponte da Amizade e do seu entorno (pela representante do Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteiras, Leila Youssef);

Obras de infraestrutura em Foz do Iguaçu: ponte, perimetral e duplicação da BR-469 (pelo diretor de Operações do DER-PR, Alexandre Fernandes); Infraero: Obras de infraestrutura no Aeroporto de Foz do Iguaçu (pelo superintendente da Infraero, Joacir Araújo dos Santos); e Ramal Ferroeste Cascavel-Foz (pelo presidente da Ferroeste, André Luiz Gonçalves).

Gonçalves, da Ferroeste, agradeceu o convite para a participação no Fórum, que ele considerou de extrema importância estratégica para a região. “Foz do Iguaçu tem uma vocação não só para o turismo, mas também para a logística, com grande potencial para se transformar num grande hub logístico para América do Sul. E nós estamos fazendo nossa parte, que é tentar chegar com um ramal da Ferroeste a Foz do Iguaçu”, afirmou.

Segundo ele, a melhoria da infraestrutura logística em Foz e região não beneficiará apenas o turismo e o setor agroindustrial. “Se a gente olhar de forma mais abrangente, vai perceber que existem outras cadeias de produtos industrializados que também se beneficiariam desses investimentos, com grande aumento dos fluxos de importação e exportação com os países vizinhos”, acrescentou.

O presidente da Associação Comercial e Industrial de Foz do Iguaçu (Acifi), Faisal Mahmoud Ismail, também fez uma avaliação positiva do evento, que ele considera fundamental para a sociedade, ao promover a integração de projetos que estão ocorrendo em várias instâncias. “A gente precisa trabalhar em sintonia para fazer a construção dessa nova Foz do Iguaçu”, disse.

Para o presidente da Acifi, a grande prioridade do município devem ser os investimentos em mobilidade urbana. “Nós estamos pensando em uma cidade que pretende dobrar o número de visitantes. A população também vai crescer. Foz hoje é a segunda cidade mais visitada por estrangeiros. E isso faz com que a gente tenha que preparar o município para os próximos 20, 30 anos e além”, acrescentou.

Já o presidente do Conselho de Desenvolvimento de Foz do Iguaçu (Codefoz), Danilo Vendrusculo, afirmou que o fórum funcionou como uma prévia, mas que as discussões devem prosseguir envolvendo ainda mais atores da sociedade. “Acho que a Itaipu está correta em investir em projetos estruturantes como a segunda ponte, a perimetral e o aeroporto. E uma próxima prioridade para Foz deverá ser o porto seco”, opinou.

Para o diretor de Coordenação da Itaipu, general Luiz Felipe Carbonell, o diálogo foi muito positivo e deverá possibilitar uma maior sinergia entre os projetos. “São excelentes projetos que, às vezes, estão desconectados por falta da oportunidade de fazer um alinhamento. Com isso, no lugar de disputar recursos como os que a Itaipu está disponibilizando para projetos estruturantes, essas iniciativas podem cooperar e serem beneficiadas conjuntamente”, afirmou o diretor.

Fotos: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional

As Últimas Notícias, Brasil, Destaques, Economia, Itaipu Binacional, Paraná, Política,

Itaipu promove fórum sobre projetos estruturantes com parceiros de Foz e região nesta sexta-feira (13)

O encontro acontece das 8h às 17h, na sala vip do Centro de Recepção do Visitantes (CRV), na entrada da usina

A Itaipu tem um encontro marcado na próxima sexta-feira (13) com 40 parceiros de Foz e região para debater obras estruturantes que estão sendo viabilizadas pela empresa e por outras instituições públicas e atores da sociedade civil. O encontro ocorre das 8h às 17h, na sala vip do Centro de Recepção do Visitantes (CRV), na entrada da usina.

O diretor-geral de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, disse que a ideia é proporcionar um alinhamento de informações, com a integração de toda a sociedade sobre os projetos que estão em andamento e que deixarão legado para a população. “Queremos criar uma sinergia entre todos os projetos para que o ganho seja o melhor possível para o município, região e Estado”, afirmou.

Participam do fórum representantes de instituições e líderes de grupos e organizações interessados no desenvolvimento regional, além de empregados e diretores de áreas da Itaipu Binacional diretamente ligadas às obras que estão colocando Foz do Iguaçu e a região, assim como o Paraná, como um todo, numa nova era econômica.

No fórum, a Itaipu vai mostrar o status de cada obra que vem tocando e o que elas representam na nova reconfiguração econômica de Foz. No evento, as demais instituições e pessoas interessadas em ajudar neste desenvolvimento também terão a oportunidade de apresentar e debater propostas de projetos estruturantes.

A Itaipu está viabilizando a construção da segunda ponte sobre o Rio Paraná, a Ponte da Integração Brasil-Paraguai; a Perimetral Leste; a modernização e ampliação do Hospital Ministro Costa Cavalcanti; a conclusão do mercado municipal; e a ampliação da pista de embarque e desembarque do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu; entre outras.

Para o diretor de Coordenação da empresa, general Luiz Felipe Carbonell, com o fórum, “a Itaipu poderá ter uma visão abrangente dos projetos que estão sendo pensados para Foz do Iguaçu e região, podendo avaliar onde e como poderá atuar; além de dar aos participantes a oportunidade de conhecer as iniciativas uns dos outros, sejam elas convergentes ou não, a fim de gerar sinergia e unir esforços”.

Foram convidados para o evento o Programa Oeste em desenvolvimento, o Idesfi, a Acifi, a Receita Federal, as secretarias municipais de Turismo e Planejamento, o Fundo Iguassu, o Iguassu Convention Visitors Bureau, o Foztrans, o Codetri, o DER, a Ferroeste e a Superintendência do Patrimônio da União do Paraná.

Fotos: Rogério Vicente

As Últimas Notícias, Brasil, Destaques, Economia, Itaipu Binacional, Meio Ambiente,

15,47 milhões de MWh: Usina de Itaipu coloca uma vantagem de 7,6% no bimestre em relação ao mesmo período de 2019

Os índices de eficiência operacional permanecem em grau de excelência para suprir de energia o mercado do Brasil e Paraguai

Depois de enfrentar o ano mais seco da história, em 2019, e mesmo assim obter recorde histórico de produtividade, ou seja, eficiência da operação, a usina de Itaipu começou 2020 num ritmo de produção muito mais favorável. A hidrelétrica produziu no bimestre um total de 15,47 milhões de megawatts-hora (MWh), ante 14,38 milhões de MWh no ano passado. O número é 7,6% acima do produzido no mesmo período de 2019. Desse percentual, apenas 1,5 ponto é consequência deste ano ser bissexto, ou seja, fevereiro ter 29 dias.

Só em termos de comparação, essa quantidade toda de energia daria para abastecer de eletricidade a cidade de São Paulo por 6 meses e 24 dias; o Paraguai, por 10 meses e 21 dias; ou ainda o município de Foz do Iguaçu por mais de 26 anos.

Só em fevereiro foram gerados 7,29 milhões de MWh. A disponibilidade das unidades geradoras ficou em 95,24% e a indisponibilidade forçada das unidades geradoras em 0,13%. Traduzindo, o aproveitamento da água para produção de energia foi de 100%.

Os números comprovam a manutenção da eficiência no aproveitamento da matéria-prima para garantir eletricidade para o Brasil e Paraguai. Energia que garante desenvolvimento para os dois países, a começar pelasegurança energética, mas também com infraestrutura.

A produtividade em fevereiro foi de 1,070 MWméd/m³/s, superando a do mesmo mês de 2019 (1,063 MWméd/m³/s), o que garantiu a melhor performance operacional para o mês em todo histórico dos 35 anos e nove meses de operação da usina.

Já no bimestre, a disponibilidade das unidades geradoras foi ainda maior: 96,67%; e a indisponibilidade forçada das unidades geradoras também foi excepcional: 0,09%. Novamente, o aproveitamento da água disponível para produção de energia foi total.

Para o diretor-geral brasileiro, general Joaquim Silva e Luna, “tão importante quanto o aumento da geração de energia pela Itaipu, em relação ao mesmo período de 2019, é a busca permanente por uma produtividade de alto nível. Isso demostra o comprometimento e competência do nosso time binacional”.

Ainda segundo o diretor-geral, os dados comprovam que a Itaipu vem, cada vez mais, consolidando seus índices de operacionalidade no mais alto grau de eficiência. Para manter esse desempenho, é preciso uma conexão em total alinhamento entre a usina, o Operador Nacional do Sistema (ONS), a Eletrobras, a Ande, Furnas e Copel, os parceiros que possibilitam esse escoamento da energia que vai para o sistema interligado.

2019, mesmo com pouca água, ano histórico

Em 2019, mesmo com um ano hidrológico desfavorável, o mais seco desde 1984, a usina atingiu 79,445 milhões de MWh. Itaipu conseguiu atender 11% do mercado nacional e 88% do mercado paraguaio. A binacional bateu recorde de eficiência: 1,07 MW médios. A disponibilidade forçada foi de 97,55% e a indisponibilidade de 0,09%.

Eletrobras e Ande chegaram a uma contratação de potência de longo prazo, de 2019 a 2022, algo que não ocorria havia dez anos. Também foi colocada em marcha a atualização tecnológica, que prevê um investimento de US$ 660 milhões em 14 anos para garantir sustentabilidade para a geração nas próximas décadas.

Foto: Alexandre Marchetti

As Últimas Notícias, Brasil, Destaques, Itaipu Binacional, Saúde,

Itaipu retoma grupo de trabalho e reforça saúde na fronteira

O Grupo de Trabalho Itaipu-Saúde (GT Itaipu-Saúde) voltará a se reunir ainda neste mês de março. As atividades do grupo foram temporariamente interrompidas em novembro de 2019, para o desenvolvimento de um novo planejamento, voltado principalmente ao aumento da efetividade de suas ações e, também, à adequação às premissas de austeridade da gestão do diretor-geral brasileiro da Itaipu, general Joaquim Silva e Luna. O novo calendário de reuniões deve ser divulgado nos próximos 15 dias.

A gestão do GT Itaipu-Saúde é binacional, compartilhada pelas margens brasileira e paraguaia da Itaipu – que financia, promove e apoia todas as atividades do grupo. “Em nenhum momento a empresa pensou em acabar com o GT, mas apenas em promover um rearranjo com o objetivo de torná-lo ainda melhor”, explica o novo gestor brasileiro do GT Itaipu-Saúde, o diretor de Coordenação da Itaipu, general Luiz Felipe Carbonell.

A principal mudança está na operacionalização do GT Itaipu-Saúde, que não será mais feita pelo Parque Tecnológico Itaipu (PTI), mas pela Fundação Itaiguapy, administradora do Hospital Ministro Costa Cavalcanti. “Ela é mais indicada para isso, diante da natureza das próprias instituições”, afirma Carbonell. “A Fundação Itaiguapy possui experiência, estrutura e capacidade para tornar os resultados do GT ainda melhores.”

Segundo Carbonell, entre as prioridades na retomada das atividades estão a colaboração no combate ao surto transfronteiriço de dengue e, também, o estudo de estratégias sobre a possível chegada do coronavírus na região. “O combate a epidemias é feito via articulação junto às autoridades competentes dos três países, por meio de ações conjuntas e coordenadas que alcançam resultados mais efetivos.”

O GT Itaipu-Saúde
Formado por profissionais da área de saúde do Brasil, Paraguai e Argentina, sob a coordenação da Itaipu Binacional, o GT Itaipu-Saúde foi constituído em 2003, com o objetivo principal de colaborar para o fortalecimento das políticas públicas de saúde na região da Tríplice Fronteira.

O GT Itaipu-Saúde possui um regimento próprio e suas ações são baseadas na integração e na cooperação entre os países vizinhos, contribuindo para a promoção, prevenção e vigilância da saúde, com foco no enfrentamento de problemas prioritários em sua área de influência direta, que abrange cerca de 1,5 milhão de habitantes.

Em média, cem pessoas participam de cada reunião. Os encontros são mensais – normalmente na Itaipu – e neles há o debate, proposição e elaboração de projetos a serem apresentados a organismos competentes, além da promoção de oficinas e seminários sobre diversos temas ligados à saúde. Os profissionais que dele fazem parte atuam em comissões técnicas temáticas com abordagem integrativa. A participação nas atividades do GT Itaipu-Saúde é aberta a todos os interessados, sendo livre a manifestação de membros e não membros.

O GT Itaipu-Saúde contribui com a formação e a capacitação de recursos humanos para a gestão e o desenvolvimento na área de saúde, fortalecimento do bem-estar, a prevenção de doenças e de epidemias e apoio à integração e articulação dos serviços de saúde na Região Trinacional, atendendo ao Objetivo do Desenvolvimento Sustentável (ODS) de número 3: Saúde e Bem-estar.

Conquistas
Em seus 17 anos de atuação, o GT Itaipu-Saúde obteve muitas conquistas e se estabeleceu como o principal fórum de debates sobre saúde na região. Veja alguns dos resultados já alcançados pelo grupo:
• Redução dos índices de mortalidade materno-infantil no Paraguai e na 9ª e 20ª Regionais de Saúde do Paraná (Foz do Iguaçu e Toledo), por meio de treinamentos oferecidos gratuitamente para centenas de médicos e enfermeiros;
• Erradicação da raiva canina no Paraguai, impedindo que a doença contaminasse humanos e avançasse para o Brasil, Argentina e Bolívia;
• Como suporte aos casos de saúde mental nas redes de atenção à saúde, formação de 70 terapeutas comunitários para o emprego de tecnologia social (produto, método, processo ou técnica criada para solucionar algum tipo de problema social e que atenda aos quesitos de simplicidade, baixo custo, fácil aplicabilidade e impacto comprovado);
• Implantação da Política Pública de Saúde do Homem no Paraguai, como estratégia para a redução da morbimortalidade masculina;
• Implantação na Tríplice Fronteira da Estratégia DOTS (Directly Observed Treatment Shortly), para o controle da tuberculose e acompanhamento dos pacientes em tratamento.
• Realização de pesquisa sobre a qualidade de vida de idosos na Tríplice Fronteira, como instrumento de auxílio às tomadas de decisões por parte dos gestores de saúde. Trabalho inédito nos três países;
• Melhora de 100% da qualidade dos registros de dados nas unidades de saúde no Departamento de Canindeyú, no Paraguai, proporcionando segurança para os gestores na tomada de decisão;
• Implantação do 1º Banco de Leite Humano, em Assunção, como estratégia de incentivo ao aleitamento materno, nutrição neonatal e redução da morbimortalidade infantil;
• Proteção e promoção da saúde e bem-estar de cuidadores domiciliares, levando em consideração os fatores de riscos físicos, psicológicos e ocupacionais e favorecendo a qualidade de vida desses trabalhadores e dos que recebem sua atenção;
• Matriciamento em saúde mental na Tríplice Fronteira, integrando saúde mental e atenção básica em um modelo de cuidados colaborativos, facilitando o diagnóstico precoce de distúrbios ou patologias mentais;
• Como apoio às múltiplas necessidades do povo Guarani, capacitação de 218 Agentes Indígenas de Saúde em diversos temas, como primeiros socorros, alimentação saudável, prevenção ao alcoolismo e agricultura sustentável;
• Implantação do Centro de Medicina Tropical da Tríplice Fronteira, em Foz do Iguaçu, voltado à vigilância epidemiológica e detecção precoce do risco de transmissão de doenças emergentes e reemergentes na região, especialmente no combate à dengue, zika e chicungunya;
• Implantação do Método de Vigilância Integrada em Foz do Iguaçu, para unificar os serviços de Vigilância em Saúde, com ênfase à prevenção e o controle da transmissão de dengue, zika e chikungunya.

Brasil, Destaques, Economia, Itaipu Binacional,

Itaipu será palco de lançamento de novo carro da Renault

O evento começa nesta quarta-feira (4) e prossegue até sexta-feira (6). Como contrapartida à cessão de espaço, a Renault fará uma ação em favor de uma entidade social

A usina de Itaipu volta a ser nesta semana cenário de lançamentos de grandes produtos mundiais. A Renault do Brasil escolheu a hidrelétrica para lançar o novo Duster com a presença de representantes da marca em diferentes países e imprensa especializada. São cerca de 600 participantes ao todo.

O credenciamento ficará a cargo da Renault do Brasil. Todos os custos serão arcados pela própria empresa. O evento começa nesta quarta-feira (4) e prossegue até sexta (6).

A Itaipu ganha pelo menos em duas frentes com eventos desse porte: mídia espontânea e colaboração com entidades assistenciais da região. Como contrapartida à cessão de espaço para o evento, a Renault fará uma ação em prol de uma entidade social, conforme diretriz da gestão do diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna.

Uma grande mobilização na usina foi feita para garantir o sucesso do evento, com a participação de todas as diretorias da Itaipu. Pessoal trabalha nos bastidores, antes, durante e depois do lançamento, com acompanhamento de montagem e desmontagem dos espaços.

Na noite desta quarta-feira haverá, no antigo britador da usina, um evento fechado para convidados. Na quinta-feira, 200 pessoas participam da apresentação do veículo. O roteiro inclui visita panorâmica e palestras, entre elas sobre compartilhamento de veículos, que inclui parceria com o laboratório de mobilidade inteligente. Já na sexta, cerca de 130 pessoas devem participar de uma visita ao Parque Tecnológico Itaipu.

Fotos: Alexandre Marchetti/Itaipu Binacional

Destaques, Geral, Política, Saúde,

Chico Brasileiro anuncia UBS no Porto Meira, região Sul de Foz do Iguaçu

O prefeito Chico Brasileiro (PSD) anunciou neste sábado, 28, a abertura de uma unidade de saúde 24 horas no Porto Meira e a reabertura do centro cirúrgico do Poliambulatório – unidade que também fica na região sul de Foz Iguaçu.

“Já tínhamos o compromisso de abrir uma unidade 24 horas no Porto Meira. A região tem 50 mil moradores, população de uma cidade. A unidade é fundamental para atender a demanda, distribuir os serviços e melhora o fluxo de atendimento em Foz do Iguaçu”, disse Chico Brasileiro na Rádio Cultura. As informações são do GDia.

Chico Brasileiro afirmou que a unidade saúde vai funcionar nos próximos dias e o centro cirúrgico do poliambulatório em 30 dias. “Falta alguns detalhes para que a gente tenha a unidade 24h funcionando no Porto Meira, ao lado do Caic. Ali era uma região abandonada, creche e unidade de saúde abandonadas, e implantamos um centro de educação infantil novo e agora uma unidade, a princípio 24 horas”.

“A reabertura do centro cirúrgico desafoga as cirurgias que hoje são realizadas no Hospital Municipal. Elas serão realizadas no poliambulatório. São aquelas cirurgias que se faz de dia e já recebe alta a noite e quando se faz no hospital se ocupa um leito que poderia ser usado para uma cirurgia maior”, completou o prefeito.

Obras – A reabertura da unidade e ampliação dos serviços no poliambulatório fazem parte do pacote de obras em outras oito unidades de saúde. Os investimentos incluem a ampliação do Pronto Atendimento Infantil na Avenida Paraná e a reforma das unidades da Vila Adriana, Vila C, Parque Presidente, Três Lagoas, Centro de Especialidades Odontológicas, Laboratório de Próteses da Atenção Básica da Saúde e ampliação da UBS do Morumbi III.

O prefeito ainda destacou mais R$ 8 milhões acordados na sexta-feira, 28, com o secretário estadual de Saúde, Beto Preto, para o Hospital Municipal Germano Lauck. Serão R$ 2,5 milhões para equipamentos, R$ 3 milhões para mutirão de cirurgias eletivas e mais R$ 2,5 milhões para ampliação e reforma do pronto socorro. “A nossa contrapartida será a execução de obras de drenagem e asfalto no Jardim Central e no Parque Monjolo”.

No programa da rádio, o prefeito aina destacou as obras de infraestrutura que Foz do Iguaçu através de recursos estaduais e federais. “Tinha gente já desacreditando que conseguiríamos a duplicação da BR 469. Ontem (sexta-feira), tivemos essas as boas notícias: a ampliação da pista do aeroporto e com o anúncio do diretor geral da Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, o governador Ratinho Junior e o ministro Tarcísio Gomes (Infraestrutura) da duplicação da Rodovia das Cataratas”.

“A duplicação da rodovia é reivindicação da comunidade com a articulação da prefeitura e o aporte da Itaipu. Se somarmos os Investimentos que a Itaipu está fazendo, já passam de R$ 700 milhões em obras”, completou Chico Brasileiro.