Browsing Tag

sanepar

Busão Foz, Destaques, Foz do Iguaçu, Justiça,

Ratinho Junior e Chico Brasileiro lançam obras de urbanização da Ocupação Bubas em Foz do Iguaçu

Acordo entre Governo do Estado e Prefeitura de Foz foi assinado nesta segunda-feira (27); obras de saneamento e iluminação iniciarão o projeto de urbanização

O governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior, e o prefeito Chico Brasileiro, assinaram nesta segunda-feira, 27, a ordem de serviço para o início das obras de urbanização e infraestrutura que irão beneficiar mais de 1,8 mil famílias que residem no Conjunto Bubas.

Com a parceria da Sanepar e Copel, as obras iniciais serão para saneamento e energia elétrica. Estão previstas as implantações de 9,2 quilômetros de redes de água e outros 8,9 quilômetros de redes de esgoto – o investimento estimado é de R$ 1,8 milhão.

Para a iluminação, são aproximadamente 9.100 metros de redes de distribuição de energia.

“Tivemos muitas pessoas empenhadas em tirar esse projeto do papel, para que pudéssemos estar aqui e garantir a chegada dessas obras aguardadas há tantos anos. Foram analisadas todas as possibilidades para que pudéssemos entregar uma obra moderna, com o melhor que podemos oferecer”, garantiu o governador.

O prefeito Chico Brasileiro destacou a importante participação da comunidade na elaboração do projeto e salientou a união dos órgãos para a rápida realização das obras.

“Esses moradores lutaram desde o início pela conquista da terra. Mas não pararam nisso e seguiram buscando melhorias para onde vivem. O poder público assumiu esse compromisso e contou com essa parceria tão importante do Governo do Estado. Iniciamos um novo momento para a vida de cada pessoa”, reforçou Brasileiro.

Esperanças renovadas

Com o intuito de conhecer como serão as obras, os moradores lotaram o Centro de Convivência do Bubas. Entre eles estava Carlos de Castro, que mora no Bubas desde o início da ocupação e sonhava com o dia em que veria as obras chegando à rua onde mora.

“Eu fico muito feliz por finalmente estar vendo isso, porque vai melhorar muito a minha vida. Tudo o que eu ouvi que vai ser feito me fez muito bem”, contou o morador.

Para Jéssica Pereira, com a urbanização ela e a família terão uma qualidade de vida muito melhor – principalmente o filho, o pequeno Alexandre, de 3 anos.

“Agora vou ter a certeza de que ele vai crescer em um local bom, organizado e bonito, principalmente com água e luz garantidas”, celebrou.

Foto: Christian Rizzi/PMFI

Cascavel, Destaques, Foz do Iguaçu, Geral,

Reflexo do temporal ainda afeta abastecimento de água em cidades da região Oeste, diz Sanepar

AVISO DE UTILIDADE PÚBLICA – EMERGENCIAL

A Sanepar informa que o temporal que atingiu várias cidades do Paraná, neste sábado (23), está causando reflexos no abastecimento de água em várias cidades da Região Oeste.

Na região de Cascavel ainda estão sem eletricidade unidades operacionais das cidades de Cascavel, Lidoeste, Guaraniaçu e distrito Guaporá, Santa Tereza do Oeste, Corbélia e Distrito Penha, Distrito Santo Izidoro em Três Barras do Paraná.

Nas cidades de Catanduvas, Capitão Leonidas Marques, Santa Lucia e Três Barras do Paraná a eletricidade foi restabelecida e o abastecimento de água está sendo retomado.

Na região de Toledo, as unidades de Terra Roxa, Distrito Ponte Nova, em Diamante do Oeste, Vera Cruz do Oeste e Distrito São Sebastião e Cafelândia também estão sem eletricidade. Toledo o fornecimento de água está comprometido nos bairros Jardim Porto Alegre, Concórdia, Bandeirantes e Independência. A Sanepar está instalando geradores para retomar a produção.

Na região de Foz do Iguaçu, São Miguel do Iguaçu está com o abastecimento parcialmente comprometido e em Santa Terezinha de Itaipu, Itaipulândia, Missal, Medianeira e Santa Helena as unidades ainda estão com a produção paralisada. Em Foz do Iguaçu, a estação de água da Vila C está com a produção paralisada e isso afeta o abastecimento de água para 70% da cidade. As regiões norte, leste e centro da cidade estão sem água.

A Copel trabalha para restabelecer a eletricidade. Assim que a eletricidade for restabelecida a produção e distribuição de água deve ser normalizada, de forma gradual.

Podem ficar sem água clientes que não possuem caixa-d’água domiciliar. A Sanepar lembra que, de acordo com norma da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), cada imóvel deve ter caixa-d’água com capacidade para atender as necessidades dos moradores por, no mínimo, 24 horas. O reservatório domiciliar deve armazenar pelo menos 500 litros.

O Serviço de Atendimento ao Cliente Sanepar é feito pelo telefone 0800 200 0115. Ao ligar, tenha em mãos a conta de água ou o número de sua matrícula.

Para consultar esta e outras informações, use o aplicativo para celular Sanepar Mobile ou acesse sempre o site da Sanepar: www.sanepar.com.br

Economia, Paraná, Política,

Projetos que amenizam os efeitos da crise hídrica aguardam votações na ALEP

Propostas de Requião Filho para autorizar descontos nas tarifas da Sanepar e de incentivo à captação da água da chuva seguem aguardando na fila da CCJ

O Deputado Estadual Requião Filho (MDB) apresentou em março deste ano, um Projeto de Lei que autoriza o Poder Executivo a conceder descontos nas tarifas da Sanepar. A medida valeria sempre que houvesse reajuste nas recomposições tarifárias, de forma que o aumento seria apenas o equivalente a inflação do ano fiscal anterior. Porém, a proposta do PL 113/2021 ainda segue aguardando tramitação na Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa do Paraná.

De acordo com o boletim de inverno do Sistema Meteorológico do Paraná (SIMEPAR), as previsões para os próximos meses indicam poucas chuvas e frio intenso. Ou seja, além de pagar caro, o paranaense também deverá seguir com duras medidas para economizar água.

“Além da escassez de água e das consequências econômicas da pandemia, neste momento, o Governo precisa mais do que nunca ser parceiro da população e tomar uma providência. O paranaense está pagando caro. Portanto, caso haja a necessidade de novos reajustes, queremos que, ao menos, seja somente aplicado o índice da inflação, nada mais”, defendeu.

Requião Filho pontua também que os preços dos alimentos, gás de cozinha, do transporte coletivo, do combustível e de outros itens e serviços de primeira necessidade estão cada dia maiores e, infelizmente, não existe no horizonte uma contrapartida do Governo.

“São necessárias medidas econômicas urgentes, já que não será possível garantir a oferta de água no médio e longo prazo”.

Requião Filho também chamou a atenção para a falta de planejamento do Governo no que diz respeito a preservação das florestas, o que também garantiria o bom funcionamento do sistema hídrico.

“Quando a floresta está preservada, a água das chuvas infiltra no solo e alcança os depósitos subterrâneos, os lençóis freáticos e aquíferos, que alimentam as nascentes dos rios durante o ano todo, inclusive no período seco. Sem floresta, nosso solo fica desprotegido e a água tem mais dificuldade de recarregar esses depósitos, o que diminui a vazão dos rios na seca. Um bom planejamento poderia mudar isto”, completou.

Outra proposta do deputado que está parada há pelo menos 6 anos na Assembleia é o Projeto de Lei 314/2015, que incentiva a criação de mecanismos para captação de água da chuva pela população. Nesta ideia, há a criação de linhas de crédito através da Agência de Fomento para subsidiar a instalação de cisternas e projetos para aprimorar a coleta de água da chuva.

As informações são de Deputado Estadual Requião Filho.

Busão Foz, Geral, Meio Ambiente, Paraná,

Sanepar alerta sobre proteção dos hidrômetros durante frio intenso

Diminuição acentuada das temperaturas pode provocar congelamento da água na tubulação e rompimento dos HDs

O declínio acentuado das temperaturas no início desta semana, em todas as regiões do Paraná, segundo informações do Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar), devido ao deslocamento de uma forte massa de ar polar, pode levar ao rompimento dos equipamentos que fazem a medição do consumo de água, os hidrômetros. A Sanepar alerta os clientes a adotarem cuidados para evitar que o “relógio” seja danificado.

Isso ocorre porque as baixas temperaturas favorecem o congelamento da água dentro da tubulação. Além de transtornos para a Sanepar, que precisa substituir os hidrômetros, também o cliente é prejudicado, podendo ter problemas com vazamentos e ficar sem água até que o equipamento seja trocado.

A proteção do hidrômetro pode ser feita com caixa de papelão, plástico, lona ou madeira. Podem ser usados outros tipos de materiais que impeçam o acúmulo de gelo sobre o hidrômetro e o encanamento, desde que não fiquem em contato direto com a estrutura. O material deve ser de fácil remoção para que o leiturista faça a medição do consumo.

O Simepar prevê temperaturas negativas nas Regiões Oeste, Sudoeste Sul, Centro e Sul dos Campos Gerais com ocorrência de geadas moderadas a fortes. O ar frio também será rigoroso no setor norte do Paraná, divisa com São Paulo com formação de geadas. Na Região Metropolitana de Curitiba, as temperaturas mínimas ficam muito próximas de 0,0 °C com umidade elevada.

Nesta segunda-feira (28), chove em praticamente todas as regiões, com intensidade fraca e moderada. O Simepar indica que, a partir do anoitecer, a tendência é de queda mais acentuada das temperaturas, com ênfase para as porções mais ao sul e oeste do Estado.

A partir de terça-feira, deve haver uma gradual diminuição da condição de chuva sobre o Paraná, estabelecendo-se uma forte massa de ar seco e nos três estados do Sul. A previsão é que nas primeiras horas da manhã desta terça a temperatura fique gelada, propiciando a formação de geadas em várias cidades paranaenses.

Busão Foz, Destaques, Foz do Iguaçu, Geral,

Utilidade Pública: Limpeza e manutenção em reservatórios podem interromper abastecimento em bairros de Foz do Iguaçu

A Sanepar informa que serão executados serviços de limpeza e manutenção preventiva nos reservatórios da Vila A e do Portal da Foz, em Foz do Iguaçu, nesta quinta-feira (24).

Os trabalhos nos reservatórios do Portal da Foz iniciam às 6h30 e devem se estender até as 8h, podendo interromper temporariamente o fornecimento de água para as regiões dos bairros Vila Miranda, Loteamento Três Lagoas, Jardim Bandeirantes, Loteamento Dom Ricardo, parte do Jardim Vale do Sol, Residencial Lagoa Azul, Jardim Mônaco, Vila Tibagi, Conjunto Residencial Dourados, Conjunto Habitacional Novo Mundo, Loteamento Lagoa Vermelha, Jardim Ipanema, Gleba Guarani, Vila Guarani, Jardim Cedro, Porto Dourado, parte do Vale do Sul, Chácara Bela Vista, Associação Rosa Mística, Residencial Parque da Lagoa, Distrito Industrial Foz, jardins Europa e Três Fronteiras, Conjunto Habitacional Plaza Foz, Loteamento Nacional, Jardim Aurora, Pilar Parque Campestre, Parque Pilarzinho, Três Bandeiras, Novo Distrito Industrial, Loteamento Primeiro de Maio, Mutirão, Cohapar III, Vila Borges, Parque Residencial Santa Rita, Parque Morumbi I, II, III, IV e V, Pacaembu, Jardim Soledade, Parque Imperatriz, Jardim Portal da Foz, parte do Jardim Ana Cristina, Condomínio Lago dos Cisnes, Vila Braz, Vila Independente I e II, VI das Batalhas, Jardim Liberdade, Parque Presidente II e Rincão São Francisco.

A segunda etapa de manutenção será feita das 10h às 12h nos reservatórios da Vila A. Nesta parada, pode ocorrer desabastecimento de água nas regiões dos bairros Parque Itamaraty, Parque Presidente I, Jardim Alice I, partes do Beverly Fall’s Parque e do Jardim Ana Cristina, jardins Duarte, Canadá I e II, Dona Rocca, das Palmeiras I e II, Parque Imperatriz, Condomínio Arco di Roma, Jardim Lancaster I, II, III e IV, Curitibano I, II, III e IV, jardins Barbara, Ipê I, II e III, Norma, Jasmins, Conjunto Residencial Aporã, Jardim Santa Rosa, parte do Jardim Laranjeiras, Parque Residencial Karla, Jardim Petrópolis e parte da Vila A.

A previsão é a de que o abastecimento volte à normalidade para todas as regiões a partir das 16h e será de forma gradativa.

Os trabalhos podem ser cancelados em caso de mau tempo, impossibilidade de execução com segurança, fatores externos que impeçam a realização dos serviços no prazo programado, problemas operacionais que impactem de forma crítica o sistema de abastecimento ou força maior.

CAIXA D’ÁGUA

Só ficarão sem água durante este período os clientes que não têm caixa-d’água no imóvel, conforme recomendação da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). A Sanepar sugere que cada imóvel tenha uma caixa-d’água de pelo menos 500 litros. Assim, é possível ter água por 24 horas, no mínimo.

O Serviço de Atendimento ao Cliente Sanepar é feito pelo telefone 0800 200 0115, que funciona 24 horas. Ao ligar, tenha em mãos a conta de água ou o número de sua matrícula.

Para esta e outras informações pode ser utilizado o aplicativo para celular Sanepar Mobile ou acessar o site da Sanepar.

As informações são de Agência de Notícias do Paraná

Destaques, Foz do Iguaçu, Geral,

Temporal provoca falta de energia e pode afetar o abastecimento para 70% dos moradores de Foz

Veja os bairros atingidos

O temporal que atingiu Foz do Iguaçu na noite de sexta-feira, 21, causou estragos em várias regiões da cidade. Como a rede elétrica foi atingida, a Sanepar informou neste sábado, 22, que 70% da cidade está sofrendo com a falta de água.

Confira a nota da Sanepar:

A Sanepar informa que as fortes chuvas da noite desta sexta-feira (21) causaram a queda da energia na captação e na estação de tratamento de água da Vila C e no complexo de reservação da Vila A em Foz do Iguaçu.

Em razão da parada na produção e distribuição de água pode ocorrer faltar temporária de água nas regiões dos bairros Vila C, Bela Vista, Vila São Sebastião, Cond. Porto Seguro, Jd. Universitário das Américas I, Pq. Linear, Jd. Veneza, Jd. Evangélico, Porto Belo, Jd. Itaipu, Jd. Florença, Jd. Itá, Jd. Rosi Magalhães, Jd. Olinda, Jd. Irmã, Jd. Princesa Diana, Jd. Nova Califórnia, Jd. Marisa, Loteamento Budel, Pq. Itamaraty, Pq. Presidente I, Jd. Alice I, Beverly Fall’s Parque, Jd. Ana Cristina, Jd. Duarte, Jd. Canadá I e II, Jd. Dona Rocca, Jd. das Palmeiras I e II, Pq. Imperatriz, Cond. Arco di Roma, Jd. Lancaster I, II, III e IV, Jd. Curitibano I, II, III e IV, Jd. Barbara, Jd. Ipê I, II e III, Jd. Norma, Jd. Jasmins, Conj. Res. Aporã, Jd. Santa Rosa, Jardim Laranjeiras, Pq. Res. Karla, Jd. Petrópolis, Vila A, Alto São Francisco, Pólo Centro, Jd. Central, Jd. Cláudia, Jd. Manaus, Jd. João Paulo II, Campos do Iguaçu, Conj. Libra, Jd. Acaray, Pq. Res. Itália, Jd. Alice, Pq. Monjolo, Maria Tereza, Vila Pérola, Conj. CR1, Jd. Laranjeiras, Cond. Horizontal Vila B, Jd. Jupira, Jd. Petrópolis, Jd. Paraná, Conj. Belvedere I e II, Jd. Paraná, Jd. Alvorada, Lot. Novo Mundo, Lot. Madre Tereza I e II, Lot. Res. Jaqueline, Conj. Hab. Sol de Maio, Conj. Res. Graúna, Conj. Res. Tucuruí, Conj. Hab. Fernanda, Lot. Witt, Lot. Menger, Jd. Colombelli, Jd. Congonhas, Jd. Irta, Jd. São João, Jd. Vasco da Gama, Chácara Dom Emílio, Jd. Niterói I e II, Jd. Residencial Vitória, Jd. Res. São Roque I, II, III e IV, Jd. Dom Miguel Osman, Jd. Dona Fátima Osman, Jd. Copa Cabana, Jd. Dom Pedro I, Jd. São Paulo I e II, Jd. São Luiz, Jd. Panorama I e II, Jd. São Bento, Lot. Lindóia, Jd. Dona Leila, Vila Militar, Jd. Amazonas, Cohapar I e II, Jd. São Rafael, Lot. Res. Cohiguaçu, Jd. Bela Vista Norte, Lot. Terra Lar, Jd. João Paulo II, Vila Shallon, Centro, Vila Itajuba, Jd. Guarapuava I e II, Jd. Tarobá, Cond. Hor. Country Clube, Lot. Roht, Vila Remigio, Vila Maracanã, Jd. Los Angeles, Jd. Esmeralda, I, Vila Matilde, Vila Bom Jesus, Jd. Festugato, Vila Paraguaia, Jd. América, Jd. Cristina, Vila Brasília, Jd. Boa Vista, Jd. das Nações, Vila Portes, Loteamento Paraguaçu, 34º Batalhão, Vila Miranda, Três Lagoas, Jd. Bandeirantes, Lot. Dom Ricardo, Jd. Vale do Sol, Jd. Res. Lagoa Azul, Jd. Mônaco, Vila Tibagi, Conj. Res. Dourados, Conj. Hab. Novo Mundo, Lot. Lagoa Vermelha, Jd. Ipanema, Gleba Guarani, Lot. Gleba Guarani, Vila Guarani, Jd. Cedro, Cadeia Pública, CDR’s Ditrito Industrial Foz, Jd. Europa, Jd. Três Fronteiras, Conj. Hab. Plaza Foz, Lot. Nacional, Jd. Auroram, Pilar Pq. Campestre, Pq. Pilarzinho, Pq. Res. Três Bandeiras, Lot. Primeiro de Maio, Multirão, Cohapar III, Vila Borges, Pq. Res. Santa Rita, Pq. Morumbi I, II, III, IV e V, Pacaembu, Jd. Soledade, Pq. Imperatriz, Jd. Portal da Foz, Jd. Ana Cristina, Cond. N. F. Lago dos Cisnes, Vila Bráz, Vila Independente I e II, Vila das Batalhas, Jd. Liberdade, Pq. Presidente II, Rincão São Francisco, Porto Dourado, Vale do Sol, Cidade Nova, Furnas Centrais Elétricas, Cidade Nova I e II, Jd. Universitário das Américas II. A Sanepar aguarda o restabelecimento da energia pelas equipes da Copel, ainda sem previsão. O abastecimento só deve voltar à normalidade na noite do sábado (22) e será de forma gradativa.

Só ficarão sem água durante este período os clientes que não têm caixa-d’água no imóvel, conforme recomendação da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). A Sanepar sugere que cada imóvel tenha uma caixa-d’água de pelo menos 500 litros. Assim, é possível ter água por 24 horas, no mínimo.

As informações são da Rádio Cultura

Economia, Paraná,

Mesmo com pandemia e crise hídrica, Sanepar amplia investimentos em 22%

A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) investiu R$ 258,8 milhões no primeiro trimestre de 2021 em todo o Estado, valor 22% maior do que o investido em igual período de 2020. O aumento ocorreu mesmo com a redução de 3,7% do lucro líquido da empresa, no comparativo entre os três primeiros meses de 2021 e de 2020.

Os resultados do trimestre foram apresentados aos acionistas pelo diretor-presidente, Claudio Stabile, e pelo diretor financeiro e de Relações com Investidores, Abel Demetrio.

O diretor financeiro destacou que o principal impacto ao desempenho da companhia foi a crise hídrica que afeta o Paraná, além dos reflexos causados pela pandemia. O índice de inadimplência, de 3,6%, manteve-se estável em relação aos três primeiros meses de 2020.

O sistema de abastecimento de água neste primeiro trimestre teve um acréscimo de 19.849 ligações, um aumento de 43,6% em relação a igual período de 2020. O atendimento com rede de esgoto também teve um crescimento de 40,3%, com 19.073 novas ligações no primeiro trimestre.

Outro número bastante favorável foi o do índice de perdas, que encerrou o primeiro trimestre de 2021 com 217 litros/ligação, ante 235 litros/ligação no mesmo período de 2020.

A Sanepar mantém-se com os melhores indicadores em saneamento do País, com 100% da população urbana abastecida com água potável, e 76,9% com acesso a coleta e tratamento de esgoto.

Também estavam presentes o diretor de Meio Ambiente e Ação Social, Julio Gonchorosky, e a diretora de Investimentos, Leura Conte de Oliveira.

As informações são de Agência de Notícias do Paraná

Economia, Paraná,

Lucro da Sanepar cresceu 697% em nove anos, aponta estudo do Dieese

Estudo mostra que empresa pagou R$ 2,3 bilhões em dividendos para acionistas entre 2011 e 2019

Nota técnica divulgada pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) do Paraná revela que, na comparação de 2019 sobre 2010, o Lucro Líquido da Sanepar cresceu 697,01%, saltando de R$ 135,5 milhões para R$ 1.080,0 bilhão.

Os aumentos tarifários ocorridos entre 2011 e 2019 responderam por 93,68% desse crescimento que teve incremento de R$ 3,5 bilhões.

No período de 2011 a 2019 foram distribuídos R$ 2,3 bilhões em dividendos para os acionistas.

Apenas 20% das ações são do Estado do Paraná, a maior parte delas (73 %) se divide entre acionistas nacionais e estrangeiros.

Segundo a nota do Dieese, desde julho de 1994 a tarifa da Sanepar teve um aumento de 57,08% acima da inflação (IPCA).

Continue lendo em Central Única dos Trabalhadores do Paraná

Economia, Paraná,

Reajuste da Sanepar só começa a valer em 5 de fevereiro de 2021

Após três suspensões de reajuste, como parte das medidas de enfrentamento da pandemia e da crise hídrica, Agepar homologou o índice de 5,11%.

O Conselho Diretor da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Paraná (Agepar) aprovou, nesta terça-feira (29), o índice de reajuste da tarifa da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar).

Após três suspensões de reajustes tarifários, como parte dos esforços de enfrentamento dos efeitos da pandemia de Covid-19 e da crise hídrica, foi homologado o índice de 5,11% para reajuste da tarifa cobrada pela companhia, com validade a partir de 5 de fevereiro de 2021.

A decisão também prevê a manutenção das políticas de tarifas diferenciadas para o Litoral, para as entidades de utilidade pública beneficentes, cadastradas pela Sanepar, assim como a política de Tarifa Social.

Curitiba, Destaques,

Sanepar suspende rodízio em Curitiba e Região Metropolitana

Medida foi adotada até dia 3 de janeiro, devido ao volume de chuvas dos últimos dias e ao engajamento da população na economia de água.

A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) suspendeu o rodízio no abastecimento de água em Curitiba e Região Metropolitana a partir desta terça-feira (22) até 3 de janeiro. A suspensão foi possível graças à combinação das chuvas do fim de novembro e início de dezembro e do uso econômico da água pela população, atendendo à campanha META20. Com isso, o nível das barragens aumentou permitindo um fôlego neste período.

“Analisamos o impacto da medida e ajustamos a operação por ser este um momento sensível de partilha e confraternização entre as famílias”, diz o diretor-presidente da Sanepar, Claudio Stabile.

Stabile reforça para que a população continue com a redução do consumo. “É importante que a população não mude os hábitos já incorporados de economia”, diz. Historicamente, há um aumento de consumo de cerca de 5% neste período de festas.  Isto significa um consumo a mais de 400 litros de água por segundo, o suficiente para atender uma cidade com aproximadamente 150 mil pessoas.

RESERVATÓRIOS – Nesta terça-feira (22), o nível dos reservatórios do Sistema de Abastecimento Integrado (SAIC) de Curitiba e Região Metropolitana está em 40,86%. A última vez que o nível das barragens chegou a este patamar foi em maio deste ano. Nos primeiros 15 dias de dezembro, o acumulado de chuva foi de 160,6 milímetros.

Desde o início do rodízio a empresa já promoveu mais de 20 ações complementares em busca de novas fontes de abastecimento.  Isto promoveu um incremento de 4 bilhões de litros de água ao Sistema de Abastecimento de Curitiba e Região Metropolitana. 

A suspensão do rodízio não contempla alguns bairros de Almirante Tamandaré, Colombo, Quatro Barras, Tijucas do Sul e Bocaíuva do Sul, que não fazem parte do Sistema de Abastecimento Integrado (SAIC). Nestas cidades a captação de água é feita por meio de poços e neste caso as chuvas não alteraram a disponibilidade de água.

No site está a tabela completa com os bairros que estarão no rodízio.